Oiti | Elisa Andrade Buzzo | Digestivo Cultural

busca | avançada
38549 visitas/dia
1,3 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Banda GELPI, vencedora do concurso EDP LIVE BANDS BRASIL, lança seu primeiro álbum com a Sony
>>> Celso Sabadin e Francisco Ucha lançam livro sobre a vida de Moracy do Val amanhã na Livraria da Vila
>>> No Dia dos Pais, boa comida, lugar bacana e MPB requintada são as opções para acertar no presente
>>> Livro destaca a utilização da robótica nas salas de aula
>>> São Paulo recebe o lançamento do livro Bluebell
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Rinoceronte, poemas em prosa de Ronald Polito
>>> A forca de cascavel — Angústia (FUVEST 2020)
>>> O reinado estético: Luís XV e Madame de Pompadour
>>> 7 de Setembro
>>> Outros cantos, de Maria Valéria Rezende
>>> Notas confessionais de um angustiado (VII)
>>> Eu não entendo nada de alta gastronomia - Parte 1
>>> Treliças bem trançadas
>>> Meu Telefunken
>>> Dor e Glória, de Pedro Almodóvar
Colunistas
Últimos Posts
>>> Diogo Salles no podcast Guide
>>> Uma História do Mercado Livre
>>> Washington Olivetto no Day1
>>> Robinson Shiba do China in Box
>>> Karnal, Cortella e Pondé
>>> Canal Livre com FHC
>>> A história de cada livro
>>> Guia Crowdfunding de Livros
>>> Crise da Democracia
>>> Banco Inter É uma BOLHA???
Últimos Posts
>>> Uma crônica de Cinema
>>> Visitação ao desenho de Jair Glass
>>> Desiguais
>>> Quanto às perdas I
>>> A caminho, caminhemos nós
>>> MEMÓRIA
>>> Inesquecíveis cinco dias de Julho
>>> Primavera
>>> Quando a Juventude Te Ferra Economicamente
>>> Bens de consumo
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Reflexões para um mundo em crise
>>> Não Aguento Mais a Empiricus
>>> A volta de Steve Jobs à Apple
>>> Muitos amores ao mesmo tempo
>>> O Brasil não é a Seleção Brasileira
>>> Para tudo existe uma palavra
>>> O reinado estético: Luís XV e Madame de Pompadour
>>> O Presidente Negro, de Monteiro Lobato
>>> Roçando a poesia de Alberto Beuttenmüller
>>> A Euforia Perpétua, de Pascal Bruckner
Mais Recentes
>>> Supernatural - O Guia De Caca De Bobby Singer de David Reed pela Gryphus (2012)
>>> Os Heróis do Olimpo, Vol. 02 - O Filho de Netuno de Rick Riordan pela Intrínseca (2012)
>>> Os Heróis do Olimpo, Vol. 01 - O Herói Perdido de Rick Riordan pela Intrínseca (2014)
>>> O Diário de um Mago de Paulo Coelho pela Sextante (2012)
>>> Harry Potter e o Prisioneiro de Azkaban de J.K. Rowling pela Rocco (2019)
>>> C++: Como Programar (Com CD-ROM) de H. M. Deitel pela Bookman (2001)
>>> Contos de Imaginação e Mistério de Edgar Allan Poe pela Tordesilhas (2012)
>>> Golem e o Gênio - Uma Fábula Eterna de Helene Wecker pela Darkside Books (2015)
>>> O Físico - Edição Capa dura (Novo - Embalado) de Noah Gordon pela Rocco (2018)
>>> Por Que Calar Nossos Amores? - Poesia Homoerótica Latina de Raimundo Carvalho pela Autêntica (2017)
>>> O universo numa casca de noz de Stephen Hawking pela Intrínseca (2016)
>>> Supernatural - O Livro Dos Monstros, Espíritos, Demônios e Ghouls de Alex Irvine pela Gryphus (2011)
>>> O Espiritismo - a Sciencia Condemna de Dr. Jacob Huddleston Slater pela Autor
>>> Tratado de La Naturaleza Humana - V. 3 e último de David Hume pela Calpe (1923)
