Notas confessionais de um angustiado (IV) | Cassionei Niches Petry | Digestivo Cultural

busca | avançada
38611 visitas/dia
1,4 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Banda GELPI, vencedora do concurso EDP LIVE BANDS BRASIL, lança seu primeiro álbum com a Sony
>>> Celso Sabadin e Francisco Ucha lançam livro sobre a vida de Moracy do Val amanhã na Livraria da Vila
>>> No Dia dos Pais, boa comida, lugar bacana e MPB requintada são as opções para acertar no presente
>>> Livro destaca a utilização da robótica nas salas de aula
>>> São Paulo recebe o lançamento do livro Bluebell
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Rinoceronte, poemas em prosa de Ronald Polito
>>> A forca de cascavel — Angústia (FUVEST 2020)
>>> O reinado estético: Luís XV e Madame de Pompadour
>>> 7 de Setembro
>>> Outros cantos, de Maria Valéria Rezende
>>> Notas confessionais de um angustiado (VII)
>>> Eu não entendo nada de alta gastronomia - Parte 1
>>> Treliças bem trançadas
>>> Meu Telefunken
>>> Dor e Glória, de Pedro Almodóvar
Colunistas
Últimos Posts
>>> Revisores de Texto em pauta
>>> Diogo Salles no podcast Guide
>>> Uma História do Mercado Livre
>>> Washington Olivetto no Day1
>>> Robinson Shiba do China in Box
>>> Karnal, Cortella e Pondé
>>> Canal Livre com FHC
>>> A história de cada livro
>>> Guia Crowdfunding de Livros
>>> Crise da Democracia
Últimos Posts
>>> Uma crônica de Cinema
>>> Visitação ao desenho de Jair Glass
>>> Desiguais
>>> Quanto às perdas I
>>> A caminho, caminhemos nós
>>> MEMÓRIA
>>> Inesquecíveis cinco dias de Julho
>>> Primavera
>>> Quando a Juventude Te Ferra Economicamente
>>> Bens de consumo
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Ser intelectual dói
>>> O Tigrão vai te ensinar
>>> O hiperconto e a literatura digital
>>> Aberta a temporada de caça
>>> Se for viajar de navio...
>>> Incompatibilidade...
>>> Alguns Jesus em 10 anos
>>> Blogues: uma (não tão) breve história (II)
>>> Picasso e As Senhoritas de Avignon (Parte I)
>>> Asia de volta ao mapa
Mais Recentes
>>> O Livro da moda de Alexandra Black pela Publifolha (2015)
>>> Rejuvelhecer a saude como prioridade de Sergio Abramoff pela Intrinseca (2017)
>>> O livro das evidencias de John Banville Tradução Fabio Bonillo pela Biblioteca Azul - globo (2018)
>>> O futebol explica o Brasil de Marcos Guterman pela Contexto (2014)
>>> O Macaco e a Essencia de Aldous Huxley pela Globo (2017)
>>> BATISTAS, Sua Trajetória em Santo Antônio de Jesus: o fim do monopólio da fé na Terra do Padre Mateus de Jorgevan Alves da Silva pela Fonte Editorial (2018)
>>> Playboy Bárbara Borges de Diversos pela Abril (2009)
>>> Sarah de Theresa Michaels pela Nova Cultural (1999)
>>> A Bela e o Barão de Deborah Hale pela Nova Cultural (2003)
>>> O estilo na História. Gibbon & Ranke & Macaulay & Burckhardt de Peter Gay pela Companhia das Letras (1990)
>>> Playboy Simony de Diversos pela Abril (1994)
>>> Invasão no Mundo da Superfície de Mark Cheverton pela Galera Junior (2015)
>>> José Lins Do Rego- Literatura Comentada de Benjamin Abdala Jr. pela Abril Educação (1982)
