Ter ou não ter | Marta Barcellos | Digestivo Cultural

busca | avançada
44089 visitas/dia
1,2 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Banda GELPI, vencedora do concurso EDP LIVE BANDS BRASIL, lança seu primeiro álbum com a Sony
>>> Celso Sabadin e Francisco Ucha lançam livro sobre a vida de Moracy do Val amanhã na Livraria da Vila
>>> No Dia dos Pais, boa comida, lugar bacana e MPB requintada são as opções para acertar no presente
>>> Livro destaca a utilização da robótica nas salas de aula
>>> São Paulo recebe o lançamento do livro Bluebell
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Rinoceronte, poemas em prosa de Ronald Polito
>>> A forca de cascavel — Angústia (FUVEST 2020)
>>> O reinado estético: Luís XV e Madame de Pompadour
>>> 7 de Setembro
>>> Outros cantos, de Maria Valéria Rezende
>>> Notas confessionais de um angustiado (VII)
>>> Eu não entendo nada de alta gastronomia - Parte 1
>>> Treliças bem trançadas
>>> Meu Telefunken
>>> Dor e Glória, de Pedro Almodóvar
Colunistas
Últimos Posts
>>> Revisores de Texto em pauta
>>> Diogo Salles no podcast Guide
>>> Uma História do Mercado Livre
>>> Washington Olivetto no Day1
>>> Robinson Shiba do China in Box
>>> Karnal, Cortella e Pondé
>>> Canal Livre com FHC
>>> A história de cada livro
>>> Guia Crowdfunding de Livros
>>> Crise da Democracia
Últimos Posts
>>> Uma crônica de Cinema
>>> Visitação ao desenho de Jair Glass
>>> Desiguais
>>> Quanto às perdas I
>>> A caminho, caminhemos nós
>>> MEMÓRIA
>>> Inesquecíveis cinco dias de Julho
>>> Primavera
>>> Quando a Juventude Te Ferra Economicamente
>>> Bens de consumo
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Ser intelectual dói
>>> O Tigrão vai te ensinar
>>> O hiperconto e a literatura digital
>>> Aberta a temporada de caça
>>> Se for viajar de navio...
>>> Incompatibilidade...
>>> Alguns Jesus em 10 anos
>>> Blogues: uma (não tão) breve história (II)
>>> Picasso e As Senhoritas de Avignon (Parte I)
>>> Asia de volta ao mapa
Mais Recentes
>>> O Livro da moda de Alexandra Black pela Publifolha (2015)
>>> Rejuvelhecer a saude como prioridade de Sergio Abramoff pela Intrinseca (2017)
>>> O livro das evidencias de John Banville Tradução Fabio Bonillo pela Biblioteca Azul - globo (2018)
>>> O futebol explica o Brasil de Marcos Guterman pela Contexto (2014)
>>> O Macaco e a Essencia de Aldous Huxley pela Globo (2017)
>>> BATISTAS, Sua Trajetória em Santo Antônio de Jesus: o fim do monopólio da fé na Terra do Padre Mateus de Jorgevan Alves da Silva pela Fonte Editorial (2018)
>>> Playboy Bárbara Borges de Diversos pela Abril (2009)
>>> Sarah de Theresa Michaels pela Nova Cultural (1999)
>>> A Bela e o Barão de Deborah Hale pela Nova Cultural (2003)
>>> O estilo na História. Gibbon & Ranke & Macaulay & Burckhardt de Peter Gay pela Companhia das Letras (1990)
>>> Playboy Simony de Diversos pela Abril (1994)
>>> Invasão no Mundo da Superfície de Mark Cheverton pela Galera Junior (2015)
>>> José Lins Do Rego- Literatura Comentada de Benjamin Abdala Jr. pela Abril Educação (1982)
