Intolerância | Guilherme Pontes Coelho | Digestivo Cultural

busca | avançada
74045 visitas/dia
1,8 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Férias de Julho: Museu Catavento e Teatro Sérgio Cardoso recebem a Cia. BuZum!
>>> Neos firma parceria com Unicamp e oferece bolsas de estudo na área de inteligência artificial
>>> EcoPonte apresenta exposição Conexões a partir de 16 de julho em Niterói
>>> Centro em Concerto - Palestras
>>> Crônicas do Não Tempo – lançamento de livro sobre jovem que vê o passado ao tocar nos objetos
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> As fezes da esperança
>>> Quem vem lá?
>>> 80 anos do Paul McCartney
>>> Gramática da reprodução sexual: uma crônica
>>> Sexo, cinema-verdade e Pasolini
>>> O canteiro de poesia de Adriano Menezes
>>> As maravilhas do modo avião
>>> A suíte melancólica de Joan Brossa
>>> Lá onde brotam grandes autores da literatura
>>> Ser e fenecer: poesia de Maurício Arruda Mendonça
Colunistas
Últimos Posts
>>> Oye Como Va com Carlos e Cindy Blackman Santana
>>> Villa candidato a deputado federal (2022)
>>> A história do Meli, por Stelleo Tolda (2022)
>>> Fabio Massari sobre Um Álbum Italiano
>>> The Number of the Beast by Sophie Burrell
>>> Terra... Luna... E o Bitcoin?
>>> 500 Maiores Álbuns Brasileiros
>>> Albert King e Stevie Ray Vaughan (1983)
>>> Rush (1984)
>>> Luiz Maurício da Silva, autor de Mercado de Opções
Últimos Posts
>>> PANFLETO AMAZÔNICO
>>> Coruja de papel
>>> Sou feliz, sou Samuel
>>> Andarilhos
>>> Melhores filme da semana em Cartaz no Cinema
>>> Casa ou Hotel: Entenda qual a melhor opção
>>> A lantejoula
>>> Armas da Primeira Guerra Mundial.
>>> Você está em um loop e não pode escapar
>>> A vida depende do ambiente, o ambiente depende de
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Os enciclopedistas franceses rolam nos túmulos
>>> Entrevista com Chico Pinheiro
>>> Lá onde brotam grandes autores da literatura
>>> Efeitos periféricos da tempestade de areia do Sara
>>> Era uma casa nada engraçada
>>> Entrevista da Camille Paglia
>>> Vamos sentir saudades
>>> Sexo virtual
>>> The more you ignore me, the closer I get
>>> Padre chicoteia coquetes e dândies
Mais Recentes
>>> Brincar de Viver de Maggie Shayne pela Best Seller (2003)
>>> Só o Amor Constrói de Jose Severino Pessoa pela Edicon (2013)
>>> Seminário Sobre Racismo - Kampala / Uganda 29 Marzo - 8 Abril de Cosec pela Cosec / Cie (1961)
>>> Aborto e Contracepção - Atualidade e Complexidade da Questão de Celso Cezar Papaleo pela Renovar (2000)
>>> A Fascinação pelo Pior de Florian Zeller pela Rocco (2008)
>>> São Paulo Em 1836 - Ensaio Dum Quadro Estatistico da Província de Sp de Marechal D. P. Müller pela Reedição Litteral (1923)
>>> Amor de Natal de Leo Buscaglia pela Record (1987)
>>> Algumas Questões Polemicas do Novo Codigo Civil Brasileiro-2ª. de Marcos Antonio Benasse pela Bookseller (2004)
>>> Território V de Zizzy Ysatis (org.) / Giulia Moon / Cid Ferreira pela Terracota (2009)
>>> A Batalha do Apocalipse de Eduardo Spohr pela Verus (2010)
>>> O segredo de Rhonda Byrne pela Sextante (2015)
>>> Wanderweg de Jack Alain Leger pela Best Seller (1988)
>>> Três Mistérios de Lelis; Telma Guimarães Castro Andrade pela Atual Didáticos (2009)
>>> O Melhor de Mim de Nicholas Sparks; Fabiano Morais pela Arqueiro (2012)
>>> Tim de Colleen Mccullough pela Círculo do Livro (1974)
>>> Estrategia - uma Visao Executiva de Cornelis de Kluyver; John Pearce Ii pela Prentice Hall Brasil (2010)
>>> Pequena Abelha de Chris Cleave; Maria Luiza Newlands pela Intrinseca (2010)
>>> A Ponte dos Judeus de Martí Gironell pela Planeta do Brasil (2009)
>>> Compêndio de Biologia, Química e Física de Olentina de Souza Lima e Outros pela Iracema
>>> Os Mistérios das Múmias de Ciranda Cultural pela Ciranda Cultural
>>> Sistemas de Comunicação Popular de Joseph M. Luyten pela Ática (1988)
>>> Dados - Revista de Ciências Sociais - Volume 52 - 1 de Charles Pessanha - Edit. pela Iuperj (2009)
>>> A Death in Brazil - a Book of Omissions de Peter Robb pela Henry Holt
>>> Estórias ao Entardecer de William Netto Candido pela O Autor
>>> Prisioneiro do Caos de Vicente de Paulo Silva pela Via Sette (2001)
COLUNAS

