Inútil, o filme e a moda que ninguém vê | Elisa Andrade Buzzo | Digestivo Cultural

busca | avançada
44941 visitas/dia
1,3 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Banda GELPI, vencedora do concurso EDP LIVE BANDS BRASIL, lança seu primeiro álbum com a Sony
>>> Celso Sabadin e Francisco Ucha lançam livro sobre a vida de Moracy do Val amanhã na Livraria da Vila
>>> No Dia dos Pais, boa comida, lugar bacana e MPB requintada são as opções para acertar no presente
>>> Livro destaca a utilização da robótica nas salas de aula
>>> São Paulo recebe o lançamento do livro Bluebell
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Rinoceronte, poemas em prosa de Ronald Polito
>>> A forca de cascavel — Angústia (FUVEST 2020)
>>> O reinado estético: Luís XV e Madame de Pompadour
>>> 7 de Setembro
>>> Outros cantos, de Maria Valéria Rezende
>>> Notas confessionais de um angustiado (VII)
>>> Eu não entendo nada de alta gastronomia - Parte 1
>>> Treliças bem trançadas
>>> Meu Telefunken
>>> Dor e Glória, de Pedro Almodóvar
Colunistas
Últimos Posts
>>> Revisores de Texto em pauta
>>> Diogo Salles no podcast Guide
>>> Uma História do Mercado Livre
>>> Washington Olivetto no Day1
>>> Robinson Shiba do China in Box
>>> Karnal, Cortella e Pondé
>>> Canal Livre com FHC
>>> A história de cada livro
>>> Guia Crowdfunding de Livros
>>> Crise da Democracia
Últimos Posts
>>> Uma crônica de Cinema
>>> Visitação ao desenho de Jair Glass
>>> Desiguais
>>> Quanto às perdas I
>>> A caminho, caminhemos nós
>>> MEMÓRIA
>>> Inesquecíveis cinco dias de Julho
>>> Primavera
>>> Quando a Juventude Te Ferra Economicamente
>>> Bens de consumo
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Ser intelectual dói
>>> O Tigrão vai te ensinar
>>> O hiperconto e a literatura digital
>>> Aberta a temporada de caça
>>> Se for viajar de navio...
>>> Incompatibilidade...
>>> Alguns Jesus em 10 anos
>>> Blogues: uma (não tão) breve história (II)
>>> Picasso e As Senhoritas de Avignon (Parte I)
>>> Asia de volta ao mapa
Mais Recentes
>>> O Livro da moda de Alexandra Black pela Publifolha (2015)
>>> Rejuvelhecer a saude como prioridade de Sergio Abramoff pela Intrinseca (2017)
>>> O livro das evidencias de John Banville Tradução Fabio Bonillo pela Biblioteca Azul - globo (2018)
>>> O futebol explica o Brasil de Marcos Guterman pela Contexto (2014)
>>> O Macaco e a Essencia de Aldous Huxley pela Globo (2017)
>>> BATISTAS, Sua Trajetória em Santo Antônio de Jesus: o fim do monopólio da fé na Terra do Padre Mateus de Jorgevan Alves da Silva pela Fonte Editorial (2018)
>>> Playboy Bárbara Borges de Diversos pela Abril (2009)
>>> Sarah de Theresa Michaels pela Nova Cultural (1999)
>>> A Bela e o Barão de Deborah Hale pela Nova Cultural (2003)
>>> O estilo na História. Gibbon & Ranke & Macaulay & Burckhardt de Peter Gay pela Companhia das Letras (1990)
>>> Playboy Simony de Diversos pela Abril (1994)
>>> Invasão no Mundo da Superfície de Mark Cheverton pela Galera Junior (2015)
>>> José Lins Do Rego- Literatura Comentada de Benjamin Abdala Jr. pela Abril Educação (1982)
