40 com corpinho de 39 | Ana Elisa Ribeiro | Digestivo Cultural

busca | avançada
46447 visitas/dia
1,8 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Novo livro de Vera Saad resgata política brasileira dos anos 90 para destrinchar traumas familiares
>>> Festival de Cinema da Fronteira e Sur Frontera WIP LAB abrem inscrições
>>> O Pequeno Príncipe in Concert
>>> Estreia da Orquestra Jovem Musicarium ocorre nesta quarta, dia 21, com apresentação gratuita
>>> Banda Yahoo se apresenta na Blue Note SP
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Susan Sontag em carne e osso
>>> Todas as artes: Jardel Dias Cavalcanti
>>> Soco no saco
>>> Xingando semáforos inocentes
>>> Os autômatos de Agnaldo Pinho
>>> Esporte de risco
>>> Tito Leite atravessa o deserto com poesia
>>> Sim, Thomas Bernhard
>>> The Nothingness Club e a mente noir de um poeta
>>> Minha história com o Starbucks Brasil
Colunistas
Últimos Posts
>>> Jensen Huang, o homem por trás da Nvidia (2023)
>>> Philip Glass tocando Opening (2024)
>>> Vision Pro, da Apple, no All-In (2024)
>>> Joel Spolsky, o fundador do Stack Overflow (2023)
>>> Pedro Cerize, o antigestor (2024)
>>> Andrej Karpathy, ex-Tesla, atual OpenAI (2022)
>>> Inteligência artificial em Davos (2024)
>>> Bill Gates entrevista Sam Altman, da OpenAI (2024)
>>> O maior programador do mundo? John Carmack (2022)
>>> Quando o AlphaGo venceu a humanidade (2020)
Últimos Posts
>>> Sem noção
>>> Ícaro e Satã
>>> Ser ou parecer
>>> O laticínio do demônio
>>> Um verdadeiro romântico nunca se cala
>>> Democracia acima de tudo
>>> Podemos pegar no bufê
>>> Desobituário
>>> E no comércio da vida...
>>> HORA MARCADA
Blogueiros
Mais Recentes
>>> 14 de Outubro #digestivo10anos
>>> Scott Henderson, guitarrista fora-de-série
>>> O primeiro parágrafo
>>> O prazer da literatura em perigo
>>> Aulas de filosofia on-line
>>> Mezzo realidade, mezzo ficção
>>> Telemarketing, o anti-marketing dos idiotas
>>> Esquema Dilma opta por Russomano
>>> Chiaroscuro
>>> Internet e Videocasts
Mais Recentes
>>> Criando Filhos em Tempos Difíceis (capa. dura) de Dr Benjamin Spock pela Círculo do Livro (1976)
>>> A Investigação (capa. dura) de Dorothy Uhnak pela Círculo do Livro (1981)
>>> A Arte de Educar de Flávio Gikovate pela Nova Didática (2001)
>>> Zugaib Obstetrícia de Marcelo Zugaib pela Manole (2012)
>>> Educação Para o Trabalho no Ensino de 1º Grau - série ensino fundamental 16 de Ministério da Educação e Cultura pela Departamento Comunicação (1976)
>>> Colposcopia - Patologia e Tratamento do Trato Genital Inferior de Adhemar Longatto Filho pela Revinter Ltda. (2002)
>>> Livro História Geral A Enxada e a Lança a África Antes dos Portugueses de Alberto da Costa e Silva pela : Nova Fronteira (2006)
>>> A Saúde da Mulher baseada em Evidências de Adriana Bittencourt Campaner et al. pela Limay (2019)
>>> Livro História Da Pedagogia de Franco Cambi pela Unesp (2024)
>>> Livro História Geral Teorias da Historia de Patrick Gardiner pela Calouste Gulbenkian
>>> Livro História Geral Colapso Como as Sociedades Escolhem o Fracasso Ou o Sucesso de Jared Diamond pela Record (2005)
>>> Livro Capa Dura História Geral 365 Dias Que Mudaram o Mundo de Não Encontrado pela Planeta do Brasil (2014)
>>> Ginecologia de Manoel João Batista Castello Girão pela Manole (2009)
>>> Livro Economia de Paul e Ronald Wonnacott pela Willey (1994)
>>> Livro Saúde Manual de Medicina Legal de Delton Croce e Delton Croce Filho pela Saraiva (1998)
>>> Mal dos Séculos: o melhor da literatura clássica brasileira e tiras de Álvares de Azevedo-Luiz Gê pela Melhoramentos (1988)
>>> Livro Comportamento O Investidor Inteligente de Benjamin Graham pela Harper Collins (2017)
>>> Livro Capa Dura Literatura Estrangeira La Fiesta del Chivo de Mario Vargas Llosa pela Alfaguara
>>> Livro Literatura Estrangeira Musashi Volume 1 de Eiji Yoshikawa pela Liberdade (1999)
>>> O Desafio do Pantanal de Silvia Cintra Franco pela Ática (1991)
>>> Vogue The Shoe de Harriet Quick pela Conran (2018)
>>> Endocrinologia Feminina e Andrologia de Ruth Clapauch pela AC Farmacêutica (2012)
>>> Livro Literatura Estrangeira Musashi Volume II de Eiji Yoshikawa pela Estação Liberdade (1999)
>>> Livro Literatura Brasileira Casa-grande, Senzala de Joaquim Pedro de Andrade pela Aeroplano (2001)
>>> Livro Linguística Vocabulário Ortográfico da Língua Portuguesa de Não Encontrado pela Global (2009)
COLUNAS >>> Especial Idade

