No chão em que você pisa com seu salto agulha | Elisa Andrade Buzzo | Digestivo Cultural

busca | avançada
35423 visitas/dia
1,3 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Banda GELPI, vencedora do concurso EDP LIVE BANDS BRASIL, lança seu primeiro álbum com a Sony
>>> Celso Sabadin e Francisco Ucha lançam livro sobre a vida de Moracy do Val amanhã na Livraria da Vila
>>> No Dia dos Pais, boa comida, lugar bacana e MPB requintada são as opções para acertar no presente
>>> Livro destaca a utilização da robótica nas salas de aula
>>> São Paulo recebe o lançamento do livro Bluebell
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Rinoceronte, poemas em prosa de Ronald Polito
>>> A forca de cascavel — Angústia (FUVEST 2020)
>>> O reinado estético: Luís XV e Madame de Pompadour
>>> 7 de Setembro
>>> Outros cantos, de Maria Valéria Rezende
>>> Notas confessionais de um angustiado (VII)
>>> Eu não entendo nada de alta gastronomia - Parte 1
>>> Treliças bem trançadas
>>> Meu Telefunken
>>> Dor e Glória, de Pedro Almodóvar
Colunistas
Últimos Posts
>>> Diogo Salles no podcast Guide
>>> Uma História do Mercado Livre
>>> Washington Olivetto no Day1
>>> Robinson Shiba do China in Box
>>> Karnal, Cortella e Pondé
>>> Canal Livre com FHC
>>> A história de cada livro
>>> Guia Crowdfunding de Livros
>>> Crise da Democracia
>>> Banco Inter É uma BOLHA???
Últimos Posts
>>> Uma crônica de Cinema
>>> Visitação ao desenho de Jair Glass
>>> Desiguais
>>> Quanto às perdas I
>>> A caminho, caminhemos nós
>>> MEMÓRIA
>>> Inesquecíveis cinco dias de Julho
>>> Primavera
>>> Quando a Juventude Te Ferra Economicamente
>>> Bens de consumo
Blogueiros
Mais Recentes
>>> A história do amor
>>> Além do Mais
>>> Derrotado
>>> Acabou o governo
>>> American women kick ass
>>> As duas oposições
>>> Michelangeli & Bach
>>> Outros cantos, de Maria Valéria Rezende
>>> Lançamento de livros em Natal
>>> Simone de Beauvoir: da velhice e da morte
Mais Recentes
>>> Rindo E Refletindo Com A História de Richard Simonetti pela Ceac (2007)
>>> História da Civilização Ocidental - Volume 2 de Edward McNall Burns pela Globo (1989)
>>> História da Civilização Ocidental - Volume 1 de Edward McNall Burns pela Globo (1993)
>>> Estranha Economia de Felipe Barbosa pela Apicuri (2012)
>>> A Inspetora e Uma Grande História de Amor (Série Edi Jovem)) de Santos de Oliveira pela Ediouro (1993)
>>> Herry Potter e a Pedra Filosofal de J. K. Rowling pela Rocco (2019)
>>> Revisão do paraíso. Os brasileiros e o Estado em 500 anos de História de Mary del Priore. Organização pela Campus (2000)
>>> Polly Pocket: Teste e Truques de Editora Fundamento pela Fundamento (2007)
>>> Fábrica de Poesia de Roseana Murray pela Scipione (2009)
>>> O Outro Nome do Bicho de Chico Homem de Melo pela Scipione (2007)
>>> A Viagem de uma Alma de Peter Richelieu pela Pensamento (1993)
>>> Isso Não É Brinquedo! de Ilan Brenman pela Scipione (2007)
