Fim dos jornais, não do jornalismo | Marta Barcellos | Digestivo Cultural

busca | avançada
46852 visitas/dia
1,1 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Banda GELPI, vencedora do concurso EDP LIVE BANDS BRASIL, lança seu primeiro álbum com a Sony
>>> Celso Sabadin e Francisco Ucha lançam livro sobre a vida de Moracy do Val amanhã na Livraria da Vila
>>> No Dia dos Pais, boa comida, lugar bacana e MPB requintada são as opções para acertar no presente
>>> Livro destaca a utilização da robótica nas salas de aula
>>> São Paulo recebe o lançamento do livro Bluebell
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Rinoceronte, poemas em prosa de Ronald Polito
>>> A forca de cascavel — Angústia (FUVEST 2020)
>>> O reinado estético: Luís XV e Madame de Pompadour
>>> 7 de Setembro
>>> Outros cantos, de Maria Valéria Rezende
>>> Notas confessionais de um angustiado (VII)
>>> Eu não entendo nada de alta gastronomia - Parte 1
>>> Treliças bem trançadas
>>> Meu Telefunken
>>> Dor e Glória, de Pedro Almodóvar
Colunistas
Últimos Posts
>>> Revisores de Texto em pauta
>>> Diogo Salles no podcast Guide
>>> Uma História do Mercado Livre
>>> Washington Olivetto no Day1
>>> Robinson Shiba do China in Box
>>> Karnal, Cortella e Pondé
>>> Canal Livre com FHC
>>> A história de cada livro
>>> Guia Crowdfunding de Livros
>>> Crise da Democracia
Últimos Posts
>>> Uma crônica de Cinema
>>> Visitação ao desenho de Jair Glass
>>> Desiguais
>>> Quanto às perdas I
>>> A caminho, caminhemos nós
>>> MEMÓRIA
>>> Inesquecíveis cinco dias de Julho
>>> Primavera
>>> Quando a Juventude Te Ferra Economicamente
>>> Bens de consumo
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Ser intelectual dói
>>> O Tigrão vai te ensinar
>>> O hiperconto e a literatura digital
>>> Aberta a temporada de caça
>>> Se for viajar de navio...
>>> Incompatibilidade...
>>> Alguns Jesus em 10 anos
>>> Blogues: uma (não tão) breve história (II)
>>> Picasso e As Senhoritas de Avignon (Parte I)
>>> Asia de volta ao mapa
Mais Recentes
>>> O Livro da moda de Alexandra Black pela Publifolha (2015)
>>> Rejuvelhecer a saude como prioridade de Sergio Abramoff pela Intrinseca (2017)
>>> O livro das evidencias de John Banville Tradução Fabio Bonillo pela Biblioteca Azul - globo (2018)
>>> O futebol explica o Brasil de Marcos Guterman pela Contexto (2014)
>>> O Macaco e a Essencia de Aldous Huxley pela Globo (2017)
>>> BATISTAS, Sua Trajetória em Santo Antônio de Jesus: o fim do monopólio da fé na Terra do Padre Mateus de Jorgevan Alves da Silva pela Fonte Editorial (2018)
>>> Playboy Bárbara Borges de Diversos pela Abril (2009)
>>> Sarah de Theresa Michaels pela Nova Cultural (1999)
>>> A Bela e o Barão de Deborah Hale pela Nova Cultural (2003)
>>> O estilo na História. Gibbon & Ranke & Macaulay & Burckhardt de Peter Gay pela Companhia das Letras (1990)
>>> Playboy Simony de Diversos pela Abril (1994)
>>> Invasão no Mundo da Superfície de Mark Cheverton pela Galera Junior (2015)
>>> José Lins Do Rego- Literatura Comentada de Benjamin Abdala Jr. pela Abril Educação (1982)
>>> A modernidade vienense e as crises de identidade de Jacques Le Rider pela Civilização Brasileira (1993)
>>> Machado De Assis - Literatura Comentada de Marisa Lajolo pela Abril Educação (1980)
>>> A Viena de Wittgenstein de Allan Janik & Stephen Toulmin pela Campus (1991)
>>> O Velho e o Mar de Ernest Hemingway pela Círculo do livro (1980)
>>> Veneno de Alan Scholefield pela Abril cultural (1984)
>>> O Livreiro de Cabul de Asne Seierstad pela Record (2007)
>>> Os Dragões do Éden de Carl Sagan pela Francisco Alves (1980)
>>> O Espião que sabia demais de John Le Carré pela Abril cultural (1984)
>>> Administração de Materiais de Jorge Sequeira de Araújo pela Atlas (1981)
>>> Introdução à Programação Linear de R. Stansbury Stockton pela Atlas (1975)
>>> Como lidar com Clientes Difíceis de Dave Anderson pela Sextante (2010)
>>> As 3 Leis do Desempenho de Steve Zaffron e Dave Logan pela Primavera (2009)
>>> Curso de Educação Mediúnica 1º Ano de Vários Autores pela Feesp (1996)
>>> Recursos para uma Vida Natural de Eliza M. S. Biazzi pela Casa Publicadora Brasileira (2001)
>>> Jesus enxuga minhas Lágrimas de Elza de Almeida pela Fotograma (1999)
>>> As Aventuras de Robinson Crusoé de Daniel Defoe pela LPM Pocket (1997)
>>> Bulunga o Rei Azul de Pedro Bloch pela Moderna (1991)
>>> Menino de Engenho de José Lins do Rego pela José Olympio (1982)
>>> Terra dos Homens de Antoine de Saint-Exupéry pela Nova Fronteira (1988)
>>> O Menino de Areia de Tahar Ben Jelloun pela Nova Fronteira (1985)
>>> Aspectos Endócrinos de Interesse à Estomatologia de Janete Dias Almeida pela Unesp (1999)
>>> Nociones de Historia Linguística y Estetica Literaria de Antonio Vilanova- Nestor Lujan pela Editorial Teide/ Barcelona (1950)
>>> El Estilo: El Problema y Su Solucion de Bennison Gray pela Editorial Castalia/ Madrid (1974)
>>> El Cuento y Sus Claves de Raúl A. Piérola/ Alba Omil (profs. Univ. Tucumán pela Editorial Nova, Buenos Aires (1955)
>>> Las Fuentes de La Creacion Literaria de Carmelo M. Bonet pela Libr. del Collegio/ B. Aires (1943)
>>> As Hortaliças na Medicina Doméstica/ Encadernado de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar (1976)
>>> A Flora Nacional na Medicina Doméstica de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar
>>> Arlington Park de Rachel Cusk pela Companhia das Letras (2007)
>>> Muitas Vidas, Muitos Mestres de Brian L Weiss pela Salamandra (1991)
>>> As Frutas na Medicina Doméstica de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar
>>> Coleção Agatha Christie - Box 8 de Agatha Christie; Sonia Coutinho; Archibaldo Figueira pela HarperCollins (2019)
>>> As Irmãs Aguero de Cristina García pela Record (1998)
>>> Não Faça Tempestade Em Copo Dágua no Amor de Richard Carlson pela Rocco (2001)
>>> Um Estudo Em Vermelho - Edição De Bolso de Arthur Conan Doyle pela Zahar (2013)
>>> Eu, Dommenique de Dommenique Luxor pela Leya (2011)
>>> Os Cavaleiros da Praga Divina de Marcos Rey pela Global (2015)
>>> O Futuro da Filosofia da Práxis de Leandro Konder pela ExpressãoPopular (2018)
COLUNAS >>> Especial O fim dos jornais

