Meio Sol Amarelo | Guilherme Carvalhal | Digestivo Cultural

busca | avançada
22305 visitas/dia
957 mil/mês
Mais Recentes
>>> A Cor
>>> Ana Medeiros e Hiroshi Nishiyama levam o butoh segundo Yoshito Ohno para São Paulo
>>> As Irmãs Siamesas estreia com direção do francês Sébastien Brottet-Michel
>>> Universidade do Livro promove oficina de edição de tradução literária
>>> Conexão Berlim-Brasília chega em sua reta final
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Cidades do Algarve
>>> Gosta de escrever? Como não leu este livro ainda?
>>> Assum Preto, Me Responde?
>>> Os olhos de Ingrid Bergman
>>> Não quero ser Capitu
>>> Desdizer: a poética de Antonio Carlos Secchin
>>> Pra que mentir? Vadico, Noel e o samba
>>> De quantos modos um menino queima?
>>> Entrevista com a tradutora Denise Bottmann
>>> O Brasil que eu quero
Colunistas
Últimos Posts
>>> Eleições 2018 - Afif na JP
>>> Lançamentos em BH
>>> Lançamento paulistano do Álbum
>>> Pensar Edição, Fazer Livro 2
>>> Ana Elisa Ribeiro lança Álbum
>>> Arte da Palavra em Pernambuco
>>> Conceição Evaristo em BH
>>> Regina Dalcastagné em BH
>>> Leitores e cibercultura
>>> Sarau Libertário em BH
Últimos Posts
>>> O conservadorismo e a refrega de símbolos
>>> Ingmar Bergman, cada um tem o seu
>>> Em defesa do preconceito, de Theodore Dalrymple
>>> BRASIL, UM CORPO SEM ALMA E ACÉFALO
>>> Meus encontros com Luiz Melodia
>>> Evasivas admiráveis, de Theodore Dalrymple
>>> O testemunho nos caminhos de Israel
>>> UM OLHAR SOBRE A FILOSOFIA (PARTE FINAL)
>>> Os livros sem nome
>>> O mundo era mais aberto, mãe...
Blogueiros
Mais Recentes
>>> A quem interessa uma sociedade alienada?
>>> Filipe II da Espanha: homem e rei
>>> Filipe II da Espanha: homem e rei
>>> Público, massa e multidão
>>> Os olhos de Ingrid Bergman
>>> Tchekhov, o cirurgião da alma
>>> Blogueiros vs. Jornalistas? ROTFLOL (-:>
>>> Internet em 2005
>>> Conceitos musicais: blues, fusion, jazz, soul, R&B
>>> Amizade (1)
Mais Recentes
>>> Como se fosse dinheiro de Ruth Rocha pela FTD (2004)
>>> Bidu Caminhos de Eduardo Damasceno - Luis Felipe Garrocho pela Mauricio de Sousa (2014)
>>> Ali Babá e os Quarenta Ladrões de Tradução de Maria Aparecida dos Santos pela Visor (2002)
>>> Ali Babá e os Quarenta Ladrões de Tradução de Maria Aparecida dos Santos pela Visor (2002)
>>> Convivendo com o pecado: na sociedade colonial paulista (1719-1822) de Eliana Maria Rea Goldschmidt pela Annablume (1998)
>>> De Carta em Carta de Ana Maria Machado pela Salamandra (2010)
>>> A Colcha de Retalhos de Conceil Corrêa da Silva - Nye Ribeiro Silva pela Brasil (2009)
>>> Gente, Bicho, Planta: O mundo me encanta de Ana Maria Machado pela Global (2012)
>>> O Sanduíche da Maricota de Avelino Guedes pela Moderna (2013)
>>> Um Homem, um Menino e um Burro de Jennifer Burrows pela Girassol (2012)
>>> Bat Pat - O tesouro do cemitério de Roberto Pavanello pela Fundamento (2009)
>>> Viagem ao Centro da Terra de Julio Verne - Walcyr Carrasco pela FTD (2007)
