Digam a Satã que estreei | Luiz Rebinski Junior | Digestivo Cultural

busca | avançada
37900 visitas/dia
1,3 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Banda GELPI, vencedora do concurso EDP LIVE BANDS BRASIL, lança seu primeiro álbum com a Sony
>>> Celso Sabadin e Francisco Ucha lançam livro sobre a vida de Moracy do Val amanhã na Livraria da Vila
>>> No Dia dos Pais, boa comida, lugar bacana e MPB requintada são as opções para acertar no presente
>>> Livro destaca a utilização da robótica nas salas de aula
>>> São Paulo recebe o lançamento do livro Bluebell
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Rinoceronte, poemas em prosa de Ronald Polito
>>> A forca de cascavel — Angústia (FUVEST 2020)
>>> O reinado estético: Luís XV e Madame de Pompadour
>>> 7 de Setembro
>>> Outros cantos, de Maria Valéria Rezende
>>> Notas confessionais de um angustiado (VII)
>>> Eu não entendo nada de alta gastronomia - Parte 1
>>> Treliças bem trançadas
>>> Meu Telefunken
>>> Dor e Glória, de Pedro Almodóvar
Colunistas
Últimos Posts
>>> Diogo Salles no podcast Guide
>>> Uma História do Mercado Livre
>>> Washington Olivetto no Day1
>>> Robinson Shiba do China in Box
>>> Karnal, Cortella e Pondé
>>> Canal Livre com FHC
>>> A história de cada livro
>>> Guia Crowdfunding de Livros
>>> Crise da Democracia
>>> Banco Inter É uma BOLHA???
Últimos Posts
>>> Uma crônica de Cinema
>>> Visitação ao desenho de Jair Glass
>>> Desiguais
>>> Quanto às perdas I
>>> A caminho, caminhemos nós
>>> MEMÓRIA
>>> Inesquecíveis cinco dias de Julho
>>> Primavera
>>> Quando a Juventude Te Ferra Economicamente
>>> Bens de consumo
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Luciano do Valle (1947-2014)
>>> Por que as velhas redações se tornaram insustentáveis on-line
>>> Ação Social
>>> Dá-lhe, Villa!
>>> forças infernais
>>> 20 de Abril #digestivo10anos
>>> Pensando sozinho
>>> Minha casa, minha cama, minha mesa
>>> Aranhas e missangas na Moçambique de Mia Couto
>>> Novos Melhores Blogs
Mais Recentes
>>> The Buenos Aires Affair de Manuel Puig pela Circulo do Livro/ SP. (1989)
>>> The Buenos Aires Affair de Manuel Puig pela Codecri (1981)
>>> The Buenos Aires Affair de Manuel Puig pela Codecri (1981)
>>> Fort of Apocalypse #10 de Yu Kuraishi, Kazu Inabe pela JBC/Ink Comics (2016)
>>> The Buenos Aires Affair de Manuel Puig pela Codecri (1981)
>>> Fort of Apocalypse #09 de Yu Kuraishi, Kazu Inabe pela JBC/Ink Comics (2016)
>>> Fort of Apocalypse #08 de Yu Kuraishi, Kazu Inabe pela JBC/Ink Comics (2016)
>>> Festa Sob as Bombas - Os Anos Ingleses de Elias Canetti pela Estação Liberdade (2009)
>>> Fort of Apocalypse #07 de Yu Kuraishi, Kazu Inabe pela JBC/Ink Comics (2016)
>>> Fort of Apocalypse #06 de Yu Kuraishi, Kazu Inabe pela JBC/Ink Comics (2016)
>>> Fort of Apocalypse #05 de Yu Kuraishi, Kazu Inabe pela JBC/Ink Comics (2016)
>>> Fort of Apocalypse #04 de Yu Kuraishi, Kazu Inabe pela JBC/Ink Comics (2016)
>>> Antologia da Poesia Parnasiana Brasileira de João Ribeiro Francisca Júlia/ Alberto Oliveira... pela Cia. Ed. Nacional/ Lazuli (2008)
>>> Antologia Poética de Ernesto Cardenal pela Salamandra (1979)
>>> Fort of Apocalypse #03 de Yu Kuraishi, Kazu Inabe pela JBC/Ink Comics (2016)
>>> Fort of Apocalypse #02 de Yu Kuraishi, Kazu Inabe pela JBC/Ink Comics (2016)
>>> Da Natureza da Guerra de Julian Lider pela Biblex/ RJ. (1987)
