Max Weber desencantado | Daniel Aurelio | Digestivo Cultural

busca | avançada
50801 visitas/dia
2,6 milhões/mês
Mais Recentes
>>> A Arte de Amar: curso online desvenda o amor a partir de sua representação na arte e filosofia
>>> Consuelo de Paula e João Arruda lançam o CD Beira de Folha
>>> Festival Folclórico de Etnias realiza sua primeira edição online
>>> Câmara Brasil-Israel realiza live com especialistas sobre “O Mundo da Arte”
>>> Misturando música, filosofia e psicanálise, Poisé lança seu primeiro single
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> A desgraça de ser escritor
>>> Um nu “escandaloso” de Eduardo Sívori
>>> Um grande romance para leitores de... poesia
>>> Filmes de guerra, de outro jeito
>>> Meu reino por uma webcam
>>> Quincas Borba: um dia de cão (Fuvest)
>>> Pílulas Poéticas para uma quarentena
>>> Ficção e previsões para um futuro qualquer
>>> Freud explica
>>> Alma indígena minha
Colunistas
Últimos Posts
>>> Uma aula com Thiago Salomão do Stock Pickers
>>> MercadoLivre, a maior empresa da América Latina
>>> Víkingur Ólafsson toca Rameau
>>> Philip Glass tocando Mad Rush
>>> Elena Landau e o liberalismo à brasileira
>>> O autoritarismo de Bolsonaro avança
>>> Prelúdio e Fuga em Mi Menor, BWV 855
>>> Blooks Resiste
>>> Ambulante teve 3 mil livros queimados
>>> Paul Lewis e a Sonata ao Luar
Últimos Posts
>>> Coincidência?
>>> Gabbeh
>>> Dos segredos do pão
>>> Diário de um desenhista
>>> Uma pedra no caminho...
>>> Sustentar-se
>>> Spiritus sanus
>>> Num piscar de olhos
>>> Sexy Shop
>>> Assinatura
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Nelson Freire em DVD e Celso Furtado na Amazônia
>>> Um caos de informações inúteis
>>> Asia de volta ao mapa
>>> Robinson Shiba do China in Box
>>> Aberta a temporada de caça
>>> Parei de fumar
>>> Ford e Eastwood: cineastas da (re)conciliação
>>> Amor à segunda vista
>>> O Gmail (e o E-mail)
>>> Diogo Salles no podcast Guide
Mais Recentes
>>> O Maior Sucesso do Mundo de Og Mandino pela Record (1994)
>>> O Céus e o Inferno de Allan Kardec pela Feb (1989)
>>> Amor, medicina e milagres - A Cura espontânea de doentes graves de Bernie S. Siegel pela BestSeller (1989)
>>> Mayombe de Pepetela pela Leya (2019)
>>> Os Segredos Para o Sucesso e a Felicidade de Og Mandino pela Record (1997)
>>> Para Viver Sem Sofrer de Gasparetto pela Vida E Consciencia (2002)
>>> Guía Rápida del Museo Nacional de Bellas Artes de Vários pela Mnba (1996)
>>> A profecia celestina de James Redfield pela Objetiva (2001)
>>> The Forecast Magazine January 2020 - 2020 de Diversos pela Monocle (2020)
>>> O Diário da Princesa de Meg Cabot pela Record (2002)
>>> The Forecast Magazine January 2017 - Time to Talk? de Diversos pela Monocle (2017)
>>> Mojo December 2018 de Led Zeppelin pela Mojo (2018)
>>> Mojo 300 November 2018 The Legends de Diversos pela Mojo (2018)
>>> Mojo 299 October 2018 de Paul McCartney pela Mojo (2018)
>>> Mojo 297 August 2018 de David Bowie pela Mojo (2018)
>>> Mojo 307 June 2019 de Bob Dylan pela Mojo (2019)
>>> Mojo 296 July 2018 de Pink Floyd pela Mojo (2018)
>>> Mojo April 2018 de Arctic Monkeys pela Mojo (2018)
>>> Mojo 294 May 2018 de Roger Daltley pela Mojo (2018)
>>> Mojo 292 April 2018 de Neil Young pela Mojo (2018)
>>> Mojo 292 March 2018 de Nick Drake pela Mojo (2018)
>>> Mojo 291 February 2018 de The Rolling Stones pela Mojo (2018)
>>> Mojo 290 January 2018 de The Jam pela Mojo (2018)
>>> Mojo 289 December 2017 de Bob Dylan pela Mojo (2017)
>>> Mojo 286 September 2017 de Allman Brothers pela Mojo (2017)
>>> Mojo 310 September 2019 de Tom Waits pela Mojo (2019)
>>> Mojo 309 August 2019 de Bruce Springsteen pela Mojo (2019)
>>> Mojo 304 March 2019 de Joni Mitchell pela Mojo (2019)
>>> Como cuidar do seu automóvel de Ruy Geraldo Vaz pela Ediouro (1979)
>>> Mojo 236 July 2013 de The Rolling Stones pela Mojo (2013)
>>> Mojo 250 January 2014 de Crosby, Still, Nash & Young pela Mojo (2014)
>>> Gilets Brodés - Modèles Du XVIII - Musée des Tissus - Lyon de Várioa pela Musee des Tíssus (1993)
>>> Mojo 249 August 2014 de Jack White pela Mojo (2014)
>>> Mojo 252 October 2014 de Siouxsie And The Banshees pela Mojo (2014)
>>> Mojo 251 October 2014 de Kate Bush pela Mojo (2014)
>>> Mojo 302 January 2019 de Kate Bush pela Mojo (2019)
>>> Mojo 274 September 2016 de Bob Marley pela Mojo (2016)
>>> Universo baldio de Nei Duclós pela Francis (2004)
>>> Mojo 245 April 2014 de Prince pela Mojo (2014)
>>> Mojo 256 March 2015 de Madonna pela Mojo (2015)
>>> Musée de La Ceramique - Visit Guide de Vários pela Cidev (1969)
>>> Mojo 159 February 2007 de Joy Division pela Mojo (2007)
>>> Mojo 170 January 2008 de Amy Whinehouse pela Mojo (2008)
>>> Mojo 229 December 2012 de Led Zeppelin pela Mojo (2012)
>>> Retrato do Artista Quando Velho de Joseph Heller pela Cosac & Naify (2002)
>>> No Tempo das Catástrofes de Isabelle Stengers; Eloisa Araújo pela Cosac & Naify (2015)
>>> Manual de esquemas de Klöckner- Moeller pela Do autor (1971)
>>> Inesgotáveis Enigmas do Passado de Vários pela Século Futuro (1987)
>>> Evidências dos Ovnis - As Ciências Proibidas de Vários pela Século Futuro (1987)
>>> Características de Deus que chamam a nossa atenção. de Silas Malafaia pela Central Gospel (2012)
COLUNAS

