Precisamos falar sobre Kevin | Renato Alessandro dos Santos | Digestivo Cultural

busca | avançada
21498 visitas/dia
708 mil/mês
Mais Recentes
>>> Mulheres detêm o poder do mundo em eletrizante romance de Naomi Alderman
>>> Comédia Homens no Divã faz curta temporada no Teatro Municipal Paulo Eiró
>>> Ballet Acadêmico da Bahia apresenta STAR DANCE no TCA, dia 07/06 às 20h
>>> Zé Eduardo faz apresentação no Teatro da Rotina, dia 30.05
>>> Revista busca artigos inspirados no trabalho de professores
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> A Fera na Selva, filme de Paulo Betti
>>> Raio-X do imperialismo
>>> Cães, a fúria da pintura de Egas Francisco
>>> O Vendedor de Passados
>>> A confissão de Lúcio: as noites cariocas de Rangel
>>> Primavera para iniciantes
>>> Nobel, novo romance de Jacques Fux
>>> De Middangeard à Terra Média
>>> Dos sentidos secretos de cada coisa
>>> O pai da menina morta, romance de Tiago Ferro
Colunistas
Últimos Posts
>>> Lançamentos em BH
>>> Lançamento paulistano do Álbum
>>> Pensar Edição, Fazer Livro 2
>>> Ana Elisa Ribeiro lança Álbum
>>> Arte da Palavra em Pernambuco
>>> Conceição Evaristo em BH
>>> Regina Dalcastagné em BH
>>> Leitores e cibercultura
>>> Sarau Libertário em BH
>>> Psiu Poético em BH esta semana
Últimos Posts
>>> Lars Von Trier não foi feito para Cannes
>>> O brasileiro e a controvérsia
>>> Greve de caminhoneiros e estupidez econômica
>>> Publicando no Observatório de Alberto Dines
>>> Entre a esperança e a fé
>>> Tom Wolfe
>>> Terra e sonhos
>>> Que comece o espetáculo!
>>> A alforja de minha mãe
>>> Filosofia no colégio
Blogueiros
Mais Recentes
>>> O Bigode
>>> A dor do inexplicável
>>> Caiu na rede, virou social
>>> Davi, de Michelangelo: o corpo como Ideia
>>> Mas afinal, o que é podcasting?
>>> Contra um Mundo Melhor, de Luiz Felipe Pondé
>>> Nhô Guimarães
>>> Destaques da Mostra Internacional de Cinema
>>> E eu comprei um iPod; e a minha vida mudou
>>> Deus: uma invenção?, de René Girard
Mais Recentes
>>> Manual de direito penal brasileiro
>>> História das Literaturas- Teatro Vivo
>>> História das Literaturas-Noções ds Literaturas Volume 2
>>> Filoctetes
>>> Enquanto a noite não chega
>>> Contabilidade de custos facil
>>> Sociologia aplicada a administração
>>> História das Literaturas-Clareza e Mistério da Crítica
>>> O Negrinho do Pastoreio - Conto popular
>>> Machado de Assis- histórias mal contadas e outros assuntos
>>> Afrânio Coutinho - Romances Completos
>>> Novas Prioridades Para o Currículo
>>> Revista Brasileira de História Nº 48 - Produção e Divulgação
>>> Educação - Modernização ou Dependência?
>>> Vida e Educação
>>> Hard Times
>>> Aspectos da Formação Brasileira
>>> Ensino, Sua Técnica - Sua Arte - 3ª Edição
>>> Cotidiano e Diferentes Saberes
>>> Educação Para Uma Vida Criativa - 2ª Edição
>>> Oxigênio
>>> Bombardeiros da 2ª Guerra Volume 1
>>> A Guerra do Fim do Mundo - 2ª Edição
>>> No Wonder They Call Him The Savior
>>> Ophélia Speaks
>>> Gaudí
>>> Foto-Grafismo
>>> Arte Moderna no Salão Nacional 1940-1982
>>> The Assassin - The Explosive Badge of Honor Novel
>>> The Wonderful Wizard Of Oz - Penguin Popular Classics
>>> Tempo de Médico
>>> Um Guia Para os Remédios Florais do Dr. Bach
>>> The Rainmaker
>>> The Trailsman - Montana Fire Smoke Nº 130
>>> The Final Diagnosis
>>> A Queda da França Volume 3 - O Colapso da Terceira República
>>> A Queda da França Volume 2 - O Colapso da Terceira República
>>> A Queda da França Volume 1 - O Colapso da Terceira República
>>> O Romano
>>> Parati Entre Dois Pólos
>>> Cem Dias Entre Céu E Mar
>>> Parati Entre Dois Pólos
>>> Viagens internacionais - O Nomadismo da Conscienciologia
>>> Vagamundo
>>> Os Lusíadas
>>> História de Mayta
>>> Erros Médicos
>>> Aspectos do Antigo Egito
>>> Saúde Natural Para Mulheres Gravidas
>>> Um Liberal da República - Volume 1
COLUNAS