>>> Com a Ponta dos dedos e os olhos do coração de Leila Rentroia Jannone pela Brasil (2009)
>>> O Gênio do Crime de João Carlos Marinho pela Global (2017)
>>> Minimanual Compacto de Gramática da língua portuguesa: teoria e prática de Maria Cecília Garcia pela Rideel (2000)
>>> Um amor grande demais de Yolanda Reyes pela FTD (1999)
>>> Laís, a Fofinha de Walcyr Carrasco pela Ática (2014)
>>> Zac Power - Codigo Vermelho de De H. I. Larry pela Fundamento (2010)
>>> Zac Power - Alto Risco de De H. I. Larry pela Fundamento (2009)
>>> Zac Power - Treinamento Radical de De H. I. Larry pela Fundamento (2010)
>>> Encontro Desencontro & Reencontros de Maria Helena Matarazzo pela Gente (1996)
>>> História do Brasil de Eduardo Bueno pela Zero Hora
>>> Os Irmãos Leme de Paulo Setúbal pela Nacional (1983)
>>> Enciclopédia do Charadista - Vol. 2 de Sylvio Alves pela Livraria Tupã
>>> Zac Power - Viagem `A Lua de De H. I. Larry pela Fundamento (2011)
>>> Zac Power - Aguas Profundas de De H. I. Larry pela Fundamento (2008)
>>> Zac Power - Invasão Noturna de De H. I. Larry pela Fundamento (2008)
>>> Zac Power - Aventura no espaço de De H. I. Larry pela Fundamento (2009)
>>> Zac Power - O Golpe Fatal de Zac de De H. I. Larry pela Fundamento (2011)
>>> Zac Power - O Ataque de Tubarão de Zac de De H. I. Larry pela Fundamento (2010)
>>> Zac Power - Sucesso de Cinema de De H. I. Larry pela Fundamento (2009)
>>> O peregrino e a historia de a peregrina de John bunyan pela Literatura monte siao (2012)
>>> A Vida Inquieta e Gloriosa de Victor Hugo de Jaime Brasil pela Portugália (1965)
>>> A Vida Inquieta e Gloriosa de Victor Hugo de Jaime Brasil pela Portugália (1965)
>>> L'isola Misteriosa de Giulio Verne pela Sonzogno (1912)
>>> Macário - Noite na taverna de Álvares de Azevedo pela Globo (2006)
>>> Novos poemas para rezar de Michel quoist pela Edições Paulista (1995)
>>> Ame dormante de Jean e de coulomb pela Librairie bleriot (1918)
>>> Caderneta de campo de Lélis Espartel / João Lüderitz pela Globo (1979)
>>> A Bruxinha Domitila e o robô super - tudo de Edson Gabriel Garcia pela Brasil (2014)
>>> O Conde de Monte Cristo de Alexandre Dumas - Heloisa Prieto pela FTD (2014)
>>> As injustiças de Clio de Clóvis Moura pela Oficina de Livros (1990)
>>> As Aventuras de Simão e Bartolomeu - uma viagem especial de Cesar Cavezagna pela Globo (2008)
>>> Dissertação Sobre o Direito de Caçoar + Carta a Salvador do Couto de Filippe Alberto Patroni Martins Maciel Parente pela Loyola (1992)
>>> Deixei o Pum escapar de Blandina Franco e José Carlos Lollo pela Schwarcz S.A (2013)
>>> Nietzsche em Turim de Lesley Chamberlain pela Difel (2000)
>>> Tampinha Tira Os Óculos de Mariana Caltabiano pela Scipione (2004)
>>> Quem me Dera de Ana Maria Machado pela Ática (2014)
>>> O Brasil passado a sujo. Contos de Aldir Blanc pela Geração (1993)
>>> Viva Zen de Monja Coen pela Publifolha (2018)
COLUNAS

