Sultão & Bonifácio, parte IV | Guilherme Pontes Coelho | Digestivo Cultural

busca | avançada
88011 visitas/dia
2,7 milhões/mês
Mais Recentes
>>> Nova Exposição no Sesc Santos tem abertura online nessa quinta, 17/06
>>> Arte dentro de casa: museus e eventos culturais com exposições virtuais
>>> “Bella Cenci” Estreia em formato virtual com a atriz Thais Patez
>>> Espetáculo teatral conta a história de menina que sonha em ser astronauta
>>> Exposição virtual 'Linha de voo', de Antônio Augusto Bueno e Bebeto Alves
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Ao pai do meu amigo
>>> Paulo Mendes da Rocha (1929-2021)
>>> 20 contos sobre a pandemia de 2020
>>> Das construções todas do sentir
>>> Entrevista com o impostor Enrique Vila-Matas
>>> As alucinações do milênio: 30 e poucos anos e...
>>> Cosmogonia de uma pintura: Claudio Garcia
>>> Silêncio e grito
>>> Você é rico?
>>> Lisboa obscura
Colunistas
Últimos Posts
>>> Cidade Matarazzo por Raul Juste Lores
>>> Luiz Bonfa no Legião Estrangeira
>>> Sergio Abranches sobre Bolsonaro e a CPI
>>> Fernando Cirne sobre o e-commerce no pós-pandemia
>>> André Barcinski por Gastão Moreira
>>> Massari no Music Thunder Vision
>>> 1984 por Fabio Massari
>>> André Jakurski sobre o pós-pandemia
>>> Carteiros do Condado
>>> Max, Iggor e Gastão
Últimos Posts
>>> A lei natural da vida
>>> Sem voz, sem vez
>>> Entre viver e morrer
>>> Desnudo
>>> Perfume
>>> Maio Cultural recebe “Uma História para Elise”
>>> Ninguém merece estar num Grupo de WhatsApp
>>> Izilda e Zoroastro enfrentam o postinho de saúde
>>> Acentuado
>>> Mãe, na luz dos olhos teus
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Autores & Ideias no Sesc-PR I
>>> Balangandãs de Ná Ozzetti
>>> Hemingway by Ken Burns
>>> A sétima temporada de 24 horas
>>> De olho neles
>>> Saudações cinemusicais
>>> 1998 ― 2008: Dez anos de charges
>>> The Book of Souls
>>> Carta ao pai morto
>>> Rousseau e a Retórica Moderna
Mais Recentes
>>> Walter Benjamin: os cacos da história de Gagnebin, Jeanne Marie pela Mercado Editorial (2018)
>>> O Enigma de Teotihuacán de P. Guirao pela Hemus (1984)
>>> O mito, o ritual e o oral de Jack Goody pela Vozes (2012)
>>> O Peregrino Ilustrado de John Bunyan pela Mundo Cristão (2007)
>>> Cancioneiro para Encontro Vocacionais e de Jovens de N/t pela Loyola (1983)
>>> Cristãos Hoje de N. Maccari pela Paulinas (1976)
>>> Salmos de Edgard Armond pela Aliança (1979)
>>> Lobas, Lobos e Afins - a Eterna Busca da Liberdade... de Solange Torino pela Virgo (2001)
>>> Vida, Morte e Destino de Maria Fernanda S. e Edson Olivari de Castro pela Cia Ilimitada (1992)
>>> Rezas, Orações e Preces de Varios Autores pela Rita Carneti (1992)
>>> Como Falar em Publico e Influenciar Pessoas no Munndo dos Negócios de Dale Carnegie pela Record (1962)
>>> Uma Jornada Interior de Sara Mariott pela Pensamento (1993)
>>> Jovens e Adultos Dominical Fidelidade de Varios Autores pela Betel
>>> O Manual da Felicidade de Pe. Alberto Luiz Gambarini pela Ágape (2008)
>>> Como Enfrentar o Stress de Marilda Novaes Lipp e Colaboradores pela Ícone (1990)
>>> Auxiliares Invisíveis de C. W. Leadbeater pela Pensamento (1997)
>>> Oito Passos para Você ter Saúde de Ana Maria Freitas pela N/a
>>> O Livro do Destino de Herman Kirchenhoffer pela Círculo do Livro (1978)
>>> Eles Voltaram de Francisco Cândido Xavier pela Instituto de Difusão Espírita (1982)
>>> Os Remédios Florais do Dr. Bach de Dr. Edward Bach pela Pensamento (2006)
>>> Encontros, Desencontros e Reencontros de Florangela M. Desidério pela Paulinas (1982)
>>> Cavaleiro da Concórdia de Manoel Jacintho Coelho pela Racional (1988)
>>> Fátima, Aurora do Terceiro Milênio de João S. Clá Diaz pela Associação Cultural Nossa Senhora de Fátima (2000)
>>> I Ching, O Livro das Mutações de Juan Echenique Pérsico pela Melhoramento (2012)
>>> O Encontro, os mais Belos Encontros de Cristo de João Mohana pela Agir (1979)
COLUNAS