>>> A modernidade vienense e as crises de identidade de Jacques Le Rider pela Civilização Brasileira (1993)
>>> Machado De Assis - Literatura Comentada de Marisa Lajolo pela Abril Educação (1980)
>>> A Viena de Wittgenstein de Allan Janik & Stephen Toulmin pela Campus (1991)
>>> O Velho e o Mar de Ernest Hemingway pela Círculo do livro (1980)
>>> Veneno de Alan Scholefield pela Abril cultural (1984)
>>> O Livreiro de Cabul de Asne Seierstad pela Record (2007)
>>> Os Dragões do Éden de Carl Sagan pela Francisco Alves (1980)
>>> O Espião que sabia demais de John Le Carré pela Abril cultural (1984)
>>> Administração de Materiais de Jorge Sequeira de Araújo pela Atlas (1981)
>>> Introdução à Programação Linear de R. Stansbury Stockton pela Atlas (1975)
>>> Como lidar com Clientes Difíceis de Dave Anderson pela Sextante (2010)
>>> As 3 Leis do Desempenho de Steve Zaffron e Dave Logan pela Primavera (2009)
>>> Curso de Educação Mediúnica 1º Ano de Vários Autores pela Feesp (1996)
>>> Recursos para uma Vida Natural de Eliza M. S. Biazzi pela Casa Publicadora Brasileira (2001)
>>> Jesus enxuga minhas Lágrimas de Elza de Almeida pela Fotograma (1999)
>>> As Aventuras de Robinson Crusoé de Daniel Defoe pela LPM Pocket (1997)
>>> Bulunga o Rei Azul de Pedro Bloch pela Moderna (1991)
>>> Menino de Engenho de José Lins do Rego pela José Olympio (1982)
>>> Terra dos Homens de Antoine de Saint-Exupéry pela Nova Fronteira (1988)
>>> O Menino de Areia de Tahar Ben Jelloun pela Nova Fronteira (1985)
>>> Aspectos Endócrinos de Interesse à Estomatologia de Janete Dias Almeida pela Unesp (1999)
>>> Nociones de Historia Linguística y Estetica Literaria de Antonio Vilanova- Nestor Lujan pela Editorial Teide/ Barcelona (1950)
>>> El Estilo: El Problema y Su Solucion de Bennison Gray pela Editorial Castalia/ Madrid (1974)
>>> El Cuento y Sus Claves de Raúl A. Piérola/ Alba Omil (profs. Univ. Tucumán pela Editorial Nova, Buenos Aires (1955)
>>> Las Fuentes de La Creacion Literaria de Carmelo M. Bonet pela Libr. del Collegio/ B. Aires (1943)
>>> As Hortaliças na Medicina Doméstica/ Encadernado de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar (1976)
>>> A Flora Nacional na Medicina Doméstica de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar
>>> Arlington Park de Rachel Cusk pela Companhia das Letras (2007)
>>> Muitas Vidas, Muitos Mestres de Brian L Weiss pela Salamandra (1991)
>>> As Frutas na Medicina Doméstica de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar
>>> Coleção Agatha Christie - Box 8 de Agatha Christie; Sonia Coutinho; Archibaldo Figueira pela HarperCollins (2019)
>>> As Irmãs Aguero de Cristina García pela Record (1998)
>>> Não Faça Tempestade Em Copo Dágua no Amor de Richard Carlson pela Rocco (2001)
>>> Um Estudo Em Vermelho - Edição De Bolso de Arthur Conan Doyle pela Zahar (2013)
>>> Eu, Dommenique de Dommenique Luxor pela Leya (2011)
>>> Os Cavaleiros da Praga Divina de Marcos Rey pela Global (2015)
>>> O Futuro da Filosofia da Práxis de Leandro Konder pela ExpressãoPopular (2018)
COLUNAS

