Sabino e Nelson, muito obrigado | Rafael Rodrigues | Digestivo Cultural

busca | avançada
46024 visitas/dia
1,1 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Banda GELPI, vencedora do concurso EDP LIVE BANDS BRASIL, lança seu primeiro álbum com a Sony
>>> Celso Sabadin e Francisco Ucha lançam livro sobre a vida de Moracy do Val amanhã na Livraria da Vila
>>> No Dia dos Pais, boa comida, lugar bacana e MPB requintada são as opções para acertar no presente
>>> Livro destaca a utilização da robótica nas salas de aula
>>> São Paulo recebe o lançamento do livro Bluebell
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> O reinado estético: Luís XV e Madame de Pompadour
>>> 7 de Setembro
>>> Outros cantos, de Maria Valéria Rezende
>>> Notas confessionais de um angustiado (VII)
>>> Eu não entendo nada de alta gastronomia - Parte 1
>>> Treliças bem trançadas
>>> Meu Telefunken
>>> Dor e Glória, de Pedro Almodóvar
>>> Leminski, estações da poesia, por R. G. Lopes
>>> Crônica em sustenido
Colunistas
Últimos Posts
>>> Banco Inter É uma BOLHA???
>>> Não Aguento Mais a Empiricus
>>> Nubank na Hotmart
>>> O recente choque do petróleo
>>> Armínio comenta Paulo Guedes
>>> Jesus não era cristão
>>> Analisando o Amazon Prime
>>> Amazon Prime no Brasil
>>> Censura na Bienal do Rio 2019
>>> Tocalivros
Últimos Posts
>>> O céu sem o azul
>>> Ofendículos
>>> Grito primal V
>>> Grito primal IV
>>> Inequações de um travesseiro
>>> Caroço
>>> Serial Killer
>>> O jardim e as flores
>>> Agradecer antes, para pedir depois
>>> Esse é o meu vovô
Blogueiros
Mais Recentes
>>> A deliciosa estética gay de Pierre et Gilles
>>> A deliciosa estética gay de Pierre et Gilles
>>> São Francisco Xavier II
>>> Rugas e rusgas
>>> Orra, Meu
>>> Uma outra moda
>>> Ler ao acaso
>>> Um ano de reflexões na Big Apple
>>> Steve Jobs apresentando o iPad
>>> De quantos modos um menino queima?
Mais Recentes
>>> Um Amigo da Família de Lisa Jewell pela Record/ RJ. (2006)
>>> Antes Que Eu Queime de Gaute Heivol pela L&pm, Porto Alegre (2013)
>>> Estava Escrito - O que Realmente Sabmos sobre os Nossos Filhos? de Gunnar Staalesen pela Vertigo (2013)
>>> Queimado de Thomas Enger pela Amarilys (2015)
>>> Como Treinar um Grupo de Trabalho Eficiente (com 59 Psico- Jogos, de E de Rainer E. Kirsten / Joachim Müller-schwarz pela Ediouro (1980)
>>> À Margem da Poética Trovadoresca de Celso Ferreira da Cunha/ Autografado pela Dep. Imprensa Nacional/ Rj. (1950)
>>> A Formação Histórica da Língua Portuguesa de Francisco Silveira Bueno pela Livr. Acadêmica (1958)
>>> A Formação Histórica da Língua Portuguesa de Francisco Silveira Bueno pela Livr. Acadêmica (1955)
>>> Constituição do Estado de Minas Gerais: Estatuto dos Servidores Públic de José do Carmo Veiga de Oliveira: Organizad pela Del Rey/ Belo Horizonte (2003)
>>> Compêndio das Etapas do Processo Eleitoral: ... de J. Nepomuceno Silva: Organizador pela Del Rey/ Belo Horizonte (2010)
>>> (Re) Pensando a Pesquisa Jurídica de Miracy Barbosa de Souza Gustin (...) pela Del Rey/ Belo Horizonte (2006)