>>> A modernidade vienense e as crises de identidade de Jacques Le Rider pela Civilização Brasileira (1993)
>>> Machado De Assis - Literatura Comentada de Marisa Lajolo pela Abril Educação (1980)
>>> A Viena de Wittgenstein de Allan Janik & Stephen Toulmin pela Campus (1991)
>>> O Velho e o Mar de Ernest Hemingway pela Círculo do livro (1980)
>>> Veneno de Alan Scholefield pela Abril cultural (1984)
>>> O Livreiro de Cabul de Asne Seierstad pela Record (2007)
>>> Os Dragões do Éden de Carl Sagan pela Francisco Alves (1980)
>>> O Espião que sabia demais de John Le Carré pela Abril cultural (1984)
>>> Administração de Materiais de Jorge Sequeira de Araújo pela Atlas (1981)
>>> Introdução à Programação Linear de R. Stansbury Stockton pela Atlas (1975)
>>> Como lidar com Clientes Difíceis de Dave Anderson pela Sextante (2010)
>>> As 3 Leis do Desempenho de Steve Zaffron e Dave Logan pela Primavera (2009)
>>> Curso de Educação Mediúnica 1º Ano de Vários Autores pela Feesp (1996)
>>> Recursos para uma Vida Natural de Eliza M. S. Biazzi pela Casa Publicadora Brasileira (2001)
>>> Jesus enxuga minhas Lágrimas de Elza de Almeida pela Fotograma (1999)
>>> As Aventuras de Robinson Crusoé de Daniel Defoe pela LPM Pocket (1997)
>>> Bulunga o Rei Azul de Pedro Bloch pela Moderna (1991)
>>> Menino de Engenho de José Lins do Rego pela José Olympio (1982)
>>> Terra dos Homens de Antoine de Saint-Exupéry pela Nova Fronteira (1988)
>>> O Menino de Areia de Tahar Ben Jelloun pela Nova Fronteira (1985)
>>> Aspectos Endócrinos de Interesse à Estomatologia de Janete Dias Almeida pela Unesp (1999)
>>> Nociones de Historia Linguística y Estetica Literaria de Antonio Vilanova- Nestor Lujan pela Editorial Teide/ Barcelona (1950)
>>> El Estilo: El Problema y Su Solucion de Bennison Gray pela Editorial Castalia/ Madrid (1974)
>>> El Cuento y Sus Claves de Raúl A. Piérola/ Alba Omil (profs. Univ. Tucumán pela Editorial Nova, Buenos Aires (1955)
>>> Las Fuentes de La Creacion Literaria de Carmelo M. Bonet pela Libr. del Collegio/ B. Aires (1943)
>>> As Hortaliças na Medicina Doméstica/ Encadernado de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar (1976)
>>> A Flora Nacional na Medicina Doméstica de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar
>>> Arlington Park de Rachel Cusk pela Companhia das Letras (2007)
>>> Muitas Vidas, Muitos Mestres de Brian L Weiss pela Salamandra (1991)
>>> As Frutas na Medicina Doméstica de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar
>>> Coleção Agatha Christie - Box 8 de Agatha Christie; Sonia Coutinho; Archibaldo Figueira pela HarperCollins (2019)
>>> As Irmãs Aguero de Cristina García pela Record (1998)
>>> Não Faça Tempestade Em Copo Dágua no Amor de Richard Carlson pela Rocco (2001)
>>> Um Estudo Em Vermelho - Edição De Bolso de Arthur Conan Doyle pela Zahar (2013)
>>> Eu, Dommenique de Dommenique Luxor pela Leya (2011)
>>> Os Cavaleiros da Praga Divina de Marcos Rey pela Global (2015)
>>> O Futuro da Filosofia da Práxis de Leandro Konder pela ExpressãoPopular (2018)
COLUNAS