Quinta-feira, 3/9/2015
Meio Sol Amarelo
Guilherme Carvalhal

+ de 2700 Acessos

Meio Sol Amarelo

A literatura africana é bastante distante de nós brasileiros. Se formos retratar autores deste continente, provavelmente vamos nos referir a Luandino Vieira ou Mia Couto por causa da lusofonia, incluindo o livro Os Cus de Judas, de Antônio Lobo Antunes nesse rol. Figuram ainda entre os mais conhecidos J. M. Coetzee e Naguib Mahfouz, que conseguirem ser alçados ao patamar de autores mundiais e traduzidos para diversos idiomas. Albert Camus era argelino, mas aparentemente costuma ser mais tratado como europeu do que como africano.

O livro Meio Sol Amarelo, da nigeriana Chimamanda Ngozi Adichie, é exemplar muito claro de como determinadas barreiras culturais tem sido derrubadas e que um livro de uma autora negra e africana pode sim se tornar mundial e altamente representativo para seu país, levando sua história e sua cultura ao mundo inteiro.

Para compreender o livro, é preciso entender a história da Nigéria. O país foi uma colônia britânica, que introduziu seu idioma, sua cultura e o dividiu etnicamente. Então sua estrutura se tornou complexa, contendo vários idiomas, uma parcela da população ocidentalizada e outra mais tradicional, além da questão da multiplicidade religiosa, com o cristianismo, o islamismo e religiões tradicionais do país.

Em 1960 o país conquistou sua independência. Em 1966 passou por dois golpes de estado em sequência e os problemas étnicos e políticos levaram a etnia igbo a declara a independência da República de Biafra, situada a leste do país. Daí então sucedeu a guerra civil, deixando um saldo de mortos acima de um milhão, entre vítimas de combate e mortos do fome. Em 1970 Biafra capitulou e a Nigéria se reunificou. Esse conflito é considerado o primeiro envolvendo causas étnicas desde a Segunda Guerra Mundial.

O livro de Chimamanda Ngozi Adichie se passa durante esse período, mostrando a relação de diversos personagens com o país e com a guerra que se desenrolou. Além de ser uma história muito bem desenvolvida, é uma aula de história de seu país e de seus muitos conflitos.

O ambiente estabelecido pela autora em seu livro visa construir no leitor um painel profundo de seu país e da sua complexidade. Pode ser compreendido de diversas maneiras: o processo de ocidentalização a destruir as práticas tradicionais, a submissão popular diante de culturas tidas como mais "nobres" e que desvalorizam a cultura local, os choques entre ricos e pobres, mesmo que dentro de um igual grupo étnico, as relações pouco compreendidas que unificam um país de sociedade diversificada, como se a identidade de um nigeriano fosse fruto mais do colonialismo europeu do que do próprio entendimento de seu povo enquanto nação.

A trama conta com vários personagens principais, com destaque para Olanna, uma jovem de classe alta educada na Inglaterra. Filha de um empresário, sua família igbo é ocidentalizada e ela e sua irmã gêmea, Kainene, estudaram em outros países e possuem um padrão de vida alto.

Olanna se envolve em um relacionamento com Odenigbo, professor universitário oriundo de uma família com vínculos tribais. Odenigbo é engajado em questões políticas e é de classe alta, reunindo em sua casa um amplo grupo de intelectuais, contando de professores a militares.

Esse núcleo de personagens apresenta uma abordagem dos choques de modernidade do país, inserindo sua multiplicidade étnica e religiosa no meio. O pai de Olanna, após o golpe de estado, começa a procurar os governantes para traçar seu relacionamento empresarial, mesmo ele sendo parte da minoria igbo. Para ele não interessavam as diferenças, mas a necessidade de se lucrar dentro dessa situação, uma visão do capitalismo inserido no país a atropelar quaisquer barreiras étnicas. Da mesma maneira Olanna possui um pretendente islâmico e rico, considerado um bom partido, porém as diferenças religiosas impediriam o relacionamento. Por sua vez, Olanna enfrenta conflitos com a mãe de Odenigbo, que não aceita de maneira alguma os dois juntos por motivos étnicos.

A narrativa de Adichie constrói todo o contexto sem ser enfadonha, inserindo os personagens na sequência dos fatos históricos. São as conversas na casa de Odenigbo ou o rádio ligado nas notícias que permitem o entendimento da situação, bem como o posicionamento dos mesmos. São personagens em fuga durante os ataques, pessoas perdidas sem entender o que se passa, ricos indo para a Inglaterra, alguns confiantes de que tudo terminará bem.

Além desse grupo de personagens, há dois de destaque, que são Ugwu e Richard. Ugwu é um rapaz que mora em uma vila e vai trabalhar para Odenigbo. Ele é seu criado doméstico, limpando a casa, cuidando das roupas, fazendo comida. Ele é uma visão inocente e desinformada dos conflitos, assistindo a tudo e respaldando suas opiniões nas do patrão. Além disso, sua presença ajuda a situar Odenigbo dentro de todo contexto, porque mesmo sendo um militante contra a opressão (isso em um mundo no qual a Guerra Fria fervilhava) ele ainda era um patrão, alguém de uma situação social superior.