>>> A C Repórter - Tempo de Arraes e Vietnã do Norte de Antonio Callado pela Agir (2005)
>>> Mahoma, Profeta y Hombre de Estado de W.M.Watt pela Labor (1967)
>>> Em Risco de Stella Rimington pela Record/ RJ. (2010)
>>> O Círculo dos Eleitos de Vialdi Moreira/ Autogrfado pela Imprensa Oficial/ Belo Hte. (1987)
>>> A Amante de Brecht de Jacques- Pierre Amette pela Record/ RJ. (2005)
>>> Coleção para gostar de ler de Varios pela Atica (1985)
>>> Grande Enciclopédia de Modelismo - Cor e Pintura de Walquir Baptista de Moura - Produção pela Século Futuro
>>> Meu pequeno fim de Fabrício Marques pela Segrac (2002)
>>> Grande Enciclopédia de Modelismo - Materiais e Ferramentas de Walquir Baptista de Moura - Produção pela Século Futuro
>>> Livro Dicionário Enciclopédico Veja Larousse - Volume 1 de Eurípedes Alcântara , Diretor Editorial pela Abril (2006)
>>> O diário de Larissa de Larissa Manoela pela Harper Collins (2016)
>>> Corpo de delito de Patricia Cornwell pela Paralela (2000)
>>> O fio do bisturi de Tess Gerritsen pela Harper Collins (2016)
>>> A garota dinamarquesa de Davdid Ebershoff pela Fabrica 231 (2000)
>>> Uma auto biografia de Rita Lee pela Globo livros (2016)
>>> Songbook Caetano Veloso Volume 2 de Almir Chediak pela Lumiar
>>> A Sentinela de Lya Luft pela Record (2005)
>>> O teorema Katherine de John Green pela Intriseca (2013)
>>> Louco por viver de Roberto Shiyashiki pela Gente (2015)
>>> A ilha dos dissidentes de Barbara Morais pela Gutemberg (2013)
>>> Sentido e intertextualidade de Emanuel Cardoso Silva pela Unimarco (1997)
>>> Mistérios do Coração de Roberto Shinyashiki pela Gente (1990)
>>> Interrelacionamento das Ciências da Linguagem de Monica Rector Toledo Silva pela Edições Gernasa (1974)
>>> Sociologia e Desenvolvimento de Costa Pinto pela Civilização Brasileira (1963)
>>> O Coronel Chabert e Um Caso Tenebroso de Honoré de Balzac pela Otto Pierre Editores (1978)
>>> O golpe de 68 no Peru: Do caudilhismo ao nacionalismo? de Major Victor Villanueva pela Civilização Brasileira (1969)
>>> Recordações da casa dos mortos de Fiodor Dostoiévski pela Nova Alexandria (2006)
>>> Elric de Melniboné: a traição ao imperador de Michael Moorcock pela Generale (2015)
>>> O Príncipe de Nicolau Maquiavel pela Vozes de Bolso (2018)
>>> Deuses Americanos de Neil Gaiman pela Conrad (2002)
>>> Deus é inocente – a imprensa, não de Carlos Dorneles pela Globo (2003)
>>> Memórias do subsolo de Fiodor Dostoiévski pela 34 (2000)
>>> Songbook - Tom Jobim, Volume 3 de Almir Chediak pela Lumiar (1990)
>>> Comunicação e contra-hegemonia de Eduardo Granja Coutinho (org.) pela EdUFRJ (2008)
>>> Caetano Veloso Songbook V. 1 de Almir Chediak pela Lumiar
>>> Origami a Milenar Arte das Dobraduras de Carlos Genova pela Escrituras (2004)
>>> O vampiro Lestat de Anne Rice pela Rocco (1999)
>>> Nova enciclopédia ilustrada Folha volume 2 de Folha de São Paulo pela Publifolha (1996)
>>> Esperança para a família de Willie e Elaine Oliver pela Cpb (2018)
COLUNAS

