A Nova Intimidade | Héber Sales | Digestivo Cultural

busca | avançada
51839 visitas/dia
1,8 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Cia Triptal celebra a obra de Jorge Andrade no centenário do autor
>>> Sesc Santana apresenta SCinestesia com a Companhia de Danças de Diadema
>>> “É Hora de Arte” realiza oficinas gratuitas de circo, grafite, teatro e dança
>>> MOSTRA DO MAB FAAP GANHA NOVAS OBRAS A PARTIR DE JUNHO
>>> Ibevar e Fia-Labfin.Provar realizam uma live sobre Oportunidades de Carreira no Mercado de Capitais
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> As maravilhas do modo avião
>>> A suíte melancólica de Joan Brossa
>>> Lá onde brotam grandes autores da literatura
>>> Ser e fenecer: poesia de Maurício Arruda Mendonça
>>> A compra do Twitter por Elon Musk
>>> Epitáfio do que não partiu
>>> Efeitos periféricos da tempestade de areia do Sara
>>> Mamãe falhei
>>> Sobre a literatura de Evando Nascimento
>>> Velha amiga, ainda tão menina em minha cabeça...
Colunistas
Últimos Posts
>>> Fabio Massari sobre Um Álbum Italiano
>>> The Number of the Beast by Sophie Burrell
>>> Terra... Luna... E o Bitcoin?
>>> 500 Maiores Álbuns Brasileiros
>>> Albert King e Stevie Ray Vaughan (1983)
>>> Rush (1984)
>>> Luiz Maurício da Silva, autor de Mercado de Opções
>>> Trader, investidor ou buy and hold?
>>> Slayer no Monsters of Rock (1998)
>>> Por que investir no Twitter (TWTR34)
Últimos Posts
>>> Parei de fumar
>>> Asas de Ícaro
>>> Auto estima
>>> Jazz: 10 músicas para começar
>>> THE END
>>> Somos todos venturosos
>>> Por que eu?
>>> Dizer, não é ser
>>> A Caixa de Brinquedos
>>> Nosferatu 100 anos e o infamiliar em nós*
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Blogues: uma (não tão) breve história (I)
>>> A primeira ofensa recebida sobre algo que escrevi
>>> 20 contos sobre a pandemia de 2020
>>> Procissão
>>> Mais espetáculo que arte
>>> teu filho, teu brilho
>>> O Medium e o retorno do conteúdo
>>> A Poli... - 10 anos (e algumas reflexões) depois
>>> Web-based Finance Application
>>> Pensando sozinho
Mais Recentes
>>> Local, Global de Heloisa Buarque de Almeida pela Berlendis & Vertecch (2013)
>>> A Ordem Negra de James Rollins pela Ediouro (2007)
>>> Geometria Analítica Plana de Steinbruch Basso pela Makron Books (1991)
>>> Plano de Negócios de Egoy Walter Wildauer pela Intersaberes (2012)
>>> A Rendeira Borralheira de Socorro Acioli; Alexandre Camanho pela Positivo Livros (2009)
>>> How to Launch a Brazilian Depositary Receipts (bdrs) Program de Vários Autores pela Pwc
>>> Amanhã é outro dia de J.m. Simmel pela Nova Fronteira (1978)
>>> Tempo Bom, Tempo Ruim de Jean Wyllys pela Paralela (2014)
>>> O Fantasma de Canterville de Oscar Wide pela Scpione (2006)
>>> não vi enão gastei - O fenômeno do Prenconceito de Renato da Siva Queiroz pela Moderna (1997)
>>> O Evangelho Segundo o Espiritismo de Allan Kardec pela Ide (2016)
>>> Giocondo Dias - a Vida de Revolucionario de João Falçãqo pela Agir (1993)
>>> Passenger to Frankfurt de Agatha Christie pela Harpercollins Uk (2017)
>>> Por Que Sonhei Com Isso? de Evelyn Kay Massaro; Lauri Quinn Lowenberg pela Best Seller (2017)
>>> Born Montoneros - 9 Meses En las Entranãs de Montoneros de María Odonnell pela Sudamericana (2015)
>>> Mesa para Dois de Nora Roberts pela Harlequin Books Br (2007)
>>> Controle o Estresse de Augusto Cury pela Gold
>>> Schwert, Das de Daniel Easterman pela Aufbau Tb (2009)
>>> English in Formation 3rd Edition 8 Teacher Book de Wilson Liberato pela Standfor (2016)
>>> Metade de uma Rosa de Jonas Ribeiro pela Do Brasil (2007)
>>> Alarde Poético de Vários pela Não consta (2006)
>>> Perfume Derramado de Denise Seixas pela Bolabooks (2016)
>>> Evangelho Eterno e Orações Prodigiosas de Osvaldo Polidoro pela Do Autor (2009)
>>> Nao Pergunte Se Ele Estudou de Renato Alves pela Humano (2011)
>>> Habermas e a Dialética de David Igram pela Edunb (1993)
COLUNAS

