Cachorros e Lágrimas | André Simões | Digestivo Cultural

busca | avançada
79144 visitas/dia
2,4 milhões/mês
Mais Recentes
>>> Projeto 8x Hilda reúne obra teatral de Hilda Hilst em ciclo de leituras online
>>> Afrofuturismo: Lideranças de de Angola, Cabo Verde e Moçambique debatem ecossistemas de inovação
>>> Ibraíma Dafonte Tavares desvenda preparação e revisão de texto
>>> O legado de Roberto Burle Marx é tema de encontro online
>>> Sala MAS/Metrô Tiradentes - Qual é a sua Cruz?
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Da fatalidade do desejo
>>> Cuba e O Direito de Amar (3)
>>> Isto é para quando você vier
>>> 2021, o ano da inveja
>>> Pobre rua do Vale Formoso
>>> O que fazer com este corpo?
>>> Jogando com Cortázar
>>> Os defeitos meus
>>> Confissões pandêmicas
>>> Na translucidez à nossa frente
Colunistas
Últimos Posts
>>> Mehmari, Salmaso e Milton Nascimento
>>> Gente feliz não escreve humor?
>>> A profissão de fé de um Livreiro
>>> O ar de uma teimosia
>>> Zuza Homem de Mello no Supertônica
>>> Para Ouvir Sylvia Telles
>>> Van Halen ao vivo em 1991
>>> Metallica tocando Van Halen
>>> Van Halen ao vivo em 2015
>>> Van Halen ao vivo em 1984
Últimos Posts
>>> Kate Dias vive Campesina em “Elise
>>> Editora Sinna lança “Ninha, a Bolachinha”
>>> “Elise”: Lara Oliver representa Bernardina
>>> Tonus cristal
>>> Meu avô
>>> Um instante no tempo
>>> Salvem à Família
>>> Jesus de Nazaré
>>> Um ato de amor para quem fica 2020 X 2021
>>> Os preparativos para a popular Festa de Réveillon
Blogueiros
Mais Recentes
>>> 3 Grandes Escritores Maus
>>> Folhetim
>>> A discreta crise criativa das novelas brasileiras
>>> Um post sem graça
>>> Política em perguntas
>>> Os Estertores da Razão
>>> Encontro com Marina Silva
>>> Palavrões
>>> Pequena poética do miniconto
>>> Memórias de um caçador, de Ivan Turguêniev
Mais Recentes
>>> Irresistível de Sylvia Day pela Hamelin (2013)
>>> O Misterioso Caso de Styles de Agatha Christie pela Círculo do Livro
>>> O Homem do Terno Marrom de Agatha Christie pela Círculo do Livro
>>> Assassinato no Campo de Golfe de Agatha Christie pela Círculo do Livro
>>> Cai o Pano de Agatha Christie pela Círculo do Livro
>>> Os Elefantes Não Esquecem de Agatha Christie pela Círculo do Livro (1976)
>>> Uma Canção Nas Trevas de Edgar Wallace pela Círculo do Livro
>>> Os Dez Mandamentos. Princípios Divinos Para Melhor Seus Relacionamentos. de Loron Wade pela Casa Publicadora Brasileira (2007)
>>> Esperança Para A Família. O Caminho Para Um Final Feliz de Willie E Elaine Oliver - Alejandro Bullón pela Casa Publicadora Brasileira (2018)
>>> Viva Com Esperança. Segredos para ter saúde e qualidade de vida. de Mark Finley - Peter Landless pela Casa Publicadora Brasileira (2014)
>>> Esperança Para Viver. O VERDADEIRO CAMINHO DA FELICIDADE. de Ellen G. White. pela Casa Publicadora Brasileira (2007)
>>> Esperança Viva. Uma Escolha Inteligente de Ivan Saraiva pela Casa Publicadora Brasileira (2016)
>>> Cascão 360 - Outubro/2000 - Uma Folha De Jornal, Mil Idéias na cabeça de Maurício de Sousa pela Globo (2000)
>>> Chico Bento 354 - Agosto/2000 - O Fenômeno de Maurício de Sousa pela Globo (2000)
>>> Magali 185 - Julho/1996 - Gato De Guarda - Editora Globo de Maurício de Sousa pela Globo (1996)
>>> Ed & Lorraine Warren Lugar sombrio de Carmen Reed e AL snedeker & Ray Garton pela Darkside (2021)
>>> 1822 de Laurentino Gomes pela Nova Fronteira (2010)
>>> A cabana de William P. Young pela Sextante (2008)
>>> 1808 de Laurentino Gomes pela Planeta (2014)
>>> Eram os Deus Astronautas? de Erich von Daniken pela Edições Melhoramentos (1977)
>>> Pequena Filocalia - O Livro Clássico da Igreja Oriental de Vários Autores pela Paulus (1985)
>>> Os Sertões de Euclides da Cunha pela Nova Cultural (2002)
>>> Búfalo - Zodíaco Chinês de Catherine Aubier pela Pensamento (1982)
>>> Sociologia e Sociedade - Leituras de introdução á Sociologia. de José de Souza Martins pela Livros Tecnicos (1977)
>>> Luz Emergente - A Jornada da Cura Pessoal de Barbara Ann Brennan pela Cultrix (1993)
>>> Os homens dos Pés Redondos de Antônio Torres pela Francisco Alves (1973)
>>> Maça Profana de Wellington Soares pela The Books (2003)
>>> Teologia do Novo Testamento de George Eldon Laad pela Juerp (1985)
>>> Colette - Uma Biografia de Allan Massie pela Casa Maria (1989)
>>> Enigmas Bíblicos Revelados de Ernesto Barón pela Ceg (1998)
>>> Salvador de Sá e aluta pelo Brasil e Angola 1602-1686 Vol. 353 de C. R. boxer pela Ed. da usp (1973)
>>> Relações da Psicanálise com analistas, instituições e pacientes de David Zimmermann pela Artes Médicas (1988)
>>> Os Africanos no Brasil Vol. 9 de Nina Rodrigues pela Companhia Ed. Nacional (1997)
>>> Na Colméia do inferno - 1ª coleção veredas de Pedro Bandeira pela Moderna (1991)
>>> Os libertos: sete caminhos na liberdade de escravos da Bahia no século XIX de Pierre verger pela Corrupio (1992)
>>> Ao passar das caravanas ciganas de Valéria Sanchez Silva Contrucci pela Zenda (1995)
>>> O Jesus Histórico de Otto Borchert pela Sociedade religiosa edições vida nova (1985)
>>> Contra a Maré: Watchman Nee de Angus Kinnear pela Clc (1989)
>>> Encontro Com a Morte de Agatha Christie pela Record (1987)
>>> Por uma sociologia do protestantismo brasileiro de Vários autores pela Umesp (2000)
>>> Liberdade e Exclusivismo: ensaios sobre os batistas ingleses de Zaqueu Moreira de Oliveira pela STBNB edições (1997)
>>> Teologia Oriental: A identidade das igrejas orientais católicas no Codex Canonum Ecclesiarum Orientalum Vol. III de Thodoro Corrêa de Oliveira pela Gráfica (2009)
>>> Introdução ao estudo do novo testamento de Broadus David Hale pela Juerp (1985)
>>> Aquinas - Selected Philosophical Writings de Tomás De Aquino pela Oxford University Press (1993)
>>> Histórias Com Gente Dentro de Guaracy Pinto pela do Autor (2011)
>>> A Morte da Socialite de Guaracy Pinto pela do Autor (2014)
>>> Fort of Apocalypse - Vol. 10 de Yu Kuraishi e Kazu Inabe pela Jbc (2017)
>>> Fort of Apocalypse - Vol. 1 de Yu Kuraishi e Kazu Inabe pela Jbc (2017)
>>> Fort of Apocalypse 2 de Yu Kuraishi e Kazu Inabe pela Jbc (2017)
>>> O Fazedor de Nuvens de Guaracy Pinto pela do Autor (2014)
COLUNAS

