Entre a simulação e a brincadeira | Guilherme Pontes Coelho | Digestivo Cultural

busca | avançada
61534 visitas/dia
2,1 milhões/mês
Mais Recentes
>>> Zé Guilherme recebe o pianista Matheus Ferreira na série EntreMeios
>>> Chamada Vale recebe cadastro de cerca de 3 mil projetos
>>> Lançamento do Mini Doc Tempo dell'Anima
>>> Cinema in Concert com João Carlos Martins une o cinema à música sinfônica em espetáculo audiovisual
>>> Editora Unesp lança 20 livros para download gratuito
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Cabelo, cabeleira
>>> A redoma de vidro de Sylvia Plath
>>> Mas se não é um coração vivo essa linha
>>> Zuza Homem de Mello (1933-2020)
>>> Eddie Van Halen (1955-2020)
>>> Prêmio Nobel de Literatura para um brasileiro - II
>>> Vandalizar e destituir uma imagem de estátua
>>> Partilha do Enigma: poesia de Rodrigo Garcia Lopes
>>> Meu malvado favorito
>>> A pintura do caos, de Kate Manhães
Colunistas
Últimos Posts
>>> Zuza Homem de Mello no Supertônica
>>> Para Ouvir Sylvia Telles
>>> Van Halen ao vivo em 1991
>>> Metallica tocando Van Halen
>>> Van Halen ao vivo em 2015
>>> Van Halen ao vivo em 1984
>>> Chico Buarque em bate-papo com o MPB4
>>> Como elas publicavam?
>>> Van Halen no Rock 'n' Roll Hall of Fame
>>> A última performance gravada de Jimmi Hendrix
Últimos Posts
>>> Normal!
>>> Os bons companheiros, 30 anos
>>> Briga de foice no escuro
>>> Alma nua
>>> Perplexo!
>>> Orgulho da minha terra
>>> Assim ainda caminha a humanidade
>>> Três tempos
>>> Matéria subtil
>>> Poder & Tensão
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Capitu, a melhor do ano
>>> As fronteiras da ficção científica
>>> Cebrián sobre o fim
>>> Nem tudo é pessoal
>>> Jeff Beck em Big Block
>>> 10 de Fevereiro #digestivo10anos
>>> Chama Atenção
>>> 9 de Fevereiro #digestivo10anos
>>> Scott Weiland (1967-2015)
>>> 7 de Setembro
Mais Recentes
>>> Dicionario juridico de bolso de Paulo roberto benasse pela Bookseller
>>> Terapia da depressao de Linus mundy pela Paulus
>>> El si de las ninas de Leandro fdez. de moratin pela Via grafica
>>> A maquina do tempo de H. g. wells pela Ediouro
>>> Nintendo world--62--prince of persia--the sands of time de Conrad pela Conrad
>>> Reagan reviews his first year--dont go away im alive de Readers digest pela Readers digest (1982)
>>> Das beste--jewels wegzum ruhm de Readers digest pela Readers digest (2000)
>>> Hoje--os melhores livros--6--a liberaçao da mulher de Francisco alves pela Francisco alves (1978)
>>> Pesquisa Em Educação: Abordagens Qualitativas de Menga Lüdke e Marli E. D. A. André pela Epu (2003)
>>> Metodologia da Pesquisa Educacional de Ivani Fazenda (Org.) pela Cortez (1994)
>>> O Que Sabe Quem Erra? Reflexões Sobre Avaliação e Fracasso Escolar de Maria Teresa Esteban pela DP&A (2002)
>>> Pesquisa na Escola – O Que É, Como Se Faz de Marcos Bagno pela Loyola (2004)
>>> Pesquisa Participante de Carlos Rodrigues Brandão (Org.) pela Brasiliense (1999)
>>> Educar Pela Pesquisa de Pedro Remo pela Autores Associados (2002)
>>> Inclusão e Avaliação na Escola de Alunos Com Necessidades Educacionais Especiais de Hugo Otto Beyer pela Mediação (2006)
>>> Magia, Ciência e Religião de Bronislaw Malinowski pela Edições 70 (1984)
>>> Pesquisa – Princípio Científico e Educativo de Pedro Demo pela Cortez (2001)
