Dias sombrios | Elisa Andrade Buzzo | Digestivo Cultural

busca | avançada
39219 visitas/dia
1,2 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Banda GELPI, vencedora do concurso EDP LIVE BANDS BRASIL, lança seu primeiro álbum com a Sony
>>> Celso Sabadin e Francisco Ucha lançam livro sobre a vida de Moracy do Val amanhã na Livraria da Vila
>>> No Dia dos Pais, boa comida, lugar bacana e MPB requintada são as opções para acertar no presente
>>> Livro destaca a utilização da robótica nas salas de aula
>>> São Paulo recebe o lançamento do livro Bluebell
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Rinoceronte, poemas em prosa de Ronald Polito
>>> A forca de cascavel — Angústia (FUVEST 2020)
>>> O reinado estético: Luís XV e Madame de Pompadour
>>> 7 de Setembro
>>> Outros cantos, de Maria Valéria Rezende
>>> Notas confessionais de um angustiado (VII)
>>> Eu não entendo nada de alta gastronomia - Parte 1
>>> Treliças bem trançadas
>>> Meu Telefunken
>>> Dor e Glória, de Pedro Almodóvar
Colunistas
Últimos Posts
>>> Revisores de Texto em pauta
>>> Diogo Salles no podcast Guide
>>> Uma História do Mercado Livre
>>> Washington Olivetto no Day1
>>> Robinson Shiba do China in Box
>>> Karnal, Cortella e Pondé
>>> Canal Livre com FHC
>>> A história de cada livro
>>> Guia Crowdfunding de Livros
>>> Crise da Democracia
Últimos Posts
>>> Uma crônica de Cinema
>>> Visitação ao desenho de Jair Glass
>>> Desiguais
>>> Quanto às perdas I
>>> A caminho, caminhemos nós
>>> MEMÓRIA
>>> Inesquecíveis cinco dias de Julho
>>> Primavera
>>> Quando a Juventude Te Ferra Economicamente
>>> Bens de consumo
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Ser intelectual dói
>>> O Tigrão vai te ensinar
>>> O hiperconto e a literatura digital
>>> Aberta a temporada de caça
>>> Se for viajar de navio...
>>> Incompatibilidade...
>>> Alguns Jesus em 10 anos
>>> Blogues: uma (não tão) breve história (II)
>>> Picasso e As Senhoritas de Avignon (Parte I)
>>> Asia de volta ao mapa
Mais Recentes
>>> O Livro da moda de Alexandra Black pela Publifolha (2015)
>>> Rejuvelhecer a saude como prioridade de Sergio Abramoff pela Intrinseca (2017)
>>> O livro das evidencias de John Banville Tradução Fabio Bonillo pela Biblioteca Azul - globo (2018)
>>> O futebol explica o Brasil de Marcos Guterman pela Contexto (2014)
>>> O Macaco e a Essencia de Aldous Huxley pela Globo (2017)
>>> BATISTAS, Sua Trajetória em Santo Antônio de Jesus: o fim do monopólio da fé na Terra do Padre Mateus de Jorgevan Alves da Silva pela Fonte Editorial (2018)
>>> Playboy Bárbara Borges de Diversos pela Abril (2009)
>>> Sarah de Theresa Michaels pela Nova Cultural (1999)
>>> A Bela e o Barão de Deborah Hale pela Nova Cultural (2003)
>>> O estilo na História. Gibbon & Ranke & Macaulay & Burckhardt de Peter Gay pela Companhia das Letras (1990)
>>> Playboy Simony de Diversos pela Abril (1994)
>>> Invasão no Mundo da Superfície de Mark Cheverton pela Galera Junior (2015)
>>> José Lins Do Rego- Literatura Comentada de Benjamin Abdala Jr. pela Abril Educação (1982)
