Simplesmente feliz | Marta Barcellos | Digestivo Cultural

busca | avançada
34554 visitas/dia
1,1 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Banda GELPI, vencedora do concurso EDP LIVE BANDS BRASIL, lança seu primeiro álbum com a Sony
>>> Celso Sabadin e Francisco Ucha lançam livro sobre a vida de Moracy do Val amanhã na Livraria da Vila
>>> No Dia dos Pais, boa comida, lugar bacana e MPB requintada são as opções para acertar no presente
>>> Livro destaca a utilização da robótica nas salas de aula
>>> São Paulo recebe o lançamento do livro Bluebell
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> O reinado estético: Luís XV e Madame de Pompadour
>>> 7 de Setembro
>>> Outros cantos, de Maria Valéria Rezende
>>> Notas confessionais de um angustiado (VII)
>>> Eu não entendo nada de alta gastronomia - Parte 1
>>> Treliças bem trançadas
>>> Meu Telefunken
>>> Dor e Glória, de Pedro Almodóvar
>>> Leminski, estações da poesia, por R. G. Lopes
>>> Crônica em sustenido
Colunistas
Últimos Posts
>>> Banco Inter É uma BOLHA???
>>> Não Aguento Mais a Empiricus
>>> Nubank na Hotmart
>>> O recente choque do petróleo
>>> Armínio comenta Paulo Guedes
>>> Jesus não era cristão
>>> Analisando o Amazon Prime
>>> Amazon Prime no Brasil
>>> Censura na Bienal do Rio 2019
>>> Tocalivros
Últimos Posts
>>> O céu sem o azul
>>> Ofendículos
>>> Grito primal V
>>> Grito primal IV
>>> Inequações de um travesseiro
>>> Caroço
>>> Serial Killer
>>> O jardim e as flores
>>> Agradecer antes, para pedir depois
>>> Esse é o meu vovô
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Por que escrevo
>>> História dos Estados Unidos
>>> Meu Telefunken
>>> Uma Receita de Bolo de Mel
>>> O apanhador no campo de centeio
>>> Curriculum vitae
>>> O Salão e a Selva
>>> Ed Catmull por Jason Calacanis
>>> Por que a Geração Y vai mal no ENEM?
>>> Por que a Geração Y vai mal no ENEM?
Mais Recentes
>>> O Ponto de Mutação de Fritjof Capra pela Círculo do Livro (1990)
>>> Plexus de Henry Miller pela Record (1967)
>>> Uma Questão de Fé de Jodi Picoult pela Planeta (2008)
>>> Vivendo seu Amor de Carolyn Rathbun Sutton e Ardis Dick Stenbakken (compilação) pela Casa Publicadora Brasileira (2017)
>>> O Significado da Astrologia de Elizabeth Teissier pela Bertrand (1979)
>>> Um amor de gato de Glenn Dromgoole pela Publifolha (2002)
>>> Origami & Artesanato em Papel de Paul Jackson & Angela A'Court pela Edelbra (1995)
>>> Gestão de Pessoas de Idalberto Chiavenato pela Campus (2010)
>>> Album de família de Danielle Stell pela Record
>>> Passageiros da ilusão de Danielle Stell pela Record (1988)
>>> Casa forte de Danielle Stell pela Record
>>> Segredo de uma promessa de Danielle Stell pela Record
>>> Enquanto o amor não vem de Iyanla Vanzant pela Sextante (1999)
>>> Relembrança de Danielle Stell pela Record
>>> O Egypto de Eça de Queiroz pela Porto (1926)
>>> Momentos de paixão de Danielle Stell pela Record
>>> Um desconhecido de Danielle Stell pela Record
>>> Uma vez só na vida de Danielle Stell pela Record
>>> O apelo do amor de Danielle Stell pela Record (1983)
>>> Agora e sempre de Danielle Stell pela Record (1985)
>>> O Princípio Constitucional da Igualdade e o Direito do Consumidor de Adriana Carvalho Pinto Vieira pela Mandamentos/ Belo Horizonte (2002)
>>> Histórias Anunciadas de Djalma França pela Decálogo/ belo Horizonte (2003)
>>> Constituição da República Federativa do Brasil de Senado Federal pela Senado Federal (2006)
>>> Eterna Sabedoria de Ergos pela Fraternidade Branca Universal do Arcanjo Mickael (1974)
>>> Leasing Agrário e Arrendamento Rural como Opção de Compra de Lucas Abreu Barroso pela Del Rey/ Belo Horizonte (2001)
>>> Contratos Internacionais de Seguros de Antonio Marcio da Cunha Guimarães pela Revista dos Tribunais (2002)
>>> Amor de Perdição / Eurico, o Presbítero de Camilo Castelo Branco / Alexandre Herculano pela Círculo do livro (1978)
>>> Carajás de Paulo Pinheiro pela Casa Publicadora Brasileira (2007)
>>> Menopausa de Diversos pela Nova Cultural (2003)
>>> Guia de Dietas de Diversos pela Nova Cultural (2001)
>>> Seguros: Uma Questão Atual de Coordenado pela EPM/ IBDS pela Max Limonard (2001)
>>> O Significado dos Sonhos de Diversos pela Nova Cultural (2002)
>>> A Dieta do Tipo Sanguíneo - A B O AB de Peter J. D'Adamo pela Campus (2005)
>>> Cem Noites - Tapuias de Ofélia e Narbal Fontes pela Ática (1982)
>>> Direito do Trabalho ao Alcance de Todos de José Alberto Couto Maciel pela Ltr (1980)
>>> Manon Lescaut de Abade Prévost pela Ediouro (1980)
>>> A Reta e a Curva: Reflexões Sobre o Nosso Tempo de Riccardo Campa (com) O. Niemeyer (...) pela Max Limonard (1986)
>>> Introdução às Dificuldades de Aprendizagem de Vítor da Fonseca pela Artes Médicas (1995)
>>> Dos Crimes Contra a Propriedade Intelectual: Violação... de Eduardo S. Pimenta/ Autografado pela Revista dos Tribunais (1994)
>>> O Cortiço de Aluísio Azevedo pela Ática (1988)
>>> A Voz do Mestre de Kahlil Gibran pela Círculo do livro (1973)
>>> O Jovem e seus Assuntos de David Wilkerson pela Betânia (1979)
>>> Emília no País da Gramática de Monteiro Lobato pela Brasiliense (1978)
>>> The Art Direction Handbook for Film de Michael Rizzo pela Focal Press (2005)
>>> A Escrava Isaura de Bernardo Guimarães pela Melhoramentos (1963)
>>> O Grande Conflito de Ellen G. White pela Casa Publicadora Brasileira (1983)
>>> Filosofia do Espírito de Jerome A. Shaffer pela Zahar (1980)
>>> Muito Além das Estrelas de Álvaro Cardoso Gomes pela Moderna (1997)
>>> A Grande Esperança de Ellen G. White pela Casa Publicadora Brasileira (2011)
>>> É Fácil Jogar Xadrez de Cássio de Luna Freire pela Ediouro (1972)
COLUNAS

