Afinidade, maestria e demanda | Fabio Gomes | Digestivo Cultural

busca | avançada
65675 visitas/dia
2,1 milhões/mês
Mais Recentes
>>> Trajetória para um novo cinema queer em debate no Diálogos da WEB-FAAP
>>> ÚLTIMAS APRESENTAÇÕES ONLINE DO ESPETÁCULO O DESMONTE
>>> Rodolpho Parigi participa de live da FAAP
>>> Para fugir de ex-companheiro brasileira dá volta ao mundo com pouco dinheiro
>>> Zé Guilherme encerra série EntreMeios com participação da cantora Vania Abreu
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Entrevista: o músico-compositor Livio Tragtenberg
>>> Cabelo, cabeleira
>>> A redoma de vidro de Sylvia Plath
>>> Mas se não é um coração vivo essa linha
>>> Zuza Homem de Mello (1933-2020)
>>> Eddie Van Halen (1955-2020)
>>> Prêmio Nobel de Literatura para um brasileiro - II
>>> Vandalizar e destituir uma imagem de estátua
>>> Partilha do Enigma: poesia de Rodrigo Garcia Lopes
>>> Meu malvado favorito
Colunistas
Últimos Posts
>>> Zuza Homem de Mello no Supertônica
>>> Para Ouvir Sylvia Telles
>>> Van Halen ao vivo em 1991
>>> Metallica tocando Van Halen
>>> Van Halen ao vivo em 2015
>>> Van Halen ao vivo em 1984
>>> Chico Buarque em bate-papo com o MPB4
>>> Como elas publicavam?
>>> Van Halen no Rock 'n' Roll Hall of Fame
>>> A última performance gravada de Jimmi Hendrix
Últimos Posts
>>> Normal!
>>> Os bons companheiros, 30 anos
>>> Briga de foice no escuro
>>> Alma nua
>>> Perplexo!
>>> Orgulho da minha terra
>>> Assim ainda caminha a humanidade
>>> Três tempos
>>> Matéria subtil
>>> Poder & Tensão
Blogueiros
Mais Recentes
>>> A PROPÓSITO DE UM POEMA
>>> Como E Por Que Ler O Romance Brasileiro
>>> Jornalista, um bicho de 7 cabeças e 10 chifres
>>> O reinado estético: Luís XV e Madame de Pompadour
>>> O amigo do escritor
>>> O primeiro Show do Milhão a gente nunca esquece
>>> SemiÓtica
>>> Vandalizar e destituir uma imagem de estátua
>>> Cinema e os Direitos Humanos
>>> Elogio Discreto: Lorena Calábria e Roland Barthes
Mais Recentes
>>> Dexter Design de Um Assassino de Jeff Lindsay pela Planeta (2011)
>>> Dexter no Escuro de Jeff Lindsay pela Planeta (2010)
>>> Querido e Devotado Dexter de Jeff Lindsay pela Planeta (2009)
>>> O Guardião de Memórias de Kim Edwards pela Sextante (2007)
>>> Querida Filha de Elizabeth Little pela Rocco (2017)
>>> Cinquenta Tons Mais Escuros de E. L. James pela Intrísica (2012)
>>> Cinquenta Tons de Cinza de E. L. James pela Intrísica (2012)
>>> Viver é coisa Perigosa - Orientações para soluções de conflitos de Guilherme Schelb pela Do autor (2008)
>>> Contos (Literatura Francesa) de Voltaire pela Nova Cultural (2003)
>>> Mulherzinhas (Literatura Norteamericana) de Louisa May Alcott pela Nova Cultural (2003)
>>> O morro dos ventos uivantes (Literatura Inglesa/Britânica) de Emily Brontë pela Nova Cultural (2003)
>>> Naná (Literatura Francesa) de Emile Zola pela Nova Cultural (2003)
>>> Babbitt (Literatura norteamericana) de Siclair Lewis pela Nova Cultural (2003)
>>> Ivanhoé (Literatura Escocesa/Britânica) de Walter Scott pela Nova Cultural (2003)
>>> A mulher de Trinta Anos (Literatura Francesa) de Honorè de Balzac pela Nova Cultural (2003)
