Brasilês - um idioma de muitos sotaques | Félix Maier | Digestivo Cultural

busca | avançada
30040 visitas/dia
1,0 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Zé Guilherme lança novo videoclipe com faixa do álbum ALUMIA
>>> Almundo traz até 40% de desconto em seu primeiro Outlet 2019
>>> Ex-Titã Paulo Miklos apresenta seu terceiro álbum no Sesc Belenzinho
>>> Companhia de Teatro Heliópolis coloca em cena as duas faces da justiça em nova montagem
>>> Cunha realiza 2ª edição do Verão na Montanha - Cunha Fest, festival de jazz e blues
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> As palmeiras da Politécnica
>>> Como eu escrevo
>>> Goeldi, o Brasil sombrio
>>> Do canto ao silêncio das sereias
>>> Vespeiro silencioso: "Mayombe", de Pepetela
>>> A barata na cozinha
>>> Uma Receita de Bolo de Mel
>>> O Voto de Meu Pai
>>> Inferno em digestão
>>> Hilda Hilst delirante, de Ana Lucia Vasconcelos
Colunistas
Últimos Posts
>>> Mon coeur s'ouvre à ta voix
>>> Palestra e lançamento em BH
>>> Eleições 2018 - Afif na JP
>>> Lançamentos em BH
>>> Lançamento paulistano do Álbum
>>> Pensar Edição, Fazer Livro 2
>>> Ana Elisa Ribeiro lança Álbum
>>> Arte da Palavra em Pernambuco
>>> Conceição Evaristo em BH
>>> Regina Dalcastagné em BH
Últimos Posts
>>> Assim eu quero a vida
>>> Um sujeito chamado Benício
>>> A imaginação educada, de Northrop Frye
>>> Direções da véspera (Introdução)
>>> O tempo nos ensina - frase
>>> O Cinema onde os fracos não tem vez
>>> Senhor do Corpo e da alma - poema
>>> Fotogenia
>>> É Natal
>>> Canções de amor
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Da Poesia Na Música de Vivaldi
>>> mare
>>> O filme do Lula e os dois lados da arquibancada
>>> Do desprezo e da admiração
>>> WikiLeaks em documentário
>>> Carta aberta a quem leu Uma Carta Aberta ao Brasil
>>> Todos querem ser cool
>>> Açougueiro mesmo é o diretor
>>> O pior cego é o que vê tevê
>>> De Middangeard à Terra Média
Mais Recentes
>>> O queijo e os vermes de Carlo Ginzburg pela Companhia das Letras (Companhia de Bolso) (2006)
>>> Era dos Extremos: O breve século XX (1914-1991) de Eric Hobsbawn pela Companhia das Letras (2009)
>>> O Sol e a Sombra de Laura de Mello e Souza pela Companhia das Letras (2006)
>>> Perdidamente de Júlio Emílio Braz pela Ftd (2000)
>>> As Armadilhas do Consumo - Acabe com o endividamento de Márcia Tolotti pela Campus / Elsevier (2007)
>>> O noivado de Bilac- com a correspondência inédita do poeta à sua noiva D.Amélia de Oliveira (raridade) de Elmo Elton pela Organiozação Simões (1954)
>>> Gramática Reflexiva: texto, semântica e interação - 3ª ed. de William Cereja e Thereza Cochar pela Atual (2019)
>>> O Xangô de Baker Street de Jô Soares pela Companhia das Letras (1997)
>>> TCP/IP a bíblia de Rob Scrimger pela Campus (2002)
>>> Universidade h4ck3r de Henrique Ulbrich e James pela Digerati Books (2011)
>>> Hackers expostos de Joel Scambray pela Makron (2001)
>>> Manual completo do hacker de Gorkin Starlin pela Book Express (2001)
>>> Por que os gerentes falham de John J. Mc Carthy pela Makron (1994)
>>> Inteligência emocional de Daniel Goleman pela Objetiva (2001)
