A idade que habito | Marta Barcellos | Digestivo Cultural

busca | avançada
69585 visitas/dia
2,2 milhões/mês
Mais Recentes
>>> Pauta: E-books de Suspense Grátis na Pandemia!
>>> Hugo França integra a mostra norte-americana “At The Noyes House”
>>> Sesc 24 de Maio apresenta programação de mágica para toda família
>>> Videoaulas On Demand abordam as relações do Homem com a natureza e a imagem
>>> Irene Ravache & Alma Despejada na programação online do Instituto Usiminas
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> A pintura do caos, de Kate Manhães
>>> Nem morta!
>>> O pai tá on: um ano de paternidade
>>> Prêmio Nobel de Literatura para um brasileiro - I
>>> Contentamento descontente: Niketche e poligamia
>>> Cinemateca, Cinemateca Brasileira nossa
>>> A desgraça de ser escritor
>>> Um nu “escandaloso” de Eduardo Sívori
>>> Um grande romance para leitores de... poesia
>>> Filmes de guerra, de outro jeito
Colunistas
Últimos Posts
>>> A última performance gravada de Jimmi Hendrix
>>> Sebo de Livros do Seu Odilon
>>> Sucharita Kodali no Fórum 2020
>>> Leitura e livros em pauta
>>> Soul Bossa Nova
>>> Andreessen Horowitz e o futuro dos Marketplaces
>>> Clair de lune, de Debussy, por Lang Lang
>>> Reid Hoffman sobre Marketplaces
>>> Frederico Trajano sobre a retomada
>>> Stock Pickers ao vivo na Expert 2020
Últimos Posts
>>> Três tempos
>>> Matéria subtil
>>> Poder & Tensão
>>> Deu branco
>>> Entre o corpo e a alma
>>> Amuleto
>>> Caracóis me mordam
>>> Nome borrado
>>> De Corpo e alma
>>> Lamentável lamento
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Rebelde aristocrático
>>> Cócegas na língua
>>> Animazing
>>> Robinson Shiba do China in Box
>>> Anjos e Demônios, o filme, com Tom Hanks
>>> Quem tem boca vai a Roma
>>> Pergunte ao Polvo #worldcup
>>> O escandaloso blog de poesia de Maria Bethânia
>>> PosBIZZ com Ricardo Alexandre
>>> A era e o poder do Twitter
Mais Recentes
>>> D. Pedro II de Carvalho, José Murilo de pela Companhia das Letras (2020)
>>> D. Maria I: As perdas e as glórias da rainha que entrou para a história como "a louca" de Priore, Mary del pela Benvirá (2020)
>>> D. João VI de Pedreira, Jorge and Costa, Fernando Dores pela Abc (2020)
>>> Conversa cortada - a correspondência entre Antônio Candido e Angel Rama de Antonio Rocca, Pablo Candido pela Edusp e Ouro sobre Azul (2020)
>>> Constituinte de 1987-1988 de Adriano Pilatti pela Puc (2019)
>>> "Clamar e Agitar Sempre": Os Radicais na Década de 1860 de José Murilo De Carvalho; José Mario Pereira and Miriam Lerner pela Tusquets (2020)
>>> Como o Ser Humano Pode se Tornar e se Manter Produtivo de Paulo Gaudencio pela Palavras e Gestos (2012)
>>> Cidade febril: Cortiços e epidemias na corte imperial de Chalhoub, Sidney pela Companhia das Letras (2020)
>>> Cidade de Deus de Paulo Lins pela Tusquets (2020)
>>> Casa-Grande & Senzala de Freyre, Gilberto pela Global (2020)
>>> Brigada Ligeira de Antônio Candido pela Ouro sobre Azul (2020)
>>> Brasil: Formação do estado e na nação de Jancsó, István pela Hucitec (2020)
>>> Brasil, geopolítica e poder mundial: O anti-golbery de Martin, André Roberto pela Hucitec (2020)
