Palácio dos sabores 3/5 | Elisa Andrade Buzzo | Digestivo Cultural

busca | avançada
31843 visitas/dia
1,0 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Banda GELPI, vencedora do concurso EDP LIVE BANDS BRASIL, lança seu primeiro álbum com a Sony
>>> Celso Sabadin e Francisco Ucha lançam livro sobre a vida de Moracy do Val amanhã na Livraria da Vila
>>> No Dia dos Pais, boa comida, lugar bacana e MPB requintada são as opções para acertar no presente
>>> Livro destaca a utilização da robótica nas salas de aula
>>> São Paulo recebe o lançamento do livro Bluebell
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Eu não entendo nada de alta gastronomia - Parte 1
>>> Treliças bem trançadas
>>> Meu Telefunken
>>> Dor e Glória, de Pedro Almodóvar
>>> Leminski, estações da poesia, por R. G. Lopes
>>> Crônica em sustenido
>>> Do inferno ao céu
>>> Meninos, eu vi o Bolsonaro aterrando
>>> Manual para revisores novatos
>>> A Copa, o Mundo, é das mulheres
Colunistas
Últimos Posts
>>> 100 nomes da edição no Brasil
>>> Eu ganhei tanta coisa perdendo
>>> Toda forma de amor
>>> Harvard: o que não se aprende
>>> Pedro Cardoso em #Provocações
>>> Homenagem a Paulo Francis
>>> Arte, cultura e democracia
>>> Mirage, um livro gratuito
>>> Lançamento de livro
>>> Jornada Escrita por Mulheres
Últimos Posts
>>> João Gilberto: o mito
>>> Alma em flor
>>> A mão & a luva
>>> Pesos & Contra-pesos
>>> Grito primal II
>>> Calcanhar de Aquiles
>>> O encanto literário da poesia
>>> Expressão básica II
>>> Expressão básica
>>> Minha terra, a natureza viva.
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Abdominal terceirizado - a fronteira
>>> Cinema é filosofia
>>> Quem é (e o que faz) Julio Daio Borges
>>> Mulher no comando do país! E agora?
>>> YouTube, lá vou eu
>>> YouTube, lá vou eu
>>> Bar azul - a fotografia de Luiz Braga
>>> Eu + Você = ?
>>> Virtudes e pecados (lavoura arcaica)
>>> Pela estrada afora
Mais Recentes
>>> Novo código civil brasileiro de Coordenação; Giselle de Melo Braga Tapai e colaboradores pela Revista dos tribunais (2003)
>>> Execução de Pré Executividade de Marcos Valls Feu Rosa pela Sergio Antonio Fabris (1996)
>>> O desafio do escombro : nação, identidades e pós-colonialismo na literatura da Guiné-Bissau de Moema Parente Augel pela Garamond (2007)
>>> Processo de Execução de Levenhagen pela Atlas (1986)
>>> Processo de Execução de Humberto Theodoro Júnior pela Leud (1999)
>>> Execução direito processual civil ao vivo de Humberto Theodoro Júnior pela Aide (2000)
>>> Teoria e prática do processo de execução de Orlando Fida e Carlos A.M. Guimarães pela Led (2019)
>>> Lei de execução Fiscal Comentada e Anotada Lei 6.830 de 22 /09/1980 de Maury Ângelo Bottesini e outros pela Revista dos Tribunais (2000)
>>> Execução Fiscal de José Afonso da Silva pela Revista dos Tribunais (1975)
>>> A Execução contra fazenda pública de Wanderley José Federighi pela Saraiva (1996)
>>> Execução Civil (Princípios Fundamentais) de José Miguel Garcia Medina pela Revista dos Tribunais (2002)
>>> Da arrementação e da Execução de Severiano Ignacio de Aragão pela Leud (1998)
>>> Execução Forçada de Cláudio Nunes do Nascimento pela Saraiva (1974)
>>> Fraude a Execução de José Sebastião de Oliveira pela Saraiva (1986)