Quarta-feira, 24/7/2002
A Nova Intimidade
Héber Sales

+ de 3000 Acessos

Ando pesquisando o tema para aguçar minha percepção da sociedade atual, algo que considero essencial para o trabalho do ficcionista. Nessa busca, tenho me deparado com alguns livros preciosos, cujos achados e idéias julgo merecerem atenção. Busco neles a resposta para a questão: o que há de típico na intimidade da sociedade pós-industrial?

Rotulo de intimidade o conjunto das paixões e atitudes pessoais. Refiro-me a sentimentos como coragem, medo, solidão, várias formas de amor, poder, gentileza, respeito, a responsabilidade paternal/maternal, a dúvida existencial. A respeito dessas experiências íntimas, questiono-me até que ponto a vivência atual que temos delas não seria ainda típica da sociedade patriarcal e dos contextos culturais, institucionais e políticos burgueses, e, em caso de resposta afirmativa, o que poderia acontecer de novo no território da intimidade se essas condições mudassem, como parece estar acontecendo nesta virada para o século XXI com o surgimento da sociedade da informação ou em rede.

Esclarecidos os termos em que coloquei a questão da "nova intimidade", convém tentar de pronto uma resposta. Socorre-me Manuel Castells com seu livro O Poder da Identidade. Trata-se do segundo volume de um livro nascido clássico, um estudo que pretende caracterizar uma nova era histórica, a era da informação, em suas dimensões econômicas, sociais e culturais - a propósito, o título do calhamaço é A Era da Informação: Economia, Sociedade e Cultura. Pois bem, nesse segundo volume há um capítulo de umas cem páginas no qual Castells argumenta que a crise do patriarcalismo, causada pela interação entre o capitalismo informacional e os movimentos sociais feministas e de identidade sexual, gerará novas formas de família, de sexualidade e de personalidade.

Castells argumenta que na crise do patriarcalismo "o que está em jogo não é o desaparecimento das família mas sua profunda diversificação e a mudança do seu sistema de poder". Novos esquemas de família multiplicam-se transformando a vida dos filhos. Nos EUA, epicentro da revolução em curso, o modelo de família de núcleo patriarcal, aquele definido nos termos "legalmente casados com filhos" está estatisticamente superado, correspondendo a apenas um quarto dos lares. Tomam seu lugar as famílias recombinadas, famílias com apenas um dos pais, coabitação, famílias de pessoas do mesmo sexo e lares habitados por um só indivíduo. O quadro é de diversidade, de relacionamentos pessoais com fronteiras móveis, e de um número crescente de crianças criadas por tipos de lares antes marginais e até inconcebíveis.

É a partir dessas novas condições de socialização dos filhos que talvez possamos entrever aspectos distintivos da intimidade que emerge com a sociedade informacional. Castells assinala que a crise do patriarcalismo conduz à transformação do mecanismo fundamental de reprodução do gênero, e, portanto, da identidade, sexualidade e personalidade. Com os homens perdendo espaço enquanto provedores, e considerando que eles sempre tiveram um papel secundário como objeto de apoio emocional para as mulheres (que é obtido primeiramente junto a mãe e depois junto a outras mulheres), estas relegariam seus parceiros ao papel de mero objeto erótico, formando famílias constituídas por mães e filhos reunidas em "comunas de mulheres e crianças", onde os homens seriam recebidos de vez em quando. Em resposta a tal movimento, os homens escolheriam seu novo papel dentre um leque de opções que ignora o modelo de família patriarcal: fugir do compromisso, tornar-se gay ou renegociar o contrato da família heterossexual. Neste último caso, que parece mais próximo do estado atual de coisas, haveria uma subversão do gênero pela revolução da paternidade - ou seja, o compartilhamento total da responsabilidade pelos filhos. Isso seria crítico para a dominação masculina, pois alteraria radicalmente o modelo de formação das classes sexuais. As mulheres poderiam então ser produzidas não apenas como mães, mas como mulheres que desejam os homens, e os homens não só como amantes de mulheres, mas também como filhos.