>>> Bernardo Pereira de Vasconcelos (Português) Capa comum de José Murilo de Carvalho pela 34
>>> Balmaceda - Coleção Prosa do Observatório (Português) Capa comum de Joaquim Nabuco pela Cosacnaify (2020)
>>> Autobiografia de Visconde de Mauá (Irineu Evangelista de Sousa) pela Senado (2020)
>>> Revista Tempo Brasileiro 25 - A Crise do Pensamento Moderno 3 de Vários pela Tempo Brasileiro (1970)
>>> Teatro Moderno = A Moratória de Jorge Andrade pela Agir (1996)
>>> Teatro na Igreja com criatividade de Maria José Resende pela Exodus (1997)
>>> O Furo . . .Que é um Furo que não é um Furo de Everton Capri Freire pela Parma (1981)
>>> A Retornada de Donatella Di Pietrantonio pela Faro Editorial (2019)
>>> O Teatro de Nelson Rodrigues: Uma Realidade em Agonia de Ronaldo Lima Lins pela Francisco Alves (1979)
>>> 525 Linhas de Marcelo Paiva pela Brasiliense (1989)
>>> Sonho interrompido por guilhotina de Joca Reiners Terron pela Casa da Palavra (2006)
>>> Mortos - Vivos = Vivos - Mortos de Walter José Faé pela Burity (1983)
>>> Ana do Maranhão de Lenita de Sá pela Folha Carioca (1982)
>>> Teatro e Paixão de Maria Lombros Comninos/Marta Morais da Costa pela Secretaria de Estado da Cultura e do Esporte (1982)
>>> Teatro de Marionetes de Heinrich Von Kleist pela Ministério da Educação e Saúde (1952)
>>> Teatro - Realidade Mágica de Santa Rosa pela Departamento de Imp. Nacional (1953)
>>> Sonetos em Curitiba de Nylzamira Cunha Bejes pela Planeta (2002)
>>> A Represa / Suburbana de Maria Helena Khuner/Celso Antonio da Fonseca pela Funarte (1933)
>>> Teatro da Vida 2 = Projeto Andarilhus de Eduardo Bolina pela Pallotti (2009)
>>> O Palácio dos Urubus de Ricardo Meireles Vieira pela Funarte (1975)
>>> Helicópteros e Lepidópteros de Eno Teodoro Wanke pela Plaquete (1979)
>>> Darwin e Kardec Um Diálogo Possivel de Hebe Laghi de Souza pela Centro Espírita Allan Kardec (2002)
>>> Macacos me Mordam ! de Eno Teodoro Wanke pela Plaquete (1987)
>>> Darwin e Kardec Um Diálogo Possivel de Hebe Laghi de Souza pela Centro Espírita Allan Kardec (2002)
>>> Os Infortúnios da Virtude de Marquês de Sade pela Iluminuras (2013)
>>> Joaquim - Minicontos - livrote n. 15 de Eno Teodoro Wanke pela Plaquete (1990)
>>> Administração Aplicada à enfermagem de Sérgio Ribeiro dos Santos pela Ideia (2002)
>>> Antologia de Jeorling J.Cordeiro Cleve pela Artes & Textos (2009)
>>> The Golden Bough: Volume 12 de James Frazer pela Cambridge University Press (2012)
>>> Teatrinho Infantil de Figueiredo Pimentel pela Livraria Quaresma (1958)
>>> Reiki Harmonia Universal de Joel Cardoso pela Tipo (2001)
>>> Saúde de Cães de A a Z de Pedro Zarur Almeida pela Madras (2005)
>>> Pré-Natal de Marcelo Zugaib e Rosa Ruocco pela Atheneu (2005)
>>> Gasparetto Responde! de Luiz Gasparetto pela Vida e Consciência (2015)
>>> O Quarto em Chamas de Michael Connelly pela Suma (2018)
>>> Southernmost - Rumo ao Sul de Silas House pela Faro Editorial (2018)
>>> Vigilância e Controle das Doenças Transmissíveis de Zenaide Neto Aguiar pela Martinari (2009)
COLUNAS

