As Esquetes de Nova Orleans, de Willian Faulkner | Ricardo de Mattos | Digestivo Cultural

busca | avançada
36466 visitas/dia
1,2 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Banda GELPI, vencedora do concurso EDP LIVE BANDS BRASIL, lança seu primeiro álbum com a Sony
>>> Celso Sabadin e Francisco Ucha lançam livro sobre a vida de Moracy do Val amanhã na Livraria da Vila
>>> No Dia dos Pais, boa comida, lugar bacana e MPB requintada são as opções para acertar no presente
>>> Livro destaca a utilização da robótica nas salas de aula
>>> São Paulo recebe o lançamento do livro Bluebell
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Rinoceronte, poemas em prosa de Ronald Polito
>>> A forca de cascavel — Angústia (FUVEST 2020)
>>> O reinado estético: Luís XV e Madame de Pompadour
>>> 7 de Setembro
>>> Outros cantos, de Maria Valéria Rezende
>>> Notas confessionais de um angustiado (VII)
>>> Eu não entendo nada de alta gastronomia - Parte 1
>>> Treliças bem trançadas
>>> Meu Telefunken
>>> Dor e Glória, de Pedro Almodóvar
Colunistas
Últimos Posts
>>> Revisores de Texto em pauta
>>> Diogo Salles no podcast Guide
>>> Uma História do Mercado Livre
>>> Washington Olivetto no Day1
>>> Robinson Shiba do China in Box
>>> Karnal, Cortella e Pondé
>>> Canal Livre com FHC
>>> A história de cada livro
>>> Guia Crowdfunding de Livros
>>> Crise da Democracia
Últimos Posts
>>> Uma crônica de Cinema
>>> Visitação ao desenho de Jair Glass
>>> Desiguais
>>> Quanto às perdas I
>>> A caminho, caminhemos nós
>>> MEMÓRIA
>>> Inesquecíveis cinco dias de Julho
>>> Primavera
>>> Quando a Juventude Te Ferra Economicamente
>>> Bens de consumo
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Ser intelectual dói
>>> O Tigrão vai te ensinar
>>> O hiperconto e a literatura digital
>>> Aberta a temporada de caça
>>> Se for viajar de navio...
>>> Incompatibilidade...
>>> Alguns Jesus em 10 anos
>>> Blogues: uma (não tão) breve história (II)
>>> Picasso e As Senhoritas de Avignon (Parte I)
>>> Asia de volta ao mapa
Mais Recentes
>>> O Livro da moda de Alexandra Black pela Publifolha (2015)
>>> Rejuvelhecer a saude como prioridade de Sergio Abramoff pela Intrinseca (2017)
>>> O livro das evidencias de John Banville Tradução Fabio Bonillo pela Biblioteca Azul - globo (2018)
>>> O futebol explica o Brasil de Marcos Guterman pela Contexto (2014)
>>> O Macaco e a Essencia de Aldous Huxley pela Globo (2017)
>>> BATISTAS, Sua Trajetória em Santo Antônio de Jesus: o fim do monopólio da fé na Terra do Padre Mateus de Jorgevan Alves da Silva pela Fonte Editorial (2018)
>>> Playboy Bárbara Borges de Diversos pela Abril (2009)
>>> Sarah de Theresa Michaels pela Nova Cultural (1999)
>>> A Bela e o Barão de Deborah Hale pela Nova Cultural (2003)
>>> O estilo na História. Gibbon & Ranke & Macaulay & Burckhardt de Peter Gay pela Companhia das Letras (1990)
>>> Playboy Simony de Diversos pela Abril (1994)
>>> Invasão no Mundo da Superfície de Mark Cheverton pela Galera Junior (2015)
>>> José Lins Do Rego- Literatura Comentada de Benjamin Abdala Jr. pela Abril Educação (1982)
