A nova queda da Bastilha | Gian Danton | Digestivo Cultural

busca | avançada
74045 visitas/dia
1,8 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Férias de Julho: Museu Catavento e Teatro Sérgio Cardoso recebem a Cia. BuZum!
>>> Neos firma parceria com Unicamp e oferece bolsas de estudo na área de inteligência artificial
>>> EcoPonte apresenta exposição Conexões a partir de 16 de julho em Niterói
>>> Centro em Concerto - Palestras
>>> Crônicas do Não Tempo – lançamento de livro sobre jovem que vê o passado ao tocar nos objetos
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> As fezes da esperança
>>> Quem vem lá?
>>> 80 anos do Paul McCartney
>>> Gramática da reprodução sexual: uma crônica
>>> Sexo, cinema-verdade e Pasolini
>>> O canteiro de poesia de Adriano Menezes
>>> As maravilhas do modo avião
>>> A suíte melancólica de Joan Brossa
>>> Lá onde brotam grandes autores da literatura
>>> Ser e fenecer: poesia de Maurício Arruda Mendonça
Colunistas
Últimos Posts
>>> Oye Como Va com Carlos e Cindy Blackman Santana
>>> Villa candidato a deputado federal (2022)
>>> A história do Meli, por Stelleo Tolda (2022)
>>> Fabio Massari sobre Um Álbum Italiano
>>> The Number of the Beast by Sophie Burrell
>>> Terra... Luna... E o Bitcoin?
>>> 500 Maiores Álbuns Brasileiros
>>> Albert King e Stevie Ray Vaughan (1983)
>>> Rush (1984)
>>> Luiz Maurício da Silva, autor de Mercado de Opções
Últimos Posts
>>> PANFLETO AMAZÔNICO
>>> Coruja de papel
>>> Sou feliz, sou Samuel
>>> Andarilhos
>>> Melhores filme da semana em Cartaz no Cinema
>>> Casa ou Hotel: Entenda qual a melhor opção
>>> A lantejoula
>>> Armas da Primeira Guerra Mundial.
>>> Você está em um loop e não pode escapar
>>> A vida depende do ambiente, o ambiente depende de
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Entrevista com Chico Pinheiro
>>> Lá onde brotam grandes autores da literatura
>>> Efeitos periféricos da tempestade de areia do Sara
>>> Era uma casa nada engraçada
>>> Entrevista da Camille Paglia
>>> Vamos sentir saudades
>>> Sexo virtual
>>> The more you ignore me, the closer I get
>>> Padre chicoteia coquetes e dândies
>>> A poesia afiada de Thais Guimarães
Mais Recentes
>>> Nação e Trono - Páginas de História de Antonio Lobo Vilela pela Movimento (1964)
>>> Erros e Dúvidas de Linguagem de Vittorio Bergo pela Lar Católico (1959)
>>> Gabriels Ghost de Linnea Sinclair pela Bantam (2005)
>>> Reforma Agrária - Volume 13 - Nº 1 e 2 de Jacques Chonchol e Outros pela Abra (1983)
>>> Desculpem - Me, foi por Engano...! de Carlos Henrique da Cruz Lima pela Do Autor (2016)
>>> Passos na Eternidade de Norália de Mello Castro pela Rebra (2010)
>>> Porque é Importante Sonhar de Clóvis Tavares pela Gente (1999)
>>> É Tudo tão Simples de Danuza Leão pela Harper Collins Br (2011)
>>> O Papagaio Cibernético de Eduardo Almeida Reis pela Record (1984)
>>> Vertigo N. 18 de Vários pela Panini (2011)
>>> Uma Vida pelo Seguro - a Trajetoria de Helio Opipari de Ricardo Viveiros pela Azulsol (2015)
>>> A Espada na Pedra de White pela Hamelin (2013)
>>> Chan Tao de Jou Eel Jia; Norvan Martino Leite pela Plexus (1998)
>>> Carnavalescos e Suas Criações de Arte de Maria Apparecida Urbano pela Clube do Bem Estar (2017)
>>> Dueto / Duet de Vera Mazzieri / Gemiann Augustus pela Do Autor (1982)
>>> Fuel Testing - Laboratory Methods in Fuel Technology de Godfrey W. Himus pela Leonard Hill (1954)
>>> Código Zero Magazine - Ano 1 - Nº 5 de William H. Fear pela Ediex
>>> Juca Mulato de Menotti del Picchia pela Martins (1972)
>>> Imaginário de Labi pela N/d
>>> Simplesmente Helena de Carolina Kotscho pela Planeta (2007)
>>> Viabilidade Econômico - Financeira de Projetos de Outros; Ricardo Bordeaux Rêgo pela Fgv (2007)
>>> Os Fabulosos X-men - Revista Mensal - Numero 45 de Varios pela Abril (1999)
>>> Sociologia para o Ensino Médio - Terceira Parte de Nelson Dácio Tomaz pela Saraiva (2014)
>>> Perguntar Ofende ! Perguntas Cretinas Que Jornalistas Não Podem Fazer de José Nello Marques pela Disal (2003)
>>> Bad Blood de L. A. Banks pela St. Martins (2008)
COLUNAS

