Srta Peregrine e suas crianças peculiares | Ricardo de Mattos | Digestivo Cultural

busca | avançada
49722 visitas/dia
2,6 milhões/mês
Mais Recentes
>>> Instituto Vox realiza debate aberto sobre o livro O Discurso da Estupidez'
>>> A Arte de Amar: curso online desvenda o amor a partir de sua representação na arte e filosofia
>>> Consuelo de Paula e João Arruda lançam o CD Beira de Folha
>>> Festival Folclórico de Etnias realiza sua primeira edição online
>>> Câmara Brasil-Israel realiza live com especialistas sobre “O Mundo da Arte”
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> A desgraça de ser escritor
>>> Um nu “escandaloso” de Eduardo Sívori
>>> Um grande romance para leitores de... poesia
>>> Filmes de guerra, de outro jeito
>>> Meu reino por uma webcam
>>> Quincas Borba: um dia de cão (Fuvest)
>>> Pílulas Poéticas para uma quarentena
>>> Ficção e previsões para um futuro qualquer
>>> Freud explica
>>> Alma indígena minha
Colunistas
Últimos Posts
>>> Uma aula com Thiago Salomão do Stock Pickers
>>> MercadoLivre, a maior empresa da América Latina
>>> Víkingur Ólafsson toca Rameau
>>> Philip Glass tocando Mad Rush
>>> Elena Landau e o liberalismo à brasileira
>>> O autoritarismo de Bolsonaro avança
>>> Prelúdio e Fuga em Mi Menor, BWV 855
>>> Blooks Resiste
>>> Ambulante teve 3 mil livros queimados
>>> Paul Lewis e a Sonata ao Luar
Últimos Posts
>>> Coincidência?
>>> Gabbeh
>>> Dos segredos do pão
>>> Diário de um desenhista
>>> Uma pedra no caminho...
>>> Sustentar-se
>>> Spiritus sanus
>>> Num piscar de olhos
>>> Sexy Shop
>>> Assinatura
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Nelson Freire em DVD e Celso Furtado na Amazônia
>>> Um caos de informações inúteis
>>> Asia de volta ao mapa
>>> Robinson Shiba do China in Box
>>> Aberta a temporada de caça
>>> Parei de fumar
>>> Ford e Eastwood: cineastas da (re)conciliação
>>> Amor à segunda vista
>>> O Gmail (e o E-mail)
>>> Diogo Salles no podcast Guide
Mais Recentes
>>> Tardes de um Pintor Ou as Intrigas de um Jesuíta de Teixeira e Sousa pela Foco Letras (2020)
>>> Comunique-se melhor e Desenvolva sua memória de Jorge Luiz Brand pela Berthier (1999)
>>> Súmulas e Orientações Jurisprudenciais do TST Comentadas e organizadas por assunto de Élison Miessa dos Santos/Henrique Corrfeia pela Juspodivm (2012)
>>> ABZ do Amor de Inge e Sten Heleger pela Artenova (1979)
>>> Escala reduzida do Autoconceito - E.R.A. - de Lúcia Cerne G. Corona pela Cepa
>>> 150 Ways to Play Solitaire de Alphonse Moyse pela U S Playing Card Company
>>> Você tem Personalidade? de Pedro Bloch pela Bloch (1968)
>>> Saiba porque os cristãos devem guardar o sábado! de Antonio E.Marcondes pela Bfi
>>> 101 Segredos de Medicina Natural de Peron Autret pela Europa America (1975)
>>> 10 Anos Con Mafalda de Quino pela Lumen (1973)
>>> Globo Rural--Ele faz a terra dar de tudo de Editora globo pela Globo (1989)
>>> Lady gaga de Brandon hurst pela Madras (2010)
>>> Orientaçoes curriculares para o ensino medio--1--linguagens,codigos e tecnologias. de Mec pela Mec
>>> Vida silvestre:o estreito limiar entre preservaçao e destruiçao. de Coordenadora angela maria branco pela Dupligrafica (2007)
>>> Grandes imperios e civilizaçoes--frança--volumes:1 e 2. de Delprado pela Delprado
>>> Cerrado e pantanal--areas e açoes prioritarias para conservaçao da biodiversidade. de Ministerio do meio ambiente pela Mma (2007)
>>> Contabilidade - Escola de Administração Fazendária - ESAF de Ricardo J. Ferreira pela Ferreira (2014)
>>> O Maior Sucesso do Mundo de Og Mandino pela Record (1994)
>>> O Céus e o Inferno de Allan Kardec pela Feb (1989)
>>> Amor, medicina e milagres - A Cura espontânea de doentes graves de Bernie S. Siegel pela BestSeller (1989)
>>> Mayombe de Pepetela pela Leya (2019)
>>> Os Segredos Para o Sucesso e a Felicidade de Og Mandino pela Record (1997)
>>> Para Viver Sem Sofrer de Gasparetto pela Vida E Consciencia (2002)
>>> Guía Rápida del Museo Nacional de Bellas Artes de Vários pela Mnba (1996)
>>> A profecia celestina de James Redfield pela Objetiva (2001)
>>> The Forecast Magazine January 2020 - 2020 de Diversos pela Monocle (2020)
>>> O Diário da Princesa de Meg Cabot pela Record (2002)
>>> The Forecast Magazine January 2017 - Time to Talk? de Diversos pela Monocle (2017)
>>> Mojo December 2018 de Led Zeppelin pela Mojo (2018)
>>> Mojo 300 November 2018 The Legends de Diversos pela Mojo (2018)
>>> Mojo 299 October 2018 de Paul McCartney pela Mojo (2018)
>>> Mojo 297 August 2018 de David Bowie pela Mojo (2018)
>>> Mojo 307 June 2019 de Bob Dylan pela Mojo (2019)
>>> Mojo 296 July 2018 de Pink Floyd pela Mojo (2018)
>>> Mojo April 2018 de Arctic Monkeys pela Mojo (2018)
>>> Mojo 294 May 2018 de Roger Daltley pela Mojo (2018)
>>> Mojo 292 April 2018 de Neil Young pela Mojo (2018)
>>> Mojo 292 March 2018 de Nick Drake pela Mojo (2018)
>>> Mojo 291 February 2018 de The Rolling Stones pela Mojo (2018)
>>> Mojo 290 January 2018 de The Jam pela Mojo (2018)
>>> Mojo 289 December 2017 de Bob Dylan pela Mojo (2017)
>>> Mojo 286 September 2017 de Allman Brothers pela Mojo (2017)
>>> Mojo 310 September 2019 de Tom Waits pela Mojo (2019)
>>> Mojo 309 August 2019 de Bruce Springsteen pela Mojo (2019)
>>> Mojo 304 March 2019 de Joni Mitchell pela Mojo (2019)
>>> Como cuidar do seu automóvel de Ruy Geraldo Vaz pela Ediouro (1979)
>>> Mojo 236 July 2013 de The Rolling Stones pela Mojo (2013)
>>> Mojo 250 January 2014 de Crosby, Still, Nash & Young pela Mojo (2014)
>>> Gilets Brodés - Modèles Du XVIII - Musée des Tissus - Lyon de Várioa pela Musee des Tíssus (1993)
>>> Mojo 249 August 2014 de Jack White pela Mojo (2014)
COLUNAS

