Memória das pornochanchadas | Gian Danton | Digestivo Cultural

busca | avançada
44238 visitas/dia
1,1 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Banda GELPI, vencedora do concurso EDP LIVE BANDS BRASIL, lança seu primeiro álbum com a Sony
>>> Celso Sabadin e Francisco Ucha lançam livro sobre a vida de Moracy do Val amanhã na Livraria da Vila
>>> No Dia dos Pais, boa comida, lugar bacana e MPB requintada são as opções para acertar no presente
>>> Livro destaca a utilização da robótica nas salas de aula
>>> São Paulo recebe o lançamento do livro Bluebell
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Rinoceronte, poemas em prosa de Ronald Polito
>>> A forca de cascavel — Angústia (FUVEST 2020)
>>> O reinado estético: Luís XV e Madame de Pompadour
>>> 7 de Setembro
>>> Outros cantos, de Maria Valéria Rezende
>>> Notas confessionais de um angustiado (VII)
>>> Eu não entendo nada de alta gastronomia - Parte 1
>>> Treliças bem trançadas
>>> Meu Telefunken
>>> Dor e Glória, de Pedro Almodóvar
Colunistas
Últimos Posts
>>> Revisores de Texto em pauta
>>> Diogo Salles no podcast Guide
>>> Uma História do Mercado Livre
>>> Washington Olivetto no Day1
>>> Robinson Shiba do China in Box
>>> Karnal, Cortella e Pondé
>>> Canal Livre com FHC
>>> A história de cada livro
>>> Guia Crowdfunding de Livros
>>> Crise da Democracia
Últimos Posts
>>> Uma crônica de Cinema
>>> Visitação ao desenho de Jair Glass
>>> Desiguais
>>> Quanto às perdas I
>>> A caminho, caminhemos nós
>>> MEMÓRIA
>>> Inesquecíveis cinco dias de Julho
>>> Primavera
>>> Quando a Juventude Te Ferra Economicamente
>>> Bens de consumo
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Ser intelectual dói
>>> O Tigrão vai te ensinar
>>> O hiperconto e a literatura digital
>>> Aberta a temporada de caça
>>> Se for viajar de navio...
>>> Incompatibilidade...
>>> Alguns Jesus em 10 anos
>>> Blogues: uma (não tão) breve história (II)
>>> Picasso e As Senhoritas de Avignon (Parte I)
>>> Asia de volta ao mapa
Mais Recentes
>>> O Livro da moda de Alexandra Black pela Publifolha (2015)
>>> Rejuvelhecer a saude como prioridade de Sergio Abramoff pela Intrinseca (2017)
>>> O livro das evidencias de John Banville Tradução Fabio Bonillo pela Biblioteca Azul - globo (2018)
>>> O futebol explica o Brasil de Marcos Guterman pela Contexto (2014)
>>> O Macaco e a Essencia de Aldous Huxley pela Globo (2017)
>>> BATISTAS, Sua Trajetória em Santo Antônio de Jesus: o fim do monopólio da fé na Terra do Padre Mateus de Jorgevan Alves da Silva pela Fonte Editorial (2018)
>>> Playboy Bárbara Borges de Diversos pela Abril (2009)
>>> Sarah de Theresa Michaels pela Nova Cultural (1999)
>>> A Bela e o Barão de Deborah Hale pela Nova Cultural (2003)
>>> O estilo na História. Gibbon & Ranke & Macaulay & Burckhardt de Peter Gay pela Companhia das Letras (1990)
>>> Playboy Simony de Diversos pela Abril (1994)
>>> Invasão no Mundo da Superfície de Mark Cheverton pela Galera Junior (2015)
>>> José Lins Do Rego- Literatura Comentada de Benjamin Abdala Jr. pela Abril Educação (1982)
