Senhora Victor | Guilherme Pontes Coelho | Digestivo Cultural

busca | avançada
69585 visitas/dia
2,2 milhões/mês
Mais Recentes
>>> Pauta: E-books de Suspense Grátis na Pandemia!
>>> Hugo França integra a mostra norte-americana “At The Noyes House”
>>> Sesc 24 de Maio apresenta programação de mágica para toda família
>>> Videoaulas On Demand abordam as relações do Homem com a natureza e a imagem
>>> Irene Ravache & Alma Despejada na programação online do Instituto Usiminas
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> A pintura do caos, de Kate Manhães
>>> Nem morta!
>>> O pai tá on: um ano de paternidade
>>> Prêmio Nobel de Literatura para um brasileiro - I
>>> Contentamento descontente: Niketche e poligamia
>>> Cinemateca, Cinemateca Brasileira nossa
>>> A desgraça de ser escritor
>>> Um nu “escandaloso” de Eduardo Sívori
>>> Um grande romance para leitores de... poesia
>>> Filmes de guerra, de outro jeito
Colunistas
Últimos Posts
>>> A última performance gravada de Jimmi Hendrix
>>> Sebo de Livros do Seu Odilon
>>> Sucharita Kodali no Fórum 2020
>>> Leitura e livros em pauta
>>> Soul Bossa Nova
>>> Andreessen Horowitz e o futuro dos Marketplaces
>>> Clair de lune, de Debussy, por Lang Lang
>>> Reid Hoffman sobre Marketplaces
>>> Frederico Trajano sobre a retomada
>>> Stock Pickers ao vivo na Expert 2020
Últimos Posts
>>> Três tempos
>>> Matéria subtil
>>> Poder & Tensão
>>> Deu branco
>>> Entre o corpo e a alma
>>> Amuleto
>>> Caracóis me mordam
>>> Nome borrado
>>> De Corpo e alma
>>> Lamentável lamento
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Rebelde aristocrático
>>> Cócegas na língua
>>> Animazing
>>> Robinson Shiba do China in Box
>>> Anjos e Demônios, o filme, com Tom Hanks
>>> Quem tem boca vai a Roma
>>> Pergunte ao Polvo #worldcup
>>> O escandaloso blog de poesia de Maria Bethânia
>>> PosBIZZ com Ricardo Alexandre
>>> A era e o poder do Twitter
Mais Recentes
>>> Dom João Vl no Brasil de Oliveira Lima pela Topbooks (2020)
>>> Gibi Chico Bento N°34 de Mauricio de Sousa Editora pela Panni Comics (2009)
>>> Dom Casmurro de Assis, Machado de pela Abc (2020)
>>> Ditadura à brasileira: 1964-1985 a democracia golpeada à esquerda e à direita de Villa, Marco Antonio pela Leya (2020)
>>> Gibi Turma da Mônica N° 62 de Mauricio de Sousa Editora pela Panni Comics (2012)
>>> Diritto internazionale de Cannizzaro, Vincenzo pela la mia Libreria (2020)
>>> Diogo Antônio Feijó de Caldeira, Jorge pela 34 (2020)
>>> Dicionário da escravidão e liberdade: 50 textos críticos de Vários autores; Schwarcz, Lilia Moritz and Gomes, Flávio pela Companhia das Letras (2020)
>>> Diários de Joaquim Nabuco - Volume Único de Evaldo Cabral de Mello pela Bem-te-vi (2020)
>>> Diários da presidência 1997-1998 (volume 2) de Cardoso, Fernando Henrique pela Contraponto (2020)
>>> Diários da presidência 1995-1996 (volume 1) de Cardoso, Fernando Henrique pela Companhia das Letras (2020)
>>> Diário da Navegação. Brasil 500 Anos de Jonas Soares de Souza pela Uspiana Brasil 500 anos (2020)
>>> Diálogo das grandezas do Brasil de Ambrósio Fernandes Brandão pela Cepe (2020)
>>> Vontade de Potência - Edição Bolso de Friedrich Nietzsche pela Vozes de Bolso (2017)
