Restos, por Mário Araújo | Ricardo de Mattos | Digestivo Cultural

busca | avançada
83024 visitas/dia
2,4 milhões/mês
Mais Recentes
>>> Nó na Garganta narra histórias das rodas de choro brasileiras
>>> TODAS AS CRIANÇAS NA RODA: CONVERSAS SOBRE O BRINCAR
>>> Receitas com carne suína para o Dia dos Pais
>>> Selo Anonimato Records chega ao mercado fonográfico em agosto
>>> Última semana! Peça “O Cão de Kafka” fica em cartaz até 1º de agosto
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Ao pai do meu amigo
>>> Paulo Mendes da Rocha (1929-2021)
>>> 20 contos sobre a pandemia de 2020
>>> Das construções todas do sentir
>>> Entrevista com o impostor Enrique Vila-Matas
>>> As alucinações do milênio: 30 e poucos anos e...
>>> Cosmogonia de uma pintura: Claudio Garcia
>>> Silêncio e grito
>>> Você é rico?
>>> Lisboa obscura
Colunistas
Últimos Posts
>>> Deep Purple em Nova York (1973)
>>> Blue Origin's First Human Flight
>>> As últimas do impeachment
>>> Uma Prévia de Get Back
>>> A São Paulo do 'Não Pode'
>>> Humberto Werneck por Pedro Herz
>>> Raquel Cozer por Pedro Herz
>>> Cidade Matarazzo por Raul Juste Lores
>>> Luiz Bonfa no Legião Estrangeira
>>> Sergio Abranches sobre Bolsonaro e a CPI
Últimos Posts
>>> Renda Extra - Invenção de Vigaristas ou Resultado
>>> Triste, cruel e real
>>> Urgências
>>> Ao meu neto 1 ano: Samuel "Seu Nome é Deus"
>>> Rogai por nós
>>> Na cacimba do riacho
>>> Quando vem a chuva
>>> O tempo e o vento
>>> “Conselheiro do Sertão” no fim de semana
>>> 1000 Vezes MasterChef e Nenhuma Mestres do Sabor
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Nem cobra, nem aranha: peçonhenta é a burocracia
>>> Amores & Arte de Amar, de Ovídio
>>> Ao pai do meu amigo
>>> Delírio eleitoral gratuito
>>> Minha história com Guimarães Rosa
>>> Abismos literários
>>> 18 de Agosto #digestivo10anos
>>> Amor platônico
>>> 80 (Melhores) Blogs na Época
>>> Nordeste Oriental
Mais Recentes
>>> Autografado - Somos os Mortos (novela) 2ª Edição de Dirceu Quintanilha pela Fontana (1980)
>>> Fundamentación Egológica de La Teoria General del Derecho de Antonio Luiz Machado Neto pela Universitária Buenos Aires (1974)
>>> Sentença e Coisa Julgada: Exegese do Código de P C Arts 444 - 445 de Egas Moniz de Aragão pela Aide (1992)
>>> O Desenvolvimento da Criança e do Adolescente Segundo Piaget de Anália Rodrigues de Faria pela Ática (1989)
>>> Repensando a Leitura na Escola: um Outro Mosaico de Maurício da Silva pela Eduff (1995)
>>> O Livro do Seminário: Ensaios - Bienal Nestlé de Literatura Brasileira de Santanna; Nunes; Lucas; César; Barbosa; Merquior pela L R Editores (1983)
>>> Os Universos da Crítica: Paradigmas nos Estudos Literários de Eduardo Prado Coelho pela Edições 70 (1987)
>>> A Correspondência de Fradique Mendes (de Acordo Com a Primeira Edição) de Eça de Queiroz pela Livros do Brasil
>>> O Pêndulo de Foucault 6ª Edição (volume Único) de Umberto Eco pela Record (1995)
>>> Tempos da Literatura Brasileira - Série Princípios 3ª Edição de Benjamin Abdala Junior; Samira Youssef Campedelli pela Ática (1990)
>>> You are a Bad Ass (manchas de Umidade) de Jen Sincero pela Running Press (2013)
>>> I Encontro de Professores de Literaturas Africanas de Língua Portugues de Pós-graduação Em Letras da Uff (anais) pela Uff (1991)
>>> Poesia Erótica e Satírica: a Orgia dos Duendes Elixir do Pajé de Bernardo Guimarães (organização de Duda Machado) pela Imago (1992)
>>> O País de Bissalanka - Poema - Colecção Vozes do Mundo de Costa Andrade pela Sá da Costa (1980)
>>> Novas Lições de Análise Sintática - Série Princípios 6ª Edição de Adriano da Gama Kury pela Ática (1993)
>>> Problemas de Linguística Descritiva 16ª Edição de Joaquim Mattoso Camara Jr pela Vozes (1997)
>>> Estrutura da Língua Portuguesa 26ª Edição de Joaquim Mattoso Camara Jr pela Vozes (1997)
>>> Oralidades & Escritas Nas Literaturas Africanas de Ana Mafalda Leite pela Colibri (1998)
>>> Autismo: Um Olhar Por Inteiro de Varios Autores pela Literare Books (2021)
>>> Refém do Medo de Suzana Lyra pela Literare Books (2021)
>>> O segredo da mentalidade judaica de Rabino Dor Leon Attar pela Literare Books (2021)
>>> Valida-te de Tatiane de Sá Manduca pela Literare Books (2021)
>>> A Mamãe coaching de Iara Mastine pela Literare Books (2018)
>>> Comunicação Assertiva de Varios Autores pela Literare Books (2021)
>>> Bíblia Sagrada Nova Versão Transformadora de Equipe Nvt pela Mundo Cristão (2016)
COLUNAS

