Paulo Mendes da Rocha (1929-2021) | Julio Daio Borges | Digestivo Cultural

busca | avançada
47592 visitas/dia
1,9 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Bossa Nova Mall homenageia músicos brasileiros com a programação especial Cantos e Encantos do Brasi
>>> SESC CARMO REALIZA CICLO DE OFICINAS VIRTUAIS SOBRE DIREITOS SOCIAIS E PRIMEIRA INFÂNCIA
>>> Tiras da Niara viram livro
>>> “Relatos da Era Digital”: novo álbum celebra a cultura sound system
>>> Abertas as Inscrições para a Oficina Conteúdo Audiovisual Infantil e Infantojuvenil
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Olavo de Carvalho (1947-2022)
>>> Maradona, a série
>>> Eleições na quinta série
>>> Mãos de veludo: Toda terça, de Carola Saavedra
>>> A ostra, o Algarve e o vento
>>> O abalo sísmico de Luiz Vilela
>>> A poesia com outras palavras, Ana Martins Marques
>>> Lourival, Dorival, assim como você e eu
>>> O idiota do rebanho, romance de José Carlos Reis
>>> LSD 3 - uma entrevista com Bento Araujo
Colunistas
Últimos Posts
>>> O melhor da Deutsche Grammophon em 2021
>>> A história de Claudio Galeazzi
>>> Naval, Dixon e Ferriss sobre a Web3
>>> Max Chafkin sobre Peter Thiel
>>> Jimmy Page no Brasil
>>> Michael Dell on Play Nice But Win
>>> A história de José Galló
>>> Discoteca Básica por Ricardo Alexandre
>>> Marc Andreessen em 1995
>>> Cris Correa, empreendedores e empreendedorismo
Últimos Posts
>>> Brega Night Dance Club e o afrofuturismo amazônico
>>> Fazer o que?
>>> Olhar para longe
>>> Talvez assim
>>> Subversão da alma
>>> Bons e Maus
>>> Sempre há uma próxima vez
>>> Iguais sempre
>>> Entre outros
>>> Corpo e alma
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Wear Sunscreen
>>> Millôr no IMS Paulista
>>> Uma história da Chilli Beans
>>> L.S.D.eus
>>> Vida Virtual? Quase 10 anos de Digestivo
>>> Also known as
>>> No line on the horizon, do U2
>>> A ostra, o Algarve e o vento
>>> Carteiros do Condado
>>> Amor fati
Mais Recentes
>>> Fábulas Fabulosas 5ª Edição Ilustrada de Millôr Fernandes pela Nórdica
>>> Apostila SESI 9º Ano Ensino Fundamental Anos Finais Caderno 4 de Serviço Social da Industria pela Somos (2020)
>>> A Revolução Russa - 4ª Edição - Série Discutindo a História de Maurício Tragtenberg pela Atual (1988)
>>> Apostila SESI 9º Ano Ensino Fundamental Anos Finais Caderno 1 de Serviço Social da Industria pela Somos (2020)
>>> O vencedor está só de Paulo Coelho pela Agir (2008)
>>> A Chave do Tesouro de J. Carlos de Assis pela Paz e Terra (1983)
>>> Apostila SESI Ensino Fundamental Ano Finais - Linguagens: Língua Espanhola 1 de Serviço Social da Industria pela Sesi (2020)
>>> Tudo Sobre Meninas para Meninos de Cláudia Felício pela Planeta (2006)
>>> Apostila SESI Ensino Fundamental Ano Finais - Linguagens: Língua Espanhola 3 de Serviço Social da Industria pela Sesi (2021)
>>> Comentários as Súmulas do Tst de Francisco Antonio de Oliveira pela Revista dos Tribunais (2005)
>>> Ecologia Objetiva de Dervile Ariza pela Nobel (1979)
>>> Diário de Um Fantasminha 2 de Adeilson Salles pela Letra Jovem (2018)
>>> Diário de Um Fantasminha 2 de Adeilson Salles pela Letra Jovem (2018)
>>> A Importância de Crer de R R Soares pela Graça (1999)
>>> O Desafio das Emoções Biblioteca Mente e Cérebro de Gláucia Leal Org. pela Duetto (2013)
>>> O Melhor do humor na internet - volume 2 de Netto Augusto M. Costa pela Best Seller (2010)
>>> Apostila SESI Ensino Fundamental Ano Finais - Linguagens: Língua Espanhola 2 de Serviço Social da Industria pela Sesi (2021)
>>> O Resgate - Ele Não Desistiu de Você de Sergio Corrêa pela Unipro (2018)
>>> Sobre a China de Karl Marx e Friedrich Engels pela Publicações Escorpião (1974)
>>> O livreiro de cabul de Asne Seierstad; Grete Skevik pela Record (2006)
>>> O livro do bar de Carlos hauber pela Ediouro (1987)
>>> Ramses v.2 - the eternal temple de Christian Jacq pela Warner Books (1998)
>>> A Travessa Americana de Carlos Eduardo Novaes pela Ática (1985)
>>> Educar sem Culpa - a Gênese da Ética de Tania Zagury pela Record (2003)
>>> A História da Aranha de Berny Stringle (Autor), Jackie Robb (Autor) pela Atica (2004)
COLUNAS