Quarta-feira, 20/7/2016
Notas confessionais de um angustiado (IV)
Cassionei Niches Petry

+ de 1800 Acessos

(...)

XXVI.
“Admitir, desde o início, que a essência desse projeto é o fracasso”. Paul Auster, em A invenção da solidão.
(...)

XXIX.
Assisto a um vídeo de Rubem Fonseca, gravado durante a entrega de um prêmio que ele recebeu em Portugal. O autor, antes recluso, surpreende falando sobre as características de um escritor. Para ele, quem escreve literatura deve ser louco, ter inteligência (apesar de conhecer muitos escritores não muito inteligentes), estar motivado, ter paciência e, principalmente, imaginação.

Só um louco para propor, como dissertação de mestrado, um romance e um caderno de anotações sobre o seu processo de criação. Quanto à motivação para escrever o romance, encontro-a na própria dissertação e no prazo de entrega. A paciência, por sua vez, deve dar lugar à pressa, devido ao prazo para entregar o resultado da pesquisa, o que talvez prejudique o resultado final do processo romanesco. Depois, porém, haverá tempo para reescrever, se necessário.

Tenho imaginação? É o que veremos no decorrer da produção do romance.

XXX.
Romances metaliterários são uma constante nas minhas escolhas de leitura, tendo em vista meu próprio romance e as reflexões que faço em torno dele. Acima de tudo, porém, sou aficionado por esse tipo de leitura. Termino de ler Zuckerman acorrentado, volume com quatro narrativas longas do escritor norte-americano Philip Roth, do qual faz parte o romance Lição de anatomia, anteriormente citado. Retirei dois trechos sobre a criação literária: “Inventar pessoas. Uma atividade benigna quando você está datilografando no aconchego do seu escritório.” (p.279). “Isso é igual a escrever. É você sozinho com uma montanha e uma picareta. É você consigo mesmo, no maior isolamento, com uma empreitada quase irrealizável pela frente. Isso é escrever.” (grifo do autor).

XXXI.
O reinício das aulas traz o escritor, que também é professor, de volta à realidade e ao problema do tempo para escrever. Somam-se a isso as incertezas quanto à fixação dos horários, que se modificam todo o dia, até que se possa estabelecer um cronograma para o desenvolvimento do projeto de mestrado e a escrita do romance. Há ainda reuniões, elaboração de planos de aula, etc., que desviam o caminho já anteriormente traçado. Stephen Koch, no entanto, lembra que é “um erro fatal permitir que o ofício de escrever e o trabalho diurno se tornem inimigos”.

XXXII.
Escrevendo mais alguns parágrafos do romance, penso se ele tem algo de autobiográfico. Se tem, qual personagem tem mais a ver comigo? Ou quais as personagens? É necessário também questionar se uma boa obra literária deva se valer de elementos da vida do autor.

Silvia Adela Kohan, em Como narrar uma história, afirma: “Ao narrar uma história, partimos de experiências pessoais ou recontamos histórias que outros viveram. Estas experiências são retomadas pelo escritor de modo parcial ou total, de modo consciente ou inconsciente.”. É inevitável a inspiração em fatos pessoais, o que reforça o lugar-comum de que quanto mais velho o escritor, melhor ele é, devido às suas experiências de vida. Se comparo os meus textos adolescentes com os de agora, são notórias as diferenças.

(...)

XXXV.
A escolha do narrador em 3ª pessoa, com o foco em Paula, e não em 1ª, foi feita no sentido de acompanhar as reflexões da personagem, mas ainda assim quis deixar certo distanciamento. Como as ideias de Fred são essenciais, optei não por criar outro narrador, mas reproduzir o que seriam falas e textos da personagem num blogue.

Para David Lodge, em A arte da ficção, "a escolha do ponto de vista a partir do qual se conta a história pode ser considerada a decisão mais importante que o romancista pode tomar, pois tem um impacto profundo no modo como os leitores vão reagir, na esfera emotiva e moral, aos personagens e às suas ações".

Afirma que qualquer história de adultério, dependendo de que ponto de vista é contada, pode causar impressões diferentes no leitor. Cita Madame Bovary, porém, nos lembramos de Capitu, que Lodge provavelmente não leu.

