A sociedade em rede | Gian Danton | Digestivo Cultural

busca | avançada
76521 visitas/dia
2,1 milhões/mês
Mais Recentes
>>> Rodolpho Parigi participa de live da FAAP
>>> Para fugir de ex-companheiro brasileira dá volta ao mundo com pouco dinheiro
>>> Zé Guilherme encerra série EntreMeios com participação da cantora Vania Abreu
>>> Bricksave oferece vistos em troca de investimentos em Portugal
>>> Projeto ‘Benzedeiras, tradição milenar de cura pela fé’ é lançado em multiplataformas
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Cabelo, cabeleira
>>> A redoma de vidro de Sylvia Plath
>>> Mas se não é um coração vivo essa linha
>>> Zuza Homem de Mello (1933-2020)
>>> Eddie Van Halen (1955-2020)
>>> Prêmio Nobel de Literatura para um brasileiro - II
>>> Vandalizar e destituir uma imagem de estátua
>>> Partilha do Enigma: poesia de Rodrigo Garcia Lopes
>>> Meu malvado favorito
>>> A pintura do caos, de Kate Manhães
Colunistas
Últimos Posts
>>> Zuza Homem de Mello no Supertônica
>>> Para Ouvir Sylvia Telles
>>> Van Halen ao vivo em 1991
>>> Metallica tocando Van Halen
>>> Van Halen ao vivo em 2015
>>> Van Halen ao vivo em 1984
>>> Chico Buarque em bate-papo com o MPB4
>>> Como elas publicavam?
>>> Van Halen no Rock 'n' Roll Hall of Fame
>>> A última performance gravada de Jimmi Hendrix
Últimos Posts
>>> Normal!
>>> Os bons companheiros, 30 anos
>>> Briga de foice no escuro
>>> Alma nua
>>> Perplexo!
>>> Orgulho da minha terra
>>> Assim ainda caminha a humanidade
>>> Três tempos
>>> Matéria subtil
>>> Poder & Tensão
Blogueiros
Mais Recentes
>>> 9/11 books
>>> Aberta a temporada de caça
>>> Cidade de Deus, de Paulo Lins
>>> Humberto Alitto
>>> Orra, meu
>>> A forca de cascavel — Angústia (Fuvest)
>>> Meu tio
>>> O Tigrão vai te ensinar
>>> Tarde, de Paulo Henriques Britto
>>> Curitiba
Mais Recentes
>>> Ilustrado de Miguel Syjuco pela Companhia das Letras (2011)
>>> Revista Viagem e Turismo - Ano 20 – Nº 2 - Quatro Roteiros na Itália Pra Ver Antes de Morrer de Vários Autores pela Abril (2015)
>>> Guia do Executivo Porto Alegre 1998 de Vários Autores pela Gazeta Mercantil (1998)
>>> Guia Quatro Rodas Brasil 2002 de Vários Autores pela Abril (2002)
>>> Éfeso de Naci Keskin pela Keskin Colors (2012)
>>> Clube do Livro, Ser Leitor - que diferença faz? de Luzia de Maria pela Literária (2009)
>>> The Good Life Guide to Sydney de Tessa Mountstephens pela Hark! (1996)
>>> Matemática - 8º Ano - 6º Edição de Edwaldo Bianchini pela Moderna (2006)
>>> Encontro com a Begõnia de Nilza de Oliveira pela Imagem (2014)
>>> Buenos Aires de Boca a River de Joaquim da Fonseca pela Artes e Ofícios (1996)
>>> Brisa Bia, Brisa Bel de Ana Maria Machado pela Record (1999)
>>> Barcelona – Um Ano Com 365 Dias de Marcos Eizerik pela Age (2008)
>>> De Mala e Cuia – Tudo o Que Você Precisa Saber Para Morar, Estudar, Trabalhar e se Divertir na Europa de Adriana Setti pela Jaboticaba (2005)
