Os donos da voz | Rafael Fernandes | Digestivo Cultural

busca | avançada
28584 visitas/dia
1,0 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Banda GELPI, vencedora do concurso EDP LIVE BANDS BRASIL, lança seu primeiro álbum com a Sony
>>> Celso Sabadin e Francisco Ucha lançam livro sobre a vida de Moracy do Val amanhã na Livraria da Vila
>>> No Dia dos Pais, boa comida, lugar bacana e MPB requintada são as opções para acertar no presente
>>> Livro destaca a utilização da robótica nas salas de aula
>>> São Paulo recebe o lançamento do livro Bluebell
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Eu não entendo nada de alta gastronomia - Parte 1
>>> Treliças bem trançadas
>>> Meu Telefunken
>>> Dor e Glória, de Pedro Almodóvar
>>> Leminski, estações da poesia, por R. G. Lopes
>>> Crônica em sustenido
>>> Do inferno ao céu
>>> Meninos, eu vi o Bolsonaro aterrando
>>> Manual para revisores novatos
>>> A Copa, o Mundo, é das mulheres
Colunistas
Últimos Posts
>>> Brandenburg Concertos (1 - 6)
>>> 100 nomes da edição no Brasil
>>> Eu ganhei tanta coisa perdendo
>>> Toda forma de amor
>>> Harvard: o que não se aprende
>>> Pedro Cardoso em #Provocações
>>> Homenagem a Paulo Francis
>>> Arte, cultura e democracia
>>> Mirage, um livro gratuito
>>> Lançamento de livro
Últimos Posts
>>> João Gilberto: o mito
>>> Alma em flor
>>> A mão & a luva
>>> Pesos & Contra-pesos
>>> Grito primal II
>>> Calcanhar de Aquiles
>>> O encanto literário da poesia
>>> Expressão básica II
>>> Expressão básica
>>> Minha terra, a natureza viva.
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Christian Barbosa no MitA
>>> Obama e o oba-oba
>>> E se Amélia fosse feminista?
>>> O que é ser jornalista?
>>> Toda forma de amor
>>> O filósofo da contracultura
>>> Oderint Dum Metuant
>>> Beleza e barbárie, ou: Flores do Oriente
>>> A fragilidade dos laços humanos
>>> A fragilidade dos laços humanos
Mais Recentes
>>> Language Its Nature - Development and Origini de Otto Jespersen, (Prof. Univ. Coppenhagen)./ pela George Allen & UnwinnLtd/London (1949)
>>> El Espejo y La Lámpara: Teoría Romántica y Tradición Clásica de M. H. Abrams pela Eitorial Nova/ Argentina (1962)
>>> Clause Sauf Encaissement de Casimir Pajot pela Librairie Nouvelle de Droit Et de Jurisprudence (1891)
>>> Catolicismo para Leigos de John Trigilio e Kenneth Brighenti pela Altabooks (2008)
>>> Estudos Sobre Sucessões Testamentária de Orosimbo Nonato pela Forense (1957)
>>> Los Caminos Actuales de La Critica (Encadernado) de René Girard/ G. W. Ireland/ Jacques Leenhardt... pela Planeta/ Barcelona (1969)
>>> Instituições de Direito Civil Portuguez de M.A. Coelho da Rocha pela Garnier Livreiro (1907)
>>> Régimen Argentino de la Propiedad Horizontal de José A. Negri pela Arayú (1953)
>>> Enciclopédia de Cultura de Joaquim Pimenta pela Freitas Bastos (1963)
>>> Direitos de Família de Lafayette Rodrigues Pereira pela Freitas Bastos (1945)
>>> Demarcação Divisão Tapumes de Alfredo de Araujo Lopes da Costa pela Bernardo Alves S.A. (1963)
>>> Consultor Civil de Carlos Antonio Gordeiro pela Garnier (1913)
>>> El Derecho de Familia en La Legislacion Comparada de Luis Fernandez Clerico pela Hispano Americana (1947)
>>> Estudos de Direito Civil de Manoel Martins Pacheco Prates pela São Paulo (1926)
>>> Direitos Reaes de Garantia de J.L. Ribeiro de SouSa pela C. Teixeira
>>> Obrigações de Pagamento em Dinheiro (Três Estudos) de Paulo Barbosa de Campos Filho pela Jurídica e Universitária (1971)
