O fim do (meu) automóvel | Marta Barcellos | Digestivo Cultural

busca | avançada
85941 visitas/dia
2,2 milhões/mês
Mais Recentes
>>> Historiador mapeia o apoio financeiro norte-americano a governadores pré-golpe de 1964
>>> Oficina: Revisão de literatura traduzida Inglês/Português (EaD)
>>> DIA 5 DE OUTUBRO – BJÖRK DIGITAL ONLINE!
>>> Próxima Live do Grupontapé será realizada com o ator e diretor teatral do Grupo Galpão de Belo Horiz
>>> Contos do Índio e da Floresta estreia dias 03 e 04 de outubro na Sympla Streaming
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Partilha do Enigma: poesia de Rodrigo Garcia Lopes
>>> Meu malvado favorito
>>> A pintura do caos, de Kate Manhães
>>> Nem morta!
>>> O pai tá on: um ano de paternidade
>>> Prêmio Nobel de Literatura para um brasileiro - I
>>> Contentamento descontente: Niketche e poligamia
>>> Cinemateca, Cinemateca Brasileira nossa
>>> A desgraça de ser escritor
>>> Um nu “escandaloso” de Eduardo Sívori
Colunistas
Últimos Posts
>>> A última performance gravada de Jimmi Hendrix
>>> Sebo de Livros do Seu Odilon
>>> Sucharita Kodali no Fórum 2020
>>> Leitura e livros em pauta
>>> Soul Bossa Nova
>>> Andreessen Horowitz e o futuro dos Marketplaces
>>> Clair de lune, de Debussy, por Lang Lang
>>> Reid Hoffman sobre Marketplaces
>>> Frederico Trajano sobre a retomada
>>> Stock Pickers ao vivo na Expert 2020
Últimos Posts
>>> Assim ainda caminha a humanidade
>>> Três tempos
>>> Matéria subtil
>>> Poder & Tensão
>>> Deu branco
>>> Entre o corpo e a alma
>>> Amuleto
>>> Caracóis me mordam
>>> Nome borrado
>>> De Corpo e alma
Blogueiros
Mais Recentes
>>> 7 de Setembro
>>> Vicky Cristina Barcelona
>>> Washington Olivetto no Day1
>>> É Julio mesmo, sem acento
>>> Dogville e a poesia
>>> Barba e bigode
>>> O tremor na poesia, Fábio Weintraub
>>> O Livro dos Insultos, de H.L. Mencken
>>> Jonny Quest
>>> Em defesa da Crítica
Mais Recentes
>>> História Geral Da Arte No Brasil - 2 Volumes de Walter Zanini pela Instituto Walther Moreira Sales (1983)
>>> Plotinus Ennead VI de Plotinus; A.H.Armstrong pela Loeb (1988)
>>> Messiânicos & bandoleiros: Identidade, memória e apropriação da terra em um grupo remanescente do Contestado de Pedro Martins pela Brazil Publishing (2020)
>>> Pensar e construir: Experiência e vivências de Damião Conceição de Souza Borges e Sandra Célia Coelho Gomes da Silva pela Brazil Publishing (2020)
>>> Reflexões literárias sobre a mulher, o mito, o herói, a história e a sociedade de Regina Helena Urias Cabreira pela Brazil Publishing (2020)
>>> Ensino de Biociências, Meio Ambiente e Saúde de Francisco José Figueiredo Coelho e Rosane Moreira Silva de Meirelles pela Brazil Publishing (2020)
>>> Da eternidade até aqui de Frank viola pela Palavra (2011)
>>> Coleção Educação Infantil Educativa de Vários pela Minuano Cultural (2020)
>>> Pessoa por Conhecer Textos para um Novo Mapa II de Teresa Rita Lopes pela Estampa (1990)
>>> Cadernos de Tradução nº II de Mauri Furlam org, pela UFSC (1996)
>>> Três Ensaios sobre Machado de Assis de Alceu Amoroso Lima pela Paulo Bluhm (1941)