>>> Economia de Paul Wonnacott pela Makron (1994)
>>> Integração: qualidade e recursos humanos para os anos 2000 de Philip B. Crosby pela Makron (1993)
>>> Empresas sem chefes de Charles C. Manz pela Makron (1996)
>>> O complexo de perfeição de Colette Dowling pela Record (1993)
>>> Primeira filosofia - Tópicos de filosofia geral de Armando Mora de Oliveira pela Brasiliense (1992)
>>> Princípios de administraçao científica de Frederick W. Taylor pela Atlas (1995)
>>> Veronika decide morrer de Paulo Coelho pela Objetiva (1998)
>>> Hardware curso completo de Gabriel Torres pela Axcel Books (2001)
>>> Petrobrás - Administrador júnior - nível superior de José Almir Fontella Dornelles pela Vestcon (2011)
>>> Administração de marketing: análise, planejamento, implementação e controle de Philip Kotler pela Atlas (1996)
>>> Marketing verde de Jacquelyn A. Ottman pela Makron (1994)
>>> Síndrome da Passividade: o processo de reengenharia em recursos humanos de Dirceu Moreira pela Makron (1994)
>>> Inveja nas organizações de Patrícia Amélia Tomei pela Makron (1994)
>>> As novas regras de John P. Kotter pela Makron (1997)
>>> Administração industrial e geral de Henri Fayol pela Atlas (1989)
>>> Problemas? Oba! Arevoluçãopara vocêvencer no mundo dos negócios de Roberto Shinyashiki pela Gente (2011)
>>> Como conquistar um ótimo emprego: e dar um salto importante em sua carreira profissional de Thomas A.Case pela Makron (1997)
>>> Iniciando os conceitos da qualidade total de Equipe Grifo pela Pioneira (1994)
>>> Redação empresarial - escrevendocom sucesso na era da globalização de Miriam Gold pela Makron (1999)
>>> Empregabilidade: de executivo a consultor bem-sucedido de Thomas A. Case pela Makron (1997)
>>> Pesquisa Operacional de Ermes Medeiros da Silva pela Atlas (1998)
>>> Contabilidade Introdutória + Livro de exercícios de Equipe de Professores da FEA/USP pela Atlas (1993)
>>> Princípios de Administração Financeira + Manual de Software de Lawrence J. Gitman pela Harbra (1997)
>>> Primeira filosofia - Aspectos da história da filosofia de Armando Mora de Oliveira pela Brasiliense (1992)
>>> Reinvente-se: você pode fazer melhor ainda de Claudio V. Nasajon pela Campus (2001)
>>> História da Política Exterior do Brasil de Amado Luiz Cervo Clodoaldo pela UnB (2002)
>>> Iniciação ao direito do trabalho de Amauri Mascaro Nascimento pela LTr (1998)
>>> Constituição da República Federativa do Brasil de Juarez de Oliveira pela Saraiva (1995)
>>> Formação Econômica do Brasil de Celso Furtado pela Cia Ed Naciona (1979)
>>> Código de proteção e defesa do consumidor de Juarez de Oliveira pela Saraiva (1994)
>>> Biotecnologia em discussão de Wilhelm Hofmeister pela Fundação Konrad Adenauer (2000)
>>> O alquimista de Paulo Coelho pela Rocco (1988)
>>> O Brasil e Suas Riquezas de Waldemiro Potsch pela Não Infirmado
>>> Amor de perdição de Camilo Castelo Branco pela Klick (2000)
>>> A revolução dos campeões de Roberto Shinyashiki pela Gente (1995)
>>> Viva com esperança de Mark Finley / Peter Landness pela Afiliada (2015)
COLUNAS >>> Especial Volta às Aulas

