'Hysteria' Revisitada | Duanne Ribeiro | Digestivo Cultural

busca | avançada
40883 visitas/dia
1,0 milhão/mês
Mais Recentes
>>> CONGRESSO DE ENSINO/APRENDIZAGEM DAS ARTES NA AMÉRICA LATINA: COLONIALISMO E QUESTÕES DE GÊNERO
>>> FERNANDA CABRAL SE APRESENTA NA CAIXA CULTURAL BRASÍLIA
>>> Projeto Entrecruzados lança livro e videodança documental
>>> Inscrições Abertas || Residência Artística no Jardim Botânico de Brasília
>>> Gravação de videoclipe quase provoca prisão do irmão de Gabriel o Pensador
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> No palco da vida, o feitiço do escritor
>>> Um olhar sobre Múcio Teixeira
>>> Algo de sublime numa cabeça pendida entre letras
>>> estar onde eu não estou
>>> Nos escuros dos caminhos noturnos
>>> As Lavadeiras, duas pinturas de Elias Layon
>>> T.É.D.I.O. (com um T bem grande pra você)
>>> As palmeiras da Politécnica
>>> Como eu escrevo
>>> Goeldi, o Brasil sombrio
Colunistas
Últimos Posts
>>> Por que ler poesia?
>>> O Livro e o Mercado Editorial
>>> Mon coeur s'ouvre à ta voix
>>> Palestra e lançamento em BH
>>> Eleições 2018 - Afif na JP
>>> Lançamentos em BH
>>> Lançamento paulistano do Álbum
>>> Pensar Edição, Fazer Livro 2
>>> Ana Elisa Ribeiro lança Álbum
>>> Arte da Palavra em Pernambuco
Últimos Posts
>>> É premente reinventar-se
>>> Contraponto
>>> Aparições
>>> Palavra final
>>> Direções da véspera I
>>> Nada de novo no front
>>> A Belém pulp, de Edyr Augusto
>>> Fatos contábeis
>>> Jaula de sombras
>>> Camadas tectônicas
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Shiko e Chico!
>>> Outubro literário
>>> Entre o Curtir e o Trollar
>>> Os Doze Trabalhos de Mónika. 1. À Beira do Abismo
>>> un dos sitios máis modélicos
>>> Senhor Amadeu
>>> Hilda Hilst
>>> Hilda Hilst
>>> Brincando de ignorar a internet
>>> A dama brasileira do crime
Mais Recentes
>>> Quatro rodas--novo honda cr-v--jac j3 e quente ou uma gelada?. de Abril pela Abril (2012)
>>> Som & carro--a n:1 do som automotivo--45--testes-mercedes c280,corsa. de S&c pela S&c
>>> Carro hoje--52--honda brio. de Motor press brasil pela Motor press brasil
>>> Auto esporte--450--astra gsi--phaeton w12. de Globo pela Globo
>>> Go Girl! Melhores Amigas - Amigas Para Sempre de Chrissie Perry pela Fundamento (2011)
>>> A cor do seu cérebro. de Sheila N. Glazov pela Novo Conceito (2009)
>>> Entre o Céu e a Terra de Bruxa Déia pela Independente
>>> Gestão de Negócios em Alimentação. Princípios e Práticas. de June payne Palacio e Monica Theis pela Manole (2015)
>>> TACO. Tabela de Composição de Alimentos.Suporte para Decisão Nutricional. de Sônia Tucunduva Philippi pela Manole (2013)
>>> Alimentos saudáveis. Alimentos Perigosos. de Sergio Charlab pela Seleções do Reader's Digest (1996)
>>> Manual da Caça às Bruxas (Malleus Maleficarum) de Heinrich Kraemer e James Sprenger pela Três
>>> Autismo. Esperança pela Nutrição. História de vida,lutas, conquistas e muitos ensinamentos. de Cláudia Marcelino pela M.Books (2010)
>>> Pirâmide dos Alimentos. Fundamentos Básicos da Nutrição. de Sônia Tucunduva Philippi pela Manole (2014)
