Hugo Cabret exuma Georges Melies | Wellington Machado | Digestivo Cultural

busca | avançada
70483 visitas/dia
2,4 milhões/mês
Mais Recentes
>>> Projeto: Encontro ás escuras - Contos e cantos ancestrais
>>> Primeira edição do ZporZ Fest Verão acontece em janeiro
>>> Sesc Cultura ConVIDA! apresenta mostras temáticas
>>> Oficina de Objetos de Cena nas redes do Sesc 24 de Maio
>>> Lançamento: livro “A Cultura nos Livros Didáticos”, de Lara Marin
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Isto é para quando você vier
>>> 2021, o ano da inveja
>>> Pobre rua do Vale Formoso
>>> O que fazer com este corpo?
>>> Jogando com Cortázar
>>> Os defeitos meus
>>> Confissões pandêmicas
>>> Na translucidez à nossa frente
>>> A Velhice
>>> Casa, poemas de Mário Alex Rosa
Colunistas
Últimos Posts
>>> Mehmari, Salmaso e Milton Nascimento
>>> Gente feliz não escreve humor?
>>> A profissão de fé de um Livreiro
>>> O ar de uma teimosia
>>> Zuza Homem de Mello no Supertônica
>>> Para Ouvir Sylvia Telles
>>> Van Halen ao vivo em 1991
>>> Metallica tocando Van Halen
>>> Van Halen ao vivo em 2015
>>> Van Halen ao vivo em 1984
Últimos Posts
>>> Tonus cristal
>>> Meu avô
>>> Um instante no tempo
>>> Salvem à Família
>>> Jesus de Nazaré
>>> Um ato de amor para quem fica 2020 X 2021
>>> Os preparativos para a popular Festa de Réveillon
>>> Clownstico de Antonio Ginco no YouTube
>>> A Ceia de Natal de Os Doidivanas
>>> Drag Queen Natasha Sahar interpreta Albertina
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Um olhar sobre Múcio Teixeira
>>> A coisa tá preta
>>> Fugindo do apocalipse
>>> Sonhos Sujos
>>> Eu acho que alguém aqui pirou
>>> Ideologias em forma de spam
>>> Neste Natal etc. e tal
>>> Lula, o filme
>>> Mauro Henrique
>>> Uma pirueta, duas piruetas, bravo, bravo!
Mais Recentes
>>> Tony e Susan de Austin Wright pela Austin Wright (2011)
>>> Ícones: Seu Coração Só Pode Bater Com a Permissão Deles de Margaret Stohl pela Galera Record (2014)
>>> Michaelis Minidicionário alemão / português - português / alemão de Alfred Josef Keller pela Melhoramentos (2010)
>>> Visagismo - Harmonia e Estética de Philip Hallawell pela Senac Sp (2008)
>>> Sob a Pele das Palavras de Celso Cunha pela Nova Fronteira (2004)
>>> Radcliffe- Brown: Coleção Grandes Cientistas Sociais. Número 3 de Júlio Cezar Melatti; Florestan Fernandes (org.) pela Ática (1995)
>>> Troppo Facile - Receitas e Notícias Sobre Comida Boa de Gaspare Tusa Di Gruppazzi pela Via Nuova (1990)
>>> Tradução das Catilinárias de Cícero de Maximiniano Augusto Gonçalves pela Livraria H. Antunes (1955)
>>> Cisnes Selvagens de Jung Chang pela Companhia das Letras (1994)
>>> Amazônia, a Menina dos Olhos do Mundo de Thiago de Mello pela Bertrand Brasil (2005)
>>> Imperatriz de Shan Sa pela Ediouro (2004)
>>> O Feitiço da Ilha do Pavão de João Ubaldo Ribeiro pela Nova Fronteira (1997)
>>> Crônicas do Reino de Deus de Frei Lucas Moreira Neves pela Duas Cidades
