Daniel Piza: uma lanterna cultural | Wellington Machado | Digestivo Cultural

busca | avançada
28258 visitas/dia
890 mil/mês
Mais Recentes
>>> Palavraria Conversa e Versa
>>> Supercombo no Templo Music: Tour “Adeus, Aurora'
>>> Barracão Cultural estreia montagem de rua a partir de livro de Eva Furnari
>>> Marina Peralta lança novo EP, 'Leve'
>>> Dan Stulbach faz ensaio aberto de Morte Acidental de um Anarquista para alunos da Escola Wolf Maya
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> A Copa, o Mundo, é das mulheres
>>> O espelho quebrado da aurora, poemas de Tito Leite
>>> Carta ao(à) escritor(a) em sua primeira edição
>>> Paris branca de neve
>>> A cidade e o que se espera dela
>>> De pé no chão (1978): sambando com Beth Carvalho
>>> Numa casa na rua das Frigideiras
>>> Como medir a pretensão de um livro
>>> Nenhum Mistério, poemas de Paulo Henriques Britto
>>> Nos braços de Tião e de Helena
Colunistas
Últimos Posts
>>> Mirage, um livro gratuito
>>> Lançamento de livro
>>> Jornada Escrita por Mulheres
>>> Pensar Edição, Fazer Livro 3
>>> Juntos e Shallow Now
>>> Dicionário de Imprecisões
>>> Weezer & Tears for Fears
>>> Gryphus Editora
>>> Por que ler poesia?
>>> O Livro e o Mercado Editorial
Últimos Posts
>>> Efervescências
>>> Justoresoluto
>>> Em segundo plano
>>> A ver navios
>>> As esquinas dos amores
>>> Pelagem de flor I: VERMELHO
>>> Idade Mídia
>>> Quando a alma é visível
>>> A MECÂNICA CELESTE
>>> Diagnóstico falho
Blogueiros
Mais Recentes
>>> O assassinato de Herzog na arte
>>> Animismo
>>> Para tudo existe uma palavra
>>> Lendo Virgílio, ou: tentando ler os clássicos
>>> Entrevista com André Fonseca
>>> Google: utopia ou distopia?
>>> Como medir a pretensão de um livro
>>> A Casa do Saber no Rio de Janeiro
>>> Marcel Proust e o tempo reencontrado
>>> Pedro Paulo de Sena Madureira
Mais Recentes
>>> Saara de Suzane Worcman pela Relume Dumara (2000)
>>> A Antecipação da Tutela Ex Officio de Fernando Luís França pela Mandamentos/ Belo Horizonte (2003)
>>> Música e Literatura de Federico Sopena pela Nerman (1989)
>>> Paz e guerra entre as nações de Raymond Aron pela UnB (1979)
>>> Palavra de Advogado de José Anchieta da Silva/ Autografado pela Del Rey/ Belo Horizonte (2012)
>>> Dez Anos da Lei de Arbitragem: Aspectos Atuais e Perspectivas... de Ana Paula Rocha do Bomfim (e outro): Coord. pela Lumen Juris (2007)
>>> Responsabilidade e Eticidade de José Jairo Gomes pela Del Rey/ Belo Horizonte (2005)
>>> A Era da Globalismo de Octavio Ianni pela Civilização Brasileira (1996)
>>> História Sincera da República de Leôncio Basbaum pela Alfa-Omega (1985)
>>> Á Sombra de Hipocrates de Orlando de Albuquerque pela Appacdm (1995)
>>> Psicologia del Niño de Jean Piaget - Bärbel Inhelder pela Ediciones Morata, Madrid (1969)
>>> História da Literatura: Oriental, Grega, Latina... S/ Versificação de Marques da Cruz pela Comp. Melhoramentos de SP. (1933)
>>> Cenário Mundial - A Nova ordem Internacional de Cláudio Vicentino , Reinaldo Scalzaretto pela Scipione (1992)
>>> Sexualidade da Mulher Brasileira: Corpo e Classe Social no Brasil de Rose Marie Muraro (e Cola boradores) pela Vozes/ Petrópolis (1983)
>>> Desigualdade Reexaminada de Amartya Sen pela Record (2001)
>>> Eclipse de Lua um Dossiê Sobre a Menopausa de Alberto Goldin pela Relume (1994)
>>> Religião e Politização no Brasil ´A Igreja e o regime Autoritário de Thomas c. Bruneau pela Loyola (1979)
>>> Facts About Israel de Edited By Ellen Hirsch pela Israel Information Center (1996)
>>> Clássicos da Educação Brasileira- Volume 1 de Maria do Carmo Xavier: Organizadora pela Mazza/ Fapemig (2010)
>>> Marxismo Vivo - Revista N: 18 -Crise dos Alimentos -O Imperialismo e a fome -Campo Argentino , A rebelião dos ricos divide a esquerda de Revista Marxismo Vivo pela Marxismo Vivo (2008)
>>> Ritos de Passagem da Nossa Infância e Adolescência de Fanny Abramovich: Organização pela Summus Editorial (1985)
>>> Jakob: o Mentiroso de Jurek Becker pela Companhia das Letras/SP. (1987)
>>> Jakob: o Mentiroso de Jurek Becker pela Companhia das Letras/SP. (1987)
>>> Sociologia & Administração de Reinaldo Dias pela Alínea (2001)
>>> A Hora de Cinquenta Minutos: ... Contos Psicanalíticos Verídicos de Robert Lindner pela Imago (1972)
>>> Cousteau-Uma Biografia de Axel Madsen pela Campus (1989)
>>> Sexologia Forense de Orlando Soares pela Lfb (1996)
>>> Ética de Newton Bignotto e outros pela Companhia das Letras (1993)
>>> Nanook - Ele está chegando de Gustavo Bernardo pela Rocco (2016)
>>> Design e comunicação visual de Bruno Munari pela Martins Fontes (2006)
>>> Do Luxo ao Fardo de Pedro Salem pela Relume Dumara; (2004)
>>> Administração , Poder e Ideologia de Maurício Tragtenberg pela Unesp (2004)
>>> O caçador de pipas de Khaled Hosseini pela Nova fronteira (2005)
>>> Três Casos Policiais de Mário Livramento de Flávio Moreira da Costa pela Ediouro (2003)
>>> Grande Sertão - Veredas de João Guimarães Rosa pela Nova fronteira (2019)
>>> Memórias sentimentais de João Miramar de Oswalde de Andrade pela Globo (2006)
>>> Serafim Ponte Grande de Oswalde de Andrade pela Globo (2007)
>>> 10 Respostas Que Vão Mudar Sua Vida de Pe. Reginaldo Manzotti pela Ediouro (2010)
>>> Meu coração desnudado de Charles Baudelaire pela Autêntica (2019)
>>> Um artista da fome de Franz Kafka pela L&PM Editores (2009)
>>> Manuel Bandeira - Coleção melhores poemas de Francisco de Assis Barbosa, Manuel Bandeira pela Global (2007)
>>> Luna Clara & Apolo Onze de Adriana Falcão pela Salamandra (2002)
>>> A Casa Soturna de Charles Dickens pela Nova Fronteira (1986)
>>> Robinson Crusoé - Português/Inglês - Ilustrado de Daniel Defoe pela Ciranda (2017)
>>> Terrores da Noite - Quando a Noite Cai, os Morcegos Atacam de Martin Cruz Smith pela Record (1977)
>>> Códigos Eternos de Legrand pela Soler (2004)
>>> O Livro das Cortesães de Susan Griffin pela Susan Griffin (2003)
>>> O Mundo e Suas Maravilhas -A Aventura do Homem no Espaço e no Tempo de R. Argentiere pela Anchieta (1945)
>>> Escaldado em água fria de John Straley pela Globo (2002)
>>> O Oitavo Mandamento de Lawrence Sanders pela Nova Cultural (1989)
COLUNAS >>> Especial Daniel Piza (1970-2011)