>>> Quebra de Confiança de Quebra de Confiança Harlan Coben pela Arqueiro (2011)
>>> Viajando pela Europa e Pelo Mundo de José Cretella Júnior pela T. A. Queiroz (1985)
>>> Silêncio na Floresta de Harlan Coben pela Benvirá (2009)
>>> A Nova História Cultural de Lynn Hunt pela Martins Fontes (1992)
>>> O Livro dos Espíritos de Allan Kardec pela Círculo do Livro (1993)
>>> Não Conte a Ninguém de Harlan Coben pela Arqueiro (2009)
>>> Cyrano de Bergerac de Edmond Rostand pela Nova Cultural (2003)
>>> O Livro dos Incensos de Steven R. Smith pela Roca (1994)
>>> Confie Em Mim de Harlan Coben pela Arqueiro (2009)
>>> Romeu e Julieta - Macbeth - Otelo, O Mouro de Veneza de William Shakespeare pela Nova Cultural (2003)
>>> Consciência Cósmica de Rosabis Camaysar pela Lorenz (1994)
>>> Alta Tensão de Harlan Coben pela Arqueiro (2011)
>>> Os Sentidos do Trabalho - Ensaio sobre a afirmação e a negação do trabalho de Ricardo Antunes pela Boitempo (2000)
>>> Luta Armada no Brasil do Anos 60 e 70 de Jaime Sautchuk pela Anita Garibaldi (1995)
>>> Jogada Mortal de Harlan Coben pela Arqueiro (2011)
>>> Quando Ela Se Foi de Harlan Coben pela Arqueiro (2011)
>>> Descartes The Project of Pure Enquiry de Bernard Williams pela Routledge (2005)
>>> Desaparecido para Sempre de Harlan Coben pela Arqueiro (2010)
>>> Seis Anos Depois de Harlan Coben pela Arqueiro (2014)
>>> Estatuto da Criança e do Adolescente de Vários Autores pela Pmpa (2003)
>>> O Inocente de Harlan Coben pela Arqueiro (2013)
>>> A Dama das Camélias de Alexandre Dumas Filho pela Nova Cultural (2003)
>>> Equilíbrio Total Através da Parapsicologia de Miguel Lucas pela Almed (1981)
>>> Casa de Bonecas de Henrik Ibsen pela Nova Cultural (2003)
>>> O Poder da Oração para Mulheres de Jackie M. Johnson pela Povket ouro (2013)
>>> Jesus como Terapeuta - O Poder Curador das Palavras de Anselm Grün pela Vozes (2013)
>>> Manual do Astrônomo Amador de Jean Nicolini pela Papirus (1991)
>>> As Três Irmãs de Anton Tchekov pela Nova Cultural (2002)
>>> Constituição da República Federativa do Brasil de Alexandre de Moraes (Org.) pela Atlas (2001)
>>> Constituição da República Federativa do Brasil de Vários Autores pela Saraiva (2000)
>>> O Livro Secreto do Banheiro Feminino de Jo Barrett pela Essência/Planeta (2008)
>>> Código de Hamurabi – Código de Manu – Lei das XII Tábuas de Jair Lot Vieira (Superv.) pela Edipro (2002)
>>> Manual de Prática Forense Civil de Edson Cosac Bortolai pela Revista dos Tribunais (2003)
>>> Vade Mecum Método Cívil 2016 de Vários Autores pela Método (2016)
>>> Nossa próxima atração. O interprograma do Canal 3 de Mário Fanucchi pela Edusp (1996)
>>> Evaristo de Moraes Filho – 100 Anos de Vida Contribuição à Sociologia e ao Direito do Trabalho de Eliana Gonçalves da Fonte Pessanha e Outros (Orgs.) pela Ministério do Trabalho (2016)
>>> O tempo e a alma de Jacob Needleman pela Ediouro (1999)
COLUNAS

