Batman: O Cavaleiro das Trevas Ressurge | Duanne Ribeiro | Digestivo Cultural

busca | avançada
54626 visitas/dia
1,3 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Banda GELPI, vencedora do concurso EDP LIVE BANDS BRASIL, lança seu primeiro álbum com a Sony
>>> Celso Sabadin e Francisco Ucha lançam livro sobre a vida de Moracy do Val amanhã na Livraria da Vila
>>> No Dia dos Pais, boa comida, lugar bacana e MPB requintada são as opções para acertar no presente
>>> Livro destaca a utilização da robótica nas salas de aula
>>> São Paulo recebe o lançamento do livro Bluebell
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Rinoceronte, poemas em prosa de Ronald Polito
>>> A forca de cascavel — Angústia (FUVEST 2020)
>>> O reinado estético: Luís XV e Madame de Pompadour
>>> 7 de Setembro
>>> Outros cantos, de Maria Valéria Rezende
>>> Notas confessionais de um angustiado (VII)
>>> Eu não entendo nada de alta gastronomia - Parte 1
>>> Treliças bem trançadas
>>> Meu Telefunken
>>> Dor e Glória, de Pedro Almodóvar
Colunistas
Últimos Posts
>>> Diogo Salles no podcast Guide
>>> Uma História do Mercado Livre
>>> Washington Olivetto no Day1
>>> Robinson Shiba do China in Box
>>> Karnal, Cortella e Pondé
>>> Canal Livre com FHC
>>> A história de cada livro
>>> Guia Crowdfunding de Livros
>>> Crise da Democracia
>>> Banco Inter É uma BOLHA???
Últimos Posts
>>> Uma crônica de Cinema
>>> Visitação ao desenho de Jair Glass
>>> Desiguais
>>> Quanto às perdas I
>>> A caminho, caminhemos nós
>>> MEMÓRIA
>>> Inesquecíveis cinco dias de Julho
>>> Primavera
>>> Quando a Juventude Te Ferra Economicamente
>>> Bens de consumo
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Someone On Your Side
>>> No cotidiano de alguém
>>> A batalha perdida do pastor
>>> Um governo que nasceu morto
>>> Wikia Search
>>> A difícil arte de viver em sociedade
>>> Ações culturais
>>> A história do amor
>>> Além do Mais
>>> Derrotado
Mais Recentes
>>> O filósofo e sua história de Michael B. Wringley (org.) pela Fapesp (2003)
>>> Cadernos de Tradução de Núcleo de Tradução pela Universidade Federal de Santa Catarina (1999)
>>> Afro Ásia 41 de Centro de Estudos Afro Orientais pela Universiadade Federal da Bahia (2011)
>>> A democracia ameaçada: o MST, o teológico político e a liberdade de Denis Lerrer Rosenfield pela Top books (2006)
>>> Onde existe amor, Deus aí está de Tolstói pela Versus (2001)
>>> Unidos pelo casamento de Rinaldo Seixas pela Mundo Cristão (2014)
>>> Sempre, às vezes, nunca de Fábio Arruda pela Arx (2003)
>>> Educação Geográfica em movimento de Larissa Corrêa Firmino (org.) pela Fapesc (2010)
>>> Sobre moeda, método e Keynes de Victoria Chick pela Unicamp (2010)
>>> Política & Sociedade - Revista de Sociologia Política Nº 04 de Ufsc pela Cidade Futura (2004)
>>> Política & Sociedade - Revista de Sociologia Política Nº 04 de Ufsc pela Cidade Futura (2004)
>>> A Trama da Privatização - a Reestruturação Neoliberal do Estado de Waldir J. Rampinelli pela Insular (2001)
>>> A Trama da Privatização - a Reestruturação Neoliberal do Estado de Waldir J. Rampinelli pela Insular (2001)
>>> Política & Sociedade - Revista de Sociologia Política Nº 12 de Ufsc pela Cidade Futura (2008)