Terça-feira, 5/12/2017
Precisamos falar sobre Kevin
Renato Alessandro dos Santos

+ de 1400 Acessos

Gosto de Kevin Spacey, como gosto de Woody Allen; não na mesma proporção, mas ambos terão no seu curriculum a acusação do sexo mais vil, seja o estupro seja a pedofilia. Uma pena. Em nosso tempo, distinguir o artista de sua vida é impossível. Mas sempre haverá aqueles a quem Annie Hall ou House of cards falem mais alto. De de fato fica difícil separar as coisas. Mas é preciso.

Falemos de Kevin e deixemos de lado, Woody, casado e neurótico, esse inegável artista genial. Falemos de Kevin, porque as notícias recentes dão conta de um monstro por trás do ator. Vencedor de dois Oscar, Spacey caminhou pintando como bem quis e bordando seu brasão naqueles férteis terrenos shakespearianos em que a virtude desaparece àqueles que carecem de princípios, mesmo que seja o princípio banhado a sangue e minério daqueles tempos em que a espada era a lei, embora a moral e a ética, modeladas a seu tempo, já estivessem ali para soterrar os espíritos mais daninhos.

Penso nas vítimas, especialmente, nos dois rapazes que serviram de matrioska a Kevin. Anthony Rapp tinha 14 anos em 1986; Kevin Spacey, 26. Como o site de notícias da BBC anunciou: “ele me carregou no colo como um noivo carrega a noiva... então, se deitou em cima de mim”. Usar desse poder masculino, em que, pisando astros distraído, tudo é possível e permitido a eleitos homens, é coisa de dar vergonha alheia... Trata-se da permissividade em que a ética, a moral, ou aqueles ensinamentos ancorados nos pais, dentro de casa, em que o certo é certo e, no fundo, tudo se resume a isso, deixam de existir, e, então, faz-se aquilo que der na veneta, e na veneta de Kevin, de indisfarçável vaidade, a vilania falou mais alto, e nos deparamos com tudo que vem aí, para desfastio público, trazendo um ator de quem gostamos, mas que, boa-noite, Cinderela, deixou inconsciente um rapaz, que, enquanto era estuprado, acordou e se viu ali, objeto de desejo de uma mente doentia, como relataram o inglês The Guardian e a Folha de S. Paulo em seguida, no sábado, 4 de novembro. Eis a segunda vítima, ainda no anonimato, que vive à sombra do estupro desde 2008, quando tinha 23 anos, e procurou o ator em busca de alguma possibilidade de emprego no arco-íris hollywoodiano; encontrou nada parecido e, em vez disso, Kevin, língua de fora, rosto sobejando suor, e a imaginação, um parque de diversões. Mas como vem acontecendo nas últimas semanas o dia do juízo final parece ter chegado a algumas pessoas que, aspirando ir além do que cabe a cada cidadão, agiram à surdina, trocando as mãos pelo pênis.