>>> Os senhores dos rios. Amazônia, margens e história de Mary del Priore & Flávio Gomes. Organizadores pela Campus (2003)
>>> O Gato do Mato e o Cachorro do Morro de Ana Maria Machado pela Ática (2007)
>>> A Voz de Deus de Fernando Pessoa pela Proi (1997)
>>> Medidas Desesperadas de David Morrell pela Rocco (1998)
>>> Como Ler os Quatro Evangelhos de Frei Carlo Maria pela Regnum Dei (1987)
>>> O Extraordinário Poder da Intenção de Esther & Jerry Hicks pela Sextante (2008)
>>> Elos do Passado de Wanda A. Canutti pela Eme (2002)
>>> Na Hora do Adeus de Irene Pacheco Machado pela Rema (1997)
>>> Breve história da cartografia. Dos primórdios a Gerardus Mercator de Abílio Castro Gurgel pela BTAcadêmica (2015)
>>> O Gerente Minuto de Kenneth Blanchard e Spencer Johnson pela Record (1981)
>>> A Charada do Sol e da Chuva de Luiz Galdino pela Ática (1996)
>>> Encarcerados de Nércio Antonio Alves pela Rumo (1990)
>>> O Hotel dos Bichos Desamparados de Ricardo L. Hoffmann pela Ftd (1990)
>>> Crescer é Perigoso de Marcia Kupstas pela Moderna (1994)
>>> Stress Você Pode Ser O Próximo Previna-se de João Vilas Boas pela Paradigma (2019)
>>> Criar Abelhas é Lucro Certo de Márcio Infante Vieira pela Nobel (1983)
>>> O Assassinato de Roger Ackroyd de Agatha Christie pela Globo (2008)
>>> Sudário de Turim de Evaldo Alves D'Assumpção pela Loyola (1981)
>>> O Abismo de R. A. Ranieri pela Edifrater (1991)
>>> O Evangelho Segundo o Espiritismo de Allan Kardec pela Ide (2004)
>>> Antologia Poética de Mário Quintana pela Globo (2011)
>>> As Três Partes de Edson Luiz Kozminski pela Ática (2009)
>>> Anjos Do Pedaço de Sandra Saruê pela Melhoramentos (2008)
>>> A Dona da Bola e a Dona da História de Heloisa Prieto pela Ática (2009)
>>> Por Trás da Consciência- um Manual de Introdução à Programação Neuro.. de Leonel Telles de Menezes e Christina Ávila de M. pela Record
>>> Hoburaco de Diego Petrarca (org.) pela Liro (2013)
>>> Miscelânia de Opiniões e Sentenças de Nietzsche pela Escala (2007)
>>> A Missão da Unidade - o Debate Entre Evangélicos e Católicos Sobre de Israel Belo de Azevedo pela Missão (1989)
>>> Carnaval da Redentora á Praça do Apocalipse de Roberto M. Moura pela Zahar (1986)
>>> Artrites e Reumatismos- um Guia para Pacientes e Familiares de Carlos Alberto Von Mühlen pela Grupal (2005)
>>> Adivinhe Quem Sou de Megan Maxwell pela Essência (2014)
>>> Pequod de Vitor Ramil pela Artes e Oficios (1995)
>>> O Coelhinho Que Não era de Páscoa de Ruth Rocha pela Atica (2007)
>>> Código Civil Comentado Plt 542 de Ricardo Fiuza pela Saraiva (2012)
>>> Manual de Direito Processual do Trabalho de Mauro Schiavi pela Ltr (2009)
>>> Novo Código Civil de Silvio de Salvo Venosa pela Atlas (2004)
>>> Prêmio Silvio Coelho dos Santos de Monografias de Karla Leandro Rascke e Outros pela Fundação Franklin Cascaes2012 (2012)
>>> A Biologia da Crença: Ciência e Espiritualidade na Mesma Sintonia - O Poder da Consciência Sobre a Matéria e os Milagres de Bruce A. Lipton pela Butterfly (2007)
COLUNAS

