Os bigodes do senhor autor | Renato Alessandro dos Santos | Digestivo Cultural

busca | avançada
70483 visitas/dia
2,4 milhões/mês
Mais Recentes
>>> Projeto: Encontro ás escuras - Contos e cantos ancestrais
>>> Primeira edição do ZporZ Fest Verão acontece em janeiro
>>> Sesc Cultura ConVIDA! apresenta mostras temáticas
>>> Oficina de Objetos de Cena nas redes do Sesc 24 de Maio
>>> Lançamento: livro “A Cultura nos Livros Didáticos”, de Lara Marin
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Isto é para quando você vier
>>> 2021, o ano da inveja
>>> Pobre rua do Vale Formoso
>>> O que fazer com este corpo?
>>> Jogando com Cortázar
>>> Os defeitos meus
>>> Confissões pandêmicas
>>> Na translucidez à nossa frente
>>> A Velhice
>>> Casa, poemas de Mário Alex Rosa
Colunistas
Últimos Posts
>>> Mehmari, Salmaso e Milton Nascimento
>>> Gente feliz não escreve humor?
>>> A profissão de fé de um Livreiro
>>> O ar de uma teimosia
>>> Zuza Homem de Mello no Supertônica
>>> Para Ouvir Sylvia Telles
>>> Van Halen ao vivo em 1991
>>> Metallica tocando Van Halen
>>> Van Halen ao vivo em 2015
>>> Van Halen ao vivo em 1984
Últimos Posts
>>> Tonus cristal
>>> Meu avô
>>> Um instante no tempo
>>> Salvem à Família
>>> Jesus de Nazaré
>>> Um ato de amor para quem fica 2020 X 2021
>>> Os preparativos para a popular Festa de Réveillon
>>> Clownstico de Antonio Ginco no YouTube
>>> A Ceia de Natal de Os Doidivanas
>>> Drag Queen Natasha Sahar interpreta Albertina
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Um olhar sobre Múcio Teixeira
>>> A coisa tá preta
>>> Fugindo do apocalipse
>>> Sonhos Sujos
>>> Eu acho que alguém aqui pirou
>>> Ideologias em forma de spam
>>> Neste Natal etc. e tal
>>> Lula, o filme
>>> Mauro Henrique
>>> Uma pirueta, duas piruetas, bravo, bravo!
Mais Recentes
>>> Tony e Susan de Austin Wright pela Austin Wright (2011)
>>> Ícones: Seu Coração Só Pode Bater Com a Permissão Deles de Margaret Stohl pela Galera Record (2014)
>>> Michaelis Minidicionário alemão / português - português / alemão de Alfred Josef Keller pela Melhoramentos (2010)
>>> Visagismo - Harmonia e Estética de Philip Hallawell pela Senac Sp (2008)
>>> Sob a Pele das Palavras de Celso Cunha pela Nova Fronteira (2004)
>>> Radcliffe- Brown: Coleção Grandes Cientistas Sociais. Número 3 de Júlio Cezar Melatti; Florestan Fernandes (org.) pela Ática (1995)
>>> Troppo Facile - Receitas e Notícias Sobre Comida Boa de Gaspare Tusa Di Gruppazzi pela Via Nuova (1990)
>>> Tradução das Catilinárias de Cícero de Maximiniano Augusto Gonçalves pela Livraria H. Antunes (1955)
>>> Cisnes Selvagens de Jung Chang pela Companhia das Letras (1994)
>>> Amazônia, a Menina dos Olhos do Mundo de Thiago de Mello pela Bertrand Brasil (2005)
>>> Imperatriz de Shan Sa pela Ediouro (2004)
>>> O Feitiço da Ilha do Pavão de João Ubaldo Ribeiro pela Nova Fronteira (1997)
>>> Crônicas do Reino de Deus de Frei Lucas Moreira Neves pela Duas Cidades
>>> O Visconde Partido ao Meio de Italo Calvino pela Companhia das Letras (1996)
>>> Parcerias: Fundamentos e Benefícios para o Terceiro Setor de James E. Austin pela Futura (2001)
>>> História do povo Francês de André Ribard pela Brasiliense LTDA (1952)
>>> Cabeça de Porco de Luiz Eduardo Soares, MV Bill, Celso Athayde pela Objetiva (2005)
>>> Mil Moedas de Ouro de Ruthanne Lum Mccunn pela Best Seller (1999)
>>> As Noites do Morro do Encanto - Livro 2 de Dinah Silveira de Queirzo pela Civilização Brasileira (1957)
>>> A Semente de Mostarda de Bhagwan Shree Rajneesh pela Tao Livraria (1979)
>>> Banderas en Las Torres de A.S. Makarenko pela Progresso (1976)
>>> Pureza Mortal de Nora Roberts; J. D. Robb pela Bertrand Brasil (2011)
>>> O Último Testamento de Sam Bourne pela Record (2008)
>>> Os Irmãos Karamázovi de Fiodor M Dostoiesvski pela Abril Cultural (1971)
>>> Qualidade Em Prestação de Serviços de Rose Zuanetti e Outros pela Senac (2002)
>>> Voltando para Casa Com o Seu Bebê de Laura a Jana; Jennifer Shu pela Wmf Martins Fontes (2010)
>>> Minha Biblia de Lois Rock; Carolyn Cox pela Caulinas (2007)
>>> Envelhecimento Saudável, os Segredos de um Envelhecimento Bem-sucedido de Vários Autores pela Manole (2008)
>>> Ensaios gracilianos de Castelar de Cravalho pela Rio (1978)
>>> Radicais e afixos de Antônio de Camargo Franco pela Do autor (1977)
>>> Contos Tocantinenses de Maximiano da Matta Teixeira pela Secretaria de Cultura Tocantins (1994)
>>> Lenita e o Padre de Márcia Fagundes Varella pela Terra
>>> 1922 - Itinerário de uma falsa vanguarda de Antonio Arnoni Prado pela Brasiliense (1983)
>>> Memorial de Aires e Ressurreição de Machado de Assis pela Iracema (1975)
>>> Aprendiz de Homero de Nélida Piñon pela Record (2008)
>>> Além do Nascimento e da Morte de Bhaktivedanta Swami Prabhupada pela Coletivo Editorial (1986)
>>> Férias na Draculândia de Carlos Queiroz Telles pela FTD (1993)
>>> Conversa Sobre o Tempo de Luis Fernando Verissimo, Zuenir Ventura e Arthur Dapieve pela Agir (2010)
>>> Terrores da Noite de Martin Cruz Smith pela Nova Cultural (1986)
>>> O Cavaleiro Inexistente de Italo Calvino pela Companhia das Letras (2000)
>>> O Faraó Alado de Joan Grant pela Circulo do Livro
>>> A Educação da Mudança de Arnaldo Niskier pela Academia Brasileira de Letras (2003)
>>> Velhos integralistas de Carla Luciana Silva; Gilberto Grassi Calil pela EDIPUCRS (2000)
>>> Velhos integralistas de Carla Luciana Silva; Gilberto Grassi Calil pela EDIPUCRS (2000)
>>> Signo do Pecado de Shirley Larson pela Nova Cultural (1988)
>>> A memória e o ensino de história de Tatiana Lenskij; Nadir Emma Helfer pela Edunisc (2000)
>>> Dicionário de Ciências Sociais de Vários pela Fundação Getúlio Vargas (1986)
>>> Dimensões do Ser - Reflexões sobre os planetas de Maria Eugênia de Castro pela Hipocampo (1991)
>>> Blair's Britain de Hal Colebatch pela Claridge (1999)
>>> O Mundo que eu Encontrei de Alayde de Assunção e Silva pela Coronário (2000)
COLUNAS