Segunda-feira, 13/7/2009
Restos, por Mário Araújo
Ricardo de Mattos

+ de 3600 Acessos


Crédito da imagem: Acontece em Curitiba!

"Não há dois tempos iguais de solidão, porque nunca se está só da mesma maneira." (Henri Bosco, romancista francês)

Os dados biográficos disponíveis na internet sobre o escritor curitibano Mário Araújo (1963) são limitados. Quase nada reunimos além do que informa a pouco confiável Wikipédia. Acrescente-se o tropeço causado pelas notas acerca de dois outros escritores quase homônimos e não se olvide os inúmeros logradouros e aprovados em concursos que o Google depositou em nossa bateia. Formado em Educação Artística pela Universidade Federal do Paraná, Mário Araújo militou profissionalmente como professor e redator de publicidade. Sozinho, publicou os livros A hora extrema e Restos (Bertrand Brasil, 2008, 192 págs.). Participou da antologia Todas as gerações ― O conto brasiliense contemporâneo e possui contos publicados em revistas e jornais literários do Brasil. Em 2004, recebeu menção honrosa em concurso promovido pela Secretaria de Cultura do Estado onde reside, e seu primeiro livro "solo" conferiu-lhe o prêmio Jabuti de 2006, na categoria "contos". Si pouco sabemos a respeito de sua vida e carreira literária, fica-nos a impressão de uma ascensão paulatina e sólida.

No texto de apresentação de Restos, é informado que Mário Araújo veicula textos pela internet, assim como Luiz Paulo Faccioli, cujo livro Trocando em miúdos será objeto de coluna futura. Fato que nos remete à entrevista de Ana Elisa Ribeiro ao Digestivo Cultural, onde ela afirmou: "Uma crônica minha pode ser lida por 2000 pessoas na internet, mas não há qualquer garantia de que 2000 exemplares sejam vendidos do meu livro com as mesmas crônicas. Este é um projeto meu, inclusive, mas não sei até que ponto virtual e real terão contato". Curioso saber destes dois escritores si houve um planejamento, um roteiro que fosse da publicação virtual para a publicação em livro, e si a realidade do impresso ficou aquém ou além das expectativas. Nossa colega de colunismo também reconheceu que "se a meta é ser lido, a internet pode ser o melhor sistema de distribuição que há. Se a meta é ser lido com a posse do suporte, então a história é outra. É diferente publicar nos dois ambientes. Um não leva diretamente ao outro". Antes de ter os livros em mãos, desconhecíamos tanto Mário quanto Luiz Paulo. Coletando estas observações, pensamos nos inúmeros talentos em desenvolvimento e que recorrem à Web para divulgação do trabalho, e questionamos si a publicação em papel é tão dispensável quanto querem fazer parecer. Por mais que o novo escritor esteja à vontade no meio virtual, fica a ideia do livro em papel ser ainda um desejo sempre acalentado, e sua edição um desafio aguardado para mais cedo ou mais tarde.