Quarta-feira, 14/10/2009
Intolerância
Guilherme Pontes Coelho

+ de 4000 Acessos
+ 1 Comentário(s)

Minha filha foi promovida nas aulas de natação. Da turminha de "acquababy", na qual os pirralhos entram acompanhados por um dos pais, passou para a de natação infantil, onde eles se descabelam sozinhos. No primeiro dia de aula na nova turminha, cheguei cedo demais. Esperamos à beira da piscina o tempo passar, eu e ela conversando discretamente no nosso dialeto particular.

Dora, minha filha, parou um pouco de falar e achou mais interessante escalar uma porta cheia de frisos e de dois metros de altura. Tudo bem, fiquei observando. E, enquanto a observava, comecei a prestar atenção no papo que duas jovens mães levavam ao meu lado. Uma aparentava menos de trinta, a outra, pouquinho mais. O jeito dondoca de vestir e falar é bem a cara do nosso bairro, o Sudoeste. O filho de uma, da mais nova, ainda iria entrar na piscina, ela esperava como eu a hora de começar a aula. O filho da outra, de uns quatro ou cinco anos, estava saindo da aula dele, noutra piscina. Uma dupla chegando, outra saindo, elas se encontraram e começaram a conversar. Um papo muito interessante.

Claro que o assunto era a educação dos filhos. Se você já tiver crianças, sabe como é. É um assunto corriqueiro. Inclusive, é uma ótima maneira de iniciar conversas (com quem já tem filhos). Eu começaria ouvir o papo delas de qualquer forma, pais e mães sempre têm algo a acrescentar, alguma dica para dar a outros. É uma troca de informações frequente, mesmo que dessa forma: abelhudando o papo alheio. Número de pediatra, indicação de lojas de roupas baratas, uma receita de berinjela disfarçada de alguma coisa gostosa, e por aí vai ― a gente vive trocando figurinhas. Mas aquelas figurinhas que as duas mães trocavam não eram exatamente as que eu queria pra minha coleção.

"Eu falo pro meu filho: 'Não, não ande com aquele coleguinha ali, não,viu? Ele não é boa influência'. Falo mesmo!", dizia uma, ao que a outra respondia: "É, a gente tem que ter cuidado mesmo. Não pode deixar, não", e a primeira complementava: "É má influência mesmo! Não quero isso perto do meu filho de jeito maneira!", e a segunda prosseguia: "Começa assim, cedo mesmo. Cada uma que cuide do seu..." etc.

Elas não conversavam assim, nesse pingue-pongue. A fala de uma cortava o final da fala da outra, típico de quem quer falar mais e ouvir menos. Elas se referiam, pelo que percebi, a crianças de outro meio, acho que da escola. E ambas continuaram o exercício pseudopedagógico. E eu prestando atenção. (E Dora escalando a porta.)

Duas mães jovens, bonitas, bem de vida, dando lições de intolerância aos filhos. Estigmatizando e excluindo coleguinhas dos meninos ― e plantando nos próprios filhos, desde a infância, a semente do preconceito.

Maternidade/paternidade: assunto difícil. Difícil pra caralho. Os pais fazem o que podem (uma tia de quem gosto muito já me disse que "Fazem o que conseguem!"). Mesmo que aquela mãe creia estar educando, não pude evitar o pensamento de que aliciar o próprio filho com o fim de afastar outra criança é uma demonstração obtusa de insegurança maternal. O menino vive a vida dele, e você cuida pra que ele, o filho, vá vivendo e aprendendo.

No fundo, poucos pensam em rever valores e atitudes quando viram pai/mãe. A primeira coisa que passa pela cabeça e se incorpora ao papel de educadores é o de transmitir os valores já estabelecidos. É o medo da transgressão, da quebra de hábitos familiares.

Um outro exemplo de intolerância me fez pensar, inclusive, que não deve ser só o medo da mudança, mas uma vontade direta e clara de estigmatizar. Okay, talvez eu esteja exagerando, mas foi o que pensei quando a seguinte coisa aconteceu.

Reunião de pais na creche. Adoro. Geralmente falo o mínimo possível, quando falo. Cedo a vez a quem gosta de barraco, de criar debates calorosos sobre coisas que não farão a menor diferença na educação dos nossos pirralhos. Numa dessas reuniões, pediu pra falar uma certa mãe (a qual minha esposa, depois, me confirmou ser muito, digamos, "contundente" ― barraqueira). A tal senhora, mãe de duas filhas (de 5 e 6 anos, ou 4 e 5, sei lá), apresentou a seguinte proposta: que nas agendas de acompanhamento que nós, pais, recebemos todo santo dia, além das observações alimentares e pedagógicas, houvesse avisos sobre coleguinhas com piolho ou com "coisas" contagiosas, tipo gripe. Porra, qual é?