>>> A modernidade vienense e as crises de identidade de Jacques Le Rider pela Civilização Brasileira (1993)
>>> Machado De Assis - Literatura Comentada de Marisa Lajolo pela Abril Educação (1980)
>>> A Viena de Wittgenstein de Allan Janik & Stephen Toulmin pela Campus (1991)
>>> O Velho e o Mar de Ernest Hemingway pela Círculo do livro (1980)
>>> Veneno de Alan Scholefield pela Abril cultural (1984)
>>> O Livreiro de Cabul de Asne Seierstad pela Record (2007)
>>> Os Dragões do Éden de Carl Sagan pela Francisco Alves (1980)
>>> O Espião que sabia demais de John Le Carré pela Abril cultural (1984)
>>> Administração de Materiais de Jorge Sequeira de Araújo pela Atlas (1981)
>>> Introdução à Programação Linear de R. Stansbury Stockton pela Atlas (1975)
>>> Como lidar com Clientes Difíceis de Dave Anderson pela Sextante (2010)
>>> As 3 Leis do Desempenho de Steve Zaffron e Dave Logan pela Primavera (2009)
>>> Curso de Educação Mediúnica 1º Ano de Vários Autores pela Feesp (1996)
>>> Recursos para uma Vida Natural de Eliza M. S. Biazzi pela Casa Publicadora Brasileira (2001)
>>> Jesus enxuga minhas Lágrimas de Elza de Almeida pela Fotograma (1999)
>>> As Aventuras de Robinson Crusoé de Daniel Defoe pela LPM Pocket (1997)
>>> Bulunga o Rei Azul de Pedro Bloch pela Moderna (1991)
>>> Menino de Engenho de José Lins do Rego pela José Olympio (1982)
>>> Terra dos Homens de Antoine de Saint-Exupéry pela Nova Fronteira (1988)
>>> O Menino de Areia de Tahar Ben Jelloun pela Nova Fronteira (1985)
>>> Aspectos Endócrinos de Interesse à Estomatologia de Janete Dias Almeida pela Unesp (1999)
>>> Nociones de Historia Linguística y Estetica Literaria de Antonio Vilanova- Nestor Lujan pela Editorial Teide/ Barcelona (1950)
>>> El Estilo: El Problema y Su Solucion de Bennison Gray pela Editorial Castalia/ Madrid (1974)
>>> El Cuento y Sus Claves de Raúl A. Piérola/ Alba Omil (profs. Univ. Tucumán pela Editorial Nova, Buenos Aires (1955)
>>> Las Fuentes de La Creacion Literaria de Carmelo M. Bonet pela Libr. del Collegio/ B. Aires (1943)
>>> As Hortaliças na Medicina Doméstica/ Encadernado de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar (1976)
>>> A Flora Nacional na Medicina Doméstica de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar
>>> Arlington Park de Rachel Cusk pela Companhia das Letras (2007)
>>> Muitas Vidas, Muitos Mestres de Brian L Weiss pela Salamandra (1991)
>>> As Frutas na Medicina Doméstica de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar
>>> Coleção Agatha Christie - Box 8 de Agatha Christie; Sonia Coutinho; Archibaldo Figueira pela HarperCollins (2019)
>>> As Irmãs Aguero de Cristina García pela Record (1998)
>>> Não Faça Tempestade Em Copo Dágua no Amor de Richard Carlson pela Rocco (2001)
>>> Um Estudo Em Vermelho - Edição De Bolso de Arthur Conan Doyle pela Zahar (2013)
>>> Eu, Dommenique de Dommenique Luxor pela Leya (2011)
>>> Os Cavaleiros da Praga Divina de Marcos Rey pela Global (2015)
>>> O Futuro da Filosofia da Práxis de Leandro Konder pela ExpressãoPopular (2018)
COLUNAS