>>> Fraude de Execução e Garantias Fundamentais do Processo de Sergio Coelho Junior pela Lumen Juris (2006)
>>> Prática do processo de execução de Severiano Ignacio de Aragão pela Idéia Jurídica (2001)
>>> Execução contra fazenda pública fundada em título extrajudicial de Juraci Inês Chiarini Vicente pela Forense (2001)
>>> Da execução e dos Embargos de João Roberto Farizato pela Led (1996)
>>> Execução de Luiz Guilherme Marinoni e Sergio Cruz Arenhart pela Revista dos Tribunais (2007)
>>> O Novo processo de execução de Luiz Fux pela Forense (2008)
>>> A Reforma da execução do título extrajudicial de Humberto Theodoro Júnior pela Forense (2007)
>>> Manual das Execuções de Jônatas Milhomens e Geraldo Magela Alves pela Forense (1999)
>>> Manual das Execuções de Jônatas Milhomens e Geraldo Magela Alves pela Forense (2001)
>>> A consciência do impacto nas obras de Cruz e sousa e de Lima Barreto de Cuti pela Autêntica (2009)
>>> Execução no Código de processo Civil de José Antonio de Castro pela Saraiva (1983)
>>> Crédito Hipotecário na execução movida por terceiro de Haroldo Pabst pela Revista dos Tribunais (1978)
>>> Intervenção de Terceiros de José Antonio Alem pela Leud (1989)
>>> Embargos de Terceiros de José Antonio Alem pela Leud (1987)
>>> Embargos de Devedor de José Antonio Alem pela Leud (1986)
>>> Embargos de terceiro de Edson Prata pela Leud (1987)
>>> Das intervenção de terceiros de Jônatas Milhomens pela Forense (1985)
>>> Intervenção de Terceiros de Athos Gusmão Carneiro pela Saraiva (2001)
>>> Intervenção de Terceiros de Athos Gusmão Carneiro pela Saraiva (1983)
>>> Intervenção de Terceiros de Athos Gusmão Carneiro pela Saraiva (1986)
>>> Pluralidade de partes e intervenção de Terceiros de José Raimundo Gomes da Cruz pela Revista dos Tribunais (1991)
>>> Como se Preparar para exame de ordem 1ª Fase (Civil) de Fernando Tartuce e Fernando Sartori pela Métado (2007)
>>> Como se Preparar para exame de ordem 1ª ( Fase Processo Penal) de Vauledir Ribeiro Santos pela Métado (2007)
>>> Código de processo Civil Reformado de J. E. Carreira Alvim pela Del Rey (1995)
>>> Instituições de processo Civil de Renato Riotaro Takiguthi pela Saraiva (1977)
>>> As inovações no código de processo de Humberto Theodoro Júnior pela Forense (1995)
>>> Processo Civil Procedimentos Especiais de Thereza Christina Nahas pela Atlas (2006)
>>> Do chamamento a autoria Denunciação da Lide de Antonio Carlos de Araujo Cintra pela Revista dos Tribunais (1973)
>>> Das citações e das intimações de João Roberto Parizatto pela Leud (1990)
>>> Os prazos processuais de Norma Chrissanto Dias pela Lumen Juris (2003)
>>> As inovações no código de processo de Humberto Theodoro Júnior pela Forense (1995)
>>> A ação civil pública na nova ordem constitucional de Édis Milaré pela Saraiva (1990)
>>> Alinhamentos da nova reforma do cpc de José Rogério Cruz e Tucci pela Revista dos Tribunais (1997)
>>> O advogado e sua identidade profissional em risco de Ivan Alkmim pela Destaque (2001)
>>> Declaração de Insolvência de Onaldo Campos pela Saraiva (2019)
>>> Repertório de jurisprudência e doutrina sobre processo cautelar de Arruda Alvim Nelson Luiz Pinto pela Revista dos Tribunais (2019)
COLUNAS

