Cisne Negro: por uma inversão na ditadura do gozar | Lucas Carvalho Peto | Digestivo Cultural

busca | avançada
28343 visitas/dia
851 mil/mês
Mais Recentes
>>> Livro narra a trajetória do empresário que transformou a história urbana de São Paulo
>>> TV Brasil destaca polêmica das fake news no Mídia em Foco desta segunda (22/10)
>>> Ruy Castro e Frei Betto em novembro, no IEL
>>> Operação Condor, Direitos Indígenas, Cine Nuevo e Economia serão temas do 36º EPAL/PROLAM
>>> Sidney Rocha lança seu novo livro, A Lenda da Seca
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> O Voto de Meu Pai
>>> A barata na cozinha
>>> Inferno em digestão
>>> Hilda Hilst delirante, de Ana Lucia Vasconcelos
>>> As pedras de Estevão Azevedo
>>> O artífice do sertão
>>> De volta à antiga roda rosa
>>> O papel aceita tudo
>>> O tigre de papel que ruge
>>> Alice in Chains, Rainier Fog (2018)
Colunistas
Últimos Posts
>>> Eleições 2018 - Afif na JP
>>> Lançamentos em BH
>>> Lançamento paulistano do Álbum
>>> Pensar Edição, Fazer Livro 2
>>> Ana Elisa Ribeiro lança Álbum
>>> Arte da Palavra em Pernambuco
>>> Conceição Evaristo em BH
>>> Regina Dalcastagné em BH
>>> Leitores e cibercultura
>>> Sarau Libertário em BH
Últimos Posts
>>> A moral da dúvida em Oakeshott e Ortega Y Gasset
>>> Por um triz
>>> Sete chaves a sete cores
>>> Feira livre
>>> Que galho vai dar
>>> Relâmpagofágico
>>> Caminhada
>>> Chama
>>> Ossos perduram
>>> Pensamentos à política
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Para tudo existe uma palavra
>>> Cind Canuto
>>> Araquém Alcântara #EuMaior
>>> Henry Ford
>>> Aberta a temporada de caça
>>> Apresentação
>>> Apresentação
>>> Um defeito de cor, um acerto de contas
>>> Cuidado: Texto de Humor
>>> O Oratório de Natal, de J. S. Bach
Mais Recentes
>>> O Livro das Sombras de Scott Cunningham pela Madras (2017)
>>> O Livro Secreto da Magia Celta de Montse Osuna pela Universo dos Livros (2009)
>>> Contabilidade de custos de Eliseu martins pela Atlas (2018)
>>> Responsabilidade social e competencia inter-pessoal de Paul serter pela Ibpex (2018)
>>> A estrategia e o cenario dos negocios de Pankaj guemawat pela Bookman (2018)
>>> Faça voce mesmo propaganda de Fred e. hahn pela Ibpi (2018)
>>> Recursos humanos de Idalberto chiavenato pela Atlas (2018)
>>> Organizaçao & metodos de Antonio cury pela Atlas (2018)
>>> Manual de maitre d hotel de Aristides de oliveira pacheco pela Senac (2018)
>>> O criador no mundo empresaral de Sofia mountian pela Conex (2018)
>>> De mulher para mulher de Eugene price pela Mundo cristao (2018)
>>> O egito secreto de Paul brunton pela Pensamento (2018)
>>> Contacto interdimensional-el contacto continua de Sixto paz wells pela Sixto paz (2018)
>>> Doenças profissionais ou do trabalho de Irineu antonio pedrotti pela Leud (2018)
>>> Direito Empresarial de Mônica Gusmão pela Impetus (2004)
>>> Metodo rapido de corte-modelagens e tecnicas de costura de Carminha de feitas pela Sigbol (2018)
>>> Executivo-a carreira em transiçao. de Ricardo de almeida prado xavier e claudir franciatto pela Sts (2018)
>>> Curso avançado de excel de Fabricio augusto de ferrari pela Digerati (2018)
>>> Historia e doutrina da franco-maçonaria de Marius lepage pela Pensamento (2018)
>>> Crimes Contra a Dignidade Sexual - para Concursos de Francisco Dirceu Barros pela Elsevier (2010)
>>> Nostradamus-historiador e profeta de Jean-charles de fontbrune pela Circulo do livro (2018)
>>> Nossos filhos sao espiritos de Herminio c. miranda pela Lachatre (2018)
>>> Meus engmas favoritos de J.j. benitez pela Circulo do livro (2018)
>>> A cidade e as serras de Eça de queiroz pela Nucleo (2018)
>>> Minerais do Brasil 3 volumes de Rui Ribeiro Franco et Alii pela Edgard Blucher (1972)
>>> Entre Moisés e Macunaíma. Os judeus que descobriram o Brasil de Moacyr Scliar & Márcio Souza pela Garamond (2000)
>>> A aventura realista e o teatro musicado de Flávio Aguiar. Organizador pela Senac SP (1998)
>>> O Império do Belo Monte. Vida e Morte de Canudos de Walnice Nogueira Galvão pela Fundação Perseu Abramo (2001)
>>> Teoria da História do Brasil. Introdução Metodológica de José Honório Rodrigues pela Nacional (1978)
>>> O Polichinello de Ana Martia de Almeida Camargo. Organização pela Imprensa Oficial do Estado SP (1981)
>>> Enquadro. Capitulo I: Domingas de Eddie Louis Jacob pela Casa da Lapa (2009)
>>> Revista de Comunicação, Cultura e Política - V.14 Jan/Jun - 2014 de Vários Colaboradores pela PUC/Vozes (2014)
>>> Direito Processual do Trabalho (Reforma e Efetividade) de Luciano Athaíde Chaves (Org) pela LTr / Anamatra (2007)
>>> Lições de Direito Penal - Parte Geral de Heleno Cláudio Fragoso pela Forense (2003)
>>> Curso de Direito Penal - Parte geral - Volume 1 de Fernando Capez pela Saraiva (2007)
>>> On Love: A novel de Alain de Botton pela Grove Press (1994)
>>> Tarô dos Vampiros O Oráculo da Noite Eterna de David Corsi pela Madras (2010)
>>> Aptidao fisica-um convite a saude de Valdir j. barbanti pela Manole dois (2018)
>>> Science for all children de National academic press pela National academic press (2018)
>>> Restauraçao da mata atlantica em areas de sua primitiva ocorencia natural de Antonio paulo mendes galvao e antonio carlos de souza galvao pela Mapa (2018)
>>> O caminho para o amor de Deepak chopra pela Rocco (2018)
>>> O livro do juizo final de Roselis von sass pela Ordem do graal na terra. (2018)
>>> Meu anjo de Fausto de olveira pela Seame (2018)
>>> Perversas Famílias (um castelo no pampa 1) de Luiz Antonio de Assis Brasil pela L&PM (2010)
>>> Evoluçao consciente de Sergio motta pela Ediouro (2018)
>>> Carrie, a estranha de Stephen King pela Suma de Letras (2013)
>>> Pesquisa e planejamento de marketing e propaganda de Marcia valeria paixao pela Ibpex (2018)
>>> Pedra do Céu de Isaac Asimov pela Aleph (2016)
>>> A guerra se torna mundial--4. de Folha de sao paulo pela Folha de sao paulo (2018)
>>> A guerra se torna mundial--4. de Folha de sao paulo pela Folha de sao paulo (2018)
COLUNAS

