Todo o tempo do mundo | Vitor Nuzzi | Digestivo Cultural

busca | avançada
74137 visitas/dia
1,8 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Banda GELPI, vencedora do concurso EDP LIVE BANDS BRASIL, lança seu primeiro álbum com a Sony
>>> Celso Sabadin e Francisco Ucha lançam livro sobre a vida de Moracy do Val amanhã na Livraria da Vila
>>> No Dia dos Pais, boa comida, lugar bacana e MPB requintada são as opções para acertar no presente
>>> Livro destaca a utilização da robótica nas salas de aula
>>> São Paulo recebe o lançamento do livro Bluebell
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Rinoceronte, poemas em prosa de Ronald Polito
>>> A forca de cascavel — Angústia (FUVEST 2020)
>>> O reinado estético: Luís XV e Madame de Pompadour
>>> 7 de Setembro
>>> Outros cantos, de Maria Valéria Rezende
>>> Notas confessionais de um angustiado (VII)
>>> Eu não entendo nada de alta gastronomia - Parte 1
>>> Treliças bem trançadas
>>> Meu Telefunken
>>> Dor e Glória, de Pedro Almodóvar
Colunistas
Últimos Posts
>>> Revisores de Texto em pauta
>>> Diogo Salles no podcast Guide
>>> Uma História do Mercado Livre
>>> Washington Olivetto no Day1
>>> Robinson Shiba do China in Box
>>> Karnal, Cortella e Pondé
>>> Canal Livre com FHC
>>> A história de cada livro
>>> Guia Crowdfunding de Livros
>>> Crise da Democracia
Últimos Posts
>>> Uma crônica de Cinema
>>> Visitação ao desenho de Jair Glass
>>> Desiguais
>>> Quanto às perdas I
>>> A caminho, caminhemos nós
>>> MEMÓRIA
>>> Inesquecíveis cinco dias de Julho
>>> Primavera
>>> Quando a Juventude Te Ferra Economicamente
>>> Bens de consumo
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Ser intelectual dói
>>> O Tigrão vai te ensinar
>>> O hiperconto e a literatura digital
>>> Aberta a temporada de caça
>>> Se for viajar de navio...
>>> Incompatibilidade...
>>> Alguns Jesus em 10 anos
>>> Blogues: uma (não tão) breve história (II)
>>> Picasso e As Senhoritas de Avignon (Parte I)
>>> Asia de volta ao mapa
Mais Recentes
>>> O Livro da moda de Alexandra Black pela Publifolha (2015)
>>> Rejuvelhecer a saude como prioridade de Sergio Abramoff pela Intrinseca (2017)
>>> O livro das evidencias de John Banville Tradução Fabio Bonillo pela Biblioteca Azul - globo (2018)
>>> O futebol explica o Brasil de Marcos Guterman pela Contexto (2014)
>>> O Macaco e a Essencia de Aldous Huxley pela Globo (2017)
>>> BATISTAS, Sua Trajetória em Santo Antônio de Jesus: o fim do monopólio da fé na Terra do Padre Mateus de Jorgevan Alves da Silva pela Fonte Editorial (2018)
>>> Playboy Bárbara Borges de Diversos pela Abril (2009)
>>> Sarah de Theresa Michaels pela Nova Cultural (1999)
>>> A Bela e o Barão de Deborah Hale pela Nova Cultural (2003)
>>> O estilo na História. Gibbon & Ranke & Macaulay & Burckhardt de Peter Gay pela Companhia das Letras (1990)
>>> Playboy Simony de Diversos pela Abril (1994)
>>> Invasão no Mundo da Superfície de Mark Cheverton pela Galera Junior (2015)
>>> José Lins Do Rego- Literatura Comentada de Benjamin Abdala Jr. pela Abril Educação (1982)