>>> Assassins Creed, Vol. 4 - Revelações de Oliver Bowden pela Galera Record (2013)
>>> A Revelação de Baháullah - Vols. 1 e 2 - Bagdá 1853 - 1863 de Adib Taherzadeh pela Bahai do Brasil (2002)
>>> Assassins Creed, Vol. 02 - Irmandade de Oliver Bowden pela Galera Record (2012)
>>> Em Busca da Satisfação dos Interesses da Vítima Penal de Alline Pedra Jorge pela Lumenjuris (2005)
>>> Acontece por Acaso de Pedro Luis Schlindwein pela Autores Paranaenses (2019)
>>> The Dictionary of Dreams and Their Meanings de Richard Craze pela Hermes House (2005)
>>> As Chaves do Reino, Vol. 04 - O Furioso Quinta-Feira de Garth Nix pela Fundamento (2010)
>>> As Chaves do Reino, Vol. 03 - Quarta-feira Submersa de Garth Nix pela Fundamento (2009)
>>> As Chaves do Reino, Vol. 2 - O Horrível Terça-Feira de Garth Nix pela Fundamento (2009)
>>> As Chaves do Reino, Vol. 01 - Sr. Segunda-Feira de Garth Nix pela Fundamento (2008)
>>> Hipnose - Descubra o poder da sua mente de Pyong Lee pela Outro Planeta (2018)
>>> A Chave para Rondo de Emily Rodda pela Fundamento (2010)
>>> As Crônicas das Irmãs Bruxas, Vol. 01 - Enfeitiçadas de Jessica Spotswood pela Arqueiro (2014)
>>> Trilogia Fronteiras do Universo, Vol. 01 - A Bússola de Ouro de Philip Pullman pela Objetiva (1995)
>>> Trilogia Fronteiras do Universo, Vol. 02 - A Faca Sutil de Philip Pullman pela Objetiva (1997)
>>> Assassins Creed, Vol. 05 - Renegado de Oliver Bowden pela Galera Record (2012)
>>> Os Heróis do Olimpo, Vol. 05 - O Sangue do Olimpo de Rick Riordan pela Intrínseca (2014)
>>> Sonho Febril de George R. R. Martin pela Leya (2019)
>>> Juízo Final: Odisseia dos Deuses de Horst Schadeck pela Chiado (2018)
>>> The Mystery of the Missing Antimatter de Helen R. Quinn pela Princeton University Press (2007)
>>> São José da Terra Firme de Gilberto Gerlach e Osni Machado pela Cultura Turismo São José (2004)
>>> Geometry - the Easy Way de Lawrence S. Leff pela Barrons (1997)
>>> A Solução Anabólica para Fisiculturistas de Dr. Mauro Di Pasquale pela Phorte (2006)
>>> Fallen, Vol. 3.5 - Apaixonados, Histórias de amor de Fallen de Lauren Kate pela Galera Record (2012)
>>> The Black Atlantic de Paul Gilroy pela Verso (1993)
>>> Fallen, Vol 03 - Paixão de Lauren Kate pela Galera Record (2016)
>>> Nos Céus de Paris - O romance da Vida de Santos Dumont de Alcy Cheuiche pela LPM Pocket (2001)
>>> Perda de uma Chance e Responsabilidade Civil dos Profissionais de Lisiane Lazzari Pietroski pela Conceito (2013)
>>> Acampamento Shadow Falls, Vol. 1 - Nascida à Meia-Noite de C.C. Hunter pela Jangada (2011)
>>> Comentários à Lei 11. 419/06 e as Práticas Processuais por Meio de Alexandre Atheniense pela Juruá (2010)
>>> Fallen, Vol. 04 - Êxtase de Lauren Kate pela Galera Record (2012)
>>> Administrando para Obter Resultados de Peter Drucker pela Thomson Pioneira (1998)
>>> Fallen, Vol. 01 de Lauren Kate pela Galera Record (2010)
>>> Clínica e Política: Subjetividade e Violão dos Direitos Humanos de Cristina Rauter / Eduardo Passos pela : Ifb Te Corá (2002)
>>> Príncipe Cativo, Vol. 01 - O Escravo de C.S. Pacat pela Vergara e Riba (2019)
>>> Peinture Sur Porcelaine, Techniques Pour Tous de Colette Lamarque Texte et Creations pela Fleurus (1984)
COLUNAS

