USP: 75 anos de histórias várias | Elisa Andrade Buzzo | Digestivo Cultural

busca | avançada
51146 visitas/dia
1,8 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Evoluir celebra o mês das crianças com contação de história
>>> Editora H1 chega com proposta de modelo híbrido de apresentação de conteúdo
>>> CONCERTO OSESP MASP TEM NOVA APRESENTAÇÃO GRATUITA DIA 20 DE OUTUBRO
>>> 14ª Visões Urbanas tem Urbaninhas com quatro espetáculos para crianças
>>> Visões Urbanas permanece online em sua 14ª edição
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Eleições na quinta série
>>> Mãos de veludo: Toda terça, de Carola Saavedra
>>> A ostra, o Algarve e o vento
>>> O abalo sísmico de Luiz Vilela
>>> A poesia com outras palavras, Ana Martins Marques
>>> Lourival, Dorival, assim como você e eu
>>> O idiota do rebanho, romance de José Carlos Reis
>>> LSD 3 - uma entrevista com Bento Araujo
>>> Errando por Nomadland
>>> É um brinquedo inofensivo...
Colunistas
Últimos Posts
>>> Michael Dell on Play Nice But Win
>>> A história de José Galló
>>> Discoteca Básica por Ricardo Alexandre
>>> Marc Andreessen em 1995
>>> Cris Correa, empreendedores e empreendedorismo
>>> Uma história do Mosaic
>>> Uma história da Chilli Beans
>>> Depeche Mode no Kazagastão
>>> Uma história da Sambatech
>>> Uma história da Petz
Últimos Posts
>>> Mundo Brasil
>>> Anônimos
>>> Eu tu eles
>>> Brasileira muda paisagens de Veneza com exposição
>>> Os inocentes do crepúsculo
>>> Inação
>>> Fuga em concerto
>>> Unindo retalhos
>>> Gente sem direção
>>> Além do ontem
Blogueiros
Mais Recentes
>>> José Moutinho
>>> Palavra na Tela – Crítica
>>> Paternidade
>>> Soul Bossa Nova
>>> Walking Dead - O caminho dos mortos na cultura pop
>>> Anomailas, por Gauguin
>>> Público, massa e multidão
>>> Saints and Sinners
>>> Teledramaturgia ao vivo
>>> Os narradores de Eliane Caffé
Mais Recentes
>>> Just in Time Mrp II Opt de Henrique L. Corrêa e Irineu G. N. Gianesi pela Atlas (1996)
>>> Economics de Michael Parkin pela Addison Wesley Longman (1999)
>>> Cold-Case Christianity - A Homicide Detective Investigates the claims of the gospels de J. Warner Wallace pela David Cook (2013)
>>> Operations and Supply Management The Core de F. Robert Jacobs e Richard Chase pela McGraw-Hill (2010)
>>> Orgulho e Preconceito de Jane Austen pela Pé da Letra (2021)
>>> The Wiki Way - Quick Collaboration on the Web de Bo Leuf - Ward Cunningham pela Addison Wesley (2004)
>>> Becky Bloom - Delírios De Consumo Na 5ª Avenida de Sophie Kinsella pela Record (2002)
>>> Gossip Girl Vol. 6- É Você que Eu Quero de Cecily von Ziegesar pela Record (2007)
>>> Curso de Direito Comercial - Direito de Empresa de Fábio Ulhoa Coelho pela Saraiva (2014)
>>> Direito Civil Brasileiro - Contratos e Atos Unilaterais vol. 3 de Carlos Roberto Gonçalves pela Saraiva (2012)
>>> Dicionário de Biblioteconomia e Arquivologia de Murilo Bastos da Cunha- Cordélia Robalinho Cavalcanti pela Briquet de Lemos (2008)
>>> A Year of Being Single de Fiona Collins pela Hq (2016)
>>> The Brightest Star in the Sky de Marian Keyes pela Penguin Books (2011)
>>> Contos Sombrios de Gabriel Maia pela Linhas Tortas (2019)
>>> Essentials of Marketing de McCarthy e Perreault pela Sixth Edition
>>> Java como Programar de Deitel pela Prentice Hall (2005)
>>> Leis do Amor de Francisco Candido Xavier pela Feb (1965)
>>> Seara dos Médiuns de Francisco Candido Xavier pela Feb (1985)
>>> Se Eu Não Te Amasse Tanto Assim de Valter Turini pela O Clarim (2009)
>>> Os Segredos do Casarão de Elizabeth Artmann pela Petit (1999)
>>> A Segunda Chance... de Alfredo Pardini pela O Clarim (2009)
>>> O Segredo das Bem Aventuranças de José Lázaro Boberg pela Eme (2009)
>>> Sementes e Contos de Lauro Pereira pela Procriart (1985)
>>> Segue-Me!... de Francisco Cândido Xavier pela O Clarim (1978)
>>> Direito Civil Brasileiro - Direito Família vol. 6 de Carlos Roberto Gonçalves pela Saraiva (2013)
COLUNAS

