O bosque inveterado dos oitis | Elisa Andrade Buzzo | Digestivo Cultural

busca | avançada
92061 visitas/dia
2,2 milhões/mês
Mais Recentes
>>> Sesc 24 de Maio apresenta programação de mágica para toda família
>>> Videoaulas On Demand abordam as relações do Homem com a natureza e a imagem
>>> Irene Ravache & Alma Despejada na programação online do Instituto Usiminas
>>> Zé Guilherme canta Orlando Silva em show no YouTube no dia 26 de setembro
>>> Setembro Amarelo é tema de EntreMeios especial com Zé Guilherme e Leliane Moreira
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> A pintura do caos, de Kate Manhães
>>> Nem morta!
>>> O pai tá on: um ano de paternidade
>>> Prêmio Nobel de Literatura para um brasileiro - I
>>> Contentamento descontente: Niketche e poligamia
>>> Cinemateca, Cinemateca Brasileira nossa
>>> A desgraça de ser escritor
>>> Um nu “escandaloso” de Eduardo Sívori
>>> Um grande romance para leitores de... poesia
>>> Filmes de guerra, de outro jeito
Colunistas
Últimos Posts
>>> Sebo de Livros do Seu Odilon
>>> Sucharita Kodali no Fórum 2020
>>> Leitura e livros em pauta
>>> Soul Bossa Nova
>>> Andreessen Horowitz e o futuro dos Marketplaces
>>> Clair de lune, de Debussy, por Lang Lang
>>> Reid Hoffman sobre Marketplaces
>>> Frederico Trajano sobre a retomada
>>> Stock Pickers ao vivo na Expert 2020
>>> Rodrigo Gurgel entrevista Yuri Vieira
Últimos Posts
>>> Três tempos
>>> Matéria subtil
>>> Poder & Tensão
>>> Deu branco
>>> Entre o corpo e a alma
>>> Amuleto
>>> Caracóis me mordam
>>> Nome borrado
>>> De Corpo e alma
>>> Lamentável lamento
Blogueiros
Mais Recentes
>>> O paraíso de Henry Miller
>>> Band On The Run
>>> Linguagem, Espaço, Máquina
>>> Mehmari e os 75 anos de Gil
>>> É Julio mesmo, sem acento
>>> A arte como destino do ser
>>> A indigência do rock e a volta dos dinossauros
>>> 16 de Maio #digestivo10anos
>>> The greatest fairy tale never told
>>> Extraordinary Times
Mais Recentes
>>> A sombra do poder: Martinho de Melo e Castro e a administração da Capitania De Minas Gerais (1770-1795) de Virgínia Maria Trindade Valadares pela Hucitec
>>> A Revolta da Vacina de Sevcenko, Nicolau pela UNESP
>>> A quebra da mola real das sociedades: A crise política do antigo regime Português na província do Grão-Pará (1821-1825) de André Roberto Arruda Machado pela Hucitec
>>> A paz das senzalas: Famílias Escravas e Tráfico Atlântico C.1790- C.1850 de Florentino, Manolo pela UNESP
>>> A outra Independência: O Federalismo Pernambucano de 1817 a 1824 de Mello, Evaldo Cabral de pela 34
>>> A História do Brazil de Frei Vicente do Salvador. História e Política no Império Português do Século XVII de Maria Lêda Oliveira pela Versal
>>> A experiência do tempo: Conceitos e narrativas na formação nacional brasileira (1831-1845) de Araújo, Valdei Lopes de pela Hucitec
>>> A Educação Pela Noite de Antônio Candido pela Ouro sobre Azul
>>> A Diplomacia na Construção do Brasil. 1750-2016 de Rubens Ricupero pela Versal
>>> A Corte na Aldeia de Vários Autores pela Verbo
>>> A Companhia de Jesus na América por Seus Colégios e Fazendas de Márcia Amantino and Carlos Engemann pela Garamond Universitaria
>>> A carne e o sangue: A Imperatriz D. Leopoldina, D. Pedro I e Domitila, a Marquesa de Santos de Priore, Mary de pela Rocco
>>> 1889: Como um imperador cansado, um marechal vaidoso e um professor injustiçado contribuíram para o fim da Monarquia e a de Laurentino Gomes pela Globo Livros
>>> 1822: Como um homem sábio, uma princesa triste e um escocês louco por dinheiro ajudaram dom Pedro a criar o Brasil - um de Laurentino Gomes pela Globo Livros