Sexta-feira, 5/7/2013
Cachorros e Lágrimas
André Simões

+ de 8100 Acessos

Ela me chamou de lado, durante a festa, perguntou se eu tinha um minuto, queria falar comigo, muito polida, quase cerimoniosa, aquilo não combinava com nossa intimidade, nem com o ambiente. Foi um jorro de lamentações sobre o namorado (ex-namorado, naquela altura), ao fim do qual não pôde conter as lágrimas.

Ficou muito muito envergonhada, deu para perceber. Não pelo fato de, neste ano do Senhor de 2013, sendo pessoa esclarecida, com graduação em filosofia, bradando suas tendências progressistas, ainda comportar-se como o arquétipo da mulher de malandro - isso seria justificável. Ela estava constrangida era por chorar na minha frente, pediu desculpas e tudo.

Ora, mas que coisa, não havia necessidade de perdoá-la e não era motivo de embaraço externar emoções na frente de um amigo. Agradeci pela confiança em mim depositada, e que ela soubesse sempre lhe daria atenção quando precisasse. Infelizmente, naquele caso específico, não havia como interferir, meu papel estava restrito ao de ouvido disponível para desabafo. Tivesse serenidade, não se maltratasse, claro que uma situação destas é sempre triste, mas as coisas se ajeitam. Não me ocorreu nada melhor do que murmurar a velha frase: "vai ficar tudo bem" .