Quinta-feira, 20/11/2008
Oiti
Elisa Andrade Buzzo

+ de 5900 Acessos
+ 4 Comentário(s)


foto: Nina Jacobi

Foi horrível o dia em que derrubaram a árvore ― árvore, diga-se de passagem, sem nome. Uma operação da prefeitura cuidava de arrancar tudo o que estava podre por dentro e perigava cair. Época em que uma chuva mais forte com ventania resultava em carro, moto esmagada e algumas centenas de árvores destronadas.

Daí, fizeram um cordão de isolamento. Primeiro eles iam cortando os galhos mais altos, depois, na vez da polpa ainda carnuda do tronco, a serra elétrica era empunhada com tanta força que parecia se tratar de questão de vida ou morte. E era.

A árvore esquecida tornara-se a estrela principal do dia. Depois, já imaginava subir a rua sentindo sua ausência como algo com que enfim me habituaria. Afinal, a árvore mais acima, que também fora cortada, já era uma lembrança tão espatifada quanto a da vez.

O ruído do corpo caindo, assim de chofre, foi um baque profundo para quem ouviu e viu tudo assim de cima, e nenhum grito haveria de salvar o que já se perdia no ar. A árvore logo de frente... foi quase uma suicida sem escolha, atirada do alto. A rua parou para assistir ao espetáculo e algumas horas depois ― fato consumado ― ninguém mais se lembraria do tronco nanico e farelento que restou. O vento se encarregou das últimas folhas, que se confundiram com outros restos da cidade.

As histórias de árvores, nem que estejam limitadas a um quarteirão qualquer, se espalham com a mesma resistência ― e insistência ― com que capim brota dos vãos dos paralelepípedos, ou com que alguns hibiscos florescem vendo o mundo por entre grades já sem serventia.

Um dia, uma moradora do prédio veio com uma conversa de que "pinheiro dava infiltração". Implicância ou birra, lá se ia o pinheiro que a cada fim de ano ficava iluminado. Nesta escutaram também "oiti" e quase o novo morador é despejado, concreto betonado no ínfimo quadrado de respiro.

Fora outra condômina que havia trazido a indefesa e plantado, não sem um misto de indiferença e desconfiança por parte do condomínio, no lugar vazio deixado pela árvore sem nome.

Muda com um galho fino e três folhinhas titubeantes, viajara pelo interior de São Paulo no banco do carro com a coragem dos destemidos e a certeza dos bem-aventurados. Diziam que o oiti era bom porque, vegetal bem-comportado, "não caía folha" e "se dava bem em centros urbanos". Ainda assim, já sentia o peso das estatísticas. A cada mil árvores plantadas pela prefeitura, só metade vingavam... Pois sobreviver seria o desafio da diminuta folhagem, alvo do vandalismo de quem puxa uma planta como se fosse papel de impressora, dos sacos de lixo esmagando a vegetação como se fossem peso de papel.

Logo o oiti ganhou uma cerca delimitando sua fraca vida. Diria, de quem suga a vida assim, timidamente, um poeta:

Soneto à estrela

Chuva fina de verão
escorre mansa nas telhas,
suavemente goteja
translúcida semente.

Germina na escuridão
plantinha não planejada,
crescendo a esmo no chão,
por alma alguma velada.

Vegetal pálido inerte,
oscila ao rumor do vento.
Não sabe, mas um dia,

como num passe de mágica
reinventado será
distante estrela guia.


E me ponho a imaginar um mundo ideal das árvores, onde elas poderiam crescer em liberdade. Nada daquela poda higiênica por causa dos fios de alta tensão (aliás, neste mundo todos os fios seriam subterrâneos). Lá o asfalto não as sufoca até o caule, os galhos só secam no inverno rigoroso, enquanto por dentro a seiva é quente, e continua a circular. Há boulevards e quinconces com suas árvores enfileiradas como uma tropa a saudar. Trepadeiras multicoloridas costuram os prédios de pedra seculares. Os homens plantam flores, mesmo sabendo que elas podem, e irão, morrer.