>>> 1808: Como uma rainha louca, um príncipe medroso e uma corte corrupta enganaram Napoleão e mudaram a História de Portugal de Laurentino Gomes pela Globo Livros
>>> 130 Anos: Em Busca Da República de Lessa, Renato; Wehling, Arno; Franco, Gustavo; Tavares Guerreiro, José Alexa pela Editora Intrínseca
>>> Arte de Gramática da Língua Mais Usada na Costa do Brasil de José de Anchieta pela EdUFBA (2014)
>>> Inglorious Revolution de William R. Summerhill pela Yale University Press (2015)
>>> O governo das conquistas do Norte de Fabiano Vilaça dos Santos pela Annablume (2011)
>>> O sol e a sombra de Laura de Mello e Souza pela Companhia das Letras (2006)
>>> Amazon Frontier - the defeat of the Brazilian Indians de John Hemming pela Papermac (1995)
>>> International Law de Malcolm Evans (edited by) pela Oxford University Press (2014)
>>> Complete International Law: Text, Cases, and Materials de Ademola Abass pela Oxford University Press (2014)
>>> Salvador de Sá and the struggle for Brazil and Angola, 1602 - 1686 de C. R. Boxer pela University of London (1952)
>>> Instituições Políticas Brasileiras de Oliveira Vianna pela Senado Federal (2019)
>>> O populismo e sua história - debate e crítica de Jorge Ferreira (Org.) pela Civilização Brasileira (2001)
>>> Marxismo e Judaísmo - história de uma relação difícil de Arlene Clemesha pela Boitempo (1998)
>>> Trópico dos pecados de Ronaldo Vainfas pela Civilização Brasileira (2014)
>>> Brasil: formação do Estado e da Nação de István Jancsó (Org.) pela Hucitec (2011)
>>> História da Vida Privada em Portugal - 4º Volume (Os nossos dias) de José Mattoso pela Temas e Debates (2011)
>>> História de Angola - da Pré-História ao Início do Século XXI de Alberto Oliveira Pinto pela Mercado de Letras (2016)
>>> Visconde do Uruguai de José Murilo de Carvalho (Org.) pela 34 (2002)
>>> A ilusão americana de Eduardo Prado pela Alfa Omega (2001)
>>> Postmodernism or, the cultural logic of late capitalism de Fredric Jameson pela Duke University Press (1992)
>>> The Established and the Outsiders de Norbert Elias and John L. Scotson pela Sage Publications (2017)
>>> The Satanic Verses de Salman Rushdie pela Randon House (2019)
>>> Los detectives salvajes de Roberto Bolaño pela Vintage Español (2010)
>>> Voices from Chernobyl de Svetlana Alexievich pela Dalkey Archive Press (2005)
>>> O Norte Agrário e o Império, 1871 - 1889 de Evaldo Cabral de Mello pela Topbooks (2008)
>>> Worlds of Labour - further studies in the history of labour de Eric J. Hobsbawm pela Weidenfeld and Nicolson (1984)
>>> Formação da Literatura Brasileira - Momentos Decisivos de Antonio Candido pela Ouro sobre Azul (2014)
>>> História do Brasil: uma interpretação de Carlos Guilherme Mota e Adriana Lopez pela 34 (2015)
>>> História Concisa da Literatura Brasileira de Alfredo Bosi pela Cultrix (2015)
>>> A literatura portuguesa de Massaud Moisés pela Cultrix (2010)
>>> História da Literatura Brasileira Vol. I - Das origens ao Romantismo de Massaud Moisés pela Cultrix (2012)
>>> História da Literatura Brasileira Vol. II - Do Realismo à Belle Époque de Massaud Moisés pela Cultrix (2016)
>>> Bundas 12 Fernandona uma lição de cidadania de Diversos Autores pela Perere (1999)
>>> História da Literatura Brasileira Vol. III - Desvairismo e Tendências Contemporâneas de Massaud Moisés pela Cultrix (2019)
>>> Independência e Morte - Política e Emancipação do Brasil, 1821 - 1823 de Helio Franchini Neto pela Topbooks (2019)
>>> Das cores do silêncio de Hebe Mattos pela Unicamp (2015)
COLUNAS