Terça-feira, 12/3/2002
Brasilês - um idioma de muitos sotaques
Félix Maier

+ de 4100 Acessos

De volta às aulas, que tal conhecermos um pouco mais o Brasilês, esse rico idioma nacional?

Paraibês

- Josefa, cê vai fazê amô hoji?
- Não, Severino, tô muntcho cansada.
- Arri, égua, mais intão só vô lavá och pé...

Paulistês

- Ôrra, meu, não tô mais agüeintando eiste eingarrafameinto. Paréice que teim um farol a cada dois méitros. Prá piorá, tá seimpre choveindo.

Carioquês

Chiando mais que chaleira cheia de chá no fogo, assim fala o carioca de Ramos, que na feira de Duque de Caxias vende pardal pintado de amarelo como canário:
- Sacumé, mermão, cum menas tauba e menas prego a gente fazemos um rolimã beleza!

No ramal da Leopoldina, vendedores de bala e picolé ensurdecem os passageiros da Central, gritando o tempo todo:
- Olha a bala háus-aí. Olha o picolé-do-china-aí, é com auga firtrada-aí, não é auga de poço-aí, só uma merreca-aí.

Candangolês

- E aí, véi, beleza?
- Beleza, véi.

Gauchês

Na bodega “Último Gole”, antes de pegar a tramontana da roça:
- Bá, tchê, o compadre está mais ressabiado que cusco de mendigo. Ainda que mal pergunte, a comadre soube de seu caso com aquela chinoca?
- Nem te arrespondo, compadre, estou muito abichornado. Prefiro roçar dez coivaras a ter que ouvir aquela tramela lá na tapera. É pior que coice de bagual, mais doído que minuano sujo que navalha a orelha do índio véio na campanha.

Cannabinês

- É, mermão, tá tudo dominado!
- Dominado, tá tudo dominado!...

Sociologês da USP

“O real não é constituído por coisas. Nossa experiência direta e imediata nos leva a imaginar que o real é constituído por coisas (sejam elas naturais ou humanas), isto é, de objetos físicos, psíquicos, culturais oferecidos à nossa percepção e às nossas vivências. Assim, por exemplo, costumamos dizer que uma montanha é real porque é uma coisa, que a chamamos de ‘montanha’, indica que ela é, pelo menos, uma ‘coisa-para-nós’ .” (in “Que é Ideologia”, de Marilena Chauí).

PeTês

- Companheiros - fala o trotskista do Rio Grande em mais um Fórum Social Mundial -, enquanto militantes estruturados, precisamos dar uma maior especificidade à nossa atual colocação política, seja a nível nacional, seja a nível internacional. De sorte que ninguém tenha dúvidas de que a práxis revolucionária de nosso imarcescível Governo Popular e Democrático, que será presidido pelo companheiro Lula-laite, é terminantemente contra a mais-valia expropriada pelo FMI de todas as nações proletárias do planeta.

Para isso, nossos militantes estruturados devem todos os anos firmar posição dura contra a reunião de Davos e contra a globalização, e unir nossas forças globais de todo o globo em termos globalizantes às forças dos zapatistas no México, do ETA na Espanha, do IRA na Irlanda, dos muçulmanos em Kosovo e na Chechênia, dos palestinos, das crianças famintas do Iraque, contra o terrível bloqueio aeronaval dos EUA contra Cuba, que impede que os alimentos cheguem às mãos de nosso Comandante.

Além do apoio aos nossos companheiros do MST - depois das eleições -, para que continuem a vitoriosa expropriação dos latifúndios dos selvagens capitalistas brasileiros. Devemos apoiar sem restrições o plebiscito da dívida externa promovido pela CNB do B. A luta continua, companheiros! Até a vitória, sempre! Viva Fidel! Viva Cuba! Viva Coréia do Norte!

Informatiquês

Com o advento do computador, não se protocola mais documentos, mas se “protocoliza”. Não se imprime um texto, mas se “printa”. Não se apaga um caracter ou uma figura, mas se “deleta”. Não se grava um arquivo de segurança, mas se “becapeia”. Não se inicia um programa, mas se “inicializa” ou se “estarteia”.

O CEO (Chief Executive Officer) liga para a secretária, que se assusta por estar navegando no site www.sexolandia.com.br: - Preciso do paper ainda hoje, para o workshop às 4 p.m. Por isso, antes de printar, delete as palavras riscadas. Mas não esqueça de becapear no HD do server. Zipeia o file em diskete também. Antes de estartear o trabalho, sendeia um mail para o manager de Finanças, para liberar o pay down para a delivery imediata de todas as CPU e no-break previstos no quadro Excel para este mês. E não esqueça de colocar o desktop da workstation em off ao final do trabalho. Na pressa de curtir o happy hour vocês ainda vão incendiar meu office.

