... E o verão acabou | Rafael Lima | Digestivo Cultural

busca | avançada
42881 visitas/dia
1,2 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Banda GELPI, vencedora do concurso EDP LIVE BANDS BRASIL, lança seu primeiro álbum com a Sony
>>> Celso Sabadin e Francisco Ucha lançam livro sobre a vida de Moracy do Val amanhã na Livraria da Vila
>>> No Dia dos Pais, boa comida, lugar bacana e MPB requintada são as opções para acertar no presente
>>> Livro destaca a utilização da robótica nas salas de aula
>>> São Paulo recebe o lançamento do livro Bluebell
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Rinoceronte, poemas em prosa de Ronald Polito
>>> A forca de cascavel — Angústia (FUVEST 2020)
>>> O reinado estético: Luís XV e Madame de Pompadour
>>> 7 de Setembro
>>> Outros cantos, de Maria Valéria Rezende
>>> Notas confessionais de um angustiado (VII)
>>> Eu não entendo nada de alta gastronomia - Parte 1
>>> Treliças bem trançadas
>>> Meu Telefunken
>>> Dor e Glória, de Pedro Almodóvar
Colunistas
Últimos Posts
>>> Revisores de Texto em pauta
>>> Diogo Salles no podcast Guide
>>> Uma História do Mercado Livre
>>> Washington Olivetto no Day1
>>> Robinson Shiba do China in Box
>>> Karnal, Cortella e Pondé
>>> Canal Livre com FHC
>>> A história de cada livro
>>> Guia Crowdfunding de Livros
>>> Crise da Democracia
Últimos Posts
>>> Uma crônica de Cinema
>>> Visitação ao desenho de Jair Glass
>>> Desiguais
>>> Quanto às perdas I
>>> A caminho, caminhemos nós
>>> MEMÓRIA
>>> Inesquecíveis cinco dias de Julho
>>> Primavera
>>> Quando a Juventude Te Ferra Economicamente
>>> Bens de consumo
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Ser intelectual dói
>>> O Tigrão vai te ensinar
>>> O hiperconto e a literatura digital
>>> Aberta a temporada de caça
>>> Se for viajar de navio...
>>> Incompatibilidade...
>>> Alguns Jesus em 10 anos
>>> Blogues: uma (não tão) breve história (II)
>>> Picasso e As Senhoritas de Avignon (Parte I)
>>> Asia de volta ao mapa
Mais Recentes
>>> O Livro da moda de Alexandra Black pela Publifolha (2015)
>>> Rejuvelhecer a saude como prioridade de Sergio Abramoff pela Intrinseca (2017)
>>> O livro das evidencias de John Banville Tradução Fabio Bonillo pela Biblioteca Azul - globo (2018)
>>> O futebol explica o Brasil de Marcos Guterman pela Contexto (2014)
>>> O Macaco e a Essencia de Aldous Huxley pela Globo (2017)
>>> BATISTAS, Sua Trajetória em Santo Antônio de Jesus: o fim do monopólio da fé na Terra do Padre Mateus de Jorgevan Alves da Silva pela Fonte Editorial (2018)
>>> Playboy Bárbara Borges de Diversos pela Abril (2009)
>>> Sarah de Theresa Michaels pela Nova Cultural (1999)
>>> A Bela e o Barão de Deborah Hale pela Nova Cultural (2003)
>>> O estilo na História. Gibbon & Ranke & Macaulay & Burckhardt de Peter Gay pela Companhia das Letras (1990)
>>> Playboy Simony de Diversos pela Abril (1994)
>>> Invasão no Mundo da Superfície de Mark Cheverton pela Galera Junior (2015)
>>> José Lins Do Rego- Literatura Comentada de Benjamin Abdala Jr. pela Abril Educação (1982)
