Pina, de Wim Wenders | Wellington Machado | Digestivo Cultural

busca | avançada
32166 visitas/dia
773 mil/mês
Mais Recentes
>>> Recordar é TV resgata conteúdo histórico sobre futebol em série temática
>>> Trilha de Letras estreia segunda temporada nesta terça (19) na TV Brasil
>>> Sessão da peça infantil
>>> Consulado Geral da Hungria promove na capital paulista:
>>> Monja Cohen, Rabino Schlesinger e Gilberto Dimenstein vão debater sobre a mentira como um obstáculo
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Um Furto
>>> Mais outro cais
>>> A falta que Tom Wolfe fará
>>> O massacre da primavera
>>> Reflexões sobre a Liga Hanseática e a integração
>>> A Fera na Selva, filme de Paulo Betti
>>> Raio-X do imperialismo
>>> Cães, a fúria da pintura de Egas Francisco
>>> O Vendedor de Passados
>>> A confissão de Lúcio: as noites cariocas de Rangel
Colunistas
Últimos Posts
>>> Eleições 2018 - Afif na JP
>>> Lançamentos em BH
>>> Lançamento paulistano do Álbum
>>> Pensar Edição, Fazer Livro 2
>>> Ana Elisa Ribeiro lança Álbum
>>> Arte da Palavra em Pernambuco
>>> Conceição Evaristo em BH
>>> Regina Dalcastagné em BH
>>> Leitores e cibercultura
>>> Sarau Libertário em BH
Últimos Posts
>>> O alívio das vias aéreas
>>> PRESSÁGIOS. E CHAVES II
>>> Honra ao mérito
>>> Em edição 'familiar', João Rock chega à 17ª edição
>>> PATÉTICA
>>> Presságios. E chaves III
>>> Minha história com Philip Roth
>>> Lars Von Trier não foi feito para Cannes
>>> O brasileiro e a controvérsia
>>> Greve de caminhoneiros e estupidez econômica
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Ivan Angelo e a experiência da reescrita
>>> Ivan Angelo e a experiência da reescrita
>>> Sexo e luxúria na antiguidade
>>> Sexo e luxúria na antiguidade
>>> Sexo e luxúria na antiguidade
>>> Conversas com Paul Rand, por Michael Kroeger
>>> A vitrola de Jaime Prado Gouvêa
>>> Público, massa e multidão
>>> Sobre o Ronaldo gordo
>>> Jackie O., editora
Mais Recentes
>>> Ana Elisa Egreja
>>> Suporte Nutricional Parental e Enteral
>>> Os Cem Melhores Contos Brasileiros do Século
>>> Ilíada: a guerra de Tróia
>>> Um Certo Capitão Rodrigo
>>> Sobrevivi para Contar
>>> O Vôo Do Hipopótamo - Coleção Descobrindo Clássicos
>>> Rio Antigo - confissões de um assassino na Belle Epoque
>>> Os Deuses do Olimpo
>>> Boni & Amaral: Guia dos Guias - Restaurantes 2014
>>> Amor de Capitu
>>> Muito Longe De Casa
>>> Da elite ao povo: Advento e ...
>>> Um Grito de Amor do Centro do Mundo
>>> Elementos de teoria geral do Estado
>>> Stupid White Men : Uma nação de idiotas
>>> Métodos de Laboratório
>>> Dom Quixote de La Mancha
>>> Essa Cara Não Me É Estranha e Outros Poemas
>>> Hiperatividade Eficaz - Uma Escolha Consciente
>>> Things Are What You Make of Them: Life Advice for Creatives
>>> O Caminho Sombrio das Drogas e a Libertação do Espírito
>>> Manuelzão e Miguilim
>>> Agora ou na Terra do Nunca
>>> Pérola No Parque
>>> Prazer de Viver
>>> Andante com Morte
>>> As outras faces do sagrado: protestantismo e cultura ...
>>> Abra Sua Mente, Abra Sua Vida
>>> Capitão Kidd
>>> Filho do Homem, põe-te em pé
>>> Herança de Sangue - Guerra das Rosas 3
>>> O Redemoinho da Imprensa
>>> Negociaçâo - Fortalecendo O Processo
>>> Negociação - Fortalecendo O Processo
>>> Você é um vencedor, acredite!
>>> Vestido de Noiva
>>> Viver A Vida
>>> Faça Sua Luz Brilhar
>>> Bartolomeu: A vida gloriosa e os feitos memoráveis...
>>> Paula
>>> El Cementerio de Praga
>>> Meu filho nasceu no além
>>> Minha Família, o Mundo e Eu
>>> O avatãra dourado
>>> Tudo que eu queria te dizer
>>> Uma Prova do Céu: A jornada de um neurocirurgião à vida após a ..
>>> Morreram E Voltaram Para Contar
>>> Obsessão - Assédio por Espíritos
>>> Harry Potter e o cálice de fogo
COLUNAS