Sexta-feira, 2/5/2014
40 com corpinho de 39
Ana Elisa Ribeiro
+ de 5000 Acessos

Eu não tenho - ainda - 40 anos. Tenho quase. Nessa de achar que tenho quase, vivo arredondando pra cima. É nefasta a influência de certas regrinhas da matemática nas nossas vidas. Aprendi cedo, sei lá em que série, que quando passou de 5... pode arredondar pra cima. Por conta disso, vivo aumentando minha idade em 2 anos. Vira e mexe estou dizendo aquela frase assim "pô, tenho quase 40 anos, rapá!". Geralmente, é pra obter algum efeito de respeito ou "cala a boca".

Uma mulher de 40 anos é um mulherão. Ops, vamos dizer que uma parte delas o seja. Generalizar é sempre polêmico. O que é uma mulher de 40 anos? Melhorando a pergunta: O que é uma mulher de 40 anos, hoje em dia? Poxa, ela pode ser tantas coisas.

Conheço muita mulher de 40 anos que está no auge de sua beleza e de sua inteligência. Muito melhores do que eram aos 20, acrescendo ainda uma certa liberdade - inclusive financeira - de fazerem o que quiserem. Em compensação, conheço mulheres de 40 anos que parecem não ter saído do século XIX.

Repito: sou quase quarentona. Não deu ainda pra experimentar a dor e a delícia de fazer os 40, propriamente. Só que já dá pra sentir um cheirinho de realização. Isso aí. Vou chegar aos 40 como queria, ao menos em parte. Bem, na verdade, eu não fantasiava muito os 40. Gastava meu tempo de juventude verde imaginando como seriam os 30. Ter 30 anos, pra mim, era ser um "mulherão", fosse lá em que estilo fosse.

Mas também há tanto conflito nisso, mermão, que é difícil de falar. Vou chegar aos 40 em velocidade de cruzeiro na minha profissão. Isso aí. Fiz tudo o que devia fazer, em tempo hábil, e conquistei uma certa estabilidade. Vou chegar aos 40 mãe de um garotão de 12. Vou chegar aos 40 tendo viajado um pouquinho e tendo pra onde voltar, sem sustos. Vou chegar aos 40 com meus pais ainda vivos e juntos, que privilégio - e cada vez mais comum, por estarem vivos, e incomum, por estarem juntos. Vou chegar aos 40 tendo quebrado apenas um dedo mindinho - e não por falta de estripulias. Vou chegar aos 40 com boas lembranças dos 15, dos 20, dos 30. Isso é fundamental, não acham?

Vou chegar aos 40 com uma imensa rede de conhecidos, além da sensação de estar justa no meu tempo, sem muito delay. Vou chegar aos 40 sem sequelas graves. Chegarei aos 40 com alguns poucos segredos. Muito poucos. E vou chegar aos 40 com alguns amigos da vida inteira.

O que não conquistei aos 40? Muita coisa. O que uma mulher deseja ser aos 40? O conflito, pra mim, está nas questões que não puderam ser equacionadas. Infelizmente, uma mulher de 40 que se mantém sozinha e tem uma vida profissional razoavelmente bem-sucedida ainda passou pela provável tristeza de ter uma vida afetivo-familiar meio turbulenta. Ainda acontece? Sim. Principalmente hoje em dia.

Vivi o inferno de chegar em casa, cansada, depois de um dia inteiro de trabalho árduo e ter de enfrentar, ainda, além dos afazeres domésticos, um homem que se achava no direito de fazer beiço, cara feia e emitir um imbecil "você não me dá mais atenção". Nesse sentido, eu lançava logo um olhar fulminante para o meu filho pequeno, como que a lhe dizer: "não imite".