>>> A modernidade vienense e as crises de identidade de Jacques Le Rider pela Civilização Brasileira (1993)
>>> Machado De Assis - Literatura Comentada de Marisa Lajolo pela Abril Educação (1980)
>>> A Viena de Wittgenstein de Allan Janik & Stephen Toulmin pela Campus (1991)
>>> O Velho e o Mar de Ernest Hemingway pela Círculo do livro (1980)
>>> Veneno de Alan Scholefield pela Abril cultural (1984)
>>> O Livreiro de Cabul de Asne Seierstad pela Record (2007)
>>> Os Dragões do Éden de Carl Sagan pela Francisco Alves (1980)
>>> O Espião que sabia demais de John Le Carré pela Abril cultural (1984)
>>> Administração de Materiais de Jorge Sequeira de Araújo pela Atlas (1981)
>>> Introdução à Programação Linear de R. Stansbury Stockton pela Atlas (1975)
>>> Como lidar com Clientes Difíceis de Dave Anderson pela Sextante (2010)
>>> As 3 Leis do Desempenho de Steve Zaffron e Dave Logan pela Primavera (2009)
>>> Curso de Educação Mediúnica 1º Ano de Vários Autores pela Feesp (1996)
>>> Recursos para uma Vida Natural de Eliza M. S. Biazzi pela Casa Publicadora Brasileira (2001)
>>> Jesus enxuga minhas Lágrimas de Elza de Almeida pela Fotograma (1999)
>>> As Aventuras de Robinson Crusoé de Daniel Defoe pela LPM Pocket (1997)
>>> Bulunga o Rei Azul de Pedro Bloch pela Moderna (1991)
>>> Menino de Engenho de José Lins do Rego pela José Olympio (1982)
>>> Terra dos Homens de Antoine de Saint-Exupéry pela Nova Fronteira (1988)
>>> O Menino de Areia de Tahar Ben Jelloun pela Nova Fronteira (1985)
>>> Aspectos Endócrinos de Interesse à Estomatologia de Janete Dias Almeida pela Unesp (1999)
>>> Nociones de Historia Linguística y Estetica Literaria de Antonio Vilanova- Nestor Lujan pela Editorial Teide/ Barcelona (1950)
>>> El Estilo: El Problema y Su Solucion de Bennison Gray pela Editorial Castalia/ Madrid (1974)
>>> El Cuento y Sus Claves de Raúl A. Piérola/ Alba Omil (profs. Univ. Tucumán pela Editorial Nova, Buenos Aires (1955)
>>> Las Fuentes de La Creacion Literaria de Carmelo M. Bonet pela Libr. del Collegio/ B. Aires (1943)
>>> As Hortaliças na Medicina Doméstica/ Encadernado de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar (1976)
>>> A Flora Nacional na Medicina Doméstica de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar
>>> Arlington Park de Rachel Cusk pela Companhia das Letras (2007)
>>> Muitas Vidas, Muitos Mestres de Brian L Weiss pela Salamandra (1991)
>>> As Frutas na Medicina Doméstica de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar
>>> Coleção Agatha Christie - Box 8 de Agatha Christie; Sonia Coutinho; Archibaldo Figueira pela HarperCollins (2019)
>>> As Irmãs Aguero de Cristina García pela Record (1998)
>>> Não Faça Tempestade Em Copo Dágua no Amor de Richard Carlson pela Rocco (2001)
>>> Um Estudo Em Vermelho - Edição De Bolso de Arthur Conan Doyle pela Zahar (2013)
>>> Eu, Dommenique de Dommenique Luxor pela Leya (2011)
>>> Os Cavaleiros da Praga Divina de Marcos Rey pela Global (2015)
>>> O Futuro da Filosofia da Práxis de Leandro Konder pela ExpressãoPopular (2018)
COLUNAS