>>> Teoria e Pratica dos Testamentos de Manoel Ubaldino de Azevedo pela Saraiva (1965)
>>> Les Groupements D' Obligataires de Albert Buisson pela Librairie Générale de Droit et de Jurisprudence (1930)
>>> Novo Código Civil Anotado Volume II ( Direito das Obrigações) de J.M.Leoni Lopes de Oliveira pela Lumen Juris (2002)
>>> Curso de Direito Civil ( Volume 6 ) Direito das Sucessões de Washington de Direito Monteiro pela Saraiva (1964)
>>> Curso de Direito Civil ( Volume 5 ) (Direto das Obrigações 2ª parte) de Washington de Direito Monteiro pela Saraiva (1991)
>>> Curso de Direito Civil ( Volume 4 ) Direito das Obrigações de Washington de Direito Monteiro pela Saraiva (2019)
>>> Curso de Direito Civil ( Volume 3 ) Direito das Coisas de Washington de Direito Monteiro pela Saraiva (1991)
>>> Curso de Direito Civil ( Volume 2 ) Direito Família de Washington de Direito Monteiro pela Saraiva (1992)
>>> Curso de Direito Civil ( Parte Geral) Volume 1 de Washington de Direito Monteiro pela Saraiva (1964)
>>> Usucapião de Imóveis de Lourenço Mario Prunes pela Sugestões Literárias S/A
>>> Instituições de processo Civil (Volume VI) de Caio Mário da Silva Pereira pela Forense (2007)
>>> Direito Civil Volume 6 de Silvio Rodrigues pela Saraiva (2004)
>>> O Pensamento Vivo de Einstein (Edição Ilustrada) de José Geraldo Simões Jr.: (Pesquisa e Tradução) pela Martin Claret (1986)
>>> Direito Civil Volume 2 de Silvio Rodrigues pela Saraiva (2002)
>>> Posse o Direito e o Processo de Guido Arzua pela Revista dos Tribunais (1957)
>>> Estudo da Posse e das Acções Possessorias de Leopoldino Amaral Meira pela Livraria Academica (1928)
>>> Acção Possessória de J.M. de Azevedo Marques pela São Paulo (1923)
>>> O Direito de Ação e o Modo de Execê-lo de Ataliba Vianna pela Forense (1969)
>>> O Pensamento Vivo de Darwin (Edição Ilustrada) de Eide M. Murta Carvalho (Pesquisa/Org. Tradução) pela Martin Claret (1986)
>>> Contratos de Seguro de Vários pela Juruã (1990)
>>> O Pensamento Vivo de Darwin (Edição Ilustrada) de Eide M. Murta Carvalho (Pesquisa/Org. Tradução) pela Martin Claret (1986)
>>> Do Seguro Contra Fogo de J. Stoll Gonçalves pela Empreza Graphica (1926)
>>> O Pensamento Vivo de Darwin (Edição Ilustrada) de Eide M. Murta Carvalho (Pesquisa/Org. Tradução) pela Martin Claret (1986)
>>> O Pensamento Vivo de Darwin (Edição Ilustrada) de Eide M. Murta Carvalho (Pesquisa/Org. Tradução) pela Martin Claret (1986)
>>> Seguros Legislação de Nilton Alberto Ribeiro pela Francisco Alves (1974)
>>> Servidões de J.L. Ribeiro de Souza pela Academica Saraiva (1931)
>>> A Vontade Unilateral nos Direitos de Créditos da Acção Rescisoria das Sentenças e Julgadas de Manoel Ignacio Carvalho de Mendonça pela Freitas Bastos (1940)
>>> Dos Defeitos dos Jurídicos na Doutrina e na Jurisprudência de Ulderico Pires dos Santos pela Saraiva (1981)
>>> Condomínio e Incorporações de Caio Mário da Silva Pereira pela Forense (1981)
>>> Condomínio e Incorporações de Caio Mário da Silva Pereira pela Forense (1983)
>>> Manuel de L'Expertise Incendi de L. Lhéritier O. I. pela Librairie de la Construction Moderne (1934)
>>> El Derecho de Revision de Renta en los Arrendamientos Rusticos de J. Martin Blanco pela Revista de Derecho Privado (1954)
>>> Guida Pratica Del Condominio de Oliviero Bosisio pela Milano L. Di G. Pirola (1947)
>>> Posse o Direito e o Processo de Guido Arzua pela Revista dos Tribunais (1960)
COLUNAS