Quinta-feira, 12/11/2009
Palácio dos sabores 3/5
Elisa Andrade Buzzo

+ de 2600 Acessos

Caminhar em Bordeaux é um prazer comparável ao de contemplar um cartão postal e sentir-se dentro dele, parte de sua história em movimento: à distância ― da margem direita do rio Garonne, cuja curva em formato de lua crescente originou a denominação Port de la Lune ― a fachada de pedra do cais com a ponte de Pierre é ainda a mesma das gravuras de Garmeray (1820) e Ozanne (1776), ou do magnífico quadro de Vernet, uma tempestade escurecendo seu grande céu, enquanto alguns raios de sol ultrapassam a barreira de nuvens. Entretanto, os navios à vela e as pequenas barcaças de transporte flutuando não existem mais, já que esse porto foi desativado, restando atualmente uma parada turística para transatlânticos, além do que a prefeitura transformou num jardim de quatro quilômetros. Adentrando em seu interior, Bordeaux parece a um tempo tenebrosa com as carrancas esculpidas nos baixos edifícios em pedra, recém-saída da idade das trevas, o que é um erro, pois sua arquitetura hoje é composta em grande parte por estes mesmos edifícios, hôtels (mansão, grande edifício de nobres ou estabelecimentos públicos) e échoppes (casa térrea característica da paisagem urbana de Bordeaux), que são dos séculos XVIII e XIX. Raras são as construções remanescentes da Idade Média: algumas igrejas e casas inscrustadas na cidade velha. Fala-se hoje de um despertar de la belle endormie (bela adormecida) com seu tecnológico bonde azul-metálico serpenteando do centro em direção ao rive droite e o intenso ravelement, ou limpeza, das belas fachadas enegrecidas pela poluição.

Nesta cidade não se arrepende da riqueza, acostuma-se com a mendicância, talvez apenas uma modalidade de vagabundagem francesa. Na Sainte-Catherine ― o eixo norte-sul do urbanismo romano de Burdigala, hoje a rua comercial mais longa da Europa, com 1,5 km ― Nico, o gato, estende sua latinha enquanto o dono com pinta de holandês roda a manivela da caixa de música. Entediado com a música enjoativa, vez ou outra o gato dorme entufado num cobertor azul-bebê, ou mastiga comida enlatada. Você aprende rapidamente a lógica das coisas e lhe dá umas moedas, enquanto acaricia sua cabecinha peluda. Em dia translúcido, Bordeaux, que se envolta por vidro fosse aquática, Nico daria patadas homéricas nos humanos-peixes... os hertoirs (maçanetas antigas em metal também usadas para bater nas portas da residências e prédios públicos; geralmente têm o formato de mão ou de peixe) sairiam nadando, joias saltariam dos cofres e virariam tesouros submarinos. Os inúmeros desenhos forjados em metal das sacadas derreteriam em linhas de algas rugosas. Coliseu da cidade galo-romana fundada em III a.C., o Palais Gallien voltaria aos seus dias de glória, onde o gato lutaria com o camundongo-Coralie. Gilles seria o imperador saudando molemente seus 22.000 cidadãos romanos.

Tento me lembrar com detalhes da ignorância diante do novo. As possibilidades foram lançadas quando o sino da porta ressoara e, em sua brancura imaculada, Gilles deixou com passos leves a cozinha, pronunciando um "Bonjour" tão fino quanto a campainha que havia estremececido. Talvez fosse a sola grossa de seus sapatos que desse a impressão de que ele flutuasse. Logo me encaminhou para uma mesa de canto e sumiu pela cozinha como uma sombra loira, mantendo na memória o meu pedido, "le canard" (o pato). Então pude ver por dentro aquele ambiente que, pela vitrine, me parecia uma sala de visitas tipicamente francesa ― aconchegante, levemente démodé. Poucas mesas guarnecidas com uma toalha branca, cobertas com outra cor de rosa e à prova d'água, poltronas com estofo amarelo de pontilhado marrom e uma cristaleira repleta de porcelanas kitsch. Poderia adivinhar que havia um gato, mas agora ele ficava na residência dos Boulet, já que era difícil limpar os pelos das poltronas. Também poderia adivinhar um piano marrom ornado com flores esverdeadas, e lá estava ele, próximo à caixa, já em desuso pois Coralie não tocava mais. Cada detalhe revestia-se de uma camada de motivos e consequências plausíveis. Pequenos informativos gratuitos, imagens do casal num verão em frente à entrada de madeira pintada de verde ― havia mesinhas com guarda-sol na calçada em frente ― outra de Gilles, pela vitrine com seu uniforme branco de chef, rindo gostosamente para o fotógrafo. Revejo a foto. Há uma pitada de discrição em sua boca entreaberta, mas o olhar se curva como uma lua, risonho.