Segunda-feira, 25/4/2011
Cisne Negro: por uma inversão na ditadura do gozar
Lucas Carvalho Peto

+ de 7100 Acessos
+ 1 Comentário(s)

Ah, renunciai às virtudes, Eugénie! Haverá algum sacrifício feito a essas falsas divindades que valha um só minuto dos prazeres que sentimos ultrajando-as? SADE, Marquês de.

Slavoj Zizek, filósofo esloveno, afirma que estamos sob a ditadura do gozar. O que antes era interdito se tranformou em uma espécie de imperativo categórico. O problema é que a ideologia do gozar furta ao processo de ascender ao gozo seu príncipio fundamental: transgredir. O libertar-se das imposições castradoras para, a partir disso, poder gozar, não é mais uma barreira. Para Zizek, o problema é libertar-se da falta de plus-de-jouir.

O gozar livremente enquanto ideologia dominante; o gozo como objetivo padronizado, deixa de lado o excesso. Isso porque o próprio gozar passa a ser a norma. Consequentemente, o gozo, isento de poder revolucionário, domado e regulado pela normatividade, com o seu pendor invertido, sem o seu negar submeter-se às leis, o gozo como expressão da destruição da autoridade, deixa de existir. O abjeto se trasformou em sublime. A interdição agora é outra. Não é uma interdição ao gozar, mas aos excessos perigosos: gozar de forma institucionalizada. A ditadura do gozar transforma o gozar em um não-gozar.

