No chão em que você pisa com seu salto agulha | Elisa Andrade Buzzo | Digestivo Cultural

busca | avançada
42708 visitas/dia
1,4 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Banda GELPI, vencedora do concurso EDP LIVE BANDS BRASIL, lança seu primeiro álbum com a Sony
>>> Celso Sabadin e Francisco Ucha lançam livro sobre a vida de Moracy do Val amanhã na Livraria da Vila
>>> No Dia dos Pais, boa comida, lugar bacana e MPB requintada são as opções para acertar no presente
>>> Livro destaca a utilização da robótica nas salas de aula
>>> São Paulo recebe o lançamento do livro Bluebell
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Rinoceronte, poemas em prosa de Ronald Polito
>>> A forca de cascavel — Angústia (FUVEST 2020)
>>> O reinado estético: Luís XV e Madame de Pompadour
>>> 7 de Setembro
>>> Outros cantos, de Maria Valéria Rezende
>>> Notas confessionais de um angustiado (VII)
>>> Eu não entendo nada de alta gastronomia - Parte 1
>>> Treliças bem trançadas
>>> Meu Telefunken
>>> Dor e Glória, de Pedro Almodóvar
Colunistas
Últimos Posts
>>> Revisores de Texto em pauta
>>> Diogo Salles no podcast Guide
>>> Uma História do Mercado Livre
>>> Washington Olivetto no Day1
>>> Robinson Shiba do China in Box
>>> Karnal, Cortella e Pondé
>>> Canal Livre com FHC
>>> A história de cada livro
>>> Guia Crowdfunding de Livros
>>> Crise da Democracia
Últimos Posts
>>> Uma crônica de Cinema
>>> Visitação ao desenho de Jair Glass
>>> Desiguais
>>> Quanto às perdas I
>>> A caminho, caminhemos nós
>>> MEMÓRIA
>>> Inesquecíveis cinco dias de Julho
>>> Primavera
>>> Quando a Juventude Te Ferra Economicamente
>>> Bens de consumo
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Ser intelectual dói
>>> O Tigrão vai te ensinar
>>> O hiperconto e a literatura digital
>>> Aberta a temporada de caça
>>> Se for viajar de navio...
>>> Incompatibilidade...
>>> Alguns Jesus em 10 anos
>>> Blogues: uma (não tão) breve história (II)
>>> Picasso e As Senhoritas de Avignon (Parte I)
>>> Asia de volta ao mapa
Mais Recentes
>>> O Livro da moda de Alexandra Black pela Publifolha (2015)
>>> Rejuvelhecer a saude como prioridade de Sergio Abramoff pela Intrinseca (2017)
>>> O livro das evidencias de John Banville Tradução Fabio Bonillo pela Biblioteca Azul - globo (2018)
>>> O futebol explica o Brasil de Marcos Guterman pela Contexto (2014)
>>> O Macaco e a Essencia de Aldous Huxley pela Globo (2017)
>>> BATISTAS, Sua Trajetória em Santo Antônio de Jesus: o fim do monopólio da fé na Terra do Padre Mateus de Jorgevan Alves da Silva pela Fonte Editorial (2018)
>>> Playboy Bárbara Borges de Diversos pela Abril (2009)
>>> Sarah de Theresa Michaels pela Nova Cultural (1999)
>>> A Bela e o Barão de Deborah Hale pela Nova Cultural (2003)
>>> O estilo na História. Gibbon & Ranke & Macaulay & Burckhardt de Peter Gay pela Companhia das Letras (1990)
>>> Playboy Simony de Diversos pela Abril (1994)
>>> Invasão no Mundo da Superfície de Mark Cheverton pela Galera Junior (2015)
>>> José Lins Do Rego- Literatura Comentada de Benjamin Abdala Jr. pela Abril Educação (1982)