Segunda-feira, 5/9/2016
Srta Peregrine e suas crianças peculiares
Ricardo de Mattos

+ de 2700 Acessos

"...não me fale sobre meus defeitos, eu sei sobre todos eles..." (Ismael Azevedo)

Talvez o leitor já tenha ouvido falar ou lido algo a respeito dos freaks. Há um filme norte-americano de 1932 dirigido por Tod Browning com este nome no título. O grupo de pessoas que deu origem ao termo, e posteriormente ao filme, é composto por indivíduos portadores de alguma deformidade congênita que eram apresentados como curiosidade em circos e feiras. Eram as chamadas "aberrações". Seria o caso de gêmeos xifópagos, mulheres barbadas, anões, etc. Desconfio que casos psicopatológicos e paranormais também tenham sido incluídos.

Michel de Montaigne, no segundo livro de seus Ensaios, inclui o texto nomeado De uma criança monstruosa, a respeito de pessoas que encontrou em seu tempo. Diz o filósofo: "Vi anteontem uma criança que dois homens e uma ama de leite, que se diziam o pai, o tio e a tia, conduziam para obter alguns vinténs exibindo-a por causa de sua estranheza". O texto é curto e Montaigne ainda menciona certo pastor desprovido de genitais. Sem deixar de se referir ao uso político e profético que poderia ser dado a um caso asism, o ermitão de Bordeaux conclui: "Chamamos de contra a natureza o que acontece contra o costume: tudo que existe está de acordo com ela, o que quer que seja. Que esta razão universal e natural expulse de nós o erro e o espanto que a novidade nos traz".