Quanto maior a beleza, maior a ignomínia. BATAILLE, Georges.

Nina Sayers, personagem vivida por Natalie Portman no filme Black Swan dirigido por Darren Aronofsky, pode ser considerada um protótipo dessa imposição do gozar livremente. Ela deve gozar em sua carreira, realizar-se enquanto bailarina, buscar seus objetivos a todo custo, mas todo o resto lhe é proibido. Dedicada à dança e, concomitantemente, à beleza, Nina é um retrato da Justine sadiana. Aquela que esta condenada à vida virtuosa, direcionada a um gozar no sublime. Ela, nos moldes dos flagelantes do medievalismo, doutrina-se para alcançar um gozo na transcendência. Se lá, nos místicos, o corpo era torturado em prol de uma vida ascética que valeria um gozar eterno no reino dos céus. Aqui, em Nina, o corpo mutilado pela beleza, pelas imposições dos padrões da arte, lhe vale um gozo que transcende a escravização da matéria: o eternamente belo. A normatividade jaz aqui. Mulher e bailarina, Nina tem o dever do gozar, mas na beleza, no correto, nos padrões e em sua busca pela perfeição. Não no excesso, em nenhum excesso. Qualquer mais-gozar lhe é proibido. O conjunto panóptico esta montado para mantê-la nesse gozo disciplinado. Sua mãe é a torre central do complexo vigilante. A privacidade lhe é negada, arrancada à força. Em sua arte, os olhares que reprovam um quilo a mais, um passo em falso, ou qualquer erro. O gozo que lhe é imposto, na arte, é classicista. Esta na forma, é um gozar haydiano. Por isso sua obssessão pela perfeição nos movimentos. Se é verdade que o homem, sem vigilância, esta entregue aos excedentes das paixões naturais; Nina não usufrui desse direito. Aqui, segundo Nietzsche, a linguagem normativa penetrou e retirou das paixões seu caractere primaz: a violência natural.

Imaginemos uma sociedade sem linguagem. Eis que um homem nela copula com uma mulher, a tergo, misturando à sua ação um pouco de pasta de trigo. Nesse nível, não hã nenhuma perversão. BARTHES, Roland.

Na contramão dessa configuração normativa estão Lily e Thomas. Lily é a que goza no excesso. Aquela que despreza, em certo grau, a precisão nas composições de sua arte. Thomas é o retrato do artista romântico: aquele que busca a perfeição no gozo natural. Lily e Thomas são Saint-Ange e Dolmancé, Nina é Eugênie.

Na obra central do Marquês de Sade, A filosofia na Alcova, Eugênie é uma menina que se entrega à educação desses dois libertinos. Eles a iniciam na libertinagem ao mesmo tempo em que lhe doutrinam na filosofia do gozar no excesso. Em um de seus discursos, Dolmancé diz: "Ora, a virtude não passa de uma quimera cujo culto consiste em imolações perpétuas, em inúmeras revoltas contra as inspirações do temperamento".

No filme, Thomas e Lily são os encarregados de libertar as paixões de Nina. Tirá-la do marasmo normativo. São eles que mostram para a inocente e frágil dançarina que nem todo o gozar se resume à forma, na arte, nem à disciplina, na vida. Na arte, eles caracterizam a irrupção sensual do romantismo frente à gélida precisão classicista. O gozar, em Lily e Thomas, é wagneriano. Aqui, segundo Roland Barthes, a linguagem normativa esta ausente. O mais-gozar e a violência se apresentam como circustâncias naturais. No filme, Lily e Thomas incitam o despertar da violência do excesso. Este a convida a masturbar-se, excedendo a vigilância panóptica que a mãe lhe impõe, vigilância que infantiliza e impedi um gozo natural do corpo. Aquela lhe inicia nos prazeres ilícitos, convidando Nina a se entregar a um gozo hedonista.

Em uma das cenas cruciais do filme, Nina, atormentada pela sensação de estar sendo substituida por Lily; o que caracterizaria não uma inversão, mas apenas uma troca do status quo, a esfaqueia. Na verdade, no filme, Nina se esfaqueia.

Essa imagem nos remete a uma entrada de extrema violência que caracteriza o gozo real. Uma entrada visceral. Para se libertar do não gozar, imposto pela ditadura do gozar, Nina mutila o símbolo maior da padronização: seu corpo. Para sentir, para se fundir ao natural, para poder gozar do excesso, ela mortifica a normatividade.