>>> A modernidade vienense e as crises de identidade de Jacques Le Rider pela Civilização Brasileira (1993)
>>> Machado De Assis - Literatura Comentada de Marisa Lajolo pela Abril Educação (1980)
>>> A Viena de Wittgenstein de Allan Janik & Stephen Toulmin pela Campus (1991)
>>> O Velho e o Mar de Ernest Hemingway pela Círculo do livro (1980)
>>> Veneno de Alan Scholefield pela Abril cultural (1984)
>>> O Livreiro de Cabul de Asne Seierstad pela Record (2007)
>>> Os Dragões do Éden de Carl Sagan pela Francisco Alves (1980)
>>> O Espião que sabia demais de John Le Carré pela Abril cultural (1984)
>>> Administração de Materiais de Jorge Sequeira de Araújo pela Atlas (1981)
>>> Introdução à Programação Linear de R. Stansbury Stockton pela Atlas (1975)
>>> Como lidar com Clientes Difíceis de Dave Anderson pela Sextante (2010)
>>> As 3 Leis do Desempenho de Steve Zaffron e Dave Logan pela Primavera (2009)
>>> Curso de Educação Mediúnica 1º Ano de Vários Autores pela Feesp (1996)
>>> Recursos para uma Vida Natural de Eliza M. S. Biazzi pela Casa Publicadora Brasileira (2001)
>>> Jesus enxuga minhas Lágrimas de Elza de Almeida pela Fotograma (1999)
>>> As Aventuras de Robinson Crusoé de Daniel Defoe pela LPM Pocket (1997)
>>> Bulunga o Rei Azul de Pedro Bloch pela Moderna (1991)
>>> Menino de Engenho de José Lins do Rego pela José Olympio (1982)
>>> Terra dos Homens de Antoine de Saint-Exupéry pela Nova Fronteira (1988)
>>> O Menino de Areia de Tahar Ben Jelloun pela Nova Fronteira (1985)
>>> Aspectos Endócrinos de Interesse à Estomatologia de Janete Dias Almeida pela Unesp (1999)
>>> Nociones de Historia Linguística y Estetica Literaria de Antonio Vilanova- Nestor Lujan pela Editorial Teide/ Barcelona (1950)
>>> El Estilo: El Problema y Su Solucion de Bennison Gray pela Editorial Castalia/ Madrid (1974)
>>> El Cuento y Sus Claves de Raúl A. Piérola/ Alba Omil (profs. Univ. Tucumán pela Editorial Nova, Buenos Aires (1955)
>>> Las Fuentes de La Creacion Literaria de Carmelo M. Bonet pela Libr. del Collegio/ B. Aires (1943)
>>> As Hortaliças na Medicina Doméstica/ Encadernado de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar (1976)
>>> A Flora Nacional na Medicina Doméstica de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar
>>> Arlington Park de Rachel Cusk pela Companhia das Letras (2007)
>>> Muitas Vidas, Muitos Mestres de Brian L Weiss pela Salamandra (1991)
>>> As Frutas na Medicina Doméstica de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar
>>> Coleção Agatha Christie - Box 8 de Agatha Christie; Sonia Coutinho; Archibaldo Figueira pela HarperCollins (2019)
>>> As Irmãs Aguero de Cristina García pela Record (1998)
>>> Não Faça Tempestade Em Copo Dágua no Amor de Richard Carlson pela Rocco (2001)
>>> Um Estudo Em Vermelho - Edição De Bolso de Arthur Conan Doyle pela Zahar (2013)
>>> Eu, Dommenique de Dommenique Luxor pela Leya (2011)
>>> Os Cavaleiros da Praga Divina de Marcos Rey pela Global (2015)
>>> O Futuro da Filosofia da Práxis de Leandro Konder pela ExpressãoPopular (2018)
COLUNAS