Segunda-feira, 27/7/2009
A nova queda da Bastilha
Gian Danton

+ de 9100 Acessos

Os recentes protestos pela moralização do Senado reuniram 50 pessoas em São Paulo e 200 em Macapá. Tais protestos foram marcados pelo Twitter e focados na tag #forasarney. A motivação foram as diversas denúncias que têm recaído sobre o Senado e mais especificamente sobre seu presidente: atos secretos, nomeação de parentes, uso de verba do Senado para reforma de biblioteca particular, recebimento de auxílio moradia por parte de senadores que usam apartamentos funcionais ou têm casa em Brasília, sonegação de informações à Justiça Eleitoral (uma mansão de 4 milhões, de Sarney). Até o mordomo da ex-senadora Roseana Sarney é pago pelo Senado.


Clique aqui para ampliar

Ao mesmo tempo que os protestos, havia uma mobilização política. Alguns senadores do PT achavam que Sarney deveria renunciar ao cargo, outros preferiam a criação de uma comissão idependente, formada por senadores, membros do Ministério Público Federal e do Tribunal de Contas da União para investigar as denúncias. As duas posições foram atropeladas abertamente por Lula, que enquadrou os senadores do PT a esquecerem o assunto.

O ato de Lula, quase que um apoio aberto aos atos secretos, à nomeação de parentes, ao uso de dinheiro público para uso particular e à sonegação de informações à Justiça Eleitoral, reflete uma lógica própria: Lula e Sarney não estão preocupados com os protestos dos internautas. Se as manifestações físicas tivessem reunido milhares de pessoas nas principais cidades brasileiras, Lula jamais se arriscaria a queimar sua imagem apoiando Sarney.

Na verdade, Lula sentiu-se tão à vontade que ressuscitou o velho argumento dos porcos no livro A revolução dos bichos: "Todos são iguais, mas alguns são mais iguais que os outros". No caso, Sarney é mais igual do que nós e por isso pode contratar parentes, pode pagar mordomos com verbas do Senado, pode reformar sua biblioteca particular com verba pública...


Clique aqui para ampliar

A despreocupação de Lula e da maioria dos senadores com a comunidade internauta revela que eles ainda não se tocaram que as coisas estão mudando.

O filósofo canadense Marshall McLuhan dizia que pouco importa o que os meios de comunicação de massa dizem. O que realmente importa é que eles existem e, como tal, mudam a cabeça das pessoas.

A imprensa mudou o mundo. Como o povão não sabia falar latim, os editores publicavam seus livros em línguas locais, o que reforçou as identidades nacionais, abrindo caminho para os reinos absolutistas. A mesma imprensa abriu caminho para a revolução francesa, ao permitir a mobilização de multidões (não por acaso, todos os líderes revolucionários eram jornalistas). Posteriormente, o rádio, o cinema e a televisão também mudaram o mundo. O rádio e o cinema foram usados de forma competente pelos nazistas para criar uma multidão de zumbis prontos a acatar qualquer ordem do führer. A cena do filme O Grande Ditador, do Chaplin, em que o discurso do tirano pelo rádio se reflete instantamenteamente no barbeiro judeu é uma imagem-símbolo desse poder das mídias, usado de forma tão nefasta por Hitler.

