Marcelo Mirisola: entrevista | Jardel Dias Cavalcanti | Digestivo Cultural

busca | avançada
58188 visitas/dia
2,0 milhões/mês
Mais Recentes
>>> Conversas no MAB com Sergio Vidal e Ana Paula Lopes
>>> Escola francesa de Design, Artes e Comunicação Visual inaugura campus em São Paulo
>>> TEATRO & PODCAST_'Acervo e Memória', do Célia Helena, relembra entrevista com Nydia Licia_
>>> Projeto Cultural Samba do Caxinha cria arrecadação virtual para gravação de seu primeiro EP
>>> Designer e arquiteto brasileiro, Giovanni Vannucchi participa da VIIBienal Ibero-americana de Design
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Aos nossos olhos (e aos de Ernesto)
>>> Carol Sanches, poesia na ratoeira do mundo
>>> O fim dos livros físicos?
>>> A sujeira embaixo do tapete
>>> Moro no Morumbi, mas voto em Moema
>>> É breve a rosa alvorada
>>> Alameda de água e lava
>>> Entrevista: o músico-compositor Livio Tragtenberg
>>> Cabelo, cabeleira
>>> A redoma de vidro de Sylvia Plath
Colunistas
Últimos Posts
>>> Gente feliz não escreve humor?
>>> A profissão de fé de um Livreiro
>>> O ar de uma teimosia
>>> Zuza Homem de Mello no Supertônica
>>> Para Ouvir Sylvia Telles
>>> Van Halen ao vivo em 1991
>>> Metallica tocando Van Halen
>>> Van Halen ao vivo em 2015
>>> Van Halen ao vivo em 1984
>>> Chico Buarque em bate-papo com o MPB4
Últimos Posts
>>> O poder da história
>>> Caraminholas
>>> ETC. E TAL
>>> Acalanto para a alma
>>> Desde que o mundo é mundo
>>> O velho suborno
>>> Normal!
>>> Os bons companheiros, 30 anos
>>> Briga de foice no escuro
>>> Alma nua
Blogueiros
Mais Recentes
>>> De Kooning em retrospectiva
>>> O Tigrão vai te ensinar
>>> Aquele apoio
>>> A forca de cascavel — Angústia (Fuvest)
>>> Pouca gente sabe
>>> O chilique do cabeleireiro diante da modelo
>>> Paradiso por Metheny
>>> A nova propaganda anda ruim
>>> A Erva do Diabo, de Carlos Castaneda
>>> Manual para o leitor de transporte público
Mais Recentes
>>> Vigiar e Punir: História da Violência nas Prisões de Michel Foucault pela Vozes (2004)
>>> Revistas Mamulengo n 9 11 12 de Vários pela Mec (1983)
>>> O Livro dos Chakras, da Energia e dos Corpos Sutis de Joan P. Miller pela Pensamento (2015)
>>> Casados e Felizes: Não permita que seu casamento vire uma mala sem alça de Hernandes Dias Lopes pela Hagnos (2008)
>>> Manual do Materpensene: A Síntese da Consciência de Guilherme Kunz pela Editares (2016)
>>> Manual da Conscin-Cobaia de João Paulo Costa; Dayane Rossa pela Editares (2014)
>>> Extraordinário de R J Palacio pela Intrinseca (2013)
>>> La Vie D'Anne Frank de Janny Van der Molen pela Bayard Jeunesse (2015)
>>> Coleção 5 Gibis - Turma da Mônica de Mauricio de Souza pela Panini Comics (1500)
>>> Coleção 5 Gibis - Turma da Mônica de Mauricio de Souza pela Panini Comics (1500)
>>> Coleção 5 Gibis - Turma da Mônica de Mauricio de Souza pela Panini Comics (1500)
>>> Coleção 5 Gibis - Turma da Mônica de Mauricio de Souza pela Panini Comics (1500)
>>> Coleção 5 Gibis - Turma da Mônica de Mauricio de Souza pela Panini Comics (1500)
>>> Coleção 5 Gibis - Turma da Mônica de Mauricio de Souza pela Panini Comics (1500)