>>> Desenvolvimento E Subdesenvolvimento de Celso Furtado pela Contraponto (2020)
>>> D. Pedro II de Carvalho, José Murilo de pela Companhia das Letras (2020)
>>> D. Maria I: As perdas e as glórias da rainha que entrou para a história como "a louca" de Priore, Mary del pela Benvirá (2020)
>>> D. João VI de Pedreira, Jorge and Costa, Fernando Dores pela Abc (2020)
>>> Conversa cortada - a correspondência entre Antônio Candido e Angel Rama de Antonio Rocca, Pablo Candido pela Edusp e Ouro sobre Azul (2020)
>>> Constituinte de 1987-1988 de Adriano Pilatti pela Puc (2019)
>>> "Clamar e Agitar Sempre": Os Radicais na Década de 1860 de José Murilo De Carvalho; José Mario Pereira and Miriam Lerner pela Tusquets (2020)
>>> Como o Ser Humano Pode se Tornar e se Manter Produtivo de Paulo Gaudencio pela Palavras e Gestos (2012)
>>> Cidade febril: Cortiços e epidemias na corte imperial de Chalhoub, Sidney pela Companhia das Letras (2020)
>>> Cidade de Deus de Paulo Lins pela Tusquets (2020)
>>> Casa-Grande & Senzala de Freyre, Gilberto pela Global (2020)
>>> Brigada Ligeira de Antônio Candido pela Ouro sobre Azul (2020)
>>> Brasil: Formação do estado e na nação de Jancsó, István pela Hucitec (2020)
>>> Brasil, geopolítica e poder mundial: O anti-golbery de Martin, André Roberto pela Hucitec (2020)
>>> Bernardo Pereira de Vasconcelos (Português) Capa comum de José Murilo de Carvalho pela 34
>>> Balmaceda - Coleção Prosa do Observatório (Português) Capa comum de Joaquim Nabuco pela Cosacnaify (2020)
>>> Autobiografia de Visconde de Mauá (Irineu Evangelista de Sousa) pela Senado (2020)
>>> Revista Tempo Brasileiro 25 - A Crise do Pensamento Moderno 3 de Vários pela Tempo Brasileiro (1970)
>>> Teatro Moderno = A Moratória de Jorge Andrade pela Agir (1996)
>>> Teatro na Igreja com criatividade de Maria José Resende pela Exodus (1997)
>>> O Furo . . .Que é um Furo que não é um Furo de Everton Capri Freire pela Parma (1981)
>>> A Retornada de Donatella Di Pietrantonio pela Faro Editorial (2019)
>>> O Teatro de Nelson Rodrigues: Uma Realidade em Agonia de Ronaldo Lima Lins pela Francisco Alves (1979)
>>> 525 Linhas de Marcelo Paiva pela Brasiliense (1989)
>>> Sonho interrompido por guilhotina de Joca Reiners Terron pela Casa da Palavra (2006)
>>> Mortos - Vivos = Vivos - Mortos de Walter José Faé pela Burity (1983)
>>> Ana do Maranhão de Lenita de Sá pela Folha Carioca (1982)
>>> Teatro e Paixão de Maria Lombros Comninos/Marta Morais da Costa pela Secretaria de Estado da Cultura e do Esporte (1982)
>>> Teatro de Marionetes de Heinrich Von Kleist pela Ministério da Educação e Saúde (1952)
>>> Teatro - Realidade Mágica de Santa Rosa pela Departamento de Imp. Nacional (1953)
>>> Sonetos em Curitiba de Nylzamira Cunha Bejes pela Planeta (2002)
>>> A Represa / Suburbana de Maria Helena Khuner/Celso Antonio da Fonseca pela Funarte (1933)
>>> Teatro da Vida 2 = Projeto Andarilhus de Eduardo Bolina pela Pallotti (2009)
>>> O Palácio dos Urubus de Ricardo Meireles Vieira pela Funarte (1975)
>>> Helicópteros e Lepidópteros de Eno Teodoro Wanke pela Plaquete (1979)
>>> Darwin e Kardec Um Diálogo Possivel de Hebe Laghi de Souza pela Centro Espírita Allan Kardec (2002)
COLUNAS