Sexta-feira, 24/4/2009
Simplesmente feliz
Marta Barcellos

+ de 6300 Acessos
+ 2 Comentário(s)

A sensação pode durar segundos. Sim, tudo isso. Do nada, surge um sentimento de plenitude. Você está inteiro, se sente vivo e integrado àquele momento. Ao mesmo tempo, consegue contemplar a si próprio e ao mundo com certo distanciamento, como se estivesse em suspenso. Está cheio de si, mas sem o orgulho bobo das conquistas mundanas ― tanto que nem lhe ocorre exibir aquela emoção para ninguém. Você guarda em segredo: está feliz.

Aproveite a minha modesta tentativa de descrever o tal momento e desencave do fundo da memória o instante fugidio em que se sentiu assim. Passou, é verdade, e nem lembramos como foi. Provavelmente nos distraímos com uma buzina, uma interrupção qualquer, e nem tentamos guardar um resquício daquela emoção, como se tivesse sido um sonho. Não foi. Todos já nos sentimos assim e por isso andamos por aí como se a tal felicidade estivesse à espreita, alcançável por um lance de sorte, acaso ou destino ― a gosto do freguês e das convicções filosóficas.

Uma dessas ocasiões eu guardei bem na memória, porque a sensação veio junto com uma lufada de ar quente. Eu descia do avião no Santos Dumont, no Rio, antes dos abomináveis fingers de hoje. Tratava-se de uma rotina ― o tal instante de felicidade cisma de aparecer em situações banais. A lufada veio junto com o cheiro de maresia, e ainda era dia; talvez fosse horário de verão. Uma entrevista burocrática em São Paulo acabara se transformando em uma conversa instigante, e me ocorreu, naquela viagem de volta, a máxima: "e ainda me pagam pra isso".