>>> O Visconde Partido ao Meio de Italo Calvino pela Companhia das Letras (1996)
>>> Parcerias: Fundamentos e Benefícios para o Terceiro Setor de James E. Austin pela Futura (2001)
>>> História do povo Francês de André Ribard pela Brasiliense LTDA (1952)
>>> Cabeça de Porco de Luiz Eduardo Soares, MV Bill, Celso Athayde pela Objetiva (2005)
>>> Mil Moedas de Ouro de Ruthanne Lum Mccunn pela Best Seller (1999)
>>> As Noites do Morro do Encanto - Livro 2 de Dinah Silveira de Queirzo pela Civilização Brasileira (1957)
>>> A Semente de Mostarda de Bhagwan Shree Rajneesh pela Tao Livraria (1979)
>>> Banderas en Las Torres de A.S. Makarenko pela Progresso (1976)
>>> Pureza Mortal de Nora Roberts; J. D. Robb pela Bertrand Brasil (2011)
>>> O Último Testamento de Sam Bourne pela Record (2008)
>>> Os Irmãos Karamázovi de Fiodor M Dostoiesvski pela Abril Cultural (1971)
>>> Qualidade Em Prestação de Serviços de Rose Zuanetti e Outros pela Senac (2002)
>>> Voltando para Casa Com o Seu Bebê de Laura a Jana; Jennifer Shu pela Wmf Martins Fontes (2010)
>>> Minha Biblia de Lois Rock; Carolyn Cox pela Caulinas (2007)
>>> Envelhecimento Saudável, os Segredos de um Envelhecimento Bem-sucedido de Vários Autores pela Manole (2008)
>>> Ensaios gracilianos de Castelar de Cravalho pela Rio (1978)
>>> Radicais e afixos de Antônio de Camargo Franco pela Do autor (1977)
>>> Contos Tocantinenses de Maximiano da Matta Teixeira pela Secretaria de Cultura Tocantins (1994)
>>> Lenita e o Padre de Márcia Fagundes Varella pela Terra
>>> 1922 - Itinerário de uma falsa vanguarda de Antonio Arnoni Prado pela Brasiliense (1983)
>>> Memorial de Aires e Ressurreição de Machado de Assis pela Iracema (1975)
>>> Aprendiz de Homero de Nélida Piñon pela Record (2008)
>>> Além do Nascimento e da Morte de Bhaktivedanta Swami Prabhupada pela Coletivo Editorial (1986)
>>> Férias na Draculândia de Carlos Queiroz Telles pela FTD (1993)
>>> Conversa Sobre o Tempo de Luis Fernando Verissimo, Zuenir Ventura e Arthur Dapieve pela Agir (2010)
>>> Terrores da Noite de Martin Cruz Smith pela Nova Cultural (1986)
>>> O Cavaleiro Inexistente de Italo Calvino pela Companhia das Letras (2000)
>>> O Faraó Alado de Joan Grant pela Circulo do Livro
>>> A Educação da Mudança de Arnaldo Niskier pela Academia Brasileira de Letras (2003)
>>> Velhos integralistas de Carla Luciana Silva; Gilberto Grassi Calil pela EDIPUCRS (2000)
>>> Velhos integralistas de Carla Luciana Silva; Gilberto Grassi Calil pela EDIPUCRS (2000)
>>> Signo do Pecado de Shirley Larson pela Nova Cultural (1988)
>>> A memória e o ensino de história de Tatiana Lenskij; Nadir Emma Helfer pela Edunisc (2000)
>>> Dicionário de Ciências Sociais de Vários pela Fundação Getúlio Vargas (1986)
>>> Dimensões do Ser - Reflexões sobre os planetas de Maria Eugênia de Castro pela Hipocampo (1991)
>>> Blair's Britain de Hal Colebatch pela Claridge (1999)
>>> O Mundo que eu Encontrei de Alayde de Assunção e Silva pela Coronário (2000)
COLUNAS