>>> Razão e Sensibilidade (Literatura Inglesa) de Jane Austen pela Nova Cultural (2003)
>>> Tom Jones (Literatura Inglesa) de Henry Fielding pela Nova Cultural (2003)
>>> Ninguém escreve ao coronel de Gabriel Garcia Marques pela Record (2014)
>>> Tragédias - Romeu e Julieta/Macbeth/Otelo, o mouro de Veneza de William Shakespeare pela Nova Cultural (2003)
>>> Mazzaropi - Uma antologia do riso (Humorismo/Cinema brasileiro) de Paulo Duarte pela Imprensa oficial (2009)
>>> Cordel - Poeta Severino José (Literatura de Cordel) de Luiz de Assis Monteiro (Introdução e antologia) pela Hedra (2001)
>>> STP- Socialismo Teoria Y Prática 2 Febrero -1987 de Ekaterina Shalaieva pela Agência Prensa Nóvosti (1987)
>>> Moll Flanders de Daniel Defoe pela Nova Cultural (2003)
>>> Preceitos Áureos do Esoterismo de G. de Purucker pela Lorenz (1991)
>>> A Metamorfose de Franz Kafka pela Nova Cultural (2002)
>>> Macroeconomia de Olivier Blanchard pela Campus (1999)
>>> Energias Além das Formas de Marly Del Corona pela Casa Editorial Schimidt (1994)
>>> Madame Bovary de Gustave Flaubert pela Nova Cultural (2002)
>>> Noites do Sertão de João Guimarães Rosa pela José Olympio (1976)
>>> A Arte da Ilusão de Nora Roberts pela Harper Collins (2015)
>>> Farmacologia Clínica para Dentistas 2ªed. de Lenita Wannmacher - Maria Beatriz Cardoso Ferreira pela Guanabara Koogan (1999)
>>> Signos em Rotação de Octavio Paz pela Perspectiva (1990)
>>> Mulheres Empilhadas de Patrícia Melo pela Leya (2019)
>>> Extraordinário de R,J Palacio pela Intríseca (2014)
>>> O Homem Revoltado de Albert Camus pela Record (1996)
>>> Antologia Meus Contos Preferidos de Lygia Fagundes Telles pela Rocco (2004)
>>> Educar Professores? de Beatriz Alexandrina de Moura Fétizon pela Universidade de São Paulo (1984)
>>> A Geração das Palavras: Skinner e Chomsky Vol 25 de Maria da Penha Villalobos pela Universidade de São Paulo (1986)
>>> A Televisão e os Adolescentes A Sedução dos Inocentes Vol 22 de Heloisa Dupas Penteado pela Universidade de São Paulo (1983)
>>> Revista do Instituto de Estudos Brasileiros n. 41 de Prof. Dra. Marta Rossetti Batista (Diretora) pela Universidade de São Paulo (1996)
>>> Os Ministérios na Igreja dos Pobres de Alberto Parra S. J. pela Vozes (1991)
>>> Direitos Humanos Direitos dos Pobres de Leonardo Boff e Outros pela Vozes (1991)
>>> A Cristandade Colonial Mito e Ideologia de Riolando Azzi pela Vozes (1987)
>>> A Militarização da Questão Agrária no Brasil de José de Souza Martins pela Vozes (1984)
>>> Holocausto Desafio à Teologia Cristã de S. Shapiro e Outros pela Vozes (1984)
>>> Odontopediatria 7ªed. de Ralph E. Mcdonald- David R. Avery pela Guanabara Koogan (2001)
>>> O Poder dos Donos de Marcel Bursztyn pela Vozes (1984)
>>> Homenagem a Ugo Foscolo Omaggio de Elvira Rina M. Ricci Professora Responsável pela Universidade de São Paulo (1979)
>>> No País das Fadas e Outras Histórias Fantásticas de H. G. Wells pela Paulicéia (1993)
>>> O Feminino na Psicanálise de Heliane de Almeida Lins Leitão e Outros pela Edufal (2001)
COLUNAS

