Nos, os afogados, de Carsten Jensen | Ricardo de Mattos | Digestivo Cultural

busca | avançada
81512 visitas/dia
2,4 milhões/mês
Mais Recentes
>>> Oficina de Objetos de Cena nas redes do Sesc 24 de Maio
>>> Lançamento: livro “A Cultura nos Livros Didáticos”, de Lara Marin
>>> Exposição coletiva 'Encorpadas - Grandes, largos, políticos: corpos gordos'
>>> Clássicos da Literatura Unesp ganha mais cinco títulos
>>> Bertolt Brecht inspira ÉPICO
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> 2021, o ano da inveja
>>> Pobre rua do Vale Formoso
>>> O que fazer com este corpo?
>>> Jogando com Cortázar
>>> Os defeitos meus
>>> Confissões pandêmicas
>>> Na translucidez à nossa frente
>>> A Velhice
>>> Casa, poemas de Mário Alex Rosa
>>> Doutor Eugênio (1949-2020)
Colunistas
Últimos Posts
>>> Mehmari, Salmaso e Milton Nascimento
>>> Gente feliz não escreve humor?
>>> A profissão de fé de um Livreiro
>>> O ar de uma teimosia
>>> Zuza Homem de Mello no Supertônica
>>> Para Ouvir Sylvia Telles
>>> Van Halen ao vivo em 1991
>>> Metallica tocando Van Halen
>>> Van Halen ao vivo em 2015
>>> Van Halen ao vivo em 1984
Últimos Posts
>>> Tonus cristal
>>> Meu avô
>>> Um instante no tempo
>>> Salvem à Família
>>> Jesus de Nazaré
>>> Um ato de amor para quem fica 2020 X 2021
>>> Os preparativos para a popular Festa de Réveillon
>>> Clownstico de Antonio Ginco no YouTube
>>> A Ceia de Natal de Os Doidivanas
>>> Drag Queen Natasha Sahar interpreta Albertina
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Diálogos de Platão, pela editora da Universidade Federal do Pará
>>> Desligando o Cartoon Network
>>> Simonal e O Pasquim: nem vem que não tem
>>> O Free, de Chris Anderson
>>> Cioran e a arte da provocação
>>> A man in full
>>> Maultaschen no Bier & Mais
>>> Sobre o caso Idelber Avelar
>>> O desconhecido do MSN
>>> Pizzaria São Paulo
Mais Recentes
>>> História Rio Grande do Sul – 4º ou 5º Ano de Felipe Piletti pela Ática (2011)
>>> Gramática do Cinema de Marie France Briselance e Jean Claude Morin pela Texto & Grafia (2011)
>>> A Linguagem do Cinema de Robert Edgar-Hunt , John Marland , Steven Rawle pela Bookman (2013)
>>> Cartas de um Piloto de Caça de Fernando Correa da Rocha - Heloisa Rocha Pires pela Ouro sobre Azul (2012)
>>> Figuras Traçadas na Luz. A Encenação no Cinema de David Bordwell pela Papirus (2009)
>>> Diretor e Ator no Cinema de V. I. Pudovkin pela Iris
>>> Geografia Rio Grande do Sul – 4º ou 5º Ano de Igor Moreira pela Ática (2010)
>>> Sobre Direçao de Cinema de David Mamet pela Civilização Brasileira (2010)
>>> O Cinema e a Encenação de Jacques Aumont pela Texto & Grafia (2008)
>>> Técnicas de Edição para Cinema e Vídeo de Ken Dancyger pela Campus (2003)
>>> Num Piscar de Olhos de Walter Murch pela Zahar (2004)
>>> Produção de Imagem e Som de Jan Roberts Breslin pela Campus (2009)
>>> A Verdade de Cada Um de Amir Labaki (org.) pela Cosac & Naif (2015)
>>> Introdução ao Documentário de Bill Nichols pela Papirus (2007)
>>> Projeto Presente - Língua Portuguesa 4º Ano de Vaz, Elody Nunes Moraes & Rosângela Veliago pela Moderna (2015)