>>> A modernidade vienense e as crises de identidade de Jacques Le Rider pela Civilização Brasileira (1993)
>>> Machado De Assis - Literatura Comentada de Marisa Lajolo pela Abril Educação (1980)
>>> A Viena de Wittgenstein de Allan Janik & Stephen Toulmin pela Campus (1991)
>>> O Velho e o Mar de Ernest Hemingway pela Círculo do livro (1980)
>>> Veneno de Alan Scholefield pela Abril cultural (1984)
>>> O Livreiro de Cabul de Asne Seierstad pela Record (2007)
>>> Os Dragões do Éden de Carl Sagan pela Francisco Alves (1980)
>>> O Espião que sabia demais de John Le Carré pela Abril cultural (1984)
>>> Administração de Materiais de Jorge Sequeira de Araújo pela Atlas (1981)
>>> Introdução à Programação Linear de R. Stansbury Stockton pela Atlas (1975)
>>> Como lidar com Clientes Difíceis de Dave Anderson pela Sextante (2010)
>>> As 3 Leis do Desempenho de Steve Zaffron e Dave Logan pela Primavera (2009)
>>> Curso de Educação Mediúnica 1º Ano de Vários Autores pela Feesp (1996)
>>> Recursos para uma Vida Natural de Eliza M. S. Biazzi pela Casa Publicadora Brasileira (2001)
>>> Jesus enxuga minhas Lágrimas de Elza de Almeida pela Fotograma (1999)
>>> As Aventuras de Robinson Crusoé de Daniel Defoe pela LPM Pocket (1997)
>>> Bulunga o Rei Azul de Pedro Bloch pela Moderna (1991)
>>> Menino de Engenho de José Lins do Rego pela José Olympio (1982)
>>> Terra dos Homens de Antoine de Saint-Exupéry pela Nova Fronteira (1988)
>>> O Menino de Areia de Tahar Ben Jelloun pela Nova Fronteira (1985)
>>> Aspectos Endócrinos de Interesse à Estomatologia de Janete Dias Almeida pela Unesp (1999)
>>> Nociones de Historia Linguística y Estetica Literaria de Antonio Vilanova- Nestor Lujan pela Editorial Teide/ Barcelona (1950)
>>> El Estilo: El Problema y Su Solucion de Bennison Gray pela Editorial Castalia/ Madrid (1974)
>>> El Cuento y Sus Claves de Raúl A. Piérola/ Alba Omil (profs. Univ. Tucumán pela Editorial Nova, Buenos Aires (1955)
>>> Las Fuentes de La Creacion Literaria de Carmelo M. Bonet pela Libr. del Collegio/ B. Aires (1943)
>>> As Hortaliças na Medicina Doméstica/ Encadernado de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar (1976)
>>> A Flora Nacional na Medicina Doméstica de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar
>>> Arlington Park de Rachel Cusk pela Companhia das Letras (2007)
>>> Muitas Vidas, Muitos Mestres de Brian L Weiss pela Salamandra (1991)
>>> As Frutas na Medicina Doméstica de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar
>>> Coleção Agatha Christie - Box 8 de Agatha Christie; Sonia Coutinho; Archibaldo Figueira pela HarperCollins (2019)
>>> As Irmãs Aguero de Cristina García pela Record (1998)
>>> Não Faça Tempestade Em Copo Dágua no Amor de Richard Carlson pela Rocco (2001)
>>> Um Estudo Em Vermelho - Edição De Bolso de Arthur Conan Doyle pela Zahar (2013)
>>> Eu, Dommenique de Dommenique Luxor pela Leya (2011)
>>> Os Cavaleiros da Praga Divina de Marcos Rey pela Global (2015)
>>> O Futuro da Filosofia da Práxis de Leandro Konder pela ExpressãoPopular (2018)
COLUNAS