>>> A modernidade vienense e as crises de identidade de Jacques Le Rider pela Civilização Brasileira (1993)
>>> Machado De Assis - Literatura Comentada de Marisa Lajolo pela Abril Educação (1980)
>>> A Viena de Wittgenstein de Allan Janik & Stephen Toulmin pela Campus (1991)
>>> O Velho e o Mar de Ernest Hemingway pela Círculo do livro (1980)
>>> Veneno de Alan Scholefield pela Abril cultural (1984)
>>> O Livreiro de Cabul de Asne Seierstad pela Record (2007)
>>> Os Dragões do Éden de Carl Sagan pela Francisco Alves (1980)
>>> O Espião que sabia demais de John Le Carré pela Abril cultural (1984)
>>> Administração de Materiais de Jorge Sequeira de Araújo pela Atlas (1981)
>>> Introdução à Programação Linear de R. Stansbury Stockton pela Atlas (1975)
>>> Como lidar com Clientes Difíceis de Dave Anderson pela Sextante (2010)
>>> As 3 Leis do Desempenho de Steve Zaffron e Dave Logan pela Primavera (2009)
>>> Curso de Educação Mediúnica 1º Ano de Vários Autores pela Feesp (1996)
>>> Recursos para uma Vida Natural de Eliza M. S. Biazzi pela Casa Publicadora Brasileira (2001)
>>> Jesus enxuga minhas Lágrimas de Elza de Almeida pela Fotograma (1999)
>>> As Aventuras de Robinson Crusoé de Daniel Defoe pela LPM Pocket (1997)
>>> Bulunga o Rei Azul de Pedro Bloch pela Moderna (1991)
>>> Menino de Engenho de José Lins do Rego pela José Olympio (1982)
>>> Terra dos Homens de Antoine de Saint-Exupéry pela Nova Fronteira (1988)
>>> O Menino de Areia de Tahar Ben Jelloun pela Nova Fronteira (1985)
>>> Aspectos Endócrinos de Interesse à Estomatologia de Janete Dias Almeida pela Unesp (1999)
>>> Nociones de Historia Linguística y Estetica Literaria de Antonio Vilanova- Nestor Lujan pela Editorial Teide/ Barcelona (1950)
>>> El Estilo: El Problema y Su Solucion de Bennison Gray pela Editorial Castalia/ Madrid (1974)
>>> El Cuento y Sus Claves de Raúl A. Piérola/ Alba Omil (profs. Univ. Tucumán pela Editorial Nova, Buenos Aires (1955)
>>> Las Fuentes de La Creacion Literaria de Carmelo M. Bonet pela Libr. del Collegio/ B. Aires (1943)
>>> As Hortaliças na Medicina Doméstica/ Encadernado de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar (1976)
>>> A Flora Nacional na Medicina Doméstica de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar
>>> Arlington Park de Rachel Cusk pela Companhia das Letras (2007)
>>> Muitas Vidas, Muitos Mestres de Brian L Weiss pela Salamandra (1991)
>>> As Frutas na Medicina Doméstica de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar
>>> Coleção Agatha Christie - Box 8 de Agatha Christie; Sonia Coutinho; Archibaldo Figueira pela HarperCollins (2019)
>>> As Irmãs Aguero de Cristina García pela Record (1998)
>>> Não Faça Tempestade Em Copo Dágua no Amor de Richard Carlson pela Rocco (2001)
>>> Um Estudo Em Vermelho - Edição De Bolso de Arthur Conan Doyle pela Zahar (2013)
>>> Eu, Dommenique de Dommenique Luxor pela Leya (2011)
>>> Os Cavaleiros da Praga Divina de Marcos Rey pela Global (2015)
>>> O Futuro da Filosofia da Práxis de Leandro Konder pela ExpressãoPopular (2018)
COLUNAS >>> Especial 20 anos do Dois