Terça-feira, 27/3/2012
Hugo Cabret exuma Georges Méliès
Wellington Machado

+ de 8600 Acessos

O espectador não deve ir ver A invenção de Hugo Cabret (Martin Scorsese, 2011) por causa da indicação ao Oscar. O filme tem todos os ingredientes de que a Academia gosta: uma criança encantadora como personagem principal, um cachorro enxerido, um velho mal-humorado, momentos de tensão, tiradas engraçadas e muita fantasia. Difícil não remeter ao apelo infantil de Roberto Begnini em A vida é bela (1997). Só que o guri Hugo Cabret é esperto. Órfão de um relojoeiro, aprendeu o ofício com maestria e é o responsável por acertar os relógios de uma estação de trem em Paris. Como não tem dinheiro, vive furtando croissants nas lanchonetes e surrupia quinquilharias de um velho desiludido, dono de uma loja de reparos em brinquedos.

A invenção de Hugo Cabret marca a estreia de Martins Scorsese (Touro indomável, Táxi Driver, Cabo do medo) no formato 3D, com tudo o que o diretor tem de bom e de vulnerável. Não é novidade que o diretor é um hábil roteirista. Isso foi provado no rocambolesco Depois de Horas (1985) - infelizmente pouco valorizado pela crítica e praticamente ignorado pelo público. "Hugo Cabret" não é diferente. O filme tem uma narrativa bem equilibrada, sem entraves ou excessos. Toda cena é crucial para compor o emaranhado de acontecimentos e reviravoltas.

Mas Scorsese cede ao que há de mais condenável - e evidente - no cinema hollywoodiano: o excesso de "momentos de tensão". O diretor foi (inadvertidamente, espero) tomado pelo vício do cinema americano comum e pelas artimanhas da narrativa de entretenimento. Chamo de "momentos de tensão" aquelas cenas levadas às últimas consequências, no limiar do "último segundo", no qual o personagem principal se safa por um fio. Steven Spielberg acentuou essa artimanha em seus filmes (vide a série Indiana Jones) e criou uma espécie de "molde mental" nas platéias, sobre o qual é alicerçado grande parte dos filmes de entretenimento americano. Infelizmente, Scorsese abusa dessa artimanha à Spielberg.

Mas deixemos isso de lado, pois é o que faz ganhar Oscar. O que interessa no filme, o fio narrativo, é um boneco desenhista movido a corda: um autômato que o pai de Hugo Cabret insistia em consertar. A empreitada é perseguida pelo garoto, a fim de descobrir o desenho que o boneco iria produzir. Por uma série de peripécias habilmente entrelaçadas por Scorsese, Hugo consegue reaver a última peça que faltava para mover o autômato: uma chave em forma de coração. O desenho traçado pela geringonça é uma cena do filme Viagem à lua (1902), do diretor Georges Méliès (1861-1938).

E eis que o grande público do século 21, sentado em confortáveis poltronas, nas mais modernas salas de projeção que a humanidade pôde produzir, em meio a baldes de pipoca e refrigerante, embebido pelas aventuras e fantasias de Hugo Cabret, embarca em uma viagem ao passado, mais especificamente a uma pequena sala do século 19, onde é projetado o primeiro filme da história do cinema, A chegada do trem à estação Ciotat (1895), realizado pelos irmãos Lumière. Na ocasião, as pessoas se abaixaram na sala de projeção, temendo a entrada do trem no ambiente. Apesar da incrível invenção que colocava uma série de fotografias em movimento, os próprios Lumière não punham lá muita esperança naquilo, já que as imagens "apenas" retratavam a realidade crua. O cinematógrafo, recém-inventado, teve sua morte decretada pelos próprios Lumère.

O cinema certamente não existiria hoje, com suas pipocas e poltronas confortáveis, não fosse um curioso espectador que provavelmente também se abaixou em uma daquelas sessões em 1895. O inquieto ilusionista Georges Méliès procurou saber como é que funcionava aquela maquininha que projetava imagens, e deu um novo suspiro no desânimo dos Lumière. O escalafobético Méliès começou a recortar as películas, emendá-las, sobrepô-las, e fez da realidade crua da estação Ciotat um mundo de sonhos e imaginação. Estava inventada a trucagem. Estava inventada a ficção e a fantasia. O primeiro filme colorido da história do cinema não foi feito nos anos 30, mas por Georges Méliès - colorido à mão, quadro a quadro.