>>> Coleção 5 Gibis - Turma da Mônica de Mauricio de Souza pela Panini Comics (1500)
>>> A tragédia de um povo: a Revolução Russa (1891 - 1924) de Orlando Figes pela Dom Quixote (2017)
>>> Contabilidade Geral e Avançada Esquematizadotizado de Eugenio Mototo pela Saraiva Jur (2018)
>>> Floriano Peixoto - Vida e Governo de Francolino Camêu e Arthur Vieira Peixoto pela A Noite (1925)
>>> Annaes das Guerras do Brazil com os Estados do Prata e Paraguay de Coronel J. S. Torres Homem pela Imprensa Nacional (1911)
>>> "E o sangue brasileiro correrá..." de Elvaldo de Alarcon pela Du Barry (1942)
>>> O punhal nazista no coração do Brasil de Capitão Antônio Carlos Mourão Ratton (e outros) pela Imprensa Oficial do Estado de Santa Catarina (1943)
>>> História da II Guerra Mundial 1939-1945 (6 volumes) de Edgar Mc Innis pela Globo (1958)
>>> A Canção de Ariel de Martins Fontes pela Comissão glorificadora de Martins Fontes (1938)
>>> Passagens: Estudos sobre a filosofia de Kant de Ricardo Terra pela Ufrj (2003)
>>> Vathek de William Beckford pela L&PM Pocket (2007)
>>> Natureza e ilustração: Sobre o materialismo de Diderot de Maria das Graças de Souza pela Unesp (2002)
>>> Hume et la fin de la philosophie de Yves Michaud pela Quadrige / PUF (1999)
>>> Hume: Une Philosophie Des Contradictions de Jean-Pierre Cléro pela Vrin (1998)
>>> Hume's Philosophy of Religion de J. C. A Gaskin pela MacMillan (1988)
>>> Machado de Assis: equívocos da crítica de Alfredo Jacques pela Iel (1974)
>>> Diálogos com Leuco de Cesare Pavese pela Cosac & Naify (2012)
>>> Subjetividade, Espaço E Tempo Em David Hume de Monica Loyola Stival pela Humanitas / FAPESP (2015)
>>> Biologia 1(ensino médio) biologia das células de Amabis Martho pela Moderna plus (2010)
>>> História conexões de Alexandre Alves, Letícia Fagundes pela Moderna plus (2013)
>>> Geografia conexões de Lygia Terra, Regina Araújo e Raul Borges pela Moderna plus (2012)
>>> Atividade em Feltro Foguete dos Cálculos de Claudia Maria Bertuqui Ribeiro pela Feltro (2020)
>>> Contribuição para a História da Revolução Constitucionalista de 1932 de Euclydes Figueiredo pela Livraria Martins (1954)
>>> Por São Paulo e pelo Brasil de João Neves pela Sem (1933)
>>> A Revolução Constitucionalista de Herculano C. e Silva pela Civilização Brasileira (1932)
>>> Química 1 (ensino médio) de Tito Canto pela Moderna plus (2010)
>>> Prefiero Espanol (ensino médio) 1 de Gretel Eres Fernandez pela Moderna (2010)
>>> A Columna Romão Gomes de Herbert V. Levy pela Saraiva & Cia (1933)
>>> Literatura (ensino médio) 1 de Maria Luiza M. Abaurre e Marcela Pontara pela Moderna plus (2010)
>>> Um Desconhecido de Danielle Steel pela Record (1999)
>>> Capacete de Aço de Affonso de Carvalho pela Civilização Brasileira (1933)
>>> Palmo a Palmo (a Lucta no Sector Sul) de Cap. Alves Bastos pela Sociedade Impressora Paulista (1932)
>>> Preces Atendidas de Danielle Steel pela Record (2009)
>>> Matemática (ensino médio) 1 de Manoel Paiva pela Moderna plus (2013)
>>> Agora Nós! de Paulo Duarte pela Sem (1927)
>>> Um Mundo que Mudou de Danielle Steel pela Record (1996)
COLUNAS