Terça-feira, 24/3/2020
Os bigodes do senhor autor
Renato Alessandro dos Santos

+ de 1100 Acessos

Manuel Antônio de Almeida escreveu um único romance em seus curtos 30 anos de vida, e Memórias de um sargento de milícias é um livro ímpar do romantismo brasileiro: é tão diferente dos outros romances do período que poderia ser aquela solitária estrela que, na bandeira nacional, fica isolada de todas as outras.

Enquanto no país sopravam os ventos ultrarromânticos, o livro, escrito por “um brasileiro” no formato dinâmico do folhetim, não recebeu do público o reconhecimento esperado, e imagino que o autor ― da mesma forma que uma novela da Globo sofra da influência do Ibope e dos comentários que vêm das ruas ― tenha aqui e ali padecido do mesmo mal. Certo é que ambos necessitam do público, e Manuel fez um romance divertido, cujo tom de comédia transparece por todo ele ― à exceção da última linha, repleta de melancolia e de tristeza, o que dá no mesmo. Voltaremos a ela.


É que a vida do brasileiro sempre foi dura, e, elásticos, acabamos por encontrar no riso uma maneira de animar o estômago; é o que faz o narrador ao pintar em tom de comédia os costumes na corte ― pinceladas que retratam as camadas menos favorecidas daquele período inédito da história do país: abertura dos portos, beija-mão da família real, Banco do Brasil. Vem então uma galeria de tipos e caricaturas: meirinho (funcionário da justiça), barbeiro, dona de casa, soldado, padre Don Juan, cigana e, em meio a eles, um ou outro personagem endinheirado, como D. Maria e um militar de alta patente que salva Leonardo Pataca. Faltaram os negros, preteridos pelo autor.

É o “tempo do rei” no romance, período que se estendeu de 1808 ― mesmo ano em que a Nona sinfonia estreou na Europa ― até a independência. O que queria Manuel ao situar o correr da ação exatamente nesse tempo, quando colocou Memórias de um sargento de milícias em circulação no início dos anos 1850? Mamede Mustafa Jarouche oferece uma possibilidade: embora o romance tenha sido publicado no período nacional de nossa literatura, a história, que se passa nos momentos derradeiros de quando ainda éramos colônia de Portugal, pode refletir a inércia que veio em seguida, naquele pós-independência que resultou no mesmo arroz e feijão no prato do brasileiro; ou seja, para os desvalidos, praticamente, nada mudou com a chegada do rei.