Quinta-feira, 7/7/2011
Dias sombrios
Elisa Andrade Buzzo

+ de 2300 Acessos


foto: Sissy Eiko

Ai dos paulistanos que dependem do nylon e do moleton neste inverno.
Estarão condenados ao frio eterno.
A paulistana que adora mostrar a bunda.
Nesta voragem facilmente ficará moribunda.

Chegou a hora... porque o paulistano nunca faz compras decentemente para enfrentar o frio, seja por preguiça, pela falta de grana ou pela certeza de que "tudo vai passar". Mais cedo ou mais tarde a primavera vai surgir e espalhar poesia. E assim, mais uma vez, chega o dia inexorável de abrir as gavetas mais profundas do guarda-roupa, sacar as malhas infestadas de bolinhas, reaver as naftalinas, praguejar o preço do cachemir, maldizer a falta de luvas, a perda das polainas, e de encontrar a moda esquisita e multicolorida que se vê nas ruas, em que o vestir-se se transforma em montar uma concha de retalhos a partir dos camelôs e da oferta medíocre das lojas de departamento.

Há de se pós-graduar na Sorbonne sobre os mistérios dos nós dos cachecóis, a arte do bem-vestir invernal, sobre as sobreposições e as camadas diversas que o inverno pressupõe ao corpo desnudo como passível de ser escultura, pois em matéria de vestimenta o paulistano facilmente passa do elegante ao assaltante. O fato é que uns pecam pela falta, outros pelo exagero. Como tudo na vida, enfim, mas no inverno, quando menos estamos preparados para ela, é que os disparates se sobressaem, a beleza e o feio se misturam a tal ponto que nada mais se classifica ou importa. O frio é democrático. E assim, veremos e apontaremos sem dó pelas ruas a combinação manga comprida e manga curta, à la ginasial, chapéus bizarros do tempo do onça, toucas da vovó, botas de prostituta e a necessidade contraditória de cobrir e mostrar o corpo. O paulistano é antes de tudo um criativo. Assim, não é por causa de uma frente fria que ele perecerá.

A bem dizer, o paulistano não se prepara para a chegada do inverno. É um Macunaíma que de repente se encontra face a face com um gigante. A estratégia de guerra, o próximo passo, sempre fica para adiante. O sonho desta noite durará apenas alguns dias, logo mais o sol vai aparecer e acordaremos refeitos. Ele o omite deliberadamente de seu calendário climático a partir do momento em que entende que as quatro estações do ano estão contidas num só dia. Seu céu, de cinza melancolia e poluição, passa a uma nuvem espessa recobrindo seus poros. E assim nos acostumamos ao grafite como se nada além dele fosse possível.

De uma vez, todos os carros estão pretos, em fúnebre cortejo e os cemitérios adquirem aquela tonalidade entre a ventania e o verde-musgo. Andamos atônitos como num filme de terror aguardando o anticlímax do golpe final. O nariz e os cabelos gelam e das bocas sai apenas o murmúrio "que frio". Ninguém entende o que acontece. E só se fala do tempo, nos elevadores, nas repartições, nos shoppings, nos laboratórios. Se antes as conversas frouxas giravam em torno dele, agora ele é o único assunto permitido.

Chegou a hora de andar com os braços cruzados e o coração apertado. A tarde é a mais fria do ano, as mãos se enlaçam, friccionam-se como se pudessem gerar fogo. Nunca se desejou tanto o calor, uma nesga de sol, a quentura de um corpo se procura com aflição - aquele mesmo calor que maldizemos como insuportável, quando desejamos um ar condicionado, um gelo entre a língua e os dentes. Os lábios se comprimem em silvo agudo. Entretanto, dessa sensação não se escapa e ela é boa, fortificante e dolorosa.

São necessários anos para se compreender de qual sutil e sombria matéria é feito o inverno paulistano. Tem personalidade de homem arredio. Sabe-se que ele vai chegar, mas somos pegos desprevenidos, como se estivéssemos nus, aparvalhados diante de sua súbita presença. E então o encontro seria sempre algo genuíno, surpreendente, beirando ao sublime, embora carregado de ingenuidade. Somos todos castos diante da intrusão do frio. Acompanhar uma cidade que se enconcreta e se enclausura, seja pela janela do apartamento constatando a falta de céu, não bastando que se enrole em mil cobertores, seja caminhando pelas ruas ou na proteção do ônibus nas linhas pelas mais belas e mal-afamadas ruas do centro da cidade.