Segunda-feira, 26/9/2016
Afinidade, maestria e demanda
Fabio Gomes

+ de 2200 Acessos

No último dia 17, tirei do ar aquele que foi meu primeiro site, o Brasileirinho. Voltado para a veiculação de notícias e comentários sobre música popular brasileira, em especial samba e choro, o Brasileirinho completaria dali a um mês a incrível marca de 14 anos no ar (sua estreia foi no já distante 17 de outubro de 2002).

14 anos na internet é uma eternidade, ainda mais no Brasil, onde projetos semelhantes - independentes, opinativos, buscando um olhar diferenciado sobre a produção cultural - dificilmente duram tanto. Parece haver uma bifurcação quase inevitável nesses casos: poucos desses espaços independentes conseguem se viabiilizar financeiramente, ao passo que os mais bem-sucedidos economicamente quase sempre não são os que privilegiam a liberdade de expressão. O sonho de você poder escrever o que quiser, quando quiser, no tamanho que preferir e obter simultaneamente um bom índice de leitura e de anúncios cada vez me soa mais roteiro de Hollywood.

Um dos mantras da sociedade ocidental hoje em dia é que "você tem que fazer o que gosta". Eu acho isso ótimo - não só eu, aliás, até o filósofo Mario Sergio Cortella declarou em entrevista à revista Época em 2014 que "só um imbecil gostaria de fazer o que não curte". E até se viralizou uma frase atribuída ao chinês Confúcio - há diversas versões, todas uma variação de “Escolha um trabalho que você ama e você nunca terá que trabalhar um dia sequer na vida”. Propositalmente se ignora que a chance de Confúcio realmente ter dito isso é bem escassa. O filósofo viveu de 551 a 479 a.C., período em que o que menos uma pessoa poderia fazer na vida era justamente... escolher em que trabalhar (lembrando que o modelo atual de trabalho assalariado só vai surgir após a Revolução Industrial, no século 18 - apenas 2.400 após Confúcio...) Para não ir tão longe no tempo e no espaço, fiquemos na China, pensando na construção da Grande Muralha no século 3 a.C. Estima-se que mais de um milhão de operários - soldados, camponeses e prisioneiros - constituíram a mão-de-obra desta imensa construção; desses, cerca de 800 mil morreram em meio ao trabalho devido à péssima alimentação e à falta de proteção contra o frio. Será que alguém em sã consciência iria escolher isto?

Voltando pros dias atuais, penso que a dicotomia que apresentei entre projetos que conseguem se viabilizar e outros que não conseguem passa pela tríade que preside qualquer trabalho que nos proponhamos a fazer. afinidade, maestria e demanda.

Por afinidade, designo a inclinação que tenhamos para uma atividade específica. Pode ser entendido como o atual conceito de amar o que se faz (no caso do meu site, seria escrever sobre aspectos da história da MPB - isso é evidentemente algo que eu sempre gostei de fazer! :). E também fecha com o conceito que se pensava até a virada do século (ou ao menos, que eu pensava na época), o de fazer sentido.
Um exemplo de fazer sentido: em 1996, ingressei, via concurso, no serviço público, como funcionário municipal de Porto Alegre, nível médio. O cargo, denominado 'assistente administrativo', possuía funções variáveis de acordo com o local onde o servidor fosse designado. Iniciei atendendo reclamações da população pelo telefone, e mais adiante fui ser secretário de um diretor, cabendo-me basicamente rotina burocrática (carimbar processos, numerar folhas, encaminhar documentos etc). Evidentemente que eu não amava nenhuma destas funções, mas devo dizer que ao menos na primeira (atender a população) eu via sentido no que estava fazendo - a população pagava meu salário, através de impostos como IPTU e ISSQN, e eu retribuía recebendo e encaminhando as solicitações que ela apresentava. Talvez seja desnecessário dizer, mas esse conceito do que fazia sentido ou não era algo bem particular meu, não via mais ninguém falando nisso. De todo modo, levei esse meu pensar também para o Jornalismo. Mesmo com minha natural inclinação para escrever sobre Cultura, durante algum tempo eu não me opunha a, caso viesse a ingressar numa redação depois de formado, atuar em  outras editorias, como fazia quando comecei a trabalhar em jornal em 1991. Mas os sucessivos escândalos políticos e econômicos que nosso país viveu desde o afastamento do presidente Collor de Mello, em 1992, me levaram a não considerar outras opções além das pautas culturais - eu não veria sentido em, cobrindo crises de corrupção, apenas me limitar a reproduzir declarações de políticos que dali a poucos meses ou estariam condenados pelo que tinham feito, ou pior - fariam um conchavo para escapar impunes, como tantas vezes já aconteceu neste país.

Já com o termo maestria eu denomino a forma como executaremos o que nos propomos. Digamos que eu, por amar o som do violão, resolvesse me tornar um concertista, para tocar peças eruditas de Segovia, Villa-Lobos e companhia. Só amor ao instrumento e à música poderiam não ser suficientes, pra fechar a equação seria preciso muito tempo de estudo, talento etc. etc. Assim como não basta amar o que se faz para ter sucesso, com toda a certeza (apenas) querer não é poder! (Sim, tirei o dia para desconstruir essas frases-feitas)