***

Algumas semanas depois. Tudo bem. Madrugada bem madrugada, lanchonete. À minha frente um hambúrguer, à frente dela alguma coisa indefinível feita de soja, entre nós as gargalhadas e as divagações despropositadas que o horário e a situação impõem.

Ela era vegetariana fazia muitos anos, certo? Adorava os animaizinhos, mantinha grupos no facebook, denúncias de abusos e tal. Também tinha cachorros e gatos em casa. Até aqui tudo bem? Então, ela, filósofa, e bem informada sobre o assunto, que me ajudasse a encontrar uma falha no meu raciocínio, porque eu não estava conseguindo achar.

A maioria dos vegetarianos mantém, entre outros espécimes de nossa rica fauna, cachorros e gatos em casa. Não tenho dados sobre isso, mas acho que é uma observação segura, né? Vou assumir que esses lindos bichinhos não são deixados para buscar seu alimento junto à mãe natureza. Recebem, de seus donos, ração. A ração tem carne bovina. Tiramos daí que, consciente ou inconscientemente, para boa parte dos vegetarianos, o abate bovino para a alimentação de animais domésticos é justificável; para a alimentação de humanos, não. Logo, tem-se a criação de uma tabela valorativa, na qual cachorros e gatos valem mais do que bois; estes, por sua vez, são mais importantes do que os humanos.

Foi ficando vermelha ao longo do meu discurso, não liguei, mas numa pausa para tomar fôlego ela aproveitou a brecha e me dirigiu seu "cala a boca, vai", porque tudo o que ela não precisava naquela noite era ouvir piadas escrotas sobre vegetarianos vindas de quem vibra com bicho morto.

Eu deveria ter seguido o conselho e calado a boca, mas quis me defender da acusação. Uma falácia de raciocínio dizer que eu vibrava com bichos mortos: minha vibração era restrita ao SABOR de ALGUNS TIPOS de bichos mortos, apenas quando adequadamente preparados. Uma fração insignificante de espécies ante a variedade desse mundão. E em segundo lugar, não estava fazendo piada. Estava realmente pedindo ajuda a ela, filósofa, para encontrar alguma falácia no MEU raciocínio, porque a conclusão parecia de uma incoerência tão grande que não era verossímil assumir a desatenção de todos os vegetarianos do mundo a esse fato. Só poderia ser eu mesmo que estava deixando passar algum ponto vicioso, e a procurei como auxílio qualificado para a localização dessa falha.

Sorriso amargo, pezinho balançando, olhar 43 dando lugar ao 666. "Talvez cachorros, gatos, bois e ratos valham mesmo mais do que humanos, às vezes fica mais fácil notar."

Embora me preocupasse a fragilidade de sua autoestima, respeitava sua opinião, reservando-me o direito de discordar. Na minha tabela particular de valoração, embora haja casos desafiadores como Paulo Maluf, Hitler e o inventor do forno micro-ondas, a média ainda faz da espécie humana a mais louvável, com cachorros, bois e ratos sendo de igual categoria - apenas acontece de homens diferentes se afetuarem a animais diferentes, assim como há quem prefira Friends a Seinfeld, fazer o quê.

Nenhum pastor alemão, por mais alto que latisse, jamais chegou perto da força da 9ª Sinfonia, e nenhuma docilidade ovina é tão comovente quanto o Soneto de Fidelidade. Mesmo as delícias dos lençóis de seda e do bacon devem ser antes atribuídas ao homem, usando o mesmo tipo de convenção que nos leva a felicitar pelo gol o atacante, não o dono da fábrica que entregou as traves do estádio.

Acho que foi o salvo-conduto dado a ela naquele dia da festa. A moça começou a se esvair em lágrimas, ali, na frente dos clientes lotando o estabelecimento, um espetáculo. Misturou tudo em seu desabafo: estava chegando o dia dos namorados e ela havia perdido o seu, queria distrair-se com os amigos, mas justo quando estava conseguido se divertir era zoada por mim, até tu Brutus, e eu não respeitava a sensibilidade dela, a solidão, e o Totó (ou sei lá qual o nome do bicho) havia morrido há alguns meses (juro que não sabia), o emprego estava uma bosta etc. Eu estava com medo que EU fosse tomado como o namorado cruel ante aqueles ruídos, aquele rímel escorrendo, aquela caca de nariz. Uma vez vi um cara fortão interferir numa briga de casal num bar, "você está precisando de ajuda com o sujeitinho aí, querida?". Deus me livre.