O desenvolvimento deste mundo dependeria exclusivamente das vontades e caprichos da natureza. As piscinas seriam ecológicas e por que não uma multa para quem joga papel na rua ou passa arrancando um pedacinho de planta. Estas não seriam usadas em muros de prédios e casas para dificultarem aos ladrões o acesso, mas pela beleza que só quem viu o cinza e o concreto total sabe que há nos diversos tons de verde.

Volto ao oiti e me dou conta de que muitas vezes ele se torna invisível, parte de uma paisagem diária, concreta. Mais visíveis são as árvores doentes, juntando-se ao coro dos maltrapilhos que vagam pela cidade.

São insistentes essas pequenas árvores que crescem fazendo uma careta, entortadas, e não têm medo de se ferirem com os ônibus que as atropelam em alta velocidade. Ou então as grandes, que de tão belas acabaram conquistando seu espaço e vão espraiando suas raízes como se fossem lombadas, obstáculos naturais. São elas, com seu jogo de sombra e luz, que deixam um bairro mais bonito e agradável.

Então, abro as cortinas para o sol entrar e revejo do 3º andar a copada verdejante do oiti. Oi! Já não posso mais contar quantos galhos e folhas brotaram em cinco anos. Os passarinhos ainda não deram conta do potencial, mas os frutos virão.


Elisa Andrade Buzzo
Bordeaux, 20/11/2008


Quem leu este, também leu esse(s):
01. Armando Freitas Filho, dossiê na Palavra de Jardel Dias Cavalcanti
02. HQs sombrias, anjos e demônios de Carla Ceres
03. A última casa de ópio, de Nick Tosches de Rafael Rodrigues
04. Por onde andam os homens bonitos? de Verônica Mambrini
05. Samba da Vela de Débora Costa e Silva


Mais Elisa Andrade Buzzo
Mais Acessadas de Elisa Andrade Buzzo em 2008
01. Como era gostoso assistir à Sex and the City - 26/6/2008
02. Oiti - 20/11/2008
03. Chicas de Bolsillo e o fetiche editorial - 13/3/2008
04. Da indústria do sabor e do desgosto - 2/10/2008
05. No chão em que você pisa com seu salto agulha - 28/2/2008