Não se enganem. Nada disso trará de volta o sujeito inocente, anterior às experiências de juventude, das mangueiras, dos laranjais; tanto Kevin como Harvey Weinstein, o chefão lá dos estúdios repletos de atrizes que seviciou, podem até ficar longe das câmeras, mas não estarão longe de seus fantasmas. Descem um patamar, mas com toda a dinheirama viverão bem; felizes, como antes, não, mas bem somente, longe da barca da glória, embora com caviar à revelia. É um preço módico a se pagar, vocês não acham? Enquanto isso, o mercúrio ferve: tribunais online da Santa Inquisição já estão armados, apenas esperando ver rolar a cabeça de Kevin.

A história vai além de ativistas a condenar a pior saída do armário da cultura pop gay, ou mesmo de, nesses tempos sombrios, sermos privados de exposições que são proibidas em museus, por prefeitos que o próprio povo escolheu, ou de outros que condenaram episódio parecido, enquanto vêm fazendo da privatização uma propaganda eficaz, sempre capaz de resolver um problema a menos ao município. A história vai além, pois no centro disso tudo estão as mulheres, que chegaram a um dos grandes pontos luminosos da humanidade.

A mulher deixou de ser o bibelô que foi, ao longo dos séculos, para se tornar, longe do alcance das mãos dos homens, alguém que não é mais um brinquedo, que se pega e se faz o que se quer; a mulher chegou a um lugar do qual não há que retroceder, porque não mais entendemos o mundo anterior a este em que vivemos, e foram das acusações de atrizes que se viram abusadas que reis começaram a cair, deixando uma fileira de cartas tropeçadas sobre a lona, cartas que estão sangrando, como sangram, por dentro, todos essas pessoas que, até agora, vinham sofrendo caladas com a injustiça a pesar sobre elas. Há algo de podre no reino, mas a chuva começa a cair.

Renato Alessandro dos Santos é editor do site tertuliaonline.com.br


Renato Alessandro dos Santos
Batatais, 5/12/2017


Quem leu este, também leu esse(s):
01. Corot em exposição de Jardel Dias Cavalcanti
02. Como se me fumasse: Mirisola e a literatura do mal de Jardel Dias Cavalcanti
03. Paul Ricoeur e a leitura de Celso A. Uequed Pitol
04. A vida dos pardais e outros esquisitos pássaros de Elisa Andrade Buzzo
05. Os Doze Trabalhos de Mónika. 12. Rumo ao Planalto de Heloisa Pait


Mais Renato Alessandro dos Santos
* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




ISIS SEM VEU:4 VOLUMES-OBRA COMPLETA(LIVROS NOVOS)
HELENA BLAVATSKY
PENSAMENTO
(2013)
R$ 300,00



CRÔNICAS DA IGREJA E DA CIDADE - 2ª EDIÇÃO
DOM JOSÉ CARLOS DE LIMA VAZ
FORENSE UNIVERSITÁRIA
(2008)
R$ 8,90



BRAZIL
LIFE WORLD LIBRARY
LIFE WORLD LIBRARY
R$ 12,00



OS MORTOS NÃO DANÇAM VALSA
ROBERTO DRUMMOND
OBJETIVA
(2002)
R$ 20,00



GUIA TURISMO 10+ LONDRES
EDITORA DK
DK
(2007)
R$ 7,00



ELIJAH - A YOUTH MUSICAL ABOUT THE POWER OF PRAYER
CAM FLORIA
THE SPARROW CORPORATION
(1987)
R$ 30,00
+ frete grátis



CARAPAU
CHICO ANÍSIO
CÍRCULO DO LIVRO
(1978)
R$ 8,30



O PODER DE UMA VISÃO INSPIRADORA
ONDINO MARRCONDES
HSM
(2015)
R$ 15,00



DESPERTAR (SÉRIE WATERSONG)
AMANDA HOCKING
PLANETA
(2012)
R$ 25,00



CASAS EXPERIMENTALES
NICOLAS POPLE
GG (MÉXICO)
(2000)
R$ 109,87





busca | avançada
21498 visitas/dia
708 mil/mês