Terça-feira, 26/3/2002
... E o verão acabou
Rafael Lima

+ de 2900 Acessos
+ 2 Comentário(s)

Michael Palin's Hemingway Adventure
Ernest Hemingway Um dos grandes programas exibidos na televisão à cabo chama-se Hemingway por Michael Palin (Michael Palin's Hemingway Adventure), no canal People + Arts. Se o segundo nome não te diz nada, aqui vai um refresco: Michael Palin é um dos fundadores da trupe britânica conhecida como Monty Phyton, junto de atores como John Cleese ou Terry Gilliam, ainda na ativa, mesmo em Hollywood. Hoje, cinquentões, não há mais chance deles se juntarem para fazer as gracinhas que os tornaram famosos na década de 70 - beeeem... Cleese volta e meia faz papel de palhaço em um filme - já que, pelo menos cronologicamente, ultrapassaram a meia idade e não precisam mais ficar pagando micos para ganhar dinheiro. É comum o gosto de artistas mudar com a idade; membros de uma banda de rock passam a dedicar mais tempo a seus projetos ditos pessoais, como aquela banda de jazz paralela, ou outro hobby que tenham mantido ao longo da vida, de fotografia até gastronomia. Como Palin é inglês, podia-se esperar algo mais do que de um roqueiro californiano, e aqui entra a BBC, rede de televisão estatal inglesa, a lhe prover um programa sobre... literatura? Pesado demais. Deixe isso para escritores brincalhões ou professores. Por que não um programa centrado num único escritor, de biografia tão empolgante quanto seus livros, comentando, à moda de turismo, sua intensa mobilidade pelo mundo?
Enquanto Michael Palin passa por lugares tão distintos como o extremo sul da Flórida, Paris, as planícies do Serengetti, na África; Veneza e Havana, vai destrinchando períodos da vida de Ernest Hemingway, conversando com pessoas que o conheceram, do semi-selvagem africano que viu o aeroplano dele cair em uma colina ao filho do nobre que o hospedou num palacete; tomando drinques que foram preparados especialmente para ele, em bares que ganharam fama em seus livros, como o Sloppy Joe's ou o Harry's; citando trechos adequados às situações e colecionando memorabilia genérica sobre Hem: do número e tipos de ferimentos que sofreu em uma temporada na França a um esquisitíssimo concurso de sósias anual realizado na Flórida, que teria sido melhor apresentado por Jack Palance. Como se não bastasse a saudável aliança entre viagens, cultura e curiosidades, há o engraçadíssimo humor involuntário - nunca se deve esquecer a origem de Palin - que o apresentador britanicamente arranca de seus entrevistados, submetendo-se a situações que beiram o absurdo: ao ilustrar a descrição de caça aos patos, Palin reproduz ao seu modo todos os hábitos típicos de um caçador: madruga, reclamando horrivelmente do frio; carrega todos os paramentos, de patos de madeira (as iscas) a munição para espingardas, se perguntando para que cada um serve; leva um livro para passar o tempo, e fica enrolando seu parceiro com tudo que é pergunta possível enquanto os patos não chegam. Mas nada se compara à sua cara de espanto ao ver o parceiro usando os diversos tipos de pio para chamar pato, ainda com alguma esperança, depois de 3 horas de absolutamente nenhum pato na área...

The California Sunshine Golden Drop Trip Band
"Ela é tão antiga aqui na empresa que, quando entrou, não fez psicotécnico - fez exame psicodélico."

Mr. Nomono está entre nós! Espalhe por aí
Mr. Nomono vem para nos redimir a todos!

Até morrer
Foi capa de todos os jornais no Rio: torcedores do Flamengo invadem treino e atacam jogadores. "Quanto vandalismo!", horrorizaram-se as senhoras da Liga dos Quitutes Mineiros, "Que baixaria!", bradaram os doutores da Associação dos Jogadores de Dominó Sábado à Tarde. Colocando pingos nos jotas, que os is já acabaram há muito: mais do que um esporte popular e jogado a cada esquina, o futebol se presta a manifestações populares há muito banidas de outros palcos - como já foi bem colocado, mais do que ver futebol, brasileiro gosta é de torcer para futebol. Ver o seu último motivo inconteste de orgulho internacional (eu não esqueci do Guga, mas Guga é um só), seu último bastião de talento inato, seu mais forte elo de união coletiva (acima de política, ali ali com religião) aviltado, degradado, desmontado, humilhado é algo de extremo pesar para o torcedor. Um time que concentra mais da metade da torcida do país só vai ser mais visado por seus torcedores, e ter mais exposição. O que choca nessa história toda não é nem o ataque violento, é que o motivo capaz de detonar esse barril de pólvora tenha sido o futebol. Reações em outros campos podem apenas ser imaginadas: "Populares invadem rampa da Alvorada depois que presidente anuncia aumento do mínimo em 6 reais"? "Sessão extraordinária da Câmara é interrompida quando invasores protestam contra votação de aumento do salário dos deputados"? Dá para ir embora com variações nesse sentido. Isso se ficar só nas manifestações espontâneas, não organizadas...