>>> Atendimento Nutricional a Crianças e Adolescentes. Visão Prática. de Dith Medeiros de Mesquita, Fernanda Ferreira Corrêa. Maria do Carmo Azevedo Leung. Mônica Santiago Galisa. pela Roca (2014)
>>> Amor e Magia de Marlene Goldsmith pela Pallas (1989)
>>> Emagrecimento Permanente. Nutrição para uma vida saudável. de Manuela Dolinsky pela Roca (2015)
>>> Se... Será, Serafina? de Cristina Porto pela Ática (1991)
>>> Educação Alimentar e Nutricional de Mônica Galisa, Alessandra Paula Nunes, Luciana Garcia, Sandra Chemin pela Roca (2014)
>>> A Vida Íntima das Mulheres - O Relatório Chapman de Irving Wallace pela Nova Fronteira (1980)
>>> A Técnica Literária e Seus Problemas de Carmelo M. Bonet pela Mestre Jou (1970)
>>> Hot--16--+ velozes + furiosos--fuscao 2.6. de Sisal pela Sisal
>>> Moto adventure--144-suzuki--hayabusa gsx1300r. de Grazy turkey pela Grazy turkey
>>> Escolha o Seu Sonho de Cecília Meirelles pela Record (1964)
>>> Écfrase e evidência nas letras latinas: doutrina e práxis de Melina Rodolpho pela Humanitas (2012)
>>> Abc da literatura de Ezra Pound pela Cultrix (2006)
>>> Aula de Roland Barthes pela Cultrix (2004)
>>> Esfinge clara e outros enigmas de Othom M. Garcia pela Topbooks (1996)
>>> Diário de Um Banana - Vol. 6 - Casa Dos Horrores de Jeff Kinney pela Vergara & Riba (2013)
>>> Car stereo tuning--72--hot station. de Grazy turkey pela Grazy turkey (2005)
>>> Hot--36--frances sarado--marea turbo 300 cv. de Sisal pela Sisal
>>> Motor show--400--ediçao especial de aniversario. de Editora tres pela Tres (2016)
>>> Carro--n:200--uno contra 8. de On line pela On line (2010)
>>> Aero magazine--99--veloz como nunca--skylane tc turbo. de Nova cultural pela Nova cultural
>>> Aviao revue--95--boeing 767--airbus a380--27 avioes para ver na labace. de Motor press brasil pela Motor press brasil (2007)
>>> Car stereo--138--ces-las vegas--mata formiga--nissan 350z de 750hp. de Grazy turkey pela Grazy turkey
>>> Car stereo tuning--74--fera radical--eclipse solar--estrela do sul--professor pardal--japa transformer de Grazy turkey pela Grazy turkey (2005)
>>> Hot rods--ano:4--n:55--collector show--chevy 1952--pontiac 1974 de Grazy turkey pela Grazy turkey
>>> Ontem, Eu Chorei - Celebrando as lições da vida e do amor de Iyanla Vanzant pela Sextante (2001)
>>> Probabilidade Aplicações à Estatística de Paul L. Meyer pela Ao Livro Técnico (1972)
>>> A Cura Espiritual de Jack Angelo pela Estampa - Lisboa (1994)
>>> Sempre Existe uma Razão de Elisa Masselli pela Mensagem de Luz (2007)
>>> Oriente e Ocidente: Razão, natureza e graça - Tomás de Aquino em sentenças de Luiz Jean Lauand pela Edix (1993)
>>> Plants vs. Zombies. Garden Warfare de Paul Tobin pela Pixel (2016)
>>> Sistema financeiro da habitação: uma análise sócio-jurídica da gênese, desenvolvimento e crise do sistema de José Maria Aragão pela Juruá (2001)
>>> Introdução à Aquarela de Ray Smith pela Manole (1994)
>>> Retorno à Amazônia de Jean-Michel Cousteau pela Cultura Sub (2013)
>>> Eu sou o Mensageiro de Markus Zusak pela Intrínseca (2007)
>>> Água para Elefantes de Sara Gruen pela Sextante (2007)
>>> Pirâmide Vermelha de Rick Riordan pela Intrínseca (2010)
>>> Tudo o que você pensa pense ao contrário de Paul Arden pela Intrínseca (2008)
COLUNAS

