A internet não é isso tudo | Marta Barcellos | Digestivo Cultural

busca | avançada
41731 visitas/dia
1,1 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Banda GELPI, vencedora do concurso EDP LIVE BANDS BRASIL, lança seu primeiro álbum com a Sony
>>> Celso Sabadin e Francisco Ucha lançam livro sobre a vida de Moracy do Val amanhã na Livraria da Vila
>>> No Dia dos Pais, boa comida, lugar bacana e MPB requintada são as opções para acertar no presente
>>> Livro destaca a utilização da robótica nas salas de aula
>>> São Paulo recebe o lançamento do livro Bluebell
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> O reinado estético: Luís XV e Madame de Pompadour
>>> 7 de Setembro
>>> Outros cantos, de Maria Valéria Rezende
>>> Notas confessionais de um angustiado (VII)
>>> Eu não entendo nada de alta gastronomia - Parte 1
>>> Treliças bem trançadas
>>> Meu Telefunken
>>> Dor e Glória, de Pedro Almodóvar
>>> Leminski, estações da poesia, por R. G. Lopes
>>> Crônica em sustenido
Colunistas
Últimos Posts
>>> Jesus não era cristão
>>> Analisando o Amazon Prime
>>> Amazon Prime no Brasil
>>> Censura na Bienal do Rio 2019
>>> Tocalivros
>>> Livro Alma Brasileira
>>> Steve Jobs em 1997
>>> Jeff Bezos em 2003
>>> Jack Ma e Elon Musk
>>> Marco Lisboa na Globonews
Últimos Posts
>>> O céu sem o azul
>>> Ofendículos
>>> Grito primal V
>>> Grito primal IV
>>> Inequações de um travesseiro
>>> Caroço
>>> Serial Killer
>>> O jardim e as flores
>>> Agradecer antes, para pedir depois
>>> Esse é o meu vovô
Blogueiros
Mais Recentes
>>> O Vendedor de Passados
>>> Entre a crise e o espectro do humor a favor
>>> Dicas para a criação de personagens na ficção
>>> Tiros, Pedras e Ocupação na USP
>>> Oficina de conto na AIC
>>> Crônica em sustenido
>>> Notas confessionais de um angustiado (VII)
>>> O julgamento do mensalão à sombra do caso Dreyfus
>>> Retomada do crescimento
>>> Drummond: o mundo como provocação
Mais Recentes
>>> O Espiritismo Aplicado de Eliseu Rigonatti pela Pensamento (2006)
>>> Luz no lar de Francisco Cândido Xavier pela Federação Espírita Brasileira (1968)
>>> O Evangelho segundo o espiritismo de Allan Kardec pela Federação Espírita Brasileira (1997)
>>> Sobrevivência E comunicabilidade dos Espíritos de Hermínio C. Miranda pela Federação Espírita Brasileira (1975)
>>> O Livro dos Espíritos de Allan Kardec pela Federação Espírita Brasileira (1944)
>>> História das Religiões de Ivan Ap. Manoel e Nainora M.B. de Freitas pela Paulinas (2006)
>>> O Brilho dos pássaros de Carlos Luz pela Nova Era (1996)
>>> Prosperidade fazendo amizade com o dinheiro de Lair Ribeiro pela Objetiva (1992)
>>> Sessões Prática e Doutrinárias do Espiritismo de Aurélio A. Valente pela Federação Espírita Brasileira (1990)
>>> 100 Impulsos positivos para viver melhor de Eduardo Criado pela Folio (1996)
>>> O Avesso de um Balzac Contemporâneo de Osmar Ramos Filho pela Lachârtre (1995)
>>> O Ser Integral o despertar de uma nova era de Orlando Santos Junior pela Royal Court (1996)