A televisão mudou o mundo a partir da década de 1960. De uma hora para outra, pessoas podiam ver e ouvir informações de qualquer lugar do mundo, criando condição para aquilo que McLuhan chamou de aldeia global e quebrando o mundo inventado pela imprensa. Os protestos contra a Guerra do Vietnã foram um reflexo dessa aldeia global que começava a surgir naquela época.

Da mesma forma que a imprensa, o rádio, o cinema e a televisão, a internet está mudando o mundo, talvez de forma mais radical do que jamais aconteceu. O mundo está se tornando cada vez mais virtual. As pessoas namoram pela internet, compram pela internet, fazem amizade pela internet e até mesmo protestam pela internet. Na verdade, até mesmo o voto tornou-se virtual. O que é a urna eletrônica senão um voto virtual? Não existe voto físico, mas mesmo assim ele é real, ainda assim é capaz de eleger uma pessoa e mandar outra para o ostracismo.

Para a nova geração, as coisas não precisam vir para o mundo concreto para existirem. Uma amizade pode viver anos só no Orkut e no MSN, sem que as duas pessoas se encontrem. Já existem até mesmo namoros puramente virtuais.

Recentemente, até a bolsa de valores se rendeu à internet, acabando com os pregões físicos. Agora todas as operações serão virtuais.

Para a nova geração, nativa da internet, não é necessário ir às ruas para demonstrar seu descontentamento. Mas essa geração tem um poder fenomenal de produzir virais, mensagem que se espalham continuamente. Tanto que a tag #forasarney foi uma das mais difundidas do mundo, mesmo com a concorrência da morte de Michael Jackson.

Há 220 anos, os franceses revoltados e insuflados pela imprensa invadiram e tomaram a Bastilha. Foi um evento que mudou o mundo. Começava ali a era moderna. Naquele mesmo dia era seputada a Idade Média. A Revolução Francesa mudou tudo: criou a república, institucionou a ideia de Rousseau de que o governo emana do povo. Até a moda, a música e a literatura foram transformados com a queda da Bastilha.

Em 1789 as pessoas precisaram se juntar fisicamente para provocar mudanças. A nova queda da Bastilha vai ser virtual. Só os dinossauros não perceberam isso ainda. E, pelo jeito, o Senado está cheio de dinossauros.


Gian Danton
Goiânia, 27/7/2009


Mais Gian Danton
Mais Acessadas de Gian Danton em 2009
01. Memória das pornochanchadas - 28/9/2009
02. O roteirista profissional: televisão e cinema - 26/10/2009
03. O Gabinete do Dr. Caligari - 13/4/2009
04. 10 grandes - 22/6/2009
05. A polêmica dos quadrinhos - 25/5/2009


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




Moses in Egypt
Carol Christian
Macmillan
(1996)



Ultimato Nº312 Doenças que podem e devem ser tratadas
Vários
Ultimato
(2008)



Adorando o Deus de Daniel e Seus Amigos
Vera Tylde de Castro Pinto
Life
(2017)



Meu Primeiro Livro de Piadas
ângela Finzetto
Todolivro
(2004)



Os Pecados Cardeais(best Sellers)
Andrew M. Greeley
Nova Cultural



Cronistas do Estadao
Moacir Amancio (org.)
O Estado de São Paulo
(1991)



Sistema Financeiro Nacional
Denny Paulista Azevedo
Cetec



Teste Sua Resistência ao Estresse
Liz o Neill; Brian o Neill
Publifolha
(2002)



O Vento Solar
Arthur C Clare
Circulo do Livro
(1989)



Antes Que Eu Me Esqueça
Christine Bryden
Seoman
(2018)





busca | avançada
74045 visitas/dia
1,8 milhão/mês