Sultão & Bonifácio, parte I | Guilherme Pontes Coelho | Digestivo Cultural

busca | avançada
36145 visitas/dia
1,3 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Banda GELPI, vencedora do concurso EDP LIVE BANDS BRASIL, lança seu primeiro álbum com a Sony
>>> Celso Sabadin e Francisco Ucha lançam livro sobre a vida de Moracy do Val amanhã na Livraria da Vila
>>> No Dia dos Pais, boa comida, lugar bacana e MPB requintada são as opções para acertar no presente
>>> Livro destaca a utilização da robótica nas salas de aula
>>> São Paulo recebe o lançamento do livro Bluebell
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Rinoceronte, poemas em prosa de Ronald Polito
>>> A forca de cascavel — Angústia (FUVEST 2020)
>>> O reinado estético: Luís XV e Madame de Pompadour
>>> 7 de Setembro
>>> Outros cantos, de Maria Valéria Rezende
>>> Notas confessionais de um angustiado (VII)
>>> Eu não entendo nada de alta gastronomia - Parte 1
>>> Treliças bem trançadas
>>> Meu Telefunken
>>> Dor e Glória, de Pedro Almodóvar
Colunistas
Últimos Posts
>>> Diogo Salles no podcast Guide
>>> Uma História do Mercado Livre
>>> Washington Olivetto no Day1
>>> Robinson Shiba do China in Box
>>> Karnal, Cortella e Pondé
>>> Canal Livre com FHC
>>> A história de cada livro
>>> Guia Crowdfunding de Livros
>>> Crise da Democracia
>>> Banco Inter É uma BOLHA???
Últimos Posts
>>> Visitação ao desenho de Jair Glass
>>> Desiguais
>>> Quanto às perdas I
>>> A caminho, caminhemos nós
>>> MEMÓRIA
>>> Inesquecíveis cinco dias de Julho
>>> Primavera
>>> Quando a Juventude Te Ferra Economicamente
>>> Bens de consumo
>>> O céu sem o azul
Blogueiros
Mais Recentes
>>> O Conselheiro também come (e bebe)
>>> Troca-troca
>>> Harry, Rony e Hermione
>>> A comédia de um solteiro
>>> O palhaço, de Selton Mello
>>> Ronnie James Dio (1942-2010)
>>> Não Aguento Mais a Empiricus
>>> Picasso e As Senhoritas de Avignon (Parte II)
>>> 7 de Setembro
>>> A aquisição do Whatsapp, pelo Facebook, por 19 bilhões de dólares
Mais Recentes
>>> E Se Fosse Com Você? de Sandra Saruê pela Melhoramentos (2011)
>>> Deu no New York Times de Larry Rohter pela Objetiva (2007)
>>> Mega Dicionário de Termos Técnicos e Populares: da Saúde de Eduardo Nogueira pela Rovelle (2007)
>>> Rosas do Brasil de Sérgio Schaefer pela Edunisc (2006)
>>> Rosas do Brasil de Sérgio Schaefer pela Edunisc (2006)
>>> Novo Curso de Direito Civil Volume I Parte Geral de Pablo Stolze Gangliano e Rodolfo Pamplona Filho pela Saraiva (2007)
>>> Uma Execucao na Familia: a Jornada de um Filho de Pais Condenados A... de Robert Meeropol pela Casa Amarela (2006)
>>> Vexame -os Bastidores do Fmi na Crise Que Abalou o Sistema Financeiro de Paul Blustein pela Economia (2002)
>>> Vexame -os Bastidores do Fmi na Crise Que Abalou o Sistema Financeiro de Paul Blustein pela Economia (2002)
>>> Vexame -os Bastidores do Fmi na Crise Que Abalou o Sistema Financeiro de Paul Blustein pela Record (2002)
>>> A Dinâmica da Estratégia Competitiva de George S. Day e Outros pela Campus (1999)