Terça-feira, 22/9/2015
Marcelo Mirisola: entrevista
Jardel Dias Cavalcanti

+ de 4200 Acessos


Apresentação:

Marcelo Mirisola é um dos mais criativos escritores literários brasileiros da atualidade. Suas obras têm uma acidez e uma violência únicas (talvez só possa ser comparado a "Pornopopéia", de Reinaldo Moraes). Sem pudor, desfaz qualquer lugar comum que possa nos dar a sensação de terra firme. Tira nosso tapete fazendo-nos conviver com personagens mergulhados numa existência dura, carente, erótica, crítica, atrapalhada e que destilam, sem o mínimo pudor, o mais amargo veneno contra nossas ilusões baratas. Sua escrita funciona como uma "navalha de presidiário", corte certeiro e inesperado.

É autor do genial "Azul do filho morto", como de "Hosana na sarjeta", "Bangalô", "O herói devolvido", "Joana a contragosto", "Memórias da sauna filandesa", dentre outras obras excepcionais. Tem sido publicado pela Editora 34 há alguns anos.

Na entrevista abaixo, exclusiva para o digestivocultural, um pouco do corte da navalha do escritor.

1- Você é um escritor profícuo, com uma produção, talvez, inigualável na literatura contemporânea. Como tem sido a avaliação crítica de sua obra?

MARCELO MIRISOLA: aquém, muito aquém do que minha obra, que nada tem a ver com minhas entrevistas, merece.

2- A sua obra tem algo de memorialista, mas como você diz em "Bangalô", suas memórias não são guiadas pelas madeleines proustianas, mas por algo mais "baixo", o "Almoço com as Estrelas e suas respectivas maioneses". Você quer transformar a lama em ouro (literatura), ou quer transformar o ouro (a literatura) em lama ao escrever?

MARCELO MIRISOLA: Nem uma coisa, nem outra. Se Proust tivesse nascido na segunda metade do século XX escreveria sobre mandiopans, televisão e programas de auditório. Cada época tem a alquimia e os alquimistas que merece. Lama e ouro, portanto, não são questões materiais, mas resoluções de tempo/espaço.

3- O crítico Alcir Pécora o coloca na posição de um escritor crítico do modus vivendi da classe média emergente e sua pseudo-sofisticação entupida de sushi. Não seria essa uma leitura limitada diante do fato de que sua literatura é também uma "forma" de escrever? Ou você só quer mesmo é descer o pau nessa palhaçada toda?

MARCELO MIRISOLA: Não era essa a opinião dele quando resenhou o "Herói Devolvido" para um jornal de Campinas no começo dos anos zero-zero. Na ocasião não economizou elogios e falou em algo parecido com oxigênio, novo ar para a literatura brasileira respirar ou qualquer metáfora do tipo que, confesso, me deixou bem constrangido. Lembro também que ele tentou esboçar um perfil psicológico para meu narrador, e não satisfeito tentou aproximá-lo de Hilda Hilst, mas não conseguiu - o que me constrangeu ainda mais.

Na falta de lastro, repare, o crítico necessariamente parte para cotejar a obra do autor desconhecido com a obra do autor consolidado. Acho um recurso primário, tosco, mas isso não vem ao caso.

Hoje, reduzindo minha obra a esses termos que você mencionou acima, ele mesmo se desautoriza. Ou seja, com a mesma precariedade que exalta, esculhamba. Portanto, além de ser um crítico limitado, é volúvel. Duas falhas capitais para alguém que pretende ser "juiz de matéria perene", digamos assim.


4- Você escreve contos, romances e crônicas (como as publicadas em "O Cristo Empalado"). Algum destes gêneros o define melhor como escritor ou como o lugar ideal para você exercer sua paixão pela literatura? Qual a diferença ao escrever nestes três ambientes?

MARCELO MIRISOLA: Eu jamais escreveria crônicas por paixão. Nada mais nada menos do que necessidade. Ganhar o pão de cada dia. Com relação aos contos e romances, bem, aí é falta de habilidade para fazer qualquer outra coisa na vida, às vezes chego a pensar que isso que você chama de "paixão" é uma falha de caráter.

5- O termo "estilete de presidiário", que eu aproprio de Aldir Blanc (que, aliás, te chamou de "Montaigne do século XXI"), seria ideal para definir sua impiedosa literatura?

MARCELO MIRISOLA: Se o Aldir falou, tá falado.