Segunda-feira, 28/9/2009
Memória das pornochanchadas
Gian Danton

+ de 13100 Acessos
+ 1 Comentário(s)

Marcos Rey é um dos escritores mais subestimados do Brasil. Por conta de sua atuação como roteirista de televisão e cinema (ele chegou a escrever para o Sítio do Picapau Amarelo na década de 1970 e para mais de 30 pornochanchadas), uma grande névoa de preconceito obscureceu sua obra. No entanto, ele é um dos mais líricos e interessantes escritores nacionais. Prova disso é o livro Esta noite ou nunca (Global Editora, 2009, 208 págs.).

Em Esta noite..., Rey faz uma espécie de exorcismo da fase mais controversa de sua carreira: a de roteirista de pornochanchadas. O personagem principal, cujo nome nunca conhecemos, é um escritor que cai em desgraça depois de participar de uma passeata pelo fim da ditadura militar. Ao ser preso, é encontrado com livros evidentemente comunistas, como O Vermelho e o Negro, A safra vermelha, Um estudo em vermelho e até um livro de contos de Carlos Marques (Foi esse que escreveu O capital, explicou um dos soldados).

A partir daí, nenhum dos jornais com os quais ele colaborava o queria por perto. A solução foi começar a escrever romances de banca, os pockets, sob o pseudônimo de William Ken Taylor (escritores com nome em inglês vendem mais, ensina o editor). Quando até mesmo essa editora é fechada, a solução surge na forma de roteiros para pornochanchadas.

Esse é o início daquilo que os roteiristas de cinema chamam de segundo ato, a parte maior da obra, na qual surgem os conflitos a serem resolvidos pelo protagonista.

A explicação acima não é deslocada. O romance inteiro é construído como um roteiro de pornochanchada. Marcos Rey usa, o tempo todo, a linguagem de roteiro, que aprendera a ponto de escrever um manual sobre o assunto (O roteirista de cinema): "Aproximei-me; aquela cena não podia se desfazer em diálogo para não correr o perigo de saturação de imagem"; "Aí uma voz em off, duma pessoa não enquadrada pela câmera foi ouvida por nós"; "Era um flashback".

Metalinguístico, Marco Rey ensina como escrever uma pornochanchada e a exemplifica com a própria vida do personagem. Nesse tipo de história, há sempre uma mulher deslumbrante, que é perseguida por todos os homens da trama, mas geralmente faz-se de santa, negando aos homens o que eles mais querem. É justamente essa busca da satisfação sexual que criará a tensão da trama. Outros personagens básicos são o corno, geralmente o marido da musa, que não lhe dá valor antes do final do filme, e a bicha, um elemento de humor.

Esta noite... reúne todos esses elementos. O protagonista passa a maior parte das páginas tentando levar para a cama a atriz Eliana Brandão, verdadeira paixão nacional. Ela flerta, mas não cede, até porque tem um marido, de quem está momentaneamente separada. Há um gay, Carmem, que tenta ajudar o escritor, e outros interesses românticos, que acabam se concretizando ― um deles, com uma mulher rica, numa oficina de marcenaria, dá ao autor uma ideia para um roteiro.

Assim, o livro pode ser lido como manual, homenagem e até mesmo denúncia contra a situação vivida pelo cinema nacional à época. O livro é também exorcismo contra um fantasma que perseguiu o autor por anos. Em entrevista à revista Conhecimento Prático Literatura nº 25, a esposa do escritor, Palma, disse: "Depois do golpe de 1964, ele não tinha mais campo para escrever e partiu para a pornochanchada, porque dava muito dinheiro. Isso prejudicou a literatura dele. Os elitistas achavam que ele era um comerciante, um escritor comercial. Mas nós tínhamos contas a pagar". O autor chegou a declarar: "Pouco ou nada do que produzi naquele período eu assinaria agora. Quando esses filmes são reapresentados na televisão, não assisto. O autor não sou eu, mas o escriba dos anos de chumbo da ditadura".

Esta noite ou nunca mais é uma espécie de reconciliação com esse período controverso da carreira de Marcos Rey, e, ao mesmo tempo, um resgate do cinema popular que resistia, apesar da perseguição oficial e da concorrência estrangeira.

Aliás, essa é uma outra leitura que pode ser feita da obra: a denúncia sobre o quão danoso o período militar foi para a cultura brasileira.

Ao contrário da ditadura Vargas, essencialmente nacionalista, a ditadura militar sempre fez questão de pagar o apoio dado pelos EUA ao golpe de 1964 abrindo as portas de nossa cultura para a dominação estrangeira. Nos quadrinhos isso se refletiu numa repressão pesada às HQs nacionais ao mesmo tempo que os heróis Marvel entravam no Brasil ligados a uma poderosa empresa internacional de petróleo. Mesmo quadrinistas que não tinham qualquer conteúdo crítico à ditadura, como Cláudio Seto, introdutor da linguagem de mangás no Brasil, foram perseguidos. Na impossibilidade de prendê-lo, já que ele morava no interior, os soldados que foram à editora que publicava seus trabalhos levaram originais e colocaram numa cela.

A experiência de Marcos Rey parece ter sido ainda mais amarga. Perseguido porque um irmão havia sido nomeado para um cargo no governo de Jango, Rey mostra a forma arbitrária com que eram feitas as prisões e a falta de cultura dos soldados.

