Dilúvio, de Gerald Thomas | Jardel Dias Cavalcanti | Digestivo Cultural

busca | avançada
35423 visitas/dia
1,3 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Banda GELPI, vencedora do concurso EDP LIVE BANDS BRASIL, lança seu primeiro álbum com a Sony
>>> Celso Sabadin e Francisco Ucha lançam livro sobre a vida de Moracy do Val amanhã na Livraria da Vila
>>> No Dia dos Pais, boa comida, lugar bacana e MPB requintada são as opções para acertar no presente
>>> Livro destaca a utilização da robótica nas salas de aula
>>> São Paulo recebe o lançamento do livro Bluebell
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Rinoceronte, poemas em prosa de Ronald Polito
>>> A forca de cascavel — Angústia (FUVEST 2020)
>>> O reinado estético: Luís XV e Madame de Pompadour
>>> 7 de Setembro
>>> Outros cantos, de Maria Valéria Rezende
>>> Notas confessionais de um angustiado (VII)
>>> Eu não entendo nada de alta gastronomia - Parte 1
>>> Treliças bem trançadas
>>> Meu Telefunken
>>> Dor e Glória, de Pedro Almodóvar
Colunistas
Últimos Posts
>>> Diogo Salles no podcast Guide
>>> Uma História do Mercado Livre
>>> Washington Olivetto no Day1
>>> Robinson Shiba do China in Box
>>> Karnal, Cortella e Pondé
>>> Canal Livre com FHC
>>> A história de cada livro
>>> Guia Crowdfunding de Livros
>>> Crise da Democracia
>>> Banco Inter É uma BOLHA???
Últimos Posts
>>> Uma crônica de Cinema
>>> Visitação ao desenho de Jair Glass
>>> Desiguais
>>> Quanto às perdas I
>>> A caminho, caminhemos nós
>>> MEMÓRIA
>>> Inesquecíveis cinco dias de Julho
>>> Primavera
>>> Quando a Juventude Te Ferra Economicamente
>>> Bens de consumo
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Simone de Beauvoir: da velhice e da morte
>>> Simone de Beauvoir: da velhice e da morte
>>> Michael Jackson Tweeting
>>> O Conselheiro também come (e bebe)
>>> Troca-troca
>>> Harry, Rony e Hermione
>>> A comédia de um solteiro
>>> O palhaço, de Selton Mello
>>> Ronnie James Dio (1942-2010)
>>> Não Aguento Mais a Empiricus
Mais Recentes
>>> Kit Terapia da Vida, da Aceitação, do Perdão de Lisa Engelhardt/david W. Schell pela Paulus (2019)
>>> O Mundo O Brasil O Homem de Darcy Bessone de Oliveira Andrade pela UFMG (1966)
>>> O Mundo O Brasil O Homem de Darcy Bessone de Oliveira Andrade(Autografado) pela UFMG (1966)
>>> Para Enriquecer, Pense como um Milionário de Howard E.Hill pela Ibrasa (1969)
>>> Domine o Seu Sistema Nervoso de David Harold Fink, M.D. pela Cientifica
>>> O Ateneu (Crônica de Saudades) - Série Bom Livro de Raul Pompéia pela Ática (1976)
>>> A Relíquia - Biblioteca Folha nº 6 de Eça de Queiroz pela Ediouro (1997)
>>> O Caçador de Nuvens - Poemas de Messias Marcelino Lopes pela Casa do Novo Autor (2011)
>>> Do Renascimento ao Impressionismo através das obras do... de Alberto Tassinari pela Berlendis & Vertecchia (1995)
>>> As 25 Leis Bíblicas do Sucesso de William Douglas e Rubens Teixeira pela Sextante (2012)
>>> Rezar os Salmos Hoje de Francisco Teixeira / Carlos Mesters pela Livraria Duas Cidades (1970)
>>> Cristo está Vivo de Michel Quoist pela Livraria Duas Cidades (1973)
>>> Padres e Bispos Auto-Analisados de João Mohana pela Livraria Agir (1967)
>>> Sofrer e Amar (Psicologia do Sofrimento) de João Mohana pela Livraria Agir (1966)