Quarta-feira, 9/8/2006
Todo o tempo do mundo
Vitor Nuzzi

+ de 3300 Acessos
+ 2 Comentário(s)

O Bom Demais era um bar na Asa Norte, em Brasília. Eram os anos 80. Morei lá muitos anos depois - queria ter conhecido esse lugar, onde cantaram, entre outros, Cássia Eller, Zélia Cristina (que depois viraria Duncan), os ainda meninos Raimundos. E até Renato Russo, que um dia, já meio alto, arrebatou o microfone e cantou músicas dos Beatles (o relato está no bom livro de Ana Claudia Landi e Eduardo Belo sobre Cássia Eller, Apenas uma Garotinha). Renato adorava o álbum Let it Bleed, dos Stones, ouviu muito rock progressivo e tomou seu primeiro porre quando Sid Vicious, o vocalista do Sex Pistols, morreu. Nem imagino como ele, Dado Villa-Lobos, Renato Rocha e Marcelo Bonfá se conheceram, mas com aquele encontro o rock nacional ganharia um toque de qualidade e vigor além do pop tão típico da época.

Pausa para um fim de tarde qualquer em 1986, avenida 23 de Maio, São Paulo. No rádio do carro - parado em um típico trânsito infernal - toca uma balada contando a história de um casal, ela mais velha, com jeitão intelectual, e ele meio bobão. Pergunto ao motorista quem estava cantando. Era Legião Urbana, do qual até aquele momento, confesso, nunca tinha ouvido falar. O bobão, na verdade, era eu.

No dia seguinte, vou atrás do LP. E fico sabendo que a banda nem era tão nova assim. "Aquele gosto amargo do teu corpo/ Fico na minha boca por mais tempo" eram os primeiros versos do disco. Não era rock puro, mas também não era pop, muito menos MPB. As letras tinham angústias adolescentes e conflitos adultos. E um olho na realidade brasileira. Não era a frivolidade da Blitz, nem a energia do Ultraje a Rigor, duas bandas que eu gostava (e ainda gosto) de ouvir. Lírico e crítico ao mesmo tempo. Arranjos aparentemente simples, batida seca de bateria. Letras mais elaboradas. E na quarta faixa, aquela música que eu ouvira no carro. Com a dúvida que não foi resolvida até hoje: existe ou não razão nas coisas feitas pelo coração?

Setembro de 2004. Dezoito anos depois, morando na capital do país, entro no Parque da Cidade pela primeira vez. A história de Eduardo e Mônica me vem à cabeça. Foi ali que eles se encontraram pela primeira vez, ela de moto e ele de bicicleta, ou camelo. Crio um canto imaginário e faço de conta que foi ali que o garoto encostou a bike e, olhar meio tímido, lançou um "oi" para a moça que tinha tinta no cabelo - e já estava lá, à espera. Uma dúvida eu não tinha: depois que eles trocaram telefone na festa estranha, com gente esquisita, foi Mônica quem ligou propondo um encontro. Eduardo não teria coragem de ligar pra ela.

Agosto de 1990. Noite agradável de sábado, Parque Antártica, São Paulo. Entro no estádio do Palmeiras - nessas horas, as paixões clubísticas ficam de lado. Ou melhor, tento entrar. A fila dá voltas, por causa da descoberta de ingressos falsos. Lá dentro, o Legião Urbana, que havia lançado As Quatro Estações, se prepara para entrar no palco. Ainda há uma multidão do lado de fora quando se escutam os primeiros acordes. Começa a correria, a segurança desiste de controlar os ingressos, entram todos, por todos os lados. Com entrada para a arquibancada, consigo ir para o gramado, enquanto a banda toca "Feedback Song for a Dying Friend". Ali estava eu, apreciador assumido de MPB, ouvindo e curtindo aquele cara incomum (que tinha acabado de sair de um relacionamento) se contorcendo no palco. E uma banda sem nenhum exibicionismo. Estádio cheio. O repertório de sempre: referência a drogas, exaltação da amizade, problemas com os pais, amores imperfeitos ou ridículos, como são todos os amores, ou não seriam amores. Mas também uma menção mais explícita ao homossexualismo. Citações da Bíblia e de Camões, de Buda. Mais agitado que Dois. "Não achávamos que o Quatro Estações fosse estourar, porque é um disco bem difícil, mas todo mundo gostou. As letras são complicadíssimas e não é tão pra cima quanto acham", disse Renato em entrevista de 1994 publicada pela Folha de S. Paulo em 2001.

Mas o que diferencia Legião de outras bandas é a quantidade de faixas expressivas, músicas de que a gente lembra até hoje. "Eu quero trabalho honesto/ Em vez de escravidão" são versos de 1986 que soam atuais. E o que dizer de "Mas nos deram espelhos/ E vimos um mundo doente"? E era incrível a ligação de Renato, principalmente, com o público. Ligação que muitas vezes descambava para o exagero, com shows tumultuados. O de 1990 não foi.

Em 1996, dez anos depois de Dois, eu ajudava a editar um suplemento voltado para o público jovem, quando saiu o disco A Tempestade. Ouvi e comentei com um colega: acho que Renato está morrendo mesmo. Era a despedida. "Não quero mais ser quem eu sou/ Mas não me diga isso/ Não me dê atenção/ E obrigado por pensar em mim". Era a febre que não passava e um anjo triste que não saía de perto dele.