Richard é um escritor inglês que está estudando a cultura da Nigéria para um livro que nunca sai do papel. Ele é uma excentricidade no meio de toda a história: é inglês e mora em uma ex-colônia de sua nação sem um objetivo muito claro. Se apaixona por Kainene, uma relação que nunca se conclui de fato; ele tem dificuldades em manter ereção e ela possui outros amantes além dele. Quando começam os conflitos, ele não busca abrigo nem retorna à Inglaterra, mas se mantém em meio às animosidades do país. Durante um processo de guerra civil em um país africano, é um personagem europeu que esboça toda o absurdo do que se passa, talvez pelo seu próprio afastamento cultural. Vale destacar também seu criado Harrison, que continuamente afirma que tudo que é europeu é superior, em contraponto a Richard, cada vez mais interessado em se tornar nigeriano.

O valor do livro é muito amplo devido à abrangência de seu conteúdo. Seu contexto em torno da proclamação da República de Biafra e da guerra civil sequente o coloca como um livro de expressão de uma desgraça humana, pareado com livros e filmes como Hotel Ruanda e Diamantes de Sangue. Porém, o livro vai bem além disso. Mesmo que situado temporalmente no período do conflito, Meio Sol Amarelo é mais vasto, apresentando ao leitor toda a singularidade da Nigéria, como seus aspectos culturais, geográficos e econômicos. Sua proposta se assemelha a um romance de formação do país, mostrando o modo artificial como a Nigéria surgiu, fruto das relações do colonialismo, passando pelos conflitos que se sucederam para a construção da nação em si.

Adichie dá uma contribuição imensa para a popularização de seu país, de sua cultura e de sua literatura. O afastamento cultural inviabiliza uma melhor compreensão da literatura nigeriana, mas o número de vendas acima de um milhão de exemplares no mundo inteiro e sua tradução para 30 idiomas mostram que seu trabalho gerou um forte impacto.

Meio Sol Amarelo é um livro excelente em todos os sentidos e sua vendagem significativa mostra como a autora conseguiu levar a literatura de seu país a um amplo público. Um feito que a coloca como umas das artistas mais relevantes da atualidade.


Guilherme Carvalhal
Itaperuna, 3/9/2015


Quem leu este, também leu esse(s):
01. Retratos da ruína de Elisa Andrade Buzzo
02. Mais espetáculo que arte de Guilherme Carvalhal
03. Em nome dos filhos de Luís Fernando Amâncio
04. O Medium e o retorno do conteúdo de Julio Daio Borges
05. Esboços de uma biografia precoce não autorizada de Cassionei Niches Petry


Mais Guilherme Carvalhal
Mais Acessadas de Guilherme Carvalhal em 2015
01. Influências da década de 1980 - 30/7/2015
02. Meio Sol Amarelo - 3/9/2015
03. A trilogia Qatsi - 15/10/2015
04. A grande luta das pessoas comuns - 19/11/2015
05. O cinema de Weerasethakul - 2/7/2015


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




UM DIA EM JERUSALÉM - 3ª EDIÇÃO
EMÍDIO SILVA FALCÃO BRASILEIRO
GOIÂNIA
(1989)
R$ 5,00



WILDEST DREAMS (EM INGLÊS)
JENNIFER BLAKE
FAWCETT
(1994)
R$ 7,00



A TV NOS TORNOU MAIS HUMANOS?
THERESA CATHARINA DE GÓES CAMPOS
UNIV FED DE PERNAMBUCO
(1970)
R$ 10,00



NOVO DICIONÁRIO AURÉLIO DA LÍNGUA PORTUGUESA 1ª EDIÇÃO
AURÉLIO BUARQUE DE HOLANDA
NOVA FRONTEIRA
(1975)
R$ 34,90



A CONDOLÊNCIA - 1ª EDIÇÃO
MÁRCIO SOUZA
MARCO ZERO
(1984)
R$ 7,50



CIRCUITOS A VÁLVULA E TRANSISTORIZADOS
EDITORA RECORD
RECORD
R$ 8,00



TIA, TE AMO
AUTOR ZIRALDO
MELHORAMENTOS
(2000)
R$ 7,00



MÍMESIS E MODERNIDADE: FORMAS DAS SOMBRAS ( 2ª ED.ATUALIZADA)
LUIZ COSTA LIMA
PAZ E TERRA
(2003)
R$ 34,95



EM GUARDA - PARA A DEFESA DAS AMÉRICAS ANO 3 Nº 12
BUREAU DO COORDENADOR
BUSINESS
R$ 7,00



RIMAS - ED. BILÍNGUE
GUSTAVO ADOLFO BÉCQUER
MINISTERIO DE EDUCACIÓN
(2001)
R$ 25,00





busca | avançada
22305 visitas/dia
957 mil/mês