Segunda-feira, 12/7/2010
A sociedade em rede
Gian Danton

+ de 4300 Acessos


LIANA TIMM© (http://timm.art.br/)

O desenvolvimento das mídias interativas modificou completamente a forma como as pessoas trabalham, compram e se divertem. Essa nova realidade foi batizada de "sociedade em rede" por Manuel Castells, em livro homônimo (Paz e Terra, 2007, 698 págs.).

Castells diz que trata-se de um conceito diretamente relacionado à globalização e à sociedade da informação, tendo como características a segmentação dos usuários por interesses, a convergência de mídias e padrões cognitivos, o fim das separações, a cultura da virtualidade real e a estratificação dos usuários.

Durante milênios, o tecido social era construído através da proximidade física. Os amigos eram parentes e vizinhos. A identidade das pessoas também era construída geograficamente: a nacionalidade, o local de nascimento. Era uma identidade imposta, já que ninguém escolhe onde vai nascer. A era da informação permitiu e estimulou a união de pessoas por interesses em comum, independentemente de estarem próximas. Os sites de relacionamento, como Orkut e Twitter, são exemplos dessa nova realidade: pessoas que nunca se viram podem se tornar amigos e compartilhar sua intimidade.

Num mundo cada vez mais dominado pelos computadores, os amigos virtuais se tornaram tão importantes quanto os amigos presenciais. E o status das páginas sociais dos jornais foi substituído pela busca de mais e mais amigos nas redes de relacionamento, a ponto de surgir um paradoxo, como o de indivíduos que usam todos os mecanismos para conseguir seguidores no Twitter, mas não têm nada a dizer.

Se as novas tecnologias permitem uma ampliação das relações, por outro lado, ela privilegia laços fracos, um equivalente cibernético daquilo que Desmond Morris, no livro O macaco nu, chamava de catar piolho: um comportamento social caracterizado pelo não aprofundamento das relações. A mesma facilidade para criar amizades existe para terminá-las. Basta um clique em "bloquear" e os melhores amigos do último ano se tornam meros desconhecidos.

O fim das separações e a convergência de mídias podem ser vistos como características semelhantes: na sociedade em rede, a diferença entre as coisas tende a se diluir. A casa, por exemplo, sempre foi vista como local de descanso. A rua era o local de diversão, a praça o local de encontro com os amigos, a empresa o local de trabalho, a mercearia o local de compras. Hoje essas separações se desvaneceram. Com cada vez mais pessoas trabalhando em casa, ela se tornou local de diversão, compras (vide o aumento das vendas pela internet) e até de encontro, que nem sempre acontece com os moradores da casa. Numa sociedade em que os relacionamentos são cada vez mais virtuais, até mesmo uma pessoa que mora sozinha pode encontrar seus amigos apenas abrindo o computador e entrando na internet.

Esse processo de dissipação das separações entre as coisas vai se estender até à questão cognitiva. Para as novas gerações, não existe mais distinção entre a educação e diversão, informação e humor. Dois programas atuais mostram bem essa situação: O CQC (Band) e Furo MTV. A ideia antiga, de que um jornalista deveria ser sério para fazer denúncias cai por terra com a popularidade de Rafinha Bastos, apresentando o quadro "Proteste Já" vestido de árvore ou presidiário. No Furo MTV, Dani Calabresa e Bento Ribeiro apresentam as principais notícias do dia ao mesmo tempo em que fazem comentários sarcásticos e infernizam a vida um do outro. O programa, que seria uma aberração na década de 1950, tem alcançado cada vez mais público, especialmente entre os jovens.

Da mesma forma que não distingue o divertido do sério, a nova geração usa as novas mídias de maneira cada vez mais integrada. Está se tornando cada vez mais comum ver jovens assistindo televisão com o notebook no colo, comentando os programas no Twitter ou pesquisando informações no Google. Muitos já nem usam a TV: assistem a tudo no computador, seja no YouTube, seja baixando seus programas prediletos em sites especializados. A indústria, claro, tem se esforçado para aproveitar essa convergência de mídias. Já existem notebooks que pegam TV, celulares nos quais é possível jogar, mandar e-mails, entrar no Twitter, ler e-books... O lançamento do iPad da Apple, se insere exatamente nesse contexto, assim como o Google TV, um mecanismo de busca para ser usado na TV digital.