Sexta-feira, 28/8/2009
Ter ou não ter
Marta Barcellos

+ de 2500 Acessos
+ 1 Comentário(s)

Você já deve ter passado pela situação. Pode ter acontecido com os discos de vinil ou as fitas cassete que ouvia no carro, dependendo de sua idade. Quem sabe com a videoteca recheada de filmes em VHS ou shows em DVD. Se não aconteceu, certamente acontecerá com as pilhas de CDs, organizados por ordem alfabética ou musical, em torres imponentes enfeitando a sua sala. Estrategicamente localizadas (inclusive as fitas escondidas no porta-luvas, para serem achadas pela pessoa certa), estas pequenas ou grandes coleções de bens culturais eram a sua cara. Serviam para a visita puxar assunto, e mostravam o quanto você era sensível, tinha um gosto sofisticado ou uma queda para o trash.

Pois esses objetos adquiridos um a um, cada qual com a sua história, que reunidos eram o espelho de sua alma, estão em extinção. De repente, viraram nada. Havia mudado a tecnologia e ponto final. Só restaram os livros. Por enquanto.

Isso porque vem aí o leitor eletrônicos de textos, que vai engolir os livros como o iPod fez com os CDs e LPs que você costumava alisar. Há controvérsias quanto à velocidade e o alcance da novidade. Afinal, ao contrário dos exemplos citados acima, o livro tem a vantagem de não enguiçar, como bem lembrou Millôr Fernandes. Mas se a tecnologia for mesmo formidável, como a das máquinas fotográficas digitais, babau. Adeus livros.

O problema é que essas "plataformas ultrapassadas de conteúdo" são, antes de tudo, objetos. E o ser humano, desde os tempos do baú da vovó, se apega a objetos, é capaz de ter uma relação importante com eles. Não estou falando aqui de consumismo, de gente que compra coisas para dizer que tem, mas de pessoas que, ao longo da vida, colecionam peças com significados que vão muito além de sua forma objetiva ou sua utilidade prática.

Conheço apenas uma ou duas pessoas que não se apegam a qualquer objeto. Mas também há os que mudam de país e não se sentem estrangeiros _ há de tudo na diversidade humana, e as exceções estão aí para confirmar as regras. O fato é que a grande maioria já sofreu para jogar no lixo aquela jaqueta jeans puída, lembra com nostalgia do primeiro automóvel, guarda souvenirs bregas de viagem, resiste a se desfazer de uma penca de coisas inúteis no armário. Resiste, até ser vencido por um argumento final: aquele objeto não serve para mais nada. Foi assim que jogamos no lixo os discos de vinil que não tinham mais vitrola, ou as fitas que não tinham videocassete para serem exibidas.

Não tente me convencer de que suas músicas e filmes apenas mudaram de lugar, pois as coleções estariam a salvo em seu hardware de estimação. É impossível ter a mesma relação com o computador que será trocado no ano que vem. O chip de seu celular jamais vai lhe despertar a mesma emoção de quando você encontrou uma caderneta antiga de telefones no fundo da gaveta, ou de quando leu os compromissos de anos atrás numa agenda desgastada de colégio. Você abriu a agenda, curioso, e caiu dela um papelzinho. Talvez um recibo de lavanderia. Melhor: um telefone rabiscado com um nome embaixo. Quem era Débora? Quem foi Sérgio? Você tenta se recordar, examinando com as mãos a textura do papel, observando o desenho da letra. Se o papel estiver perfumado...

Nada disso. Esqueça cheiros e tramas. Agora tudo é diferente. As novas gerações já devem estar se adaptando a um mundo asséptico, sem os objetos que entulhavam e davam vida às nossas estantes. Na teoria, nossa trajetória e gostos pessoais continuarão registrados, agora nos arquivos dos computadores, guardados em memórias infinitas e com possibilidades de catalogação muito melhores. Ainda por cima, poderão ser compartilhados com o mundo, como aconteceu com os diários secretos que se tornaram blogs. E você ainda queria um perfume, ora essa.

Talvez não precisemos mais de objetos. Nossas salas estão condenadas a abrigar estantes vazias, preenchidas apenas por peças de decoração impessoais, como se morássemos em um flat. Restará a opção de nos expressarmos por meio de projetos de arquitetura criativos ou um design mais arrojado. Tomara que as visitas aprendam a conversar sobre o assunto.

Estava eu assim, entre triste e conformada, quando a Amazon me salvou. Ou melhor, roubou os livros que tinha vendido aos seus compradores. Já olhava com saudades para as minhas estantes, quando descobri que os pobres compradores de livros do Kindle na verdade estavam apenas pagando por uma licença para lê-los. Em última análise, trata-se de um direito que sempre poderá ser contestado judicialmente, como aconteceu com - ironia das ironias - as obras de George Orwell 1984 e Revolução dos bichos. E eu pensando que esses leitores "tinham" seus livros. Fiquei feliz por possuir os meus de fato, e já ter desenvolvido uma estratégia para eles não sumirem das prateleiras por causa dos empréstimos para amigos esquecidos.