>>> A modernidade vienense e as crises de identidade de Jacques Le Rider pela Civilização Brasileira (1993)
>>> Machado De Assis - Literatura Comentada de Marisa Lajolo pela Abril Educação (1980)
>>> A Viena de Wittgenstein de Allan Janik & Stephen Toulmin pela Campus (1991)
>>> O Velho e o Mar de Ernest Hemingway pela Círculo do livro (1980)
>>> Veneno de Alan Scholefield pela Abril cultural (1984)
>>> O Livreiro de Cabul de Asne Seierstad pela Record (2007)
>>> Os Dragões do Éden de Carl Sagan pela Francisco Alves (1980)
>>> O Espião que sabia demais de John Le Carré pela Abril cultural (1984)
>>> Administração de Materiais de Jorge Sequeira de Araújo pela Atlas (1981)
>>> Introdução à Programação Linear de R. Stansbury Stockton pela Atlas (1975)
>>> Como lidar com Clientes Difíceis de Dave Anderson pela Sextante (2010)
>>> As 3 Leis do Desempenho de Steve Zaffron e Dave Logan pela Primavera (2009)
>>> Curso de Educação Mediúnica 1º Ano de Vários Autores pela Feesp (1996)
>>> Recursos para uma Vida Natural de Eliza M. S. Biazzi pela Casa Publicadora Brasileira (2001)
>>> Jesus enxuga minhas Lágrimas de Elza de Almeida pela Fotograma (1999)
>>> As Aventuras de Robinson Crusoé de Daniel Defoe pela LPM Pocket (1997)
>>> Bulunga o Rei Azul de Pedro Bloch pela Moderna (1991)
>>> Menino de Engenho de José Lins do Rego pela José Olympio (1982)
>>> Terra dos Homens de Antoine de Saint-Exupéry pela Nova Fronteira (1988)
>>> O Menino de Areia de Tahar Ben Jelloun pela Nova Fronteira (1985)
>>> Aspectos Endócrinos de Interesse à Estomatologia de Janete Dias Almeida pela Unesp (1999)
>>> Nociones de Historia Linguística y Estetica Literaria de Antonio Vilanova- Nestor Lujan pela Editorial Teide/ Barcelona (1950)
>>> El Estilo: El Problema y Su Solucion de Bennison Gray pela Editorial Castalia/ Madrid (1974)
>>> El Cuento y Sus Claves de Raúl A. Piérola/ Alba Omil (profs. Univ. Tucumán pela Editorial Nova, Buenos Aires (1955)
>>> Las Fuentes de La Creacion Literaria de Carmelo M. Bonet pela Libr. del Collegio/ B. Aires (1943)
>>> As Hortaliças na Medicina Doméstica/ Encadernado de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar (1976)
>>> A Flora Nacional na Medicina Doméstica de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar
>>> Arlington Park de Rachel Cusk pela Companhia das Letras (2007)
>>> Muitas Vidas, Muitos Mestres de Brian L Weiss pela Salamandra (1991)
>>> As Frutas na Medicina Doméstica de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar
>>> Coleção Agatha Christie - Box 8 de Agatha Christie; Sonia Coutinho; Archibaldo Figueira pela HarperCollins (2019)
>>> As Irmãs Aguero de Cristina García pela Record (1998)
>>> Não Faça Tempestade Em Copo Dágua no Amor de Richard Carlson pela Rocco (2001)
>>> Um Estudo Em Vermelho - Edição De Bolso de Arthur Conan Doyle pela Zahar (2013)
>>> Eu, Dommenique de Dommenique Luxor pela Leya (2011)
>>> Os Cavaleiros da Praga Divina de Marcos Rey pela Global (2015)
>>> O Futuro da Filosofia da Práxis de Leandro Konder pela ExpressãoPopular (2018)
COLUNAS