Quinta-feira, 19/9/2002
As Esquetes de Nova Orleans, de Willian Faulkner
Ricardo de Mattos

+ de 5200 Acessos

"Louvado sejais, meu Senhor, pela Irmã nossa Morte corporal,
Da qual nenhum homem vivente pode escapar
".
(S. Francisco de Assis ― O Cântico das Criaturas)


Lançada em julho deste ano a reunião de contos de Willian Faulkner (1.897/1.962) sob o título Esquetes de Nova Orleans. São dezassete contos escritos entre janeiro e setembro de 1.925, quando o escritor contava 28 anos de idade, num período passado em Nova Orleans antes de seu primeiro embarque para a Europa. Na verdade são dezasseis contos e o primeiro título da série, "Nova Orleans", nada mais é além de uma "sub-reunião" de minicontos, onze textos com uma média de três parágrafos cada. Com estas narrativas publicadas todas em jornal e reunidos na década de cinquenta por seu principal crítico ― Carvel Collins ― temos o ingresso do escritor na prosa. Antes das Esquetes, publicara em 1.924 O Fauno de Mármore, livrete de poesia.

Esquete vem do inglês Sketch, termo ligado às artes, significando esboço, rascunho, projecto. O nome foi dado por Collins, e considerando ter sido Faulkner estudante de pintura, é um título no todo apropriado à reunião. Continuando a manter o paralelo entre os contos e minicontos das Esquetes de Nova Orleans com as artes plásticas, podemos dizer ser o primeiro conjunto de desenhos e gravuras independentes de alguém que já possui Goya e Rembrandt em seu curriculum. E muito bem estudados. Temos nas Esquetes um Faulkner iniciante, mas já promissor, e hoje testemunhamos o cumprimento desta promessa.

Uma última insistência no paralelo: entre os minicontos sob a rubrica "Nova Orleans", encontramos algumas peças desenvolvidas nos contos constantes deste mesmo volume. Exemplo disso é o miniconto O Sapateiro (pág. 43) extensamente desenvolvido em um conto de mesmo nome (aqui, repare-se, o autor descreva a Toscana sem ainda conhecê-la). Esboço e desenho definitivo, tema e desenvolvimento se quisermos avançar pela música. Frankie e Johnny e O Garoto Aprende talvez tenham também esta mesma ligação. Faulkner envolveu-se com a pintura, mas não tenho notícia do motivo pelo qual a abandonou. Talvez tenha descoberto a falta de vocação, se considerarmos confessional o trecho encontrado na página 108 do volume: "Spratling, cuja mão, ao contrário da minha (ai de mim!), se afeiçoou a um pincel, tornou-se então discursivo sobre os modos de transferir luz para as telas". Spratling era um pintor, amigo pessoal do escritor e reaparece em Episódio. Não se pode excluir a possibilidade da Literatura ter falado mais alto.

A julgar por este trabalho inicial, Faulkner poderia ser muito mais popular. Já foi bem conhecido no Brasil, na década de cinquenta principalmente, mas tudo não passou de modismo. É um tratamento imerecido, dada a qualidade da obra. As Esquetes são peças de juventude, preparatórias, equivalentes ao Machado de Assis de A Mão e a Luva e de Ressurreição. Evidente que não comparo a obra de Machado de Assis e a de Faulkner, apenas quero realçar o carácter estreante do segundo. Temos aqui contos com humor (não de humor) mesmo seja trágico o suporte, como em Pôr do Sol. Fora as Esquetes, encontrei nas livrarias virtuais a tradução de outros livros (Enquanto Agonizo, O Intruso, O Povoado, Os Invencidos), mas não me lembro de ter lido sobre eles na imprensa. Luz em Agosto, Santuário, e sua obra prima, O Som e A Fúria, poderiam seguir-se às Esquetes.

No geral, predominam a informalidade e a leveza. O jovem Faulkner ao começar a construir sua obra revela conteúdo, resultando em passos iniciais firmes, sérios e bem dispostos. Os diálogos demonstram preocupação com o falado, com o coloquial, e se por vezes exagera (Pô!), é para manter-se fiel à realidade. Contudo, ele sabe quando parar. Sua virtude está em recorrer ao coloquial, mas não ao fácil, ao vulgar. Vez ou outra somos surpreendidos por referências inesperadas. Encabeça o presente texto um excerto do Cântico das Criaturas, de São Francisco de Assis. Qual a ligação entre eles? O conto O Garoto Aprende (pág. 169) termina com a emboscada e morte do protagonista, aprendiz de gangster. Agonizando, o rapaz tenta ver se quem está ao seu lado é a moça que acabara de conquistar:

" ― Mary? Disse Johnny experimentando.
― Irmãzinha Morte, corrigiu a luminosa, pegando-o pela mão
".

Surpreendente. E se entendi direito, até o Evangelho, segundo São Mateus, forneceu inspiração para O Reino de Deus (pág. 119). Narra-se neste conto a confusão de dois contrabandistas e um alienado mental no descarregar de mercadoria. O alienado, irmão de um deles, é agredido pelo outro na pressa da descarga. Tendo quebrada a flor que segurava ― enquanto admirava-a permanecia quieto ―, começa a gritar, fazendo os contrabandistas brigarem entre si e surgir a polícia. O título do conto remete-nos ao Sermão da Montanha, onde encontramos o seguinte trecho: "Com teu adversário mostra-te conciliador, enquanto caminhardes juntos, para não acontecer que te entregue ao juiz e este à guarda e te mandem para a prisão. Em verdade te digo: Não sairás de lá até que pague o último centavo".