Estas pessoas não devem ter conhecido o melhor lado da humanidade. A família explorava-os ou abandonava-os. Entre as famílias ricas, o nascimento era ocultado e o indivíduo afastado do convívio social, seja no cômodo afastado de uma mansão, seja numa instituição. Basta lembrar da atitude do pai de Benjamin Button, no filme baseado na obra de Fitzgerald. Posso estar romantizando, mas é crível que os sobreviventes da repulsa social, quando finalmente reunidos em circos, por exemplo, tenham adotado entre si uma organização familiar.

Foi pensando em encontrar uma narrativa a respeito destas pessoas que comecei a cercar o livro O orfanato da srta Peregrine para crianças peculiares, do escritor norte-americano Ransom Riggs. Uma leitura adiada pela outra, até que, num intervalo, encontrei-o com um bom desconto. Não nego a leitura envolvente. Contudo, procurava pela narrativa fictícia, histórica ou mesclada - que deve ser o gênero dominante, no final das contas - a respeito da vida real destes indivíduos. Algo mais realista a respeito do que suportaram, do que sucumbiram e do que superaram. Deixei-me limitar pela fotografia de capa da menina levitando e pelas citações elogiosas da quarta capa. Os personagens, acrescento, não são portadores de deformidades físicas, mas detentores de habilidades paranormais.

Compreendi a ideia de Riggs e gostei. O autor reuniu diversas fotografias, descobertas sobretudo em coleções particulares e feiras, e integrou-as numa sequência que ilustra seu texto. Pode-se ler o romance sem elas, mas o resultado é pobre. É curioso saber como se deu o entrelaçamento: se a narrativa veio primeiro e as imagens depois; ou, obtidas as imagens, a criatividade do autor estabeleceu uma sequência entre elas e disto derivou o texto.

Evidente que, para o bom curso da narrativa, o autor faz os devidos agradecimentos mas não assinala nem a data provável nem a origem geográfica das fotos. Ignoro quanto ao leitor, mas fotografias em preto e branco ou em sépia, em geral, transmitem-me certa impressão sinistra. À página catorze, encontra-se a fotografia do que seria o personagem Millard. Na página 108, duas meninas vestindo preto e de costas. Na 206, uma pessoa deitada num leito. São seres humanos, são hábitos de determinadas épocas, mas a aparência do registro, o suporte, o cromo parece-me tétricos. Sequer pelas fotografias de família eu tenho grande atração.

Este livro de Riggs, o primeiro de uma trilogia, envereda-se pela fantasia. Há uma fenda no tempo que permite o trânsito entre a época atual e determinado dia do passado. Por que há crianças vivendo numa determinada casa em remota ilha do litoral britânico, o que as permite continuar vivendo em determinado dia, como este dia renova-se e quais as ameaças que sofrem formam a base do romance e da trilogia. O segundo volume, A cidade dos etéreos, eu não li e não sei se lerei. Pelo que pude descobrir o folhear um exemplar, o esquema de fotos e texto será mantido.

Se o leitor prestar atenção, há aspectos psicológicos que merecem atenção, como a superproteção e a rejeição plena do horror do mundo. As crianças são mantidas num mundo a parte, impedidas de crescer no físico, embora amadurecidas mentalmente. São mantidas neste meio superprotegido, ainda que anseiem conhecer o que veio depois. Na senhorita Peregrine, reconhecemos a afeição pelas crianças, mas reconhecemos o autoritarismo e a insegurança. Quando uma criança escapa de debaixo das asas de Peregrine e vem para a atualidade, seu corpo envelhece em seguida, ajustando-se. Foi interessante Riggs ter delineado esta situação, pois resume o que já vimos acontecer com uma pessoa o outra: no momento em que elas consentem em abandonar seu mundo interior e ter contato com a realidade exterior, há perceptíveis mudanças biológicas e de humor.

Gide

Terminei O imoralista, do francês André Gide, prêmio Nobel de literatura de 1947. O que encontramos foi a jornada de autodescobrimento do personagem Miguel e a incompatibilidade desta jornada com o estilo e vida herdado de seus pais e com o casamento celebrado. Tenho entendido que por "moral" pode-se entender certa lei não escrita derivada dos costumes (mores) vinculados ao tempo-espaço. À regionalidade da moral opõe-se a universalidade dos valores, o que torna necessário discriminar com maior cuidado o que um autor ou outro quer dizer com "valores morais". A oposição de Miguel à moral vigente não é uma bandeira que ele levanta, mas uma consequência da jornada que faz ao centro de si. Reconhece naqueles de sua sociedade a máscara da chamada civilização, mas prefere envolver-se com tipos diversos em busca da humanidade autêntica. Portanto, o personagem parece ser mais "amoral" do que "imoral".