Quinta-feira, 23/4/2020
O bosque inveterado dos oitis
Elisa Andrade Buzzo

+ de 900 Acessos

Em certas ruas já vivi. Ruas com casebres, prédios baixos, oficinas de máquinas de costura e tecido à porta. Ruas de prostituição, danceterias, edifícios abandonados com cortinas rendadas de teias de aranha. Ruas de areia, de paralelepípedo, de pedra portuguesa, de asfalto ou concreto. Algumas humildes, outras sofisticadas, com movimento de bares à porta, padarias fumegantes na manhã primeira, velhos bronzes e alta-costura. Noutras emaranhavam-se fios de eletricidade, helicópteros, casarões com vista para vales de rios tamponados. Certas delas, decoradas com o badalar de sinos, o trepidar de trens, a buzina de navios cautelosos. Hoje, vivo em uma rua muito distante do mundo, a última transversal de um bairro, onde não se antevê ninguém chegando, mas se divisam gaivotas partindo.

Ainda assim, as coisas andam mudando; da rua, lentamente se precipitam novos elementos, engatinhando, trepando por sua ladeira ressentida. Há construções, há demolições, há abandono na antevisão da janela. Por isso mesmo, nessa mescla de espera, transição e ação, é que se engendra uma educação compulsória da paciência e de certa resignação desexpectante. Na sucessão de brilhos que se acendem a cada entardecer, um signo de novidade estaca dentro de cada lâmpada longínqua na cintura do porto. Em certa noite, reacende um ponto vermelho inédito, piscante, na outra margem do rio. Focos ilusórios que se desfazem no branco lavado da aurora, antes mesmo de olharmos mais uma vez para atestar sua veracidade.

Desta rua, avistam-se muitas coisas ao longe, sim. Assim como se veem elementos de episódios passados, difundidos no presente. Há depósitos sem nada dentro, como um peito tóxico esvaziado, carcaça de torres sem flâmula, que já não queimam nem poluem. E caminhar por seus arredores traz a continuação de outras alamedas de calçadas riscadas, desertas e largas, pontuadas por palmeiras franzinas e desencontradas, guindastes silenciosos e caminhões de cimento na entrada das obras. Os ecos de marteladas, que fixam pontos diversos de futura solidez, dão um ar de melancolia e susto, badalos de carrilhão ressonando no tempo. É como se houvesse um prenúncio da inutilidade da força mesmo na tenra idade das construções, diante da inconstância mesquinha a que se submeterão adiante. Nasce-se, mas fraqueja-se, não no instante seguinte, mas no momento mesmo da força maior.

Como se tivesse sobrado pelo silêncio autoimposto nessa conjunção de pedras partidas e encavaladas, sobressai um pequeno bosque de oitis. Talvez tenha sobrevivido mesmo pelo abandono, fincado no descampado por tantas vezes reocupado. Oito oitis, de caules portentosos, galhos rijos, folhas pequenas nas copiosas copas espiraladas. Encampados, fincados, enfileirados, como um túnel fresco. E no interlúdio da passagem por seu caminho de sombra e musgo, pesar fundo, ser parte presente no profundo daquele conjunto orgânico, desenganchado de ruínas e escombros, distanciado de previsões ou profecias. Que importam as ruas alijadas, as ruas projetadas, as ruas onde jaz o esquecimento? entra-se pelo momento do bosque dos oitis, apenas esta-se no ato de passar por ele, nele estando, indo dentro de si, terráqueo.


Elisa Andrade Buzzo
São Paulo, 23/4/2020


Quem leu este, também leu esse(s):
01. Imprimam - e repensem - suas fotografias de Ana Elisa Ribeiro
02. Vaidade, inveja e violência de Carla Ceres
03. Raymond Carver, o Tchecov americano de Luiz Rebinski Junior
04. Sobre o preço dos livros 1/2 de Rafael Rodrigues
05. A Barsa versus o Google de Lucas Rodrigues Pires


Mais Elisa Andrade Buzzo
Mais Acessadas de Elisa Andrade Buzzo em 2020
01. Alma indígena minha - 14/5/2020
02. Cinemateca, Cinemateca Brasileira nossa - 20/8/2020
03. Paisagem interna agreste - 23/1/2020
04. Crônica à la Caio Fernando Abreu - 27/2/2020
05. O bosque inveterado dos oitis - 23/4/2020


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




MANUAL INCOMPETÊNCIA FEMININA
PAULO MUNDIN PRAZERES
IBRASA
(2003)
R$ 12,00



GUIA DE COMPORTAMENTO CANINO: O PROBLEMA DO SEU CÃO PODE SER VOCÊ
EVANDER BUENO DE LIMA
TODAS AS MUSAS
(2016)
R$ 49,90
+ frete grátis



PÁGINAS ESPÍRITAS
CELSO MARTINS
CULTURESP
(1988)
R$ 6,90



CURSO DE DIREITO CIVIL BRASILEIRO 2
MARIA HELENA DINIZ
SARAIVA
(1985)
R$ 6,90



MEUS VERDES ANOS
JOSÉ LINS DO REGO
JOSÉ OLYMPIO
(1956)
R$ 30,00



OFFSHORE ANNUAL BOOK 1988
ALBERTO MONDINELLI
KAOS
(1988)
R$ 12,00



FRANK SINATRA - O HOMEM, O MITO, A VOZ
PETE HAMILL
SEOMAN
(2015)
R$ 23,00



DUELO FINAL
ELMORE LEONARD
ART
(1986)
R$ 9,33



RODAS VELAS ASAS ÁLBUM PARA FIGURINHA
LIVROS DE OURO DA JUVENTUDE
VECCHI
(1951)
R$ 80,00



ENTRE DESERTOS
LINA TÂMEGA PEIXOTO
IBIS LIBRIS
(2013)
R$ 17,80





busca | avançada
92061 visitas/dia
2,2 milhões/mês