Domingo, 23/5/2021
Paulo Mendes da Rocha (1929-2021)
Julio Daio Borges

+ de 2100 Acessos

Fiquei triste com a morte de Paulo Mendes da Rocha.

Não fiz arquitetura, não estudei na FAU/USP, mas herdei, da Carol e dos seus colegas, uma admiração por ele.

Paulo Mendes foi orientador da Carol, no seu trabalho de conclusão de curso, em 1997. Começamos a namorar em 1998 e, por pouco, eu não peguei a apresentação do TCC dela, em que ele teve participação especial.

Mesmo não sabendo nada de arquitetura e mesmo tendo um interesse pequeno, que foi crescendo ao longo dos anos, eu adorava vê-lo falar.

Pensei que, como Borges, no final da vida, era chamado em todo o mundo, porque era “a voz” da literatura, Paulo Mendes da Rocha era a arquitetura falando (como se isso fosse possível - ele diria, num uso muito particular do imperfeito do subjuntivo).

Paulo Mendes dizia que a arquitetura era para ser vivida, mais do que vista, e, nesse sentido, vivi em seus projetos, como o da Pinacoteca do Estado, a que eu ia, mesmo que só para ver o acervo permanente, pelo tanto que eu me sentia bem naquele lugar.

No maravilhoso documentário sobre Villanova Artigas, disponível no Prime Video, Paulo Mendes da Rocha fornece alguns dos principais depoimentos.

Lá se conta a história curiosa de ter sido convidado por Artigas para dar aulas na FAU/USP, sendo que ele, Paulo Mendes, era arquiteto do Mackenzie.

E agora leio, no obituário que uma colega da Carol escreveu para a Folha, que, na verdade, Paulo Mendes foi para o Mackenzie porque não queria ir para a Poli/USP, onde seu pai - Paulo de Menezes Mendes da Rocha, engenheiro - era diretor, e onde se oferecia o curso de engenheiro-arquiteto (o que havia, na época).

Não me lembro se foi Tom Jobim ou Chico Buarque quem disse que arquitetura era “a engenharia de quem não queria fazer engenharia”. O fato é que ambos foram fazer arquitetura - e quem ganhou foi a nossa música.

Antes da pandemia - parece que faz muito tempo, mas foi outro dia -, percorri a “Ocupação” Paulo Mendes da Rocha, no Itaú Cultural, e saí embevecido, com seu trabalho e seus depoimentos.

Era jovial e altivo, como se ignorasse a própria idade, e fazia questão de sair caminhando pelas ruas de São Paulo, mesmo na última década antes do seu centenário.

Acompanhei suas aparições desde 1998, e nunca me pareceu que tivesse 70, 80 e, mais recentemente, 90 anos.

A Carol me contava que ele participava do tradicional “happy hour” da FAU, que tinha uma roda de samba, onde Paulo Mendes comparecia tocando pandeiro. E que ficavam todos admirados de ver o grande professor, das aulas, aterrissar num prosaico happy hour e batucar como um simples mortal.