>>> O Mundo e Eu de João Mohana pela Livraria Agir (1967)
>>> Amor e Responsabilidade de João Mohana pela Livraria Agir (1966)
>>> O Encontro de João Mohana pela Livraria Agir (1976)
>>> Obras de Eça de Queiroz Vol. XI - Edição do Centenário - 1947 - Formato Grande de Obras de Eça de Queiroz pela Lello & Irmão (1947)
>>> Obras de Eça de Queiroz Vol. IX - Edição do Centenário - 1947 - Formato Grande de Obras de Eça de Queiroz pela Lello & Irmão (1947)
>>> Obras de Eça de Queiroz Vol. XIII ...- Edição do Centenário - 1948 - Formato Grande de Obras de Eça de Queiroz pela Lello & Irmão (1948)
>>> Obras de Eça de Queiroz Vol. III... - Edição do Centenário 1946 - Formato Grande de Obras de Eça de Queiroz pela Lello & Irmão (1946)
>>> Santa - Helena de Octave Aubry pela Irmãos Pongetti
>>> O Retrato de Valentina de Afonso Schmidt pela Inst.Progresso Ed. (1948)
>>> Sainte Thérèse d'Avila/Lazarillo de Tormès/Christophe Colomb de Georges Haldas et José Herrera Petere pela Rencontre Lausanne (1963)
>>> Desenvolvimento Sustentável no Amapá: Uma visão crítica de Alain Ruellan/ Manuel Cabral e Nilson... pela Fund.João Mangabeira (2007)
>>> As Intermitências da Morte de José Saramago pela Companhia das Letras (2005)
>>> A Verdade Acima de Tudo de Eric Knight pela Universitária (1941)
>>> A Oração Pode Mudar Sua Vida de José Lázaro Boberg pela EME (2008)
>>> O Analista de Bagé de Luís Fernando Veríssimo pela Círculo do Livro
>>> Noventa e Três de Vitor Hugo pela Livraria Chardron
>>> Hacia La Estación de Finlandia de Edmund Wilson pela Alianza Ed.Madrid (1972)
>>> O Poder da Mente Humana em 9 volumes de Vários Autores pela Loyola
>>> Direito Penal em 4 volumes de E.Magalhães Noronha pela Saraiva (1973)
>>> Curso de Eletrônica volume 1 de U.S.Navy, Bureau of Naval Personnel... pela Hemus (1976)
>>> Superdicionário Língua Portuguesa de Francisco Fernandes/ Celso Pedro Luft pela Globo (1999)
>>> E Se Fosse Com Você? de Sandra Saruê pela Melhoramentos (2011)
>>> Deu no New York Times de Larry Rohter pela Objetiva (2007)
>>> Mega Dicionário de Termos Técnicos e Populares: da Saúde de Eduardo Nogueira pela Rovelle (2007)
>>> Rosas do Brasil de Sérgio Schaefer pela Edunisc (2006)
>>> Rosas do Brasil de Sérgio Schaefer pela Edunisc (2006)
>>> Novo Curso de Direito Civil Volume I Parte Geral de Pablo Stolze Gangliano e Rodolfo Pamplona Filho pela Saraiva (2007)
>>> Uma Execucao na Familia: a Jornada de um Filho de Pais Condenados A... de Robert Meeropol pela Casa Amarela (2006)
>>> Vexame -os Bastidores do Fmi na Crise Que Abalou o Sistema Financeiro de Paul Blustein pela Economia (2002)
>>> Vexame -os Bastidores do Fmi na Crise Que Abalou o Sistema Financeiro de Paul Blustein pela Economia (2002)
>>> Vexame -os Bastidores do Fmi na Crise Que Abalou o Sistema Financeiro de Paul Blustein pela Record (2002)
>>> A Dinâmica da Estratégia Competitiva de George S. Day e Outros pela Campus (1999)
>>> Travessia do Pantanal de Luís M. Neto - Maria T. Büchele pela Nova Letra (2006)
>>> Veronika Decide Morrer e o Zahir - Dois Livros de Paulo Coelho pela Sextante (2012)
>>> Direito Constitucional e Direito Administrativo de Aglair Figueiredo Villas Couto pela Impactus (2006)
>>> O Livro de Ouro da Mitologia - Historias de Deuses e Herois de Thomas Bulfinch pela Agir (2019)
COLUNAS