>>> Projeto Presente - História 4º Ano de Ricardo Dreguer & Cássia Marconi pela Moderna (2015)
>>> Projeto Presente - Geografia 4º Ano de Neuza Sanchez Guelli & Cíntia Nigro pela Moderna (2015)
>>> Assassinato sem Memória de Sérgio Bandeira de Mello pela Razão Cultural (2000)
>>> O Fado de Rudi de Jair Lisboa pela Jl (2016)
>>> Recordes do Homem - 101 Recordes de Mônica Sánches Peréz pela Ciranda Cultural (2014)
>>> 11 in Campo - Racconti Di Calcio Brasiliano de Roberta Fregonese e Paola Vallerga Traduzione pela E/o (1998)
>>> Projeto Presente - Matemática 4º Ano de Luiz Márcio Imenes, Marcelo Lellis & Estela Milani pela Moderna (2015)
>>> Alex Rider Contra Stormbreaker de Anthony Horowitz pela Publifolha (2003)
>>> Meia Culpa de Leda Miranda Huhne pela Uapê (1999)
>>> A Queima Roupa de Greg Rucka pela Landscape (2003)
>>> Histórias para Contar, Amigos para Encontrar 1950 - 1979 de Ana Paula Soares pela Aeita (2012)
>>> Anjo da Morte - Horas Em Suspense de James Anderson pela Francisco Alves (1979)
>>> O Último Verão de Copacabana de Sonia Coutinho pela José Olympio (1985)
>>> O Gerente e o Estresse - Faça o Estresse Trabalhar para Você de Karl Albrecht pela Zahar (1988)
>>> Clube de Matemática: Jogos Educativos 1 de Mônica Soltau da Silva pela Papirus (2010)
>>> Gertrudes e Cláudio de John Updike pela Companhia das Letras (2001)
>>> Retrato de um Casamento - Com Ilustrações de Nigel Nicolson pela Nova Fronteira (1973)
>>> Projeto Presente - Ciências Naturais 4º Ano de Lilian Bacich, Célia R. Carone & Edilson A. Pichiliani pela Moderna (2015)
>>> Mulheres Poderosas no Trabalho de Elizabeth Hilts pela Academia (2013)
>>> Contos Brasileiros 2 - para Gostar de Ler 9 de Clarice Lispector e Outros pela Ática (2005)
>>> Fogo-fátuo de Patrícia Melo pela Rocco (2014)
>>> A Matemática Através de Brincadeiras e Jogos de Ivana V. D. Aranão pela Papirus (2004)
>>> Matemágica - Historia, Aplicações e Jogos de Fausto Arnald Sampaio pela Papirus (2005)
>>> Plano de ataque de Ivan Sant pela Objetiva (2021)
>>> A seta do tempo de Martin amis pela Rocco (1991)
>>> Abraçou-o e o Cobriu de Beijos - Lectio divina sobre a parábola do pai misericordioso de Marko Ivan Rupnik pela Paulinas (2005)
>>> Le Guide des Égarés de Moïse Maïmonide pela Rieder (1930)
>>> Primeiros Passos 126 - O Que é Aborto de Danda Prado pela Brasiliense (1991)
>>> Revista arquitetura & construçao--fevereiro de 2005--telhado sem erro. de Abril pela Abril (2005)
>>> Arquitetura & construçao--fevereiro de 2007--65 opçoes de pisos. de Abril pela Abril (2007)
>>> Revista arquitetura & construçao--junho de 2007--luxo & basico de Abril pela Abril (2007)
>>> Revista arquitetura & construçao--outubro de 2006--estrutura de madeira. de Abril pela Abril (2006)
>>> Revista arquitetura & construçao--maio de 2012--reformas 32+20 de Abril pela Abril (2012)
>>> Revista arquitetura & construçao--maio de 2007--morar em apartamento. de Abril pela Abril (2007)
>>> Arquitetura & construçao--junho de 2006--telhas de Abril pela Abril (2006)
COLUNAS