>>> A fé crista Normal de Watchman nee pela Living Stream Ministry
>>> Sementes de vida Eterna de Djalma Santos pela Novo Ser (2011)
>>> Vencendo os Limites de Elaine de Melo pela Qualitymark (2000)
>>> Ala Sombra de los Monasterios Tibetanos de Jean M. Riviére pela Kier (1986)
>>> A vida Normal da Igreja Crista de Watchman nee pela Living Stream Ministry
>>> Esclarecendo os Jovens de Umberto Ferreira pela Goiânia (1993)
>>> O Vôo mais Alto de Luiz Sérgio pela Edição do Autor (1983)
>>> Evolução Espiritual de Narcí Castro de Souza pela Madras
>>> Copos que Andam de Vera Lúcia Marinzeck de Carvalho pela Petit (1994)
>>> O Mistério do Sobrado de Vera Lúcia Marinzeck de Carvalho pela Petit (2001)
>>> Imagem do eterno de Carmen Cinira Macedo pela Moderna (1989)
>>> A Gêneses de Allan Kardec pela Federação Espírita Brasileira (2000)
>>> Manual de Boas Práticas em Ensaios Clínicos de Conceição Accetturi, David Salomão Lewi e Greyce Balthazar Lousana pela Usp (1997)
>>> Filho do Sol de Savitri Devi pela Renes (1981)
>>> Encontros com o Insólito de Raymond Bernard, F. R. C. pela Renes (1970)
>>> Introdução à Filosofia da Rosacruz Áurea de J. van Rijckenborgh pela Escola Espiritual da Rosacruz Áurea (1982)
>>> Biografias de Personalidades Célebres de Prof. Carolina Rennó Ribeiro de Oliveira pela do Mestre (1970)
>>> As Últimas Horas de Gibran de Kahlil Gibran pela Nova época (1980)
>>> El Misterio De Los Templarios de Louis Charpentier pela Bruguera (1970)
>>> Valongo Arte e Devoção de Ana Maria C. Silva De Biasi, Elias Jorge Tambur e Maria Rabello da Motta pela A Tribuna (1995)
>>> Eu, Detetive O Caso do Sumiço de Stella Carr e Laís Carr Ribeiro pela Moderna (2003)
>>> Dinheiro Público e Cidadania de Silvia Cintra Franco pela Moderna (1998)
>>> Quando o espiritual domina de Simone de Beauvoir pela Nova Fronteira (1980)
>>> Coração de Vidro de José Mauro de Vasconcelos pela Melhoramentos (1972)
>>> Transformadores de Alfonso Martignoni pela Globo (1981)
>>> Guia Técnico do Alumínio - Extrusão de Associação Brasileira do Alumínio pela Tecnica (1990)
>>> História da Literatura em Santo André de Tarso M. de Melo pela Fundo de cultura de santo andré (2000)
>>> Cinco Minutos - A Viuvinha de José de Alencar pela Ática (2001)
>>> O Mochileiro das Galáxias - Volume 4 de Douglas Adams pela Arqueiro (2010)
>>> Amo Poesia de J. Dellova pela Do escritor (1989)
>>> Folhas aos Ventos Maçônicos de Breno Trautwein pela A Trolha (2000)
>>> Os Segredos dos Construtores de Maurice Vieux pela Difel (1977)
>>> Antigos Manifestos Rosacruzes de Joel Disher pela Amorc (1982)
>>> Breve História da Maçonaria de Rubens Barbosa de Mattos pela A Trolha (1997)
>>> Por Mares há Muito Navegados de Álvaro Cardoso Gomes pela Ática (2002)
>>> Isso Ninguém me Tira de Ana Maria Machado pela Ática (1996)
>>> Um Dono para Buscapé de Giselda Laporta Nicolelis pela Moderna (1996)
>>> Encontro com os Deuses de Jaime Guedes pela Mandála (1978)
COLUNAS