Mas nem sempre a tal felicidade acontece em lugares tão glamourosos como um aeroporto à beira-mar. Já me flagrei flertando com ela ao dirigir meu carro, a caminho de um compromisso qualquer. Dá vontade de abrir o vidro e deixar o vento soprar no rosto. Também me recordo de uma pequena caminhada, de mãos dadas, sob os primeiros raios de sol da manhã, quando ainda morava em São Paulo e minha vida saía de uma fase tumultuada. E olha que não sou exatamente conhecida pelo bom humor matinal ― sempre tive dificuldades de compreender quem acorda cantarolando.

É mais fácil falar de bom humor ou otimismo do que de felicidade. Percebi isso depois de ver Simplesmente feliz (Happy-go-lucky), filme que não escolhi por acaso: a intenção era manter o alto astral, depois de um dia puxado ― uma atitude digna de Poppy, a personagem principal. Professora primária, 30 anos, sem namorado, Poppy tem sua bicicleta furtada logo no início da trama e não se abala. Poppy nunca se abala. Tem uma capacidade infinita de ver o lado bom das coisas e das pessoas. Vislumbra no incidente com a bicicleta uma oportunidade para aprender a dirigir. Na autoescola, vai conviver com um instrutor que é a sua antítese.

No finalzinho do filme (não vou revelar nada demais, pode continuar lendo), o raivoso instrutor solta uma frase que pode passar despercebida do público, por conta da tensão da cena. Sim, garante ele, era feliz do seu jeito, mal-humorado e negativo, antes que ela o incomodasse com sua felicidade efusiva. Fiquei chocada quando alguém ao meu lado também admitiu algum incômodo com a personagem, que lhe lembrou um tipo "alegre, artificial, que não leva nada a sério". Preferi me identificar com o time das bem-humoradas que se vangloriavam, na saída do cinema: "Igualzinha a mim". Mas depois pensei em alguém assobiando às 7h da matina e decidi relativizar a questão. Talvez não suportasse a Poppy antes das 10h.

O fato é que o conceito de felicidade ― como um estado, e não um instante ― é um tanto individual. Há quem simplesmente a rechace, por identificá-la com paz, harmonia e chatice. No documentário Vinicius, de Miguel Faria Jr., Edu Lobo conta a confusão que foi a tentativa de se traduzir uma letra de Vinicius de Moraes. Tom Jobim, então nos Estados Unidos, havia adorado os versos "Foi a vida / Foi o amor quem quis / É melhor viver / Do que ser feliz". Quis utilizá-los em inglês, mas, conversando com o tradutor, percebeu o tamanho de seu desafio. Diante da transposição literal dos versos ("It´s better to live than be happy"), o tradutor se exaltou, convicto do erro de Jobim, que teria trocado "and" por "than". "Tom achou graça e comentou que o viver de Vinicius era completamente diferente do viver dos americanos", conta Edu no documentário.

Outro que também costuma defender por aí uma "vida interessante", em vez de uma "vida feliz", é o psicanalista Contardo Calligaris. Ou seja, a intensidade, em busca da tal felicidade, nos seria suficiente, talvez o máximo que deveríamos almejar. Eu tendo a concordar com Vinicius, Calligaris e companhia, mas acrescentaria que uma boa dose de humor e otimismo, à la Poppy, pode tornar a tarefa (viver) ainda mais agradável. Para fechar, dou a palavra a Ferreira Gullar, tintim por tintim, também no documentário Vinicius:

"Acho que a vida é uma invenção. Você pode inventar pro ruim ou inventar pro bom. Tenho horror a caras que ficam sempre pra baixo, falando da 'verdade sobre a existência'. Mentira, ninguém sabe qual é a verdade. Acho Beckett um chatola. Se você escolhe dizer que tudo é uma merda, que nada tem sentido, pode até ganhar o prêmio Nobel, mas não vai ajudar ninguém. Prefiro o cara que bota a vida pra cima. Já que ninguém sabe qual é a verdade, por que vou botar pra baixo?"