Segunda-feira, 19/10/2015
Nós, os afogados, de Carsten Jensen
Ricardo de Mattos

+ de 2900 Acessos



"O mar é habilidoso desenhador de ausências"(Mia Couto)

Senhoras e senhores, excelente livro!

Apesar de nunca especialmente atraídos por livros nos quais o mar fosse o cenário, diante de Nós, os afogados, do jornalista e escritor dinamarquês Carsten Jensen, sentimos o mesmo impulso notado outras vezes diante de obras desconhecidas. Será o chamado do mar tão intenso a ponto de contaminar um livro e torna-lo irresistível? Podemos comparar o avanço da leitura com a exploração do mar a partir da praia: molha-se o pé, sentindo-se a sensação agradável da água. Logo mergulhamos até a cintura e não dá vontade de sair. Mais um pouco e temos apenas a cabeça fora d'água. Encerrada a leitura, incita-nos a ideia de que testemunhamos a chegada de um clássico, de que podemos compreender melhor a experiência do leitor de outrora ao terminar livros como Crime e castigo, ou Dom Casmurro. "Este fica"!

Jensen foi sábio. Iniciou seu épico com a face histriônica de Laurids Madsen, "que, para começo de conversa, nunca tivera muito respeito por nada". Bem-aventurados os que conta-gotejam humor nos dias atuais. Por arte de Laurids, um falso alarma de guerra é dado e desenvolve-se uma comédia. Tomando parte nos preparativos para a batalha decorrente de seu "serviço", vai para casa armar-se devidamente: "Onde você guarda a frigideira grande?", pergunta à esposa. "Nem chegue perto dela", ela responde. Revelado o engano e afastado o perigo, uma moradora de Marstal questiona: "Fico imaginando quem de vocês fez gente decente sair da cama no meio da noite para ir à guerra".

Neste ponto já estávamos fisgados e cremos que não seremos os únicos. As quase setecentas páginas do romance sucedem-se rápidas. As divisões do texto foram feitas de tal forma que pequenas cenas encadeiam-se, formam um mosaico maior e sempre é possível "ler mais um pouco" antes de dormir ou de trabalhar.

E tal como avançar dentro do mar, a profundidade também aumenta. Laurids Madsen sai de cena. O olhar recai sobre a cidade dinamarquesa de Marstal, seus personagens e a diversidade de suas relações. O mar é a presença constante, que a todos chamará, mas poucos devolverá. Há guerras durante as quais é necessário fazer o frete. Há disputas entre os componentes da tripulação. Há calmaria. Nós, os afogados parece uma tela de Brueghel narrada cena a cena. Por quem narrada? Isto parece evidente desde o título: pelos próprios afogados. Por aqueles cujos esforços trouxeram as riquezas do mundo à pequena Marstal e facultaram-lhe o crescimento. Por aqueles que ficaram e com a própria vida acrescentaram algo ao grande painel. A História compõe-se dos que partiram e dos que ficaram - em todas as conotações -, dos que prejudicaram e dos que favoreceram, dos que amaram e dos que odiaram. Dos que se afogaram ao sair para o mar e dos que se afogaram ao permanecer inertes no turbilhão da vida - quiçá o pior afogamento. Jensen demonstra que estamos inseridos em contextos onde forças conflitantes podem coexistir. E, por vezes, as presenças insuportáveis serão justamente as garantidoras da sobrevivência diante de um mal comum e maior, como no caso do personagem Hermann Fradsen. Jensen lembra que a exclusão de um, ou de alguns, conferirá aos restantes uma incômoda falta. As muitas vozes reais e fictícias justificam a constante mudança da narração, como um Oratório em que se revezam solistas e coro.


Albert Madsen

Viktor Frankl disse que o ser humano é aquele que construiu a câmara de gás, mas também é aquele que entrou nesta mesma câmara recitando o Shemá ou o Pai Nosso. Cada indivíduo traz em si estas duas possibilidades, cabendo-lhe escolher entre construir a câmara de gás ou destruí-la, assumindo toda responsabilidade decorrente da escolha. Na parte mais profunda da obra, Jensen consegue mostrar este trânsito entre luz e sombra. Hermann Fradsen é apresentado como vilão desde seu surgimento. Todavia, não fosse por ele, o navio capitaneado pelo personagem Knud Erick seria vítima de um torpedo. Este último, por mais que se considerasse justificado em sua repulsa, ao menos resigna-se e admite-o na tripulação. Fradsen tem seu passado revelado, mas é aceito pelos demais membros da tripulação do navio de Erick. Há um inimigo maior em relação ao qual unir forças. O menino apelidado "Dente Azul" diverte-se com aquele que aprendeu a conhecer como "Velho Engraçado" e ninguém se preocupa em protege-lo do agente tornado inócuo.