Sexta-feira, 2/4/2004
Max Weber desencantado
Daniel Aurelio

+ de 7900 Acessos
+ 1 Comentário(s)

Fevereiro de 2002. Nada de carnaval: era, pois, meu primeiro dia de aula na faculdade. Como esquecer? Sensações que variavam da mais cândida euforia militante àquela agitada timidez. Um generalizado estado de desconforto. Nas apresentações, todos manifestam entusiasticamente suas biografias, expectativas e apaixonadas odes à "grande utopia" (é sério: eles queriam mudar o mundo). A maioria alinhava-se num pelotão de cabos eleitorais atrás de qualquer cargo-farelo em subprefeitura (como se isso não fosse dedutível pelas suas estampas de Che Guevara e Bob Marley). O resto caíra de pára-quedas.

Então, chega a vez de um rapaz magro, enfiado em um terno para lá de bem cortado. A professora interpela-o, entediada: o que te levaste à sociologia, meu filho? Sua resposta foi uma rajada: "Conhecer mais Max Weber". Naquela sala viciada pela clássica literatura de esquerda, espanto e alguns risos. "Aquele liberal", alguém fustigou, do fundo de seu coraçãozinho vermelho. Ele queria mudar o mundo, coitado. O rapaz do terno bonito recebeu seu carimbo de "neoliberal" e era desdenhado a cada intervenção que insinuava. Não resistiu ao primeiro ano.