"O que o autor pretendeu dizer? Talvez, de forma irônica, ele estivesse insinuando que o Brasil de seu tempo (1852-1853) não seria lá muito diferente do Brasil no tempo de Dom João VI. Nesse sentido, as Memórias poderiam constituir uma espécie de sátira social, texto por meio do qual se condena a sociedade contemporânea. O governo vivia alardeando que o Brasil progredia a olhos vistos e que a situação colo-nial era um passado distante; já as Memórias de um sargento do milícias talvez estivessem dizendo o contrário: nossa situação está e esteve muito mal..."

O enredo de Memórias de um sargento de milícias é cheio de peripécias, recurso muito utilizado pelos folhetins, primeira encadernação do livro, como mencionado, quando saiu em A pacotilha, entre 27 de junho de 1852 e 31 de julho de 1853, ano eleitoral em que dois partidos se comiam em busca daquelas empadinhas à que os eleitos têm direito. Desde a pisadela e o beliscão, passando pelo chute que Leonardo Pataca dá no filho — que o faz voar impossíveis oito metros —, e pelas diabruras da infância e da adolescência (coroinha, agregado à família de Vidinha, afrontas ao major Vidigal etc.) até chegar à “maturidade”, quando, premiado tanto com uma patente militar (sargento de milícias) como com o resgate do primeiro amor, o que o leitor encontra é, como Antonio Candido ensinou , um malandro, ou um pícaro, fôssemos galegos. Pícaro? O pícaro é o malandro, e no romance o malandro é Leonardo, ou, aos de casa, Leornardinho. Vê bem: um malandro de bom coração, alterando a rota do romance a toda hora, mas não com aquele tanto de peripécias como em Macunaíma. Ai... Que preguiça...

Porém, mais do que a malandragem, é o registro de um tempo importante que está nas Memórias de um sargento de milícias, algo capaz de oferecer ao moderno leitor um pouco do que era a cidade do Rio de Janeiro nas duas primeiras décadas do século 19, em um momento importante, isto é, quando o Brasil colônia passou a viver como metrópole, mas com o rei na barriga. E, finalmente, aquela última linha do romance, que é? Brasileiro bom que era, Manuel sabia a maldade, o sorriso, a falsidade e a melancolia que iam na vida distraída cá embaixo, embaixo do Cruzeiro do sul, onde de uma alvorada a outra, reina esse surto de alegria que, em meio à queda para a tristeza, faz a gente acreditar que no fim tudo haverá de dar certo nesse nosso Brasil brasileiro, terra de nosso senhor, onde canta triste o triste sabiá.



Renato Alessandro dos Santos, 47, publica este mês mais dois livros: o volume 2 de Todos os livros do mundo estão esperando quem os leia - de onde esse texto sobre Memórias de um sargento de milícias foi retirado - e Lado B: música, literatura e discos de vinil, ambos publicados pela Engenho e arte. A ilustração é de Stênio Santos e foi criada especialmente para Todos os livros do mundo estão esperando quem os leia - volume 2


Renato Alessandro dos Santos
Batatais, 24/3/2020


Quem leu este, também leu esse(s):
01. Entrevista com Gerald Thomas de Jardel Dias Cavalcanti
02. Nova Gramática do Poder de Marilia Mota Silva
03. Wagner, Tristão e Isolda, Nietzsche de Jardel Dias Cavalcanti
04. Bombril: a marca que não evoluiu com as mulheres de Adriana Baggio
05. Entre mudanças e descartes de Vicente Escudero


Mais Renato Alessandro dos Santos
Mais Acessadas de Renato Alessandro dos Santos em 2020
01. Um grande romance para leitores de... poesia - 14/7/2020
02. Quincas Borba: um dia de cão (Fuvest) - 16/6/2020
03. Meu malvado favorito - 22/9/2020
04. Contentamento descontente: Niketche e poligamia - 25/8/2020
05. A redoma de vidro de Sylvia Plath - 20/10/2020


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




Cinco Casos
Michael Crichton
Rocco
(2000)
R$ 10,00



Belíssimas Páginas da Literatura Universal
Mansour Challita
Acigi
R$ 10,00



Ágape
Marcelo Rossi
Globo Antigo
(2010)
R$ 10,00



London Dk Eyewitness Travel Guide
Michael Leapman
Dk Publishing
(1999)
R$ 10,00



A Bíblia na Catequese
Inês Broshuis
Paulinas
(2005)
R$ 10,00



Revista Letras Número 74
Zaki Akel Sobrinho
Ufpr
(2008)
R$ 10,00



A Long Way Down
Nick Hornby
Riverhead Hardcover
(2005)
R$ 10,00



A Culpa é das Estrelas
John Green
Intrínseca
(2012)
R$ 10,00



Nas Ondas Do Som
Valdir Montanari
Moderna
(1996)
R$ 10,00



Aventuras de um Caçador de Palavras
Aires da Mata Machado Filho
Livraria Acadêmica
(1965)
R$ 10,00





busca | avançada
70483 visitas/dia
2,4 milhões/mês