Quinta-feira, 28/2/2008
No chão em que você pisa com seu salto agulha
Elisa Andrade Buzzo

+ de 4800 Acessos
+ 2 Comentário(s)


foto: Sissy Eiko

Nem Saint-Jacques, nem Saint-Sernin. A peregrinação em voga passa por centros comerciais e caminhos a céu aberto. É de um glorioso tilintar a revoada às compras no primeiro dia de soldes em Bordeaux.

Pois quando ouro banha as fachadas da cidade, você deve estar preparado para chorar em ver aquela peça ser levada por outras mãos, a angústia do botão único da calça querida não fechar, o vestido tubinho não passar nem pelo peito, nem pelo quadril; e rir, rir muito da patética aventura pelas araras de desconto enquanto mendigos reais ou falsos estendem suas latinhas, ou se ajoelham no mesmo chão em que você pisa com seu salto agulha.

No entanto, é com serenidade que os franceses se esbaldam nestas liquidações dignas de nome. Nada de 20% ou 30%. Fala-se em 50%, 70%. Só não espere que a Hermès ou a Sonia Rykiel entrem na onda da baciada...

Nesta cidade prepotente, preparado à base de vinho, casacos de pele e misto quente, você se reúne com suas amigas para as compras. Mal estala dois beijinhos. Touca de lã sintética na H&M, luvas de couro de porco na Camaie. O inverno já está terminando, mas melhor se prevenir e estocar, estocar, estocar.

Bonjour mesdames, c'est le premier jour des soldes, n'hesitez pas, mesdames, profitez...

Foi um 13 de janeiro que começou quente com a primeira remarcação de etiquetas. Lojas lotadas, guerra de cabides. Você repara que a estratégia adotada é comprar nos primeiros dias de soldes as melhores peças, embora mais caras, e deixar para depois a raspa do tacho... sabor beterraba.

Aliás, nada de shoppings. No máximo um centre commercial, St. Cristoly, Mériadeck... arremedos de shooping center sem praça de alimentação, mas voilà, très sympa.

Faites-vous plaisir, mesdames!

Nesta cidade nesga de sol, encimesmada em escadas labirínticas e romances presidenciais, você foge da mendicância como quem se arrepende da riqueza. Não tem certeza do que talvez seja apenas uma modalidade de vagabundagem francesa. A liquidação segue durante pouco mais de um mês, e a rue Saint-Catherine se esvazia na expectativa da terceira remarcação de etiquetas.

Lá, Nico, o gato, estende sua latinha enquanto o dono com pinta de holandês roda a manivela da caixa de música. Vez ou outra, o gato dorme entufado num cobertor azul bebê, ou mastiga uma comida desenlatada. Você aprende rapidamente a lógica das coisas e lhe dá umas moedas, enquanto acaria sua cabecinha peluda. E também reconhece que ele não é uma mercadoria, ainda que continue visitando as lojas de enlatados. Todos também à altura de suas mãos.

Se até o gato Nico, de raça pura e raríssima, se inquieta e, não fosse sua boa educação, sua patada acabaria num arranhão. Ele se esforça a mostrar simpatia, e você se pergunta que outra modalidade é essa em que se usa um gato quase amestrado para ganhar uns trocados.

Au bord de l'eau

Em dia translúcido, Bordeaux, que se envolta por vidro fosse aquática, Nico daria patadas homéricas nos humanos-peixes... os heurtoirs sairiam nadando, jóias saltariam dos cofres e virariam tesouros submarinos. Os inúmeros desenhos forjados em metal das sacadas derreteriam em linhas de algas rugosas.

Nada disso. A realidade aparente mostra que Nico e você vêem Bordeaux de baixo e só podem comprar em liquidações. A "nova coleção", soberana, empurra as míseras araras de desconto. Leves, sobretudos beges, saias floridas ou cáquis. Tendências ainda enrijecidas pelo frio.

Os dias continuam mais curtos e as noites mais longas, ainda que o sol reflita nas pedras claras, criando uma ilusão dourada. Sensação irreal, espetáculo diminuto e perecível.

As soldes acabam numa derradeira braderie. Um final de semana com direito aos descontos finais e muitos camelôs... chuva colorida de roupas, música envolvente escorrendo dos alto-falantes. Bordeaux, cidade de pedra e sem peito, de repente fica popular e brilhante. Vendedores de lojas metidas a besta expõem artigos em banquinhas. Outros usam até microfone para explicar as maravilhas de um cortador de batata, cenoura, tudo. Uma multidão à la Ladeira Porto Geral se aglomera verde e amarela. Uma outra esperança desponta. Você se sente em casa, mas certa aversão a tudo aquilo faz você entrar em ruas paralelas e se dispersar...

Agora, veja as ruas num domingo de manhã: elas cheiram a urina e cerveja vazia. Na segunda-feira, as árvores de Quinconces irão espetar os sonolentos ao trabalho. O rio brilhará num espreguiço de correntes gigantes.