Terça-feira, 24/1/2012
Daniel Piza: uma lanterna cultural
Wellington Machado

+ de 5200 Acessos

Tenho mania de mandar e-mail pra mim mesmo. Sempre quando leio algo interessante na internet, procuro o envelopinho em algum canto, clico lá e digito meu endereço. Geralmente guardo matérias contendo referências culturais para futuras pesquisas. É um método meio caótico, pois acabo ficando com um punhado de mensagens "dormentes" em minhas pastas. Uma das que "enviei-me" (que contorcionismo!) era uma matéria do Daniel Piza, na qual ele comentava os lançamentos culturais de 2011. Chamou-me a atenção o seu comentário sobre aquele que seria o livro do ano, na sua opinião: um livro de ensaios cujo título é A lebre com olhos de âmbar, de Edmund de Waal.

Causou-me estranheza essa indicação. Primeiro: onde teria o Daniel Piza "chafurdado" pra descobrir esse Edmund de Waal? Nunca ouvira falar do autor (já descontando as minhas inúmeras lacunas culturais). Segundo: esse "Waal" me remeteu ao livro do Daniel sobre o Paulo Francis. Fui conferir na capa, mas havia uma diferença: o nome do livro sobre o Francis é "Waaal" ― tem um "a" a mais. Terceiro: como é que o Daniel descobriu esse livro, posto que sua editora (Intrínseca) não tem tradição em publicar ensaios?