Porque a autodescoberta para o personagem foi uma eclosão e não um processo, houve prejuízo para ele e para os que estavam a sua volta. A propriedade rural da família foi desperdiçada por sua incúria. É difícil cuidar daquilo pelo que não se interessa e entre o baixo - mas constante - rendimento e o descarte, esta opção prevaleceu. A esposa que dele cuidou durante a tuberculose, dele adquiriu a doença sem que houvesse reciprocidade de atenção. Gide consegue fazer-nos imaginar o que foi para Marcelina acompanhar seu marido pela Europa e pelo norte da África sem que estivesse sequer em condições de sair do quarto. O que resta de polêmico em Gide é a pedofilia. No começo do romance, Miguel aproxima-se de meninos e pode-se entender que ele tenta aproximar-se do menino que foi um dia. A ausência de erotismo permite que se interprete desta maneira, que se enxergue no autor uma tentativa de confronto coma s idades pelas quais já passou, na tentativa de desvendar o que possa ter dado errado, o que possa tê-lo feito deixar de lado sua autenticidade. Nas últimas páginas, porém, a pedofilia é clara. Perdoe-me o leitor se falo algo que o fere, mas entendo que orientação sexual envolve decisão, nem que seja a decisão de aceitar e deixar fluir uma tendência inata. Crianças não têm condições de decidirem-se neste campo e devem ser mantidas física e psiquicamente intactas, ainda que cuidadosamente esclarecidas.

Mengele

Se a Logoterapia de Viktor Frankl foi posta à prova nos campos de extermínio, como ele mesmo afirmou, entendo necessário recolher informações a respeito do meio, do campo onde suas observações desenvolveram-se. Por isso a leitura de Mengele, o último nazista de Gerald Astor. Na coluna anterior, assinalei que a narrativa de uma vítima e testemunha ocular destes campos causou-nos pouca impressão. Há uma certa imprecisão no referencial de Astor - o psiquiatra Lyfton é mencionado diversas vezes mas anda consta da bibliografia, acabo de revê-la -, mas suas páginas trazem uma renovação do horror. Ao mesmo tempo, reforça a importância deste Logos que organiza a vida e impulsiona o indivíduo para frente a despeito do que ele possa ver ao seu redor.


Ricardo de Mattos
Taubaté, 5/9/2016


Quem leu este, também leu esse(s):
01. A queda de Daniela Sandler


Mais Ricardo de Mattos
Mais Acessadas de Ricardo de Mattos em 2016
01. A biblioteca de C. G. Jung - 15/2/2016
02. Livrarias - 30/5/2016
03. Ação Social - 25/4/2016
04. Omissão - 28/11/2016
05. Srta Peregrine e suas crianças peculiares - 5/9/2016


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




OS GRANDES NAVEGANTES
CLAUDIA ROSA
EDIGRAF
R$ 5,00



PARTIDOS DE LA IZQUIERDA Y MOVIMIENTOS SOCIALES EN AMÉRICA LATINA (PARTIDOS POLÍTICOS)
CHRISTIANE SCHULTE Y CORNELLA HILDEBRANDT (ORG.)
EXPRESSÃO POPULAR
(2006)
R$ 15,00



A GRANJA DO SILÊNCIO
PAUL BODIER
FEB
(1995)
R$ 6,90



REMÉDIO AMARGO
ARTHUR HAILEY
RECORD
R$ 5,00



PESSOAS PROBLEMÁTICAS
JOSEPH DUNN
MADRAS
(2003)
R$ 21,99



OXFORD STUDENT´S DICTIONARY OF CURRENT ENGLISH
A S HORNBY
OXFORD UNIVERSITY PRESS
(1978)
R$ 19,00



EMPREENDIMENTO DE EDIFICAÇÕES
PEDRO FRANCISCO DE A. FILHO
AUTOR
(1984)
R$ 17,82



FUNDAMENTOS DE ADMINISTRAÇÃO - A BUSCA DO ESSENCIAL
HÉLIO JANNY TEIXEIRA E OUTROS
CAMPUS
R$ 39,00



OS NOVOS DIREITOS DA MULHER
ROBERTO SALLES CUNHA
ATLAS
(1990)
R$ 15,00



ESTADISTICA MATEMATICA Y CALCULO NUMERICO-GRAFICO
JUAN MAJÓ TORRENT
VICENS-VIVES
(1964)
R$ 12,00





busca | avançada
49722 visitas/dia
2,6 milhões/mês