Sempre me impressionou que fosse apaixonado por São Paulo, embora tenha nascido em Vitória, no Espírito Santo, e tenha vivido no Rio, na infância, antes de vir pra cá.

Os elogios que tecia à nossa cidade eram surpreendentes, porque a tendência dos paulistanos é execrar a própria cidade - seja pela ausência de planejamento urbano; seja pelo crescimento desordenado; seja pela pura e simples falta de beleza estética.

Paulo Mendes via a cidade como um grande espaço de convivência e não aceitava que as pessoas se encastelassem em condomínios e se isolassem em bairros afastados - algo que considerava artificial.

Não se conformava com grades, catracas e credenciamentos, hoje comuns em qualquer edificação. Achava o cúmulo que, para entrar num lugar, você tivesse de ser praticamente fichado e tivesse de dizer “o que vai fazer lá”.

O que normalmente vemos como um problema - como o adensamento populacional, por exemplo -, Paulo Mendes via como solução. Seu Sesc foi o da 24 de Maio e um dos seus projetos mais caros - entre os não-executados - era um remodelamento da Praça da República. Encarava os desafios mais complicados, em vez de fugir do Centro e se refugiar em outras localidades.

Outra personagem que dá uma grande parte dos depoimentos no documentário do Vilanova Artigas (supracitado) é a Rosa Artigas, filha dele, que, por coincidência, foi quem me convidou - a mim e ao Digestivo - para fazer uma série de eventos na Casa Mário de Andrade: um ciclo que chamamos de “A Palavra na Tela”, na década dos 2000, aproximando a literatura da internet - e vice-versa.

Quando vi a Rosa, conduzindo o fio do pequeno-grande Artigas, e das suas relações com a FAU/USP, me senti conectado, mais uma vez, a esse legado - embora, como já disse, nunca tenha estudado lá, tendo apenas compartilhado algumas memórias.

E, recentemente, esse link foi refeito, de maneira nova. A irmã da minha namorada, Camila, é da equipe de arquitetura responsável pela reconstrução do Museu da Língua Portuguesa, depois do incêndio, originalmente um projeto dele.

Paulo Mendes da Rocha se foi, mas suas obras, como os de Villanova Artigas, ainda estão lá. E as falas - do mestre oral - podem ser encontradas na internet. Perdemos um Sócrates da nossa arquitetura, mas, por outro lado, que privilégio ter vivido em seu tempo e lugar.


Julio Daio Borges
São Paulo, 23/5/2021


Quem leu este, também leu esse(s):
01. Christiane F., 13 anos, drogada, prostituída... de Gabriela Vargas
02. Estado de Sítio, de Albert Camus de Ricardo de Mattos


Mais Julio Daio Borges
Mais Acessadas de Julio Daio Borges
01. Quem é (e o que faz) Julio Daio Borges - 29/1/1974
02. Freud e a mente humana - 21/11/2003
03. A internet e o amor virtual - 5/7/2002
04. É Julio mesmo, sem acento - 1/4/2005
05. Frida Kahlo e Diego Rivera nas telas - 25/4/2003


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




Vôo de Pássaro
Lúcia Pimentel Góes
Nacional
(1985)



Oab Nacional 1ª Fase. Teoria Unificada
Simone Diogo Carvalho Figueiredo
Saraiva
(2011)



Vodu Urbano
Edgardo Cozarinsky
Iluminuras
(2005)



Marley & Me Marley & Eu
John Grogan
Ediouro Publicações Sa
(2000)



Renato Russo: O filho da revolução
Carlos Marcelo
Agir
(2012)



Mercadores de Sentido (lacrado)
Veneza Mayora Ronsini
Sulina
(2007)



Psicologia e Educação
Ercília Maria de Paula Fernando Wolff
Iesde
(2009)



Atrás do Espelho - Cartas de Meus Pais
Afonso Arinos Filho
Record
(1994)



Novo Código de Processo Civil Comentado
Daniel Amorim Assumpção Neves
Juspodivm
(2016)



Sql Guia Pratico
Rogerio Luis de C Costa
Brasport
(2006)





busca | avançada
47592 visitas/dia
1,9 milhão/mês