Há relatos reais, de pessoas que foram presas apenas porque tinham uma coleção de livros encadernados em couro vermelho. Isso se reflete no romance com humor. Ao ser preso pela segunda vez, o protagonista diz que a princípio não tivera muito receio porque já se livrara de alguns romances comunistas como "A moreninha, Ouro sobre azul e Nossa vida com papai. Apenas me esquecera de queimar O moço loiro, provável biografia de Karl Marx, quando jovem".

O livro, portanto, é um relato único: a ditadura sob o olhar de um roteirista de pornochanchadas. Marcos Rey o faz com uma maestria quase equivalente à de O último mamífero do Martinelli, seu melhor livro, sobre um homem que foge da repressão se abrigando num edifício abandonado e começa a vivenciar as histórias das pessoas que passaram por ali através das pistas deixadas nos apartamentos. Como em O último mamífero..., Esta noite... marca pela nostalgia que fica em nós após acompanhar um personagem tão carismático.

Nota do Editor
Leia também "Marcos Rey e a Idade de Ouro".

Para ir além






Gian Danton
Macapá, 28/9/2009


Quem leu este, também leu esse(s):
01. Bates Motel, o fim do princípio de Luís Fernando Amâncio
02. Meshugá, a loucura judaica, de Jacques Fux de Jardel Dias Cavalcanti
03. Alice in Chains, por David De Sola de Luís Fernando Amâncio
04. A Garota do Livro: uma resenha de Heloisa Pait
05. Nos tempos de Street Fighter II de Luís Fernando Amâncio


Mais Gian Danton
Mais Acessadas de Gian Danton em 2009
01. Memória das pornochanchadas - 28/9/2009
02. 10 grandes - 22/6/2009
03. O Gabinete do Dr. Caligari - 13/4/2009
04. A polêmica dos quadrinhos - 25/5/2009
05. O roteirista profissional: televisão e cinema - 26/10/2009


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

ENVIAR POR E-MAIL
E-mail:
Observações:
COMENTÁRIO(S) DOS LEITORES
7/8/2011
21h37min
Não sabia que o escritor Marcos Rey escreveu para mais de 30 pornochanchadas, uma grande névoa de preconceito obscureceu sua obra. Mas eu acho errado a história do preconceito e temos que ver como uma questão de arte!
[Leia outros Comentários de Harlei Cursino Vieir]
COMENTE ESTE TEXTO
Nome:
E-mail:
Blog/Twitter:
* o Digestivo Cultural se reserva o direito de ignorar Comentários que se utilizem de linguagem chula, difamatória ou ilegal;

** mensagens com tamanho superior a 1000 toques, sem identificação ou postadas por e-mails inválidos serão igualmente descartadas;

*** tampouco serão admitidos os 10 tipos de Comentador de Forum.




Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




A TRAVESSIA DA VIA CRUCIS
CARLOS EDUARDO NOVAES
NÓRDICA
(1976)
R$ 10,00



MENSAGENS DO ASTRAL - 3725
RAMATIS
FREITAS BASTOS
(1980)
R$ 24,00



AFUNDAÇÃO ROBERTO MARINHO - DENÚNCIA - CAPA DURA
ROMÉRO C. MACHADO
TCHÊ
(1988)
R$ 9,00



GRANDES DATES DE LARCHITECTURE EN EUROPE DE 1850 À NOS JOURS
GENEVIEVE MONNIER
PUF
(1999)
R$ 85,00



A FILHA DO SILÊNCIO
MORRIS WEST
CIRCULO DO LIVRO
(1961)
R$ 12,80



FARGO
CINEMATECA VEJA
ABRIL
(2008)
R$ 10,00



THE ART OF THE NASTY
NIGEL WINGROVE AND MARC MORRIS
FAB
(2009)
R$ 130,00



CRÔNICA DE UM AMOR LOUCO
CHARLES BUKOWSKI
LPM
(1984)
R$ 25,00



O PEQUENO LIVRO DO PENSAMENTO ZEN
RUTH MARSCHALEK (ORG.)
EKO
(2007)
R$ 10,00



POÉSIES CHOISIES DE RONSARD
P. DE RONSARD
CLASSICS GARNER
(1960)
R$ 75,00





busca | avançada
44238 visitas/dia
1,1 milhão/mês