A grande luta das pessoas comuns | Guilherme Carvalhal | Digestivo Cultural

busca | avançada
23758 visitas/dia
773 mil/mês
Mais Recentes
>>> Segundas de julho têm sessões extras do espetáculo À Espera
>>> Circo dos Sonhos, do ator Marcos Frota, desembarca no Shopping Metrô Itaquera
>>> Startup brasileira levará pessoas de baixa renda para intercâmbio gratuito fora do país
>>> Filho de suicida, padre lança livro sobre o tema
>>> LANÇAMENTO DO LIVRO "DIALÓGOS DE UM RABINO REFLEXÕES PARA UM MUNDO DE MONÓLOGOS" DE MICHEL SCHLESI
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> O dia em que não conheci Chico Buarque
>>> Um Furto
>>> Mais outro cais
>>> A falta que Tom Wolfe fará
>>> O massacre da primavera
>>> Reflexões sobre a Liga Hanseática e a integração
>>> A Fera na Selva, filme de Paulo Betti
>>> Raio-X do imperialismo
>>> Cães, a fúria da pintura de Egas Francisco
>>> O Vendedor de Passados
Colunistas
Últimos Posts
>>> Eleições 2018 - Afif na JP
>>> Lançamentos em BH
>>> Lançamento paulistano do Álbum
>>> Pensar Edição, Fazer Livro 2
>>> Ana Elisa Ribeiro lança Álbum
>>> Arte da Palavra em Pernambuco
>>> Conceição Evaristo em BH
>>> Regina Dalcastagné em BH
>>> Leitores e cibercultura
>>> Sarau Libertário em BH
Últimos Posts
>>> Sob o mesmo teto
>>> O alívio das vias aéreas
>>> PRESSÁGIOS. E CHAVES II
>>> Honra ao mérito
>>> Em edição 'familiar', João Rock chega à 17ª edição
>>> PATÉTICA
>>> Presságios. E chaves III
>>> Minha história com Philip Roth
>>> Lars Von Trier não foi feito para Cannes
>>> O brasileiro e a controvérsia
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Poesia sem ancoradouro: Ana Martins Marques
>>> Os Doze Trabalhos de Mónika. Epílogo. Ambaíba
>>> Os Doze Trabalhos de Mónika. Epílogo. Ambaíba
>>> Blog precisa ser jornalismo?
>>> Blog precisa ser jornalismo?
>>> Paulo Coelho para o Nobel
>>> 2008, o ano de Chigurh
>>> Quem é (e o que faz) Julio Daio Borges
>>> Onde fica o interruptor?
>>> Era uma vez
Mais Recentes
>>> A Colônia- (nova Ortografia)
>>> 1356 - 4ª ed. (Nova Ortografia)
>>> História e Arte no Mundo Ibérico - Tempo brasileiro- 184
>>> Limites: três dimensões educacionais - 1ª ed.
>>> Arcanjos e Mestres Ascensos
>>> Mentiras no divã
>>> Never, more forever: a poesia na modernidade, ou Shelley versus Peacock ...
>>> Mistérios Desvelados - Ensinamentos do Mestre Saint Germain
>>> Revista Civilização Brasileira - Número 25 (RARIDADE)
>>> Revista Civilização Brasileira - Número 18 (RARIDADE)
>>> Revista Civilização Brasileira - Número 17 (RARIDADE) - Guerra do Vietnã
>>> Revista Civilização Brasileira - Número 16 (RARIDADE) - Igraja e Marxismo
>>> Revista Civilização Brasileira - Número 14 (RARIDADE) - Mulheres, a revolução mais longa
>>> Revista Civilização Brasileira - Número 13: China - Uma revolução dentro da Revolução - (RARIDADE)
>>> Revista Civilização Brasileira - Números 9-10 (RARIDADE)
>>> Revista Civilização Brasileira - Número 7 (RARIDADE)
>>> Revista Civilização Brasileira - Números 5-6 (RARIDADE)
>>> Revista Civilização Brasileira - Número 3 (RARIDADE)
>>> Revista Civilização Brasileira - Número 1 (RARIDADE)
>>> Revista Civilização Brasileira - Caderno Especial 1: A Revolução Russa - Cinquenta Anos de História
>>> O Homem e o Universo
>>> O Judaísmo- do Exílio ao Tempo de Jesus
>>> Direito Penal - Parte Geral ( V. 7)
>>> O Exército de Cavalaria
>>> The Golden Treasury
>>> Surdez e linguagem- Aspectos e implicações neurolinguísticas (Nova Ortografia)
>>> El Libro Supremo de Todas las Magias - Magia Blanca - Negra - Roja
>>> Rituais e Egrégoras para a Era de Aquário
>>> O Despertar da Consciência
>>> Sic Questões Comentadas
>>> Sic Questões Comentadas
>>> Código Civil - 7ª Edição Atualizada
>>> Fonética e Ortografia - Coleção Linguagem Jurídica vol. 1
>>> Dicionário Jurídico
>>> Introdução Ao Direito
>>> Debate Sobre a Constituição de 1988
>>> Noções de Prevenção e Controle de Perdas Em Segurança do Trabalho 7ª edição revista e atualizada
>>> Vire a Página - Estratégias para Resolver Conflitos 6ª edição
>>> Tópicos de Administração Aplicada à Segurança do Trabalho 9ª edição
>>> Doenças Profissionais Ou do Trabalho 10ª edição
>>> Epidemiologia
>>> Cipa - Comissao Interna de Prevençao de Acidentes uma Nova Abordagem 14ª edição
>>> Prevenção e Controle de Risco Em Máquinas, Equipamentos e Instalações 3ª edição
>>> Os 10 Mandamentos: Princípios Divinos para Melhorar seus Relacionamentos
>>> Mini Código Saraiva Civi
>>> Mini Aurélio da Língua Portuguesa 7ª Edição
>>> Guia da Sexualidade - Reedição Ampliada e Ilustrada
>>> A Rosa do Povo
>>> Quando o Sofrimento Bater à Sua Porta
>>> Cura das Emoções Em Cristo
COLUNAS