Terça-feira, 6/2/2018
Dilúvio, de Gerald Thomas
Jardel Dias Cavalcanti

+ de 2700 Acessos



O cenário inicial (e final) da peça Dilúvio, de Gerald Thomas, apresenta uma paisagem solitária, com um amontoado de guarda-chuvas quebrados e contorcidos num ambiente esfumaçado. Antes que qualquer ator entre em cena, já estamos diante da imagem trágica do resultado de um dilúvio: aqueles guarda-chuvas que figuram em nossa mente como símbolo da proteção contra a tempestade, agora são apenas desolação e destruição. Essa imagem pós-dilúvio é desconcertante e é com ela gravada em nossa mente que assistimos toda a peça. (Um amigo artista plástico, Fabricio Nery, que assistiu Dilúvio comigo, me disse ao pé do ouvido que apenas essa abertura já teria valido a peça – avec toutes les raisons).

O guarda-chuva quebrado e abandonado, existindo como uma espécie de símbolo do desalento, do abandono, do imprestável é uma constante na obra plástica de Gerald Thomas. E agora ele figura como personagem central na sua nova peça. Não poderia ter escolhido imagem melhor como metáfora de sua visão pessimista do mundo contemporâneo.

Dessa imagem desoladora dos guarda-chuvas, passamos para outra mais perturbadora ainda: duas atrizes aparecem penduradas, com sangue jorrando pelos seus corpos nus, postas sobre colunas gregas, que são o símbolo da Civilização Ocidental. Gerald Thomas cria uma imagem que vale por mil tratados sociológicos sobre o Ocidente.



Como numa montagem cinematográfica, em cenas seguintes a imagem do guarda-chuva já destruído retorna, agora na mão da atriz que luta contra uma ventania enfurecida nos fazendo pensar em alguma tempestade infernal e dantesca. O resultado dessa luta inglória contra as tempestades do mundo (Gerald pensa por metáforas), é a destruição do guarda-chuva e o desaparecimento da espécie humana – dada a solidão dos guarda-chuvas despedaçados no início e fim da peça.



Gerald Thomas produz a sua obra através de imagens, sons, luzes, falas e performances corporais. Seu teatro é plástico, operístico e, porque não, carregado de uma energia que vem do rock e da batida dos tambores da escola de samba. As referências que desaguam do seu inconsciente estético, sejam plásticos, musicais ou literários, passam pela convivência com criadores como Wagner, Schöenberg, Glass, Stones, Beckett, Kafka, Gertrude Stein, Godard, Eisentein, com toda a vanguarda de artes plásticas, de Duchamp até Francis Bacon, o Pop e o Minimalismo, no mínimo. A modernidade e sua desconstrução é o solo onde seus pés pisam. Outro dado importa: sua atenta, aguda e crítica observação do mundo (suas crônicas em Nada Prova Nada refletem sua tensão e insatisfação diante das contradições do mundo).

“Dilúvio” me parece uma síntese criativa (ou um ir além) desse caldo estético citado acima sem o qual não se pode falar em arte contemporânea. Gerald Thomas já reclamou do “excesso desconstrutivo” que atordoa a arte atual, sugerindo que estamos no momento de catar os cacos e criar um vitral novo a partir deles. O dramaturgo está nesse momento fazendo isso. Com Dilúvio criou a possibilidade de lidarmos com os fragmentos, agora transformados num belíssimo mosaico, que não deixa de fora a rasteira que os bons artistas sempre nos dão.

E é esse mosaico ao mesmo tempo construído por belíssimas imagens, guiadas por escolhas musicais arrepiantes e pelo desempenho notável de atrizes e performances, além de um texto “em ruína”, que faz de Gerald Thomas um dramaturgo renovador. A sensação a partir dessa obra prima que é Dilúvio é que seu teatro está se revolucionando e apontando para o futuro. D’ après Kafka: dê-lhe o machado e ele abrirá nossas cabeças.

Sua entrada na área de risco, a partir da criação de imagens metafóricas e simbólicas, que possibilitam a criação de uma obra aberta (Umberto Eco), só é possível, no entanto, porque seu inconsciente estético foi fertilizado pelas referências acima citadas.

Em Dilúvio as imagens paradoxais revelam o desgaste das existências consumidas no nosso tempo de horrores midiatizados à exaustão. Uma espécie de café da manhã com sangue nos acorda e atordoa. Diferente da famosa frase de um filósofo (Heidegger?) que dizia que para o homem moderno o jornal era sua oração matinal, o Google, Instagram, Facebook e Twitter nos oferecem um circo de horrores e imbecilidades liquidificadas no nosso suco de laranja de toda manhã.

O paradoxo das imagens: a busca pela beleza e pela poesia aparecem e logo são corrompidas. Na performance da leveza das atrizes em sua delicada conjunção amorosa, flutuando como num balanço (que lembra a atmosfera de “O Balanço” de Fragonnard e Wim Wenders em “Asas do Desejo”), até a luta que encenam em câmera lenta - como as imagens que vemos e revemos a todo momento na tela do computador, num círculo infernal e dantesco do qual não conseguimos sair.



O paradoxo das imagens: uma cena brutal de sexo entre duas mulheres -“come o meu cu”, diz uma delas desesperadamente- , onde o desejo explode, mas a frase “o meu pau não sobe mais” revela a impotência diante da oferta descartável de imagens eróticas e produção insana e aberrantes de desejos. A cena recebe a luz de uma luminária-máquina-roda-duchampiana.