Por vários anos achei que o Daniel Piza blefava, que suas opiniões e polêmicas que criava eram puro marketing. Por um momento pensei que ele fosse apadrinhado na imprensa pelo Paulo Francis. Não conseguia conceber ― na verdade, aceitar ― um cara tão novo escrever sobre temas tão variados e complexos. Desconfiava de seu tom de voz macio, da sua calma ao falar e da sua polidez.

Algumas coisas eu também não perdoava nas colunas do Daniel Piza: política, futebol e novela. Ele saltava de uma análise de Dostoiévski para um comentário sobre o desfecho da novela das oito. E falar de política, futebol ― enfim, de temas voláteis e descartáveis ― não combinava com o Machado de Assis citado na coluna ao lado.

A política
A imprensa brasileira está dividida ideologicamente em guetos ― não sei se há essa mesma permeabilidade ideológica na imprensa de outros países. Um grupinho da ala liberal (rotulados "de direita") se aglomera em jornais, revistas, sites e ficam futricando o outro lado. O outro grupinho (o "de esquerda") se aloja em uma outra revista ou site, mais "vermelhos", e ficam devolvendo os torpedos pro lado de lá. Discordo que os conceitos de direita e esquerda tenham caído por terra ― ou perdido o sentido ― com a queda do Muro de Berlim. A cisão ainda vigora, e é nítida na nossa imprensa.

Os "direitistas", liberais, odeiam de antemão o próximo livro do Chico Buarque que está ainda no prelo. Coitado do Chico, é perseguido por ser simpatizante do PT, por ser filho do Sérgio Buarque (fundador do partido) e por ser irmão da ministra da cultura. Os liberais rejeitam tudo o que o Saramago (comunista declarado) escreveu ou qualquer obra de Niemeyer (o último dos comunistas?).

Os "de esquerda" arrepiam só de ouvir o nome do Paulo Francis ou do Roberto Campos ― economista ultraliberal, que foi ministro no regime militar. Os esquerdistas abominam qualquer linha escrita pelo Diogo Mainardi. O Daniel Piza acabava sendo incluído nessa "tribo liberal", mas em menor grau, creio.

Acho que o Daniel cometia um grande erro em dar importância à política. Talvez seja essa a maior influência que o Francis exerceu sobre ele. As opiniões políticas em sua coluna eram, inevitavelmente, pontuais e datadas. Numa antologia do seu trabalho não entraria um texto político sequer.

Mas o Daniel era muito menos afetado do que seus colegas "de tribo". Em grau bem inferior, suas opções ideológicas, rotuladas de liberais, influenciavam sua análise cultural. A separação do valor estético do ideológico era nítida em seus escritos. Lembro bem de seu texto totalmente elogioso ao Saramago, quando o escritor morreu.

A paixão pela arte
Tenho uma coleção até razoável da revista Bravo! ― a maior parte de seus tempos áureos. A morte do Daniel me fez percorrer a coleção em busca de seus textos. Fiquei perplexo com a variedade dos temas culturais dos quais tratou: arquitetura, literatura, artes plásticas, música e cinema. A maioria dos textos não eram resenhas, mas críticas bem fundamentadas, com citações históricas, comparações de estilo ou escolas artísticas.

Mas o que mais me chamou a atenção foi um texto publicado na revista em 1º de abril de 2004, intitulado "Afeto e liberdade", no qual o Daniel fez uma verdadeira ode ao livro e à literatura, demonstrando com fatos o papel de cada um no desenvolvimento de uma nação e no processo civilizatório (em se tratando de convivência entre pessoas). São raros os escritores, ensaístas ou críticos que deixam de lado, por um momento, a sua matéria-prima, seu objeto de análise (no caso, os livros) para se dedicarem à exaltação da arte ― que é o que interessa, em última análise.

A atitude do Daniel ao escrever o "Afeto e liberdade" é semelhante a do escritor Ohran Pamuk nos ensaios do livro Outras Cores (sobre o qual já escrevi aqui), nos quais ele fala das suas experiências sublimes, únicas, proporcionadas somente pela literatura. Ele cita o impacto da leitura de Os irmãos Karamazov, do aprendizado com as leituras de Virgínia Woolf, Faulkner, Proust e Nabokov. Daniel Piza e Pamuk se juntam a Mario Vargas Llosa, em sua exuberante declaração de amor ao livro, exposta em um ensaio na revista Piauí, onde ele defende com unhas e dentes o objeto livro, ante a sua ameaça de extinção com os novos aparatos digitais.

