Simplesmente feliz | Marta Barcellos | Digestivo Cultural

busca | avançada
56914 visitas/dia
1,8 milhão/mês
Mais Recentes
>>> EcoPonte apresenta exposição Conexões a partir de 16 de julho em Niterói
>>> Centro em Concerto - Palestras
>>> Crônicas do Não Tempo – lançamento de livro sobre jovem que vê o passado ao tocar nos objetos
>>> 10º FRAPA divulga primeiras atrações
>>> Concerto cênico Realejo de vida e morte, de Jocy de Oliveira, estreia no teatro do Sesc Pompeia
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> As fezes da esperança
>>> Quem vem lá?
>>> 80 anos do Paul McCartney
>>> Gramática da reprodução sexual: uma crônica
>>> Sexo, cinema-verdade e Pasolini
>>> O canteiro de poesia de Adriano Menezes
>>> As maravilhas do modo avião
>>> A suíte melancólica de Joan Brossa
>>> Lá onde brotam grandes autores da literatura
>>> Ser e fenecer: poesia de Maurício Arruda Mendonça
Colunistas
Últimos Posts
>>> Oye Como Va com Carlos e Cindy Blackman Santana
>>> Villa candidato a deputado federal (2022)
>>> A história do Meli, por Stelleo Tolda (2022)
>>> Fabio Massari sobre Um Álbum Italiano
>>> The Number of the Beast by Sophie Burrell
>>> Terra... Luna... E o Bitcoin?
>>> 500 Maiores Álbuns Brasileiros
>>> Albert King e Stevie Ray Vaughan (1983)
>>> Rush (1984)
>>> Luiz Maurício da Silva, autor de Mercado de Opções
Últimos Posts
>>> PANFLETO AMAZÔNICO
>>> Coruja de papel
>>> Sou feliz, sou Samuel
>>> Andarilhos
>>> Melhores filme da semana em Cartaz no Cinema
>>> Casa ou Hotel: Entenda qual a melhor opção
>>> A lantejoula
>>> Armas da Primeira Guerra Mundial.
>>> Você está em um loop e não pode escapar
>>> O Apocalipse segundo Seu Tião
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Literatura Falada (ou: Ora, direis, ouvir poetas)
>>> Machado de Assis: assassinado ou esquecido?
>>> O problema do escritor
>>> Cadáveres
>>> A teoria do caos
>>> Ainda o mesmo assunto...
>>> Contradições da 30ª Mostra
>>> Chinese Democracy: grande disco
>>> 50 Anos de Preguiça e Insubmissão
>>> Dos Passos: duplamente grande
Mais Recentes
>>> A Volta ao Mundo Em 80 Dias de Julio Verne pela Via Leitura / Edipro (2017)
>>> Propaganda: o Caminho das Pedras de Humberto Mendes pela Nversos
>>> Tratado de Medicina Interna Vols I e II de Cecil Loeb pela Interamericana (1977)
>>> Nem Sofá, Nem Culpa de Luisa Cretella Micheletti pela Touro Bengala (2017)
>>> A Política Explicada aos Nossos Filhos de Myriam Revault Dallonnes pela Unesp (2018)
>>> A Família Em Primeiro Lugar de William J. Doherty pela Cultrix (2004)
>>> Se Eu Pudesse Viver Minha Vida Novamente de Rubem Alves pela Verus (2010)
>>> Brasilian Journal of Geology Vl 45 Number 2 June 2015 de Varios Autores pela Sbgeo (2015)
>>> A Casa do Poeta Trágico de Carlos Heitor Cony; Carlos Heitor Cony pela Objetiva (2005)
>>> Processo Civil - Volume unico de Rinaldo Mouzalas de Souza e Silva pela Juspodivm (2016)
>>> Mergulho Gilberto Salvador de Fabio Magalhaes pela Fundação Gilberto Salvador (2013)
>>> 200 Dias de Leitura e Escrita na Escola de Rossana Ramos pela Cortez (2008)
>>> Desarrollo Jurisprudencial de Primera Corte Constitucional 2012-2015 de Alfredo Ruiz Gusman pela Corte Constitucional del Ecuad (2015)
>>> Realidades e Ficções na Trama Fotográfica de Boris Kossoy pela Ateliê (2016)
>>> Caderno de Cinema do Professor: Dois - Luz, Câmera... Educação! de Devanil Tozzi (org.) ; Outros pela Fde Ed. (2009)
>>> Mulherzinhas - Edição Integral de Louisa May Alcott pela Via Leitura / Edipro (2020)
>>> Em Diálogo Com Tomás de Aquino - Conferencias e Ensaios de Jean Lauand pela Mandruvá (2002)
>>> A Balconista de Steve Martin pela Record (2002)
>>> O Tigre Branco de Aravind Adiga pela Agir (2015)
>>> Diário de uma Mãe Verdadeira de Daniela Barros pela Bb (2012)
>>> Marcas uma historia de amor mercadologica 1978 2003 de Varios autores pela Ripasa (2003)
>>> Tratamento de Direito Privado 13 de Vilson Rodrigues Alves pela Bookman (2000)
>>> A Luneta Magica de Joaquim Manuel de Macedo pela Paulus
>>> Complexo Dsgn-book de Rogério Hideki; Outros pela V. Rom (2006)
>>> Tobin Or Not Tobin - Porque Tributar o Capital Financeiro... de François Chesnais pela Unesp (1999)
COLUNAS