Charles Chaplin, Orson Welles, Eisentein, Buñuel, Kubrick, Spielberg e Scorsese teriam de batalhar outra profissão, não fosse Georges Méliès, que levou a cabo o invento dos irmãos Lumière. Esse mágico, que perdeu o encanto com a depressão causada pela Primeira Guerra (1914-1917), viu seus projetos fracassarem, levando-o à ruína financeira. Desiludido, queimou filmes, rasgou storyboards (foi o pioneiro nessa técnica também), derrubou cenários e o estúdio de vidro que usava para captar melhor a luz.

Georges Méliès se enclausurou, abandonou a vida pública e entrou em depressão. Tornou-se um velho mal-humorado, indo ganhar a vida como reformador de brinquedos quebrados na estação em que Hugo Cabret roubava croissants e recuperava um autômato que reproduziria a imagem de uma bala de canhão atingindo o olho da lua no filme Viagem à lua.

A cena da lua, juntamente com vários outros retalhos recuperados de filmes de Méliès, emociona a plateia do século 21, que, estupefata, questiona se o mágico realmente existiu ou se foi criação da mente de Scorsese - este diretor que também faz storyboard para seus filmes e usa e abusa das trucagens (agora feitas digitalmente). Martin Scorsese, um diretor do século 21 que, após filmar clássicos como Táxi Driver e Touro indomável, não se deixa atropelar pela evolução tecnológica, desafiando preconceitos puristas. O diretor estreia no formato 3D em grande estilo, fazendo a neve tocar nossas pupilas, o cão quase morder nosso nariz, e nos conduz a um voo noturno por uma Paris cintilante. História e tecnologia se aliam, fazendo de "Hugo Cabret" uma porta que nos conduz a um só caminho: a paixão pelo cinema.


Wellington Machado
Belo Horizonte, 27/3/2012


Quem leu este, também leu esse(s):
01. O que não fazer em época de crise de Fabio Gomes
02. Voto em qualquer um! de Marilia Mota Silva
03. Bataille, o escritor do exagero de Daniel Lopes
04. A Esfinge do Rock de Martim Vasques da Cunha


Mais Wellington Machado
Mais Acessadas de Wellington Machado em 2012
01. Hugo Cabret exuma Georges Méliès - 27/3/2012
02. De onde vem a carne que você come? - 15/5/2012
03. Daniel Piza: uma lanterna cultural - 24/1/2012
04. Memória externalizada - 3/7/2012
05. Pina, de Wim Wenders - 24/4/2012


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




Elementos do Judaísmo
Brian Lancaster
Ediouro
(1995)
R$ 10,00



Indagações Sobre uma Vida Melhor
Helder Câmara
Civilização Brasileira
(1986)
R$ 10,00



Tex N° 469 - a Volta do Soldado
Bonelli
Mythos
(2008)
R$ 10,00



Introdução à Gestão - Aprenda Em uma Semana Lembre por Toda Vida
Martin Manser
Saraiva
(2014)
R$ 10,00



Sou Campeão por Natureza
Daniel Godri Jr
Eko
(2006)
R$ 10,00



Recit D'Andrea - Extenuante e nua tentação
Jacques Perry
Brasiliense
(1985)
R$ 10,00



Éramos Seis
Maria José Dupré
Ática
(1995)
R$ 10,00



Horizonte Perdido Grandes Sucessos
James Hilton
Abril Cultural
R$ 10,00



Fisiologia Médica
William E. Ganong
Atheneu
(1978)
R$ 10,00



Enciclopédia do Estudante 10 - Física Pura e Aplicada
Alvaro Csapo Talavera
Moderna
(2008)
R$ 10,00





busca | avançada
70483 visitas/dia
2,4 milhões/mês