>>> O Diabo na Livraria do Cônego de Eduardo Feieiro pela Itatiaia (1992)
>>> Eu de Augusto dos Anjos pela São José (1965)
>>> A Invenção De Hugo Cabret de Brian Selznick pela SM
>>> Manual Prático do Jurado de Sérgio Couto pela CEJUP (1988)
>>> Aura Negra - Academia de vampiros de Richelle Mead pela Nova Fronteira (2010)
>>> Encontro Marcado com Luís Fernando Veríssimo de Araken Távora pela Contexto (1988)
>>> A Literatura Portuguesa de Massaud Moisés pela Cultrix (1965)
>>> Escatologia Cristã de João B. Líbano e Maria Clara L. Bingemer pela Vozes (1985)
>>> Tocada Pelas Sombra - Academia De Vampiros - Livro 3 de Richelle Mead pela Nova Fronteira (2010)
>>> Desenho para o Curso Colegial de Sennem Bandeira pela Aurora (1957)
>>> Manuel Bandeira Visão Geral de sua Obra de Giovvani Ponteiro pela José Olympio (1986)
>>> A monstruosidade de Cristo de Slavoj Žižek e Jhon Milbank pela Tres Estrelas (2014)
>>> Terpsícore de Machado De Assis pela Boitempo (1996)
>>> O Discurso no Júri: Aspectos Linguísticos e Retóricos de Valda Oliveira Fagundes pela Cortez (1987)
>>> Direito Penal Ecológico de Paulo José Da Costa e Giorgio Gregori pela Cetesb (1981)
>>> Aspectos Jurídicos, Direito Autoral, Fotografia , Imagem. de Paulo Oliver pela Letras e Letras (1991)
>>> James Amado Org. de Gregório De Matos Obra poética Vol.2 pela Record (1990)
>>> O Ato Sexual Normal e Psicopatologia Sexual de Hélène Michel- Wolfromm e outros pela Mestre Jou
>>> História Da Riqueza Do Homem de Guanabara pela Record
>>> Comicidade e Riso de Vladímir Propp pela Ática (1992)
>>> Yoga para Nervosos - aprenda a administrar se estresse de Jose Hermogenes pela Best Seller
>>> Homo Deus de HARARI, YUVAL NOAH pela Companhia Das Letras
>>> Gustavo De Castro de Italo Calvino, Pequena Cosmovisão do homem pela Unb (2007)
>>> O arroz de Palma de Francisco Azevedo pela Record
>>> Natal A Humanidade e a Jovialidade De Nosso Deus de Leonardo Boff pela Vozes (1976)
>>> Gnomos - Gnomos da Floresta de Rien Poortvliet pela Edições Siciliano (1987)
>>> Gustavo De Castro de Italo Calvino, Pequena Cosmovisão do homem pela Unb (2007)
>>> Pippi Meialonga de Astrid Lindgren pela Cia das letrinhas
>>> Temas De Reuniões Para Movimento De jovens Pastoral de juventude de Helio Soares Do Amaral pela Vozes (1972)
>>> O Povo De Deus Assume A Caminhada de Org. D. Adriano Hypolito pela Vozes (1983)
>>> Igreja, Ideologia e Classes Sociais de José Ivo Follmann pela Vozes (1985)
>>> Historia Da Civilizacao Ocidental - O Drama Da Raça Humana de Edward McNall Burns pela Globo (1970)
>>> Tentação Sem Limites de Abbi Glines pela Arqueiro
>>> Uma Paixão No Deserto de Honoré De Balzac pela Paulinas (1988)
>>> O Natal e Seus Símbolos de Irmão Nery, fsc pela Vozes (1978)
>>> Os Segredos Da Mente Milionária de Eker,T. Harv pela Sextante
>>> A Selva  de Ferreira de Castro pela Guimarães & Cia
>>> Dentro Do Texto, Dentro Da Vida, Ensaios Sobre Antonio Candido de Maria Angela D'Incao e outros pela Companhia Das Letras (1992)
>>> Sagarana de João Guimarães Rosa pela Nova Fronteira
COLUNAS