Quinta-feira, 19/11/2015
A grande luta das pessoas comuns
Guilherme Carvalhal

+ de 1600 Acessos



Como é de amplo conhecimento, Minha Luta foi o livro escrito por Hitler durante seu período de cárcere, obra que repercutiria seu ideal nazista e seria um passo propagandístico em sua ascensão ao poder. Seu ideário execrável faz com que o termo ganhasse um olhar pejorativo, sempre associado ao que o líder da Alemanha pregou.

Essa é a estranheza inicial da obra Minha Luta, publicada pelo autor norueguês Karl Ove Knausgård em diversas partes. O título é obviamente provocador e foi desincentivado pelo editor, mas o escritor bateu o pé. Pelo menos, se Hitler queria colocar sua luta como um feito heroico de salvação de um povo, Knausgård se volta para uma atmosfera ao estilo romantista, em que esse grande feito não está na mãos de um herói, mas justamente nas pessoas comuns.

A primeira obra que compõe essa série é A Morte do Pai. Nesse livro, temos o próprio autor narrando sobre a difícil relação familiar provocada pelo pai alcoólatra. E quando me refiro a próprio autor, é ele mesmo, pois o livro é de fato uma narrativa autobiográfica bastante crua, com direito a brigas familiares e problemas judiciários por causa de fatos relatados.

O texto é o atual Knausgård relembrando sua adolescência agora sob o ar da maturidade, contando seus planos, feitos e frustrações tão típicos dessa idade, isso tudo cercado pela figura paterna. Assim sendo, é uma obra de idas e vindas pelo tempo, baseado pela memória apesar de algumas linearidades e não por fatos soltos. São as primeiras relações com as garotas na escola, as fugas para beber escondido e a tentativa de levar sua banda de rock adiante que vão formando esse período de sua vida.

Se pensarmos no cotidiano vulgar como tema da literatura, precisamos pensar um pouco na inserção desse dia a dia na literatura. Na linhagem história, a literatura sempre foi campo do heroico, dos grandes feitos envolvendo figuras mitológicas acima dos meros mortais, que enfrentavam gigantes, dragões, hidras e demais criaturas. Até mesmo as grandes tragédias envolviam nobres e criaturas superiores, como o drama de Medeia ou os textos de Shakespeare envolvendo a classe alta feudal.

Cervantes com Dom Quixote foi uma quebra nesse modelo. Ao invés de Lancelot ou Hércules, aqui temos um mero louco perambulando atrás de aventuras que sua mente insana criava. O espaço do heroico foi ocupado por uma pessoa comum, sem nada que a tornasse superior exceto suas próprias alucinações. O movimento romantista também foi um dos principais na introdução desse personagem cotidiano nas narrativas, como nas obras de Victor Hugo. Outros escritores como Zola e Dickens também desenvolveram seus personagens no popular.