Terça-feira, 9/9/2008
Sabino e Nelson, muito obrigado
Rafael Rodrigues

+ de 2900 Acessos

1 Há alguns anos eu costumava dizer que havia nascido na época errada. Embriagado por autores e livros das décadas de 1940, 1950 e 1960, me entristecia viver de nostalgias. Pensava que poderia ter conhecido Fernando Sabino, Otto Lara Resende, Nelson Rodrigues, Vinicius de Moraes, Jayme Ovalle, Murilo Rubião, entre outros. Tinha a ilusão de que certamente teria convivido com eles. Para tanto, além de ter nascido 60 anos antes, precisaria nascer em Minas Gerais ou no Rio de Janeiro. Com o tempo, esses pensamentos foram se perdendo em minha mente. Graças a Deus, não penso mais assim.

2 Um amigo quase 20 anos mais velho que eu me chama de velho. E de conservador. E eu só tenho 25. Mas não nego: sou mesmo um conservador, um romântico. E velho, muito velho, de espírito. Mas só às vezes. Pessoalmente, no dia-a-dia, sou um menino, um palhaço, um brincalhão. Até demais, confesso. O fato é que o menino é quem dá vitalidade ao velho. E o velho dá ao menino o bom senso de saber quando brincar.

3 Hoje, agradeço por ter nascido no início da década de 1980. As coisas, creio eu, quando têm de acontecer, acontecem no tempo certo. Talvez, se tivesse nascido antes ou depois, não viveria o que vivi ― e o que ainda vou viver. Não conheci pessoalmente Sabino, Otto, Vinicius, Nelson, Rubião ou Ovalle, mas poder ser influenciado por todos eles ― principalmente Sabino e Nelson ― e por outros tantos já é algo a se comemorar.

4 Ao falar sobre os jovens de hoje, o faço mantendo o distanciamento necessário para que eles me vejam como um senhor rabugento de 50 anos. Mas, me digam, por favor, se não tenho razão. A juventude de hoje está perdida. Não se fazem mais jovens como antigamente. Os jovens de antes, os que nasceram até 1985, tinham uma vontade, um sonho de mudar o mundo, de fazer algo importante, ou de pelo menos não serem idiotas. Mas os jovens de hoje, o que são? Salvo raras exceções, são todos idiotas.

5 Tomei consciência de mim mesmo muito tarde. E não é uma sensação muito boa saber quanto tempo foi perdido com transgressões juvenis sem nenhum propósito. Dos 17 aos 19 anos pensei no que faria de minha vida dali por diante. Ser historiador? Jornalista? Político? Sim, pensei na política. Foi no que pensei primeiro, aliás. Todo jovem é ingênuo, e eu já fui, um dia. Ainda sou, um pouco. Mas enfim. Quis ser político. Resolver os problemas da minha cidade, do meu estado, do meu país. Se não me engano, foi Rimbaud quem disse que não se é sério aos dezessete anos. Querer, aos 17 anos, ser político, é uma piada. Aliás, querer ser político é sempre uma piada, em qualquer idade.

6 Depois dos 19 me dei conta de que, se conseguisse recuperar o tempo perdido e se me dedicasse com afinco, poderia ser escritor. Um belo começo era estar cursando Letras. É certo que engenheiros, médicos e até atrizes podem ser escritores, nos nossos dias. Mas eu não queria ser um escritor qualquer. Lembro que, na época, eu pensava em ser O escritor. E não me preocupava o que dissessem ou a péssima qualidade do que eu escrevia. Sou do tipo que persiste, aconteça o que acontecer. Um cabeça-dura, para ser mais claro.

7 Mas escritores não são escritores apenas porque querem. Eles o são por motivos outros, e às vezes até por motivo algum, quase que "sem querer". Tanto que há uma multidão de pessoas publicando livros e mais livros. São pessoas que vivem de escrever, que têm uma obra considerável (cinco, seis títulos publicados, até romances!), mas não são verdadeiros escritores. São pessoas que escrevem, apenas. E há uma grande diferença entre ser escritor e publicar um livro. Não entrarei em detalhes, até porque o assunto deste texto não é esse.

8 Parágrafos antes citei Fernando Sabino e Nelson Rodrigues. Comecei a ler Fernando por um livro que, pelo título, pode parecer auto-ajuda: A volta por cima, de crônicas. Li em uma tarde. Lembro claramente em qual estante da biblioteca da universidade ele estava, de como e quando o li (depois do almoço, sentado na cama, encostado na parede; eu ainda não trabalhava, na época). No dia seguinte o devolvi, e toda semana pegava emprestado um livro do Fernando. Em alguns meses, li quase todos os seus livros. Um deles, o romance O encontro marcado, me deixou estupefato e me marcou de uma maneira que somente mais três livros me marcariam: Ensaio sobre a cegueira, de José Saramago; Ratos e Homens, de John Steinbeck; e Crime e Castigo, de Dostoiévski. Todos são livros que merecem ser relidos, mas somente o de Sabino eu releio rigorosamente a cada dois anos.

9 Eduardo Marciano é o protagonista. Sua vida se confunde com a de Fernando Sabino. E a minha se confunde com a de Eduardo. Logo, com a de Sabino. Tenho o que chamo de "Mal de Eduardo Marciano". A pressa de viver, a vontade de abraçar o mundo, os fatos que acontecem todos ao mesmo tempo, quase não deixando brecha para respirar. Vida que passa e quase não vejo. O tempo que não pára, a obrigação de fazer tudo dar certo. Não somente eu sofro desse mal. Mas talvez poucos o levem tão a sério e o sintam tão verdadeiramente.