Quinta-feira, 12/2/2009
USP: 75 anos de histórias várias
Elisa Andrade Buzzo

+ de 5400 Acessos
+ 2 Comentário(s)


foto: Escobar

Quando tentei entrar no departamento, fui barrada, vai onde? Boa pergunta, quase respondi. Vinha matar as saudades, não sei ao certo, rever as salas de aula, os murais, as carteiras e aquele clima intacto de década de 1970. Minhas asas foram cortadas em pleno voo e o segurança nem ligava, ordens eram ordens e não havia espaço para piedade com uma ex-aluna. Dá até pra entender essas medidas de segurança, há loucos soltos pela Universidade de São Paulo, você às vezes topa com eles na Praça do Relógio, no Bandejão Central, e não há como fugir. Melhor impedi-los de entrar.

Ainda assim, a USP é generosa, pois mesmo quando te fecha uma porta, ela te abre outras janelas, te apresenta pessoas que vão mudar radicalmente sua vida. Lembra da escadaria da FFLCH? Dos bancos da Matemática? Do Mickey na Física ou do Cinusp? Sempre há recantos de amor e estudos marcados em cada um que passa por uma cidade universitária. Velhas histórias às vezes tão atuais. Ou banais. O dó é não poder mais comer no bandejão. Mas tem, logo ao lado, o Super Hot Dog, o melhor cachorro-quente de São Paulo. Portas e janelas disponíveis.

São anos de convivência, e descubro que ainda há muito para se conhecer na Cidade Universitária Armando de Oliveira Salles neste seu aniversário de 75 anos. Fiquei empolgada quando soube que haveria uma exposição de fotografias da época de sua construção. Corri para o Memorial da América Latina, já que a mostra tinha duração de uma semana (de 26 de janeiro a 1º de fevereiro). USP em obras: a construção da Cidade Universitária, organizada por Maria Arminda do Nascimento Arruda, Lilia Moritz Schwarcz e Plínio Martins Filho, contava com 60 fotos, dentre elas 43 inéditas tiradas por um desconhecido funcionário que acompanhou as obras na década de 60.

E foi emocionante como ver o desenvolvimento da nossa própria cidade-mãe, a terraplanagem, a abertura das ruas, a colocação das guias, dos postes de iluminação pública e muita, muita terra transbordando pra dar espaço aos esqueletos dos prédios daquela minicidade em pleno nascimento. O clima de canteiro de obras das fotos é levado às últimas consequências na organização da exposição, com as reproduções expostas dentro de tapumes em madeira compensada e decoração de sacos de areia. Mas não se deixe impressionar pela cenografia, as fotos é que trazem lembranças de uma imensa construção, que até hoje acontece. Basta fazer um passeio pelo campus.

O prédio da Reitoria (hoje Antiga Reitoria) parece ter tido dias de glória em sua brancura, impávido. "Entrei na Cidade Universitária, um terrenão vazio, mal iluminado, pouquíssimas ruas de terra, lamacentas em dias de chuva. Lá longe, um predião branco, a reitoria, que ficava maior no imenso vazio, onde eram dadas as aulas de geografia. Seja o que Deus quiser, pensei", diz em texto da mostra José de Souza Martins, professor emérito da FFLCH (Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas). Pra quem ficou com vontade de ver um pouco do passado da USP em movimento, e não teve a chance do professor, tem um filme do diretor Walter Hugo Khouri, As Amorosas (1968), com algumas cenas rodadas por lá. Isso porque o ator Paulo José protagoniza um universitário, um dos eternos instisfeitos Marcelos de Khouri.

Aos poucos o visitante pode reconhecer nas fotos outros prédios famosos, como o da FAU (Faculdade de Arquitetura e Urbanismo), da ECA (Escola de Comunicações e Artes) ou da FEA (Faculdade de Economia, Administração e Ciências Contábeis). Há imagens impressionantes, como aquela na qual emerge de um clarão inóspito uma silhueta negra. Aos poucos ela se delineia em formato de homem: um corredor na pista de atletismo do CEPEUSP (Centro de Práticas Esportivas da USP). E mesmo uma fotografia nos remete ao romantismo na Paris da década de 50 retratada por Robert Doisneau ― só que desta vez um casal de beija em frente à FFLCH, diversos fusquinhas estão estacionados e a luminosidade dos postes estoura no grande céu noturno. Numa esquina qualquer vê-se as famosas lajotas de concreto, sim, são aquelas mesmas que delimitam até hoje os caminhos de pedestres. Pois é, nem tudo está tão diferente assim, décadas depois.