6- Em uma de suas crônicas pode-se sentir seu pessimismo em relação ao Brasil: "propor soluções é dizer - é tarde demais. Não deu certo antes e agora - lamento dizer - é tarde demais." Que país é esse em que você vive?

MARCELO MIRISOLA: Eu não queria ser tão pessimista, juro que não. Mas o Brasil que eu vejo nos meus livros, não me convence.

7- "Cintilo mais brilhantemente em momentos de vingança. Não a afasto, mas melhoro-a." Esta frase de Gracián é a epígrafe de seu livro "O homem da quitinete de marfim". Você é um crítico de certa literatura "oficializada e premiada" no Brasil. Existe um grupo de escritores que te convence? Quais seriam? E há os de quem você se vinga, classificando-os como "marquetajem tosca", quais seriam e por que?

MARCELO MIRISOLA: Contando aqui nos dedos, conheço três autores que conciliam ótima literatura e vergonha na cara - são raros e evidentemente não vou citá-los porque eles estão muito acima dos elogios e prescindem disso. Depois tem a grande maioria de mortos, e uma meia dúzia de autores vivos que eu gosto pela literatura e não faço questão alguma de saber se são anjos ou demônios. Já os que eu não gosto, depreende-se que não me convencem porque são lixo e produzem lixo, simples assim.


8- Você está prestes a lançar um novo romance pela Editora 34. Pode nos adiantar algum comentário sobre ele?

MARCELO MIRISOLA: "A Vida não Tem Cura". Uma novela, deve sair no primeiro semestre de 2016. Uma porrada.

9- Quem tem medo de Marcelo Mirisola?

MARCELO MIRISOLA: Quem eu não faço a mínima questão de conhecer, quem não me conhece.


Jardel Dias Cavalcanti
Londrina, 22/9/2015


Quem leu este, também leu esse(s):
01. É breve a rosa alvorada de Elisa Andrade Buzzo
02. Sobreviver à quarentena de Luís Fernando Amâncio
03. Como medir a pretensão de um livro de Ana Elisa Ribeiro
04. Minha biblioteca de sobrevivência de Julio Daio Borges
05. Sobre mais duas novelas de Lúcio Cardoso de Cassionei Niches Petry


Mais Jardel Dias Cavalcanti
Mais Acessadas de Jardel Dias Cavalcanti em 2015
01. Daumier, um caricaturista contra o poder - 24/2/2015
02. Livro das Semelhanças, de Ana Martins Marques - 24/11/2015
03. Fake-Fuck-Fotos do Face - 18/8/2015
04. Eu matei Marina Abramovic (Conto) - 17/3/2015
05. Gerald Thomas: cidadão do mundo (parte I) - 2/6/2015


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




O PATINHO FEIO VAI TRABALHAR - A SABEDORIA DOS CLÁSSICOS DE H. C.
METTE NORGAARD
DVS
(2007)
R$ 14,00



HANNIBAL
THOMAS HARRIS
RECORD
(1999)
R$ 23,00



SOCORRO! MINHA FAMÍLIA É DE ENLOUQUECER
KATHRYN LAMB
ARX JOVEM
(2005)
R$ 8,68



OFFICIUM ET CANTUS IN PROCESSIONE DOM PALMARUM IN TRIDUO
ANÔNIMO
NÃO DEFINIDA
(1830)
R$ 500,00



DIREITO DAS SUCESSÕES
REGINA GHIARONI (COORDENADORA GERAL)
FREITAS BASTOS
(2004)
R$ 14,28



OS FILHOS DA LUA
THEODORA LAU
PENSAMENTO
(2005)
R$ 11,99



DREAMANTINA
IVO PEREIRA
PRODUÇÃO INDEPENDENTE
(2014)
R$ 24,02



DARTANA
ANDRÉ VIANCO
ROCCO
(2016)
R$ 32,00



POEMAS E BUMBA-MEU-POETA
MURILO MENDES
NOVA FRONTEIRA
(1988)
R$ 8,90



ALVES & CIA
EÇA DE QUEIRÓS
LELLO & IRMÃO
(1952)
R$ 6,90





busca | avançada
58188 visitas/dia
2,0 milhões/mês