Seu corpo, talhado pelas regras, agora, lhe servirá para sentir; exceder, experimentar o supra-sumo do gozar: a dor, o abjeto, a queda. Irrompendo contra a ditadura, a personagem de Portman, em uma perfomance apaixonada, se entrega ao ignóbil, e inverte a ideologia ao dizer que seu ato de trangressão "foi perfeito".

Muito além de qualquer interpretação psicanalítica que vislumbra uma pintura do embate entre Eu e Isso, Cisne Negro levanta a questão da impossibilidade do gozo na ideologia do gozar. Seja ele qual for. E por que, atualmente, tudo é proibido. Mascarada sob toda a imposição emancipadora e libertária a proibição é, talvez, até mais forte do que era. O sistema se retroalimenta: a impossibilidade de satisfação nos leva a buscar outro meio para gozar que, também regulado, nos guiará a outra insatisfação.

A máquina do não-gozar é lucrativa. Não gozará se for gordo, não gozará se for fraco, não gozará se não tiver sucesso profissional. Goze com o seu café, mas só até o ponto de ser considerado um apreciador: o excesso é prejudicial. Goze modelando seu corpo na academia, goze privando-se de comer gordura, goze de sua carreira, independente de qualquer privação, goze de suas relações, até que elas não lhe sejam mais necessárias. Goze, goze e goze, mas sem gozar. Transgrida dentro da norma. Exceda sem exceder. Viva sem viver.


Lucas Carvalho Peto
Ribeirão Preto, 25/4/2011


Mais Lucas Carvalho Peto
* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

ENVIAR POR E-MAIL
E-mail:
Observações:
COMENTÁRIO(S) DOS LEITORES
25/4/2011
19h31min
Gozei, no sentido mais bruto da palavra, ao ler esse texto. No sentido de gozar com excessos e transgressões do pensar. Muito bom, pra começar cita dois nomes que amo: Nieztche e Marques de Sade. Depois vem a delícia do gosto de um texto libertário, daquele tipo que eu gosto. Em seguida vem a releitura mas autêntica, clara e verdadeira de Cisne Negro. Vou dizer o quê? Gozei.
[Leia outros Comentários de Yasmin Salgado]
COMENTE ESTE TEXTO
Nome:
E-mail:
Blog/Twitter:
* o Digestivo Cultural se reserva o direito de ignorar Comentários que se utilizem de linguagem chula, difamatória ou ilegal;

** mensagens com tamanho superior a 1000 toques, sem identificação ou postadas por e-mails inválidos serão igualmente descartadas;

*** tampouco serão admitidos os 10 tipos de Comentador de Forum.




Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




ISADORA, SUA CAMISOLA LA PERLA E A BR
CATARINA GUEDES
KALANGO
(2015)
R$ 28,00



O LIVRO ESSENCIAL DE UMBANDA
ADEMIR BARBOSA JÚNIOR
UNIVERSO DOS LIVROS
(2014)
R$ 45,00



O SENHOR DOS ANÉIS 2 - AS DUAS TORRES
J. R. R. TOLKIEN
MARTINS FONTES
(2000)
R$ 31,90



A MORTE DA ESTANDARTE E OUTRAS HISTÓRIAS
ANÍBAL M. MACHADO
LIVRARIA JOSÉ OLYMPIO
(1972)
R$ 7,00



AS CARIOCAS
SÉRGIO PORTO
CIVILIZAÇÃO BRASILEIRA
(1967)
R$ 8,00



ANTROPOLOGIA I - TEXTOS I
FACULDADES OBJETIVO
SUPERO
R$ 7,90



BÍBLIA EM POLONÊS - ANTIGA 1959
VÁRIOS AUTORES
ND
(1959)
R$ 149,00



A CULPA É DAS ESTRELAS.
JOHN GREEN
INTRÍNSECA
(2012)
R$ 12,90



O SENHOR É MEU PASTOR. SALMO 23
IRAMI B. SILVA (RESP. EDIT. & REV.)
SCIPIONE
(1991)
R$ 10,00



VIVALDI - A HISTORIA DOS GÊNIOS DA MUSICA CLÁSSICA
EDITORA NOVA CULTURAL
NOVA CULTURAL
(1988)
R$ 8,99





busca | avançada
28343 visitas/dia
851 mil/mês