Quarta-feira, 13/7/2011
Senhora Victor
Guilherme Pontes Coelho

+ de 3200 Acessos
+ 1 Comentário(s)

O Império do Sol, de Steven Spielberg, é um dos filmes a que mais assisti na vida. É uma película recheada de cenas afamadas. Eu poderia passar horas aqui digitando sobre cada sequência deste filme, ou sobre a direção virtuose de Spielberg, ou sobre o desempenho impressionante do garoto Christian Bale. Mas a cena d'O Império do Sol que sempre me vem à mente, de imediato, quando ouço ou leio sobre o filme, é aquela quando Jim Graham (Bale) vê a "alma" da recém defunta senhora Victor (Miranda Richardson) "subindo ao Paraíso".

O aerófilo Jim, filho único, vive com os pais em Xangai, um casal importante na indústria têxtil, eminentes entre os ingleses ricos que recriaram sua própria Liverpool em solo chinês. Casas, ruas, igrejas, comércio, escolas: em 1941, tudo parecia ter sido transportado da Grã-Bretanha, como acontecia desde o século XIX. Um universo próprio, habitado por figurões de sotaques campanudos, servidos por chineses secretamente rancorosos. Então os japoneses tomam a cidade. Quem não pode fugir a tempo teve de se acostumar à hospitalidade dos invasores. Foi durante uma tentativa de fuga que Jim se perdeu dos pais e, depois de passar por alguns estrupícios perdido na rua, acabou hospedado num campo de concentração para ocidentais, quase todos ingleses e americanos.

Neste acampamento, Jim deixa de ser o garoto aristocrático, de vocabulário pomposo e modos afetados, para ser um jogador, um safo sobrevivente. Mas mantém o coração generoso e os sonhos aeronáuticos. Estes, ininterruptamente alimentados pelos aviões pelos quais é apaixonado e com os quais não para de sonhar, porque os vê diariamente: ao lado do campo de concentração, funciona uma escola preparatória de kamikazes.

É neste resort que Jim conhece a senhora Victor, acompanhada pelo marido, senhor Victor, que mais tarde a abandonará, o que tornará a relação entre ela e o garoto mais estreita, mesmo que por pouco tempo. Jim desenvolve por ela uma afeição ora cortês, ora edipiana, que ela retribui, como uma Jocasta distraída, insensibilizada pelo purgatório hostil onde vive.

Então, em 1945, depois de um bem-sucedido ataque aéreo norte-americano às instalações japonesas (a escola kamikaze é destruída), os militares japoneses abandonam a base. Os ocidentais, estropiados e famintos, guiados pelos japoneses, migram para o norte. A primeira baixa é o senhor Victor. Que some, simplesmente.

Ao entardecer, o êxodo chega ao Estádio Nantao, que funcionava como depósito de pilhagem. Carros, espelhos, estátuas, motocicletas, candelabros, pias, cristaleiras, bebidas, vasos, pianos, relógios, sofás, quadros, púlpitos, todos os bens, aparentemente, que os japoneses puderam subtrair. Jim é avisado por um dos migrantes ingleses de que é melhor continuar a caminhada, mas a senhora Victor, doente e mentalmente debilitada, pede a ele que fique, porque "aqui é melhor" - um estádio abandonado no meio nada e sem água ou comida. Jim cede e fica, e sugere à senhora Victor, a fim de enganar os soldados, que se finja de morta. Ambos se deitam no chão (anoiteceu) e dormem. Mas só Jim acorda pela manhã.

Esta é a cena. Jim acorda e contempla a senhora Victor deitada na grama, morta. Jim parece desinteressado e ocioso. A senhora Victor morreu. Ela havia pedido que ele ficasse para acompanhá-la e ele, sabendo que não seria uma escolha sensata, ficou. Havia algo suficiente entre ambos para o pedido dela ter sido atendido. Ela havia despertado nele o desejo sexual, quando, numa noite quente no alojamento onde viviam, ele a observou dormindo (a pele branca e úmida de suor, os lábios entreabertos). Pouco depois desta noite ele deixou o alojamento para ir morar com os americanos, Basie (John Malkovich) e sua gangue. Mas ele acabou retornando ao "cômodo" que dividia com o casal Victor. Ela então o recebeu, como uma mãe receberia. Foi terna e atenciosa, puxou da mão dele a maleta, abriu-lhe espaço para cama e dispôs, com delicadeza, o avião miniatura sobre a cômoda.

Jim tinha muito apreço por ela, para dizer o mínimo, já que em situações extremas, como sobreviver em um campo de concentração, o simplório termo "apreço" tem outras proporções. Ele gostava dela e, agora, ela estava ali, à sua frente, morta. Um baita problema para mente de um garoto que se dizia ateu. Como conciliar a memória de uma mulher que, mesmo de forma pouco explícita, fez as vezes de mãe e de amor platônico com a sensação de ver aquele corpo inerte e irrelevante?

Jim tinha passou a ter outro entendimento da vida desde que chegou ao acampamento. Ele já não se lembrava do rosto dos pais e, para enriquecer a dieta com proteínas, comia os carunchos que vinham no arroz com batatas. Ele, sob a tutela de Basie, estava tratando a vida como uma grande gincana da seleção natural. Aprendeu artifícios e manhas para todas as situações e era um aluno nota dez na "universidade da vida" (palavras dele), sobretudo na disciplina sobrevivência (ênfase minha). Mas a morte da senhora Victor parecia não ter resposta. Não havia macete para compreender aquele fenômeno. Basie não teria a chave daquele enigma.

Jim olhava a defunta. Só olhava.