Balanço do verão
Eu estava morrendo de vontade de fazer um balanço do verão, de louvar os baratos do Piscinão de Ramos (que o ex-governador Brizola apelidou com muita picardia de Pinicão) que o governador Garotinho inventou, falar da clorofila que andam adicionando aos sucos de frutas, mas desisti: não dá para competir com esses dois caras.

À propósito
"Garotinho é uma mistura de Mussolini, Mao, Jimmy Swaggart e Carequinha" (aspas para meu amigo crítico de cinema João Marcelo, a.k.a. O Mestre, brilhante em seu retorno à nobre arte das frases de efeito)

Sem vocação para a mediocridade
Lucio Costa Apesar de ter criado, do zero, o projeto inteiro de uma cidade, e não uma cidade qualquer, mas aquela que seria destinada a abrigar a capital da república, o nome de Lúcio Costa não é lembrado com a mesma freqüência nem com a mesma relevância que o de Oscar Niemeyer, projetista dos principais prédios públicos daquela capital. Talvez o motivo tenha sido mais a atenção que o engajamento político atrai - Niemeyer arruma um jeito de colocar foices estilizadas em quase todo monumento, enquanto Lúcio Costa ficou conhecido por dizer "não sou capitalista nem socialista, não sou religioso nem ateu" - do que o talento exemplar. Nesse ano em que completaria o centenário, uma exposição percorrendo a vida de Lúcio Costa ocupa várias salas do Paço Imperial, no Rio de Janeiro, cidade à qual dedicou muitos anos de vida. uma das 'casas sem dono' Conhecê-la é restaurar o senso de proporção, é ver o excepcional talento de Costa para o desenho (particularmente em aquarela), que o fez respeitado na faculdade de Belas Artes apesar de ter ingressado lá adolescente; é descobrir que ele chegou a mandar para as bancas projetos prontos de "casas sem dono", no afã de romper com o estilo Neo-Colonial, apresentando projetos arquitetônicos a preços acessíveis; é se maravilhar com seu tratado sobre o mobiliário colonial - texto & desenhos dele. Outra frase de Lúcio Costa ilustra as paredes do Paço: "O Brasil vai dar o seu recado no tempo certo; é um país que não tem vocação para a mediocridade." Também é reviver um pouco de História, em meio aos milhares de documentos que deixou, da carta original de Gustavo Capanema encomendando o prédio do Ministério de Educação às missivas trocadas com Le Corbusier e Walter Gropius (tem uma foto de fazer estudante de arquitetura lamber os beiços: Costa, Gropius, Corbusier e mais alguns luminares discutindo em um Rascunho do Plano Piloto restaurante - em Paris!); dos originais do projeto do prédio brasileiro na Exposição Internacional de 1939 ao memorial descritivo de Brasília completo, incluindo rascunhos – onde se pode ver que a idéia inicial do Plano Piloto foi um banal X, uma cruz, a maneira mais óbvia de se marcar um terreno, nada a ver com aquele papo de forma de um avião que os professores empurravam para cima da gente na escola. E mais, móveis criados nas horas vagas: uma poltrona que depois veio a ser vendida na Oca, loja de Sérgio Rodrigues, ao lado da célebre poltrona mole e desta cadeira; pareceres sobre questões urbanísticas e até uma brilhante solução para desobstruir o trânsito. Talvez a peça mais preciosa seja um raro storyboard para filme mudo, legendado em francês e que nunca chegou às mãos de quem lücio pretendia que filmasse - Charles Chaplin.
Coincidentemente – ou não – uma exposição fotográfica da obra de Oscar Niemeyer foi agendada para outro espaço do Paço Imperial, simultaneamente à obra de Lúcio Costa. E quem quiser que enxergue significados esotéricos no fato da mostra de Niemeyer ter ocupado um antigo aposento de criados, enquanto a de Costa, entre outros cômodos do segundo andar, tomou a sala onde foi assinada a Lei Áurea.