Mário Araújo dedica-se ao conto como expressão literária, gênero considerado difícil. Nem Milton Hatoum escapou de críticas quando enveredou recentemente por ele, embora importante romancista. São vinte narrativas, número um tanto excessivo. Ouvindo do imperador austríaco Francisco José que uma de suas óperas tinha "notas demais", Mozart teria retrucado perguntando: "Quantas notas sugere, majestade"? Menos leviano e influenciável que o imperador, alcançamos o núcleo crítico. Selecionar os melhores do conjunto difere de simplesmente reunir material e destiná-lo à publicação. Ótimos textos são acompanhados de outros que também poderiam ser ótimos após melhor tratamento e maior prazo de gaveta, e de textos que poderiam ser deixados de lado. Exemplos de grandes contos encontramos em "Restos", "Rauziclíni", "Todos Riram", "Crioula", "A desforra", "Quatro cenas de Brasil" e "Viagem 1". A narrativa intitulada "Um novo conceito" lembrou-nos o filme Vidas em jogo, com Michael Douglas e Sean Penn, pois ambos falam da busca por situações excêntricas que acabam proporcionando experiências angustiantes. Ao menos para nós, "Solo", "Futebol 1", "Futebol 2", "Futebol 3" e "Palimpsesto" não fariam falta. Restos é um bom livro, avaliação que ganha em honestidade o que fica a dever em apupos. "Mas então compensa ler?", questionará o leitor apressado. "Sim", responderemos, "não será tempo perdido". A verossimilhança dos melhores retratos sustentam o volume satisfatoriamente.

Inegável é a coesão temática. A solidão, apresentada com diversas vestimentas, é a personagem onipresente. Não o mero isolamento, e sim aquela solitude em pleno processo de enraizamento ou que já deitou raízes vigorosas no âmago do indivíduo. Não é, portanto, uma condição que se adquire ou se afasta em horas. Reclamando seu interlocutor da solidão resultante da busca a que se dedicava, Rilke respondeu-lhe, em suas famosas Cartas a Um Jovem Poeta: "diz que os que sente próximo estão longe. Isso mostra que começa a fazer-se espaço e redor de si. Se o próximo lhe parece longe, os seus longes alcançam as estrelas, são imensos". Lição válida tanto para o artista, o filósofo, o cientista e o místico que se aprofundam em suas buscas e indagações, quanto para nós, cidadãos terra-a-terra. É precisamente o homem comum isolado no paroxismo da crise e colocado na lâmina do microscópio para ser observado. A solitária excepcional é a imagem de gesso representando Jesus Cristo, no conto "A imagem". Contudo, das tramas são apartados os acessórios, e muitas vezes os antecedentes e os consequentes.

O que fazer para acabar com a solidão? Como solucioná-la, bem como minimizar ou anular seus efeitos? Talvez fazendo o inverso do que fizeram ― ou se imagina que fizeram ― os personagens. Não se trata de solução sugerida pelo autor, mas de inferência do leitor. Não temos como saber si Mário Araújo leu, e si leu, concordou com as reflexões literárias expostas por Chekhov em suas cartas. Como o russo, o curitibano evita julgar seus personagens e porta-se como testemunha imparcial. Descreve o abandono que vivenciam, que talvez até sofram sem perceber, cabendo ao leitor incluir os "elementos subjetivos" que os levaram àquele estágio.

Para ir além






Ricardo de Mattos
Taubaté, 13/7/2009


Quem leu este, também leu esse(s):
01. Desbloqueie seu cartão, aumente seu pênis de Luís Fernando Amâncio
02. Big Brother da Palmada de Daniel Bushatsky
03. A importância do nome das coisas de Adriana Baggio
04. O chinês do yakissoba de Eduardo Carvalho
05. Os Homens são de Varte, as Mulheres são de Mênus de Rafael Lima


Mais Ricardo de Mattos
Mais Acessadas de Ricardo de Mattos em 2009
01. O delfim, de José Cardoso Pires - 19/10/2009
02. Charles Darwin (1809-2009) - 16/11/2009
03. Evolução e Adaptação da Imprensa Escrita - 23/3/2009
04. Américas Antigas, de Nicholas Saunders - 27/4/2009
05. Sobre o Islã, de Ali Kamel - 23/2/2009


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




O Pequeno Filósofo
Gabriel Chalita; Thais Linhares
Globo Antigo
(2011)



Confissão de uma Harpista
José Carlos Leal
Celd
(2002)



Endocrinologia Ginecológica Aspectos Contemporâneos
José Mendes Aldrighi
Atheneu
(2005)



Os Quadros de Pablo
S. Girardet
Companhia das Letras
(1996)



Reféns do Destino
Chantelle Shaw e Trish Morey
Harlequin
(2009)



A Turma do Santos : Esquadrão Mirim
Bruno Godoi
Coerência
(2016)



Filosofia II - Volume Único Ensino Médio
Edson Bispo
Expoente
(2011)



Grammaire des Immeubles Parisiens - Six Siêcles de Façades Du Moyen ..
Claude Mignot
Parigramme
(2009)
+ frete grátis



O Que é Energia Nuclear
José Goldemberg
Brasiliense
(1981)



Um Pedacinho de Chao
Elizabeth Laird
Atica
(2008)





busca | avançada
83024 visitas/dia
2,4 milhões/mês