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

ENVIAR POR E-MAIL
E-mail:
Observações:
COMENTÁRIO(S) DOS LEITORES
20/11/2008
09h36min
Não há como não associar árvores a pessoas e vice-versa. Assim como essas, aquelas também possuem suas histórias. Lendo teu texto de hoje, Elisa, lembrei-me de um pé de cupuaçu, que houve no quintal de minha casa. A muda, eu a trouxe de uma cidade vizinha, e a plantei logo que nos mudamos para a casa. Ela cresceu, mas, preguiçosa, só nos deu um fruto ao longo dos anos de sua existência. Por causa disso (eu até escrevi uma crônica sobre esse cupuzeiro), minha esposa passou a implicar com ele, e eu acabei mandando-o derrubar (e isso gerou um outro texto). Duro e triste golpe para mim, que amava o meu pé de cupuaçu, fruta tão gostosa, e que - entre tantas outros tipos de "comida", dá um "vinho" maravilhoso. Mas é assim mesmo, assim como as pessoas, as árvores - frutíferas ou não, também têm o seu momento de derrota. Um abraço e parabéns pelo teu texto.
[Leia outros Comentários de Américo Leal Viana]
20/11/2008
18h55min
Com freqüência, vemos acirradas polêmicas entre as pessoas. Uns nem admitem ouvir que o mundo esteja melhorando. Outros, ao contrário, dizem que está melhor a olhos vistos, em comparação aos tempos passados. Nunca se chega a um acordo. Os argumentos de lado a lado são contundentes. Os pessimistas apontam para as guerras infindáveis, as catástrofes climáticas provocadas pela interferência danosa do homem na natureza, o contingente de miseráveis largados à própria sorte em todo o planeta, o advento de novas doenças incuráveis, os crimes hediondos em profusão... Os otimistas afirmam que tudo isto ainda é menos incidente, comparado ao que ocorria há um século, que dirá séculos... Uma moça plantou um oiti no lugar da árvore derrubada.
[Leia outros Comentários de mauro judice]
22/11/2008
10h09min
Dantesco o cenário das ruas de Contagem e Belo Horizonte, conseqüência do último vendaval ocorrido agora, novembro de 2008. Árvores arrancadas de suas raízes, atiradas sobre os passeios, manchando de verde o concreto, com suas folhas balançando ao vento, como se acreditassem que ainda estivessem vivas. E cada árvore que se perde, apaga em torno de si a história de um tempo, como se fora o desmonte de um cenário de uma peça gloriosa, ou da morte involuntária de um ator. Mas fica em nós a esperança de que as que virão em seus lugares encontrarão seres humanos melhores, devotados não somente à ecologia, mas à vida e à história de seu tempo.
[Leia outros Comentários de Antônio P. Andrade]
2/12/2008
19h41min
Querida Elisa, pelos deuses! Dediquei a minha manhã a plantar um belo pinheiro no jardim de casa. Que loucura quanto a essa invenção estapafúrdia em relação ao plantio da referida planta! Elisa, aqui em minha cidade apavora-me a destruição sistemática de toda flora urbana: seja por vandalismo ou até mesmo por conta das autoridades municipais. Em Campinas há um tradicional Instituto Agronômico! Na verdade, CAQUÉTICO, haja vista o apodrecimento de antigas árvores destituídas de qualquer tratamento no que se refere à recuperação das referidas. O quadro atinente ao assunto que o seu importante texto traz a lume exige solução! BASTA DE BARBÁRIE! Quisera que as nossas indignações fossem o suficiente para que autoridades esclarecidas (no interior da mídia, entre prefeitos, governadores, deputados etc.) pusessem um fim a tal calamidade! por meio de campanhas de conscientização!
[Leia outros Comentários de Sílvio Medeiros]
COMENTE ESTE TEXTO
Nome:
E-mail:
Blog/Twitter:
* o Digestivo Cultural se reserva o direito de ignorar Comentários que se utilizem de linguagem chula, difamatória ou ilegal;

** mensagens com tamanho superior a 1000 toques, sem identificação ou postadas por e-mails inválidos serão igualmente descartadas;

*** tampouco serão admitidos os 10 tipos de Comentador de Forum.




Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




TEORIA GERAL DO DIREITO PROCESSUAL PENAL
IONILTON PEREIRA DO VALE
LUMEN JURIS
(2015)
R$ 69,00



VLADSLAV OSTROV, PRÍNCIPE DO JURUENA
MARIA JOSÉ DE QUEIROZ
RECORD
(1999)
R$ 4,00



DAS SERVIDÕES ADMINISTRATIVAS
JOAQUIM DE ALMEIDA BAPTISTA
IGLU
(2002)
R$ 42,75
+ frete grátis



ELOGIO DA MENTIRA
PATRICIA MELO
COMPANHIA DAS LETRAS
(1998)
R$ 15,00



TEÓFILO OTONI - NO TRIBUNAL DA HISTÓRIA
LEÔNIDAS LORENTZ
LUNA
(1981)
R$ 10,59



GESTÃO PARA INOVAR
LUIS ALBERTO PIEMONTE
PORTAL EMPRESA
(2010)
R$ 20,00



MANUAL DE DIREITO COMERCIAL DE EMPRESA - VOL. 2
RICARDO NEGRÃO
SARAIVA
(2011)
R$ 79,90



HISTÓRIAS PARA AQUECER O CORAÇÃO - COLEÇÃO AUTOESTIMA
MARK VICTOR HANSEN; JACK CANFIELD; H MCNAMARA
SEXTANTE
(2008)
R$ 6,00



HEMOFILIA, TERAPÊUTICA DOMICILIÁRIA
PETER JONES
FUNDAÇÃO CALOUSTE GULBENKIAN
(1989)
R$ 11,16



80 ANOS DE POESIA
MARIO QUINTANA
GLOBO
(2008)
R$ 10,00





busca | avançada
38549 visitas/dia
1,3 milhão/mês