O desmonte da família patriarcal ocorre em meio a uma verdadeira revolução sexual. Castells caracteriza-a pela desvinculação do casamento, da família, da heterossexualidade e da expressão sexual. A dissociação entre sexualidade e casamento, que de resto sempre existiu para as mulheres, está sendo escancarada pela sexualidade feminina, pela homossexualidade, pela sexualidade eletiva e pelas novas tecnologias de reprodução biológica; há uma crescente autonomia do desejo, principalmente entre os jovens; e a sexualidade consumista está em alta. Assistimos dessa forma a história da deserção do quarto conjugal e da procura de novas formas de expressão sexual. Castells prevê "que se, quando, e onde a epidemia da AIDS estiver sob controle, haverá uma, duas, três muitas Sodomas surgindo das fantasias liberadas pela crise do patriarcalismo e estimuladas pela cultura do narcisismo". E mais, "em tais condições como sugerido por Giddens, a sexualidade tornar-se-á propriedade do indivíduo", e processar-se-á "a luta entre o poder e a identidade nesse campo de batalha que é o corpo humano". Uma luta que pode facilmente descambar para a pura e simples transgressão, pois muitas vezes o desejo origina-se comportamento.

Nesse contexto, que acontece de novo à intimidade de mulheres e homens? A preponderância do erotismo nas relações entre os gêneros tradicionais; famílias e rede de famílias matriarcais; homens assumindo-se narcisisticamente como meros objetos sexuais das mulheres; expansão do amor homossexual; homens que se tornam co-donas de casa; indivíduos sexualmente transgressores ocupados em consumirem-se uns aos outros num autêntico supermercado de fantasias pessoais. E isso não é tudo. Há ainda dois cenários delineados por Castells que devo destacar.

O primeiro deles refere-se ao surgimento de personalidades mais flexíveis. Expostas desde a infância a necessidade de se adaptarem a ambientes estranhos e aos diferentes papéis exercidos pelos adultos, as crianças desenvolverão personalidades mais complexas, menos auto-confiantes, mas com capacidade superior de acomodação aos papéis em mudança constante dentro dos contextos sociais.

O segundo cenário, nada otimista, prevê uma tensão social extrema produzida pelo reconhecimento aberto do desejo pessoal (fora da família) e sua associação com a transgressão. "A fuga em direção a uma sociedade aberta e em rede levará à ansiedade individual e à violência social, até que novas formas de coexistência e responsabilidade compartilhada sejam encontradas, unindo homens, mulheres e crianças na família reconstruída, isto é, uma família formada em condições de igualdade, mais adequada a mulheres liberadas, crianças bem informadas e homens indecisos".

Depois de ler sobre tudo isso, fiquei chacoalhando meus neurônios por causa de duas lembranças, o Brasil e a ficção. Como o próprio Castells afirma, apesar de global, o fenômeno da crise do patriarcalismo varia em intensidade e em maturidade de acordo com a região e a classe que analisamos. No caso do Brasil, vejo indícios de que os valores, as instituições e os estilos de vida típicos da sociedade informacional são compartilhados por uma minoria, e mesmo assim, convivendo lado a lado, num mesmo indivíduo, numa mesma família, com atitudes e costumes tradicionais. Quanto à ficção, tento recordar-me apressadamente de obras que reflitam a nova intimidade.


Héber Sales
Salvador, 24/7/2002


Quem leu este, também leu esse(s):
01. Liberdade é pouco de Elisa Andrade Buzzo
02. O mago de Gian Danton
03. Cinema futuro: projeções de Jardel Dias Cavalcanti
04. A morte anunciada dos Titãs de Luiz Rebinski Junior
05. O pior Rubem Fonseca é sempre um bom livro de Luiz Rebinski Junior


Mais Héber Sales
* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




Esboços de Sermões
Luis Roberto Silvado
A. D Santos
(2012)



Outras do Analista de Bagé
Luis Fernando Veríssimo
L pm
(2022)



Boas Maneiras e Sucesso nos Negócios
Celia Ribeiro
L&pm
(1993)



O Perito
Robert Finn
Publicações Europa-américa
(2009)



Au Arquitetura & Urbanismo Nº 155
Pini
Pini



O Estudante
Adelaide Carraro
Global
(2001)



Comunicacao Modernizacao e Difusao de Inovacoes no Brasil
Jose Marques de Melo
Vozes
(1978)



Inteligência - Perspectivas Teóricas
Leandro S. Almeida, Aristides Ferreira
Almedina
(2009)



Wireless Java With J2me - Sams Teach Yourself - in 21 Days.
Michael Morrison
Sams



Historias da Vo Cotinha Vivencias e Virtudes
Lucia Nobrega
Rideel
(2010)





busca | avançada
51839 visitas/dia
1,8 milhão/mês