Sexta-feira, 11/1/2013
O fim do (meu) automóvel
Marta Barcellos

+ de 2600 Acessos

Comecei a economizar para comprar um carro aos 17 anos. Como tinha passado no vestibular para o segundo semestre, arrumei emprego em uma butique no primeiro e iniciei minha poupança. Ainda consegui juntar mais algum trabalhando durante os meses de greve na universidade, mas mesmo assim o sonho do carrinho próprio estava distante: só foi concretizado uns oito anos depois, porque virei chefe precocemente e o salário afinal melhorou.

Era um Chevette Hatch, azul escuro. Uma joia. Fiquei com ele até poder trocar por um Escort verde claro, com um item que então se tornava necessário: ar condicionado. Não, o problema não era o calor, mas os assaltos nos sinais de trânsito. Contabilizei quatro...

Quem tem idade para situar essa história já sabe que esses primeiros carros eram usados. Sabe-se lá quem comprava automóvel zero naquela época, antes de aparecerem os tais modelos populares. Por isso, além do perigo dos pivetes no sinal, havia as inevitáveis visitas ao mecânico. Pode parecer uma vida difícil para uma mulher que dirigia pela cidade sozinha, ia e vinha do trabalho e dos barzinhos (não existia lei seca) todo dia, dava carona para os amigos. Mas eu adorava. O carro era um símbolo da minha independência, da libertação da vida anterior, esta sim, dura, de sacolejar por horas dentro de ônibus que podiam demorar a passar e nem parar no ponto. Não havia hipótese de eu voltar a ser uma desmotorizada.

O carro era como uma continuação do meu corpo, porque me possibilitava ir aonde eu quisesse, escolher a minha aventura, e também me sentir em casa antes de voltar para casa. Era tão apaixonada pelo meu primeiro carro, o mais simplesinho, que fiquei danada quando soube que o amigo para quem eu o vendera tinha amassado toda a sua frente. Sempre fui orgulhosa de dirigir bem.

Minha relação com automóveis nada tinha a ver com aquela que depois observei em outras pessoas, especialmente quando fui morar em São Paulo. Nunca soube identificar carro pela marca na rua, e ignorava que também pudesse ser um símbolo de status. Quando percebi este tipo de comportamento, não botei na conta do carro, mas na de seus donos - quem ostenta sempre tem um quê de brega.

Recordo tudo isso aqui porque, há um ano, venho tomando coragem para vender o meu carro. Ele é vermelho, depois de muitos prateados. "Estou pensando em vender o meu carro", eu digo, "vender para não comprar outro", explico, e, ao mesmo tempo, me testo, verifico o quanto ele ainda é necessário no meu dia a dia. Para quase todos os meus deslocamentos, tem sido mais prático usar o ônibus ou ir a pé. O trânsito se tornou um inferno, o prazer de dirigir foi para a cucuia e os estacionamentos estão pela hora da morte.

Naturalmente, às vezes fraquejo e arranjo uma desculpa para pegar o carro. Está chovendo. Naquele dia precisarei ir a vários lugares diferentes. Ou carregar coisas pesadas. Mesmo assim, acabei me adaptando a uma vida com mochila nas costas e calçados confortáveis: tenho o privilégio hoje de trabalhar e estudar relativamente perto de casa. Com as obras do metrô tomando conta do bairro onde moro, a decisão de aposentar o carro parece ainda mais acertada.

É moderno, é ecológico, mas... o que fazer com todo o meu passado de motorista feliz e orgulhosa? Afinal, foi assim que a indústria automobilística e toda uma leva de políticos que nunca investiram em transporte público me forjaram. Leio que os jovens hoje não dão o mesmo valor de antes para automóveis: a mobilidade é garantida por tablets e smartphones. Melhor assim. E tomara que os mais novos batalhem pela eficiência do metrô e do ônibus, e briguem com quem compra carrão que atravanca e polui as ruas. Quanto à bicicleta, novo símbolo do jovem urbano descolado e sustentável, não consigo ser otimista no curto prazo.