Quando deixa a cozinha e nos oferece a graça de sua presença, investigo seus passos esvoaçantes, seus olhares furtivos. Depois, os sulcos da face branca descarnada ― onde sobressai uma pele branca e rígida, quase plástica, alguns pés de galinha atraiçoando a chegada aos 40. Qual pista devo seguir para afinal desvendá-lo? Da ossatura firme pendem os braços bem torneados e, alcançando o pescoço, o torso se bifurca em gola e botões. À minha questão infantil, "o que é courgette?" replica trazendo um exemplar do vegetal intrépido que resistiu ao golpe de sua faca. Se a brochette (espetinho) salpicada de especiarias contém variedades irreconhecíveis de peixe, ele abre um grande cardume à minha frente para todos explicar, pondo-se a folhear o Larousse Gastronomique. "Voilà", aponta com o dedo, que prenuncia a maciez de sua palma. Gilles fala vagarosamente, retira os pratos num riso e gesto largos. "Você dá aulas de culinária?", a resposta é categórica, "non", ainda que polida. Mesmo que tenha gosto em explicar algo quando lhe perguntam, percebe-se que aquela cozinha é seu território, puro, intocável, tal qual ele, indevassável. Aos clientes e admiradores de sua arte, resta apenas uma espiadela da mesa ou então um pouco mais de perto, indo à caixa para o pagamento. Beira à indiferença sua aparente ou verdadeira ausência diante das coisas. Viverá num mundo à parte, rente à beleza colorida de seus pratos ou enclausurado no ganha-pão da família? Que reação teria se eu brincasse com seus cabelos espetados de gel?

Nota do Editor
Leia também "Palácio dos sabores 1/5" e "Palácio dos sabores 2/5".


Elisa Andrade Buzzo
São Paulo, 12/11/2009


Quem leu este, também leu esse(s):
01. A vida exemplar de Eric Voegelin de Celso A. Uequed Pitol
02. Ler Oswald Spengler em 2014 de Celso A. Uequed Pitol
03. Defensores da Amazônia de Marilia Mota Silva
04. A grama do vizinho de Adriane Pasa
05. A biografia possível de Marta Barcellos


Mais Elisa Andrade Buzzo
Mais Acessadas de Elisa Andrade Buzzo em 2009
01. Inútil, o filme e a moda que ninguém vê - 22/1/2009
02. USP: 75 anos de histórias várias - 12/2/2009
03. A Mulher Invisível ou a literatura como salvação - 20/8/2009
04. Polly - 28/5/2009
05. A profundidade aparente do concreto - 30/4/2009


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




O MISTÉRIO DA CRIPTA AMALDIÇOADA
EDUARDO MENDOZA
PLANETA
(2011)
R$ 19,00



OS CADERNOS DE DOM RIGOBERTO (EDIÇÃO DE BOLSO)
MARIO VARGAS LLOSA
OBJETIVA
(2011)
R$ 12,00



NIELS LYHNE
JENS PETER JACOBSEN
GOLDMANNS GELBE TASCHENBÜCHER
R$ 30,00



SOLDIERS PAY
WILLIAM FAULKNER
PENGUIN BOOKS
(1964)
R$ 32,00



CRIME QUE ABALOU A REPÚBLICA, O
ROBERTO SANDER
MAQUINARIA EDITORA
(2010)
R$ 30,32



TRABALHO DOCENTE NA CRECHE
CELI COSTA S. BAHIA, CELINA MAGALHÃES UND FERNADO PONTES
NOVAS EDIÇÕES ACADÊMICAS
R$ 454,00



AROUND THE WORLD IN EIGHTY DAYS
JULES VERNE
OXFORD
(2010)
R$ 18,61



PRÁTICA FORENSE PARA ESTAGIÁRIOS
LUIS FERNANDO RABELO CHACON; LUIZA HELENA
SARAIVA
(2013)
R$ 21,82



PERSONAGENS FEMININAS
JORGE MARQUES
EDITORA OFICINA RAQUEL
R$ 46,00



WINDSURF: PRANCHA À VELA
JEAN-LUC MARTY
EDIOURO (TECNOPRINT - RJ)
(1982)
R$ 31,28





busca | avançada
31843 visitas/dia
1,0 milhão/mês