>>> Fort of Apocalypse #01 de Yu Kuraishi, Kazu Inabe pela JBC/Ink Comics (2016)
>>> Pubis Angelical de Manuel Puig pela Nova Fronteira/ Rj. (1981)
>>> Teoria Geral do Processo de Antonio Carlos de Araujo Cintra e Ada P. Grinover e Câncico R. Dinamarco pela Revista dos Tribunais (1991)
>>> Pubis Angelical de Manuel Puig pela Nova Fronteira/ Rj. (1981)
>>> Pubis Angelical de Manuel Puig pela Nova Fronteira/ Rj. (1981)
>>> O que é a conscienciologia de Waldo Vieira pela Instituto Internacional de Projeciiologia
>>> The Promised Neverland #02 de Kaiu Shirai, Posuka Demizu pela Panini (2018)
>>> The Promised Neverland #01 de Kaiu Shirai, Posuka Demizu pela Panini (2018)
>>> Pubis Angelical de Manuel Puig pela Nova Fronteira/ Rj. (1981)
>>> O caminho do Serenão - criações conscienciais de Haydée Silveira Melo e outros pela Informa e Instituto de Pesquisa da Consciência (1999)
>>> Bungo Stray Dogs #01 de Kafka Asagiri, Sango Harukawa pela Panini (2018)
>>> O nauticômio de Hormiga Negra pela Edições Marítimas ltda (1988)
>>> Alice Hearts #04 - Alice no País dos Corações de Quin Rose, Soumei Hoshino pela NewPOP (2015)
>>> Alice Hearts #03 - Alice no País dos Corações de Quin Rose, Soumei Hoshino pela NewPOP (2015)
>>> Alice Hearts #02 - Alice no País dos Corações de Quin Rose, Soumei Hoshino pela NewPOP (2015)
>>> Alice Hearts #01 - Alice no País dos Corações de Quin Rose, Soumei Hoshino pela NewPOP (2015)
>>> Administração de recursos humanos de Júlio A. Lobos pela Atlas (1979)
>>> Gênese das estruturas lógicas elementares de Jean Piaget e B. Inhelder pela Zahar (1975)
>>> Kill La Kill #01 de Ryo Akizuki pela JBC/Ink Comics (2015)
>>> Kill La Kill #02 de Ryo Akizuki pela JBC/Ink Comics (2015)
>>> Testemunha em perigo de Zahyra de Albuquerque Petry pela Sulina (1983)
>>> Kill La Kill #03 de Ryo Akizuki pela JBC/Ink Comics (2015)
>>> Por uma pedagogia da pergunta de Paulo Freire e Antonio Faundez pela Paz e Terra (1985)
>>> Um morto no elevador de Zahyra de Albuquerque Petry pela Sulina (1983)
>>> Magnus Chase e os Deuses de Asgard, Vol. 02 - O Martelo de Thor de Rick Riordan pela Intrínseca (2016)
>>> Filosofia da educação de Olivier Reboul pela Nacional (1980)
>>> Rangers, Ordem dos Arqueiros, Vol. 02 - Ponte em Chamas de John Flanagan pela Fundamento (2009)
>>> Teoria do conhecimento de Johannes Hessen pela Armênio Amado (1987)
>>> Rangers, Ordem dos Arqueiros, Vol. 01 - Ruínas de Gorlan de John Flanagan pela Fundamento (2009)
>>> Avaliação mito & desafio - uma perspectiva construtivista de Jussara Hoffmann pela Mediação (1998)
>>> Rangers, Ordem dos Arqueiros, Vol. 03 - Terra do Gelo de John Flanagan pela Fundamento (2009)
>>> Sociologia da educação de Alberto Tosi Rodrigues pela DP&A (2002)
>>> Teumbilhao ou A Sociedade Perfeita S.A. de Leandro Telles Franz pela Insular (2008)
COLUNAS

Quarta-feira, 14/8/2013
Digam a Satã que estreei
Luiz Rebinski Junior

+ de 5400 Acessos

Se Daniel Pellizzari não tivesse sido contemplado com estadia na capital irlandesa, onde passou 32 dias com o objetivo de escrever uma "história de amor", valeria a pena o escritor juntar um troquinho e se bandear pro outro lado do oceano por conta própria. A viagem, diferentemente do que ocorreu com a maioria dos colegas que partiram para estadias em cidades hypadas do planeta, fez bem ao amazonense-gaúcho, que até aqui havia apenas treinado a escrita de romances.