Sexta-feira, 2/12/2011
A idade que habito
Marta Barcellos

+ de 3000 Acessos

Quando minhas amigas começaram a esconder a idade eu achei estranho. Ainda outro dia ríamos disso, nas outras. As explicações vieram aos poucos: uma entrevistada, mulher maravilhosa de 55 anos, pediu delicadamente para não colocar a idade em seu perfil, "se desse". Não era por nada não, ela mesma não tinha problemas com a idade, mas profissionalmente isso tinha um peso. Ter 55 anos de idade tem o seu peso. Depois descobri que para muitos homens que se mantêm no ambiente competitivo das empresas o desconforto era semelhante, "depois de certa idade".

Ter a idade certa é um problema - desde cedo. Já nascemos precisando nos encaixar em perfis pré-existentes para cada idade. Com um ano, é esperado que o bebê tenha determinado comportamento, peso, altura. Lembro de meu esforço, no início da carreira, para parecer mais velha, afinal quem era aquela fedelha para posar de jornalista e chefe aos 25 anos. Depois, por um tempo, entrei numa fase mais confortável na própria idade, dentro dos padrões: cargo compatível, filho a tempo de corresponder às expectativas sociais, tinta ao primeiro sinal de brancos nos cabelos (nada mais transgressor do que uma mulher que mostra os primeiros brancos). Estava na "idade certa", e não tinha chegado ainda à "certa idade".

Comecei a notar algo diferente depois dos 40 anos. Por não ver qualquer sentido em mentir ou esconder a idade, continuei tratando dela naturalmente, achando graça das amigas preocupadas com isso. Mas nem assim me livrei do "problema" da "certa idade". Por mais que o contexto de mencioná-la seja natural, mesmo an passant, muitos interlocutores se sentem na obrigação de dizer que você "não aparenta".

- Acho que aparento sim.

- Claro que não! Você parece ter uns cinco anos menos. Digamos três...

- Você não entendeu, eu gosto de aparentar a minha idade. Você não precisa me agradar falando isso.

- Ah...

Pode ser uma gentileza social apenas; para que complicar? Pensei em evitar interrupções desnecessárias da próxima vez, tentar um sorrisinho agradecido, e seguir adiante. Se não quero evitar o assunto idade, tampouco gostaria de fazer dela uma bandeira. Será que não dá para apenas 'ter' 46 anos, assim como já tive 32 ou 19?

O cineasta Domingos de Oliveira, no filme "Juventude", se refere em determinada cena à idade do "você está ótimo". Experimente encontrar um amigo de colégio que não vê há décadas para rir da piada... As mulheres que gastam boa parte de sua energia - e de seu tempo, seu dinheiro etc - tentando parecer mais jovens defendem o status das "sem idade". E há as celebridades orgulhosas de assumir seus anos, sempre esperando ouvir em troca o tal "você não aparenta". Nos cartazes das peças de teatro, nas fotos de divulgação das revistas, de fato, elas estão longe de aparentar qualquer idade: a tentação de se lambuzar no fotoshop é grande. O resultado são expressões maduras contornadas por uma pintura que lembra vagamente o rosto que tinham quando eram... vá lá, jovens.

O descompasso provavelmente começa com a gentileza de se elogiar a suposta aparência de menos idade. Fica implícito o quanto se espera que você continue assim, sempre mais jovem, porque a juventude é um valor na nossa sociedade - e quem ainda não se deu conta disso, ora essa? Assumimos a obrigação sem pensar a respeito, e passamos a nos identificar com as imagens jovens ou fotoshopadas à nossa volta. Um belo dia, a casa cai. Uma amiga minha, já avó (convém acrescentar, avó precoce), comentou sobre o seu esforço para não virar uma "sem noção". Como trabalha em um ambiente muito jovem, e exerce o mesmo cargo dessas pessoas, às vezes se "esquece" que é mais velha. Sobre isso, ouvi também uma história curiosa: uma senhorinha muito vaidosa, miss na juventude e atualmente com mais de 70 anos, entra numa loja e depois de alguma conversa pergunta à vendedora quantos anos ela lhe dá. Uns 60 e poucos, responde a vendedora bem treinada, certa de agradar. A senhorinha, porém, sai da loja aos prantos - sabe-se lá que idade imaginava aparentar.