Sexta-feira, 14/1/2011
A internet não é isso tudo
Marta Barcellos

+ de 7200 Acessos
+ 7 Comentário(s)

Quem é o seu hacker preferido: Mark Zuckerberg ou Julian Assange? A disputa pelo título de personalidade do ano nos convida a refletir sobre o tempo em que vivemos. O fundador do Facebook surgiu como símbolo da nova era da comunicação, e o criador do Wikileaks, da democratização da informação. O primeiro é o destaque de 2010 segundo a Times; o segundo foi o escolhido pelo Le Monde. Estamos, provavelmente, no auge do nosso deslumbramento com a "ideologia técnica", como o sociólogo francês Dominique Wolton chama a panaceia em torno das transformações provocadas pela internet ― que cegaria as pessoas para aspectos não tão revolucionários assim da rede.

Antes que você, que só clicou aqui por discordar do título, cubra-se de indignação, tente não vestir a carapuça contida na declaração de Wolton ao jornal Valor Econômico, em entrevista a Diego Viana: "Nunca é dito nada de negativo sobre a internet. Quando alguém ousa lançar uma ressalva, é logo tachado de reacionário, antiquado e assim por diante". Você não vai agir assim, vai? Então sigamos o raciocínio do sociólogo.

Wolton diz que é uma grande ilusão considerar a internet como portadora de toda a liberdade, criatividade e proximidade para todos. Segundo ele, nesta convicção equivocada e ingênua reside inclusive um perigo. Enquanto a televisão e o rádio sempre foram encarados como instrumentos nas mãos de grupos poderosos, ninguém é capaz de enxergar por trás da internet a atuação dessas mesmas entidades, sejam elas corporações internacionais ou Estados.

Diretor do laboratório de Informação do Instituto de Ciências da Comunicação francês, Wolton parte do pressuposto de que comunicação é diferente de informação. Ao contrário da informação, a comunicação envolve relações entre pessoas, e por isso tem implicações políticas, sociais e culturais. Mas preste atenção: ter mil amigos no Facebook não conta como "relação entre pessoas". As redes sociais podem inclusive estar criando uma ilusão de contato que na verdade fecha cada um sobre si mesmo.

"A potência técnica traz mais dados, mais acessos, mais contatos. Mas os dados não são conhecimentos, os acessos não são entradas e os contatos não são comunicação", afirma Wolton.

Em seu livro Informar não é comunicar (Sulina, 2010, 96 págs.), além de atacar os excessos dos discursos que fazem da internet uma revolução total, ele mostra que comunicação é mais importante do que informação para o vínculo e a identidade. Por outro lado, a circulação descontrolada de informações acabaria enfraquecendo a possibilidade real que as pessoas têm de agir. "Mesmo se a informação dá a volta ao mundo, é em menos de 100 quilômetros que a realidade muda", escreveu o sociólogo em um artigo.

O ataque de Wolton à internet é cheio de excessos, talvez para compensar a idolatria também excessiva em torno dela. Ou, quem sabe, apenas por ser ele um intelectual à moda antiga, como ainda existe na França, daqueles que não fogem das polêmicas da atualidade. De qualquer forma, o seu pensamento me flagrou justamente em um momento de desânimo em relação à internet, e de alguma descrença em relação às transformações reais que ela pode estar promovendo.

A primeira destas decepções diz respeito à dificuldade de a internet mobilizar efetivamente ― fisicamente mesmo ― as pessoas. Fora poucas exceções, sempre muito divulgadas (pela própria internet), as tentativas de mobilização para causas sérias quase sempre fracassam. O terreno parece mais propício para a proliferação de boatos, falsas acusações, fofocas tolas, fichas sujas, bullying, invasão de privacidade etc. Quem já está acostumado a lidar com esse ambiente hostil consegue separar o joio e aproveitar o trigo, mas uma grande maioria silenciosa (que não propaga seus sentimentos na internet) acumula traumas neste aprendizado.

A comunicação que possibilita uma ação local, de acordo com Wolton, depende das relações entre gente que se conhece de verdade, e tem uma base comum de cultura histórica, linguística e social. Uma realidade distante da maioria das redes sociais, que hoje se debatem com as questões da privacidade e da deturpação do conceito de "amigo".