Na polifonia do presente opúsculo, podemos ainda destacar duas vozes opostas. A primeira, no conto Terra Natal (pág. 75) trazendo-nos o monólogo interior de um dinamitador, desencadeado pela hesitação em participar de um crime. Quer envolver-se no crime por causa do dinheiro ("O dinheiro é tudo"), e refuta os raciocínios por si mesmo apresentados: "Sua crença é consoladora, para que se morra com ela, porém não estou interessado na morte: é viver que eu quero; e a vida é mais do que cama e comida". Apesar desta insatisfação do espírito o personagem desiste da cumplicidade ao ouvir uma música evocar acentuadamente sua terra natal, o interior da França, mas notamos ser alguém infeliz com o pouco que tem. Aqui um personagem infeliz por ter pouco, e o conto Fora de Nazaré apresenta-nos um indivíduo feliz mesmo nada possuindo, sequer Destino: "Eu não tenho destino. Por que razão iria me apressar?" Nada de trágico, nada de existencial na descrição do caminho percorrido por ele do interior a um centro urbano maior. A despreocupação do rapaz talvez seja característica do próprio Faulkner, segundo informado por Collins no prefácio.

"A humanidade nunca é tão complexa quanto gostaríamos de acreditar que nós mesmos somos". Nas Esquetes, Faulkner descreve tipos simples, mas sem simplismo ou pieguismo. E não é difícil encontrar quem afirme estar nas Esquetes a delimitação de tipos e locais constantes das obras futuras. O Mentiroso, por exemplo, seria o inaugurador dos tipos rurais. Pôs no papel o colhido na observação das pessoas, e elaborou sua ficção como se extraindo o que pôde dos observados. Se Balzac, de quem se dizia herdeiro, descreve a nobreza francesa anterior (melhor dizendo: sobrevivente) e posterior à revolução, a burguesia ascendente, os literatos, etc., Faulkner volta-se aos marinheiros, jóqueis, contrabandistas e escravos fugidos, mas ambos com o mesmo apuro na observação, e com atenção ao meio frequentado. Quem quiser começar a conhecer a obra faulkneriana, pode satisfatoriamente começar por aqui.

Para ir além





Ricardo de Mattos
Taubaté, 19/9/2002


Quem leu este, também leu esse(s):
01. Wagner, Tristão e Isolda, Nietzsche de Jardel Dias Cavalcanti


Mais Ricardo de Mattos
Mais Acessadas de Ricardo de Mattos em 2002
01. A Erva do Diabo, de Carlos Castaneda - 14/11/2002
02. Diário do Farol, de João Ubaldo Ribeiro - 15/8/2002
03. Moça Com Brinco de Pérola, de Tracy Chevalier - 24/10/2002
04. Cidade de Deus, de Paulo Lins - 17/10/2002
05. O Oratório de Natal, de J. S. Bach - 26/12/2002


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




VIVA MAIS - VENÇA E PREVINA A DEPRESSÃO
IZAIAS CLARO
SOLIDUM
(2012)
R$ 8,90



ADVERTÊNCIAS ESPIRITUAIS - O CONSELHO PLANETÁRIO
FRANCISCO EDERALDO KORNALEWSKI
MADRAS
(2000)
R$ 12,89



LINGUAGEM LEITURA E PRODUÇÃO DE TEXTO
HEITOR MEGALE & MARILENA MATSUOKA
FTD
R$ 10,00



A 600º CELSIUS
STANLEY WILLIAMS / FEN MONTAIGNE
OBJETIVA
(2002)
R$ 11,00



VICENTE FERRER: LA REVOLUCION SILENCIOSA
ALBERTO OLIVERAS
PLANETA
(2000)
R$ 52,28



NEANDERTAL
JOHN DARNTON
PRESENÇA
(1996)
R$ 27,50



A VOLTA AO MUNDO EM 80 DIAS - OS GRANDES CLÁSSICOS DA LITERATURA
JULIO VERNE
NOVO HORIZONTE
(1983)
R$ 10,00



O TELEJORNAL E O SERVIÇO PÚBLICO
FELIZBELA LOPES
MINERVA
(1999)
R$ 39,08



O GARANHÃO - 11ª EDIÇÃO
HAROLD ROBBINS
RECORD
(1971)
R$ 7,00



DO MEU AO TEU CORAÇÃO
PE. PAULO H. MOURA
ED. LOYOLA
R$ 5,00





busca | avançada
36466 visitas/dia
1,2 milhão/mês