Fui um clarão que iluminou o corpo da senhora Victor e fez Jim despertar da indiferença. Um clarão, seguido por raios coloridos fugindo no céu, rajando-o em tons de violeta, rosa, azul, verde. Jim, maravilhado, viu a alma da senhora Victor subindo ao Paraíso. Sentiu-se feliz. Abandonou o corpo que foi da senhora Victor e seguiu sua jornada, sozinho.

Uma única alma, egressa de um corpo esgotado, para o menino órfão, era capaz de cobrir o céu, à luz do dia, de mais luz, em cores vibrantes e bonitas. Era o quanto a alma da senhora Victor representava. Uma única alma. É impossível ir além disso. Impossível conceber de forma mais intensa e ingênua a grandeza de um espírito. É incomensurável.

Mas veio a realidade enquadrar as coisas em sua singular escala de grandezas. Jim, continuando sua jornada, ao topar com o primeiro rádio que lhe apareceu, soube que quem coloriu o céu não foi a senhora Victor, mas a bomba atômica. Uma desilusão igualmente incomensurável. Não pela capacidade humana de destruir (essa é conhecida), mas pela trivialidade de uma única vida. Ele acreditou que uma só alma preenchesse o céu.

Nota do autor
Ao contrário de outros filmes baseados em livros, não tenho curiosidade em ler o livro homônimo de J.G Ballard. O trabalho de Spielberg é tão sagrado que mesmo ler o livro de Ballard, que é autobiográfico, seria conspurcar minha relação com o filme. Cedi a uma superstição boba e, perdão, Ballard, não o lerei.

Para ir além









Guilherme Pontes Coelho
Águas Claras/Brasília, 13/7/2011


Quem leu este, também leu esse(s):
01. Senhorita K de Carina Destempero


Mais Guilherme Pontes Coelho
Mais Acessadas de Guilherme Pontes Coelho em 2011
01. A sordidez de Alessandro Garcia - 9/2/2011
02. Churchill, de Paul Johnson - 2/2/2011
03. Pequenos combustíveis para leitores e escritores. - 7/9/2011
04. Cisne Negro - 16/2/2011
05. Derrotado - 2/3/2011


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

ENVIAR POR E-MAIL
E-mail:
Observações:
COMENTÁRIO(S) DOS LEITORES
13/7/2011
14h19min
gostei da abordagem, montana. mas, ao contrário de vc, eu sempre quis ler a história em livro. uma hora ainda o farei hehehehe abraço!
[Leia outros Comentários de alex]
COMENTE ESTE TEXTO
Nome:
E-mail:
Blog/Twitter:
* o Digestivo Cultural se reserva o direito de ignorar Comentários que se utilizem de linguagem chula, difamatória ou ilegal;

** mensagens com tamanho superior a 1000 toques, sem identificação ou postadas por e-mails inválidos serão igualmente descartadas;

*** tampouco serão admitidos os 10 tipos de Comentador de Forum.




Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




EXITO PROFISSIONAL : CONHECIMENTOS E ATITUDES
FRANCISCO ANTONIO CAVALCANTI
SENAC SÃO PAULO
(2011)
R$ 18,99



GUIA ILUSTRADO TV GLOBO: NOVELAS E MINISSÉRIES
JORGE ZAHAR EDITOR
JORGE ZAHAR EDITOR
(2010)
R$ 5,00



TRILOGIA ESPERANÇA C/3 LIVROS -SONHOS/ENCANTOS/ DESEJOS - LITERATURA
BARBARA DELINSKY
HARLEQUIN
(2007)
R$ 60,00



A GRUTA DAS ORQUÍDEAS
VERA LÚCIA MARINZECK DE CARVALHO
PETIT
(2007)
R$ 12,00



ÁGUA VIVA
CLARICE LISPECTOR
ROCCO
R$ 25,00



LIVRO DE HORAS DE SOROR DOLOROSA
GUILHERME DE ALMEIDA
NACIONAL
(1928)
R$ 20,00



CURSO DE DIREITO PENAL - PARTE GERAL - LIVRO DE AULAS
JAIR LEONARDO LOPES
RT - REVISTA DOS TRIBUNAIS
(1993)
R$ 14,02



CIENCIAS HUMANAS E FILOSOFIA - O QUE É SOCIOLOGIA?
LUCIEN GOLDMANN
BERTRAND BRASIL
(1988)
R$ 10,00



GENTE COMO A GENTE - CAPA DURA
JUDITH GUEST
CÍRCULO DO LIVRO
(1976)
R$ 7,00



THE GOLDEN FOUNTAIN THE COMPLETE GUIDE TO URINE THERAPY - MEDICINA
COEN VAN KROON
GATEWAY
R$ 70,00





busca | avançada
69585 visitas/dia
2,2 milhões/mês