Quarta-feira, 7/10/2009
Os donos da voz
Rafael Fernandes

+ de 2600 Acessos

Os donos da voz (Boitempo Editorial, 2000, 184 págs.), de Maria Tosta Dias, faz um panorama da construção do mercado fonográfico brasileiro. O livro não vai muito a fundo no assunto, nem pretende, mas é eficaz ao mostrar os atores desse mercado e o desenvolvimento dos meios de produção. Também tem boas observações sobre como o negócio da música se monta através das tecnologias do momento e de como sua estrutura principal se acomoda em grandes empresas que raramente têm a música como negócio principal.

Antes de prosseguir, um porém. O livro tem uma linguagem de tese, que por vezes cansa, em especial quando faz referências teóricas e tende para um lado mais sociológico. Mas não atrapalha sua leitura por dois motivos. Primeiro, o mais óbvio: sabemos de antemão que livro surgiu a partir de uma tese de mestrado de sociologia da autora, ou seja, já é de se esperar as referências e a linguagem. Segundo, as informações são muito boas, amenizando essa pequena objeção.

Em relação à evolução do negócio, observamos no livro como o piano e as partituras podem ser a origem da "música de massa" e como a edição padronizada de tais partituras pode ter sido um dos primeiros momentos do mercado fonográfico. A partir do advento dos tocadores é que os discos se afirmaram como produto principal.

No capítulo sobre difusão são interessantes os comentários sobre a Rádio Nacional, mostrando sua importância como empresa e como centro de entretenimento. Tinha um cast fixo, incluindo cantores. Por causa disso, mantinha relações com a indústria do disco, mas fazia uso da música apenas para conquistar fidelidade de programação. Ou seja, na maioria das vezes, o artista era simplesmente um veículo para alguma outra finalidade. Nessa época, as rádios produziam muito mais conteúdo e não apenas focavam na difusão, tendência que se iniciou a partir dos anos 70.

Nesse mesmo momento, as verbas para publicidade das empresas começaram a passar para a TV, deixando um pouco de lado as rádios e provocando mudanças significativas.Também nos anos 70 apareceram os LPs, que dominaram o mercado e deixaram para trás o consumo de compactos. Com o domínio desse formato, outra mudança: os artistas e suas obras se tornam mais importantes do que o disco e a consequência disso é que as gravadoras começaram a apostar em casts mais estáveis.

Interessante que isso também confirma o que André Midani, um dos grandes gestores de gravadora do país, coloca em seu livro de memórias: na era do disco, o artista era a figura mais importante; assim, as pessoas iam às lojas e peguntavam pelo "novo disco da Bethânia". Com a internet e a fragmentação, as músicas se tornaram mais importantes que o artista (e que o disco, claro!). Dessa forma, uma nova pergunta surgiu: "você tem o disco que tem a música tal?". Hoje são as músicas avulsas que "comandam".

Já no fim dos anos 70, no Brasil, começam os movimentos de aproveitar o segmento de mercado do público jovem, principalmente no rock. Como a frase do mesmo André Midani colocada em Os donos da voz: "O futuro imediato da MPB está no rock" (posicionamento reforçado, novamente, em seu livro de memórias). O mercado do rock proporcionou um barateamento das produções (não precisa de arranjadores, maestro, músicos acompanhantes etc.). De certa forma, nesse momento começou o processo de democratização do acesso a gravações.

A partir da organização mais profissional do mercado brasileiro, aconteceu o fenômeno de acomodação: de apostar no retorno certo, deixando pouco espaço para inovação ou melhora na qualidade dos produtos. Maria Tosta Dias afirma, no livro, que o negócio do disco (ou seja, gravadoras) se baseou e se manteve através do desenvolvimento e da "propriedade das máquinas de gravação e reprodução". Daí inferimos que o mercado baseado no disco não faz mais sentido nos dias de hoje, já que os meios de gravação estão difundidos, democratizados e a reprodução não mais centralizada nas gravadoras.

O universo do estudo foca na produção nacional até os anos 90. É o retrato de uma época; em especial até o meio da década, que foi o auge de venda de discos no Brasil, diferente da derrocada atual. Por exemplo: cita gravadoras que não têm mais a relevância anterior, como Velas, ou Paradoxx Music, que fechou. Mas isso não deprecia em nada a observação. Ou melhor, evidencia a evolução e auge do negócio. Mostra, ainda, que o que se chama de mercado independente no Brasil pode não ser tão recente quanto parece. Nesse contexto muitos grupos dos anos 80, sem acesso a gravadoras, usavam o precedente de vender discos em shows, muitas vezes com sucesso ― algo que voltou a estar "na moda" e é citado por muitos artistas de hoje como um fator importante para o mercado atual.

Por todo o livro vão sendo citadas algumas práticas comerciais das gravadoras que contribuíram para o desgaste do mercado e no plano cultural. Por exemplo, o grande número de lançamento de coletâneas (produtos quase totalmente amortizados e com retorno certo), divulgação de artistas que tocam o ritmo do momento (que demandam baixo investimento e têm alto retorno em curto prazo) e insistência em fórmulas musicais conhecidas. As argumentações são muitas vezes entrecortadas por declarações de gente do meio.