Terça-feira, 24/4/2012
Pina, de Wim Wenders
Wellington Machado

+ de 3300 Acessos

Quem vê o diretor Wim Wenders, aos 67 anos, filmando em 3D o documentário Pina (sobre a coreógrafa alemã Pina Bausch), parece estar diante de um diretor de vinte e poucos anos, detentor dos mais intricados conhecimentos da tecnologia cinematográfica disponível no mercado. A opção pela filmagem em 3D é apropriada ao filme, pois dá ao espectador a dimensão dos cenários profundos utilizados nos balés da coreógrafa.

Pina Bausch morreu em 2009, aos 69 anos. Além de coreógrafa reconhecida mundialmente, atuou como atriz no filme Fale com ela, de Pedro Almodóvar. Seria leviano de minha parte analisar criticamente os aspectos estéticos de sua coreografia - há inúmeros especialistas capacitados para fazê-lo. Mas, valendo-me da "lente" de Wim Wenders, nota-se a grandiosidade, a imponência da expressão corporal de Bausch. Seu corpo esguio, magricelo, já enrugado no fim da vida, se assemelha a uma corda bamba que balança livremente no ar. Seus seios pequenos e murchos, invariavelmente expostos em várias cenas, afastam qualquer possibilidade de sensualização do corpo, abrindo espaço para a pura observação estética. O espectador mal percebe que Pina está nua: o foco recai exclusivamente nos movimentos, nos quais as expressões faciais da coreógrafa têm a mesma importância que os dedos da mão, os ombros, os pés.

A "parceria" Wenders-Bausch é bem-sucedida devido ao foco narrativo escolhido pelo diretor. Ao invés de inflar o documentário com imagens da coreógrafa, ou apelar para uma retrospectiva cronológica - opção confortável que só iria iconizar mais a bailarina - o diretor optou por uma abordagem inovadora: Wenders preferiu "esconder" a biografada. A história de Pina é narrada por seus alunos, provenientes de várias partes do mundo, cada um no seu idioma. Cada depoimento é ilustrado com movimentos de cada dançarino, como se Pina "possuísse espiritualmente" aquele corpo. Há pouquíssimas imagens da coreógrafa no filme. Ela está presente "nos" alunos, nos cenários de areia, nas cadeiras vazias e nos objetos cuidadosamente distribuídos no espaço em cena.

A opção de Wim Wenders por "esconder" a biografada é oposta à que foi feita em Buena Vista Social Club (1998), um dos melhores documentários da história do cinema. Se podemos dizer algo - além de inúmeras coisas - sobre o diretor, é que ele não se repete. Se em Pina a biografada é abordada "de fora para dentro" (dos alunos "corporais" para a coreógrafa), em Buena Vista... os holofotes são dispersos e individualmente direcionados a cada personagem. As histórias pessoais de cada um daqueles músicos, abandonados e carcomidos pelo tempo na memória dos cubanos (Wenders praticamente os ressuscitou), desembocam em exuberantes apresentações (em conjunto) nos palcos pelo mundo afora. Pina é côncavo; Buena Vista... é convexo.

Wim Wenders é um diretor diferenciado, diria ímpar, entre os diretores contemporâneos. Ele é tão bom diretor de ficção (Asas do Desejo; Paris, Texas; O amigo americano são apenas alguns exemplos) como documentarista - além de Pina e Buena Vista..., Wenders realizou Um filme para Nick (1979), um comovente documentário-homenagem sobre seu ídolo, o cineasta Nicholas Ray. Expoente da geração que ficou conhecida como Novo Cinema Alemão (juntamente com Fassbinder e Herzog), Wim Wenders foi o diretor que mais vivenciou, entendeu e absorveu o aparato tecnológico que seu tempo lhe proporcionou. O diretor nunca rejeitou (como fizeram vários cineastas românticos) os recursos tecnológicos disponíveis. Pelo contrário, utilizou-os como meio facilitador e de barateamento de custos em suas produções. Wim Wenders fez sua estreia com O medo do goleiro diante do pênalti (1971) em película, filmou em digital Buena vista..., e agora ousa filmar em 3D o documentário sobre Pina Bausch. Wenders é um diretor "de ligação": da película ao 3D.