Quarta-feira, 27/3/2013
Sultão & Bonifácio, parte IV
Guilherme Pontes Coelho

+ de 5200 Acessos

(Parte I, Parte II e Parte III)

Se o gato de Brás Cubas, Sultão, é um nome mencionado apenas uma vez em todo o romance Memórias Póstumas de Brás Cubas, de Machado de Assis, Bonifácio, o gato de Afonso da Maia, é um dos personagens integrantes da narrativa de Os Maias, de Eça de Queiroz. O gato é o fiel companheiro do patriarca Afonso, é querido por Carlos da Maia, João da Ega e por todos os frequentadores do Ramalhete, o casarão dos Maias em Lisboa, do qual o gato é um dos integrantes perpétuo, um lugar de debates, jogos e leituras, com almoços e jantares preparados por chefs franceses.

Já vimos como Bonifácio vive no Ramalhete. À época da história do romance, a partir de 1875, o gato já é o Reverendo Bonifácio, um gato gordo e dorminhoco, comilão e lento, inseparável de Afonso. Já o vimos curtindo suas sestas ao sol, sobre sua pele de urso, após os almoços lendários, dos quais fazia parte. Já o vimos, sempre ao colo de Afonso, entre os homens nas rodas de conversa, das quais participavam o conde Steinbroken, o Dom Diogo, o general Siqueira, o inglês Craft, o procurador Vilaça, o marquês de Souzelas, o músico Cruges, o sempre incrível João da Ega, o principesco Carlos da Maia, o poeta Alencar e, às vezes, o idiota do Damaso. Uma cena, agora inteira, do Reverendo Bonifácio entre seus pares:
A essa hora Ega acordava no bilhar, ainda estirado na poltrona onde o cansaço o prostrara. Bocejando, estremunhado, arrastou os passos até ao escritório de Afonso. Aí ardia um lume alegre, a que o Reverendo Bonifácio se deixava torrar, enrolado sobre a pele de urso. Afonso fazia a partida de whist com Steinbroken e com o Villaça: mas tão distraído, tão confuso, que já duas vezes D. Diogo, infeliz e irritado, rosnara que se a dor de cabeça assim o estonteava melhor seria findarem!

Já o vimos nas conversas iniciais entre os apaixonados Carlos Eduardo e Maria Eduarda, ela, começando a conhecer a intimidade do enamorado, imaginando, a partir das palavras de Carlos, entre outras coisas, as excentricidades do Ega, as paisagens de Santa Olávia e, é claro, o próprio Reverendo Bonifácio.

O gato só voltará a estar na mesma página que Maria Eduarda muito depois. Quando estiveram juntos sobre o papel pela primeira vez, Maria estava no início de seu enamoramento por Carlos, enamoramento recíproco. Ela era "mulher" de Castro Gomes, um brasileiro rico, e tinha uma filha, com o cafonérrimo nome de Rosicler, mas tratada por Rosa. O primeiro contato de fato entre Carlos e Maria se deu por conta de Rosa, que adoeceu, e por isso Carlos, que era médico, foi chamado. A doença da menina era o que ambos precisavam, o argumento legítimo para o solteiro Carlos poder frequentar os Castro Gomes. Depois, com Rosa já curada, era a vez da governanta inglesa, Sara, que cuidava de Rosa, adoecer. Carlos não sairia mais de perto de Maria. Tudo caminhava para o que já estava anunciado desde o momento em que os Castro Gomes apareceram na história, ou, a depender do ângulo sob o qual se olhe, desde que Carlos e Maria nasceram.