Por trás de um aparente consenso entre autoridades e ciclistas - todos são a favor da bicicleta como transporte - percebo a tensão aumentando na medida em que as regras não são definidas e o sonho da vida de bicicleta ganha as ruas de verdade.

Veja o caso do Leblon, bairro que acaba de ter várias vias interditadas por causa da construção da Linha 4 do metrô. Os moradores, que sempre se gabaram de fazer tudo a pé na região (isso era até piada), agora estão sendo convocados pelo prefeito a comprar bicicletas. A promoção de Natal da vez, em lojas e shoppings, é o sorteio de bicicletas elétricas, candidatas a novo sonho de consumo dos moradores da zona sul. Mas não há ciclovias suficientes nem campanhas educativas sobre onde e como bicicletas podem conviver com carros e ônibus nas mesmas pistas.

Esta semana, vi um pedestre irritado com uma bicicleta elétrica na calçada, agora mais estreita por causa dos canteiros do metrô. Já posso imaginar o jovem ciclista decepcionado com o engodo do sonho que comprou. Assim como eu apostei no carro, influenciada por uma poderosa rede de interesses, hoje o ciclista pode estar sendo usado por autoridades que não sabem lidar com o conflito já armado: continuamos sendo um país movido pela indústria automobilística, e apelos como "usem bicicleta" só fazem sentido dentro de um novo planejamento urbano que reveja este projeto inicial.

Por enquanto, o que temos são obras pontuais decididas às pressas por causa da Copa e da Olimpíada. Quem sabe os jovens, ciclistas e adeptos conscientes dos transportes públicos, consigam se mobilizar com seus tablets e smartphones para mudar essa realidade.



Marta Barcellos
Rio de Janeiro, 11/1/2013


Quem leu este, também leu esse(s):
01. Os Blogs e o Espetáculo de Mariana Portela
02. Perguntas sagradas de Larissa Pontez


Mais Marta Barcellos
Mais Acessadas de Marta Barcellos em 2013
01. Para viver de literatura - 7/2/2013
02. Mamãe cata-piolho - 31/5/2013
03. Suicídio - 15/2/2013
04. Suicídio, parte 2 - 15/3/2013
05. Até eu caí nessa - 8/11/2013


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




COACH UM PARCEIRO PARA O SEU SUCESSO
ANE ARAUJO
GENTE
(1998)
R$ 10,00



EQUILÍBRIO DE FORÇAS - OP CENTER
TOM CLANCY
RECORD
(2004)
R$ 6,90



A LINGUAGEM DO LAYOUT
BUD DONAHUE
EDIOURO
(1982)
R$ 44,82



A CICATRIZ DE MARILYN MONROE
CONTADOR BORGES
ILUMINURAS
(2012)
R$ 32,00



QUÍMICA INORGÂNICA METAIS E NÃO-METAIS
VICTOR A. NEHMI
DISAL
(1989)
R$ 39,90



O DIABO SE DIVERTE
NATALIE BABBITT
ÁTICA
(2000)
R$ 5,00



CORPOS EM MOVIMENTO
MARY ANNE MOHANRAJ
ROCCO
(2006)
R$ 12,00



INTELIGÊNCIA - PERSPECTIVAS TEÓRICAS
LEANDRO S. ALMEIDA, ARISTIDES FERREIRA
ALMEDINA
(2009)
R$ 107,00



AVENTURA NO IMPÉRIO DO SOL
SILVIA CINTRA FRANCO
ÁTICA
(1991)
R$ 5,00



REGULAMENTO DOS EMPREENDIMENTOS TURÍSTICOS DECRETO LEI 167 97 POR...
EDITORA PORTO
PORTO
(1998)
R$ 11,16





busca | avançada
85941 visitas/dia
2,2 milhões/mês