O início, tanto da exposição quanto da Cidade Universitária, é um mapa da Fazenda Butantan. Interessante reconhecer na topografia da região a parte mais baixa, formada por brejos, contornada pelo Rio Pinheiros. O passado mais remoto desta área também se inscreve na história da cidade de São Paulo, que ainda nos séculos XIX e XX era repleta de sítios em locais onde hoje esquecemos que pudesse haver uma zona rural. É o caso do bairro do Butantã, onde está o campus. "Terra dura" ou "lugar de vento forte" é a origem em tupi-guarani do nome desta região que consistia em uma sesmaria, obtida em 1697 por Afonso Sardinha. Lá fora instalado o primeiro engenho de açúcar da Vila de São Paulo de Piratininga. Será na área mais alta da futura Fazenda Butantan a inauguração, em 1901, do que seria o Instituto Serumtherapico, anos depois Instituto Butantan (1925). Nesta história a USP só vai entrar no ano de 1941, quando as terras restantes da fazenda são doadas para a construção da Cidade Universitária.

Pois ver o que era ermo é uma experiência sem igual. A vastidão das ruas à espera do fluxo de alunos e de carros encontra os seus, os meus e os passos de tantos outros que formaram trilhas nos gramados uspianos, em busca de um caminho mais otimizado... Assim espero que a exposição percorra a própria universidade e possa rodar por outros campi, pois é necessário trazer à tona este testemunho recoberto por concreto, madeira, barro.


Elisa Andrade Buzzo
São Paulo, 12/2/2009


Quem leu este, também leu esse(s):
01. Da varanda, este mundo de Elisa Andrade Buzzo
02. Meu querido aeroporto #sqn de Ana Elisa Ribeiro
03. O Natal de Charles Dickens de Celso A. Uequed Pitol
04. Aqui sempre alguém morou de Elisa Andrade Buzzo
05. São Paulo e o medo no cinema de Elisa Andrade Buzzo


Mais Elisa Andrade Buzzo
Mais Acessadas de Elisa Andrade Buzzo em 2009
01. Inútil, o filme e a moda que ninguém vê - 22/1/2009
02. USP: 75 anos de histórias várias - 12/2/2009
03. A Mulher Invisível ou a literatura como salvação - 20/8/2009
04. A profundidade aparente do concreto - 30/4/2009
05. Polly - 28/5/2009


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

ENVIAR POR E-MAIL
E-mail:
Observações:
COMENTÁRIO(S) DOS LEITORES
4/5/2009
18h55min
Nós, brasileiros, temos uma grande admiração pela USP. Hoje ser a melhor Universidade da América Latina é um exemplo a ser seguido por pessoas que não acreditam no sucesso deste país.
[Leia outros Comentários de Mauro Cesar Bandeira]
5/5/2009
07h48min
Nós, uspeanos, temos uma grande admiração pelo Brasil. Pelo Brasil real, aquele do povo alegre e criativo, dos artistas, empreendedores, e trabalhadores de sucesso. O problema é que a instituição USP faz parte do Brasil oficial - burocrático, chato, opressor, herdeiro das leis do escravagismo e da inquisição.
[Leia outros Comentários de Felipe Pait]
COMENTE ESTE TEXTO
Nome:
E-mail:
Blog/Twitter:
* o Digestivo Cultural se reserva o direito de ignorar Comentários que se utilizem de linguagem chula, difamatória ou ilegal;

** mensagens com tamanho superior a 1000 toques, sem identificação ou postadas por e-mails inválidos serão igualmente descartadas;

*** tampouco serão admitidos os 10 tipos de Comentador de Forum.




Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




1808: como uma rainha louca, um príncipe medroso e uma corte corrupta enganaram Napoleão e mudaram a história de Portugal e do Brasil
Laurentino Gomes
Planeta do Brasil
(2007)



A Historia Mais Longa Do Mundo - Infanto
Rosane Pamplona
Brinque book
(2009)



Fort of Apocalypse 2
Yu Kuraishi e Kazu Inabe
Jbc
(2017)



Paisagem Vista do Trem
Antonio Calloni
Papirus 7 Mares
(2008)



Como Sair Dessa
Márcia Prado Sartorelli e Outros
Ftd
(1999)



O Direito é Legal
Lamartino Franca de Oliveira
Ltr



Transformando Crise Em Oportunidade
João Paulo dos Reis Velloso
José Olympio
(2007)



Yakuza - Um levantamento explosivo do submundo japonês do crime
David Kaplan & Alec Dubro
Record
(1986)



Um Artista do Mundo Flutuante
Kazuo Ishiguro
Rocco
(1989)



Werner Herzog: o Cinema Como Realidade
Lúcia Nagib
Estação Liberdade
(1991)





busca | avançada
51146 visitas/dia
1,8 milhão/mês