Grande parte do mérito do diretor como um esteta da imagem se dá pelo fato de ele ser um ótimo fotógrafo - habilidade que o credencia a trabalhar com cores vibrantes, tons escuros e locações em lugares inóspitos. É preciso captar "o olhar" de Wim Wenders em seus filmes. As locações estáticas em Pina (desertos, topos de montanhas, cidades vazias etc.) funcionam como apoio e um contraponto ao movimento dos corpos nas cenas. Essa acuidade no trato visual é evidente também em Paris, Texas, Palermo Shooting (filme que nem entrou no circuito brasileiro) e nas cores marcantes de Buena Vista....

Pina marca o retorno de Wim Wenders à Alemanha, após uma temporada americana de altos e baixos. É certo que o cineasta fez filmes menores (não é todo dia que se filma um clássico), mas mesmo estes valem a atenção do cinéfilo (grande parte de sua filmografia foi lançada em DVD). O diretor não tem compromisso com o entretenimento. Seus personagens são emblemáticos. Em Paris, Texas, um homem "desmemoriado" caminha perdido no deserto como se quisesse fugir de uma rusga antiga com a esposa. Em Asas do desejo, Wenders cria um anjo (sem nenhuma conotação religiosa) que sobrevoa Berlin, acompanha o cotidiano das pessoas e se encanta com uma artista circense, tornando-se novamente "humano".

Assistir à Pina (principalmente em 3D) é, além de aprender sobre a coreógrafa, juntar teatro, cinema e dança em um só lugar. O documentário é uma porta de acesso à filmografia de Wenders, especialmente para os que ainda não o conhecem devidamente. Para o cinéfilo que acompanha a trajetória do diretor, Pina é mais um candidato a clássico em sua filmografia.


Wellington Machado
Belo Horizonte, 24/4/2012


Quem leu este, também leu esse(s):
01. Um Furto de Ricardo de Mattos
02. O pai da menina morta, romance de Tiago Ferro de Jardel Dias Cavalcanti
03. Sebastião Rodrigues Maia, ou Maia, Tim Maia de Renato Alessandro dos Santos
04. Minha plantinha de estimação de Elisa Andrade Buzzo
05. Precisamos falar sobre Kevin de Renato Alessandro dos Santos


Mais Wellington Machado
Mais Acessadas de Wellington Machado em 2012
01. Hugo Cabret exuma Georges Méliès - 27/3/2012
02. De onde vem a carne que você come? - 15/5/2012
03. Daniel Piza: uma lanterna cultural - 24/1/2012
04. Memória externalizada - 3/7/2012
05. Pina, de Wim Wenders - 24/4/2012


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




THE BIG RIVER - MODERN READERS STAGE 1
VERA ABI SABER
RICHMOND
(2004)
R$ 16,90



PAI RICO, PAI POBRE - ATUALIZADO
ROBERT KIYOSAKI
ALTA BOOKS
(2017)
R$ 71,90



UM RETRATO FATAL
ROSS MACDONALD
ABRIL CULTURAL
(1984)
R$ 8,00



ENTRE REAL E SURREAL: ANTOLOGIA DA LITERATURA BELGA DE LÍNGUA FRANCESA
MARC QUAGHEBEUR, ZILÁ BERND, LEONOR LOURENÇO DE ABREU, ROBERT PONGE
TOMO EDITORIAL
(2009)
R$ 47,00



PAIS COMPENTENTES, FILHOS BRILHANTES
CAIO FEIJÓ
NOVO SÉCULO
(2010)
R$ 20,00



A GÊNESE - FORMATO DE BOLSO
ALLAN KARDEC
IDE
(2004)
R$ 14,86



GEOMETRIA PLANA MATEMÁTICA COC
SISTEMA COC DE ENSINO
SISTEMA COC
R$ 4,90



A GREVE DO SEXO - LISÍSTRATA
ARISTÓFANES (TRADUÇÃO DE MILLÔR FERNANDES)
L&PM
(2003)
R$ 10,90



GÊNEROS RADIOFÔNICOS
ANDRÉ BARBOSA FILHO
PAULINAS
(2009)
R$ 10,00



MEFISTO - ROMANCE DE UMA CARREIRA
KLAUS MANN
ESTAÇÃO LIBERDADE
(2000)
R$ 9,00





busca | avançada
32166 visitas/dia
773 mil/mês