Os Maias é dividido em duas partes. A primeira é a biografia do clã, e narra uma série de "episódios da vida romântica", subtítulo do romance, a começar pela desgraça de Pedro da Maia, filho de Afonso, que se mata quando sua mulher, Maria Monforte, foge com um italiano, levando consigo a filha do casal e deixando para Pedro o caçula ainda bebê, Carlos. Com a mãe foragida e o pai morto, Carlos é criado em Santa Olávia (mesmo lugar onde nasceu Bonifácio) e educado à inglesa, muito exercício físico e pouca religião, da maneira como Afonso gostaria de ter educado seu filho Pedro. Carlos cresceu forte e foi para Lisboa estudar medicina. Conheceu na universidade seu melhor amigo, João da Ega (que é por meio de quem Bonifácio e Maria Eduarda voltarão a se encontrar na narrativa). Os demais "episódios românticos" da primeira parte do romance envolvem amores, sandices e caprichos dos lisboetas de espírito provinciano, muitos deles titulares do grupo do Ramalhete, outros não tanto, como o banqueiro Cohen e sua mulher, Raquel, o conde e a condessa de Gouvarinho, o miserável Eusébio, Damaso Salcede.

A segunda parte do romance é o amor entre Carlos e Maria, cuja tragédia já vem anunciada lá na primeira parte pelo inexcedível João da Ega, que dizia a Carlos:
Tu és extraordinário, menino!... Mas o teu caso é simples, é o caso de D. Juan. D. Juan também tinha essas alternações de chama e cinza. Andava à busca do seu ideal, da sua mulher, procurando-a principalmente, como de justiça, entre as mulheres dos outros. E après avoir couché, declarava que se tinha enganado, que não era aquela. Pedia desculpa e retirava-se. Em Espanha experimentou assim mil e três. Tu és simplesmente, como ele, um devasso; e hás de vir a acabar desgraçadamente como ele, numa tragédia infernal!

Ega estava certo. Ele, embora louco varrido, ou justamente por causa do desprendimento da loucura varrida, é quem, além de previsões certeiras, dará conselhos seguros a Carlos quanto à maneira de conduzir seu amor por Maria Eduarda. Ega é dândi malcriado, eterno estudante, eterno escritor de um único livro, intitulado Memórias de um átomo, também amante de mulher casada, a judia Raquel.

Dentre os conselhos de Ega a Carlos, dois precisam ser detalhados, para mostrar o quão responsável Ega pode ser - responsabilidade esta que, mais tarde, o gabaritará para ficar frente a frente com Maria Eduarda, ocasião em que pronunciará o nome do Reverendo Bonifácio.

Parte V (em breve)


Guilherme Pontes Coelho
Águas Claras/Brasília, 27/3/2013


Quem leu este, também leu esse(s):
01. Entrevista com o impostor Enrique Vila-Matas de Cassionei Niches Petry
02. As alucinações do milênio: 30 e poucos anos e... de Renato Alessandro dos Santos
03. Ficção e previsões para um futuro qualquer de Ana Elisa Ribeiro
04. A Vida dos Obscuros de Marilia Mota Silva
05. A Copa, o Mundo, é das mulheres de Luís Fernando Amâncio


Mais Guilherme Pontes Coelho
Mais Acessadas de Guilherme Pontes Coelho em 2013
01. Sultão & Bonifácio, parte I - 27/2/2013
02. Dreadlocks - 2/1/2013
03. Sultão & Bonifácio, parte IV - 27/3/2013
04. Sultão & Bonifácio, parte II - 13/3/2013
05. Superficiais - 30/1/2013


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




História da Ll Guerra Mundial- 1939-1945
Edgard Mc Innis
Globo
(1956)



Iniciação a Administração de Recursos Humanos
Idalberto Chiavenato
Manole
(2014)



O crime do padre Amaro (15ª ed.)
Eça de Queirós
Ática
(2001)



Teatro Grego ( Ésquilo, Sófocles, Eurípedes, Aristófanes)
Osmar Perazzo Lannes (tradução e Adaptação)
Matos Peixoto (rj)
(1965)



Renato Russo: o Filho da Revoluçao
Carlos Marcelo
Agir
(2009)



Os Dispersos - Contos
Janette Fishenfeld
Do Autor
(1966)



Um Assassinato um Mistério um Casamento
Mark Twain
Rideel
(2007)



Como Fazer do Sucesso um Hábito
Mack R. Douglas
Pro Net
(1994)



Vamos para Casa: uma História de Amor
Maria do Carmo Lima de Rezende (dedicatória)
7letras
(2004)



Gregor Mendel - Vida e Obra
Newton Freire Maia
T a Queiroz
(1995)





busca | avançada
88011 visitas/dia
2,7 milhões/mês