A vida é uma constante aceitação se debatendo contra o desejo, um encher e esvaziar cálices e estantes, e o paulistano se acomoda bem diante das ambiguidades da existência. Equilibra-se no somatório das buzinas, dos motores, raps de celulares, espirros e de uma tosse débil, desacreditada da força da vida. Assim como se dá conta de que não pode se livrar do trânsito e da miséria onipresente, ele entende que o frio é uma praga passageira, motivo de altercação e piada. Daí largar seu corpo como que desapaixonado, que mergulha a esmo na escuridão, e parecer que não tem expectativa diante dos mínimos fatos cotidianos.

São dias em que nossas casas nos gelam e nos expulsam. Frio por frio melhor ficar na rua e se mexer, ver o mundo mal arranjado do inverno paulistano. A vida corre solta, displicente. De nada servirá lançar-lhe amarras. Anoitece, a neblina se espessa e a cidade cinza fica ainda mais cinza. Uma garoa fina não molha, antes envolve com frialdade os transeuntes, como gatos pardos, perdendo-se pelos caminhos.


Elisa Andrade Buzzo
São Paulo, 7/7/2011


Quem leu este, também leu esse(s):
01. Carta ao(à) escritor(a) em sua primeira edição de Ana Elisa Ribeiro
02. Do canto ao silêncio das sereias de Cassionei Niches Petry
03. A confissão de Lúcio: as noites cariocas de Rangel de Renato Alessandro dos Santos
04. Os Doze Trabalhos de Mónika. Epílogo. Ambaíba de Heloisa Pait
05. Bruta manutenção urbana de Elisa Andrade Buzzo


Mais Elisa Andrade Buzzo
Mais Acessadas de Elisa Andrade Buzzo em 2011
01. No tempo da ficha telefônica - 12/5/2011
02. Triste fim de meu cupcake - 17/2/2011
03. Adeus, Belas Artes - 20/1/2011
04. Doces bárbaros - 23/6/2011
05. Um mundo além do óbvio - 28/4/2011


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




ECONOMIA DA ENERGIA: FUNDAMENTOS ECONÔMICOS, EVOLUÇÃO HISTÓRICA E ORGANIZAÇÃO INDUSTRIAL
HELDER QUEIROZ PINTO JUNIOR (ORG.), EDMAR FAGUNDES DE ALMEIDA, JOSÉ VITOR BOMTEMPO, MARIANA IOOTTY, RONALDO GOULART BICALHO
CAMPUS / ELSEVIER
(2007)
R$ 40,00



PRIMEIRA ANTOLOGIA DA ORDEM DOS VELHOS JORNALISTAS
ANTONIO CARLOS TORTORO; E OUTROS
OUTROS
(2005)
R$ 5,00



PRÁTICA DIREITO DE FAMÍLIA E REGISTRO CIVIL DA PESSOA NATURAL
OZÉIAS J SANTOS
VALE DO MOGI
(2008)
R$ 200,00



PRINCIPE PEDRO E O URSINHO
MCKEE, DAVID
MARTINS
R$ 37,40



VIDA AMOR RISO
OSHO
GENTE
R$ 12,00



A HORA DAS SOMBRAS
LUIZ ANTONIO AGUIAR
ATUAL
(1995)
R$ 18,00



A VOZ DO MERCADO
VINCENT P. BARBOSA / GERALD ZALTMAN
MAKRON BOOKS / HBS PRESS
(1992)
R$ 10,00



MINHAS GALERIAS E MEUS PINTORES - 3994
DANIEL_HENRY KAHNWEILER / FRANCIS CRÉMIEUX
L&PM
(1989)
R$ 10,00



MANUEL DE PHYSIOLOGIE 2 VOLS 1 E 2
J. MUELLER
CHEZ J B BAILLIÉRE
(1851)
R$ 337,00



VISUALIZING PROJECT MANAGEMENT
KEVIN FORSBERG, HAL MOOZ, HOWARD COTTERMAN
WILEY
(2000)
R$ 60,00





busca | avançada
39219 visitas/dia
1,2 milhão/mês