Por fim, temos a questão da demanda, que acaba sendo a mais decisiva. Ok, amo escrever sobre história da MPB e fazer resenhas de shows, e até acredito que faça isso bem. Mas qual o mercado disto? Nunca na minha vida um artista me chamou para resenhar um show dele - já aconteceu, sim, de me encomendarem releases, contratarem assessoria de imprensa, até chamarem pra produzir o trabalho e/ou roteirizar shows; óbvio que ninguém me chamaria pra fazer isso se não estivesse lendo e curtindo o que escrevi. Mas isso é indireto, não é? Nunca rolou de "cara, você resenhou tão bem aquele show do Hermeto Pascoal, tou te contratando pra você escrever sobre o meu" (risos). Ou mesmo o que, lá no começo do Brasileirinho, eu achava possível de acontecer - um jornal ou revista gostar dos meus textos e me contratar (sim, em 2002 eu acreditava que isso pudesse acontecer!).
(Já com fotografia as chances aumentam muito - o artista X vê você fotografando o show da cantora Y, ou vê as fotos que você fez publicadas por aí, gosta e lhe chama pra registrar a apresentação dele, artista X, mas também não é a toda hora. Na imagem que ilustra o post, de autoria de Chico Terra, apareço de verde, fotografando um show da cantora Patrícia Bastos em Macapá, em agosto de 2014.)
Resumindo a ópera: por mais que eu tenha afinidade com o jornalismo cultural, e acredite ter maestria em sua execução, a demanda que ele gera é muito pequena, tornando impossível que eu possa me manter apenas com ele.

Enfim, quis falar disso porque vejo hoje muita gente pregando o fazer-o-que-se-gosta como a verdade universal. Se você consegue fazer bem (maestria) o que gosta (afinidade) e isso tem uma boa procura (demanda), que ótimo! Mas e se não tiver? Há que buscar alguma outra coisa em que você tenha maestria (ou se não tem hoje, possa vir a ter, fazendo um curso, por exemplo) e com a qual você encontre afinidade - ou, no mínimo, que faça sentido.

Para encerrar, compartilho com vocês uma frase da jornalista Mary Camata: Amar a profissão não significa gostar de trabalhar de graça.


Fabio Gomes
Macapá, 26/9/2016


Quem leu este, também leu esse(s):
01. O que aconteceu com a Folha de S. Paulo? de Julio Daio Borges
02. Mulheres fantásticas e futuristas de Carla Ceres
03. A Tragédia de Plínio de Guilherme Conte
04. Outro mundo de Eduardo Carvalho
05. Cem anos de música do cinema de Fabio Silvestre Cardoso


Mais Fabio Gomes
Mais Acessadas de Fabio Gomes em 2016
01. Etapas em combustão - 18/4/2016
02. Caiu na rede, virou social - 8/8/2016
03. Eu blogo, tu blogas? - 4/7/2016
04. Você sabe quem escreveu seu show preferido? - 21/3/2016
05. Em 2016, pare de dizer que você tem problemas - 11/1/2016


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




SALVE SUA VIDA
ERICA JONG
CÍRCULO DO LIVRO
(1977)
R$ 5,00



ENCICLOPÉDIA DOS CRAQUES - 2 VOLUMES
MARCELO DUARTE E MÁRIO MENDES
PANDA BOOKS
(2015)
R$ 36,66



AS MIL E UMA NOITES-O SABOR DOS DIAS
RENE R KHAWAN - TRADUÇÃO DE ROLANDO ROQUE DA SILVA
BRASILIENSE
(1993)
R$ 5,00



VOYAGE - 2ª EDIÇÃO
ABREU, ADELINO DOS SANTOS
EDICON
(1985)
R$ 7,00



TIPO ASSIM
KLEDIR RAMIL
RBS PUBLICAÇÕES
(2003)
R$ 5,00



A MÁQUINA DE CAMINHAR
CRISTOVÃO TEZZA
RECORD
(2016)
R$ 24,00



MEMÓRIAS DA ILHA
LUCIANA SANDRONI
AGIR
(1991)
R$ 12,00



DANO MORAL, DANO MATERIAL: REPARAÇÕES - 4ª ED.
FABRÍCIO ZAMPROGNA MATIELO
SAGRA (PORTO ALEGRE)
(1998)
R$ 20,82



É URGENTE REEDUCAR!
PIVA NETTO
ELEVAÇÃO
(2010)
R$ 14,20



CRISE NO SITEMA MUNDIAL : POLÍTICA E BLOCOS DE PODER
JOSÉ AGUSTIN SILVA MICHELENA
PAZ E TERRA
(1977)
R$ 7,90





busca | avançada
65675 visitas/dia
2,1 milhões/mês