>>> o físico, o xamã e o místico: os caminhos espirituais percorridos no Brasil e no exterior de Patrick Drouot pela Nova Era (1999)
>>> Avaliação da Aprendizagem Numa Abordagem Por Competências de Gérard Scallon pela Pucpress (2015)
>>> Sociedade e Improviso: Estudo sobre a (des) estrutura social dos índios Maku de Jorge Pozzobon pela Museu do Índio (2011)
>>> La Filosofía de Hegel de Heleno Saña pela Gredos (1983)
>>> O Trono de Fogo - as Crônicas de Kane 2 de Rick Riordan pela Intrínseca (2011)
>>> Pensar a Educação – História, Filosofia e Linguagens – Volume 2 de Eliana Maria do Sacramento Soares e Neires Maria Soldatelli Paviani (Orgs.) pela Educs (2012)
>>> Santo Daime Fanatismo e Lavagem Cerebral de Alícia Castilla pela Imago (1995)
>>> Santo Daime revelado de Gideon dos Lakotas pela Corpo Mente - Curitiba (2007)
>>> O Poder Que Brota da Dor e da Opressão Empowerment, Sua História, Teorias e estratégias de Eduardo Mourão Vasconcelos pela Paulus (2003)
>>> Kardecismo e Umbanda de Candido Procopio Ferreira de Camargo pela Pioneira (1961)
>>> Educação e complexidade: os Sete Saberes e outros ensaios de Edgar Morin pela Cortez (2018)
>>> Bhagavad Gita: Canção do Divino Mestre de Rogério Duarte pela Companhia das Letras (1998)
>>> O Problema Epistemológico da Complexidade de Edgar Morin pela Europa América (2020)
>>> Contos de Grimm - Volume 1 - Ilustrações A. Archipowa de Maria Heloísa Penteado pela Ática (2000)
>>> Sofrimento Psíquico: Modalidades Contemporâneas de Representação e Expressão de Marília Antunes Dantas pela Juruá (2009)
>>> Gestão de Pessoas para Concursos Volume 1 e 2 de Enrique Rocha, Karina da Rocha e Cristiana Duran pela Campus Concursos (2009)
>>> A Pirâmide Vermelha - as Crônicas dos Kane 1 de Rick Riordan pela Intrínseca (2010)
>>> Educar na era planetária: o pensamento complexo como método de aprendizagem pelo erro e incerteza humana de Edgar Morin pela Cortez (2009)
>>> Anatomia e Fisiologia Aplicadas ao Hatha Yoga - Volume 1: Sistema Locomotor de Danilo F.Santaella, Gerson D`Addio da Silva pela Carthago (2011)
>>> Trevas no Eldorado: como cientistas e jornalistas devastaram a Amazônia e violentaram a cultura Yanomami de Patrick Tierney pela Ediouro (2002)
>>> A Sombra da Serpente - as Crônicas dos Kane 3 de Rick Riordan pela Intrinseca (2012)
>>> Regras da Comida, Uma Manual de Sabedoria Alimentar de Michael Pollan pela Intrínseca (2010)
>>> A Casa de Hades - os Heróis do Olimpo 4 de Rick Riordan pela Intrinseca (2013)
>>> A Marca de Atena - os Heróis do Olimpo 3 de Rick Riordan pela Intrínseca (2013)
>>> Você Sabe se Desintoxicar? de Dr,Soleil pela Paulus (1993)
>>> Masnavi de Maulana Jalal Al-Din RUMI pela Dervish (1992)
>>> O Conto da Ilha Desconhecida de José Saramago pela Companhia das Letras (1998)
>>> O Filho de Netuno - Os Heróis do Olimpo 2 de Rick Riordan pela Intrínseca (2012)
>>> O Herói Perdido - os Heróis do Olimpo 1 de Rick Riordan pela Intrínseca (2011)
>>> Império de Michael - Antonio Negri pela Record (2003)
>>> Oxford Advanced Learnes Dictionary of Current English de A. S. Hornby pela Oxford University Press (1988)
>>> O Matuto de Zibia Gasparetto pela Vida & Consciência (1997)
>>> The Secret - O Segredo de Rhonda Byrne pela Ediouro (2007)
COLUNAS