Vinicius de Moraes, conclui Gullar, ajuda a gente a viver. Daquele jeito, que os americanos não compreendem muito bem.

Nota do Editor
Marta Barcellos mantém o blog Espuminha de leite.


Marta Barcellos
Rio de Janeiro, 24/4/2009


Quem leu este, também leu esse(s):
01. Os Doze Trabalhos de Mónika. Prólogo. Sem Alarde de Heloisa Pait
02. Na hora do batismo de Marta Barcellos
03. Quando (não) li Ana Cristina César de Ana Elisa Ribeiro
04. A futebolização da política de Luís Fernando Amâncio
05. Desejo do momento é o caramba de Marta Barcellos


Mais Marta Barcellos
Mais Acessadas de Marta Barcellos em 2009
01. Gostar de homem - 25/9/2009
02. Simplesmente feliz - 24/4/2009
03. Escrever pode ser uma aventura - 3/7/2009
04. Palavras que explodem no chão - 19/6/2009
05. Fim dos jornais, não do jornalismo - 3/4/2009


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

ENVIAR POR E-MAIL
E-mail:
Observações:
COMENTÁRIO(S) DOS LEITORES
25/4/2009
15h24min
Sempre desconfiei de pessoas que se dizem felizes todo o tempo. Felicidade é uma colcha de retalhos, um Lego que a gente vai montando. Tive uns três momentos de felicidades hoje. Tomando um delicioso café da manhã, pedalando pela orla numa manhã ensolarada do outono carioca e lendo o seu texto, ouvindo uma boa música. São 15h20 e não sei se terei mais felicidade por hoje. Espero que sim. Pode ser loucura, mas acho que a gente vai ficando mais feliz à medida que envelhece, pois valorizamos mais essas pequenas partículas de felicidade, enquanto que na juventude estamos sempre esperando GRANDES empregos, GRANDES amores, GRANDES experiências sexuais ou GRANDES aquisições materiais. bjs.
[Leia outros Comentários de Julio Corrêa]
26/4/2009
19h42min
Felicidade é mais rápida do que se pensa. Rapidamente vai embora quando você consulta seu saldo bancário.
[Leia outros Comentários de Renato]
COMENTE ESTE TEXTO
Nome:
E-mail:
Blog/Twitter:
* o Digestivo Cultural se reserva o direito de ignorar Comentários que se utilizem de linguagem chula, difamatória ou ilegal;

** mensagens com tamanho superior a 1000 toques, sem identificação ou postadas por e-mails inválidos serão igualmente descartadas;

*** tampouco serão admitidos os 10 tipos de Comentador de Forum.




Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




O INCRÍVEL TESTAMENTO DE DOM AGAPITO
HÉLDER MOURA
CHIADO
(2012)
R$ 27,00



L´HOMME DE LONDRES
GEORGES SIMENON
PRESSES DE LA CITÉ
(2004)
R$ 40,00
+ frete grátis



MAYA
JOSTEIN GAARDER
COMPANHIA DAS LETRAS
(2000)
R$ 12,00



PRODUÇÃO DE TEXTOS E USOS DA LINGUAGEM - CURSO DE REDAÇÃO
SAMIRA YOUSSEFF CAMPEDELLI E JESUS BARBOSA SOUZA
SARAIVA
(1999)
R$ 6,95



GÊMEOS NÃO SE AMAM
ROBERT LUDLUM
RECORD
(1976)
R$ 4,00



SELEÇÕES DO READERS DIGEST DE JUNHO DE 1964
TITO LEITE (REDATOR CHEFE)
YPIRANGA
(1964)
R$ 7,00



A CRIANÇA ALUCINADA
RENÉ JEAN CLOT
PAZ E TERRA
(1989)
R$ 21,82



A ARANHA, A DOR DE CABEÇA E OUTRAS MALES QUE ASSOLAM O MUNDO
FERNANDA LOPES DE ALMEIDA
ÁTICA
(2005)
R$ 8,70



BALAS DE ESTALO E CRITICA
MACHADO DE ASSIS
GLOBO
R$ 5,00



THE GREEN CITY INDEX: A SUMMARY OF THE GREEN CITY INDEX RESEARCH SERIE
SIEMENS AIG
SIEMENS
(2012)
R$ 25,82





busca | avançada
34554 visitas/dia
1,1 milhão/mês