Sexta-feira, 24/4/2009
Simplesmente feliz
Marta Barcellos

+ de 7000 Acessos
+ 2 Comentário(s)

A sensação pode durar segundos. Sim, tudo isso. Do nada, surge um sentimento de plenitude. Você está inteiro, se sente vivo e integrado àquele momento. Ao mesmo tempo, consegue contemplar a si próprio e ao mundo com certo distanciamento, como se estivesse em suspenso. Está cheio de si, mas sem o orgulho bobo das conquistas mundanas ― tanto que nem lhe ocorre exibir aquela emoção para ninguém. Você guarda em segredo: está feliz.

Aproveite a minha modesta tentativa de descrever o tal momento e desencave do fundo da memória o instante fugidio em que se sentiu assim. Passou, é verdade, e nem lembramos como foi. Provavelmente nos distraímos com uma buzina, uma interrupção qualquer, e nem tentamos guardar um resquício daquela emoção, como se tivesse sido um sonho. Não foi. Todos já nos sentimos assim e por isso andamos por aí como se a tal felicidade estivesse à espreita, alcançável por um lance de sorte, acaso ou destino ― a gosto do freguês e das convicções filosóficas.

Uma dessas ocasiões eu guardei bem na memória, porque a sensação veio junto com uma lufada de ar quente. Eu descia do avião no Santos Dumont, no Rio, antes dos abomináveis fingers de hoje. Tratava-se de uma rotina ― o tal instante de felicidade cisma de aparecer em situações banais. A lufada veio junto com o cheiro de maresia, e ainda era dia; talvez fosse horário de verão. Uma entrevista burocrática em São Paulo acabara se transformando em uma conversa instigante, e me ocorreu, naquela viagem de volta, a máxima: "e ainda me pagam pra isso".

Mas nem sempre a tal felicidade acontece em lugares tão glamourosos como um aeroporto à beira-mar. Já me flagrei flertando com ela ao dirigir meu carro, a caminho de um compromisso qualquer. Dá vontade de abrir o vidro e deixar o vento soprar no rosto. Também me recordo de uma pequena caminhada, de mãos dadas, sob os primeiros raios de sol da manhã, quando ainda morava em São Paulo e minha vida saía de uma fase tumultuada. E olha que não sou exatamente conhecida pelo bom humor matinal ― sempre tive dificuldades de compreender quem acorda cantarolando.

É mais fácil falar de bom humor ou otimismo do que de felicidade. Percebi isso depois de ver Simplesmente feliz (Happy-go-lucky), filme que não escolhi por acaso: a intenção era manter o alto astral, depois de um dia puxado ― uma atitude digna de Poppy, a personagem principal. Professora primária, 30 anos, sem namorado, Poppy tem sua bicicleta furtada logo no início da trama e não se abala. Poppy nunca se abala. Tem uma capacidade infinita de ver o lado bom das coisas e das pessoas. Vislumbra no incidente com a bicicleta uma oportunidade para aprender a dirigir. Na autoescola, vai conviver com um instrutor que é a sua antítese.

No finalzinho do filme (não vou revelar nada demais, pode continuar lendo), o raivoso instrutor solta uma frase que pode passar despercebida do público, por conta da tensão da cena. Sim, garante ele, era feliz do seu jeito, mal-humorado e negativo, antes que ela o incomodasse com sua felicidade efusiva. Fiquei chocada quando alguém ao meu lado também admitiu algum incômodo com a personagem, que lhe lembrou um tipo "alegre, artificial, que não leva nada a sério". Preferi me identificar com o time das bem-humoradas que se vangloriavam, na saída do cinema: "Igualzinha a mim". Mas depois pensei em alguém assobiando às 7h da matina e decidi relativizar a questão. Talvez não suportasse a Poppy antes das 10h.

O fato é que o conceito de felicidade ― como um estado, e não um instante ― é um tanto individual. Há quem simplesmente a rechace, por identificá-la com paz, harmonia e chatice. No documentário Vinicius, de Miguel Faria Jr., Edu Lobo conta a confusão que foi a tentativa de se traduzir uma letra de Vinicius de Moraes. Tom Jobim, então nos Estados Unidos, havia adorado os versos "Foi a vida / Foi o amor quem quis / É melhor viver / Do que ser feliz". Quis utilizá-los em inglês, mas, conversando com o tradutor, percebeu o tamanho de seu desafio. Diante da transposição literal dos versos ("It´s better to live than be happy"), o tradutor se exaltou, convicto do erro de Jobim, que teria trocado "and" por "than". "Tom achou graça e comentou que o viver de Vinicius era completamente diferente do viver dos americanos", conta Edu no documentário.