>>> A modernidade vienense e as crises de identidade de Jacques Le Rider pela Civilização Brasileira (1993)
>>> Machado De Assis - Literatura Comentada de Marisa Lajolo pela Abril Educação (1980)
>>> A Viena de Wittgenstein de Allan Janik & Stephen Toulmin pela Campus (1991)
>>> O Velho e o Mar de Ernest Hemingway pela Círculo do livro (1980)
>>> Veneno de Alan Scholefield pela Abril cultural (1984)
>>> O Livreiro de Cabul de Asne Seierstad pela Record (2007)
>>> Os Dragões do Éden de Carl Sagan pela Francisco Alves (1980)
>>> O Espião que sabia demais de John Le Carré pela Abril cultural (1984)
>>> Administração de Materiais de Jorge Sequeira de Araújo pela Atlas (1981)
>>> Introdução à Programação Linear de R. Stansbury Stockton pela Atlas (1975)
>>> Como lidar com Clientes Difíceis de Dave Anderson pela Sextante (2010)
>>> As 3 Leis do Desempenho de Steve Zaffron e Dave Logan pela Primavera (2009)
>>> Curso de Educação Mediúnica 1º Ano de Vários Autores pela Feesp (1996)
>>> Recursos para uma Vida Natural de Eliza M. S. Biazzi pela Casa Publicadora Brasileira (2001)
>>> Jesus enxuga minhas Lágrimas de Elza de Almeida pela Fotograma (1999)
>>> As Aventuras de Robinson Crusoé de Daniel Defoe pela LPM Pocket (1997)
>>> Bulunga o Rei Azul de Pedro Bloch pela Moderna (1991)
>>> Menino de Engenho de José Lins do Rego pela José Olympio (1982)
>>> Terra dos Homens de Antoine de Saint-Exupéry pela Nova Fronteira (1988)
>>> O Menino de Areia de Tahar Ben Jelloun pela Nova Fronteira (1985)
>>> Aspectos Endócrinos de Interesse à Estomatologia de Janete Dias Almeida pela Unesp (1999)
>>> Nociones de Historia Linguística y Estetica Literaria de Antonio Vilanova- Nestor Lujan pela Editorial Teide/ Barcelona (1950)
>>> El Estilo: El Problema y Su Solucion de Bennison Gray pela Editorial Castalia/ Madrid (1974)
>>> El Cuento y Sus Claves de Raúl A. Piérola/ Alba Omil (profs. Univ. Tucumán pela Editorial Nova, Buenos Aires (1955)
>>> Las Fuentes de La Creacion Literaria de Carmelo M. Bonet pela Libr. del Collegio/ B. Aires (1943)
>>> As Hortaliças na Medicina Doméstica/ Encadernado de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar (1976)
>>> A Flora Nacional na Medicina Doméstica de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar
>>> Arlington Park de Rachel Cusk pela Companhia das Letras (2007)
>>> Muitas Vidas, Muitos Mestres de Brian L Weiss pela Salamandra (1991)
>>> As Frutas na Medicina Doméstica de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar
>>> Coleção Agatha Christie - Box 8 de Agatha Christie; Sonia Coutinho; Archibaldo Figueira pela HarperCollins (2019)
>>> As Irmãs Aguero de Cristina García pela Record (1998)
>>> Não Faça Tempestade Em Copo Dágua no Amor de Richard Carlson pela Rocco (2001)
>>> Um Estudo Em Vermelho - Edição De Bolso de Arthur Conan Doyle pela Zahar (2013)
>>> Eu, Dommenique de Dommenique Luxor pela Leya (2011)
>>> Os Cavaleiros da Praga Divina de Marcos Rey pela Global (2015)
>>> O Futuro da Filosofia da Práxis de Leandro Konder pela ExpressãoPopular (2018)
COLUNAS