Sexta-feira, 3/4/2009
Fim dos jornais, não do jornalismo
Marta Barcellos

+ de 4300 Acessos
+ 1 Comentário(s)

Lembro-me como se fosse ontem. Eu estava de licença-maternidade. Entre uma troca de fraldas e outra, peguei o jornal e levei um susto: a América Online tinha comprado a Time Warner por US$ 124 bilhões. Em segundos, os neurônios se conectaram e, encharcados de hormônios, chegaram à conclusão de que eu teria que mudar de área quando voltasse ao batente no jornal. Eu era setorista de varejo na Gazeta Mercantil, ou seja, cobria o setor de supermercados, shoppings e lojas em geral. Na minha mente excitada com a revolução recém-descoberta lá fora, no mundo além fraldas, todo tipo de comércio migraria para a internet em alguns meses.

Dias depois percebi o exagero, após uma desgastante tentativa de fazer as compras do mês pelo site Amélia ― domínio pago a preço de ouro pelo grupo Pão de Açúcar a um desses jovens que saíram registrando nomes "geniais" na rede. Mas o meu raciocínio fazia sentido, e ainda hoje faz, quando se pensa em alguns tipos de compra, como a de eletrônicos. Naquele janeiro de 2000, a livraria virtual Booknet já tinha se transformado no site Submarino, uma das experiências de negócios que sobreviveriam ao estouro da bolha. De qualquer forma, hoje acho graça de ter pensado, seriamente, que a internet acabaria com shoppings centers e supermercados.