O que é que eu vou fazer com uma informação dessa? Cochichar no ouvido da Dora: "Não brinque com o Joãozinho, ele faz [causa] dodói"? Crianças doentes não vão pra creche. Ponto. A creche sabe disso, os pais sabem disso, inclusive essa mãe separatista. Mas pense bem: abrir a boca no meio de umas sessenta pessoas e sugerir uma medida "preventiva" para uma coisa que nunca acontece, medida esta cujo efeito seria estigmatizar, é ou não é uma vontade louca de impor um valor escuso sem dar brechas à tolerância e à compreensão?

Pode ser carência. Tem muito de insegurança. Há, sem dúvida, uma dose de medo (não sei precisar do quê, exatamente). Mas parece haver um gosto inegável pela intransigência, mesmo.

Voltando às dondocas, elas se despediram quando a aula ia começar. Uma saiu, com seu rapazote. A outra ficou, a mais jovem, sentou ao meu lado e assistiu à aula do filho, recém-coleguinha da minha menina. Não propriamente conversamos, mas trocamos umas frases. Ela se queixava de que os professores estavam fazendo "coisas muito perigosas" com as crianças, do tipo: mergulhos de, se muito, um metro de altura ― um metro. Eu ouvia esse tipo de coisa, e olhava pras crianças pulando na piscina, cheias de vontade, todas sorrindo.

Acabou a aula, pegamos nossas crianças, conversei com a professora, fui trocar a Dora. Eu a levei pra almoçar.


Guilherme Pontes Coelho
Águas Claras/Brasília, 14/10/2009


Quem leu este, também leu esse(s):
01. A sujeira embaixo do tapete de Renato Alessandro dos Santos
02. Um grande romance para leitores de... poesia de Renato Alessandro dos Santos
03. Filmes de guerra, de outro jeito de Ana Elisa Ribeiro
04. Sobreviver à quarentena de Luís Fernando Amâncio
05. Championship Vinyl - a pequena loja de discos de Renato Alessandro dos Santos


Mais Guilherme Pontes Coelho
Mais Acessadas de Guilherme Pontes Coelho em 2009
01. A morte de Michael Jackson, um depoimento - 5/8/2009
02. Exógeno & Endógeno - 4/11/2009
03. Entre a simulação e a brincadeira - 11/3/2009
04. Meu assassino - 10/6/2009
05. Sobre escrever a História - 17/6/2009


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

ENVIAR POR E-MAIL
E-mail:
Observações:
COMENTÁRIO(S) DOS LEITORES
14/10/2009
10h35min
Ser mãe não é uma tarefa muito fácil. Principalmente porque temos a tendência de complicar ainda mais. Tenho uma filha de 8 (quase 9) anos e desde o momento que descobri estar grávida eu reflito sobre minhas atitudes e as consequências destas na vida da minha filha. E te confesso que já vivi situações de orientar a minha pequena que mantivesse distância de determinada coleguinha... Não foi uma tarefa fácil. Mas foi necessário... Nunca por razões econômicas ou sociais, mas somos os responsáveis pela segurança de nossas crianças e, diante de uma má influência (ainda que de pouca idade), acredito que o mais apropriado seja se afastar. Confesso que cheguei a vislumbrar a possibilidade de tomar o caminho contrário... Em vez de me afastar (minha filha), me envolver. Tentar solucionar ou, pelo menos, ajudar nos problemas que a criança (a coleguinha) apresentava. Mas isso ia além das minhas forças... E agora, ao ler o teu texto, lembrei da minha decisão de seguir o caminho mais fácil.
[Leia outros Comentários de Maite Lemos]
COMENTE ESTE TEXTO
Nome:
E-mail:
Blog/Twitter:
* o Digestivo Cultural se reserva o direito de ignorar Comentários que se utilizem de linguagem chula, difamatória ou ilegal;

** mensagens com tamanho superior a 1000 toques, sem identificação ou postadas por e-mails inválidos serão igualmente descartadas;

*** tampouco serão admitidos os 10 tipos de Comentador de Forum.




Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




Lucie im Wald mit den Dingsda
Peter Handke
Suhrkamp
(2001)



Grandes Líderes da História
Jonathan Gifford
Gente
(2011)



Dicionário Básico de Mitologia Grécia Roma Egito
Luiz A. P. Victoria
Ediouro
(2000)



Vale a Pena Amar
Jose Carlos De Lucca
Petit
(2008)



The Golden Coin F1
Dirce Guedes
Ftd
(1992)



A Roupa do Corpo
Francisco Azevedo
Record
(2020)



O Faraó Alado
Joan Grant
Pensamento
(1988)



Moby Dick
Herman Melville
Abril
(2012)



Auto da Barca do Inferno: Farsa de Inês Pereira ; Auto da índia
Gil Vicente
Atica
(2006)



Retrato Em Sépia
Isabel Allende
Bertrand Brasil
(2001)





busca | avançada
74045 visitas/dia
1,8 milhão/mês