Economês (sempre acompanhado do pornografês)

- Precisamos melhorar o IDH de nossa população, de modo que se aproxime dos 8 décimos, como nos países do Primeiro Mundo - diz FHC.
- Para isso, precisamos pôr em prática a tese desenvolvimentista já preconizada por Mendonça de Barros. Há uma demanda por empregos altamente reprimida, e ... - sugere o Ministro do Desenvolvimento.
- Não mencione o nome desse sacripanta - interrompe Malan. Se aquecermos a economia, a inflação dispara. Não podemos deixar que se repitam os últimos IGP-M, que foram muito acima do esperado. Com bons resultados em nosso superávit primário, agora que estamos em época de eleições, poderíamos, talvez, lançar um programa social de alcance nacional, para captar eleitores para o Serra.
- Ótima idéia - diz FHC. Com o Bolsa-escola, melhorou o Índice Gini e já neutralizamos em parte o PT, que pregava a implantação do projeto de renda mínima, a menina dos olhos do nosso maior adversário político, o Senador Suplicy. Podemos lançar mais um programa de alcance social antes que a lei eleitoral impeça. Que tal criarmos o vale-gás, que, além de promover uma melhor distribuição de renda entre a população, poderá inflar o balão José Serra, para que finalmente decole nas pesquisas?
- Aprovado, mestre! - aplaudem os Ministros, chateados por não terem levado a FHC uma idéia tão simples porém tão brilhante.

Miliquês

Idioma do milico, o miliquês é uma língua de âmbito nacional, sem dialetos de aratacas ou gaúchos. Do Oiapoque ao Chuí, o idioma é entendido por todos os que vestem a farda verde-oliva. Abaixo, um microdicionário do miliquês:

Arataca - Pessoa oriunda do Nordeste brasileiro.

Araújo - É o marujo do ar, ou seja, o militar da Aeronáutica.

Bobina - Além daquelas utilizadas pela Arma de Comunicações, para lançamento de linhas telefônicas, bobina é também sinônimo para militar enrolado.

Bóia - Comida de milico. Os anarquistas gostam de tirar um sarro: “Parasita da nação, vem comer o seu boião”.

Boletim das baias - É a novidade que corre célere no batalhão, muitas vezes apenas uma fofoca - mesmo que não tenha vindo de alguma baia, pois só as unidades hipo é que as possuem. É o mesmo que “rádio-corredor” dos Ministérios da Esplanada, em Brasília.

Caxias - É o sujeito que leva muito a sério os regulamentos militares. Pode parecer ao “paisano” que é o sujeito ideal da caserna, mas normalmente é apenas um chato.

Chá-broxante - Chá preto servido na ceia para os milicos de serviço no quartel, e para os “laranjeiras”, para acalmar a moçada à noite.

Dragão - Recruta que come o pote de combustível gelatinoso, como sobremesa, em vez de utilizá-lo como fogareiro para aquecer a ração de campanha.

Furiosa - Banda militar simples, basicamente composta de instrumentos de percussão.

Gaiola das loucas - Prédio de Brasília onde moram os coronéis do Exército mais “antigos”, que se estressam por terem seus nomes no “Play-boy”, ansiosos em saber se serão promovidos a general ou não.

Homem da capa preta - Juiz do Tribunal militar, sempre lembrado quando é instalado um IPM no batalhão.

Laranjeira - Militar, normalmente recruta ou solteiro, que dorme no quartel, porque sua família mora longe, muitas vezes em outro Estado.

Mão-de-graxa - Mecânico de viatura ou armamento.

Maria-batalhão - Moça que gosta de namorar milico, de preferência o batalhão inteiro (*). É prima-irmã da maria-gasolina, a que namora só quem tem um carro.

Material de sapa - Trata-se de material para cavar trincheiras ou espaldões, como pás e picaretas, porém pode significar jocosamente os talheres dos milicos.

Milico de pijama - Militar transferido para a reserva remunerada.

Ociosão - Atual Teatro Pedro Calmon, anexo ao Quartel-General do Exército, em Brasília. Mais utilizado ultimamente, o apelido pegajoso ainda não se desgrudou.

Paisano - É o civil, todo aquele que não veste farda. “Andar à paisana” pode render detenção ao soldado, se não tiver licença para andar em trajes civis.