Uma mulher de 40 já viveu muitas coisas. Mas ainda vai viver outras tantas. Uma mulher de 40 tem chances de refazer tudo. Vez em quando, fico cá pensando que cada um de nós se casará ao menos duas vezes na vida. E essa chance ocorre ali pelos 30 e tantos ou 40. É que hoje uma mulher de 40 pode escolher. Ela está bem, voa solo e pode tentar de novo. Ela tem discernimento, se quiser.

Um amigo, dia desses, explicou, segundo sua teoria, por que uma mulher de 40 ouve tanto a piadinha: "vou te trocar por duas de 20". Segundo ele, os homens têm medo das mulheres de 40 porque elas podem comparar. Rá! Tempo de voo, estrada. Este presta, este, não. Mas, admito, a mulher de 40 ainda se engana. Não está livre de todos os infortúnios. Só dos mais evidentes.

Uma mulher de 40 pode dizer "vou ali e já volto". E pode não voltar, se achar que lhe apetece. Ou voltar cheia de ideias.

Mas estou falando de uma certa mulher de 40. Conheço muitas assim. Há outras, no entanto. Nos rincões do Brasil, há mulheres de 40 com rugas que diriam respeito a uma mulher com o dobro da idade. Há mulheres de 40 reféns de maridos violentos. Há mulheres de 40 reféns de tantas outras coisas. Há frustradas, humilhadas e apagadas. Silenciadas, que é diferente de silenciosas.

Quando eu tinha 20 anos, eu queria ser uma determinada mulher de 40. Por diversas razões, até que deu. Mas nem tudo ficou completo e certinho. Houve custo.

Eu não sei por que continuo arredondando minha idade pra cima. Há quem me dê menos anos do que eu tenho. Isso é comum, aliás. E não está explicado nos cabelos brancos - que despontam céleres - e nem em gordura localizada. Isso de se parecer com gente mais nova está no jeito, no sorriso, no olhar. Especialmente no olhar, acho. É que uma mulher de 40 pode recuar ou avançar, conforme queira. Pode se vestir num All Star ou num salto de grife. Ela pode.

Não acho que tenha chegado aos quase 40 com esgares de gente experientíssima. Falta muito ainda. Mas cheguei com fôlego para muitas tentativas. Os joelhos doem meio sem conserto, a cintura precisa ser remodelada, os vincos ao redor da boca denunciam, mas os encantos possíveis estão mais em riste do que nunca. Talvez porque uma mulher de 40 seja altiva e autônoma. Como sabemos, certa postura autônoma tem ares de charme e de decisão, duas coisas muito sedutoras.

Os 30 já vão lá atrás - e outro dia estava pensando neles, num esforço de memória. Os 50 ainda não se divisam. Os 40 são picos, cimos, cristas. Balzac é que não chegou lá pra experimentar.


Ana Elisa Ribeiro
Belo Horizonte, 2/5/2014

Quem leu este, também leu esse(s):
01. Paris branca de neve de Renato Alessandro dos Santos
02. As palmeiras da Politécnica de Elisa Andrade Buzzo
03. Dos sentidos secretos de cada coisa de Ana Elisa Ribeiro
04. Monticelli e a pintura Provençal no Oitocentos de Humberto Pereira da Silva
05. Notas Obsoletas sobre os Protestos de Duanne Ribeiro


Mais Ana Elisa Ribeiro
Mais Acessadas de Ana Elisa Ribeiro em 2014
01. E se Amélia fosse feminista? - 1/8/2014
02. Beijo surdo - 10/1/2014
03. Curso de gestão atabalhoada do tempo - 23/5/2014
04. 40 com corpinho de 39 - 2/5/2014
05. Soluções geniais para a escola e a educação - 28/3/2014


Mais Especial Idade
* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




Totalmente Amável
Ardis Dick Stenbakken
Casa Publicadora Brasileira
(2016)



Mobilização Social
José Bernardo Toro e Nísia Maria Duarte Werneck
Autêntica
(2007)



Livro História Geral An Introduction to Greek Tragedy
Ruth Scodel
Cambridge
(2010)



Como Educar Seus Pais
Obrigado Esparro
Objetiva
(2001)



Bençãos de Outono 2022 Capa Dura Gospel
R. R. Soares
Graça
(2021)



A mulher que escreveu a Bíblia
Moacyr Scliar
Companhia das Letras
(2003)



Cleophas e seus Milênios
Renato Benevides
Revan
(2006)



Marketing Basico: uma Perspectiva Brasileira
Marcos Cobra
Atlas
(1985)



O Cronista da América
Francis Ford Coppola
Voa
(2015)



Métodos e Técnicas de Pesquisa Em Turismo
Ada de Freitas Maneti Dencker
Futura
(1998)





busca | avançada
46447 visitas/dia
1,8 milhão/mês