>>> O Bom Ladrão de Hannah Tinti pela Rocco (2011)
>>> Política & Sociedade - Revista de Sociologia Política Nº 03 de Ufsc pela Cidade Futura (2003)
>>> Um Grapiúna Em Frankfurt de Cyro de Mattos pela Dobra (2019)
>>> Biblioteca Universitária da Ufsc: Memória Oral e Documental de Ieda Maria de Souza / Joseane Chagas e Outros pela Ufsc (2002)
>>> Grávida Com Estilo: um Manual Como Se Vestir - de Christiana Francini pela Alegro (2004)
>>> Arte Contemporânea Em Santa Catarina de João Evangelista de Andrade Fo - Organizador pela Museu de Arte de Santa Catarin (2001)
>>> O Peru Indutivista Temas de Filosofia de Marconi Oliveira da Silva pela Ufpe (2014)
>>> Terceiro Setor: um Estudo Comparado Entre Brasil e Eua de Simone de Castro Tavares Coelho pela Senac (2002)
>>> Celso Ramos - um Perfil Político de Carlos Alberto S. Lenzi pela Terceiro Milênio (1997)
>>> Celso Ramos - um Perfil Político de Carlos Alberto S. Lenzi pela Terceiro Milênio (1997)
>>> Celso Ramos - um Perfil Político de Carlos Alberto S. Lenzi pela Terceiro Milênio (1997)
>>> Dores Ocultas de Juliana Bueno pela Outras Linhas (2012)
>>> Silêncios de Paz e Guerra de Conrrado Balduccini pela Autor (2013)
>>> A Prática da Conversão Pastoral de Heije Faber e Ebel Van Der Schoot pela Sinodal (1973)
>>> Aprendendo a terapia cognitivo-comportamental - um guia ilustrado de Jesse H, Wright, Monica R. Basco, Michael E. Thase pela Artmed (2008)
>>> Crítica da Razão Existencial de João Arthur Fortunato pela Autor (1998)
>>> Liderança e Dinâmica de Grupo de George M. Beal e Outros pela Zahar (1972)
>>> Instituições do Processo Civil - Volumes I -ll - Ill de Francesco Carnelutti pela Classic Book (2000)
>>> Perícia Judicial para Fisioterapeutas de José Ronaldo Veronesi Junior pela Andreoli (2013)
>>> A Cruz e o Punhal de David Wilkerson/ John e Elizabeth Sherrill pela Betânia (1983)
>>> Só para Mulheres de Sonia Hirsch pela Correcotia (2000)
>>> Papai é Pop de Marcos Piangers pela Belas Letras (2015)
>>> Catecismo da Igreja Católica Edição Típica Vaticana de Edições Loyola Jesuítas pela Edições Loyola Jesuítas (2000)
>>> Catecismo da Igreja Católica Edição Revisada de Acordo Com o Texto... de Loyola pela Loyola (1999)
>>> Cem Anos de Solidão de Gabriel Gárcia Marquez pela : Record
>>> Biologia do Desenvolvimento de Scott F. Gilbert pela Sociedade Brasileira de Genéti (1994)
>>> Energia, Ambiente & Mídia - Qual é a Questão de Vânia Mattozo pela Ufsc (2005)
>>> Montando Estórias de Milton Neves pela Ibrasa (1996)
>>> Terra á Vista... e ao Longe de Maria Ignez Silveira Paulilo pela Daufsc (1998)
>>> Conhecendo Sua Coluna - Informações Científicas para o Leigo de Dr. Fernando Schmidt e Dr. Ernani Abreu (org.) pela Conceito (2004)
>>> Modernidade Com Ética de Cristovam Buarque pela Revan (1998)
>>> Metodologia do Ensino de Artes - Filosofia da Arte de Engelmann Ademir Antonio pela Ibpex (2010)
>>> Vocabulário do Charadista - Volume 1 de Sylvio Alves pela Livraria Acadêmica
>>> Dissolução do Casamento de Valdemar P. da Luz pela Conceito (2007)
>>> Filosofia da Arte de Engelmann Ademir Antonio pela Ibpex (2008)
>>> Guia Gladiadores 01 de Claudio Blanc (Editorial) pela On Line
COLUNAS