A fortuna crítica
O Daniel Piza não dava muita bola para seus críticos. Eu era um deles ― menos estridente, mas bem cético. De tanto ignorar a ladainha contrária, o Daniel foi me esvaziando, deixando-me sem argumentos ou falando sozinho. Notei que o jornalista, com seus textos, provocava em mim uma certa "irritação atrativa": toda semana eu o lia pra ter algo com o que implicar. E nessas leituras ele acabou me "pondo nas mãos" o álbum Frank Sinatra sings the select Cole Porter, que nunca mais larguei.

Já com minha implicância mitigada, conheci, através do Daniel, os ensaios de George Orwell, os perfis de David Remnick, e autores como H.L. Mencken, Claudio Magris, Edmund Wilson, Edward Said, Ricardo Piglia, Roberto Bolaño e mais uma centena deles que não cabe aqui citar. Daniel Piza foi voz única na crítica cultural brasileira a apostar cem por cento em Milton Hatoum. Depois que li o Dois irmãos, pude comprovar realmente a qualidade do escritor.

Ler a coluna do Daniel (gostasse ou não de sua pessoa) era uma das formas ― talvez a melhor delas ― de ficar por dentro do que estava sendo lançado em cultura ― no Brasil e no mundo. O Daniel aparentava ser pedante ― essa era a imagem que ele inadvertidamente passava aos seus leitores. Pelo que se pode ler agora dos que conviveram com ele, comprova-se que o jornalista era cordial e atencioso.

Eu tinha um roteiro pra ler as colunas do Daniel: passava pela parte cultural, pulava todas as notas políticas e lia suas opiniões sobre cinema (e discordava da maioria destas). Eram leituras até rápidas, mas raramente eu saía delas sem anotar alguma referência, uma indicação de leitura, um artista plástico. Após muitos anos de desconfiança, os acertos do Daniel fizeram a minha "teoria do blefe" cair por terra. Reconheço que não tinha eliminado completamente aquela "irritação atrativa" pelos seus textos. Mas eu lia o Daniel toda semana. E para um jornalista e escritor, não há homenagem melhor.


Wellington Machado
Belo Horizonte, 24/1/2012


Quem leu este, também leu esse(s):
01. A Copa, o Mundo, é das mulheres de Luís Fernando Amâncio
02. K 466 de Renato Alessandro dos Santos
03. Minimundos, exposição de Ronald Polito de Jardel Dias Cavalcanti
04. Cidadão Samba: Sílvio Pereira da Silva de Renato Alessandro dos Santos
05. Entrevista com a tradutora Denise Bottmann de Jardel Dias Cavalcanti


Mais Wellington Machado
Mais Acessadas de Wellington Machado em 2012
01. Hugo Cabret exuma Georges Méliès - 27/3/2012
02. De onde vem a carne que você come? - 15/5/2012
03. Daniel Piza: uma lanterna cultural - 24/1/2012
04. Memória externalizada - 3/7/2012
05. Pina, de Wim Wenders - 24/4/2012


Mais Especial Daniel Piza (1970-2011)
* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




IN MEMORIAM DE DELFIM GUIMARÃES 1872 - 1933
GALINO MARQUES
GUIMARÃES
(1934)
R$ 50,00



PORTUGUÊS. CONTEXTO, INTERLOCUÇÃO E SENTIDO. 2º ANO
OUTROS; MARIA LUIZA M. ABAURRE
MODERNA
(2008)
R$ 50,00



SERPENTES DO CERRADO - GUIA ILUSTRADO
OTAVIO A. V. MARQUES
HOLOS
(2015)
R$ 55,06



O MUSEU DO SENHOR ASDRÚBAL
MARIA PRADO SARTORELLI
FTD
(1999)
R$ 12,00



MINHA PRISÃO SEM GRADES (5866)
WILLIAM CÉSAR ALVES MACHADO
KELPS
(1999)
R$ 46,00



A GRANDE BARREIRA DE RECIFES
GRAIG MCGREGOR
CIDADE CULTURAL
(1983)
R$ 15,00



REVISTA ÁLVARES PENTEADO - VOL. 3 - Nº 7-DEZEMBRO - NOVA
AUTOR FECAP
FECAP
(2001)
R$ 10,00



LONGA JORNADA NOITE ADENTRO
EUGENE O , NEILL
PEIXOTO
(2018)
R$ 25,00



GRANDES SUCESSOS SÉRIE OURO - O SEQUESTRO DO METRÔ
JOHN GODEY
CÍRCULO DO LIVRO
(1984)
R$ 7,00



BOSQUE ENCANTADO - PARA COLORIR, ESTIMULAR A IMAGINAÇÃO E RELAXAR
VÁRIOS
EDIOURO
(2015)
R$ 9,90





busca | avançada
28258 visitas/dia
890 mil/mês