Quarta-feira, 11/3/2009
Entre a simulação e a brincadeira
Guilherme Pontes Coelho

+ de 6000 Acessos
+ 4 Comentário(s)

É sempre uma sensação sem adjetivos ver televisão ― para quem não tem esse hábito. É uma coisa muito bizarra, na verdade. Precisei de um certo tempo de aclimatação. Depois de um longo jejum, me rendi à tevê aberta. Quando já me sentia preparado, mergulhei na infinitude da tevê por assinatura. Óbvio, como você já deve saber, é tudo muito mais legal. E mesmo não sendo, os canais animais são sempre a salvação da telelavoura quando não há nada muito interessante. Eu achava que esse fenômeno só existia na tevê aberta.

Enfim, hoje vejo tevê. Já adquiri até uns vícios. Law & Order: Special Victims Unit, por exemplo. Mas continuo me sentindo um alienígena diante dela. Não é possível que eu viva no mesmo mundo daquelas pessoas que fazem aquelas mágicas acontecerem: as atrações. Por exemplo, vi na Oprah uma mulher que deixou a filha de dois anos dentro do carro e foi trabalhar. A menina ficou lá oito horas, sob o calor do verão. Morreu. Até aí eu estava impressionado com o lado humano da coisa, espantado com o fato de uma mãe esquecer a própria bebê dentro do carro, no estacionamento do trabalho. Então me chamou a atenção a maneira como o show acontecia.

Era a primeira vez que via a Oprah, até então só a conhecia de ouvir falar e do adesivo na capa do meu Faulkner, "Oprah's Book Club". Fiquei com a impressão de que ela era uma mistura de Marília Gabriela com Regina Volpato. Não sei se quero permanecer com essa impressão, porque logo depois da história da menina ser parcialmente contada apareceu a mãe no sofá da Oprah para narrar o final, como ela achou a própria filha morta e o que aconteceu depois, o que me deixou extremamente constrangido no meu sofá. Mais, fizeram mais. Veicularam o áudio das ligações para o 911, a descrição que gente desesperada fazia à polícia de uma menina de dois anos sob os efeitos implacáveis da hipertermia (oito horas dentro de um carro, presa ao bebê-conforto). A mãe ali, no sofá, em frente à Oprah, ouvindo tudo pela primeira vez, assim como nós. Tudo bem que ela, a mãe, escolheu estar lá, mas nada ameniza a vileza do espetáculo em todo o conjunto: a exposição, a audiência, o julgamento.

Julgamento porque muitas vezes esses programas de terapia familiar, sei lá como se autodenominam, funcionam mesmo como um tribunal midiático. De mentirinha, mas tribunal. A classe da Regina Volpato e a vulgaridade da Márcia Goldschmidt, no fim das contas, acabam como farinha do mesmo saco, condenando e absolvendo os réus televisivos. Até lembro aqui da Oprah, em relação àquela mãe, dizendo que "isso poderia acontecer com você também". Não, Oprah, essa irresponsabilidade jamais... Ups, olha eu julgando a coitada. Eu, você e aquela mãe fazemos parte do mesmo universo, mas a Oprah, não. Ela é da televisão... (Imagine um tom conspiratório nessas reticências.)