Março de 2003. Transcorridos dois anos do episódio, aqui estamos no terceiro ano. Quase formados, portanto. E Weber é aclamado como o mais amplo, dinâmico e ambivalente cientista social de todos os tempos. As razões são muitas. Weber, por exemplo, não era um especialista em encíclicas, mas ninguém estudou a religião como ele; explicou ainda com primor as motivações do indivíduo na modernidade, embora não se metesse ao divã, somente depois consagrado por Freud; sem jamais ter sido um típico politólogo, foi Weber pilar teórico da democracia representativa.

A dislexia moral é um mal que poda o leitor. A indústria editorial fatura milhões com tal teimosia. Como ousar debater os males e virtudes do mundo moderno sem conhecer o autor de Economia e Sociedade e tantos outros ensaios vanguardistas? Os apanágios e vacas-de-presépio partidários deram no pé. Os que ficaram finalmente puderam racionalizar a sua indignação (continuam combativos como devem ser, mas cientes da natureza do nosso ofício). Nada como o tempo e um pouco de leitura adequada.

Natural de Eifurt, cidadela da ascente Alemanha do pré-guerra, Karl Emil Maximiliam Weber (1864-1920) era antes de tudo um sujeito talhado. Filho de um cacique do Partido Liberal germânico, habituou-se desde meninote ao convívio híbrido de filósofos e burocratas, diplomando-se em Direito, História e Economia. Dedicou a vida ao ensino acadêmico e a uma privilegiada produção intelectual, que inclui aquele que é considerado (com acerto) o mais importante livro não ficcional do século XX, A Ética Protestante e o espírito do capitalismo (1904). É impossível resistir a analogia com outro filho de político ilustre, o nosso Joaquim Nabuco - esse último o autor do monumental ensaio-manifesto O Abolicionismo (1883).

Uma mente distraída que tope com o título maior da sociologia weberiana logo pensa tratar-se de um livro teológico. Sinal invertido, sinal invertido. Weber versa sobre a transmutação do sentido da religiosidade, aquele sentimento antes servil à arte e ao desapego - tão caros ao papado e a sociedade de corte - e que passava a despejar sua fé & suor em linhas de produção. Em nome de Deus (chame-o de Consumismo se preferir) fomos trabalhar até o limite de nossas forças.

Max Weber cunhou algumas expressões famosas, todavia nenhuma equivaleu ao seu Entzauberung der Welt, ou Desencantamento do Mundo, termo que virou até chavão de cidadão acabrunhado, tristonho da vida. As aberrantes disparidades na análise dessa verdadeira pedra angular do pensamento de Weber, se por um lado mostram o seu poder de alcance, igualmente contribuem para a difusão de um mau conhecimento. E é Antonio Flávio Pierucci, professor da USP e ativo colaborador do caderno "Mais" da Folha de São Paulo, quem se propôs a colocar ordem no caos, com aquela segurança e deboche de quem é resoluto e seguro do que escreve. E publica agora, pela Editora 34, o resultado desse esforço, batizado O Desencantamento do Mundo.

Chega a ser sacanagem desnudar cada ponto alto da obra; é preciso saboreá-lo a cada página (lembre-se que este prato é para ser sorvido apenas por iniciados). Não é qualquer um que, partindo de falhas de tradução e discussões até então soberanas, reconstrói todo o movimento de uma escola teórica. Sua apresentação é de uma humildade e desprendimento poéticos. Mal dá para saber que, dali a alguns parágrafos, estaremos diante de uma grande obra. O capítulo introdutório, por sua sorte, é uma aula de como se deve fazer ciência: Pierucci lapida lentamente a expressão, corrige olhares precipitados e com isso vai de encontro a síntese lógica de Weber. A humanidade "perde o encanto", a magia, encontra a racionalidade, ilumina-se, cai na burocracia e na individualização até perder-se em outros erros. O mercado é dos especialistas. E os especialistas querem o mundo (mas se contentam com o carro do ano, dentre outras regalias).