Mas se a comunicação na internet não acontece de forma tão revolucionária como aparenta, o que dizer da fabulosa disseminação da informação? Qualquer jornalista que atuou antes e depois da internet sabe a extraordinária diferença de ter, a um clique, os tais dados e acessos citados por Wolton. Politicamente, nada pode ter sido mais relevante.

No entanto, como lembra o sociólogo, dados não são conhecimento ― e o excesso deles pode dificultar ainda mais a transformação de um conceito em outro. É aí que entra a mediação. Ela tem sido fundamental para se traduzir a enxurrada de informações, por exemplo, contida no site Wikileaks. Mas quem seleciona, edita e interpreta os dados sempre é movido por algum tipo de interesse. Não menos desinteressados são aqueles que vazam os dados para o site.

É nesta hora que descobrimos o óbvio: a internet continua sendo "apenas" uma ferramenta. Tão fascinante que nos fixamos nela, e nas simbólicas figuras de Zuckerberg ou Assange, enquanto esquecemos as personalidades que, neste instante, a utilizam para transformar o mundo.

Nota do Editor
Marta Barcellos mantém o blog Espuminha.

Para ir além






Marta Barcellos
Rio de Janeiro, 14/1/2011


Quem leu este, também leu esse(s):
01. Teste-se a si mesmo de Carla Ceres


Mais Marta Barcellos
Mais Acessadas de Marta Barcellos em 2011
01. A internet não é isso tudo - 14/1/2011
02. Entre livros e Moleskines - 11/2/2011
03. Somos todos consumidores - 8/4/2011
04. Em busca da adrenalina perdida - 4/3/2011
05. A novíssima arquitetura da solidão - 4/11/2011


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

ENVIAR POR E-MAIL
E-mail:
Observações:
COMENTÁRIO(S) DOS LEITORES
14/1/2011
17h45min
Fala-se demais quando o tema é a internet. Costuma-se esquecer que ela é apenas uma ferramenta. As maiores distâncias, aquelas das diferenciações sociais, também no espaço virtual tendem a se reproduzir, não existe tecnologia capaz de encurtá-las. Mesmo que existam algumas exceções, a maior parte dos escritores só consegue visibilidade na internet se tiver antes, em alguma medida, três formas de capital: o econômico, o cultural e o social.
[Leia outros Comentários de Diogo Reis]
16/1/2011
00h48min
Essa enxurrada de informações torna cada vez mais difícil a absorção de informações importantes e, como você citou, é neste momento que entram os "manipuladores" da informação. Em relação ao Wikileaks, não considero o conteúdo como informação, mas sim uma espécie de fofoca, do mesmo tipo que encontramos em revistas e sites de celebridades. A diferença é que essas fofocas são questões de Estado, que dependendo do modo como são divulgadas, podem gerar desconforto e até mesmo beligerância entre países.
[Leia outros Comentários de Renan Vitalo]
18/1/2011
12h52min
Marta, concordo completamente com você. A internet é sem dúvida um instrumento mágico. É uma varinha que tem dois gumes. Você é que tem que saber segurar e usar. Para a nova geração, ela não tem segredos e depende de cada um a sua utilização. Gosto de usar minha experiência, porque aí falo com seguranca. Quando pintava em tela, era caro, não tinha como mostrar e vendia para os próximos; hoje faço Pintura Digital e meus trabalhos correm o mundo através da internet. Mas qual a vantagem disso? Monetária, nenhuma. Talvez orgulho bobo de artista, quem quiser ver é só clicar no Google, digitar meu nome e pronto. Mas, novamente, o incógnito: quem sabe meu nome? Então a internet só funciona com "Empresas" que sabem "usufruir" do que está nela própria.
[Leia outros Comentários de Maria Anna Machado]
26/1/2011
06h26min
Boa, Marta. Mas eu abri o seu texto justamente por concordar com o título. E, para mim, internet é só pra se informar mesmo. Acesso para ler jornais do mundo todo e assistir à novela da Globo (ninguém é perfeito). Sou a única entre todas as minhas amigas que não tem conta em Facebook, Orkut e tudo mais. E como os blogs me cansam, meu Deus. Tem tanta porcaria. Procurando blogs e informações sobre os Emirados caí em tanto blog racista, gente falando do que não sabe... Nada como um bom livro, viu? Porque internet tem censura, sim, e perseguição, apesar de não se falar no assunto. Abracos.
[Leia outros Comentários de Karina Hermesindo]
24/5/2011
21h35min
Ahh que alívio ler esse texto. Concordo em numero genero e grau com Wolton, meu deus que coisa chata e irritante "estar conectada" o dia todo. E, se nao, pobre de nós os ETs da sociedade. Internet nada mais é do que uma ferramenta útil, sim, claro depende de quem a usa e de qual forma. Confesso que tem dias que prefiro estar longe de tudo porque esse turbilhão de informações (a maioria descartável) irrita, cansa. Tem horas que ouvir uma boa música no bom e velho rádio e ler um bom livro, estar em companhia da família, é essencial. Abraços
[Leia outros Comentários de Khris]
27/5/2011
13h55min
Maravilhosa essa reflexão
[Leia outros Comentários de Gustavo Lopes]
28/5/2011
11h41min
Internet??? O que é isso???
[Leia outros Comentários de Rebeca]
COMENTE ESTE TEXTO
Nome:
E-mail:
Blog/Twitter:
* o Digestivo Cultural se reserva o direito de ignorar Comentários que se utilizem de linguagem chula, difamatória ou ilegal;