>>> Travessia do Pantanal de Luís M. Neto - Maria T. Büchele pela Nova Letra (2006)
>>> Veronika Decide Morrer e o Zahir - Dois Livros de Paulo Coelho pela Sextante (2012)
>>> Direito Constitucional e Direito Administrativo de Aglair Figueiredo Villas Couto pela Impactus (2006)
>>> O Livro de Ouro da Mitologia - Historias de Deuses e Herois de Thomas Bulfinch pela Agir (2019)
>>> Guia Vip de Estilo / o Livro Definitivo da Moda Masculina 2013 de Editora Abril Cultural pela Abril (2013)
>>> Engano Mortal de J. A. Jance pela Sedna (2009)
>>> A Mão e a Luva de Machado de Assis pela Prazer de Ler (2010)
>>> Cinco Minutos de José de Alencar pela Prazer de Ler (2010)
>>> A Viuvinha de José de Alencar pela Prazer de Ler (2010)
>>> A Moreninha de Joaquim Manuel de Macedo pela Prazer de Ler (2010)
>>> Os Lusíadas de Luís de Camões pela Saraiva (2010)
>>> O Presente da Princesa de Meg Cabot pela Galera Record (2007)
>>> Macário e Noite na Taverna de Álvares de Azevedo pela Saraiva (2010)
>>> Caco de Gilberto Mattje pela Alvorada (2014)
>>> Auto da Barca do Inferno de Gil Vicente pela Saraiva (2008)
>>> Ubirajara de José de Alencar pela Melville House (2015)
>>> O Uraguai de Basílio da Gama pela Martin Claret (2009)
>>> Lucíola de José de Alencar pela Via Leitura (2017)
>>> Fogo Estranho de John MacArthur pela Thomas Nelson (2019)
>>> O ministério da palavra de Deus de Watchman nee pela Clássicos (2011)
>>> A fé cristã normal de Watchman nee pela Living Stream Ministry (2016)
>>> Osso do seu Osso de F. j. Huegel pela Restauração (2019)
>>> A borboleta em você de Milt rodriguez pela Restauração (2008)
>>> Retendo a cabeça de Romeu pela Restauração (2012)
>>> O templo Interior de Milt Rodriguez pela Restauração (2004)
>>> A vida comunitaria de Deus de Milt Rodriguez pela Restauração (2009)
>>> Chamados À Comunhão De Seu Filho de Stephen Kaung pela dos Clássicos (2011)
>>> O Testemunho Do Senhor E A Necessidade Do Mundo de T. Austin-Sparks pela Clássicos (2017)
>>> Igreja e Israel no Novo Testamento de Daniel Juster e Keith Mathison pela Impacto Publicações (2019)
>>> Preparados para o Fim? de Harold Walker pela Impacto Publicações (2019)
>>> Grandes Doutrinas Bíblicas - Vol. 2 Deus o Espírito Santo (enc) de D. Martyn Lloyd-jones pela Publicações Evangélicas Selecionadas
>>> randes Doutrinas Bíblicas - Vol. 1 Deus o Pai, Deus o Filho (bro) de D. Martyn Lloyd-jones pela Publicações Evangélicas Selecionadas (1997)
>>> Casa de Oração – Vol.2 de Lance Lambert pela dos Clássicos (2013)
>>> Preparando-nos Para o Preparador de Harold Walker pela Impacto Publicações (2019)
>>> Amigos do Mestre de Pedro Arruda pela Impacto Publicações (2019)
>>> O Grande Abalo de Harold Walker pela Impacto Publicações (2017)
>>> A Comunhão Nossa de Cada Dia (2ª Edição) de Pedro Arruda pela Clássicos
>>> O Mistério da Oliveira de Johannes Fichtenbauer pela Impacto Publicações (2019)
>>> Playboy N°80 Sofia Clerici Charlie Sheen Maricel Alvarez de Revista argentina pela Playboy (2012)
COLUNAS