Terça-feira, 20/12/2016
'Hysteria' Revisitada
Duanne Ribeiro

+ de 1500 Acessos

Primeiramente encenado em 2001, o espetáculo Hysteria, do Grupo XIX de Teatro, teve uma nova temporada neste 2016, em comemoração aos 15 anos da companhia. Montada em um casarão da Vila Maria Zélia, em São Paulo – primeira vila operária do Brasil, região tombada – a peça traz histórias de um asilo para mulheres diagnosticadas com histeria, na virada do século XIX ao XX. Conforme se conta as vidas fraturadas das personagens, elabora-se um pensamento sobre identidade e se constrói relações entre protagonistas, coadjuvantes e espectadores (essa distinção ficará clara). Hysteria é, sobretudo, uma obra em primeira pessoa: recupera raízes tendo em vista estabelecer uma sororidade nova e um passado reconhecível como comum.

O espetáculo é dirigido por Luiz Fernando Marques e conta com as atrizes Evelyn Klein, Mara Helleno, Janaina Leite, Juliana Sanches e Tatiana Caltabiano. Tendo sido a criação de estreia do XIX de Teatro, anunciou desde lá a sua preocupação perene com a pesquisa da história do país, o trabalho em relações a vozes suprimidas e a recuperação da memória dos espaços físicos. Na Maria Zélia, estão desde 2004. Ocupam lá o Armazém 19, onde estão em cartaz com Teorema 21, além de oferecer residências e projetos de formação (com editais 2017 abertos).

O primeiro recurso importante de Hysteria é a divisão do público. Os homens entram primeiro. Passam pelas internas e sentam em uma arquibancada nos fundos. O que pareceria prioridade é a colocação do público masculino em uma posição secundária. Logo, a governanta do hospício chama as mulheres — elas entram na peça como novas histéricas, e sentam-se nos bancos que formam o cenário. Serão interpeladas pelas veteranas, a gestora lhes percorrerá os cabelos em busca de piolhos, dançarão com as outras, em roda, rebeldes.

Dessa forma, como esbocei, são as mulheres pelo menos coadjuvantes e por vezes protagonistas, ao passo em que os homens permanecem na situação de espectadores. Assistem aos fatos, sem ação ou expressão, imobilizados atrás da quarta parede. Tal estrutura ecoa os debates em torno de “lugar de fala” — as circunstâncias pessoais, políticas e culturais que dão forma às atitudes e opiniões de alguém (mais sobre esse conceito, neste texto, do qual extraio minha metáfora). A escolha é por trazer à tona a experiência feminina; nesse sentido, a inversão é clara: essa conjuntura de inação e mudez é, com efeito, análoga a que marcou com mais violência as personagens da peça e que, com outras manifestações, pode marcar o público feminino presente.

A dramaturgia, por essa via, abre duas possibilidades de vivência. A primeira, às mulheres, que estarão sempre sublinhadas como sujeitos. A segunda, a nós, homens. Penso que o que se põe como tarefa para nós é notar que a nossa ausência, enquanto público, em relação à história, é a ausência do doutor que gere o asilo, dos maridos e pais que trancaram as meninas. Isentos, o que somos é da mesma matéria do poder que as cerca e oprime, mas se mantém só horizonte. Por isso, é preciso perceber que a a passividade em que nos colocam não é do mesmo gênero da de outros espetáculos. É preciso ver-se sem agir, ver-se sem falar, e compreender-se nisso.

Os Pontos de Vista são Únicos
Para construir ou potencializar a condição de sujeito quanto ao público feminino, Hysteria faz obliquidades, pontos cegos. É apenas uma mulher que ouve um segredo dito ao pé do ouvido. É apenas uma mulher a quem se pergunta vários dados da sua vida, dos quais se comporá um poema dedicado a ela. São apenas algumas mulheres a quem se pedirá que leiam os bilhetes dos abandonados à roda dos enjeitados. A peça se multiplica em vivências particulares. Nem todos veem as mesmas coisas, nem todos experimentam as mesmas coisas. É dessa maneira, é claro, a vida. O que nos permite expandir as perspectivas é o encontro, a congruência.

Hysteria me confirma nessa última tese? Creio que sim. A encenação procede por monólogos, quase sempre, a cada vez uma personagem expõe a sua dor intransferível. “Eu estou boa, meu marido João vem me buscar hoje”, repete e repete uma delas, sem que João chegue. Chegará? Sabemos (?) desde o início que não. Outra, marcada por uma timidez, por uma calma nervosa, esconde um crime, causado pelo não cumprimento do mínimo do contrato matrimonial. Ainda outra, envia cartas à Jesus e o sente adentrá-la como luz. A governanta, por fim, resíduo de um percurso de sonhos frustrados. Nós as escutamos uma a uma, todavia não se diminui isso a um solipsismo: através da fala individual se entrevê a comunidade.