Antes de eu entrar nos 40, pensei que o fato de atrizes e pessoas famosas terem passado a revelar a idade ajudaria a acabar com o preconceito que rondava as mulheres mais velhas. Afinal, uma ou duas gerações atrás, mulheres como Tonia Carreiro ou Danuza Leão paravam de falar a idade lá pelos 30 anos. Agora não. A protagonista da novela tem 60, e todo mundo sabe. Então, porque o envelhecimento assumido não torna a velhice um valor, desafiando a tal "sociedade da juventude"? O problema, me parece, é que elas têm 60 anos, mas... "não aparentam". O grande mérito é permanecer jovem, mesmo sendo velho.

Por tudo isso, fiquei feliz ao ler a entrevista de Gilberto Gil ao repórter Diógenes Campanha na Folha de São Paulo. Às vésperas de completar 70 anos, Gil diz estar "vivendo a idade". Ele vê "novos ganhos, novas aquisições, novas configurações". E compara a juventude e a maturidade ao ruído e ao silêncio:

"Quando o ruído desaparece, deixa um vácuo, que é seguido pelo silêncio. E este preenche tanto quanto o ruído preenchia. É algo de outra natureza, que se constitui também como plenitude. Certos aspectos da atividade cerebral ganham outra forma de se apresentar. Fisicamente, não me sinto debilitado. Resumindo, estou gostando da velhice."

Não dá vontade de chegar logo aos 70?



Marta Barcellos
Rio de Janeiro, 2/12/2011


Quem leu este, também leu esse(s):
01. De pé no chão (1978): sambando com Beth Carvalho de Renato Alessandro dos Santos


Mais Marta Barcellos
Mais Acessadas de Marta Barcellos em 2011
01. A internet não é isso tudo - 14/1/2011
02. Entre livros e Moleskines - 11/2/2011
03. Somos todos consumidores - 8/4/2011
04. Em busca da adrenalina perdida - 4/3/2011
05. A novíssima arquitetura da solidão - 4/11/2011


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




OS TEMPLARIOS - IRMÃOS EM CAVALARIA
FREDERICK SMYTH
MADRAS
(1991)
R$ 29,00



A TÉCNICA DA REDAÇÃO JURÍDICA OU A ARTE DE CONVENCER
VICENTE DE PAULO SARAIVA
CONSULEX
(2002)
R$ 14,00



BOM-CRIOULO
ADOLFO CAMINHA
ÁTICA
(1999)
R$ 20,00



PENSAR SOBRE A ALIMENTAÇÃO Á BASE DE CARNE E A PAZ MUNDIAL I - 1ª ED.
SEICHO-NO-IE
SEICHO-NO-IE
(2014)
R$ 10,99



MÃE E MESTRA
MARIA PIA GIUDICI
MONTE ESTORIL
(1964)
R$ 6,90



O CÉU É UM ESPELHO LÁ LONGE
GUILHERME FIGUEIREDO
ATUAL
(1988)
R$ 10,00



O DESENVOLVIMENTO DOS POVOS - CARTA ENCÍCLICA POPULORUM PROGRESSIO
PAULO VI
VOZES
(1968)
R$ 5,00



PRETÉRITO IMPERFEITO
AFONSO FELIX DE SOUSA
CIVILIZAÇÃO BRASILEIRA
(1976)
R$ 7,90



ROBINSON CRUSOÉ
DEFOE, DANIEL
GARNIER - ITATIAIA
(2007)
R$ 15,00



PARA EMERGIR NASCEMOS &ESTUDOS EM REMEMORAÇÃO DE JORGE DE SENA
FRANCISCO COTA FAGUNDES E PAULA GÂNDARA
SALAMANDRA
(2000)
R$ 61,41





busca | avançada
69585 visitas/dia
2,2 milhões/mês