Terça-feira, 14/8/2012
Batman: O Cavaleiro das Trevas Ressurge
Duanne Ribeiro

+ de 5400 Acessos

Christopher Nolan conclui sua trilogia. Se Batman Begins foi bom e Batman: O Cavaleiro das Trevas ótimo, Batman: O Cavaleiro das Trevas Ressurge fica entre os dois. É um filme diferente, com menos enfoque em cenas de ação e mais em desenvolvimento psicológico do protagonista. O filme se passa oito anos após o término do precedente, com Bruce Wayne "aposentado" da atuação como Batman, e seu alter-ego é visto como criminoso pela polícia local. A cidade, antes violentíssima, está praticamente pacificada, e um vingador não parece ser necessário. Surge no entanto uma nova ameaça - Bane, líder de uma espécie de exército-seita - e ele se sente impelido a voltar à ativa. A obra se inspira vagamente em duas séries clássicas das histórias em quadrinhos do herói: Queda do Morcego e Terra de Ninguém.

A obra tem qualidades. A preocupação de Nolan com o realismo é a maior delas: além do lado subjetivo do Batman, percorremos os problemas corporais que causam sua vida de vingador, e as exigências de exercício constante. Os outros personagens também têm caracterizações sempre próximas do plausível. Bane é forte como personagem pela união da falta de expressão facial (pela máscara) com um pensamento aparentemente calculista, planejado, e a presença física intimidadora. A Mulher Gato nunca se chama assim, e só delicadamente dá a impressão de orelhinhas de felina, por causa dos óculos especiais: não é mais uma "fantasiada", assim como outro personagem que surge pela primeira vez na nova série também não é. Há também problemas: lacunas de verossimilhança e ingenuidade do enredo (um exemplo está na batalha final Batman/Bane) e, principalmente, um teor ideológico intenso, que prejudicou sobremaneira meu envolvimento com a narrativa.

Essa ideologia será criticada abaixo - não por suas teses, mas pelo modo insidioso com que é introduzida: ela faz o filme funcionar como uma longa "falácia do espantalho", distorcendo a posição de seus oponentes até o ponto em que sejam simples de negar. É nela que quero me focar. Este artigo acaba sendo um texto mais direcionado para quem assistiu o filme - tudo que segue contém spoilers - portanto convido o leitor a retornar com a obra vista. No entanto, ele é legível como debate de ideias, para quem não pretende ver este Batman: o que trago, em suma, é uma leitura cultural-política de "terrorismo", "revolução" e "liberalismo".

Não pretendo justificar a necessidade dessa crítica à ideologia no corpo da coluna; se o leitor quiser impugnar a utilidade ou plausibilidade de um debate assim a respeito de uma história de um homem vestido de morcego, podemos discutir nos comentários.

Bane é os 99%
"Alguns homens só querem ver o mundo queimar". Comentei com um amigo essa frase do segundo filme da trilogia, fascinante pelo seu elogio à desordem (visível, por exemplo, nos posts que inspirou, como esse). Esse meu amigo retrucou com algo perspicaz: a tese, vinda da boca do mordomo inglês Alfred, é sintomática do pensamento do colonialismo britânico de tempos passados (no diálogo, o mordomo cita a incursão em Burma, atual Myanmar) e pinta o "terrorismo" como uma atitude destacada da razão; não há que compreendê-lo, basta combatê-lo (para um contraponto, leia a resenha de Virtude e Terror, antologia de Slavoj Zizek, por Vladimir Safatle). O Cavaleiro das Trevas Ressurge é construído sobre esse tipo de visão enviesada e/ou redutora de temas sociais, e é isso o que pretendemos demonstrar.