Alguns títulos da coleção Amores Expressos não conseguiram escapar de certo "olhar brasileiro" diante de um país culturalmente muito diferente. O que não ocorre com Digam a Satã que o recado foi entendido, a história que Pellizzari supostamente gestou em seus dias de Dublin. Ainda que o título espalhafatoso não dê conta de dizer sobre o que é o livro, só a curva feita pelo autor para desviar de Joyce - o que não é fácil, pois o cara deve ter a onipresença de um Pelé na Irlanda - já vale um elogio. No entanto, para além das manobras certeiras, o romance de Pellizzari traz personagens tão interessantes e donos de suas histórias que nem um brasileiro com o nome de Magnus Factor (a coisa mais fake do livro) ofusca o romance. Magnus, que é o personagem principal do livro, mas não o mais interessante, honra o nome gringo que tem ao destilar um conhecimento enciclopédico e "orgânico" da Irlanda. Dizem que o autor é um pesquisador da cultura irlandesa e que há anos se interessa pela região. Eu acredito.

Magnus trabalha em uma empresa que promove passeios por lugares obscuros de Dublin. Vive com uma eslovena que faz estripe em uma boate à noite - mas jura que não dá para ninguém - e é sócio de dois imigrantes e de um genuíno irlandês, um tal Barry, esse sim o personagem mais singular do romance. Barry encarna alguns clichês do irlandês - o que para mim, como leitor, não chega a ser problema, pois sou um homem que acredita piamente em muitos clichês -, é um beberrão, acha que toda mulher "é apenas um furo", acredita que os negros são comparáveis a uma subespécie e que os imigrantes fazem parte da escória da sociedade. Mas diz isso com muita graça e até alguma poesia, acreditem. Ou seja, Barry é um ser misógino, racista e tarado. Por isso mesmo parece bastante verdadeiro. Afinal, é nascido e criado na Europa, um lugar que não é, digamos, o paraíso da fraternidade.

O cara fala tudo errado, mas no fundo de sua ignorância pululam pensamentos lapidares sobre temas nacionais como "mulheres que cheiram cocaína", "campanhas contra a gonorreia" e "a falta de asseio dos neo-hippies". Barry mantém parentesco com Zeca, esse sim brasileiro nato, que povoa a Pornopopéia de Reinaldo Moraes. Mas digamos que Barry é menos escolarizado, mas, contraditoriamente, mais politizado do que o hedonista saído da mente de Moraes. O espectro de Irvine Welsh também ronda o romance de Pellizzari, que é o tradutor de Trainspotting, talvez o mais emblemático romance sobre os anos 1990. Assim como o livro de Welsh, Digam a satã que o recado foi entendido faz uma espécie de inventário de um grupo peculiar de jovens perdidos em meio à difícil tarefa que é viver.

"Uma carne imigrante arreganhada na minha frente e eu sem poder botar para dentro. Nunca mais, parcêro. Pode anotar aí. Camisinha nunca mais. O recado foi entendido. Se você acha camisinha inconveniente, experimente ter gonorreia. Ah, mas vai se foder. Chupa minhas prega bem gostoso, bichona do governo que inventou essa campanha de merda. Cê acha gonorreia inconveniente? Então experimente não comer ninguém, ô filho da puta", diz um dos trechos em que Barry apresenta ao leitor uma questão filosófica e existencial no mínimo intrigante.

Barry, depois de quase estuprar Stefanija, a namorada eslovena de Magnus, e matar acidentalmente a avó de Stuart, o malucão que lhe deu um teto para morar, acaba decapitado e com a cabeça boiando em um rio por conta de dívidas não pagas a traficantes gregos.