Essa realidade toda na tevê dá náuseas. Não me refiro à realidade dos noticiários, porque essa a gente conhece bem ― seja pelo evento noticiado, seja pela ideologia com que foi noticiado ―, mas àquela fabricada lá pela gangue das Oprahs. Não é propriamente ficção, mas também não é realidade. Um espetáculo confuso. Não quero me alongar muito em investigações à Baudrillard sobre essa pseudorealidade porque seria pesadamente chato. Esse tópico, porém, me lembra outro telepecado de minha parte, os reality shows.

Por um lado, o real vai à tevê mediante a exposição infame de toda sorte de eventos, tendo como exemplo os auditórios terapêuticos (ainda não sei como nomear essas coisas). Por outro, o real vem da tevê para o imaginário da realidade. Mesmo sem conseguir livrar você desse linguajar baudrillardeano, este é o caso dos reality shows.

Há coisas acontecendo ali, num único plano. São interessantes de ver porque, na maioria dos casos, envolvem competição. Competição envolve habilidades e obstáculos. O que nos leva à ululante torcida. A gente se envolve com a coisa. É quase um esporte. Curiosamente, o reality show de maior sucesso aqui no Brasil não exige habilidade alguma, a não ser coragem para ser estúpido e naturalidade para ser dissimulado, não precisando ser ator/atriz para tal. Mesmo assim, há torcidas e envolvimentos e culto a herois. Ninguém entende isso, um programa ocioso que lembra aquelas salas de castigo para crianças desobedientes.

Particularmente, eu não entendo como funciona um programa desses do ponto de vista do telespectador. Os critérios de cada um para escolher seus mocinhos são loucamente subjetivos. É quase como esperar pela famosa química. Parece coisa de mundo real. Ah, começo a entender...

Enfim, subjetividades midiáticas (que expressão insólita!) à parte, é interessante, sim, ver como os reality shows, cujo apelo está em se vender como real, são, na verdade, jogos, brincadeiras que pendem da simulação à dissimulação e vice-versa. Particularmente, quando ligo a tevê acho melhor crer que o espírito de Huizinga paira sobre o plasma, não o de Baudrillard. Se a tevê simula uma brincadeira, brinque com a simulação. É a melhor maneira de curtir o entretenimento televisivo.

P.S.: Na opinião do autor, o melhor reality show já criado foi Ultimate Fighter. Isso, sim, é que é entretenimento de verdade.

Para ir além






Guilherme Pontes Coelho
Águas Claras/Brasília, 11/3/2009


Quem leu este, também leu esse(s):
01. Bruce, Bane e Batman de Vicente Escudero
02. Gargólios, nova peça de Gerald Thomas de Jardel Dias Cavalcanti
03. Sobre o preço dos livros 1/2 de Rafael Rodrigues
04. PMDB: o retrato de um Brasil atrasado de Diogo Salles
05. Flores Azuis, de Carola Saavedra de Mariana Mendes


Mais Guilherme Pontes Coelho
Mais Acessadas de Guilherme Pontes Coelho em 2009
01. A morte de Michael Jackson, um depoimento - 5/8/2009
02. Exógeno & Endógeno - 4/11/2009
03. Entre a simulação e a brincadeira - 11/3/2009
04. Meu assassino - 10/6/2009
05. Sobre escrever a História - 17/6/2009