Quinta-feira, 22/1/2009
Inútil, o filme e a moda que ninguém vê
Elisa Andrade Buzzo

+ de 6000 Acessos
+ 1 Comentário(s)


Foto: Magaly Bátory

Comprei duas roupas (pelo correio, olha que facilidade) com design e acabamento brasileiros. Vejam só, elas não foram fabricadas na China, como tantas peças que encontramos por aí, geralmente as mais baratas. Também já comprei outras, chinesas, sim, mas também indianas, paquistanesas, romenas, búlgaras. Sabe-se lá onde o tecido foi produzido, provavelmente, China. Reparei outro dia que na etiqueta escondida dentro da carteira estilosa da Imaginarium está escrito: "Made in RPC". Ninguém se engana que se trata da República Popular da China. Mas para quê camuflar a origem de um produto têxtil?

As relações da indústria da moda que fazem da China um pólo replicador e sem muitos estilistas reconhecidos internacionalmente, assunto árido, são exploradas num viés crítico e poético por Jia Zhangke no documentário Inútil (2007). Vencedor do Leão de Ouro no Festival de Veneza, ele havia estreado no Brasil na 31ª Mostra Internacional de Cinema de São Paulo. Finalmente o documentário entrou em cartaz nos cinemas daqui.

Nascido em 1970, Jia Zhangke é um dos cineastas chineses mais ativos de sua geração. Seu estilo realista e minimalista procura retratar, diz a crítica, a China atual sem idealizar sua sociedade. Caso de Inútil, que nos imerge num ambiente cravejado pelo ruído de máquinas de costura, ventiladores e vapores de ferros. A câmera não é óbvia, antes passeia na bela sequência de abertura revelando, às escondidas, o trabalho dos costureiros. Roupas são produzidas em série numa fábrica no Cantão, aquelas mesmas que podemos encontrar nas araras de muitas lojas e mesmo em nosso armário.

Inútil é um documentário feito de ausências e existências, de closes e planos originalíssimos. O diretor mostra o refeitório da fábrica vazio; depois, cheio, cada operário com sua marmita nas mãos. Mesmo quando o foco está em algum entrevistado, logo a câmera se distancia, em silêncio, para algum detalhe ― seja uma lâmpada, um ventilador, cabides, ou a geometria dos locais retratados.

Não é uma câmara vigorosa, mas de uma precisão e simplicidade de foto. Não é à toa que o mesmo diretor também é responsável, com Nelson Yu Lik-wai, pela fotografia. São muitos minutos, desde o início, em que não há falas, o tema moda não é explicitado com um discurso óbvio, os planos são relativamente demorados. É o que algumas pessoas acham quando acaba a sessão. No entanto, o ritmo não é tão lento assim, o que se percebe neste documentário é a sutileza com que o diretor encaminha o assunto.

Desta maneira, desde os objetos, até os costureiros de uma pequena cidade cuja economia gira em torno de uma mina de carvão, são todos protagonistas desta história real. Assim como a estilista chinesa Ma Ke. Ela é responsável pela famosa Exceptional e também pela marca Wu Yong ("Inútil"). As roupas desta última, que aparecem numa espécie de instalação na Semana de Moda de Paris de 2007, são mostradas no documentário. Ma Ke expõe sua filosofia às avessas, já que é o público que se movimenta para apreciar a coleção; cada modelo está numa pose estática em cima de cubos iluminados. As peças foram previamente enterradas, assim, a natureza deu seu toque final às vestimentas.

Como vestir algo que não sabe quem costurou? As roupas rústicas de sua grife experimental são, desde o tecido, fabricadas artesanalmente. Ma Ke, estilista com uma atitude reflexiva diante da indústria da moda, diz que os objetos manufaturados, diferentemente dos industrializados, em série, têm uma história afetiva. Ainda segundo ela, objetos que passam de geração em geração nas famílias têm uma história, uma memória, e por isso não são descartáveis. Mesmo que estejam "quebrados", você não os jogará fora. Aquilo que pode ser inútil hoje, como as roupas repletas de terra, pode reencontrar uma utilidade.

Se as situações mudam com o passar do tempo, da mesma forma se passa com o potencial de uso em cada objeto. Lembrei que era exatamente o caso de uma nova escrivaninha que precisava. Para que comprar uma nova se havia uma outra, do meu pai, que ninguém mais usava, nem mesmo ele, e que parecia inútil...? De madeira escura, quase negra, pernas e gavetas ornamentadas, pequenos pilares nas bordas, como ameias protegendo um forte esquecido, no qual a batalha dos anos e dos fatos já se consumiram.