Foi então que percebi porque muita gente ainda prefere "ter nas mãos", literalmente, álbuns de fotos impressas, discos de vinil, mídias com filmes que não vão sumir quando o computador der pau e vídeos que podem desaparecer do YouTube amanhã. Quando um objeto representa uma parte da gente, ninguém quer correr o risco de ser assaltado pela tecnologia no meio da madrugada. No caso dos livros, a opção de tê-los realmente, e não virtualmente, é ainda mais óbvia: sua história e simplicidade nos enchem de segurança em relação ao futuro. No máximo, precisaremos de um par de óculos mais potentes e alguma vigilância em relação às traças. Nossas estantes de livros estão salvas.

Nota do Editor
Marta Barcellos mantém o blog Espuminha de leite.


Marta Barcellos
Rio de Janeiro, 28/8/2009


Quem leu este, também leu esse(s):
01. O palhaço no poder de Luís Fernando Amâncio
02. A medida do sucesso de Fabio Gomes
03. Paisagem interna agreste de Elisa Andrade Buzzo
04. Notas confessionais de um angustiado (Final) de Cassionei Niches Petry
05. Entrevista com Gerald Thomas de Jardel Dias Cavalcanti


Mais Marta Barcellos
Mais Acessadas de Marta Barcellos em 2009
01. Gostar de homem - 25/9/2009
02. Simplesmente feliz - 24/4/2009
03. Escrever pode ser uma aventura - 3/7/2009
04. Palavras que explodem no chão - 19/6/2009
05. Fim dos jornais, não do jornalismo - 3/4/2009


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

ENVIAR POR E-MAIL
E-mail:
Observações:
COMENTÁRIO(S) DOS LEITORES
14/9/2009
23h47min
Me delicio vendo fotos amareladas que me recuso escanear, confesso que os discos de vinil se foram (talvez pela falta de espaço), mas ainda mantenho livros - visíveis, palpáveis e sedutores - na estante e meus porta-retratos ainda suportam fotos não digitalizadas nem photoshopadas... E ainda guardam a espontaneidade do momento.
[Leia outros Comentários de Denise Loureiro Silv]
COMENTE ESTE TEXTO
Nome:
E-mail:
Blog/Twitter:
* o Digestivo Cultural se reserva o direito de ignorar Comentários que se utilizem de linguagem chula, difamatória ou ilegal;

** mensagens com tamanho superior a 1000 toques, sem identificação ou postadas por e-mails inválidos serão igualmente descartadas;

*** tampouco serão admitidos os 10 tipos de Comentador de Forum.




Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




MULHERES PODEROSAS NO TRABALHO
ELIZABETH HILTS
ACADEMIA
(2013)
R$ 14,00



EDUCAÇÃO E REFLEXÃO
PIERRE FURTER
VOZES
(1976)
R$ 4,00



A SENHA DO MUNDO
CARLOS DRUMOND DE ANDRADE
RECORD
(2006)
R$ 25,90



BALA NA AGULHA
MARCELO RUBENS PAIVA
SICILIANO
(1992)
R$ 15,00



A VIAGEM
JOÃO DUARTE DE CASTRO
EME
(1989)
R$ 7,90



IMPOSTO DE RENDA DAS EMPRESAS
HIROMI HIGUCHI FÁBIO HIROSHI HIGUCHI ET AL...
ATLAS
(2011)
R$ 15,00



PRINCÍPIOS DA FÍSICA 2
PEDRO CARLOS DE OLIVEIRA

(1993)
R$ 5,50



HISTÓRIA DA LITERATURA BRASILEIRA, VOLUME 1
SÍLVIO CASTRO
ALFA
(1999)
R$ 26,40



O ORÁCULO DE JAMAIS
ALTINO DO TOJAL
INCM
(2005)
R$ 44,70



HOMEM-ARANHA SUPERIOR - SEM SAÍDA! - JUNTE-SE À REVOLUÇÃO - Nº 006
MARVEL
PANINI COMICS
(2014)
R$ 10,00





busca | avançada
44089 visitas/dia
1,2 milhão/mês