O século XX foi pleno dessa ótica popular na literatura. Sem a figura do nobre a assolar, o conteúdo dos livros cada vez mais encontrou nas figuras do cotidiano sua matéria-prima, como Joyce em Ulisses ao criar a grande aventura da vida comum. Porém, se durante o século XX sobraram experimentações linguísticas, a literatura do século XXI está menos focada em inovações e mais preocupada com as histórias e com os relatos, além de um grande foco no cotidiano, algo presente no trabalho de autores como Frazen e de Ian McEwan.

O trabalho de Knausgård pode ser situado nesse meio, de uma literatura contemporânea, focada basicamente nas experiências comuns do dia a dia e altamente introspectiva. Aliás, o que mais chama a atenção é o nível de introspecção. O detalhamento de pequenos fatos é excessivo, envolvendo o leitor completamente com sua própria vida. Sua literatura é plenamente voltada à vida privada, arrastando o leitor para dentro dos quartos ou o acompanhando em caminhadas na neve durante o Natal.

Quando o autor decidiu pelo nome Minha Luta, ele quis remeter a uma luta pessoal. Não uma luta heroica, nem a tentativa de derrubar governos ou de impor uma ideologia suprema. A luta à qual Knausgård se refere é aquela que cada um enfrenta a cada novo dia, em um valor pessoal para cada um. A grande característica dele foi de conseguir leva a sua luta particular para os outros, apresentando os significados que cada evento tiveram em sua vida para os outros. Ele não apenas conta fatos; ele compartilha o significado de cada momento com o leitor, em uma explicação detalhada do que os seus relatos significaram. E esse é o grande valor de sua obra, por conseguir produzir um cenário realista e até corriqueiro, mas carregado de significados especiais que apenas cada indivíduo pode produzir.


Guilherme Carvalhal
Itaperuna, 19/11/2015


Quem leu este, também leu esse(s):
01. Noel Rosa de Fabio Gomes
02. Retratos da ruína de Elisa Andrade Buzzo
03. Em nome dos filhos de Luís Fernando Amâncio
04. E por falar em aposentadoria de Fabio Gomes
05. Lembrança de Plínio Zalewski de Celso A. Uequed Pitol


Mais Guilherme Carvalhal
Mais Acessadas de Guilherme Carvalhal em 2015
01. Influências da década de 1980 - 30/7/2015
02. Meio Sol Amarelo - 3/9/2015
03. A trilogia Qatsi - 15/10/2015
04. A grande luta das pessoas comuns - 19/11/2015
05. O cinema de Weerasethakul - 2/7/2015


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




TRILOGIA DO ASFALTO
DÊNISSON PADILHA FILHO
P55 EDIÇÕES
(2016)
R$ 22,00



QUANDO EM ROMA
GEMMA TOWNLEY
RECORD
(2005)
R$ 12,35



THE TKT COURSE - FIRST EDITION
MARY SPRATT E OUTROS
CAMBRIDGE
(2008)
R$ 84,90



CORAÇÕES FERIDOS
LOUISA REID
NOVO CONCEITO
(2013)
R$ 25,00



VITÓRIA - COLEÇÃO 2ª GUERRA MUNDIAL - VOL. 3
EDITORA ABRIL
ABRIL
(2007)
R$ 15,00



MANGÁ HITMAN - A SEGUNDA TEMPORADA 2
HIROSHI MUTO
SAMPA ARTE / LAZER
(2012)
R$ 14,90



FOLCLORE NORDESTINO - LENDAS E CANTIGAS
ANNA FROTA MENDES
HORIZONTE
R$ 49,90



TERTÚLIA DOS VALES
RAFAEL AVELINO (ORG.)
ALBATROZ
(2018)
R$ 30,00



DOIS CLÁSSICOS - A HORA DO PESADELO INTRIGA INTERNACIONAL
HUGH PENTECOSTE SAMUEL FULLHER
NOVA CULTURAL
(1989)
R$ 8,04



COMO FAZER SUA PROPAGANDA FUNCIONAR
KENNETH ROMAN / JANE MAAS
NOBEL
(1994)
R$ 8,00





busca | avançada
23758 visitas/dia
773 mil/mês