10 Nelson Rodrigues eu conheci bem mais tarde. Pensava que ele era um louco, uma espécie Sófocles hard-core. Ou seja: além de ter uma relação carnal com a mãe e matar o pai, o protagonista de um possível Édipo de Nelson narraria tudo em primeira pessoa, com todos os detalhes e, ao contrário do personagem da obra de Sófocles, ele não teria um final trágico, muito pelo contrário: seu final seria feliz, ao lado da mãe, fingindo não saber ser filho dela. Puritano e ingênuo, eu tinha horror aos textos de Nelson só de ouvir falar. Jamais o leria, pensava. Mas conheci Bukowski, e ler Bukowski amacia qualquer um. Sangue, suor e sexo já não era mais problema, e um belo dia Mayrant Gallo ― escritor e meu eterno professor de Teoria da Literatura ― resolveu ler em sala de aula uma das peças de Nelson. Era o fim de uma má impressão que eu carregava há tempos.

11 Anos depois, numa fase reacionária e já fugindo da linha "quero ser escritor", passando para uma linha "quero ser não sei o quê, mas o vou ser no campo da literatura", comecei a ler o Nelson cronista. Primeiro, alguns textos do jovem gênio. Depois, textos do gênio em sua fase madura. E, nossa, como é bom ler Nelson. Ele é a verdadeira Voz do Brasil. Seus textos, apesar de sempre invocarem personagens e situações de sua época, não se perdem no tempo. E agora me veio a dúvida: mérito dele, por ser um visionário, ou demérito do Brasil, por se manter na mais extrema inércia, uma eterna república de idiotas?

12 Mas deixemos a revolta de lado. Eu falava de Fernando Sabino e Nelson Rodrigues. Parece coisa de fanático religioso, mas o primeiro me deu um caminho a seguir. É como se O encontro marcado tivesse sido uma Revelação, para mim. O segundo me deu a consciência de que não se deve temer nada nem ninguém. Se há verdades para dizer, que sejam ditas. Doa a quem doer. E ambos dizem que, por mais atormentada que seja a vida ― em Sabino, o existencialismo, os conflitos internos; em Nelson, as tragédias nuas e cruas, os absurdos reais e ululantes ―, ela deve ser vivida. Da melhor maneira possível, aconteça o que acontecer.


Rafael Rodrigues
Feira de Santana, 9/9/2008


Mais Rafael Rodrigues
Mais Acessadas de Rafael Rodrigues em 2008
01. Caio Fernando Abreu, um perfil - 28/10/2008
02. Meus melhores filmes de 2008 - 30/12/2008
03. As horas podres, de Jerônimo Teixeira - 21/3/2008
04. Jovens blogueiros, envelheçam - 18/4/2008
05. A literatura e seus efeitos - 29/2/2008


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




A IMPRENSA NA HISTÓRIA DO BRASIL & FOTOJORNALISMO NO SÉCULO XX
OSWALDO MUNTEAL & LARISSA GRANDI
DESIDERATA/PUC
(2005)
R$ 70,00



UM ROSTO DE MENINA
JOSUÉ MONTELLO
DIFEL
(1983)
R$ 10,00



A LIÇÃO FINAL
RANDY PAUSCH
AGIR
(2012)
R$ 9,92



CURSO DE DIREITO PROCESSUAL CIVIL - VOL. 3
HUMBERTO THEODORO JÚNIOR
FORENSE
(1998)
R$ 39,90



ZABIBA E O REI, 5ª EDIÇÃO
SADDAM HUSSEIN
PUBLICAÇÕES EUROPA - AMÉRICA
(2003)
R$ 65,70



CESPE UNB: 3.000 QUESTÕES COMENTADAS - COLEÇÃO PASSE JÁ
GIANCARLA BOMBONATO
ALFACON
(2015)
R$ 168,30



AS MALUQUICES DO IMPERADOR
PAULO SETÚBAL
SARAIVA
(1971)
R$ 10,00



TERÇO DO MILÊNIO - ORAÇÕES PARA MELHORAR O MUNDO
PAULINO BRANCATO JÚNIOR
NÃO CONSTA
R$ 5,00



ODDISSÉIA
HOMERO
ABRIL
(1981)
R$ 25,00
+ frete grátis



COMPREENSÃO DO CURRÍCULO NA EDUCAÇÃO PROFISSIONAL
LENIR ANTONIO HANNECKER
NOVAS EDIÇÕES ACADÊMICAS
R$ 363,00





busca | avançada
46024 visitas/dia
1,1 milhão/mês