Nós, os afogados trata da orfandade sanguínea e da filiação social ou espiritual, como queira o leitor. A orfandade sanguínea decorre da busca de sustento no mar, seja como pescador seja como marujo de navio mercante ou de guerra. Muitos partem e, após certo tempo sem notícias, seus familiares começam a desconfiar da resposta mais plausível. E as viúvas acabam por terminar de criar filhos que seguirão os passos paternos. Parece natural que entre Albert Madsen - filho de Laurids -, Knud Erick e o menino apelidado "Dente Azul" estabeleça-se este parentesco. Como si este elo artificial, mais intenso que o sanguíneo, viesse completar as questões sobre a origem e o destino de cada um. "Tinha se tornado um desconhecido ... Precisava encontra-lo para poder me despedir", reflete Albert a respeito da busca pelo pai, cujo desfecho o leitor poderá conferir, bem como sobre qual objeto o velho Madsen depositou sua atenção.

Necessário acrescentar o papel marcante a violência no romance de Jensen. Há violência na guerra verdadeira travada por Laurids, que lhe tolheu o ânimo brincalhão. Há violência na escola de Albert, comandada pelo professor Isager: do professor para com os alunos, na reação destes para com o professor e entre eles mesmos. A violência escolar revela-se um preparativo para a violência que a vida adulta os espera. No seu primeiro navio, Albert lembra-se do professor primário. Reconhece na vida a bordo os ensinamentos práticos fornecidos por Isager. Práticos, mas incompletos: "Foram dez meses no inferno. Eu já havia estado lá. Mas encontrar a saída foi algo que o desgraçado do Isager nunca nos ensinou". Há violência nas duas guerras mundiais que couberam no período histórico selecionado por Jensen. A atitude de personagens como Albert Madsen e Knud Erick mostra que, si o sofrimento e a violência fazem parte da existência, conferem-nos o desafio de não permitir que neles converta-se a própria existência.


Ricardo de Mattos
Taubaté, 19/10/2015


Mais Ricardo de Mattos
Mais Acessadas de Ricardo de Mattos em 2015
01. Sobre caramujos e Omolu - 20/4/2015
02. Alcorão - 26/1/2015
03. Espírito e Cura - 20/7/2015
04. Carmela morreu. - 23/11/2015
05. Silêncio - 17/8/2015


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




ELITE DA TROPA
LUIZ EDUARDO SOARES E OUTROS
OBJETIVA
(2006)
R$ 10,00



STAR ISLAND
CARL HIAASEN
SPHERE
(2011)
R$ 10,00



JERICOACOARA SONHADA
ALESSANDRO GAGNOR GALVÃO
ANNABLUME
(1995)
R$ 10,00



A ERA DOS AUTÔMATOS
P. E. CLEATOR
COMPANHIA NACIONAL
(1960)
R$ 10,00



É PROIBIDO CHORAR
J. M. SIMMEL
NOVA FRONTEIRA
R$ 10,00



OS FUNERAIS DA SANTA SÉ
AMÉRICA DELGADO - GUERRA JUNQUEIRO ESPÍRITO
FEB
(1974)
R$ 10,00



VERDES ANOS
LUIZ FERNANDO EMEDIATO
EMW
(1984)
R$ 10,00



SÓ ENTRE NÓS ABELARDO E HELOÍSA
JÚLIO EMÍLIO BRAZ JANAINA VIEIRA
SARAIVA
(2000)
R$ 10,00



GANDHI POR ELE MESMO
MARTIN CLARET
MARTIN CLARET
(2003)
R$ 10,00



O PRÍNCIPE - 3799
NICOLAU MAQUIAVEL
SARAIVA
(2011)
R$ 10,00





busca | avançada
81512 visitas/dia
2,4 milhões/mês