Quinta-feira, 28/2/2008
No chão em que você pisa com seu salto agulha
Elisa Andrade Buzzo

+ de 5100 Acessos
+ 2 Comentário(s)


foto: Sissy Eiko

Nem Saint-Jacques, nem Saint-Sernin. A peregrinação em voga passa por centros comerciais e caminhos a céu aberto. É de um glorioso tilintar a revoada às compras no primeiro dia de soldes em Bordeaux.

Pois quando ouro banha as fachadas da cidade, você deve estar preparado para chorar em ver aquela peça ser levada por outras mãos, a angústia do botão único da calça querida não fechar, o vestido tubinho não passar nem pelo peito, nem pelo quadril; e rir, rir muito da patética aventura pelas araras de desconto enquanto mendigos reais ou falsos estendem suas latinhas, ou se ajoelham no mesmo chão em que você pisa com seu salto agulha.

No entanto, é com serenidade que os franceses se esbaldam nestas liquidações dignas de nome. Nada de 20% ou 30%. Fala-se em 50%, 70%. Só não espere que a Hermès ou a Sonia Rykiel entrem na onda da baciada...

Nesta cidade prepotente, preparado à base de vinho, casacos de pele e misto quente, você se reúne com suas amigas para as compras. Mal estala dois beijinhos. Touca de lã sintética na H&M, luvas de couro de porco na Camaie. O inverno já está terminando, mas melhor se prevenir e estocar, estocar, estocar.

Bonjour mesdames, c'est le premier jour des soldes, n'hesitez pas, mesdames, profitez...

Foi um 13 de janeiro que começou quente com a primeira remarcação de etiquetas. Lojas lotadas, guerra de cabides. Você repara que a estratégia adotada é comprar nos primeiros dias de soldes as melhores peças, embora mais caras, e deixar para depois a raspa do tacho... sabor beterraba.

Aliás, nada de shoppings. No máximo um centre commercial, St. Cristoly, Mériadeck... arremedos de shooping center sem praça de alimentação, mas voilà, très sympa.

Faites-vous plaisir, mesdames!

Nesta cidade nesga de sol, encimesmada em escadas labirínticas e romances presidenciais, você foge da mendicância como quem se arrepende da riqueza. Não tem certeza do que talvez seja apenas uma modalidade de vagabundagem francesa. A liquidação segue durante pouco mais de um mês, e a rue Saint-Catherine se esvazia na expectativa da terceira remarcação de etiquetas.

Lá, Nico, o gato, estende sua latinha enquanto o dono com pinta de holandês roda a manivela da caixa de música. Vez ou outra, o gato dorme entufado num cobertor azul bebê, ou mastiga uma comida desenlatada. Você aprende rapidamente a lógica das coisas e lhe dá umas moedas, enquanto acaria sua cabecinha peluda. E também reconhece que ele não é uma mercadoria, ainda que continue visitando as lojas de enlatados. Todos também à altura de suas mãos.

Se até o gato Nico, de raça pura e raríssima, se inquieta e, não fosse sua boa educação, sua patada acabaria num arranhão. Ele se esforça a mostrar simpatia, e você se pergunta que outra modalidade é essa em que se usa um gato quase amestrado para ganhar uns trocados.

Au bord de l'eau

Em dia translúcido, Bordeaux, que se envolta por vidro fosse aquática, Nico daria patadas homéricas nos humanos-peixes... os heurtoirs sairiam nadando, jóias saltariam dos cofres e virariam tesouros submarinos. Os inúmeros desenhos forjados em metal das sacadas derreteriam em linhas de algas rugosas.

Nada disso. A realidade aparente mostra que Nico e você vêem Bordeaux de baixo e só podem comprar em liquidações. A "nova coleção", soberana, empurra as míseras araras de desconto. Leves, sobretudos beges, saias floridas ou cáquis. Tendências ainda enrijecidas pelo frio.

Os dias continuam mais curtos e as noites mais longas, ainda que o sol reflita nas pedras claras, criando uma ilusão dourada. Sensação irreal, espetáculo diminuto e perecível.

As soldes acabam numa derradeira braderie. Um final de semana com direito aos descontos finais e muitos camelôs... chuva colorida de roupas, música envolvente escorrendo dos alto-falantes. Bordeaux, cidade de pedra e sem peito, de repente fica popular e brilhante. Vendedores de lojas metidas a besta expõem artigos em banquinhas. Outros usam até microfone para explicar as maravilhas de um cortador de batata, cenoura, tudo. Uma multidão à la Ladeira Porto Geral se aglomera verde e amarela. Uma outra esperança desponta. Você se sente em casa, mas certa aversão a tudo aquilo faz você entrar em ruas paralelas e se dispersar...

Agora, veja as ruas num domingo de manhã: elas cheiram a urina e cerveja vazia. Na segunda-feira, as árvores de Quinconces irão espetar os sonolentos ao trabalho. O rio brilhará num espreguiço de correntes gigantes.