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

ENVIAR POR E-MAIL
E-mail:
Observações:
COMENTÁRIO(S) DOS LEITORES
11/3/2009
10h25min
Comungando aqui com o espírito de Baudrillard, de Huizinga e do Guilherme Montana, pairando sobre o caos da TV. Bom isso aí, Guilherme. Lembro-me de um documentário (que eu vi na TV) sobre o autismo. Mostrava um garoto que fazia um prato rodar no chão e ficava abanando as mãos no ar, olhando fixamente o prato rodando. Se deixassem ele ficava o dia inteiro fazendo isso. Muitas pessoas ficariam o dia inteiro, se pudessem, assistindo ao Big Brother. Acredito que uma mente vazia se agarra a alguma coisa que a preencha, já que não consegue pensar sozinha. Esses reality shows simulam alguma atividade mental (julgar, aferir dados, comparar, sentir alguma coisa) que seu público não é capaz de produzir por si mesmo. E, evidentemente, num nível abaixo de qualquer mínima dignidade. Uma grande massa de autistas olha para o prato que a TV põe para rodar indefinidamente. É uma mina de ouro e a TV sabe disso.
[Leia outros Comentários de Guga Schultze]
11/3/2009
21h16min
Acho uma bela chatice o tal BBB. Parece que as pessoas têm vontade de assistir a filmes de sacanagem e aí assistem esta boba competição. Porque lá tem gente que dorme com o outro, que tira a roupa, que finge transar debaixo da coberta. Isto é estupidez pura.
[Leia outros Comentários de Manoel Messias Perei]
12/3/2009
08h13min
Reality Show: nem os participantes podem chegar a mais e nem a televisão a menos. Trashvisão, para bovinos e voyers em transição para o autismo.
[Leia outros Comentários de Willian]
12/3/2009
11h47min
Nunca vi uma imagem tão fiel como a que o Guga descreveu. É isso mesmo: olha-se o prato rodar indefinidamente na tela colorida da tevê sem expectativa de comer ou saborear alguma coisa, fica-se ali numa hipnose surreal como num culto dos mais habilidosos e satânicos pregadores. É algo que surpreende pelo nada (sem niilismo) e que envolve milhões de seres, estranhos seres. E olha que já me peguei em momentos assim. É inacreditável.
[Leia outros Comentários de Adriana Godoy]
COMENTE ESTE TEXTO
Nome:
E-mail:
Blog/Twitter:
* o Digestivo Cultural se reserva o direito de ignorar Comentários que se utilizem de linguagem chula, difamatória ou ilegal;

** mensagens com tamanho superior a 1000 toques, sem identificação ou postadas por e-mails inválidos serão igualmente descartadas;

*** tampouco serão admitidos os 10 tipos de Comentador de Forum.




Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




ATENDIMENTO AO CLIENTE "O RECURSO ESQUECIDO"
NANCI PILARES
NOBEL
(1989)
R$ 9,00



PONTE DAS LEMBRANÇAS
ELIANA MACHADO COELHO PELO ESPÍRITO SCHELLIDA
LÚMEN
(2010)
R$ 15,00



MENTES ANSIOSAS - MEDO E ANSIEDADE ALÉM DOS LIMITES
ANA BEATRIZ BARBOSA SILVA
FONTANAR
(2011)
R$ 28,00



CANCRO DA MAMA - O QUE DEVEMOS SABER?
LÚCIO LARA SANTOS, BASÍLIO LOPES
LIDEL
(2014)
R$ 95,00



PLANEJAMENTO COMO FATOR DE SUCESSO
MAURICIO CASTELO B. VALADARES
QUALITYMARK
(2005)
R$ 45,00



CARLOTA JOAQUINA (A RAINHA INTRIGANTE)
MARCUS CHEKE
JOSÉ OLYMPIO
(1949)
R$ 20,00



LÚCIA ROCHA DUMMAR GUARDIÃ DA MEMÓRIA
ORG. LAURISA NUTTIHG
ARMAZÉM DA CULTURA
(2018)
R$ 60,00



JOAQUIM NABUCO RETRATO DE UMA ÉPOCA
MOISÉS GICOVATE
EDIÇÕES MELHORAMENTOS
(1959)
R$ 7,00



PREPARE WORKBOOK B1 LEVEL4
GARETH JONES
SECOND
(2019)
R$ 100,00



QUESTÃO DE PESO
VÉRONIQUE SKAWINSKA/ DEMIS ROUSSOS
AGE
R$ 5,00





busca | avançada
61534 visitas/dia
2,1 milhões/mês