Como proceder? Calma, eu só quis ser irreverente, não sabia que você estava assim tão sensível, desculpe se a ofendi. Mão no ombro. "Vai ficar tudo bem."

* * *

Filmes comoventes, palavras e gestos bonitos da namorada, morte de parentes, muito raramente isso me faz chorar. As lágrimas não me vêm por tristeza, melancolia, explosão de felicidade, enternecimento - isso seria salutar -, mas por desespero, de maneira bissexta, em torrentes, para expurgar algo há muito represado. Se fosse mais manteiga derretida, talvez conseguisse ser uma pessoa mais leve.

Posto esse elogio ao choro, devemos convir que há gente chorando demais por aí. Em público. E isso é meio irritante. Okay, muito irritante. Chorar é como assoar o nariz: não se deve ter vergonha da necessidade, mas é de bom tom não fazer exibicionismo disso.

As pessoas que reprimem o choro deveriam chorar mais, e quem chora pode continuar chorando - mas com a discrição que um ato íntimo demanda. Enrustir gases faz mal à saúde, traz problemas intestinais; segurar o choro também faz mal à saúde, traz problemas emocionais. Essa verdade, no entanto, não torna mais adequado soltar uma bufa no Fasano ou chorar durante todo o expediente, não produzindo nada e incomodando o trabalho alheio, porque ele não ligou no dia seguinte.

Quando o caso não é de repressão das lágrimas, mas de simples falta de propensão, o camarada não precisa sentir-se mal por isso. É só uma característica pessoal, sem relação com a sensibilidade ou a falta dela. Para continuar com as analogias flatulentas, há gentes que naturalmente externam menos gases, mas nem por isso não comportam um intestino em suas entranhas; do mesmo modo, há quem chore bem menos do que a média, sem por isso merecer o constrangimento de ter contestada sua capacidade de sentir emoções.

Dica de etiqueta: o segredo para se comportar bem, em relação ao choro, é entendê-lo como uma função fisiológica qualquer, como defecar, urinar, arrotar ou, para pegarmos mais leve na escatologia, bocejar, criar remela, suar, soluçar.

* * *

Descobri a falsa premissa de minha sequência de silogismos: a assunção de que todas as rações para cães e gatos contêm carne. Subestimei mesmo a criatividade e poder de inovação dos vegetarianos. Transformar bichinhos que Deus fez carnívoros, assim os mantendo por milhares de anos, em herbívoros, por que não?

As rações veganas para animais domésticos ainda permanecem bem restritas, no entanto, pelo que pesquisei. Incrível minha amiga filósofa não ter tomado conhecimento dessa maravilha tecnológica. Vou contar a ela, tomara chore - de alegria. Seus vira-latas é que terão outros motivos para lágrimas. Vai ficar tudo bem, talvez.


André Simões
São Paulo, 5/7/2013


Quem leu este, também leu esse(s):
01. Notas sobre a Escola de Dança de São Paulo - II de Elisa Andrade Buzzo
02. 10 coisas que a Mamãe me ensinou de Julio Daio Borges
03. Autoimagem, representação e idealização de Pati Rabelo
04. Memórias de ex-professoras de Carla Ceres
05. O futuro (incerto?) dos livros de Rafael Rodrigues


Mais André Simões
* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




A Primeira Esposa - Romance
Françoise Chandernagor
Literalis
(2004)
R$ 10,00



Espiando o Mundo pela Fechadura
Laé de Souza
Eco Arte
(2016)
R$ 7,00



Liberdade Vigiada
Paulo César Gomes
Record
(2019)
R$ 55,00



Roteiros da Natureza
António Pena e José Cabral
Temas e Debates
(1997)
R$ 21,88



O Aquário Moderno Peixes Tropicais
Márcio Infante Vieira
Nobel
(1982)
R$ 10,00



Uma mulher na escuridão
Charlie Donlea
Faro
(2019)
R$ 23,00



O Poder Legislativo - 6 o Parlamento no Mundo Moderno
Luiz Navarro de Britto
Petrônio Portela
(1982)
R$ 14,88



É Fácil Matar
Agatha Christie
Nova Fronteira
(1982)
R$ 33,67



Cavaleiros do Zodíaco Saintia Shô Vol. 8
Masami Kurumada
Jbc
R$ 12,99



Dictionnaire du Cinema acteurs
Jean tulard
Robert Laffont
(1984)
R$ 13,90





busca | avançada
79144 visitas/dia
2,4 milhões/mês