Um detalhe no livro, mais do que qualquer outro, salta à vista: o método de Pierucci acaba sobrepondo-se ao próprio objeto estudado. É um estímulo para nós graduandos. O livro arma-se dos valores que deveriam compor qualquer compêndio do gênero: consistência e clareza. A propósito, serve também como uma lição aos fascistazinhos travestidos de revolucionários: sob pena de repousarem no ridículo, que nunca mais confundam sociologia com socialismo.

Para ir além






Daniel Aurelio
São Paulo, 2/4/2004


Quem leu este, também leu esse(s):
01. Championship Vinyl - a pequena loja de discos de Renato Alessandro dos Santos
02. Lei de Imprensa, Diploma e Questões Afins de Ricardo de Mattos
03. O curioso caso de Alberto Mussa de Rafael Rodrigues
04. Auto-ajuda empresarial: reunite crônica de Ana Elisa Ribeiro
05. O ano de ouro de Nélida Piñon de Celso A. Uequed Pitol


Mais Daniel Aurelio
Mais Acessadas de Daniel Aurelio em 2004
01. Canto Infantil Nº 3: Série Vaga-lume - 30/1/2004
02. Max Weber desencantado - 2/4/2004
03. Aina: dos álbuns conceituais até a ópera-rock - 6/8/2004
04. Laymert politizando novas tecnologias - 12/3/2004
05. Romaria e prece em Guatapará - 20/2/2004


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

ENVIAR POR E-MAIL
E-mail:
Observações:
COMENTÁRIO(S) DOS LEITORES
23/4/2004
14h54min
A "professorinha Helena" e a "polemista" Rudi adoraram saber por onde você anda destilando seus conhecimentos, parabéns.
[Leia outros Comentários de Luciana e Scheilla]
COMENTE ESTE TEXTO
Nome:
E-mail:
Blog/Twitter:
* o Digestivo Cultural se reserva o direito de ignorar Comentários que se utilizem de linguagem chula, difamatória ou ilegal;

** mensagens com tamanho superior a 1000 toques, sem identificação ou postadas por e-mails inválidos serão igualmente descartadas;

*** tampouco serão admitidos os 10 tipos de Comentador de Forum.




Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




ACT MATH FOR DUMMIES
MARK ZEGARELLI
FOR DUMMIES
(2011)
R$ 17,50



PERSPEKTIVLEHRE
ERHARD GULL
ND
R$ 58,36



GÊMEOS NÃO SE AMAM
ROBERT LUDLUM
RECORD
(1976)
R$ 5,00



A REPÚBLICA BRASILEIRA 1964- 1984
EVALDO VIEIRA
MODERNA
R$ 5,00



SERESTA MINEIRA
LAR DE PAULA
LAR DE PAULA
R$ 40,00



É PROIBIDO CHORAR
J. M. SIMMEL
NOVA FRONTEIRA
R$ 5,00



REUNIAO DE PAIS: SOFRIMENTO OU PRAZER? - 2ª ED.
BEATE G. ALTHUON / CORINNA H. ESSLE / ISA S. STOEB
CASA DO PSICÓLOGO
R$ 11,00



VALA CLANDESTINA DE PERUS
VARIOS AUTORES
INSTITUTO MACUCO
(2012)
R$ 5,12



AÇÕES INSTITUCIONAIS DE AVALIAÇÃO E DISSEMINAÇÃO DE TECNOLOGIAS EDUCAC
RICARDO AZAMBUJA SILVEIRA
DO AUTOR
R$ 5,00



O CARNÊ DOURADO
DORIS LESSING (A MAIOR ESCRITORA VIVA DE LÍNGUA INGLESA)
CÍRCULO DO LIVRO
(1985)
R$ 25,00
+ frete grátis





busca | avançada
50801 visitas/dia
2,6 milhões/mês