Os móveis antigos também ressurgem, como parentes ressuscitados ou roupas desenterradas e parecem, talvez não necessariamente melhores, mas diferentes das coisas novas, estas geralmente em série, compensadas. Ou caríssimas, de grife. Evito fazer perguntas a respeito da procedência do móvel, pois as respostas parecem vagas demais, imprecisas. Ninguém mais sabia ao certo quando ele havia sido comprado, nem onde. Só uma pista carcomida no fundo do tampo, um adesivo "cx. post".

Histórias se entrelaçam neste mundo desorientado e globalizado que o cineasta Jia Zhangke documenta e que a estilista Ma Ke confronta. Confiro as costuras das minhas roupas novas, sempre é bom ter certeza de que não há um defeito de fábrica... e nunca me esquecer de, além de examiná-las, lá imaginar uma mão em movimento, empunhando uma agulha, domando ou girando a máquina com os pés.


Elisa Andrade Buzzo
São Paulo, 22/1/2009


Quem leu este, também leu esse(s):
01. Paisagem interna agreste de Elisa Andrade Buzzo
02. Desdizer: a poética de Antonio Carlos Secchin de Jardel Dias Cavalcanti
03. Pra que mentir? Vadico, Noel e o samba de Renato Alessandro dos Santos
04. De quantos modos um menino queima? de Duanne Ribeiro
05. O Brasil que eu quero de Luís Fernando Amâncio


Mais Elisa Andrade Buzzo
Mais Acessadas de Elisa Andrade Buzzo em 2009
01. Inútil, o filme e a moda que ninguém vê - 22/1/2009
02. USP: 75 anos de histórias várias - 12/2/2009
03. A Mulher Invisível ou a literatura como salvação - 20/8/2009
04. Polly - 28/5/2009
05. A profundidade aparente do concreto - 30/4/2009


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

ENVIAR POR E-MAIL
E-mail:
Observações:
COMENTÁRIO(S) DOS LEITORES
2/2/2009
12h13min
O bom hoje é que quem faz a moda é quem usa. Os estilistas têm estilo próprio para a indústria, por outro lado, ninguém segue o processo indusatrial, há quem copie, a liberdade é total. Mas os desfiles ocorrem é para isso. Há estilistas observando e estudando as ruas para suas criações.
[Leia outros Comentários de manoel messias perei]
COMENTE ESTE TEXTO
Nome:
E-mail:
Blog/Twitter:
* o Digestivo Cultural se reserva o direito de ignorar Comentários que se utilizem de linguagem chula, difamatória ou ilegal;

** mensagens com tamanho superior a 1000 toques, sem identificação ou postadas por e-mails inválidos serão igualmente descartadas;

*** tampouco serão admitidos os 10 tipos de Comentador de Forum.




Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




MANIFESTO DO PARTIDO COMUNISTA - VOLUME 44
KARL MARX
MARTIN CLARET
(2014)
R$ 17,00



ANÍBAL
ROSS LECKIE
EDIOURO
(2004)
R$ 10,00



HOMEM COBRA, MULHER POLVO
ICAMI TIBA
GENTE
(2004)
R$ 21,25



ANAIS DO VII SEMINÁRIO NACIONAL DE HISTÓRIA DA CIÊNCIA E DA TECNOLOGIA
GOLDFARB, JOSÉ LUIZ
EDUSP
R$ 55,00



SALADAS E BUFES FRIOS
BRUNA TREVISANI
MELHORAMENTOS
(2001)
R$ 8,00



UMA NOITE NO CHATEAU MARMONT - 2ª EDIÇÃO
LAUREN WEISBERGER
RECORD
(2011)
R$ 12,00



EDLSTEINE
VÁRIOS
SUDWEST VERLAG
(1970)
R$ 39,00



HOMENS QUE FIZERAM O BRASIL
LUIZ WALDVOGEL
CASA PUBLICADORA BRASILEIRA
R$ 10,00



O PRIMO BASÍLIO
EÇA DE QUEIRÓS
ÁTICA
(1995)
R$ 7,00



UM DESCONHECIDO
DANIELLE STEEL
RECORD
(1994)
R$ 10,71





busca | avançada
44941 visitas/dia
1,3 milhão/mês