Quarta-feira, 27/2/2013
Sultão & Bonifácio, parte I
Guilherme Pontes Coelho

+ de 3500 Acessos

Brás Cubas visitou a origem dos séculos. Ele viajou no lombo de um hipopótamo, que o sequestrou logo depois de Cubas ter sofrido duas metamorfoses: de barbeiro chinês, "bojudo" e "destro", que estilizava um mandarim, em Suma Teológica, "encadernada em marroquim, com fechos de prata e estampas"; e de Suma em si mesmo, o Brás Cubas de sempre. Tendo Cubas sobre o dorso, o animal galopou a uma velocidade inacreditável, "numa planície branca de neve, com uma ou outra montanha de neve, vegetação de neve, e vários animais grandes e de neve. Tudo neve; chegava a gelar-nos um sol de neve". Mesmo galopando tão veloz, o quadrúpede pode avisar a Cubas que até do Éden já haviam passado.

A origem dos séculos era o destino. Lá, Cubas conversou com a Natureza, ou Pandora, "um vulto imenso", que "tinha a vastidão das formas selváticas, e tudo escapava à compreensão do olhar humano". Preciso ignorar o diálogo dos dois para chegar ao trecho em que Natureza, ou Pandora, segura Cubas pelos cabelos e mostra a ele "uma redução dos séculos", um desfile inexorável da História, que passava sob os pés de Brás Cubas. Os séculos desfilavam num turbilhão, e para descrever isto "seria preciso fixar o relâmpago". Cubas foi espectador de tudo o que o mundo havia vivido e, em algum momento, sem que percebesse, já não estava nas mãos de Natureza, ou Pandora, mas no dorso daquele hipopótamo, que o conduzia ainda mais rápido, só que agora em direção ao último dos séculos. O último!

Quanto mais próximo do fim, mais rápido os séculos passavam por Cubas: "A marcha era tal que escapava a toda a compreensão; ao pé dela o relâmpago seria um século". Então as coisas começaram a ficar confusas e "um nevoeiro cobriu tudo - menos o hipopótamo que ali me trouxera". O bicho começou a diminuir; diminuiu até ficar do tamanho de um gato. E era mesmo um gato, que brincava com uma bolinha de papel à porta do quarto onde Brás Cubas teve este delírio, "O Delírio", capítulo VII de Memórias Póstumas de Brás Cubas. Era o gato do delirante e ele se chamava Sultão.

Memórias Póstumas de Brás Cubas é um dos nossos melhores romances e "O Delírio" talvez seja o melhor capítulo dele. A primeira vez que o leitor viaja às costas do hipopótamo é nada menos que incrível, sobretudo quando esta primeira vez acontece na adolescência. Foi meu romance predileto por algum tempo, e hoje está na minha lista dos mais-mais.

Uma coisa, contudo, me deixa intrigado. Sultão, o gato, só é mencionado uma singular e mísera vez em toda a história. Sultão sequer estava entre os onze amigos que presenciaram o enterro de Cubas. Do além, Brás Cubas, o defunto autor, conta a vida que teve para matar o tédio e nunca, nunca fala do pobre gato, senão no capítulo VII. Não era um hipopótamo que o acompanhava ao fim dos séculos, era Sultão que brincava à porta da alcova. Leia o romance. Você não vai achar uma palavra sobre o bichinho, senão estas:

"(...) um nevoeiro cobriu tudo, - menos o hipopótamo que ali me trouxera, e que aliás começou a diminuir, a diminuir, a diminuir, até ficar do tamanho de um gato. Era efetivamente um gato. Encarei-o bem; era o meu gato Sultão, que brincava à porta da alcova, com uma bola de papel..."

Uma curiosidade recalcitrante é saber como era Sultão, porque o gato não é descrito no romance. Costumo imaginá-lo cinzento, rajado, obviamente vira-lata. Também imagino que tenha aparecido a Brás Cubas ainda jovem, mas não bebezinho, e que ambos se adotaram não de imediato, mas em um misto recíproco de tolerância e indiferença. Agora, por que se adotaram, se precisasse haver um porquê fundamental, vou esperar Machado de Assis escrever. Também vou esperar, ainda mais ansioso, descrições do cotidiano de Sultão sob os cuidados de Cubas e, ainda mais importante, descrições de tratos e mimos, se houve, dispensados ao felino. Será que Sultão, depois de aprontar alguma bobagem, ouvia o familiar e icônico "Ah, brejeiro!"?

Prudêncio, Eugênia, Virgília, Quincas Borba, Marcela - quase todos os personagens reaparecem mais de uma vez ao longo da vida do defunto autor. Prudêncio, por exemplo, é o moleque escravo e escravizado por Cubas:
Prudêncio, um moleque de casa, era o meu cavalo de todos os dias; punha as mãos no chão, recebia um cordel nos queixos, à guisa de freio, eu trepava-lhe ao dorso, com uma varinha na mão, fustigava-o, dava mil voltas a um e outro lado, e ele obedecia, - algumas vezes gemendo, - mas obedecia sem dizer palavra, ou, quando muito, um - "ai, nhonhô!" - ao que eu retorquia: - "Cala a boca, besta!"