Os donos da voz escancara (apesar de rapidamente) a existência do jabá, citando, inclusive, exemplos e valores. Ressalta o boom de faturamento gerado pelas vendas de CDs a partir do fim dos anos 80 graças, principalmente, à reedição de álbuns que estavam fora de catálogo e à reposição da coleção de LPs. O fim dos anos 90 trouxe a união do declínio dessa reposição de catálogo ao aparecimento dos softwares de trocas de arquivo via internet.

Como dito no começo deste texto, é curioso notar o fenômeno de como as mudanças no mercado de venda de música vieram e continuam vindo de empresas de outros tipos, em geral produtoras de hardware, como empresas de aparelhos de som, eletrônicos e tecnologia. Ou, num momento anterior, de casas noturnas, estúdios e lojas. Para muitas dessas, em especial as grandes corporações, o mercado fonográfico era apenas mais um dos negócios. Seu declínio faz com que tais empresas apenas façam cortes ou até deixem de atuar nesse segmento, sem grandes perdas para elas. O sucesso do iTunes e iPod corrobora essa observação. E essa e muitas outras possíveis soluções para o mercado da música não estão saindo de empresas estritamente musicais.

É importante voltar a citar que livro cobre, basicamente, uma era pré-internet (assunto que é tratado no apêndice da segunda edição) e o desenvolvimento da indústria fonográfica; ou seja, indústria do disco e não da música. O apêndice se fez necessário na nova edição para tentar passar pelas tendências geradas pela internet, como serviços de música on-line, em celulares, a circulação de música de forma avulsa (apenas uma canção) e a possibilidade do fim do álbum. Os donos da voz não encerra seu assunto apenas no descrito neste texto, o livro tem outros elementos não explorados aqui. Ao término da leitura fica a sensação de ser um dos livros seminais sobre a indústria da música no Brasil.

Para ir além






Rafael Fernandes
São Paulo, 7/10/2009


Quem leu este, também leu esse(s):
01. 40 anos sem Carpeaux de Celso A. Uequed Pitol
02. Saudade de ser 'professor' de Filosofia de Cassionei Niches Petry
03. Nós que aqui estamos pela ópera esperamos de Renato Alessandro dos Santos
04. A entranha aberta da literatura de Márcia Barbieri de Jardel Dias Cavalcanti
05. Sobre mais duas novelas de Lúcio Cardoso de Cassionei Niches Petry


Mais Rafael Fernandes
Mais Acessadas de Rafael Fernandes em 2009
01. 10 músicas: Michael Jackson - 22/7/2009
02. A Crise da música ― Parte 1/3 - 25/3/2009
03. A Crise da música ― Parte 2/3 - 29/4/2009
04. Chinese Democracy: grande disco - 25/2/2009
05. A Crise da música ― Parte 3/3 - 8/7/2009


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




A PROMESSA
RICHARD PAUL EVANS
LUA DE PAPEL
(2011)
R$ 16,07



A ESPADA DO PODER
RUTH LANGAN
HARLEQUIN BOOKS
(2005)
R$ 8,94



OBRAS COMPLETAS VOL. 6
A. AUSTREGESILO
GUANABARA
(1946)
R$ 29,40



EXAME INFO DICAS 120 - FOTO PELO CELULAR
VÁRIOS AUTORES
ABRIL
(2013)
R$ 14,00



ARQUIVOS DE ZOOLOGIA DO ESTADO DE SÃO PAULO VOL II TOMO XXV
IMPRENSA OFICIAL DO ESTADO
IMPRENSA OFICIAL DO ESTADO
(1942)
R$ 158,00



GRANDES LIDERES BENITO JUAREZ
DENNIS WEPMAN
NOVA CULTURAL
(1988)
R$ 4,90



ACTAS DAS 2AS JORNADAS DE CERÂMICA MEDIEVAL E PÓS MEDIEVAL MÉTODO
JOÃO MANUEL DIOGO HELDER CHILRA ABRAÇOS
CÂMARA MUNICIPAL DE TONDELA
(1998)
R$ 60,29



PARA SEMPRE
KIM E KRICKITT CARPENTER
NOVO CONCEITO
(2012)
R$ 44,90
+ frete grátis



BREVE DICCIONARIO ETIMOLÓGICO DE LA LENGUA ESPAÑOLA - 9099
GUIDO GÓMES DE SILVA
ECM FCE
(1995)
R$ 40,00



O PARAÍSO É UMA QUESTÃO PESSOAL
RICHARD BACH
RECORD
(1974)
R$ 10,00
+ frete grátis





busca | avançada
28584 visitas/dia
1,0 milhão/mês