Elisa Andrade Buzzo
Bordeaux, 28/2/2008


Quem leu este, também leu esse(s):
01. Imprimam - e repensem - suas fotografias de Ana Elisa Ribeiro
02. Nem tudo é pessoal de Marta Barcellos
03. Kindle, iPad ou Android? de Vicente Escudero
04. 2007 e os meus shows de Rafael Fernandes
05. 2006 e os meus CDs de Rafael Fernandes


Mais Elisa Andrade Buzzo
Mais Acessadas de Elisa Andrade Buzzo em 2008
01. Como era gostoso assistir à Sex and the City - 26/6/2008
02. Oiti - 20/11/2008
03. Chicas de Bolsillo e o fetiche editorial - 13/3/2008
04. Da indústria do sabor e do desgosto - 2/10/2008
05. No chão em que você pisa com seu salto agulha - 28/2/2008


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

ENVIAR POR E-MAIL
E-mail:
Observações:
COMENTÁRIO(S) DOS LEITORES
29/2/2008
13h35min
Senti nesse texto uma outra França, tão verdadeira quanto poética, como deveria ser; a cidade francesa que a gente imagina timidamente, mas que raros estrangeiros têm a capacidade de ver, entender e narrar. Os sutis toques de humor, uma ironia muito fina e madura. Tudo o que faltou em Henry Miller, nas suas andanças em Paris mas, ao mesmo tempo, compactuando com a visão dele, no sentido de que é também uma visão em profundidade, que faz com que o cenário se mova e o narrador permaneça junto com o leitor, ensinando a forma ideal de se observar uma cidade, estrangeira, mas que se torna, pelo poder dessa mesma narrativa, algo familiar. O título é também um achado e, Elisa, que belíssima crônica.
[Leia outros Comentários de Guga Schultze]
2/3/2008
20h20min
A descrição da crônica me pareceu expor sentimentos ambíguos em relação à França, mas foi apurada e bela.
[Leia outros Comentários de Luiza Amorim]
COMENTE ESTE TEXTO
Nome:
E-mail:
Blog/Twitter:
* o Digestivo Cultural se reserva o direito de ignorar Comentários que se utilizem de linguagem chula, difamatória ou ilegal;

** mensagens com tamanho superior a 1000 toques, sem identificação ou postadas por e-mails inválidos serão igualmente descartadas;

*** tampouco serão admitidos os 10 tipos de Comentador de Forum.




Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




BANDEIRA NEGRA, AMOR
FERNANDO MOLICA
OBJETIVA
(2005)
R$ 10,00



EGITO: TERRA DOS FARAÓS
OLAVO LEONEL FERREIRA
MODERNA
(1992)
R$ 19,90
+ frete grátis



TEXTO E INTERAÇÃO
WILLIAM CEREJA E THEREZA COCHAR
ATUAL
(2010)
R$ 18,00



IL MONDO COME POTENZA / VOLUME 1 E 2
ARTHUR AVALON
EDIZIONI MEDITERRANEE
(1973)
R$ 71,91



GENTE COMO A GENTE
JUDITH GUEST
ABRIL
(1982)
R$ 4,00



O AVESSO DAS COISAS: AFORISMOS
CARLOS DRUMMOND DE ANDRADE
RECORD
(2007)
R$ 22,00



CIDADES MORTOS E OUTROS CONTOS
MONTEIRO LOBATO
PRINCIPIS / CIRANDA CULTURAL
(2019)
R$ 19,90



A ARTE DA FELICIDADE: UM MANUAL PARA VIDA
DALAI LAMA / HOWARD CUTTER
MARTINS FONTES
(2002)
R$ 23,60



PLANTAS TROPICAIS E SUB-TROPICAIS DA ECONOMIA MUNDIAL, O CAFÉ - SUA...
ANDREAS SPRECHER VON BERNEGG
O CRUZEIRO
(1938)
R$ 98,00



E ELES QUERIAM CONTAR SÉRIE TURMA DA MATEMÁTICA (C/ COMPLEMENTO)
LUZIA FARACO RAMOS; FAIFI
ATICA
(1998)
R$ 14,90





busca | avançada
42708 visitas/dia
1,4 milhão/mês