** mensagens com tamanho superior a 1000 toques, sem identificação ou postadas por e-mails inválidos serão igualmente descartadas;

*** tampouco serão admitidos os 10 tipos de Comentador de Forum.




Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




CURSO DE DIREITO ADMINISTRATIVO - 4ª EDIÇÃO
DIOGO DE FIGUEIREDO MOREIRA NETO
FORENSE
(1983)
R$ 49,00
+ frete grátis



GONZO! 30 ANOS DE REPORTAGENS
ARTHUR VERÍSSIMO
REALEJO
(2014)
R$ 39,90



CHILE 1973: DO FOGO À LUZ: UM ENCONTRO COM A TORTURA
PEDRO HIDALGO
SENGE
(2012)
R$ 10,50



GRANDES ARTISTAS BRASILEIROS VOLPI
MARCOS A MARCONDES
CIRCULO DO LIVRO
(1985)
R$ 5,00



O QUE FAZER?
V. I. LÉNINE
EDIÇÕES AVANTE
(1977)
R$ 46,82



ESPORTE E EDUCAÇÃO:
ERIKA KARLA DE FREITAS
NOVAS EDIÇÕES ACADÊMICAS
R$ 349,00



ESTUDO DE TEMPOS PARA SUPERVISORES
GIUSEPPE MICHELINO
PUBLICAÇÕES EDUCACIONAIS
(1964)
R$ 4,90



METODOLOGIAS QUALITATIVAS NA SOCIOLOGIA
TEREZA MARIA FROTA HAGUETTE
VOZES
(2001)
R$ 20,00



A FORMAÇÃO DO PEDAGOGO EM CURRÍCULOS DE UNIVERSIDADES PÚBLICAS
ELIMAR PONZZO DUTRA LEAL
NOVAS EDIÇÕES ACADÊMICAS
R$ 454,00



JÚLIO A MURALHA- FERAS FUTEBOL CLUBE
JOACHIM MASANNEK &JAN BIRCK
VIDA & CONSCIÊNCIA
(2009)
R$ 17,50





busca | avançada
41731 visitas/dia
1,1 milhão/mês