Conhecedor do assunto, Lodge analisa um trecho de Pelos olhos de Maise, de Henry James. Aliás, o título do romance já nos revela o ponto de vista em que vai ser contada a história. (O título do meu romance também poderia revelar isso, mas lembro que os óculos podem não se referir às extensões dos nossos olhos.) São vários adultérios revelados “através do olhar de uma garotinha que sofre todas as consequências dos acontecimentos, ainda que mal os compreenda”. O ponto de vista é da pequena personagem, porém o narrador é em terceira pessoa, como se percebe nesse trecho do romance: “Nem mesmo nos velhos tempos das senhoras risonhas ela vira mamãe rir com tanto desprendimento.” A escolha desse ponto de vista foi importante para retratar a ingenuidade infantil e após passar para o olhar desconfiado do adolescente, depois que Maise cresce.

De acordo com Raimundo, o papel do narrador contemporâneo é trabalhar com muitas vozes, diversos narradores, tornando o texto uma experiência mais complexa e, dessa forma, as personagens ganham força. Para ilustrar essa ideia, cita um estudo de Laura Goulart Fonseca sobre Os sinos da agonia, de Autran Dourado, outro criador que teorizou o narrador:

"Na vertente dramática do romance contemporâneo, que teve sua origem em Gustave Flaubert, o narrador simplesmente desaparece da cena narrada e passa a mostrar os eventos. O que ocorre é uma teatralização, o leitor vê a cena, como se ela fosse representada em um palco. Os eventos deixam de ser narrados e passam a ser refletidos na consciência da personagem, de modo que o leitor visualiza a realidade ficcional do ponto de vista de um personagem de um romance, e não do narrador, como se observa no romance autoral."

Essa ideia norteia a eleição do foco narrativo no romance Os óculos de Paula. Devo, no entanto, tomar certo cuidado, seguindo a orientação de David Lodge, "não há regras nem leis determinando que um romance não possa mudar de ponto de vista quando o autor bem entender; mas se essa decisão não for tomada de acordo com algum plano ou sentido estético, o envolvimento do leitor, o processo em que o sentido do texto se produz, será perturbado."


Cassionei Niches Petry
Santa Cruz do Sul, 20/7/2016


Quem leu este, também leu esse(s):
01. Correio de Elisa Andrade Buzzo
02. Claraboia, o jovem Saramago de Marcelo Spalding
03. Glauco: culpado ou inocente? de Gian Danton
04. Entre mudanças e descartes de Vicente Escudero
05. Américas Antigas, de Nicholas Saunders de Ricardo de Mattos


Mais Cassionei Niches Petry
Mais Acessadas de Cassionei Niches Petry em 2016
01. O suicídio na literatura - 13/4/2016
02. Ler para ficar acordado - 18/5/2016
03. Proibir ou não proibir? - 10/2/2016
04. Sobre mais duas novelas de Lúcio Cardoso - 28/12/2016
05. Notas confessionais de um angustiado (V) - 26/10/2016


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




PSICOLOGIA MODERNA
ANTÔNIO XAVIER TELES
ÁTICA
(1985)
R$ 4,15



FREI LUIS DE SOUSA
ALMEIDA GARRET
EDIOURO
R$ 6,00



O PRIMO BASILIO
ECA DE QUEIROZ
SERIE BOM LIVRO ATICA
(2005)
R$ 19,90
+ frete grátis



HOSPITAL
ARTHUR HAILEY
NOVA FRONTEIRA
(1959)
R$ 4,50



NA MINHA CASA É ASSIM
CLAUDIANO AVELINO
PAULUS
R$ 7,00



ENCICLOPÉDIA MARAVILHOSA ZOOLOGIA TOMO 2
PROF H MAIA DOLIVEIRA
EDIGRAF
R$ 28,90



PESCA E PISCICULTURA 2
EURICO SANTOS
VIS MEA IN LABORE
(1983)
R$ 13,00



ARTE E HABILIDADE 9
ÂNGELA ANITA CANTELE LEONARDI, BRUNA RENATA CANTELE
IBEP
(2012)
R$ 25,00



COMÉRCIO EXTERIOR BRASILEIRO
JOSÉ LOPES VAZQUEZ
ATLAS
(1999)
R$ 15,00



O NOVIÇO
MARTINS PENA
PAULUS
R$ 4,00





busca | avançada
38611 visitas/dia
1,4 milhão/mês