Um dos problemas de estar no meio de uma revolução em curso é que nossa excitação com o futuro muitas vezes embota a percepção em relação ao presente, ao mundo real que ainda dita as regras. Por isso, na discussão que existe hoje sobre o fim dos jornais, faço questão de manter um pé em cada lado. Consigo entender a euforia dos blogueiros diante da derrocada dos jornais impressos nos Estados Unidos (afinal, os blogs seriam o futuro), mas também a estratégia retrógrada de um jornal ou revista que fecha seu conteúdo para assinantes (afinal, é preciso pagar o salário dos jornalistas no fim do mês). Veja bem, nas frases acima, embaralhei de propósito pontos de vista "adversários": os blogueiros não conseguem esconder sua inconsequência diante do caos, os jornais são anacrônicos e só pensam no curto prazo.

Não, eu não vou cair na tentação de colocar mais lenha nessa fogueira, que já arde sozinha há tempos. Minha bola de cristal certamente anda embaçada por tanta fumaça, e lembrem que cheguei a acreditar piamente que os shoppings ficariam vazios por causa das compras pela internet. Mais prudente não fazer previsões de longo prazo.

O que dá para dizer, hoje, é que os mais jovens preferem se informar por meio da internet a sujar a mão abrindo desajeitados jornais. Que os sites de conteúdo e informações ainda não descobriram uma maneira de se financiar, a ponto de suportar uma estrutura de apuração semelhante àquela em que o jornalismo atual se apoia. Que há espaço para muitas experiências na rede, mas não há dinheiro de investidores sobrando. Que credibilidade, quando se trata de informação, é muito importante. Que as marcas dos grandes grupos de mídia guardam uma forte imagem de credibilidade, mas estão perdendo relevância nos sistemas de busca na internet. Que os jornalistas andam alheios e atrasados em relação a quase tudo o que acontece na rede.

A transição para o futuro, seja ele qual for, poderá ser longa. O modelo de patrocínio, por exemplo, já é uma realidade para alguns veículos, que fazem cadernos especiais de interesse dos anunciantes, mantendo (quase) intacta a credibilidade de seu noticiário e reportagens principais. Essa parceria pode migrar do papel para a tela tranquilamente, no momento em que isso for conveniente para jornais, revistas e anunciantes. O modelo de assinaturas e de micropagamentos também pode dar fôlego ao jornalismo especializado que oferecer conveniência ou informações que não costumam ser compartilhadas na rede, como as financeiras. Muita gente pagará por um clique no celular para saber por que o trânsito está parado, ou fará uma assinatura para ter dicas exclusivas de investimentos.

Oportunidades assim, aliás, estão disponíveis hoje para qualquer empreendedor ― e esse é o grande barato da internet. Por enquanto, porém, as boas experiências de conteúdo de qualidade na rede partem apenas dos modelos colaborativos ― a propagada "monetização" cobre no máximo o salário dos administradores dos sites. No jornalismo, ninguém duvida que os "furos" dos blogueiros, e agora twitteiros, vieram para ficar. Espalhados pelo planeta, compartilhando ao vivo fotos e notícias fresquinhas, eles parecem mesmo imbatíveis.

Só que o jornalismo não é só isso. Coberturas maçantes e importantes exigem jornalistas dedicados e remunerados. Confesso que não consigo imaginar um fluxo constante de informações bem apuradas, razoavelmente isentas e editadas com critério sem uma estrutura parecida com a de um jornal. Mas, vá lá, digamos que seja possível criar algo novo, sem hierarquia, com mais agilidade e autonomia, reinventando o jornalismo. Mesmo assim, para a sociedade estar bem informada sobre seus políticos, seus governantes, sobre as empresas, a economia, será necessário algum modelo que inclua profissionais comprometidos exclusivamente com esta função.

O que vai acontecer, se o jornalismo não encontrar na internet uma forma de se tornar autossustentável, seja com as antigas marcas dos jornais ou com novas, criadas por blogueiros e empreendedores da rede? Pode ser que ninguém sinta falta. Pode ser que a sociedade se mobilize, por achar relevante o papel da imprensa escrita. Na semana passada, por exemplo, um senador democrata propôs a isenção de impostos aos jornais americanos. Mas pode ser também que nada disso aconteça. Ao contrário, quem sabe os jornais se tornarão cult e conviverão harmonicamente com sites turbinados por rios de dinheiro dos investidores que não sabiam onde aplicar depois do fim da crise de 2009 (lembra dela?). Quanto aos shoppings e supermercados, eles estarão lotados, é claro. E você vai continuar brigando por uma vaga no estacionamento.