Entre a história malfadada da empresa de tour e a morte de Barry, outras narrativas se desenvolvem. Uma delas é a história de um deus-serpente irlandês. Pode ser que eu tenha cochilado nessa parte, mas realmente não entendi o que essa história tem a ver com o restante do livro. Junto com referências infantilóides a jogos de vídeo-game e descrições sobre o sabor do milk-shake e dos sanduíches vendidos em Dublin, é a pior parte do livro.

Mas, em um romance relativamente curto, Pellizzari conseguiu escrever uma narrativa com várias vozes interessantes. Além de Barry e Magnus, há outras narrativas no meio da trama que ajudam a moldar a história. A linearidade do romance, que não é exatamente linear, é composta por narradores diferentes. Apesar de alguns deslizes, o autor construiu um mosaico que se encaixa muito bem. A estranheza de estar em um lugar distante certamente é a discussão mais relevante levantada no livro. Algo que parece tão cafona nos dias de hoje, um tempo de internacionalização da cultura, virou um grande tema literário nas páginas do romance de Pellizzari.

No momento em que parte da jovem literatura brasileira parece ter caído de paixão pelas tramas internacionais (o que transcende os livros da coleção Amores Expressos), com personagens estrangeiros que trazem em seus genes as marcas da globalização, Digam a satã que o recado foi entendido talvez figure, ao lado dos livros "estrangeiros" de Bernardo Carvalho, como um ponto alto dessa "tendência". Ah, a história de amor? Isso, acredite, é o que menos importa nesse livro que é a real estreia de Daniel Pellizzari na literatura nacional.


Luiz Rebinski Junior
Curitiba, 14/8/2013


Quem leu este, também leu esse(s):
01. Bosnian Rainbows - Bosnian Rainbows (2013) de Guilherme Carvalhal
02. Escrevendo com o inimigo de Ana Elisa Ribeiro
03. Ruy Castro para a posteridade de Luis Eduardo Matta
04. É descansando que se vai longe de Verônica Mambrini
05. Obrigada, daktaris de Adriana Carvalho


Mais Luiz Rebinski Junior
Mais Acessadas de Luiz Rebinski Junior
01. Literatura pop: um gênero que não existe - 5/12/2007
02. Recordações da casa dos mortos - 12/4/2007
03. O jornalismo cultural no Brasil - 2/1/2008
04. Quem é o autor de um filme? - 6/8/2007
05. Reinaldo Moraes fala de sua Pornopopéia - 2/12/2009


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




ORIGINAIS, MODELOS, RÉPLICAS
JOÃO CÂMARA
ARTES GRÁFICAS
(1998)
R$ 35,00



BATMAN (OS NOVOS 52) - VOL. 20
VÁRIOS
PANINI COMICS
(2014)
R$ 15,00



MEMÓRIAS DA EMÍLIA
MONTEIRO LOBATO
GLOBO ANTIGO
(2009)
R$ 20,00



A ENGENHOSA LETÍCIA DO PONTAL
NEJAR, CARLOS
OBJETIVA
(2003)
R$ 19,60



TAI PAN 1
JAMES CLAVELL
RECORD
R$ 6,00



PERSPECTIVAS DO MODERNO TEATRO ALEMÃO
HENRY THORAU
BRASILIENSE
(1984)
R$ 20,00



MANUAL DE MUSCULAÇÃO 5050
MARCO UCHIDA / MARIO AUGUSTO CHARRO / REURY
PHORTE
(2003)
R$ 38,00



SINTOMAS CLAVES DE LA MATERIA MEDICA HOMEOPATICA EN EL REPERTORIO DE K
VIJNOVSKY
ALBATROS
(1989)
R$ 90,00



COMO UNIR A LAS NACIONES
GEORGE MIKES
SIGLO VEINTE
(1965)
R$ 12,00



QUÍMICA ORGÂNICA 2: ANÁLISE ORGÂNICA QUALITATIVA
ARTHUR I. VOGEL
AO LIVRO TÉCNICO
(1971)
R$ 30,00





busca | avançada
37900 visitas/dia
1,3 milhão/mês