A Memória Comum Perdura
“Você é como nós”, acusa uma interna à governanta quando esta teve o seu diário devassado. Você é uma de nós, o espetáculo declara a cada coadjuvante. Isto, desde as suas primeiras cenas, quando algumas se tornam cúmplices das veteranas, escondendo o citado caderno da gestora. Também quando, após uma rodada de declamação poética entre as personagens, uma pessoa do público é chamada a subir na mesa e ser poeta por sua vez. No dia em que eu estive lá, isso se deu de maneira maravilhosa: a mulher, antes um pouco constrangida pela interação com as atrizes, disse os versos com clareza, vividez e espontaneidade, provendo esta apresentação da montagem com algo de irredutível.

As identidades parciais vão, por esses diálogos, compondo uma identidade do grupo, que pode agora abranger de uma forma íntima o público, pelas interações criadas. Essa união ganha uma força maior que o poder masculino que as mantinha no armazém fechado. Era a disciplina dos doutores, dos maridos, dos pais, da religião, que trancavam de fato as portas, e isso se rompe. A chuva lá fora indica o instante de quebra: as internas abrem as saídas, conclamam: “Vem pra chuva! Vem sentir a chuva escorrer”. O símbolo é potente: estar em contato com o mundo, tê-lo no corpo, prescindir de proteção. Ouvimos o seu riso lá fora. De repente é tão claustrofóbico o espaço em que estamos. A liberdade tem sua simplicidade.

Destaca-se nessa cena o momento em que a personagem feminista, cabelos curtos, versos na ponta da língua, antagonista do pai e denunciadora da hipocrisia do esposo, retorna e, contra a luz do dia, anuncia: “Nós seremos lembradas”. Assim, a peça nos leva à conclusão com a mão de quem nos aponta uma estrada. Em Hysteria, o ponto final são portas abertas.

Nota do Editor
Mais conteúdo de Duanne Ribeiro (artigos, críticas, entrevistas e ensaios) em duanneribeiro.info.


Duanne Ribeiro
São Paulo, 20/12/2016


Quem leu este, também leu esse(s):
01. Em Tempos de Eleição de Marilia Mota Silva
02. Educação divertida e diversão educativa de Carla Ceres
03. Dono do próprio país de Carla Ceres
04. Memória insuficiente de Vicente Escudero
05. Pressione desfazer para viver de Ana Elisa Ribeiro


Mais Duanne Ribeiro
Mais Acessadas de Duanne Ribeiro
01. Bailarina salta à morte, ou: Cisne Negro - 15/2/2011
02. Manual para o leitor de transporte público - 29/3/2011
03. Diário de Rato, Chocolate em Pó e Cal Virgem - 2/10/2012
04. O que mata o prazer de ler? - 21/12/2010
05. Pra que ler jornal de papel? - 18/5/2010


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




DEUS É INÚTIL
JEAN PAILLARD
PAZ E TERRA
(1971)
R$ 10,00



MODIGLIANI
DORIS KRISTOF
TASCHEN
(2018)
R$ 50,00



AUSTRÁLIA. GUIA VISUAL
FOLHA DE SÃO PAULO
FOLHA
(2000)
R$ 35,70



PIERRE TEILHARD DE CHARDIN OU LA FOI AU MONDE
JEAN ONIMUS
PLON
(1963)
R$ 32,00



MICRORGANISMOS, FUNGOS E PLANTAS
CTC - CIÊNCIA E TECNOLOGIA COM CRIATIVIDADE - ABRAMUNDO
ABRAMUNDO
(2014)
R$ 52,54



GAVIÃO ARQUEIRO - PEQUENOS ACERTOS
MATT FRACTION E OUTROS
PANINI
(2016)
R$ 25,17



O PÓS-DRAMÁTICO (TEATRO)
J. GUINSBURG E SÍLVIA FERNANDES (ORGS.)
PERSPECTIVA
(2010)
R$ 35,00



AS IDEIAS DE SARTRE
ARTHUR DANTO
CULTRIX
(1988)
R$ 15,00



BAND OF BROTHERS (COMPANHIA DE HERÓIS)
STEPHEN E. AMBROSE
BERTRAND BRASIL
(2004)
R$ 30,00



A SALA DOS RÉPTEIS - DESVENTURAS EM SÉRIE 2
LEMONY SNICKET
COMPANHIA DAS LETRAS
(2002)
R$ 20,95





busca | avançada
40883 visitas/dia
1,0 milhão/mês