A importância da concepção plástica das imagens no teatro de Gerald Thomas aparece em “Dilúvio” nos desenhos que são carregados e que passam como imagens de um museu diante dos olhos dos espectadores. São partes da peça, não apenas ilustrações, e tem seu uso conjugado na ideia wagneriana de uma “arte total”, cara a Gerald Thomas. Dessas imagens o sempre enigmático tubarão ferido e uma referência ao São Sebastião flechado – signos da violência transformada em espetáculo.

A peça se encerra com uma fala em tom comovente da atriz Maria de Lima, que está num cenário de desolação, dizendo algo como “eu até poderia achar algo positivo nisso tudo”, que ressoa a frase dita anteriormente invocando Beckett, um dos mestres da consciência artística de Gerald Thomas – “Você conhece o mundo maravilhoso e, claro, sombrio e, ainda, melancólico e, porque não dizer, um tanto cinzento, de Samuel Beckett?”.



Sobre sua condição de criador, dentro desse universo aterrador, diz Gerald Thomas: “Eu me vejo, como autor, numa terra perdida, sozinho, depois de uma guerra nuclear, com um balde de pipoca na mão. É o sinal da minha sobrevivência”.

“Teatro é Risco!!!” diz o Dramaturgo. Não apenas risco na forma do que se apresenta, mas na maneira como ele é gerado/criado. Sabemos que uma peça não existe a priori na cabeça de Gerald Thomas. Work in progress, eis o lema da arte moderna e da direção e criação do autor de Dilúvio. Nisso, Gerald Thomas é um mestre! E pode haver algum artista se se estiver aquém disso?



ELENCO: Maria de Lima, Julia Wilkins, Lisa Giobbi, Ana Gabi, Beatrice Sayd, Isabella Lemos, André Bortolanza.

APRESENTAÇÃO: SESC SP: 11 nov a 17 de dez.

Obs: A fotos foram retiradas do Blogg do Gerald Thomas


Jardel Dias Cavalcanti
Londrina, 6/2/2018


Quem leu este, também leu esse(s):
01. O chilique do cabeleireiro diante da modelo de Yuri Vieira
02. Discutir, debater, dialogar de Duanne Ribeiro
03. Os piores músicos da década de Rafael Fernandes
04. Enquanto agonizo, de William Faulkner de Wellington Machado
05. O fundamentalismo headbanger de Diogo Salles


Mais Jardel Dias Cavalcanti
Mais Acessadas de Jardel Dias Cavalcanti em 2018
01. Entrevista com a tradutora Denise Bottmann - 26/6/2018
02. Hilda Hilst delirante, de Ana Lucia Vasconcelos - 16/10/2018
03. A Fera na Selva, filme de Paulo Betti - 22/5/2018
04. Goeldi, o Brasil sombrio - 20/11/2018
05. O pai da menina morta, romance de Tiago Ferro - 3/4/2018


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




UM POETA RECORDA - SE, MEMÓRIAS DE UMA VIDA
ARMINDO RODRIGUES
COSMOS
(1998)
R$ 55,83



A PRÁXIS DO MARTÍRIO: ONTEM E HOJE
NÃO INFORMADO
PAULINAS
(1980)
R$ 13,00



QUEM AMA, EDUCA!
IÇAMI TIBA
GENTE
(2002)
R$ 24,79
+ frete grátis



GEOMICROBIOLOGY - 5ª ED.
HENRY LUTZ EHRLICH
CRC PRESS
(2008)
R$ 380,00



AMOS E MASMORRAS - A MISSÃO
LENA VALENTI
UNIVERSO DOS LIVROS
(2017)
R$ 16,99



UM HOMEM EM MOVIMENTO
ROBERTO CUNHA

R$ 10,00



MEDIAR, MEDICAR, REMEDIAR: ASPECTOS DA TERAPÊUTICA NA MEDICINA
JANE DUTRA SAYD (2ª EDIÇÃO - 2011)
EDUERJ
(2011)
R$ 18,28



ELEMENTOS DE PSICOLOGIA
IVA WAISBERG BONOW
EDIÇÕES MELHORAMENTOS
(1970)
R$ 7,00



INTRODUÇÃO AOS DERIVATIVOS - 2ª EDIÇÃO - 2 ED.
PIONEIRA
PIONEIRA
(2005)
R$ 25,00



DISCUTINDO A HISTORIA - A REVOLUÇAO INDUSTRIAL
LETICIA BICALHO CANEDO
ATUAL
R$ 5,00





busca | avançada
35423 visitas/dia
1,3 milhão/mês