O mesmo Prudêncio reaparece muito depois, no capítulo LXVIII, "O vergalho", numa cena em que "um preto"...

...vergalhava outro na praça. O outro não se atrevia a fugir; gemia somente estas únicas palavras: - "Não, perdão, meu senhor; meu senhor, perdão!". Mas o primeiro não fazia caso, e, a cada súplica, respondia com uma vergalhada nova.
- Toma, diabo! dizia ele; toma mais perdão, bêbado!
- Meu senhor! gemia o outro.
- Cala a boca, besta! replicava o vergalho.
Parei, olhei... justos céus! Quem havia de ser o do vergalho? Nada menos que o meu moleque Prudêncio, - o que meu pai libertara alguns anos antes. Cheguei-me; ele deteve-se logo e pediu-me a bênção; perguntei-lhe se aquele preto era escravo dele.
- É, sim, nhonhô.
- Fez-te alguma coisa?
- É um vadio e um bêbado muito grande. Ainda hoje deixei ele na quitanda, enquanto eu ia lá embaixo na cidade, e ele deixou a quitanda para ir na venda beber.
- Está bom, perdoa-lhe, disse eu.
- Pois não, nhonhô manda, não pede. Entra para casa, bêbado!

Estamos de acordo que Brás Cubas era um cretino e que, aos olhos mortos e à pena defunta dele, Prudêncio talvez - ênfase em talvez - tivesse mais a oferecer literariamente que Sultão, sobretudo por conta deste episódio do vergalho. É um episódio que precisava ser narrado, independente do contexto em que se encaixa na história. Contudo, a ausência gritante do gato Sultão no relato autobiográfico do morto talvez adicione algum tempero à superficialidade tridimensional do autor (me refiro a Brás Cubas).

Para elucidar o "talvez" enfático do parágrafo anterior, façamos uma comparação.

Memórias Póstumas de Brás Cubas é de 1881. Sete anos depois, outro ídolo publicaria outro romance presente na minha lista de preferidos, um romance também escrito em português, também com um gato no elenco, mas com um dono provavelmente em tudo contrário a Brás Cubas.

(Parte II)


Guilherme Pontes Coelho
Brasília, 27/2/2013


Mais Guilherme Pontes Coelho
Mais Acessadas de Guilherme Pontes Coelho em 2013
01. Dreadlocks - 2/1/2013
02. Sultão & Bonifácio, parte I - 27/2/2013
03. Superficiais - 30/1/2013
04. Sultão & Bonifácio, parte IV - 27/3/2013
05. Sultão & Bonifácio, parte II - 13/3/2013


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




CENAS DA LITERATURA MODERNA
CELINA MARIA MOREIRA MELLO
7 LETRAS
(2010)
R$ 22,00



UM JEITO DE APRENDER - 2ª SÉRIE - MÓDULO 1.
DIRCE GUEDES - EDUARDO PARENTE - KATIA PAULILO -
FTD
(2000)
R$ 12,00



O SENHOR DA DANÇA
CHAGDUD RINPOCHE
MAKARA
(2000)
R$ 130,00



PASSO A PASSO COM JESUS - MATERNAL PROFESSOR Nº 7 O JOVEM ABENÇOADO
EDITORA CENTRAL GOSPEL
CENTRAL GOSPEL
(2017)
R$ 10,00



OXIGÊNIO
CAROL CASELLA
NOSSA CULTURA
(2011)
R$ 12,80



COMUNICAÇÃO INTERCULTURAL
TERUO MONOBE / SATIKO MONOBE
STS
(2013)
R$ 35,00



TERRAS PARTICULARES - DEMARCAÇÃO, DIVISÃO, TAPUMES
HUMBERTO THEODORO JUNIOR
LEUD
(1981)
R$ 15,00



ECOTURISMO - UM GUIA PARA PLANEJAMENTO E GESTÃO
KREG LINDBERG E DONALD E. HAWKINS
SENAC
(1995)
R$ 16,00



EU EM TU / I IN U (COLEÇÃO BILÍNGUE COM 3 VOLUMES)
LAURIE ANDERSON
CENTRO CULTURAL
(2011)
R$ 50,00



NAZARÍN
BENITO PÉREZ GALDÓS
JOSÉ OLYMPIO
(1990)
R$ 20,00





busca | avançada
36145 visitas/dia
1,3 milhão/mês