Nota do Editor
Marta Barcellos mantém o blog Espuminha de leite.


Marta Barcellos
Rio de Janeiro, 3/4/2009


Quem leu este, também leu esse(s):
01. Do inferno ao céu de Cassionei Niches Petry
02. O tigre de papel que ruge de Celso A. Uequed Pitol
03. A Última Ceia de Leonardo da Vinci de Jardel Dias Cavalcanti
04. Salinger: uma vida de Luiz Rebinski Junior
05. Ideologias em forma de spam de Diogo Salles


Mais Marta Barcellos
Mais Acessadas de Marta Barcellos em 2009
01. Gostar de homem - 25/9/2009
02. Simplesmente feliz - 24/4/2009
03. Escrever pode ser uma aventura - 3/7/2009
04. Palavras que explodem no chão - 19/6/2009
05. Fim dos jornais, não do jornalismo - 3/4/2009


Mais Especial O fim dos jornais
* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

ENVIAR POR E-MAIL
E-mail:
Observações:
COMENTÁRIO(S) DOS LEITORES
6/4/2009
15h48min
Olá, Marta, concordo com ideias expostas no texto. Sou repórter de jornal impresso, mas não deixo de me atualizar sobre Web também. Há muito lero-lero, desconhecimento e "afobismo" dos dois lados. Se fosse acabar hoje com os jornais e depender de blogs, estariamos perdidos. E, engraçado, o mesmo vale para o contrário. E assim: eu também acredito ser difícil um monte de gente apurar assuntos por pura paixão, sem ganhar nada. Isso não existe. E se é pra ter gente inexperiente (tem blogueiros aos montes, jornalistas também) se metendo em assunto que não entende, nem Web nem jornal não vão servir pra nada, talvez pra piorar as coisas. Aí entra o "jornalismo cidadão" e tal. Legal é que numa lista de debates de cidadãos, vai poder entrar a assessoria e convencer um monte de gente. Vai poder entrar gente camuflada pra plantar mentiras, boatos também. Até porque a Web se assemelha à TV nesse afoite. Vide o que pipoca todo dia sobre BBB e que não é averiguado. Bom o teu blog também. Abraço.
[Leia outros Comentários de Rogério Kreidlow]
COMENTE ESTE TEXTO
Nome:
E-mail:
Blog/Twitter:
* o Digestivo Cultural se reserva o direito de ignorar Comentários que se utilizem de linguagem chula, difamatória ou ilegal;

** mensagens com tamanho superior a 1000 toques, sem identificação ou postadas por e-mails inválidos serão igualmente descartadas;

*** tampouco serão admitidos os 10 tipos de Comentador de Forum.




Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




PÂNICO NO ACAMPAMENTO (GOOSEBUMPS 10 - HISTÓRIAS DE ARREPIAR)
R. L. STINE
ABRIL
(1992)
R$ 22,28



A DOENÇA COMO LINGUAGEM DA ALMA
RÜDIGER DAHLKE
CULTRIX
(2004)
R$ 42,00



VIVER, PERDER, GANHAR
JANET GREESON
BEST SELLER
(1993)
R$ 7,80



A CIDADE DOS BEBÊS
JANE GREEN
RECORD
(2003)
R$ 18,00



OS SIGNOS E AS MULHERES
JUDITH BENNETT
NOVA ERA
(2002)
R$ 39,00



ROBERTO SCHUMANN SU ARTE Y SU VIDA
WILLI REICH
RICORD AMERICANA
(1957)
R$ 20,00



ORE DEPOSITES AND MANTLE PLUMES
FRANCO PIRAJNO
KLUWER ACADEMIC
(2000)
R$ 300,00



COPOS QUE ANDAM
ANTONIO CARLOS E VERA LÚCIA
PETIT
(1994)
R$ 15,00



O DESENHO DE LASAR SEGALL
NÃO DEFINIDO
MUSEU LASAR SEGALL
(1991)
R$ 35,00



HOMICÍDIO CONJUGAL EM PORTUGAL
ELZA MARIA HENRIQUES DEUS PAIS
HUGIN
(1998)
R$ 83,74





busca | avançada
46852 visitas/dia
1,1 milhão/mês