Elisa Andrade Buzzo
Bordeaux, 28/2/2008


Quem leu este, também leu esse(s):
01. Aquarius, quebrando as expectativas de Guilherme Carvalhal
02. Lançamento de Viktor Frankl de Celso A. Uequed Pitol
03. A Jornada de Literatura de Passo Fundo de Marcelo Spalding
04. Breve reflexão cultural sobre gaúchos e lagostas de Adriana Baggio
05. A essência de Aldous Huxley de Fabio Silvestre Cardoso


Mais Elisa Andrade Buzzo
Mais Acessadas de Elisa Andrade Buzzo em 2008
01. Como era gostoso assistir à Sex and the City - 26/6/2008
02. Oiti - 20/11/2008
03. Chicas de Bolsillo e o fetiche editorial - 13/3/2008
04. Da indústria do sabor e do desgosto - 2/10/2008
05. No chão em que você pisa com seu salto agulha - 28/2/2008


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

ENVIAR POR E-MAIL
E-mail:
Observações:
COMENTÁRIO(S) DOS LEITORES
29/2/2008
13h35min
Senti nesse texto uma outra França, tão verdadeira quanto poética, como deveria ser; a cidade francesa que a gente imagina timidamente, mas que raros estrangeiros têm a capacidade de ver, entender e narrar. Os sutis toques de humor, uma ironia muito fina e madura. Tudo o que faltou em Henry Miller, nas suas andanças em Paris mas, ao mesmo tempo, compactuando com a visão dele, no sentido de que é também uma visão em profundidade, que faz com que o cenário se mova e o narrador permaneça junto com o leitor, ensinando a forma ideal de se observar uma cidade, estrangeira, mas que se torna, pelo poder dessa mesma narrativa, algo familiar. O título é também um achado e, Elisa, que belíssima crônica.
[Leia outros Comentários de Guga Schultze]
2/3/2008
20h20min
A descrição da crônica me pareceu expor sentimentos ambíguos em relação à França, mas foi apurada e bela.
[Leia outros Comentários de Luiza Amorim]
COMENTE ESTE TEXTO
Nome:
E-mail:
Blog/Twitter:
* o Digestivo Cultural se reserva o direito de ignorar Comentários que se utilizem de linguagem chula, difamatória ou ilegal;

** mensagens com tamanho superior a 1000 toques, sem identificação ou postadas por e-mails inválidos serão igualmente descartadas;

*** tampouco serão admitidos os 10 tipos de Comentador de Forum.




Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




PERCEPÇÃO E INFORMAÇÃO
PAUL J. BARBER - DAVID LEGGE
ZAHAR
(1976)
R$ 55,00



A VIDA FORA DA MATÉRIA (COM 70 GRAVURAS EM CORES) - 13ª ED.
CENTRO REDENTOR
CENTRO REDENTOR
(1973)
R$ 42,00



AUGUSTO COMTE E AS ORIGENS DO POSITIVISMO
CRUZ COSTA
COMPANHIA NACIONAL
(1959)
R$ 80,00



DEFICIÊNCIA MENTAL
STANISLAU KRYNSKI
ATHENEU
(1969)
R$ 14,00



MATERIAIS DE CONSTRUÇÃO VOLUME I
J. DAFICO ALVES
NOBEL
(1974)
R$ 20,00



TRISTE FIM DE POLICARPO QUARESMA
LIMA BARRETO
OBJETIVO
R$ 7,00



DICIONÁRIO DO SÉCULO XXI
JACQUES ATTALI
NOTICIAS EDITORIAL
(1999)
R$ 70,77



SEJA VOCE MESMO SEU MELHOR AMIGO
MILDRED NEWMAN EBERNARD BERKOWITZ
JOSÉ OLYMPIO
(1985)
R$ 25,90
+ frete grátis



A CONFISSAO DE LUCIO
MARIO DE SÁ CARNEIRO
ESCALA
R$ 6,00



GUIA PRÁTICO PARA FAZER AS COISAS
CLÁUDIO THEBAS
FORMATO
(2001)
R$ 4,50





busca | avançada
35423 visitas/dia
1,3 milhão/mês