Outro que também costuma defender por aí uma "vida interessante", em vez de uma "vida feliz", é o psicanalista Contardo Calligaris. Ou seja, a intensidade, em busca da tal felicidade, nos seria suficiente, talvez o máximo que deveríamos almejar. Eu tendo a concordar com Vinicius, Calligaris e companhia, mas acrescentaria que uma boa dose de humor e otimismo, à la Poppy, pode tornar a tarefa (viver) ainda mais agradável. Para fechar, dou a palavra a Ferreira Gullar, tintim por tintim, também no documentário Vinicius:

"Acho que a vida é uma invenção. Você pode inventar pro ruim ou inventar pro bom. Tenho horror a caras que ficam sempre pra baixo, falando da 'verdade sobre a existência'. Mentira, ninguém sabe qual é a verdade. Acho Beckett um chatola. Se você escolhe dizer que tudo é uma merda, que nada tem sentido, pode até ganhar o prêmio Nobel, mas não vai ajudar ninguém. Prefiro o cara que bota a vida pra cima. Já que ninguém sabe qual é a verdade, por que vou botar pra baixo?"

Vinicius de Moraes, conclui Gullar, ajuda a gente a viver. Daquele jeito, que os americanos não compreendem muito bem.

Nota do Editor
Marta Barcellos mantém o blog Espuminha de leite.


Marta Barcellos
Rio de Janeiro, 24/4/2009


Quem leu este, também leu esse(s):
01. Casa, poemas de Mário Alex Rosa de Jardel Dias Cavalcanti
02. Um grande romance para leitores de... poesia de Renato Alessandro dos Santos
03. Pílulas Poéticas para uma quarentena de Luís Fernando Amâncio
04. Os bigodes do senhor autor de Renato Alessandro dos Santos
05. Tecnologias e borboletas de Ana Elisa Ribeiro


Mais Marta Barcellos
Mais Acessadas de Marta Barcellos em 2009
01. Gostar de homem - 25/9/2009
02. Simplesmente feliz - 24/4/2009
03. Escrever pode ser uma aventura - 3/7/2009
04. Palavras que explodem no chão - 19/6/2009
05. Fim dos jornais, não do jornalismo - 3/4/2009


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

ENVIAR POR E-MAIL
E-mail:
Observações:
COMENTÁRIO(S) DOS LEITORES
25/4/2009
15h24min
Sempre desconfiei de pessoas que se dizem felizes todo o tempo. Felicidade é uma colcha de retalhos, um Lego que a gente vai montando. Tive uns três momentos de felicidades hoje. Tomando um delicioso café da manhã, pedalando pela orla numa manhã ensolarada do outono carioca e lendo o seu texto, ouvindo uma boa música. São 15h20 e não sei se terei mais felicidade por hoje. Espero que sim. Pode ser loucura, mas acho que a gente vai ficando mais feliz à medida que envelhece, pois valorizamos mais essas pequenas partículas de felicidade, enquanto que na juventude estamos sempre esperando GRANDES empregos, GRANDES amores, GRANDES experiências sexuais ou GRANDES aquisições materiais. bjs.
[Leia outros Comentários de Julio Corrêa]
26/4/2009
19h42min
Felicidade é mais rápida do que se pensa. Rapidamente vai embora quando você consulta seu saldo bancário.
[Leia outros Comentários de Renato]
COMENTE ESTE TEXTO
Nome:
E-mail:
Blog/Twitter:
* o Digestivo Cultural se reserva o direito de ignorar Comentários que se utilizem de linguagem chula, difamatória ou ilegal;

** mensagens com tamanho superior a 1000 toques, sem identificação ou postadas por e-mails inválidos serão igualmente descartadas;

*** tampouco serão admitidos os 10 tipos de Comentador de Forum.




Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




Carlota Ângela
Camilo Castelo Branco
Saraiva
(1958)



A Décima Nona Esposa
David Ebershoff
Benvirá
(2012)



A Adeus à Mulher Selvagem
Henri Coulonges
Abril Cultural



O Fã-clube
Irving Wallace
Círculo dos Livros



Ecologia Energética
John Phillipson
Nacional
(1969)



Secretaria
Roseli Mazulo e Sandra Liendo
Senac
(2010)



Vida Privada, Liberdade de Imprensa e Dano Moral
Pedro Frederico Caldas
Saraiva
(1997)



Coleção Gente - Cleofas Uchoa
Beatriz Marinho
Rio
(2004)



O Espião Inglês
Daniel Silva
Harper Collins
(2016)



Don Quijote de La Mancha 2
Miguel de Cervantes
Español Santillana
(2011)





busca | avançada
56914 visitas/dia
1,8 milhão/mês