No país que assistiu em 2011 a expansão do movimento Occupy e do slogan "Nós somos os 99%" desde Wall Street para cerca de 600 comunidades norteamericanas e 95 cidades de 82 países, Nolan lança uma caricatura da crítica à riqueza e do status quo. A Mulher Gato diz: "Há uma tempestade chegando, senhor Wayne. Você e seus amigos vão se perguntar como puderam viver com tanto e deixar tão pouco para o resto de nós". É quase uma paráfrase do slogan mencionado, com o acréscimo da "tempestade", que remete a Bob Dylan em A Hard Rain's Gonna Fall, também de uma época de mudanças sociais. Há, assim, ao menos dois caminhos para que o público caracterize essa posição como típica de algo conhecido, e para ver tal posição derrogada: a chuva pesada que cairá será, enfim, o ataque de Bane que é descrito logo abaixo, e a Mulher Gato, como se pode prever, se arrependerá.

Há também o escárnio sobre a bolsa de valores: quando Bane a invade, alguém diz que não tem dinheiro ali; ele responde: "Sério? E o que vocês todos fazem aqui?". A ironia indica o despeito social possivelmente descrito por sim, é claro que há dinheiro, velhos vencedores e uma filiação tremenda com o poder. Bane por um instante é esse ressentimento. E também para que vejamos, de duas formas diferentes, que esse ressentimento é inapropriado.

Liberalista, Conservador, Apolítico
A primeira é a visão liberalista de mundo implicada. Em dado momento, Bruce Wayne - o Batman - pergunta ao funcionário que gere sua empresa porque pararam de financiar um orfanato. A resposta é que sem lucro essa ajuda não é possível. A melhora social se vincula aqui diretamente com o crescimento da iniciativa privada, sob a qual recai o financiamento destinado a menores carentes. Repare na ausência do Estado, que outrossim é sempre posto como poder corrupto ou ineficiente, seja Legislativo ou Executivo (um exemplo: o prefeito, diz-se, demitiria em breve o Comissário Gordon, ao fim do filme um herói) - é a indústria e seu modelo administrativo o ideal (a Corporação Wayne é quem desenvolve uma fonte de energia limpa superior a qualquer outra, além de um arsenal poderoso; mas com a sensatez de aguardar pelas "mãos certas" para entregar o material). O enredo comporta de certa forma até o mito do self-made man: Miranda Tate conta como nasceu pobre e se alegrava com uma fogueira, e agora é bilionária.

A segunda é a ideia conservadora de "revolução". Após explodir vários pontos de Gotham, dentro de um estádio arrasado, Bane discursa à massa: "Não viemos como conquistadores, mas como libertadores, para retornar o controle dessa cidade a seu povo". Na sequência, ele liberta prisioneiros de uma cadeia citada no início como destino de milhares de membros do crime organizado, chamando-os "oprimidos". O vilão se arroga uma revolução em nome da liberdade, do povo, dos oprimidos. São palavras, no filme, sem conteúdo, como se fossem só o negativo de qualquer coisa instituída antes. São ademais termos carregados e apontam para correntes ideológicas, em geral a esquerda, em específico o comunismo. Um exemplo dessa última ideia ocorre quando uma amiga da Mulher Gato lhe diz que tal residência é agora casa de todos - "de forma perfeitamente comunista", descreve o crítico Christian Toto. Ainda mais: o país de origem do cientista que altera um reator em arma nuclear para Bane é a Rússia - vilã típica em filmes hollywoodianos, por motivos simples de aferir.

A revolução de Bane é sobretudo vazia em forma e fato. Em primeiro lugar, o espectador não pode crer nela nem por um instante: sabemos que a bomba nuclear com que Bane ameaça a todos e impede que saiam da cidade explodirá de qualquer forma. Além disso, ele se mantém poderoso após a intervenção (o conquistador que negou ser). Por fim, não há, ecoando o Alfred colonialista, sentido ou objetivo: o que ele instaura é só barbárie. Assim como vê Hobbes, encerrado o Estado só há guerra de todos contra todos: o filme nos mostra os indivíduos sem capacidade de organização ou agência, entregues às gangues; a única instituição de pé é uma paródia do Judiciário. Apolítica, a revolução de Bane é um elogio ao status quo anterior, a opção mais sólida frente a mudanças que são irracionais ataques à democracia. Juntando as duas ideias apresentadas, temos uma proposta social clara, coroada pela defesa da coerção além da lei, para manter a lei: "Às vezes, as regras se tornam grilhões", diz Gordon...