Como toda banda, Legião deixou fãs, admiradores e gente que não curtia aquele som. Como vários grupos e cantores, pareceu ter virado moda - descobri isso bem depois, talvez por não gostar de modas. Para mim, era uma banda que, além de fazer boa música, deixava mensagens às vezes inquietantes, como "celebrar a estupidez humana". Mas moda é coisa que passa, e Legião se escuta até hoje, e muito. Um som para ficar. Nada de "messianismo" ou "Vandré da nova geração", bobagens que chegaram a ser ditas. Renato não era um herói, era poeta. Dependente químico, também não foi anti-herói. Pense na música que se fazia naqueles aparentemente distantes anos 80 e 90. Será que Legião não merece um lugarzinho de destaque nessa discoteca do tempo, no nosso coração musical? Pense logo. Não temos tempo a perder. Pense devagar. Temos todo o tempo do mundo.


Vitor Nuzzi
Rio de Janeiro, 9/8/2006


Quem leu este, também leu esse(s):
01. Terminar o ano correndo de Elisa Andrade Buzzo
02. Concerto Campestre, um clássico contemporâneo de Gabriela Vargas


Mais Vitor Nuzzi
Mais Acessadas de Vitor Nuzzi em 2006
01. Boa nova: o semi-inédito CD de Chico - 2/5/2006
02. Um imenso Big Brother - 6/2/2006
03. Os 40 anos de A Banda versus Disparada - 30/10/2006
04. Outra palavra, da cidade Coração - 11/4/2006
05. Democracia envelhecida - 20/10/2006


Mais Especial 20 anos do Dois
* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

ENVIAR POR E-MAIL
E-mail:
Observações:
COMENTÁRIO(S) DOS LEITORES
13/8/2006
02h03min
Merece, sim. Eu já fui conquistado. Tenho todos os discos, embora, como tu, eu tenha demorado a engrenar, e foi justamente nas Quatro Estações. Depois das Quatro Estações adquiri todos os discos posteriores, e também os anteriores. E se não tomei um porre quando o Renato morreu, garanto que deu uma imensa vontade.
[Leia outros Comentários de Jose]
31/8/2006
20h58min
O texto tá muito bom. Prova mais uma vez que as pessoas realmente se identificavam com as letras da Legião e, mais ainda, o quanto Renato Russo faz falta... Sou fã e presto minha homenagem todos os anos fazendo um Tributo à Legião, aqui em minha cidade. A festa é realizada no Clube dos Fumicultores em Arapiraca/AL. Exibo num telaão vários documentários e entrevistas com Renato Russo e depois a festa fica por conta da Banda Sra Rita em seguida a Banda Zero Oito Dois e finalizamos com uma super boite, com um DJ da região, Nando Quintella. Vocês estão convidados. A próxima festa será no dia 6 de setembro!
[Leia outros Comentários de Paulo Francisco]
COMENTE ESTE TEXTO
Nome:
E-mail:
Blog/Twitter:
* o Digestivo Cultural se reserva o direito de ignorar Comentários que se utilizem de linguagem chula, difamatória ou ilegal;

** mensagens com tamanho superior a 1000 toques, sem identificação ou postadas por e-mails inválidos serão igualmente descartadas;

*** tampouco serão admitidos os 10 tipos de Comentador de Forum.




Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




CONJUGAR VERBOS DE ESPAÑA Y DE AMERICA - 1ª EDIÇÃO - C/ CD AUDIO
ALFREDO GONZALES HERMOSO
EDELSA
(2011)
R$ 104,86



LA MUSICA COMO MEDICINA DEL ALMA
JUNE BOYCE TILLMAN
PAIDOS ESPANHA
(2003)
R$ 50,00



OS PERUS - CRIAÇÃO E APROVEITAMENTO
J. REISORG
MELHORAMENTOS
R$ 17,51



BELMIRO
MÁRIO RUDOLF
NOOVHA AMERICA
(2003)
R$ 5,00



THE WALKING DEAD - A ASCENSÃO DO GOVERNADOR ROBERT KIRKMAN
ROBERT KIRKMAN
GALERA
(2013)
R$ 5,00



DAHMANE
BENEDIKT TASCHEN
TASCHEN
(1994)
R$ 69,90



DA INTERPRETAÇÃO JURÍDICA 2ª EDIÇÃO
MÁRIO FRENZEM DE LIMA (CAPA DURA)
FORENSE (RJ)
(1955)
R$ 17,82



PINHO, PINHEIRO, PINHAO
L. MARQUES
MELHORAMENTOS
(1969)
R$ 7,00



OS SUPER MARKETERS
ROBERT HELLER
HARBRA
(1990)
R$ 6,90



ESPUMAS FLUTUANTES
CASTRO ALVES
KLICK
R$ 6,99





busca | avançada
74137 visitas/dia
1,8 milhão/mês