Papa-goiaba - Pessoa oriunda do Estado do Rio de Janeiro.

Pasta da viúva - Pasta de todo militar do Exército, que contém os documentos da família (certidões de casamento e nascimento), além de outros documentos, como seguros e pecúlios (Capemi, FAM etc.), para facilitar a vida da viúva (ou viúvo), quando o milico bater as botas.

Pé-de-banha - É o pessoal militar que trabalha no rancho - cozinheiros, copeiros, taifeiros -, muitos com a roupa e até os cabelos curtidos de gordura.

Pé-de-poeira - Integrante da Arma de Infantaria.

Pejota - Pensão judicial, é uma facada mensal no contracheque do militar, em favor da ex-esposa ou ex-companheira (ou do ex-marido/companheiro - caso do corpo feminino).

Pé preto - É como os pára-quedistas (“pés-vermelhos”), com ar superior, desdenham dos militares comuns, que usam coturnos pretos.

Periquito - Militar do Exército, que veste a farda verde-oliva.

Play-boy - Boletim que apresenta os nomes dos coronéis mais “antigos” do Exército, que concorrem ao generalato. Por fora, o Boletim não difere muito dos outros documentos, mas dentro é sacanagem pura. Ao menos é o que dizem os preteridos na promoção.

Reco - O mesmo que recruta, tem os mesmos direitos de um calouro numa faculdade, ou seja, nenhum.

Repone - Reunião de porra nenhuma, normalmente feita para os militares levar uma “mijada” do comandante.

Sandra Bréa - Galinha à Sandra Bréa é aquela carne de frango super cozida, de cor esbranquiçada, se despedaçando, com jeito de atropelada.


Félix Maier
Brasília, 12/3/2002


Quem leu este, também leu esse(s):
01. De louco todos temos um pouco de Cassionei Niches Petry
02. O que não fazer em época de crise de Fabio Gomes
03. Nova Gramática do Poder de Marilia Mota Silva
04. A bibliotecária de plantão de Ana Elisa Ribeiro
05. House e o retorno dos fãs de Carla Ceres


Mais Félix Maier
Mais Acessadas de Félix Maier em 2002
01. Sionismo e resistência palestina - 14/11/2002
02. Fome zero, malandragem dez - 28/11/2002
03. Bantustões brasileiros - 22/5/2002
04. Sobre futebol e hinos nacionais - 11/7/2002
05. Brasilês - um idioma de muitos sotaques - 12/3/2002


Mais Especial Volta às Aulas
* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




FÉ E RAZÃO NA RENASCENÇA
TALYTA CARVALHO
É REALIZAÇÕES
(2012)
R$ 30,00



MINAS DO OURO
FREI BETTO
RAACO
(2018)
R$ 20,00



O AGENTE DO VATICANO
JOSÉ EL-JAICK
ROCCO
(2007)
R$ 18,00



O AMOR DE MÍTIA & O PROCESSO DO TENENTE HELÁGUIN
IVAN BUNIN
OPERA MUNDI
(1971)
R$ 20,00



O EVANGELHO SEGUNDO JESUS CRISTO
JOSÉ SARAMAGO
COMPANHIA DE BOLSO
(2005)
R$ 6,00



A MÚSICA NO RIO DE JANEIRO NO TEMPO DE D. JOÃO VI
VASCO MARIZ
CASA DA PALAVRA
(2008)
R$ 25,00



LIBERTE-SE DA DEPRESSÃO E DO MEDO
ZAYDAN ALKIMIN
PALLAS
(1994)
R$ 10,00



ACEITAÇÃO
JEFF VANDERMEER
INTRÍNSECA
(2016)
R$ 38,00



AS REPORTAGENS DA PENÉLOPE - ANNA MUYLAERT (LITERATURA INFANTIL)
ANNA MUYLAERT
COMPANHIA DAS LETRINHAS
(1997)
R$ 8,00



SEGREDOS PROFISSIONAIS - SEGREDOS DE APRESENTAÇÕES
MARTIN MANSER
FUNDAMENTO
(2010)
R$ 41,00





busca | avançada
30040 visitas/dia
1,0 milhão/mês