Conforme diz Mark Fisher, no Guardian: "O Cavaleiro das Trevas Ressurge desenha linhas nítidas: comentários anticapitalistas são aceitáveis, mas qualquer ação direta contra os ricos ou lances revolucionários pela redistribuição da propriedade levam ao pesadelo distópico. (...) O filme pelo menos expôs a duplicidade e a violência necessárias para preservar as ficções em que os conservadores querem que acreditemos - mas demonizou a ação coletiva contra o capital, ao passo em que nos pede para ter esperança e fé em um rico purificado". Prefiro não me colocar, pelo menos nesta coluna, contra capitalistas ou conservadores, tampouco defender ou atacar o liberalismo ou o movimento Occupy. Meu foco é o esquema falacioso da produção de Nolan, e o empobrecimento de debate que pode causar, no que se refere a recobrir as ideias do adversário com distorções que impedem a sua compreensão.


Duanne Ribeiro
São Paulo, 14/8/2012


Quem leu este, também leu esse(s):
01. 2 leituras despretensiosas de 2 livros possíveis de Ana Elisa Ribeiro
02. As Lavadeiras, duas pinturas de Elias Layon de Jardel Dias Cavalcanti
03. O papel aceita tudo de Jardel Dias Cavalcanti
04. A confissão de Lúcio: as noites cariocas de Rangel de Renato Alessandro dos Santos
05. Sebastião Rodrigues Maia, ou Maia, Tim Maia de Renato Alessandro dos Santos


Mais Duanne Ribeiro
Mais Acessadas de Duanne Ribeiro em 2012
01. Diário de Rato, Chocolate em Pó e Cal Virgem - 2/10/2012
02. Corpo é matéria, corpo é sociedade, corpo é ideia - 4/9/2012
03. Batman: O Cavaleiro das Trevas Ressurge - 14/8/2012
04. Èpa Bàbá Oxalá! na Nota de Real - 3/4/2012
05. Cinco Sugestões a Autores de Ficção Científica - 7/2/2012


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




PASSAGEM PARA RAVENA
JOSE RICARDO MOREIRA
FORMATO
(2004)
R$ 12,00



INFORMÁTICA CESPE UNB
MANUEL MARTINS FILHO
CESPE
(2009)
R$ 23,00



POESIA & UTOPIA
MOISÉS, CARLOS FELIPE
ESCRITURAS
R$ 9,90



CASAS MINIMALISTAS (EDIÇÃO TRILÍNGUE: PORTUGUÊS, ESPANHOL E ITALIANO)
SIMONE SCHLEIFER
EVERGREEN
(2006)
R$ 130,00



FLASH 8 - GUIA AUTORIZADO MACROMEDIA
JAMES ENGLISH
CAMPUS
(2006)
R$ 18,00



CRIMES DE SONEGAÇÃO FISCAL
CLÁUDIO COSTA
REVAN
(2003)
R$ 18,00



SEU PASSAPORTE PARA O SUCESSO
F. ARTHUR CLARK
RECORD
(1984)
R$ 19,90
+ frete grátis



POR QUÊ ADOECEMOS - PRINCÍPIOS PARA A MEDICINA DA ALMA
VÁRIOS AUTORES
AME
(2012)
R$ 50,00



BRASIL ANO 2000 O FUTURO SEM FANTASIA
JOSÉ ITAMAR DE FREITAS
ED. MONTERREY
(1969)
R$ 4,90



TANTOS ANOS
RACHEL DE QUEIROZ / MARIA LUÍZA DE QUEIROZ
INTRÍNSECA
(1998)
R$ 10,00





busca | avançada
54626 visitas/dia
1,3 milhão/mês