Outra característica importante da sociedade em rede é a cultura da virtualidade real. As novas gerações, acostumadas ao mundo cibernético, já não fazem diferença entre a realidade presencial e sua representação simbólica. Castells cita um exemplo anterior até à popularização da internet. Em 1992 a protagonista do seriado Murphy Brown resolveu ter um filho, mesmo sendo solteira. O conservador vice-presidente Dan Quayle achou que isso era uma má influência para as mulheres norte-americanas e fez questão de criticar publicamente a série. Os roteiristas não perderam tempo e colocaram, no episódio seguinte, Murphy Brown, personagem que dá nome à série, assistindo pela TV à entrevista do vice-presidente e criticando-o por estar se intrometendo na liberdade das mulheres. Isso gerou uma antipatia tão grande aos republicanos que foi um dos fatores pelos quais o presidente Bush (pai) não conseguiu se reeleger. Castells comenta que, no episódio, Quayle se transformou em um personagem de Brown. Da mesma forma, temos visto a quantidade de celebridades que fazem questão de aparecer nos Simpsons. É como se elas se tornassem reais ao aparecer no desenho.

Nessa sociedade em rede, até mesmo os protestos virtuais têm o mesmo valor dos presenciais. No texto "A nova queda da Bastilha" eu comento a hashtag #forasarney e como ela se tornou mais importante que os protestos geográficos contra o presidente do Senado.

Finalmente, a última característica da sociedade de rede é a estratificação dos usuários entre receptores e interagentes. Os receptores usam as novas mídias de forma passiva e massificada. Entram sempre nas mesmas páginas e não são capazes de usar a internet para descobrir novas versões sobre os fatos. Já os interagentes são críticos e usam bem as possibilidades dos novos meios, inclusive em termos políticos. Infelizmente, existem mais receptores do que interagentes.

A sociedade em rede, de Manuel Castells, é um livro básico para todos os que pretendem entender melhor o mundo em que estamos e o mundo que virá a partir do desenvolvimento das novas tecnologias de comunicação.

Para ir além






Gian Danton
Goiânia, 12/7/2010


Quem leu este, também leu esse(s):
01. Como eu escrevo de Jardel Dias Cavalcanti
02. Greatest hits em forma de coluna de Ana Elisa Ribeiro


Mais Gian Danton
Mais Acessadas de Gian Danton em 2010
01. Os dilemas da globalização - 8/11/2010
02. Glauco: culpado ou inocente? - 29/3/2010
03. 2009: intolerância e arte - 4/1/2010
04. Maria Erótica e o clamor do sexo - 25/10/2010
05. As fronteiras da ficção científica - 3/5/2010


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




O ÁLBUM DAS GAROTAS
LYNDA MADARAS AREA MADARAS
MARCO ZERO
(1993)
R$ 12,00



LEIS COMPLEMENTARES
MARIA ALESSANDRA BRASILEIRO DE OLIVEIRA
LETRA LEGAL
(2004)
R$ 9,00



INSIDE GIRL - PROBLEMAS NO PARAÍSO 3
J. MINTER
ID
(2012)
R$ 12,00



O AMANTE DE LADY CHATTERLEY
D. H. LAWRENCE
EDIOURO
(1985)
R$ 12,00



D. MARIA AUGUSTA RUI BARBOSA (DOIS DEPOIMENTOS)
MEC
MEC
R$ 23,28



SEKRETOJ DE LA MARESTAĵOJ
PETAR GIUNIO
KROATIA ESPERANTO-SERVO
(1960)
R$ 28,00



CARTAS CHILENAS
TOMÁS ANTÔNIO GONZAGA
MARTIN CLARET
(2007)
R$ 16,00



HISTÓRIA DA MORTE NO OCIDENTE
PHILIPPE ARIÈS
SARAIVA
(2012)
R$ 70,00



A NOITE MAIS DENSA 6 DC
DC
PANINI
(2010)
R$ 5,00



ASSOCIATIVISMO DOCENTE E CONSTRUÇÃO DEMOCRÁTICA - BRASIL- PORTUGAL: 1950-1980
LIBANIA XAVIER
EDUERJ - FAPERJ
(2013)
R$ 25,00





busca | avançada
76521 visitas/dia
2,1 milhões/mês