Rafael Lima
Rio de Janeiro, 26/3/2002


Quem leu este, também leu esse(s):
01. Meus álbuns: '00 - '09 ― Pt. 4 de Rafael Fernandes
02. Nazismo na era do videogame de Daniela Sandler


Mais Rafael Lima
Mais Acessadas de Rafael Lima em 2002
01. Coisas nossas - 23/4/2002
02. Pi, o [fi]lme, e o infinito no alfa - 25/6/2002
03. Ar do palco, ou o xadrez nos tempos da Guerra Fria - 16/4/2002
04. Quando éramos reis, bispos, cavalos... - 9/4/2002
05. Quebrar pratos com Afrodite - 14/5/2002


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

ENVIAR POR E-MAIL
E-mail:
Observações:
COMENTÁRIO(S) DOS LEITORES
26/3/2002
13h16min
Rafael Ouvi não sei onde e gostaria de confirmar. Lucio teria previsto no seu projeto áreas específicas para o proletariado (algo assim como favelas urbanizadas!). Sua idéia teria sido vetada por "socialistas utópicos"(atualmente todos), poderosos na época. Moral da história: as famosas cidades satélites poderiam não ser o q são se tivessem seguido o projeto original do criador. "Se non e vero é bene trovato!", não?
[Leia outros Comentários de pedroservio]
26/3/2002
14h02min
Pedro, em um dos muitos documentos da mostra existe uma declaração do Lucio Costa exatamente sobre esse espaço reservado para o proletariado. Não há na exposição, que eu me lembre, nenhuma informação sobre que fim teria levado essa idéia, ou como ela teria sido abortada. Pessoalmente, acho que mesmo que as tais "áreas específicias" saíssem do papel, isso não impediria o surgimento nem o crescimento das cidades satélites de Brasília.
[Leia outros Comentários de Rafael Lima]
COMENTE ESTE TEXTO
Nome:
E-mail:
Blog/Twitter:
* o Digestivo Cultural se reserva o direito de ignorar Comentários que se utilizem de linguagem chula, difamatória ou ilegal;

** mensagens com tamanho superior a 1000 toques, sem identificação ou postadas por e-mails inválidos serão igualmente descartadas;

*** tampouco serão admitidos os 10 tipos de Comentador de Forum.




Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




73 CIRCUITOS ELECTRÓNICOS PRÁTICOS
R. A. PENFOLD
PLÁTANO
(1992)
R$ 64,78



O GIGANTE DE BOTAS
OFELIA *NARBAL FONTES
ÁTICA
(1975)
R$ 9,00



CAÇANDO CHE
MITCH WEISS
RECORD
(2016)
R$ 25,00



NA TRILHA DO PASSADO
ROBERTO DE CARVALHO
ALIANÇA
(2008)
R$ 10,80



THE ART OF MALAN
STILL LIFE
STILL LIFE
R$ 12,00



GUSTON MODERN MASTERS
ROBERT STORR
ABBEVILLE PRESS
(1986)
R$ 200,00



MODERNA PLUS LITERATURA TEMPOS, LEITORES E LEITURAS UNICO ALUNO
MARIA LUIZA M. ABAURRE
MODERNA
(2011)
R$ 19,90



BHAGAVAD GITA - COMO ELE É
SUA DIVIDA GRAÇA A.C. BHAKTIVEDANTA SWAMI PRABHUPADA
THE BHAKTIVEDANTA BOOK TRUST
(2015)
R$ 25,00



ASPECTOS POLÍTICOS DA TEORIA ECONÔMICA
GUNNAR MYRDAL
ZAHAR
(1962)
R$ 7,90



A TORRE DO ORGULHO - UM RETRATO DO MUNDO ANTES DA GRANDE GUERRA
BABARA W. TUCHMAN
PAZ E TERRA
(1990)
R$ 35,00





busca | avançada
42881 visitas/dia
1,2 milhão/mês